Dilma não tem nada que lamentar, mas identificar imediatamente, expor à execração pública e pedir desculpas ao País

Depois de ser atacado inúmeras vezes por hackers e também por blogueiros sujos e bem conhecidos - Tomando na Cuia e Nova Corja, por exemplo - o editor acumulou expertise na localização de hospedagens, como também de IPs e seus usuários. Foi assim que conseguiu desmontar pelo menos dois covis cibernéticos do mesmo tipo de delinquente político que atua no Palácio do Planalto, um dos quais localizado numa lan house situada na rua Padre Chagas, Porto Alegre, que tratou de fechar. 

. A tarefa é bem mais fácil quando se trata de órgãos públicos, como é o caso do Palácio do Planalto, que conta com pelo menos um proxy server, firewall, filtro de conteúdo ou mesmo, na pior das hipóteses, um roteador para que as pessoas conectadas a esse IP saíam para a internet.

. Nesse caso, é  possível identificar a máquina que fez o acesso por correlação de eventos, através do equipamento que gravam os registros (IP da rede interna) de acesso, como foi o caso da página da Wikipédia naquele período de tempo, confrontando o DHCP server para identificar para qual estação estava atribuído e ao Active Directory para saber quem estava autenticado na estação.

. Mesmo que os logs tivessem sido apagados nos ataques, seria possível descobrir quem os apagou e através de uma perícia forense tentar recuperar os dados, ou pelo menos parte deles. Aqueles que apontam o acesso à Wikipédia.


. O próprio servidor de rede será capaz de identificar o endereço físico do computador, conhecido como mac address.

Petrobrás tira nota para dizer que ex-diretor Paulo Costa nunca teve poderes de Tesouraria

Sobre matérias publicadas hoje pela imprensa, a Petrobras esclareceu esta tarde que o estatuto da companhia estabelece que dois diretores, em conjunto, têm poderes para representar a empresa. Leia tudo:

Na prática, dois diretores outorgam poderes à Tesouraria para o processo de abertura, movimentação, reconciliação e encerramento de contas, atividades que são executadas exclusivamente por funcionários da Tesouraria. Para que alguém esteja habilitado a movimentar as contas, adicionalmente à procuração, é necessário ser cadastrado no banco para esse fim, além de possuir cartão de assinaturas e carta de autorização enviada pela própria Tesouraria O ex-diretor Paulo Roberto Costa nunca foi habilitado a movimentar e controlar contas da Petrobras. Esse fato também foi confirmado pelos bancos.

Historicamente, as procurações para as operações com contas bancárias da Petrobras são outorgadas pelo diretor financeiro e diretor de Exploração & Produção. O ex-diretor Paulo Roberto Costa nunca foi coautor na outorga dessas procurações.

Havendo alteração nos documentos que dão poderes aos procuradores, como atualização do Estatuto Social, renovação do mandato ou substituição dos diretores que outorgam poderes para movimentação de contas bancárias, a Tesouraria imediatamente encaminha estes documentos, além da atualização de todas as procurações, de forma a comprovar que todos os outorgantes têm poderes para delegar estas competências.


Adicionalmente, a conciliação bancária da Petrobras é realizada diariamente, verificando e registrando as movimentações nas contas da empresa, em consonância com todos os processos de pagamento e recebimento em curso no sistema da companhia.

Conheça o programa (software) que identifica os IPs do Palácio de Dilma usados para difamar adversários e caluniar jornalistas

Ao lado, Dilma com o blogueiro alegre de Dilma Bolada.



O programa que identifica o IP, o Protocolo de Internet,uma espécie de DNA do computador usado, chama-se  @brwikiedits. Ele divulga no Twitter quando um verbete na Wikipédia é alterado por um computador do governo. A inforemação é do jornal O Globo de hoje. 

. Isto significa que um governo não precisa de 90 dias para saber de que computador do Palácio do Planalto e quem o usou para difamar jornalistas e políticos.

