Dilma conduz reunião de emergência para discutir Mensalão 2

A revista Istoé, que até este sábado a noite não tinha chegado em Porto Alegre, conta na edição de hoje que na noite de ontem, sexta-feira 5, a presidenta Dilma Rousseff e o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, convocaram uma reunião emergencial no Palácio da Alvorada, em Brasília. O encontro, em clima de elevadíssima tensão, destinou-se a discutir o depoimento à Polícia Federal do ex-diretor de Abastecimento e Refino da Petrobras, Paulo Roberto Costa, considerado o principal arquivo-vivo da República e detentor dos segredos da maior estatal do País sob o jugo petista. 

. Leia tudo:

. Há poucas semanas, Costa dizia que não haveria eleições neste ano se ele revelasse tudo o que sabe. Desde a sexta-feira 29, ele começou a cumprir sua ameaça. O teor das revelações, vazadas até agora, em regime de delação premiada é nitroglicerina pura. Tão bombástico que um assessor palaciano definiu assim o estado de espírito dos petistas reunidos no Alvorada: “Estão todos atônitos. A crise é séria”, afirmou. O depoimento de Paulo Roberto Costa evidencia a existência de caixa dois de campanha no financiamento de políticos aliados do governo Dilma.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

PPS quer reunião emergencial da CPI da Petrobrás

O líder do PPS na Câmara, deputado federal Rubens Bueno (PR), divulgou na manhã deste sábado nota em que cobra a convocação de uma reunião de emergência da CPI mista da Petrobras para discutir a delação premiada que está sendo feita pelo ex-diretor da estatal, Paulo Roberto Costa.

. Governo e PT continuam calados neste sábado. 

. O líder do PPS anunciou que vai apresentar dois requerimentos à comissão na próxima segunda-feira, dia 8. O primeiro pedirá ao presidente da CPI mista, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), a convocação de uma reunião de emergência para decidir o que fazer diante das revelações. No segundo, vai pedir a cópia de todos os depoimentos prestados por Paulo Roberto Costa, incluindo os vídeos com suas falas. Bueno lembrou que a CPI já aprovou a convocação do delator, mas reforçará na próxima semana a necessidade imediata de sua presença no Congresso.

Marina: "Quem ameaça o pré-sal é a corrupção do PT na Petrobrás "

A candidata à Presidência pelo PSB, Marina Silva, minimizou neste sábado as denúncias envolvendo o ex-governador Eduardo Campos (PSB) em um suposto esquema de propina da Petrobras, denunciado por Paulo Roberto Costa, ex-diretor da estatal. Ela defendeu Campos e disse que é preciso aguardar as investigações. A candidata, no entanto, culpou o governo federal por escândalos de corrupção envolvendo a Petrobras; 

- Quem está ameaçando o pré-sal não somos nós, nós vamos manter a exploração no pré-sal e usar os recursos para a saúde e para a educação. Quem ameaça o pré-sal é a corrupção que está assolando a Petrobras.

Aécio sobre o Mensalão II: "É o PT assaltando as empresas públicas de novo. Chegou a hora de apeá-lo do Poder".

Em video que gravou esta manhã no seu Facebook, o senador Aécio Neves sublinhou a gravidade das denúncias feitas em Curitiba pelo ex-diretor da Petrobrás, Paulo Costa, homem que mandou e desmandou na Petrobrás durante cinco anos do governo Lula e dois anos do governo Dilma, servindo de correia de transmissão para irrigar dinheiro sujo para o PT e demais Partidos da base aliada, com ênfase para PMDB e PP.

. Leia o que ele diz no video e depois assista o video:

O Brasil acordou, hoje, perplexo, com as mais graves denúncias de corrupção da nossa história recente. Está aí o Mensalão 2, é o governo do PT patrocinando o assalto às nossas empresas públicas para a manutenção do seu projeto de poder. É fundamental que essas investigações possam ir ainda mais a fundo, para que os verdadeiros responsáveis pelo assalto às empresas brasileiras sejam punidos de forma exemplar. Estamos disputando essas eleições contra um grupo que utiliza o dinheiro sujo da corrupção para manter-se no poder. Por isso, eu acredito que chegou a hora de darmos um basta a isso e tirarmos, de forma definitiva, o PT do poder.

CLIQUE AQUI para ver e ouvir tudo. 

O que faz Eduardo Campos na lista do lulo-dilmista Paulo Costa ?

