Bolsonaro ataca Haddad e Manuela pelo uso do caso falso da suástica: "Canalhas ! Vagabundos !"

O candidato Jair Bolsonaro reagiu com indignação ao saber do laudo do IGP do RS, no qual fica claro que a jovem gaúcha lébisca lulopetista L., inflingiu danos ao próprio corpo, insculpindo uma suástica na própria barriga, visando ajudar a campanha de Fernando Haddad, PT.

A denúncia feita na Polícia Civil do RS, continua sendo usada de modo massivo por Haddad e por Manuela D'Ávila, mesmo depois de comprovada a fraude.

Bolsonaro reagiu forte:

- São canalhas ! Vagabundos !

E é isto mesmo.

Haddad e Manuela, até o início desta tarde, não tinham se desculpado.

31 comentários:

silvio cavalheiro disse...

Ué, esperavam o quê ? Um Jairzinho paz e amor e ainda "pedindo por perdão por te trair ?"

Anônimo disse...

Não e só o POSTE E A COMUNISTA que devem desculpas, mas principalmente a imprensa envolvida na ZELOTES, Pois foram os primeiros a espalhar a noticia, que uma ¨MENINA¨ havia sofrido agressões de pessoas ligadas ao Bolsonaro. Estes sim são os legítimos VAGABUNDOS E CANALHAS.

Anônimo disse...

o Rógi Uaters vai projetar o laudo que embasa a falsa comunicação de crime feita à policia?

quero ver projetado em tamanho gigante e por varios minutos...

e quero um discursinho do cantor tambem...

enquanto rola a projeção, um coral de jovens robotozidos canta "The Wall" ao fundo...

Anônimo disse...

Não se preocupe, povo brasileiro. Tudo neste mundo é movido a dinheiro. Depois da chamada "redemocratização", este será o primeiro Governo de Direita eleito no Brasil! Tudo que se viu até hoje de baderna, nas ruas e dentro do parlamento brasileiro, foi decorrente da ideologia de plantão acastelada no Palácio do Planalto e de muito dinheiro público injetado nessas ONGs. A fonte secou! Mesmo que venha muita grana de fora, não haverá clima para isso. Não se esqueça que os militares estão fora do poder desde 1985. Não entrarão, agora, para ficarem na mão desta esquerdalha idiota que transformou o país num caldeirão de imbecis!!! A mensagem que foi passada para o povão de 1985 para cá é: crescei e multiplicai-vos que o Estado Brasileiro lhes garante de um tudo! E não é bem assim... O Estado não pode ser integralmente responsável pelos cinco filhos que você colocou no mundo sem poder. O povo tem que ter em mente que o Estado lhes dará segurança, boas escolas, bons hospitais, facilitará a vida do empresariado para geração de empregos mas, você terá que trabalhar para sustentar os filhos que você fez/pariu! Simples assim!

Anônimo disse...

la no G1 a noticia não saiu naquela seção onde eles estampam um FAKE! em letras garrafais...

curioso, né?

Anônimo disse...

Sei não, mas acho que mais esse TIRO NO PRÓPRIO PÉ CALIBRE 12 demoveu aquela uma a simular um "ataque de bolsonaristas" às vésperas da eleição, até porque NINGUÉM MAIS ACREDITA NESSAS ARMAÇÕES DO PT!!!!

Anônimo disse...

Em novo vídeo, coronel que insultou Rosa Weber ameaça Gilmar e diz estar agindo em nome de Bolsonaro:

Kiko Nogueira - 23 out 2018 - DCM

O coronel da reserva Carlos Alves, autor de um vídeo chamando a presidente do TSE, Rosa Weber, de “salafrária” e “incompetente”, e insultando outros ministros do Supremo, voltou a atacar.

Numa nova publicação no YouTube, ele ameaça Gilmar Mendes, elogia Eduardo Bolsonaro e diz estar agindo em nome de Jair Bolsonaro e do Exército (assista abaixo).

“Nós vamos entrar juntos nessa linha. O Brasil vai ser consertado”, afirma.

“Seus dias estão acabando, meu inimigo”, grita ele.

“Todos sabem sobre suas falcatruas. O Lewandowski vai abrir o bico quando o Bolsonaro assumir a presidência da República”.

