PDT pressiona e leva mais cargos no governo Sartori

O PDT colocou pressão sobre o governo Sartori e tudo deu certo: Vinicius Ribeiro, ex-deputado estadual e segundo suplente da bancada do PDT, será o presidente da Corag, enquanto o ex-deputado Kalil Sehbe assumirá uma diretoria no Badesul.


O terceiro indicado é o ex-presidente do Banrisul Flávio Lammel, mas o seu nome encontra fortes resistências no Piratini e é improvável que ele seja indicado para algum cargo no governo.

Juiz Sérgio Moro diz que reunião do ministro da Justiça com advogados das empreiteiras é "reprovável" e "intolerável"

Na foto ao lado, Moro, Cardozo e o advogado Toron, da UTC - O juiz Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância, classificou nesta quarta-feira como “intolerável” e “reprovável” a reunião de advogados de empreiteiras com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para discutir o futuro dos seus clientes presos na carceragem da Polícia Federal em Curitiba (PR). O juiz fez o comentário a partir da denúncia da revista Veja desta semana, 

Sobre o assunto, leia a reportagem completa do site www.veja.com.br desta noite: 

Cardozo assumiu o papel de negociador com os empreiteiros envolvidos na Lava Jato. Em um desses esforços, o ministro recebeu em seu gabinete, em Brasília, o advogado Sérgio Renault, defensor da UTC. Em uma conversa absolutamente imprópria, disse que a operação da Polícia Federal – órgão ligado à pasta de Cardozo – mudaria de rumo radicalmente depois do Carnaval. Cardozo ainda orientou a empreiteira a não aceitar acordo de delação premiada – conselho seguido pelos executivos.
A confirmação do encontro de Cardozo foi o principal argumento utilizado pelo juiz para decretar nova prisão preventiva do presidente da UTC, Ricardo Pessôa, do diretor vice-presidente da Camargo Correa, Eduardo Leite, do diretor presidente da empresa, Dalton Avancini, e do presidente do Conselho de Administração da companhia, João Ricardo Auler.

“Existe o campo próprio da Justiça e o campo próprio da política. Devem ser como óleo e água e jamais se misturarem. A prisão cautelar dos dirigentes das empreiteiras deve ser discutida, nos autos, perante as Cortes de Justiça. Intolerável, porém, que emissários dos dirigentes presos e das empreiteiras pretendam discutir o processo judicial e as decisões judiciais com autoridades políticas, em total desvirtuamento do devido processo legal e com risco à integridade da Justiça e à aplicação da lei penal”, disse Sergio Moro. “Mais estranho ainda é que participem desses encontros políticos e advogados sem procuração nos autos das ações penais. O ministro da Justiça não é o responsável pelas ações de investigações. Trata-se de uma indevida, embora mal sucedida, tentativa dos acusados e das empreiteiras de obter uma interferência política em seu favor no processo judicial”, completou ele, que endossou as críticas feitas pelo ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, sobre a reunião entre o ministro da Justiça e os advogados.

De acordo com o juiz, o episódio é mais uma evidência de que os empreiteiros presos na Lava Jato desde novembro tentam a todo custo interferir nas investigações. Eles já haviam tentado coagir testemunhas e apresentaram documentos falsos às autoridades. “A mera tentativa por parte dos acusados e das empreiteiras de obter interferência política em seu favor no processo judicial já é reprovável, assim como foram as aludidas tentativas de cooptação de testemunhas, indicando mais uma vez a necessidade da preventiva  para garantir a instrução e a aplicação da lei penal e preservar a integridade da Justiça contra a interferência do poder econômico”, disse.

“Certamente a Justiça não será permeável no presente caso a interferências políticas ou do poder econômico. Qualquer indício de tentativa de interferência espúria do poder econômica, quer diretamente, cooptando testemunhas, quer indiretamente, buscando indevida interferência política no processo judicial, deve ser severamente reprimida, justificando, por si só, pelo risco à integridade do processo e da justiça, a decretação da prisão preventiva”, afirmou.


Em seu despacho, Sergio Moro disse que as empreiteiras têm várias obras em andamento e podem estar replicando o esquema do petrolão em outras obras públicas. Para ele, “não é suficiente afastar formalmente os acusados do comando das empresas, pois não há como controlar ou prevenir a continuidade da interferência deles na gestão da empresa ou dos contratos”.

