Oposição defende CPI da Corrupção e cobra demissão de Lupi

O Presidente Nacional do PPS, Deputado Roberto Freire (SP), e o líder do partido na Câmara, Deputado Rubens Bueno (PR), cobraram nesta terça-feira a demissão do Ministro do Trabalho, Carlos Lupi, e defenderam a necessidade de instalação imediata da CPI da Corrupção.

. Segundo reportagem publicada hoje pelo jornal Folha de S.Paulo, Lupi concedeu registro a sete sindicatos patronais no Amapá para representar setores da indústria que, segundo o próprio governo local, não existem no Estado.

. Roberto Freire creditou os escândalos do governo federal à Presidente Dilma Rousseff. Para ele, não há como dizer que Dilma não é complacente com os esquemas de corrupção que atingem o país. "A convulsão em que se encontra o Ministério do Trabalho é impressionante. Houve até deboche de Ministro. Dilma está sendo conivente com tudo isso. Ela é a verdadeira responsável. Queremos investigações. Se tivéssemos em regime parlamentarista a questão já estaria resolvida. Teríamos chamado eleições antecipadas e nomeado um novo governo", afirmou.

Governo Dilma manobra para que divisão dos royalties seja votada somente em 2012

A Presidente Dilma Rousseff entrou em campo para deixar para 2012 a votação, na Câmara dos Deputados, do projeto que cria uma nova divisão para os royalties do petróleo. A estratégia do governo é protelar uma definição sobre o tema para não contaminar outras propostas de interesse do Executivo que têm de ser analisadas até o fim deste ano e deixar esfriar a temperatura entre os lados envolvidos na disputa. O adiamento favorece os Estados e municípios produtores, que são beneficiados pelo modelo atual no qual a maior parte da receita é concentrada em suas mãos.

. Segundo o jornal O Estado de S.paulo, Dilma pediu dados sobre os impactos do projeto aprovado pelo Senado. Os números entregues à Presidente são diferentes dos anunciados por Vital. Com isso, ela tem argumentos para adiar uma definição e tentar construir um acordo para evitar uma fragmentação na base aliada.

Salgado Filho já teve 14 cancelamentos nesta terça

Aproximadamente 14 voos foram cancelados desde o início desta terça-feira no Aeroporto Internacional Salgado Filho. São oito voos de partida e seis de chegada. Segundo a Infraero, seis voos registram atraso superior a meia-hora: três de chegada e três de partida.

. Apesar de ainda não ter confirmação, os atrasos e cancelamentos podem ter sido influenciados pelo fato de o aeroporto de Congonhas, em São Paulo, ter operado por instrumentos pela manhã, por conta da chuva.

Aeronáutica contabiliza número recorde de acidentes aéreos em 2011

O período de 1º janeiro a 31 de outubro contabiliza 128 acidentes aéreos, 17 a mais do que em todos os meses do ano passado e 14 a mais do que os ocorridos em 2009, quando o país registrou recorde de acidentes.

. Segundo os dados do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), ligado à Aeronáutica, este ano, ocorreram 106 acidentes de aviões civis e 22 de helicóptero. Vinte e cinco acidentes foram fatais e 30 aeronaves ficaram irrecuperáveis.

Nova equipe do Ministério do Esporte vem de fora do PCdoB

O Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, anunciou ontem os três primeiros nomes de sua equipe. No entanto, dois dos que serão substituídos, ligados ao PCdoB, permanecerão na pasta. A funcionária do Banco Mundial Paula Pini será secretária-executiva; o diplomata Carlos Cardim, chefe da Assessoria Internacional; e o vice-almirante da reserva Afonso Barbosa, Secretário Nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social.

. Aldo disse que levou em conta critérios técnicos, políticos, mas também pessoais: "São escolhas técnicas, políticas, administrativas. Levei em conta a experiência de vida de cada um e o compromisso com o interesse público e profissional. E também a afinidade pessoal".

. Apesar da faxina nos principais cargos da pasta, Aldo manteve parte dos antigos ocupantes ligados ao PCdoB no ministério, até mesmo os suspeitos de envolvimento com irregularidades no Esporte. É o caso do ex-secretário executivo, ex-número dois do ministério, Waldemar Manoel Silva de Souza, que será substituído pela economista do Banco Mundial Paula Pini, mas que permanecerá na pasta.