. O @brwikieditrs não está sozinho na empreitada. O @parliamentedits, por exemplo, presta serviço semelhante, entregando as vezes em que um computador do Parlamento inglês faz alguma modificação. O mesmo faz o @congressedits, mas com o Congresso americano.

. Foi este que serviu de inspiração para o desenvolvedor Pedro Felipe Melo Menezes, de 18 anos, que criou a versão brasileira do serviço no início de agosto. Morador de Natal, ele explica que buscou o registro dos provedores do governo e, a partir daí, encontrou os IPs. Sempre que há uma alteração, é seu robô que publica no Twitter.

— O programa em si já existia, e seu código de programação é livre. Só precisei adaptar com os IPs brasileiros. Sou da área de TI, mas gosto muito de acompanhar a política — conta o estudante de Análise e Desenvolvimento de Sistemas do Instituto Federal do Rio Grande do Norte.

. Segundo Menezes, todos os órgãos federais já são monitorados pela ferramenta.

. O Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) informou que já foi aberta investigação para apurar a responsabilidade pela alteração do conteúdo, realizada por meio de um dos IPs administrados pelo Serpro.

Miriam Leitão denuncia política de estado para suprimir liberdade de imprensa

A jornalista Miriam Leitão, estrela da Rede Globo, que teve seu perfil na Wikipédia alterado a partir de um computador usado no Palácio do Planalto, deixou clasro não estar satisfeita com as explicações apresentadas até agora; 

- É ingenuidade acreditar que uma pessoa isolada, enlouquecida, resolveu, do IP da sede do governo, achincalhar jornalistas.

. Ela denuncia que existe uma política de estado em curso para "suprimir a liberdade de imprensa.

. Não é a primeira vez que de dentro do Palácio do Planalto, delinquentes políticos do PT ousam organizar grupos de aloprados para produzir dossiês falsos contra adversários, organizar quadrilhas de achacadores e empregar campanha de insultos pela Internet. O próprio marco regulatório sobre a mídia faz o resumo da ópera. 

Dilma se diz "indignada", mas não localiza e nem pune os auxiliares que caluniam, difamam e insultam pela Web

O governo só não encontra os responsáveis em 24h se não quiser. Os IPs dos delinquentes foram localizados em computadores do Palácio do Planalto. Basta localizar a máquina exata e identificar o usuário que disparou a guerra cibernética. O governo não faz isto porque encontrará seus próprios parceiros na investigação. As notas de Dilma e as falas dos seus auxiliares são apenas conversa fiada. 

A presidente Dilma Rousseff não resistiu ao volume dos protestos e resolveu falar neste sábado sobre a denúncia de que computadores do Palácio do Planalto foram usados para alterar as biografias dos jornalistas Miriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg na Wikipédia:

- Repudio integralmente. Será criada uma comissão interministerial de sindicância para se chegar aos responsáveis.

. Mais cedo, o tucano Aécio Neves (PSDB-MG) cobrou uma posição de Dilma:

- É necessária uma palavra da presidente da República que, em última instância, é responsável pelas pessoas que nomeia e pelo que ocorre na sede do governo brasileiro.

. Uma comissão só terá sentido se contar com a presença de representantes do MPF, OAB e ABI, contando com prazo curto para encontrar os culpados, todos eles alojados dentro do próprio Palácio do Planalto. 

Pólo Naval do Jacuí, invenção do governo Tarso Genro, continua fazendo água em Charqueadas

Passadas duas semanas desde que o governo Tarso Genro e o governo Dilma, ambos do PT,anunciaram que a Andrade Gutierrez assumiria o contrato da Iesa em Charqueadas, RS, salvando assim o Pólo Naval do Jacuí, até agora nada aconteceu.

. O nó não ata e nem desata.

. O caso vai sendo cozinhado em banho maria até que as eleições aconteçam.