Fortunati anuncia novos secretários de Inovação e Direitos Animais

As vagas das secretárias Debora Villela e Regina Becker, serão ocupadas da seguinte forma, segundo informou esta tarde o prefeito José Fortunati. 

GABINETE DE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA (INOVAPOA)
Titular: Maria Fernanda Bermudez – Formada em Direito pela Universidade de Brasília, há três anos atua como secretária-adjunta do Inovapoa. 
 Adjunto: André Barbosa – Formado em Direito pela PUC-RS, é pós-graduado em Direito Tributário e Direito Eleitoral. Em 2005, foi chefe de Gabinete da Procuradoria-Geral do Município de Porto Alegre.

SECRETARIA ESPECIAL DOS DIREITOS ANIMAIS (SEDA)

Adjunta: Bernadete Mooge – Formada em Direito pela Unisinos. Como diretora da OAB no Rio de Janeiro, criou a primeira Comissão de Proteção Animal da entidade, em nível nacional. 

Magda Brossard diz que nota da OAB atacando Joaquim Barbosa e defendendo Zé Eduardo "é uma vergonha"

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse à Folha de S. Paulo que condenar o fato de ele ter-se reunido com advogados de empreiteiras do Petrolão é coisa da ditadura. A OAB, alinhada com o PT, ontem divulgou uma nota no mesmo sentido. Omitiram que as reuniões foram secretas e que José Eduardo Cardozo fez advocacia administrativa, crime previsto no Código Penal, em prol das empreiteiras corruptoras.

O blog O Antagonista, editado por Diogo Mainardi, que considerou despudoradas as manifestações da OAB nacional atacando Joaquim Barbosa e defendendo José Eduardo Cardoso, recebeu esta tarde um texto da advogada Magda Brossard Iolovitch, filha do ex-ministro do sTF, um brasileiro exemplar que combateu a ditadura militar desde o primeiro momento, que vai na íntegra a seguir:.

Sou advogada, inscrita na OAB/RS. Votei na chapa que elegeu Cláudio Lamacchia para o Conselho Federal da OAB, depois de uma ótima gestão na OAB/RS. Lamacchia, agora Vice-Presidente da OAB nacional, assina esta nota lamentável, triste, patética. Já me manifestei a ele pelo twitter. Esta nota parte de omissões, de fatos distorcidos, para não dizer falsos. Fala nas prerrogativas dos advogados, ok. Mas aqui não se trata disso. A OAB não pode defender que um Ministro da Justiça, também advogado, receba advogados às escondidas para dizer que uma operação da PF-MPF- Poder Judiciário vai ser amolecida! Uma operação que busca enfrentar a corrupção, um mal que corrói nossas instituições! A nota da OAB trata de uma meia-verdade, e por isto é mais vergonhosa! Acrescento: meu pai, advogado formado há quase setenta anos, foi Ministro da Justiça. Jamais fez coisa semelhante. Sempre teve a noção dos deveres do cargo. Deste, e de todos os que exerceu. Nunca fez nada escondido, e sempre defendeu a coisa pública. Entrou e saiu de cabeça erguida. Estou envergonhada e constrangida pela nota da OAB, que distorce os fatos. Raymundo Faoro, colega de meu pai na Faculdade de Direito, que presidiu a OAB, também estaria envergonhado pelos rumos que tomou a entidade.


Magda Brossard Iolovitch

Vereadora do PMDB quer convocar secretário da Fazenda de Fortunati

O secretário da Fazenda de Porto Alegre foi convidado para comparecer à Câmara de Vereadores para explicar as denúncias de uso do Fundo Municipal de Saúde para fazer superávit orçamentário , o que culminou com a demissão do vereador Carlos Casartelli da secretaria da Saúde. A denúncia foi feita pelo próprio Casartelli. O requerimento foi encaminhado à Mesa da Casa pela vereadora Lourdes Sprenger (PMDB), que também pretende questionar Jorge Luís Tonetto sobre as rubricas utilizadas na contabilidade do superávit nas contas de 2014 anunciado pela Prefeitura de Porto Alegre.