A pedido de Deputado pedetista, Lupi aprovou 7 sindicatos fantasmas

O Ministro do Trabalho, Carlos Lupi (PDT), concedeu registro a sete sindicatos patronais no Amapá para representar setores da indústria que, segundo o próprio governo local, não existem no Estado. Os certificados saíram a pedido do Deputado Bala Rocha (PDT-AP), dirigente do partido de Lupi, que afirma ter se valido da proximidade partidária com o Ministro. Nenhum dos presidentes desses sindicatos é industrial. São motoristas de uma cooperativa de veículos controlada por um aliado de Rocha. Os sindicatos têm registros em endereços nos quais não há estrutura montada. As certidões foram dadas pelo ministério em abril e agosto de 2009 e levam a assinatura de Lupi, ao lado da inscrição “certifico e dou fé”, e do então Secretário de Relações do Trabalho, Luiz Antonio de Medeiros.

. O Ministério foi avisado por ofício pela Federação das Indústrias do Estado do Amapá, em fevereiro de 2009, de que esses sindicatos não tinham representação. Como resposta, a pasta alegou que “não cabe ao Ministério apurar se os integrantes da entidade possuem indústria no ramo ao qual pretendem representar” e que apenas sindicatos poderiam fazer esses questionamentos. Em agosto deste ano, o Deputado Vinícius Gurgel (PRTB-AP) enviou ofício ao gabinete de Lupi reiterando as suspeitas de irregularidades.

. Segundo matéria do jornal Folha de S.Paulo, entre os sindicatos criados está o das Indústrias da Construção e Reparação Naval. A produção de navios no Estado é zero, segundo o Secretário de Indústria do Amapá, José Reinaldo.

Empresário gaúcho que ajudou Lupi diz que Ministro mentiu: "Ele viajou comigo, sim, no meu avião"

- O repórter Leandro Colon, do jornal o Estado de S. Paulo desta terça-feira, desmascara as mentiras que o ministro Carlos Lupi contou na Cãmara dos Deputados e nas entrevistas aos repórteres, segundo as quais não conhecia o empresário gaúcho Adair Meira, dono de uma organização de ONGs. Leia a seguir o material do jornal:

O dono da entidade Pró-Cerrado, Adair Meira, disse em entrevista ao Estado na noite de ontem que viajou com o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, num avião particular durante visita oficial a cidades maranhenses em dezembro de 2009. "Eu viajei com o Ministro num trecho, isso eu confirmo", afirmou.

A confirmação desmente a declaração dada pelo ministro à Câmara dos Deputados na semana passada de que não conhecia o dono da Pró-Cerrado nem voara com ele. "Nunca andei em jatinho de Adair, não o conheço. Não tenho nenhum tipo de relação com ele", afirmou Lupi. Ao Estado, Adair Meira foi categórico: "O Ministro está confuso em dar esta declaração".

O voo compartilhado por Lupi com Adair, um empresário-ongueiro que mantém contratos suspeitos justamente com a pasta comandada pelo presidente licenciado do PDT, coloca o ministro em rota de colisão com o Congresso e com o Planalto.

O dono da Pró-Cerrado afirmou ao Estado que indicou a aeronave a ser alugada para a viagem, mas negou que tenha arcado com os custos. "Eu não paguei. Eu indiquei a companhia", disse. O avião King Air usado na viagem foi alugado numa empresa de táxi aéreo de Goiânia, sede da entidade Pró-Cerrado.

Adair disse que atendeu a um convite do ex-secretário de Políticas Públicas de Emprego Ezequiel Nascimento para ir de Brasília a Grajaú, no Maranhão, em dezembro de 2009. O tour que reuniu ministro, assessores e o empresário foi para promover um programa do ministério de qualificação profissional. Segundo o empresário, o ministro Carlos Lupi não estava no voo desde de Brasília. "Eu viajei com o ministro, acredito, no trecho entre Imperatriz e Timon", disse o dono da Pró-Cerrado, entidade que já recebeu R$ 13,9 milhões do Ministério do Trabalho e é suspeita de desvio de recursos.

Adair confirmou que, além de Lupi, estavam na aeronave o ex-governador do Maranhão Jackson Lago (já falecido), Ezequiel Nascimento e Weverton Rocha, ex-assessor de Lupi.

CLIQUE na imagem acima para ver a sequência de fotos da viagem de Lupi (do site "Grajau de Fato").