ZH denuncia uso da máquina do governo do PT para sabotagem e difamação contra jornalistas

Em editorial na sua edição deste sábado, o jornal Zero Hora diz que o uso das estruturas de governo para atacar jornalistas na Wikipédia é um delito grave de quem não sabe conviver com a imprensa independente.Leia tudo:

O governo deve ser o primeiro interessado em agir com rapidez, sem desculpas protelatórias, no sentido de esclarecer a infiltração de informações contra jornalistas na enciclopédia livre Wikipédia. A manipulação do site, com dados desabonadores e incorretos, teve origem na rede de computadores do Palácio do Planalto. O fato de que as informações foram acrescentadas por alguém em atividade no poder central agrava a atitude de quem se preocupou em atingir dois comentaristas econômicos independentes. Nos dois casos, os currículos dos atingidos receberam comentários sem conexão com a realidade, atribuindo aos jornalistas análises que nenhum deles produziu. O que está implícito na ação é a tentativa de atacar quem, por suas abordagens descompromissadas com os interesses do governo, é considerado inimigo dos governistas.

O jornalismo tem como bem maior a preservação da sua reputação. Os dois alvos, Míriam Leitão, colunista do Globo, e Carlos Alberto Sardenberg, da CBN e da Rede Globo, construíram carreiras respeitadas pela credibilidade e qualidade de suas informações. Ambos, assim como muitos outros profissionais da imprensa, são eventualmente atacados pelos que tentam desqualificar não só seus trabalhos, mas a capacidade de refletir sobre a realidade brasileira sem vínculos com o poder ou quaisquer outros interesses. As acusações acrescentadas aos seus currículos são denunciadoras do caráter de seus autores. São empobrecedoras como atitude crítica.


As reações de entidades do setor, como a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), marcam uma posição firme diante do ocorrido, para que o episódio não seja esquecido em pouco tempo. É oportuna também a manifestação do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, no sentido de indicar que cabe ao Ministério Público do Distrito Federal a investigação do caso

Ibope diz que Dilma esmaga Aécio no RS: 44% x 22%

A seguir, os números da pesquisa Ibope revelados hoje pelo jornal Zero Hora, que a contratou. Entre parêntesdes, estão os números da pesquisa anterior. 

1º Turno

Dilma Roussef, PT – 44% (41%)
Aécio Nevges,m PSDB – 22% (21%)
Eduardo Campos, PSB – 7% (6%)
Os demais candidatos, juntos, somariam 7 pontos
Brancos e nulos, 7%
UIndecisos, 10%

2º Turno

Dilma, 46%
Aécio, 29%
Brancos e nulos, 13%
Indecisos, 12%

Com Eduardo Campos, este vai a 25% e Dilma permanece em 46%, sendo que brancos,nulos e indecisos sobem para 29%.  Os números são surpreendentes, porque Campos quadruplicaria suas intenções de votos, herdando todo o contingente de Aécio, enquanto Dilma não iria a um ponto sequer a mais em relação ao que conseguiria disputando com Aécio.

Rejeição a Dilma é enorme no RS

Ao perguntar ao eleitor gaúcho em quem ele não votaria de jeito nenhum, portanto ao tentar saber qual o grau de rejeição de cada candidato, o resultado confloita diretamente com as intenções de votos, já que a rejeição à candidata do PT é o dobro da soma de todos os adversários:

Dilma, 28%
Aécio, 11%
Eduardo Campos e Luciana, 2%
Todos os demais somam 1% cada um.

. A nota concedida a Dilma é um sofrível 5,6%. 

Abriu ontem a noite o Festival de Cinema de Gramado

Isolados, ao lado, abriu o Festival, ontem a noite. 