Conforme a vereadora, desde última semana de janeiro, quando foi anunciado o saldo positivo de R$ 258 milhões, circulam informações de que o resultado foi alcançado por intermédio da chamada “contabilidade criativa” (uso de fundos municipais, venda da folha de pagamento e recursos carimbados). Lourdes acrescentou que agora a questão é trazida a público pelas declarações de Casartelli. Ela considera graves as informações do ex-secretário de que “a Fazenda usa os recursos do Fundo Municipal da Saúde, formado também por dinheiro do SUS, e não libera pagamentos de medicamentos, serviços e horas extras de servidores”. 

Ex-secretário da Saúde acusa Fortunati pelo uso de dinheiro do SUS para fechar as contas de 2014 na prefeitura de Porto Alegre

O ex-secretário municipal da Saúde, Carlos Casartelli, acusou o prefeito José Fortunati (ambos na foto ao lado) de usar os tradicionais conceitos ´petistas de contabilidade criativa para apresentar seu superavit de R$ 269,4 milhões no ano passado. "O secretário Toneto (Fazenda) precisa explicar como é que pegou R$ 150 milhões do Fundo Municipal da Saúde para engordar o caixa único no final do ano", denunciou o secretário no seu Facebook. O dinheiro do FMS é carimbado e destinado a cobrir despesas do SUS em Porto Alegre. Esperto, Carlos Casartelli passou boa parte desta quarta-feira nas rádios da cidade, dando explicações sobre suas desavenças com a secretaria da Fazenda e com a Procempa, mas preservando Fortunati, "o melhor prefeito do Brasil", segundo ele, que acaba de ser demitido por José Fortunati. 

O prefeito enfrenta uma crise política sem precedentes. Embora com maioria na Câmara de Vereadores, as denúncias de Casartelli poderão encorpar o pedido de CPI da Saúde, que o atual presidente do Legislativo, Mauro Pinheiro, tentou emplacar no ano passado. A CPI não foi adiante porque o PT, Partido de Mauro, fez acordo com Fortunati, já de olho nas eleições do ano que vem. O vigilante procurador do MPE junto ao TCE, Geraldo Da Camino, nada fala, nada vê e nada ouve.

Depois de fechar dois anos com as contas no vermelho, a Capital encerrou 2014 com superávit de R$ 269,38 milhões. Durante apresentação dos valores, divulgado na tarde desta quinta-feira, o prefeito de Porto Alegre, José Fortunati fez questão de frisar os números dos anos anteriores: em 2012, o resultado foi de R$ 67,22 milhões negativos, déficit que foi elevado para R$ 158,62 milhões negativos no ano seguinte.

O destaque tem uma razão importante: o saldo positivo torna a cidade apta a adquirir empréstimos e financiamentos. “Estávamos caminhando de uma forma muito preocupante”, pontuou o prefeito, explicando que, caso fechasse mais uma vez no vermelho, o município sofreria restrições financeiras.

No resultado primário (diferença entre receitas e despesas não financeiras), o ano fechou com R$ 50,90 milhões positivos contra os saldos negativos de 2013 (R$ 234,85 milhões) e 2012 (R$ 186,19 milhões). “Pelas regras das instituições financeiras, resultado primário negativo por três anos fecha qualquer possibilidade de empréstimo ou financiamento”, detalhou. O resultado primário foi superior à meta de R$ 36,4 milhões da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que considerava orçamento de R$ 6 bilhões.

Além de evitar o “mal maior”, como referiu Fortunati sobre o saldo negativo, a Capital enfrentou um ano que desde o início já estava previsto como difícil. O prefeito comentou que o País está saindo de um ano com resultados econômicos projetados para patamares muito próximos de zero, conforme projeções da Fundação Getulio Vargas (FGV). 

Dólar já lambe R$ 2,90 no Brasil

As 13h52min, o dólar comercial estava cotado a R$ 2,8385, com alta de 0,22% e viés de maior valorização ainda.