Nesta terça, dia 23, em discurso na abertura da sessão da Segunda Turma do STF, Celso de Mello prestou solidariedade a Rosa e denunciou “ataques imundos e sórdidos”.

Gilmar Mendes, de acordo com o site Jota, defendeu a abertura de processo contra o militar. Ele considera que o STF deve acionar a PGR.

Carlos Alves não é a doença, é o sintoma.

O Judiciário brasileiro assistiu Bolsonaro investir contra a democracia brasileira ao longo de anos.

Exaltou um torturador, contou que ia fuzilar FHC, fez bravatas sobre fechar o Congresso etc etc.

No domingo, declarou que ia banir ou prender os opositores.

Tudo nas barbas do excelentíssimos magistrados, que ajudaram a cevar um antipetismo psicótico no qual JB surfou.

Generais falam pelos cotovelos nas redes sociais, denunciando “fraudes” fictícias num looping golpista sem fim.

O gênio do fascismo saiu da garrafa e vai levar um tempo para colocá-lo de volta.

Como? Não vai ser com o papo furado weberiano de que as instituições estão funcionando ou minimizando as incitações de Bolsonaro à violência.

Quem vai controlar o guarda da esquina? E o coronel?

Anônimo disse...

Por que este coronel está solto?

FERNANDO BRITO · 23/10/2018 - O Tijolaço

Está repercutindo o vídeo onde um coronel bolsonarista, de nome Carlos Alves, ameaça, xinga e ofende não apenas a ministra Rosa Weber. os ministros do Supremo, e uma penca de autoridades e pessoas.

O texto, se me perdoam o vocabulário basta para ver que tipo de marginal é este senhor:

Rosa Weber, eu vou te falar uma coisa aqui, TSE e Supremo Tribunal Federal. Primeiro, porque eu falo mesmo, não tenho medo de ninguém. Já falei uma vez, falo duas, falo dez mil vezes e hoje eu estou autorizado a dar uma informação bem “en passant” a vocês. Só a cabecinha, Rosa Weber, só a cabecinha: Não te atreve, não te atreve a ousar aceitar esta afronta contra o povo brasileiro, esta proposta indecente do PT de querer tirar Bolsonaro do pleito eleitoral(…) Olha aqui, nós já encaminhamos um documento, não sei se já chegou às mãos do General Villas Boas, um petição de generais, brigadeiros, almirantes e coronéis – ou seja, a alta cúpula das Forças Armadas – exigindo agora que V. Exa se vire e garanta ao povo brasileiro eleições livres e limpas. (…) Eu, coronel Carlos Alves, estou aqui por vontade própria, eu, oficial do Exército Brasileiro, eu pertenço à alta cúpula da hierarquia do Exército Brasilero, sou um coronel full, três gemadas, e como eu outros coronéis, generais, comandantes da Marinha, brigadeiros, almirantes não aceitaremos fraude. Se você aceitar esta denúncia ridícula e tentar tirar Bolsonaro por crime eleitoral, nós vamos derrubar vocês, aí, sim.

Isso é só uma pequena amostra. Weber é chamada de “salafrária”, “corrupta”, diz que fala com “orgasmos quase sexuais”.

Eu estou autorizado pela alta cúpula do Exército, da Marinha e da Aeronáutica, não estou brincando não. Eu soube que esta semana que passou houve atrito no Alto Comando do Exército, grande parte dos generais, pelo menos um deles, quase atravessou a Praça dos Três Poderes para dar voz de prisão ao Supremo, porque o Lewandowski se atreveu a permitir que o bandido Lula desse entrevistas. O Fux barrou. Isso é fato: o Lewandowski puto da vida, chamou o Toffoli num canto e, vermelhão daquele feito um canalha que ele é e disse: olha aqui, ô Toffolizinho, se eu não conseguir a entrevista com o meu amado, o meu amante Lula, eu vou dizer pra todo mundo que a gente gente vende, na propina, vende liberdade, vende habeas corpus, vende sentenças.

Nem é preciso mais – e há muito mais – exceto saber porque este coronel, se o é, não está preso disciplinarmente, como permite o Estatuto dos Militares em relação a militares reformados.

Se os oficiais acham que é possível falar assim de ministros do TSE, assistam este outro vídeo, durante o qual chama de “sujos” os comandantes das três Armas. E grita: Trump, help us!

