Eduardo Campos afirma ser contra a legalização do aborto

O ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), pré-candidato à Presidência, afirmou na manhã deste domingo que é contra o aborto e que a legislação brasileira é adequada para o assunto e não deve ser alterada. 
. Campos participou das celebrações da missa de Páscoa no Santuário de Aparecida.
Visivelmente constrangido por ter que falar sobre o tema ao lado do cardeal dom Raymundo Damaceno, Campos tentou desconversar. "A legislação brasileira já é adequada. Ela já prevê as circunstâncias e os casos e eu não vejo razão para que se altere exatamente a legislação que o Brasil já tem", disse Campos.

Polícia quer investigar firmas da família de ex-diretor da Petrobras

A Polícia Federal planeja fazer uma devassa nos negócios da família de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras indiciado sob suspeita de ter participado do esquema de lavagem de dinheiro comandado por doleiros. Há suspeitas de que ele abriu empresas em nome da mulher e das duas filhas para firmar contratos.

. “Não temos o menor receio de devassa ou fiscalização nas empresas da família. Está tudo legal”, afirmou à Folha o advogado de Costa, Fernando Fernandes.

. Relatório da PF indica que Costa movimentou, numa única conta, R$ 3 milhões em quatro meses. Um terço desse montante se refere à transferência de um sócio do genro de Costa numa empresa que contratou com a Petrobras.
. A PF passou a investigar empresas e movimentação financeira do ex-diretor da Petrobras e da família dele depois que as filhas e os genros de Costa foram filmados dentro do elevador carregando documentos do escritório do ex-diretor da Petrobras.

Dívida com a União cresce mais em cidades da Copa

Às vésperas da Copa do Mundo, o torneio apresenta mais uma conta: as cidades que receberão os jogos se endividaram em ritmo bem superior ao de capitais que ficaram fora do evento.
Levantamento da Folha em dados do Banco Central aponta que, em dois anos, as dívidas das 12 sedes do Mundial com o Tesouro Nacional ou bancos públicos cresceram, em média, 51%.
. Nas capitais sem Copa, no mesmo período, a taxa cresceu 20%. Dos municípios com jogos, apenas um –Salvador– conseguiu baixar sua dívida com o governo federal no período. Nas demais capitais, quatro reduziram.
. A construção das arenas ficou majoritariamente com os governos estaduais. Já na área de mobilidade urbana, a maior parte dos gastos é financiada com recursos do governo federal. No período pré-Copa, os municípios investiram, sobretudo, em projetos de transporte desengavetados com o pretexto do Mundial.O governo federal estima os custos dessas obras em aproximadamente R$ 8 bilhões –valor equivalente ao que foi gasto na construção e na reforma dos 12 estádios.



Pré-campanha do PSOL gasta R$ 60 mil

Ao contrário do adversário do PV, o futuro candidato do PSOL à Presidência da República, Randolfe Rodrigues, senador pelo Amapá, já roda o País neste período de pré-campanha. Segundo dirigentes partidários, foram gastos até agora R$ 60 mil, principalmente em passagens, hospedagens em hotéis modestos (no máximo três estrelas) e organização de eventos.

. Com o discurso da ética na política como uma de suas bandeiras, Randolfe garante, por exemplo,nãoterusado nenhuma vez a cota de passagens aéreas a que tem direito no Senado para se deslocar em agendas partidárias

Gabrielli: ‘Dilma não pode fugir à responsabilidade’

Ex-comandante da Petrobrás disse ao site Congresso em Foco  ser ‘responsável’ pela compra de Pasadena, mas divide ônus com a presidente.


Presidente da Petrobrás quando foi efetivada a compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, José Sérgio Gabrielli atribuiu à presidente Dilma Rousseff, à época à frente do Conselho de Administração da estatal, parte da responsabilidade pelo polêmico negócio. Em entrevista ao Estado , ele disse ser “o responsável”, já que era o presidente da empresa, mas dividiu o ônus com Dilma que, para ele, por presidir o conselho, “não pode fugir à responsabilidade dela”. Gabrielli diz que o resumo executivo em que o conselho baseou sua decisão sobre a compra foi “omisso”, mas que isso não foi relevante para a decisão. Para ele, a queda do preço das ações da Petrobrás se deve à conjuntura externa e “à manutenção artificial dos preços da gasolina no Brasil, abaixo do mercado internacional”.

Ao dar US$ 1 bi para o comunista Mujica, Dilma beneficiará novo superporto de Rocha em prejuízo de Rio Grande

Para ajudar seu amigo comunista do Uruguai, o governo do PT não vacilará nem mesmo diante do dado de que prejudicará interesses diretos do RS.