Cade dá sinal verde para venda da GVT para Telefonica

O Cade aprovou a compra da GVT pela Telefonica

Mercado projeta cenário perverso de estagflação (recessão+inflação alta) para este ano no Brasil

O Boletim Focos, que reflete a posição do mercado financeiro, apontou projeções piores para PIB, juros básicos, inflação e dólar para este ano. Entre parênteses, estão os números da semana anterior:
PIB, menos 0,42% (zero)
Inflação IPCA, 7,27% *(7,15%)
Juros básicos, 12,75% (12,25%)
Dólar, R$ 2,90 (2,80)

Saiba quem são os novos secretários do prefeito José Fortunati

O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, pretende anunciar esta tarde, 16h, em coletiva, os nomes dos auxiliares que perdeu para o governo Sartori, foram demitidos ou se demitiram.
O editor apurou que os nomes mais prováveis serão os seguintes:
Dmae, Antonio Elizandro
Secretaria da Juventude, Diego Buraldi
Procon, Cauê Vieira
PGM, Cristiane Neri
Secretaria de Licenciamento, Vinicio Lins Freitas
Smurb, Valter Nagelstein
Até este momento, 14h04min, o editor ainda não tinha conseguido identificar os nomes dos substitutos de Débora Villela e Regina Becker, respectivamente nas secretarias de Inovação e Direito dos Animais.
Caso curioso é o da secretasria de Licenciamento, EdificaPOA, porque o substituto de Ana Pellini, Jorge Mello, da mesma forma que ela, foi para o governo Sartori. Ele é o novo diretor Financeiro da Corsan.

Polícia da Suiça faz devassa no HSBC, inclusive em contas da Petrobrás

Agentes da polícia suíça cumpriu na manhã desta quarta-feira, mandados de busca e apreensão na sede do HSBC e em escritórios da instituição financeira em Genebra. A operação é atrelada a um processo por lavagem de dinheiro aberto pela Justiça do país contra o banco.

Também serão investigadas nesse processo, de acordo com o procurador responsável pelo caso, contas bancárias relacionadas ao caso Petrobras. Mais de 8,7 mil contas estão vinculadas com nomes de brasileiros, inclusive ex-funcionários da estatal do petróleo. O processo é liderado pelos procuradores Olivier Jornot e Yves Bertossa.


O caso, conhecido como SwissLeaks revelou na semana passada que quase US$ 180 bilhões teriam transitado por contas do HSBC em Genebra para fraudar o fisco, lavar dinheiro sujo ou financiar o terrorismo internacional entre novembro de 2006 e março de 2007.

Caso Pizzolato: mais uma inversão da lógica. Por Cacalo Kfouri*

Artigo originalmente publicado no Blog de Ricardo Setti (http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/), na Veja online, edição de 14 de fevereiro de 2015 - 
Deixem-me ver se entendi direito: o governo brasileiro garantiu ao da Itália que Henrique Pizzolato, condenado por ter desviado dinheiro público - aquele em boa parte oriundo do suado salário do trabalhador brasileiro via o escorchante Imposto de Renda -, que fugiu do país usando documentos falsos, os do irmão morto (nem a memória dele respeitou), será bem tratado na prisão e terá garantidos os seus direitos humanos??? O governo garantiu que Pizzolato não irá para prisões como as do lado (Presídio Central, Porto Alegre; Pedrinhas, Maranhão).

E os outros condenados, os comuns — quase todos também pobres -, não têm esses direitos?

Podem cumprir pena enjaulados, nos presídios "normais" do país???
Quer dizer que, passados 12 anos de governos que alardeiam aos quatro ventos terem diminuído as diferenças sociais, foram criadas as categorias prisioneiros classe A e F?

Uns vão para a Papuda, outros, para a…?

Isso me lembrou uma velha piada do tempo da ditadura militar. O ditador brasileiro de então foi visitar a Bolívia e, ao ser apresentado ao ministro da Marinha do país vizinho, manifestou estranhamento:

- Ué, ministro da Marinha? A Bolívia não tem mar!

Recebeu como resposta:



- Estranhando por quê? O Brasil não tem ministro da Justiça?

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

Jornal do Comércio diz que Bier Markt cativou amantes de cervejas artesanais em Porto Alegre

A foto ao lado é de Adolfo, Pedro e Alaor Peruzzo. Peruzzo já não é mais sócio do negócio - Esta reportagem de Fernando Soares no Jornal do Comércio, Porto Alegre, conta que nascido de um hobby compartilhado por amigos para se tornar um negócio de rápida ascensão, o Bier Markt transformou-se no número 1 do gênero em apenas seis anos, segundo a revista Veja. Leia toda a reportagem -  Criado em 2009 por três amantes das cervejas artesanais, a empresa se consolidou como um dos locais com maior variedade de rótulos importados e nacionais da bebida em Porto Alegre.