Anônimo disse...

PF ABRE INQUÉRITO CONTRA CORONEL QUE OFENDEU E AMEAÇOU MINISTROS DO STF


Polícia Federal (PF) instaurou inquérito para investigar um vídeo no YouTube no qual o coronel da reserva do Exército Carlos Alves refere-se à presidente do TSE, Rosa Weber, como “salafrária e corrupta”, além de criticar e fazer ameaças a outros ministros do STF; abertura do inquérito foi confirmada pelo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, nesta quarta-feira (24); além da investigação sobre o coronel, foram abertos mais três inquéritos para apurar ameaças a Rosa Weber

24 DE OUTUBRO DE 2018 ÀS 16:24 // INSCREVA-SE NA TV 247 Youtube

Anônimo disse...

Delegado ignorou hipótese pericial compatível com a versão da vítima, aponta advogada:

24/10/2018

Jornal GGN - A defesa da jovem de Porto Alegre que teve uma suástica marcada em seu corpo divulgou à imprensa trechos do laudo feito após o exame de corpo de delito, sugerindo que o delegado do caso pode ter se antecipado ao afirmar que houve automutilação.

O laudo diz que a marca, por ter sido feito de maneira muito superficial, é "compatível" com automutilação, mas a perícia é incapaz de provar isso. Além disso, o símbolo nazista poderia ter sido talhado na pele por terceiros, se a jovem não tivesse oferecido resistência. O delegado tratou essa segunda hipótese como "consentimento" premeditado em seus depoimento na imprensa.

A advogada Gabriela Souza destacou o trecho em entrevista ao Correio Braziliense, divulgada na tarde desta quarta (24).

"As lesões verificadas apresentam, portanto, características compatíveis com as de lesões autoinflingidas, embora não haja, a partir exclusivamente dos resultados do exame de corpo de delito, elemento de convicção para se afirmar que efetivamente foram autoprovocadas", diz o laudo pericial.

"Nesse sentido, pode-se afirmar que as lesões foram produzidas: ou pela própria vítima ou por outro indivíduo com o consentimento da vítima ou, pelo menos, ante alguma forma de incapacidade ou impedimento da vítima em esboçar reação", prossegue.

A advogada afirmou que quer a investigação concluída, indicando que falta análises de câmeras de segurança e de oitivas com os profissionais que atenderam a jovem.

Ao Correio, o delegado - que causou polêmica ao afirmar que a suástica desenhada era, em sua opinião, um símbolo budista - afirmou que a vítima poderia ter usado bijuteria para se automutilar. Ele ainda disse que ela tem problemas emocionais e toma remédios fortes.

Anônimo disse...

O MP já se pronunciou sobre o inquerito?

Anônimo disse...

Tem pelo menos decisão de Juiz de Primeiro grau sobre o caso?

Anônimo disse...

Delegado ignorou hipótese pericial compatível com a versão da vítima, aponta advogada:

24/10/2018

Jornal GGN - A defesa da jovem de Porto Alegre que teve uma suástica marcada em seu corpo divulgou à imprensa trechos do laudo feito após o exame de corpo de delito, sugerindo que o delegado do caso pode ter se antecipado ao afirmar que houve automutilação.

O laudo diz que a marca, por ter sido feito de maneira muito superficial, é "compatível" com automutilação, mas a perícia é incapaz de provar isso. Além disso, o símbolo nazista poderia ter sido talhado na pele por terceiros, se a jovem não tivesse oferecido resistência. O delegado tratou essa segunda hipótese como "consentimento" premeditado em seus depoimento na imprensa.

A advogada Gabriela Souza destacou o trecho em entrevista ao Correio Braziliense, divulgada na tarde desta quarta (24).

"As lesões verificadas apresentam, portanto, características compatíveis com as de lesões autoinflingidas, embora não haja, a partir exclusivamente dos resultados do exame de corpo de delito, elemento de convicção para se afirmar que efetivamente foram autoprovocadas", diz o laudo pericial.

"Nesse sentido, pode-se afirmar que as lesões foram produzidas: ou pela própria vítima ou por outro indivíduo com o consentimento da vítima ou, pelo menos, ante alguma forma de incapacidade ou impedimento da vítima em esboçar reação", prossegue.