A Odebrecht, queridinha dos governos do PT, responsável pelas obras bilionárias do porto de Mariel, Cuba, levará de novo a melhor com o governo Dilma, porque caberá a ela construir o superporto no Uruguai, que poderá roubar cargas dos terminais brasileiros, sobretudo do porto de Rio Grande, RS. O governador Tarso Genro, ministros gaúchos e a própria Dilma, são coniventes com a operação de ajuda ao governo esquerdista de Mujica, mesmo sabendo que o superporto de Rocha roubará cargas de Rio Grande.  Há duas semanas, o jornalista Danilo Ucha, JC, denunciou o negócio, que tem sido mantido em absoluto0 sigilo.  O apoio brasileiro, repetindo um financiamento a Cuba, deve ser forte: cerca de US$ 1 bilhão do BNDES, recursos do Orçamento, via Fundo de Convergência Estrutural do Mercosul (Focem), e conhecimento técnico, segundo fontes que acompanham a negociação. Leia esta reportagem de O Globo de hoje:

 As conversas entre Brasil e Uruguai para a construção de um porto de águas profundas estão a pleno valor. Maior oferta de frequências marítimas, fretes mais baratos, tempo de deslocamento menor e, principalmente, possibilidade de alcance do mercado asiático pelo Estreito de Magalhães (na extremo sul do continente), em condições de concorrência com o Canal do Panamá, atraem o Brasil. Operadores portuários brasileiros, no entanto, temem uma concorrência com um porto mais moderno, mais capacitado e menos burocrático (e caro) que os nacionais, principalmente no Sul do Brasil.

. O empreendimento será construído em Rocha, cidade a 288 quilômetros de Rio Grande (RS), onde está um dos mais importantes portos brasileiros. O projeto uruguaio, segundo os estudos atuais, é ousado: calado (profundidade) de 20 metros, que permite a atracação de navios com capacidade para até 180 mil toneladas. Os portos do Sul do Brasil têm, no máximo, 14 metros de calado e recebem navios com capacidade de até 78 mil toneladas. O porto uruguaio pode sugar cargas da região, afetando Sul e Centro-Oeste do Brasil, Paraguai, Bolívia e Norte e Centro da Argentina.

. Caso o empreendimento de fato saia do papel, poderá contar não só com recursos do BNDES e do Focem, como do Programa de Financiamento às Exportações (Proex), que prevê, por exemplo, subsídios para tornar a taxa de juros compatível com as do mercado internacional.
Do tamanho de Paranaguá e Rio Grande juntos.

. Como os navios no mundo são cada vez maiores,

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

PSDB antecipará para terça o lançamento da candidatura de Aécio Neves

Nesta terça, na reunião de Executiva Nacional do PSDB, a maioria dos presidentes dos 27 diretórios estaduais do partido apresentará moções por escrito aclamando o senador Aécio Neves como candidato da sigla à Presidência da República; textos dirão que o senador mineiro é o nome que unifica a legenda e pedirão que seja antecipada sua nomeação oficial.

A casa não pode cair", por J.R. Guzzo

O diretor da Abril, José Roerto Guzzo, no magistral artigo a seguir, produz uma crítica devastadora sobre a incompetência e corrupção do governo Dilma Roussef, do PT, que constrói seu dia a dia em cima de mentiras, incompetências e engodos. Leia tudo:

Todo brasileiro de olhos abertos para o que está acontecendo no país em geral, e na sua própria vida em particular, sabe muito bem que a coisa está preta.

Há mil e uma razões para isso, como se pode verificar todos os dias pelo noticiário; seria pretencioso, além de inútil, tentar fazer uma lista de todas.

Basta dizer, para encurtar o assunto, que, segundo as últimas pesquisas de opinião, mais de 70% da população acha que assim não vai, e quer mudanças na ação do governo como um todo.

Será que os brasileiros, finalmente, se convenceram de que estão sendo dirigidos por um dos governos mais incompetentes que já tiveram de aguentar – ou, possivelmente, o mais incompetente de todos?

Mais interessante ainda: a propaganda descomunal que o poder público soca todos os dias em cima da população e o uso sistemático da mentira talvez já não estejam dando os resultados que costumam dar.

A presidente Dilma Rousseff, por exemplo, ameaça combater a corrupção na Petrobras, mas diz que os `inimigos da empresa` são os que sugeriram mudar seu nome para ´Petrobrax`, cerca de quinze anos atrás, com a intenção secreta de liquidá-la – e, ao mesmo tempo, faz tudo para impedir que se investigue a roubalheira pública de hoje.


Quanta gente acredita num desvario desses.

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

Maria do Rosário quer lugar de Vargas na Mesa da Câmara

A deputada gaúcha Maria do Rosário é a mais forte candidata ao cargo de vice-presidente da Câmara, vago em função da renúncia do deputado André Vargas, PT do Paraná, flagrado em patifarias com o doleiro Youssef.