Além disso, o método de extração do chope direto do barril se tornou uma das marcas registradas da companhia. Hoje, os empresários Adolfo Bandeira e Pedro Braga comandam o estabelecimento, que até pouco tempo atrás contava com um terceiro sócio. A ideia de montar o bar surgiu em 2006, durante a Copa do Mundo realizada na Alemanha.

A partir dali, os amigos começaram a se reunir para fazer degustação de rótulos importados. Assim, a atividade despretensiosa foi ganhando força até se tornar realidade. "O trabalho com cerveja artesanal em barril ainda não estava sendo muito explorado no mercado. Às vezes íamos nos locais e o chope vinha estragado ou então não tinha o produto. Então, surgiu a ideia de termos nosso próprio bar", lembra Adolfo.

No início, Adolfo e Pedro mantinham outros empregos em paralelo ao estabelecimento. Enquanto o primeiro era proprietário de uma loja de confecções, o outro era dono de uma empresa de informática. Pouco tempo depois de montarem o Bier Markt, o negócio foi evoluindo e ambos tiveram de largar seus empregos para dedicar atenção exclusiva ao bar.

Em 2012, foi a aberta uma filial. "De tanto movimento que tinha, abrimos uma segunda casa", lembra Pedro. Atualmente, são servidos cerca de 10 mil litros de cerveja por mês nos dois locais. Na carta de cervejas, há em torno de 250 rótulos diferentes, oriundos de 11 países.

CLIQUE AQUI para ler mais.



Dono do Friboi avisa: "Nunca vi o Lulinha na minha vida"

O empresário José Batista Júnior negou qualquer relação empresarial do grupo JBS com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ou com seu filho, Fábio Luis, o Lulinha. Ele ironiza os boatos que insinuam uma ligação entre as famílias. A reportagem sobre o assunto é do site www.brasil247.com.br de hohje. Lia tudo -  Esclarece que os rumores não passam de intriga:
–“Muito tempo atrás, nós éramos laranjas do Iris. Aí o Iris perde para o Marconi, e aí vieram me perguntar: e agora é do Marconi? Agora estão dizendo que o Friboi é do Lula. Isto é intriga da oposição. Ter sucesso neste País é ofensa pessoal. Isto é a oposição querendo derrubar o Lula. A JBS é da família e dos acionistas. Eu nunca vi o Lulinha na minha vida”, desabafa.
Iris
José Júnior Friboi diz que se filiou no PMDB depois de falar com todas as lideranças locais e nacionais do partido, com o propósito de ser o candidato ao governo de Goiás. O projeto ruiu quando Iris Rezende lançou a pré-candidatura ao Palácio das Esmeraldas.
“Eu comecei a formar um grupo de simpatizantes do projeto. Eu comecei a juntar um grupo que estava separado. O primeiro grupo que eu busquei foi o do Maguito (prefeito de Aparecida de Goiânia, Maguito Vilela). Depois eu fui buscar o apoio do grupo do Iris. Quando todos imaginavam que eu ia concorrer ao governo e o Iris ao Senado e o PT na vice, e o Iris lançou a candidatura dele. Quando ele lançou, eu entendi que o projeto estava perdido. Naquele momento eu recuei”, diz.
Friboi disse que não enxerga Iris Rezende como inimigo político. Afirma que travou uma batalha de força com o ex-prefeito de Goiânia pela candidatura do PMDB ao governo na eleição do ano passado e que Iris não aceitou ser candidato ao Senado por temer a pecha de que teria se vendido numa negociação com ele próprio (Friboi). “Ele disse, eu tenho 55 anos de vida pública e seria muito difícil ser candidato ao Senado com você. Até porque, eu não posso deixar que o povo entenda que eu me vendi para você. Aí eu disse, então acabou o negócio, porque eu não estou comprando absolutamente nada”, relata.

Na sua opinião, Iris é uma referência e deve ocupar o papel de conselheiro do partido, ao invés de insistir em disputar eleições.“O Iris não é um inimigo político. Eu enxergo como um conselheiro do partido, um político nato e profissional. Eu me sinto muito pequeno perto do Iris no ponto de vista político. O Iris se soubesse aproveitar mais a experiência que ele tem e não fizesse tantos inimigos na política, talvez ele tivesse saído melhor”, projeta.