A advogada afirmou que quer a investigação concluída, indicando que falta análises de câmeras de segurança e de oitivas com os profissionais que atenderam a jovem.

Ao Correio, o delegado - que causou polêmica ao afirmar que a suástica desenhada era, em sua opinião, um símbolo budista - afirmou que a vítima poderia ter usado bijuteria para se automutilar. Ele ainda disse que ela tem problemas emocionais e toma remédios fortes.

Anônimo disse...

O MP já se pronunciou sobre o caso?

Anônimo disse...

Tem decisão judicial, pelo menos de juiz de primeiro grau sobre o caso?

Anônimo disse...

TRANS, FILHO DE WITZEL DIZ QUE SE SENTIU USADO EM CAMPANHA DO PAI


O Diário do Centro do Mundo reproduziu matéria do Jornal O Globo, onde Erick Witzel, filho do candidato ao governo do Rio de Janeiro Wilson Witzel (PSC), diz que se sentiu usado pelo pai durante sua campanha eleitoral; "Eu me senti usado nas entrevistas que ele deu", disse o jovem, que é transexual, em referência ao pai ter desrespeitado sua privacidade ao mencioná-lo em reportagens como seu filho trans, contrariando um pedido seu para que não fizesse isso

24 DE OUTUBRO DE 2018 ÀS 17:40 // INSCREVA-SE NA TV 247 Youtube

Anônimo disse...

LULA TA PREZO SEU BABACA ! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Anônimo disse...

Dr Moro vai ter uma trabalheira para limpar o país apartir de janeiro /19

Anônimo disse...

Desde qdo que comunista reconhece que errou.....?

Anônimo disse...

Políbio, tu poderias dizer qual o nome do livro que o prof. haddad publicou, onde ele elogia Stalim e o regime soviético...?? pretendo compra-lo.

Milton disse...

Mais uma vez te pergunto, PolibPo: pq deixas essa ratazana poluir o blog com esse copia e cola do esgoto do jornalismo como diário do c. do mundo e 247?

Anônimo disse...

Mas que sacanagem... O Seu Políbio não está publicando os meus comentários!! E só faltam 3 dias para a eleição! Mas bah!! Que sacanagem tchê!!!!

Anônimo disse...

DEFESA CONTESTA CONCLUSÃO DE DELEGADO SOBRE SUÁSTICA EM JOVEM


A jovem relatou em queixa crime, após a eleição no primeiro turno, que foi atacada por três indivíduos porque usava uma camisa com os dizeres #EleNão, em referência ao candidato Jair Bolsonaro (PSL)

24 DE OUTUBRO DE 2018 ÀS 21:42 // INSCREVA-SE NA TV 247 Youtube


Do Blog do Esmael - A internet entrou em polvorosa nesta quarta (24) diante da precipitada conclusão do delegado Paulo César Jardim, sobre a suástica desenhada a canivete na barriga de uma estudante de 19 anos. Para o policial, houve autolesão e automutilação. Entretanto, a defesa da vítima contesta esta versão.

A jovem relatou em queixa crime, após a eleição no primeiro turno, que foi atacada por três indivíduos porque usava uma camisa com os dizeres #EleNão, em referência ao candidato Jair Bolsonaro (PSL). O crime teria ocorrido em Porto Alegre.

Próprio direito do Departamento Médico Legal (DML) do Instituto-Geral de Perícias (IGP), perito médico-legista Luciano Haas, não é conclusivo embora ele fale em “semelhança” a lesões autoinfligidas.

“A lesão é leve e não penetrou profundamente. Ela foi muito simétrica e com 23 traços. Ela se assemelha a lesões autoinfligidas”, avaliou.

Para a advogada Gabriela Souza, da Advocacia para Mulheres, que defende a vítima, houve precipitação a qual pode não representar a realidade dos fatos.

“O teor do laudo assinado pelos peritos reafirma a convicção da defesa de que a jovem foi vítima de um ataque, conforme testemunhado por ela à Polícia Civil. Nota-se que a perícia não descarta a hipótese de as lesões terem sido causadas por outro indivíduo, inclusive mediante incapacidade de defesa da vítima. Isto apenas comprova o teor do depoimento da vítima, que não esboçou reação durante o ataque e sofreu estresse pós-traumático, situação que se mantém até o momento”, destaca a defensora por meio de nota oficial.