Da direita para a esquerda, Campos e Paulo Costa, junto com Fernando Bezerra, na época ministro socialista de Lula. Paulo cuidou de boa parte das negociações sobre a implantação da Refinaria Abreu Lima em Pernambuco. Mensagens interceptadas pela PF apontaram, em abril desse ano, que houve repasses do doleiro a Clementino de Souza Coelho, irmão de Fernando Bezerra Coelho, braço-direito de Eduardo Campos e dirigente do PSB; em e-mails, Clementino cobrou de Alberto Youssef, a quem chamava de "primo", depósitos para ele, a mulher e o filho; em delação premiada, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa cita Campos como um dos governadores beneficiado pelo esquema de Youssef, ligando o caso à compra do jato fantasma em que estava o ex-governador quando morreu

Este tipo de mensagem inunda o Twitter nesta tarde de sábado. O editor conversou com o delegado Romeu Tuma Júnior, cuja experiência no caso Celso Daniel e no comando de dezenas de investigações, mas sobretudo na secretaria Nacional da Justiça do governo Lula, são credenciais fortes. Ele recomenda cautela no caso Eduardo Campos, porque não vê razões para incluir um político morto, que não pode se defender, a não ser que o ex-governador tenha sido incluído na lista para atingir Marina.  

Albuquerque @albuquerquejr
Follow
Vejam como eram amigos, mas o amigo inimigo delatou o falecido amigo...
pic.twitter.com/DlyWP3DlPR
04:29 PM - 06 Sep 14

Lula e Dilma sempre souberam de toda a roubalheira na Petrobrás

Ao lado, o PC do PT, e Dilma. As denúncias de PC atingem em cheio as candidatas Dilma Rousef e Marina Silva. 


No seu blog de hoje no site da revista Veja, o jornalista Reinaldo Azevedo lembra que entre 2004 e 2012, Paulo Roberto Costa foi diretor de Abastecimento e Refino da Petrobras. Ocupou, portanto, esse cargo, em sete dos oito anos do governo Lula e em quase dois do governo Dilma. 

. Saiba mais. O texto é de Azevedo.

Ao longo desse tempo, comandou o que pode ser chamado de “Petrolão” — ou o mensalão da Petrobras. As empreiteiras que faziam negócio com a estatal pagavam propina ao esquema e o dinheiro era repassado a políticos. A quais? Paulo Roberto já entregou à Polícia Federal e ao Ministério Público, num acordo de delação premiada, os nomes de três governadores, de um ministro de estado, de um ex-ministro, de seis senadores, de 25 deputados e de um secretário de finanças de um partido. Segundo o engenheiro, Lula sempre soube de tudo. E, até onde se pode perceber por seu depoimento, talvez a presidente Dilma — que era a chefona da área de energia do governo Lula e presidente do Conselho da Petrobras — não vivesse na ignorância.

CLIQUE AQUI para ler mais:

Tuma Júnior denuncia no Twitter: "O petróleo que era nosso serviu para sujar as mãos deles !

Do Twitter de hoje do delegado Romeu Tuma Júnior:

 Romeu Tuma (@tumaoficial)
05/09/14 19:52
O Petróleo que era nosso serviu para sujar as mãos deles! pic.twitter.com/WbxJRiBJOk

E do Penso Estranho

penso estranho (@pensoestranho)
06/09/14 09:34
Pedagogia do mensalão: PRCosta ñ quer ser novo Marcos Valério.Não houvesse a condenação deste a 40 anos d prisão,talvez aquele ñ falasse hj.

Negociata de outro diretor da Petrobrás nomeado por Lula, permitiu que Cerveró morasse em imóvel de R$ 7,5 milhões

Documentos conseguidos por Veja,  revelam a nebulosa história da compra de um apartamento de 7,5 milhões de reais em que Nestor Cerveró morou durante cinco anos. Cerveró é o homem da refinaria Pasadena que inocentou Dilma no caso. Leia a reportagem:

Transação camuflada - O apartamento dúplex, com piscina, em que Cerveró morou nos últimos cinco anos em Ipanema foi comprado por uma empresa offshore representada por um advogado que trabalhou na estatal com o ex-diretor da Petrobras (Dida Sampaio/Estadão Conteúdo & Reginaldo Teixeira/VEJA)

. O ex-diretor internacional da Petrobras Nestor Cerveró tem se revelado um especialista em omissões. Em 2006, apresentou ao conselho de administração da empresa um resumo referente à compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, sem as cláusulas que beneficiavam a Astra Oil, a sócia belga no negócio. No mesmo período em que se arrastaram a bilionária compra e o posterior litígio entre a Petrobras e sua sócia, Cerveró trabalhou também para não dar transparência a outra transação — desta vez imobiliária.

. VEJA teve acesso a documentos que detalham a compra de um apartamento avaliado hoje em 7,5 milhões de reais na Zona Sul do Rio de Janeiro. Trata-se do local onde Cerveró e sua mulher moraram durante os últimos cinco anos. Não foi um negócio usual de aquisição de um imóvel. A transação envolveu a abertura de uma empresa offshore no Uruguai, o uso de um laranja para representá-la no Brasil e a criação de uma sede-fantasma em uma cidade litorânea do Rio de Janeiro. Todo esse aparato para a compra do apartamento ocorreu quase simultaneamente a uma série de gastos milionários.