Avaaz abre lista para pressionar Dilma no caso do HSBC da Suiça

O site Avaaz abriu lista de adesões para pedir que a presidente Dilma Roussef exija os nomes da lista de brasileiros que possuem dinheiro sujo no HSBC da Suiça.
O Avaaz é iniciativa da Open Society, entidade custeada pelo bilionário George Soros. A Open Society é uma das financiadoras do grupo de jornalistas que pirateou as contas do HSBC na Suiça.
CLIQUE AQUI para aderir.

Bandidos já assassinam uma pessoa a cada 12 horas em Porto Alegre

Em janeiro, a cada 12 horas foi assassinada uma pessoa em Porto Alegre, cova ou faça sol, incluído sábado, domingo e feriado - e mesmo com 1/4 a menos de habitasntes. São dados da secretaria estadual da segurança Pública.
Foram 64 mortes violentas.
Um recorde para Porto Alegre em toda a sua história de 300 anos.
O avanço de 42,2% sobre o mesmo mês do ano passado, tem relação direta com o aumento geométrico da insegurança pública no RS, tudo por conta do sumiço do policiamento nas ruas e da mornidão dos aparatos de proteção ao cidadão.

Insegurança pública não poupa roubo de carro nem mesmo da deputada Juliana Brizola

O carro roubado da deputada estadual Juliana Brizola (PDT) foi localizado nesta terça em Tramandaí. O veículo foi roubado na sexta-feira. Ele foi um dos 19 carros roubados no dia em Porto Alegre. Segundo a Brigada Militar, o veículo estava com um ex-detento, com histórico por furtos, estupro e tráfico de drogas. A foto ao lado é da própria Brigada. 
A polícia abordou o Toyota Etios na Rua Itália. No interior do carro, os PMs encontraram documentos da Assembleia Legislativa e um cartão de abastecimento do Legislativo. A insegurança pública no RS não poupa mais nem autoridade. Há uma semana, seguranças do vice-governador José Cairolli mataram um homem que tentava roubar o carro oficial. 

Informante do caso HSBC diz que ainda há 'um milhão' de dados por vir, inclusive de uma petroleira.

O jornalista Kamal Ahmed, editor de economia da BBC News, informa hoje que em entrevista à BBC, o ex-funcionário Hervé Falciani (foto ao lado) diz que uma grande empresa de petróleo pode ser a próxima a sentir efeitos de vazamento em massa de informações. Leia tudo - 
O ex-funcionário do HSBC em Genebra, Herve Falciani, é o homem por trás do maior vazamento de dados na história dos bancos. As informações obtidas por ele em 2007 mostravam que a filial suíça do segundo maior banco do mundo “ajudou” clientes ricos a driblar o pagamento de milhões de dólares em impostos.
Oito anos depois, ele disse, em entrevista à BBC, que se sente “vingado” e “aliviado”, já que os dados revelados por ele finalmente vieram à tona e o escândalo vem sendo investigado em várias partes do mundo.
Segundo Falciani, estamos longe do fim da história, já que ainda há muitas informações sobre o esquema do HSBC.
Aliás, para ser bem preciso, há um milhão de bits em dados, afirma o ex-funcionário.
Leia mais: Saiba como contas secretas permitem sonegação de bilhões na Suíça
Ele diz que o trabalho de análise desses dados deve começar em breve e que uma grande empresa de petróleo pode ser a próxima a sentir os efeitos de um vazamento em massa de informações.
Estrelas do showbiz e traficantes
O esquema revelado por Falciani permitiu que, entre 2005 e 2007, centenas de bilhões de euros transitassem, em Genebra, por contas secretas de 106 mil clientes, entre eles, empresários, políticos, estrelas do showbizz e esportistas, mas também traficantes de drogas e armas e suspeitos de ligações com atividades terroristas.

Os documentos vazados por ele também incluem dados sobre 5,5 mil contas secretas de brasileiros, entre pessoas físicas e jurídicas, com um saldo total de US$ 7 bilhões (cerca de R$ 19,5 bilhões).

CLIQUE AQUI para ler mais. 