O 42º Festival de Cinema de Gramado começou na noite dessa sexta-feira , no Palácio dos Festivais da cidade da Serra gaúcha. A abertura do evento ficou a cargo do filme "Isolados", dirigido por Tomas Portella. A mostra ocorre de 8 a 16 de agosto e abriu ontem a noite com o filme  "Isolados

Serão nove dias de programação com as mostras competitivas, exibições de longas e debates sobre o futuro do cinema. Para promover o projeto de internacionalização da produção do Rio Grande do Sul de capacitar, gerar novos editais e abrir espaços de intercâmbio e exibição fora do Brasil, o Instituto Estadual de Cinema (Iecine) instalou-se no local. O Festival tem patrocinio da Petrobrás, Oi e Stela Artois.

Edital RS Polo Audiovisual
Durante a realização do 42º Festival de Cinema de Gramado, o segmento audiovisual do Rio Grande do Sul comemora o edital RS Polo Audiovisual para Produção em Longa-metragem, que vai financiar 10 novas produções gaúchas. O edital é inédito no Estado e foi viabilizado por uma parceria entre o Fundo Setorial do Audiovisual, gerido pela Agência Nacional do Cinema (Ancine) e operado pelo BRDE e o Fundo de Apoio à Cultura do RS (FAC), integrante do Sistema Pró-Cultura RS.

O valor dos recursos para este edital é de R$ 5 milhões, sendo R$ 2 milhões do FAC - da Secretaria de Estado da Cultura - e R$ 3 milhões do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). O período de inscrições, aberto em 31 de julho, segue até 18 de setembro.

Homenagens
O Troféu Oscarito, destinado a grandes nomes do cinema brasileiro, será entregue a Flávio Migliaccio. O cineasta Walter Carvalho receberá a distição Eduardo Abelin. O ator franco-argentino Jean Pierre Noher será homenageado com o Kikito de Cristal. Já o troféu Cidade de Gramado será dado ao ator brasileiro Rodrigo Santoro. 

CLIQUE AQUI para examinar toda a programação. 

Operação Lava-Jato Contadora do doleiro Youssef desnuda seu esquema de pagamento de propina

O repórter Robson Bonin disponibiliza  na revista Veja de hoje o corrosivo diálogo que manteve em Curitiba com a contadora do doleiro Youssef, Operação Lava Jato, capaz de incendiar novamente as investigações e amplificar o escândalo que envolve empreiteiras, políticos como Cândido Vacarezza, deputado do PT, e Fernando Collor, além do ex-diretor da Petrobrás, Paulo Costa:

Meire Poza – "O Beto (Youssef) lavava o dinheiro para as empreiteiras e repassava depois aos políticos e aos partidos. Era mala de dinheiro pra lá e pra cá o tempo todo."
Meire Poza – "O Beto (Youssef) lavava o dinheiro para as empreiteiras e repassava depois aos políticos e aos partidos. Era mala de dinheiro pra lá e pra cá o tempo todo." (Jefferson Coppola/VEJA)

É um clássico. As organizações mafiosas caem com maior
rapidez quando alguém de dentro decide contar tudo. O que se vai ler nesta reportagem é justamente a história de alguém que, tendo participado do núcleo duro da quadrilha que girava em torno do doleiro Alberto Youssef, pego na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, resolve contar tudo o que fez, viu e ouviu. Meire Bonfim Poza participou de algumas das maiores operações do grupo acusado de lavar 10 bilhões de reais de dinheiro sujo, parte desviada de obras públicas e destinada a enriquecer políticos corruptos e corromper outros com o pagamento de suborno. Meire Poza viu malas de dinheiro saindo da sede de grandes empreiteiras, sendo embarcadas em aviões e entregues às mãos de políticos. Durante três anos, Meire manuseou notas fiscais frias, assinou contratos de serviços inexistentes, montou empresas de fachada, organizou planilhas de pagamento. Ela deu ares de legalidade a um dos esquemas de corrupção mais grandiosos desde o mensalão. Meire sabe quem pagou, quem recebeu, quem é corrupto, quem é corruptor. Conheceu de perto as engrenagens que faziam girar a máquina que eterniza a mais perversa das más práticas da política brasileira. Meire Poza era a contadora do doleiro Alberto Youssef — e ela decidiu revelar tudo o que viu, ouviu e fez nos três anos em que trabalhou para o doleiro.