Ministro de Dilma fez pressão pessoal (verba publicitária de R$ 150 milhões) para calar Rachel Schehrazade

No livro "A Vanguarda do Atraso", 12 jornalistas gaúchos, inclusive o editor, contam em detalhes como foram as pressões dos esbirros que cuidavam da área de comunicação do governo Olívio Dutra, PT, o primeiro a utilizar em larga escala as verbas publicitárias e o cerco político para censurar a mídia no RS. O PT aprendeu a lição, como se perrcebe pelas informações a seguir, todas disponibilizadas na coluna de Felipe Moura Brasil no site www.veja.com.br Leia:

(…) Notícias da TV apurou que a medida [de cortar os comentários da apresentadora Rachel Sheherazade] foi tomada sob pressão do governo federal. Há duas semanas, [o diretor de jornalismo do SBT] Marcelo Parada se reuniu em Brasília com o ministro da Secretaria de Comunicação Social [Secom], Thomas Traumann. Na ocasião, Traumann manifestou desconforto com os comentários de Sheherazade. O ministro controla as verbas do governo federal, que investe cerca de R$ 150 milhões em publicidade por ano no SBT. (…)

Thomas Traumann é o ex-porta-voz da Presidência que, no começo deste ano eleitoral, substituiu Helena Chagas na Secom. A avaliação era que Traumann ”tem perfil mais agressivo e mais afinado com o ex-ministro Franklin Martins”, que coordena a área de comunicação da campanha de Dilma Rousseff e é conselheiro do Instituto Lula.

Só fico imaginando a doçura e a delicadeza com que um petista de perfil agressivo, afinado com o homem que luta pelo “controle social da mídia”, manifesta a um “companhêru” como o coordenador da campanha passada de Dilma, Marcelo Parada, o seu “desconforto” em relação a uma apresentadora que critica o partido de ambos na emissora cujo jornalismo este dirige. Longe de mim crer que a mãe de Sheherazade foi homenageada…

Dilma e Thomas Traumann- Por obeséquio, companheiro Parada, o senhor poderia conversar com esta moça e pedir-lhe gentilmente que pegue mais leve em suas críticas ao governo?

CLIQUE AQUI para ler tudo. 


A greve da Bahia ou quando a cobra prova do seu próprio veneno

Dono do blog Bahia edm Pauta, Vitor Hugo Soares escreveu o material a seguir, intitulado "Greve da PM, tropas do General, bênçãos do Bispo",. onde narra o fecho da greve dos PMs da Bahia, que custou enorme prejuízo político para o governador Jaques Wagner, para Dilma e o PT. Leia tudo:

O governador Jaques Wagner, do PT, por muitas razões, também exibia na Quinta-Feira Santa o ar de alívio de quem tem andado com os nervos à flor da pele nestes dias de tensão, violência, saques, mortes e tumulto no estado que ele comanda.
Sem poder cantar vitória nos moldes dos grevistas, ou a exemplo dele próprio quando patrocinava na Bahia ou apoiava em discursos inflamados no Congresso, em Brasília, greves de polícias militares contra o governo de Antonio Carlos Magalhães, o governador petista pelo menos deve escapar de ser malhado como "Judas", neste Sábado de Aleluia de 2014, como entidades de apoio à greve e alguns de seus adversários, na política local e nacional, já planejavam fazer se o impasse no movimento continuasse.
Wagner agora puxa a ponta oposta da corda, no jogo sindical onde ele surgiu e cresceu na política, até se eleger deputado, tornar-se ministro e homem de confiança do presidente Lula, antes de galgar o mais elevado posto de comando no Estado, onde se mantém há dois mandatos.
Quando a greve estourou desta vez, sua providência inicial e mais imediata foi pedir à presidente Dilma o envio de tropa do Exército e da Força Nacional, “para garantir a segurança da população baiana”.
Anteontem, Wagner teve ao seu lado como escudeiros no Centro Administrativo da Bahia, o ministro da Justiça e companheiro de partido, José Eduardo Cardozo, e vários chefes militares de alto coturno das Forças Armadas e da Força Nacional, deslocados de Brasília e de outras regiões do país pela presidente da República, para dar uma força ao amigo e companheiro de partido em apuros – aquele que ela escolheu para ser o coordenador no Nordeste de sua campanha pela reeleição.

CLIQUE AQUI para ler tudo.


Serra já está fora do Sirio-Libanês

O ex-governador José Serra teve alta médica na tarde deste sábado e deixou o Hospital Sírio Libanês. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do hospital. Opolítico estava internado desde terça-feira, por conta de uma infecção bacteriana. 

Tuma Júnior já vendeu 100 mil "Assassinato de Reputações"

A Topbooks comemorou oficialm ente a venda dos 100 mil primeiros exemplares do livro de Tuma Júnior, “Assassinato de Reputações”. Considerando-se o que cabe ao autor, Tuma Júnior já faturou R$ 700 mil.