Fortunati demitiu seu secretário da Saúde pela Rádio Guaíba

Foi inusitada a demissão do secretário municipal da Saúde, Carlos Casartelli, porque o prefeito José Fortunati resolveu dispensá-lo em meio a uma entrevista para a Rádio Guaíba, em pleno carnaval: “As manifestações públicas de Carlos Henrique Casartelli me incomodaram e ele está demitido”. Não é comum prefeitos demitirem seus auxiliares pela imprensa, o que costuma ocorrer quando a autoridade pública possui baixo índice de diálogo com seus próprios auxiliares. Casartelli não é o único secretário que fala mal de Fortunati pelas costas, mas foi o único que se atreveu a criticá-lo publicamente pelo Twitter. Esta é a nona baixa do governo municipal em apenas dois meses, o que tem revelado bastante desordem na administração pública de Porto Alegre. José Fortunati tem se revelado um prefeito atrapalhado, vacilante, sem autoridade e sem pulso firme.

Até no combate aos crimes de morte o governo Yeda foi melhor do que o de Tarso

Durante quatro anos o ex-governador Tarso Genro e o PT acusaram o governo Yeda Crusius e o PSDB por trocarem o déficit zero (equilíbrio das contas públicas) por enormes sacrifícios a áreas como a segurança pública.
Os dados divulgados hoje a partir de informações da secretaria da Segurança Pública, revelam que Yeda conseguiu manter sob números parecidos os números de homicídios no RS, enquanto o governo Tarso Genro emplacou uma escalada selvagem  de descontrole na área.
Examine os números:
Governo Yeda (2007/2010) – 1.604, 1.720, 1.649, 1.668.
Govrno Tarso (2011/2014) – 1.752, 1.992, 1.914, 2.346.

Outro dado que pode surpreender os petistas e também quem defende mais contratações de brigadianos e policiais civis, é a informação de que em 10 anos o governo estadual  elevou de R$ 1 para R$ 3 bilhões os recursos destinados à área de segurança pública, portanto 200% mais, enquanto a população no período cresceu apenas 3,3% e o número de casos de homicídios, por exemplo, praticamente dobraram, pulando de 1.391 para 2.346. O editor está convencido de que falta gestão, como péssimo manejamento dos recursos humanos, sobretudo aposentadorias precoces e absenteísmo, inteligência curta e uso inadequado de ferramentas modernas de TI.

PTB aproxima-se de Sartori

O PTB aproxima-se velozmente do governo Sartori.

TCE visita casa arrombada do serviço aeromédico estadual

Depois da porta arrombada, o Tribunal de Contas do Estado resolveu mais uma vez entrar em ação.  Seus auditores investigarão os termos do contrato firmado entre o governos petistas de Tarso Genro e da prefeitura de Imbé, tudo destinado a garantir uma quarteirização no serviço aeromédico estadual, ao fim e ao cabo realizado pela quarteirizada, a Futura Sistemas, também ligada aos petistas do governo estadual.
O editor denunciou tudo em prosa e verso na semana passada.
Ao decidir acabar com o contrato, o atual governo resultou fustigado em vídeo, áudio e impressos da RBS, que reverberou denúncias sobre fatos inexistentes.

PDT quer vagas, além de voz e voto no núcleo duro do governo Sartori

Não há animus beligerandi por parte do PDT, mas com bancada numerosa na Assembléia - oito deputados - e tendo avisado desde o início que queria protagonismo, o Partido considera-se desprestigiado pelo governo.
A reunião das 16h30min com o núcleo duro do Piratini pretende desatar dois nós: 1) a confirmação de nomes influentes do Partido em vagas ainda existentes. 2) a adesão do PDT ao núcleo duro de decisões.
Os trabalhistas querem lugares para seus líderes Vinicius Ribeiro, Kalil Sehbe e Flávio Lemmel, todos experientes em funções anteriores de governo.

Ibsen assumirá esta tarde na Assembléia

Será as 14h a posse de Ibsen Pinheiro como deputado estadual. Ele assumirá depois da saída dos doios primeiros suplentes, Juvir Costella e Maria Helena Sartori. Ibsen poderá disputar a presidência do PMDB no dia 15 de março, embora defenda uma chapa de consenso. O atual presidente, deputado Edson Brum, quer continuar no cargo.

Bancos e órgãos públicos só abrem ao meio dia

Bancos e órgãos públicos reabrem apenas ao meio dia em todo o País.