“O laudo divulgado nesta quarta-feira não representa o fim das investigações; a defesa da vítima ainda espera que sejam apresentadas imagens de câmeras de segurança e ouvidos depoimentos de pessoas que prestaram auxílio à jovem atacada. Qualquer conclusão antes de esgotada a avaliação de todos os elementos possíveis é precipitada e pode não representar a realidade dos fatos. (...)

Anônimo disse...

Não só a campanha de haddad devem responder aonrw está farsa mas uma boa parte da imprensa na ânsia de bater em Bolsonaro saem atacando o capitão. Democracia não da direito da imprensa publicar o que ela quer. Democracia não é ausência de lei.

Anônimo disse...

Pelo que deu para entender tudo acaba com o Relatório do Delegado e quem vai mandar prender a moça?

Anônimo disse...

CNJ quer que Ives Gandra Martins Filho esclareça encontro com Bolsonaro:

​24 outubro, 2018 - DCM
Do Conjur:

O Conselho Nacional de Justiça determinou que o ministro do Tribunal Superior do Trabalho Ives Gandra Martins Filho terá 15 dias para esclarecer encontro com o candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL).

De acordo com reportagem do site Jota, a reunião aconteceu na casa do presidenciável, no Rio de Janeiro, e o ministro expressou “preocupações do Judiciário”, além de abordar a Reforma Trabalhista.

O corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, instaurou, de ofício, pedido de providências para que o ministro preste informações a respeito de declaração.

Em sua decisão, ele afirmou que o fato, em tese, pode caracterizar conduta vedada a magistrados, conforme prevê a Constituição Federal, em seu artigo 95, parágrafo único, III. A prática também é proibida pela Lei Orgânica da Magistratura (Loman, artigo 36, III).

Anônimo disse...

Grafia errada de hashtag de apoio a Bolsonaro comprova ação de robôs no Twitter:

​​24 out, 2018 - DCM

Na manhã desta quarta-feira (24/10), a hashtag #BolsonaroPreDsidente estava entre os assuntos mais comentados dos twitter, com mais de 7,3 mil tuítes de interação. A grafia errada da palavra presidente compartilhada tantas vezes mostra que a ação é impulsionada por robôs.

Um levantamento da Diretoria de Análise de Políticas Públicas (DAPP) da Fundação Getulio Vargas (FGV) mostrou que, na semana entre 10 e 16 de outubro, 70,7% dos tuítes identificados como sendo gerados por máquinas são ligados à campanha de Jair Bolsonaro. Isso quer dizer que 5 a cada 7 tuítes a favor do candidato do PSL foram gerados por robôs.

Vale lembrar que, na semana passada, a Folha denunciou “doação” ilegal de empresas à campanha de Bolsonaro via contratação de envio de mensagens em massa contra o PT pelo WhatsApp.

Anônimo disse...

TSE multa dono da Havan por pagar anúncios no Facebook para Jair Bolsonaro>

​25 out 2018 - DCM
Do site da revista Veja.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu multar o empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, em 10.000 reais por ter impulsionado publicações no Facebook que promovem a campanha de Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência da República.

Na sessão desta quinta-feira 13, a Corte eleitoral entendeu que apenas candidatos, partidos e coligações podem recorrer a serviços do tipo, vedados a terceiros. A decisão foi por sete votos a zero.

“A lei estabelece que pessoa física não pode fazê-lo, por um motivo muito simples: é que seria absolutamente impossível avaliar, na prestação de contas, as inúmeras pessoas que contratariam diretamente o impulsionamento”, argumentou o relator do processo, ministro Luís Felipe Salomão.

(…)

A ação contra Hang, Bolsonaro e o Facebook foi proposta pela coligação “Para Unir o Brasil”, do candidato Geraldo Alckmin (PSDB). Na sessão desta quinta-feira, o TSE condenou apenas o empresário, isentando Bolsonaro e o Facebook.

No entendimento dos ministros, não ficou provado que o candidato do PSL tinha conhecimento dos atos do dono da Havan, enquanto a rede social, assim que acionada sobre o caso em 24 de agosto, cumpriu a decisão de retirar o impulsionamento do ar.

(…)

o exterminador de esquerdopatas disse...