Nas últimas três semanas, a contadora prestou depoimentos à Polícia Federal. Ela está ajudando os agentes a entender o significado e a finalidade de documentos apreendidos com o doleiro e seus comparsas. Suas informações são consideradas importantíssimas para comprovar aquilo de que já se desconfiava: Youssef era um financista clandestino. Ele prospectava investimentos, emprestava dinheiro, cobrava taxas e promovia o encontro de interesses entre corruptos e corruptores. Em outras palavras, usava sua estrutura para recolher e distribuir dinheiro e apagar os rastros. Entre seus clientes, estão as maiores empreiteiras do país, parlamentares notórios e três dos principais partidos políticos. Os depoimentos da contadora foram decisivos para estabelecer o elo entre os dois lados do crime — principalmente no setor tido como o grande filão do grupo: a Petrobras. As empreiteiras que tinham negócios com a estatal forjavam a contratação de serviços para passar dinheiro ao doleiro. Nas últimas semanas, Meire Poza forneceu à polícia cópias de documentos e identificou um a um os contratos simulados e as notas frias, como no caso da empreiteira Mendes Júnior (veja o documento na página 54), que nega ter relacionamento com o doleiro. Os corruptores estão identificados. A identificação dos corruptos está apenas no início.

Oposição quer desmonte da quadrilha cibernética hospedada no governo Dilma, PT

O líder do PSDB na Câmara, deputado Antônio Imbassahy (PSDB-BA), anunciou que solicitará ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, abertura de inquérito para apurar quem alterou os perfis dos jornalistas Miriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg na Wikipédia.

. A oposição faz dever de casa, embora sabendo que Cardozo, candidato a uma vaga no STF, portanto dependente do seu gog
verno, nada fará.

. Numa declaração novamente falsa, o ministro Gilberto Carvalho considerou "abominável" topdo o ato dos bandidos cibernéticos do seu próprio governo. Carvalho já tinha feito declarações semelhantes sobre ações semelhantes.]

. Para o tucano, a condenação oficial não basta:"Atacar jornalistas é atacar a própria imprensa e a liberdade de expressão", diz Imbassahy. 

Ataque a jornalistas é um ataque direto do governo do PT às franquias democráticas do Brasil

Poucas vezes as entidades representativas dos jornalistas e dos editores de rádios, jornais e TVs, uniram-se de forma tão unânime como a que resultou das notas lançadas ontem por Fenaj, Abert e ANJ, para criticar de forma contundente os ataques cibernéticos mais uma vez praticados de dentro do Palácio do Planalto contra repórteres, desta vez da Rede Globo, no caso Miriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg.

. A ação do governo do PT é de claro atentado ás franquias democráticas e ao estado de direito.

. Ontem a noite, o Jornal Nacional mostrou toda a trama,que consistiu em manipulação da enciclopédia eletrônica Wikipedia, visando alterar os perfis dos dois jornalistas. O mesmo grupo palaciano tinha feito isto também com José Serra e Marina Silva, sem serem importunados.

. Os dois jornalistas tiveram seujs perfis adulterados por hackers localizados dentro da sedfe do governo Diklma, PT.

. O governo tirou nota ontem a tarde, prometendo ingvestigações e conclusõeds em 90 dias, portanto para depois das eleições.

. É uma nota falsa, porque alega dificuldades técnicas. O editor, que trabalha na áreas de TI há 20o anos, sabe quer é possível localizar exatamente os computadores onde se localizam os IPs e através de ferramentas próprias, além de câmeras locais, pontos eletrônicos e até testemunhas, identificar em 24 horas os autores da ação criminosa.