Sensus, 2o turno: Marina, 47,6%; Dilma, 32,8%. Instituto diz que 44,4% dos eleitores podem mudar de voto.

Primeira pesquisa do Instituto Sensus, divulgada pela revista Istoé, depois da entrada de Marina Silva na disputa mostrou que, mesmo com a candidata atraindo votos de indecisos e dos que querem mudanças, eleição não está definida, já que 44,4% dos eleitores ainda podem mudar de voto

Dilma, 29,8%
Marina, 29,5%
Aécio, 15,2%

2o Turno
Marina, 47,6%
Dilma, 32,8%

Denúncias criam crise institucional. Petrobrás é apresentada como caverna de Ali Babá. Sairão eleições ?

Ao centro, Edison Lobão, na lista de Paulinho. Lula e Dilma sorriem, certos de que a Petrobrás prosseguiria a caverna de Ali Babá das campanhas do PT. O escândalo ganhou as ruas. 


A Petrobrás novamente surge como a caverna do Ali Babá, um lamaçal de corruptos e corruptores como jamais viu antes a República. Paulo Costa diz que toda a estrutura hierárquica da Petrobrás estava envolvida, o que inclui a presidente do Conselho na época, Dilma Roussef e seus conselheiros, pelo menos por grossa omissão. A estatal virou banco sujo a serviço do PT e seus Partidos aliados. É uma sujeira que precisa ser varrida com urgência. 

Quando ele falou que não teria eleição, teve quem achasse que era falsa ameaça, mas as revelações feitas pelo ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa podem realmente criar uma crise institucional sem precedentes no Brasil. Vão sacudir toda a política nacional.

. Os primeiros nomes que vazaram são de pesos-pesados do esquema de apoio a Dilma Roussef, como os presidentes da Câmara e do Senado, sem contar petistas de grande coturno. 

. A surpresa foi a inclusão de Eduardo Campos, que atinge por tabela Marina Silva. 

.  Desde a semana passada depondo sob regime de delação premiada, ele já apontou o nome de mais de 30 políticos, entre senadores, deputados e um governador, de cinco partidos, como participantes no esquema de corrupção. O ex-diretor afirma que eles recebiam 3% de comissão sobre o valor de cada contrato da estatal assinado em sua gestão. O número de pessoas apontadas pode crescer ainda mais com as próximas sessões de depoimento, que têm acontecido diariamente.

. De acordo com Costa, o sistema se estende por várias etapas da estrutura hierárquica da Petrobrás, envolvendo funcionários desde o terceiro escalão até a cúpula da petroleira, e complementou afirmando que existe a formação de um cartel de empreiteiras em quase todas as áreas da empresa. Segundo ele, quem se beneficiava com as comissões eram os partidos, que enviavam todo dia algum político batendo em sua porta.

Ibope, Datafolha e Vox Populi pesquisam intenções de votos no RS

De acordo com pesquisas feitas pelo editor no site do TSE, duas novas pesquisas sobre intenções de votos para governador e senador serão publicadas na semana que vem no RS.

. O Ibope foi contratado pela RBS por  R$ 62.520,00 para publicação no dia 9.

. No caso do Datafolha, a contratação é da Folha de S. Paulo, que gastará R$ 93.300,00. A pesquisa será publicada no dia 10. 

. Pesquisa do instituto Vox Populi também já está em andamento. 

Conheça a lista dos políticos listados pelo ex-diretor Paulo Costa como beneficiados pelas propinas do esquema da Petrobrás

Paulinho, nomeado para a diretoria da Petrobrás por Lula para facilitar as coisas para o PT na Petrobrás, e sua então presidente do Conselho de Administração. 


Vai a seguir parte da lista de políticos denunciados pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto da Costa de receberem propinas por negociatas feitas por ele na empres, segundo o que publica a revista Veja neste final de semana. A avaliação no PT é que o depoimento de Paulo Roberto Costa pode criar forte desgaste na campanha de Dilma Rousseff. A maior preocupação é que haja divulgação do depoimento com denúncias sobre a existência de caixa dois de campanha e do financiamento de políticos aliados. No depoimento à PF, o ex-diretor já teria admitido que empreiteiras contratadas pela Petrobras tinham, obrigatoriamente, que contribuir para um caixa paralelo, cujos recursos eram destinados para agremiações partidárias como o PT, e políticos de diferentes siglas da base aliada do governo Dilma Rousseff.