Primeiro tem de processar e colocar na cadeia esta menina de 19 anos que mentiu e criou fake News e depois os jornalistas da rede podre do estado - RBS que continuaram "pesquisando" o tal ataque. Depois processar o PT e o poste de LULA, a pilantra da Manuela D'Avila,esta si poderia voltar aos tempos de colégio e fazer o que gostava de fazer, que não era estudar.

Anônimo disse...

Laudo contradiz versão que delegado divulgou contra a vítima tatuada com suástica:

24/10/2018

Delegado relatou nesta quarta (24) que a jovem não foi marcada com um canivete, como ela teria relatado, mas com brincos ou clipes. Laudo pericial, por outro lado, diz que canivete pode, sim, ter sido utilizado na ação. Além disso, a versão vendida à imprensa, de automutilação, não foi comprovada com base no exame, ressaltaram os peritos

Jornal GGN - O delegado Paulo Jardim afirmou à imprensa, nesta quarta (24), que uma jovem de Porto Alegre praticou automutilação com bijuterias ou clipes, e depois culpou apoiadores de Jair Bolsonaro pelo ato, mas o laudo pericial realizado após exame de corpo de delito contradiz a fala do responsável pela investigação.

À reportagem da BBC News Brasil, Jardim descartou o uso do canivete, que foi o objeto citado pela jovem, e citou objetos que fazem parte do imaginário feminino, como "brinco ou clipe", reforçando sua tese de que houve automutilação.


"(...) São arranhões, e não cortes. A perícia indica que foi usado um objeto contundente, como um brinco ou um clipe, mas não cortante como um canivete. Mesmo quando a vítima está imobilizada os cortes não são tão uniformes ou superficiais assim", disse ele.

No laudo, peritos escreveram que, na lista de itens que podem ter sido utilizados para marcar uma suástica no corpo da jovem de 19 está "lâmina metálica", "como a de um canivente ou mesmo uma faca", corroborando a versão da denunciante.

O GGN teve acesso à íntegra do laudo técnico, que ressalta que o desenho foi feito de maneira superficial e isso demandou "zelo" e "cautela" do autor. Para isso, a jovem teria de ter colaborado. No depoimento que prestou à delegacia, ela relatou que não ofereceu nenhuma resistência.

Trecho extraído da página 7 do laudo pericial: "...nesse sentido, entre os possíveis instrumentos empregados poderíamos considerar, sempre a título de orientação: arames, lâminas metálicas (como a de um canivete, ou mesmo uma faca..."

DELEGADO DESCARTOU HIPÓTESE QUE CORROBORA VERSÃO DA VÍTIMA

Outro dado que chama atenção é que, ao contrário da versão que predomina na imprensa, a automutilação ou mutilação com consentimento e premeditado não é a única hipótese levantada pelo laudo pericial.

Ao contrário: os peritos escreveram que não é possível "afirmar categoricamente que a lesão seja autoinfligida".

"(...) embora não seja possível afirmar categoricamente que a lesão seja autoinfligida, pode-se concluir, com convicção, que a possibilidade de uma agressão que tenha acontecido sem que tenha havido alguma forma de colaboração da parte da vítima ou sem que tenha havido marcada incapacidade de reação da parte dela é muitíssimo diminuta."

O delegado Jardim - o mesmo que, antes de investigar o caso, disse à imprensa que achava que a suástica era, em verdade, um símbolo budista - descartou a tese que favorecia a vítima argumentando não ter encontrado outros indícios que corroborassem com o relato da jovem, como gravações em câmeras de segurança ou testemunhas in loco.

Além disso, pelas declarações que deu nesta quarta (24), ele reproduziu um ponto de vista que consta no laudo, que é versão de que, numa situação dessa, o "normal" é a vítima tentar se defender, e não fica inerte.

A aceitação dessa teoria implica no descarte do depoimento da jovem, registrado no laudo pericial, de que não ofereceu resistência. "A ausência de lesões de defesa, como cortes ou contusões, particularmente nas mãos e nos antebraços também corroboram a tese de que não teria havido reação da parte da periciada", escreveram os peritos.

Procurado na 1ª DP de Porto Alegre, o delegado Jardim não foi encontrado para comentar esta matéria. (...)

Anônimo disse...

E mesmo...que saco...