. Sobre o PT, ele afirmou que o operador encarregado de fazer a ponte com o esquema era o tesoureiro nacional do partido, João Vaccari Neto.

. A maior surpresa é a inclusão do nome de Eduardo Campos, candidato a presidente, do qual Marina era vice.

. Leia a lista:

Edison Lobão, ministro das Minas e Energia, PMDB
João Vaccari Neto, secretário nacional de finanças do PT
Henrique Eduardo Alves, presidente da Câmara dos Deputados, PMDB
Renan Calheiros, presidente do Senado, PMDB
Ciro Nogueira, senador e presidente nacional do PP
Romero Jucá, senador do PMDB
Cândido Vaccarezza, deputado federal do PT
João Pizzolatti, deputado federal do PT
Mario Negromonte, ex-ministro das Cidades, PP
Sergio Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro, PMDB
Roseana Sarney, governadora do Maranhão, PMDB

Eduardo Campos, ex-governador de Pernambuco, PSB - morto no mês passado em um acidente aéreo.

Há mais.

. Paulo Costa, o Costinha, como era chamado por Lula, que o nomeou para o cargo, continua falandol para o MPF e a PF. 

Aécio recebe foto em que aparecem Brossard, Ulisses e Tancredo, o avô do candidato do PSDB

No encontro que o grupo de pensadores gaúchos entregou ontem ao meio dia ao senador Aécio Neves na Expointer, visando entregasr-lhe uma carta para que seja mais incisivo na discussão política e ideológica com Dilma e Marina, a advogada Magda Brossard Iolovitch entregou-lhe uma fotografia do baú da família.

. Na foto estavam o pai de Magda, Paulo Brossard, ex-deputadl e ex-senador, ladeado por Ulisses Guimarães e Tancredo Neves, o avô de Aécio.

. Além de Magda, outras cinco dezenas de intelectuais, professores universitários, economistas, jornalistas e empreendedores gaúchos assinaram a carta, que vai publicada na nota abaixo.

. O documento defende que Aécio dê mais inflexão política e ideológica ao debate sobre desvios autoritários interno e externo, sobretudo nas tentativas petistas de garrotear as liberdades pública e individual, mas sobretudo em relação a suas alianças com governos ditatoriais. 

Pensadores gaúchos cobram em carta mais empenho de Aécio no debate político e ideológico com Dilma e Marina

Um grupo de intelectuais, professores universitários, economistas, jornalistas e empreendedores gaúchos, resolveu entregar ao candidato Aécio Neves uma carta cobrando muito maior inflexão no debate político e ideológico das ações dos governos do PT nos âmbitos interno e externo, já que o duelo eleitoral está centrado apenas nos quesitos relacionados com gestão pública e política econômica. "Nestas eleições, estão as liberdades públicas e privadas que estão em jogo", avisaram os gaúchos. Aécio recebeu o grupo num encontro, ontem, na Casa da Assembléia, Expointer, Esteio, RS. Pelo menos quatro dezenas de assinaturas foram apostas ao documento, entre elas a de advogados como Magda Brossard Iolovitch, jornalistas como o próprio editor, Gilberto Simões Pires e Vitor Morais, professores e intelectuais como Luis Milmann, José Giusti Tavares, Rodrigo Constantino e Percival Puggina. Leiam a mensagem:

SENADOR AÉCIO NEVES
Somos um grupo de intelectuais, jornalistas e empreendedores do Rio Grande do Sul que, não possuindo em comum qualquer preferência partidária, mas valores democrático-constitucionais intransigíveis, apoia com veemência a sua candidatura em virtude de uma convicção fundamental e grave: entendemos que é absolutamente necessário interromper a ciclo de poder monolítico do Partido do Trabalhadores que, claramente, há mais de uma década, tem ameaçado – e nestes últimos anos do governo Dilma ameaça com maior clareza e profundidade – a sobrevivência da democracia representativa e constitucional brasileira.
A firmeza de nosso apoio resulta de que, crendo nos valores do liberalismo político, estamos convictos de que a próxima eleição presidencial será muito provavelmente a última oportunidade de interromper o crescente cerco petista à institucionalidade democrática de direito.
São esses os motivos, ilustre Senador, em virtude dos quais tomamos a liberdade de afirmar que as últimas pesquisas de intenção de voto têm demonstrado que, tratando-se a candidatura de Vossa Excelência de uma candidatura de oposição, representativa também de setores expressivos da sociedade para os quais valores políticos liberais e conservadores são inegociáveis, deveria, denunciar o governo Dilma, questionando-o propositiva e firmemente, sobre os elementos que concernem às  suas medidas mais do que suspeitas, quer quanto à política interna,  quer quanto às relações internacionais.
CLIQUE AQUI para ler todo o texto.