El País afirma que carta do Santander 'caiu como bomba no Planalto'

CLIQUE AQUI  para ler "Santander: Verdades 
que não cabem num extrato". Doze anos depois da ‘carta’, um extrato assusta o PT.

O jornal espanhol “El País” repercutiu neste sábado o mal-estar gerado entre o banco Santander e o governo brasileiro com carta enviada pela instituição a correntistas, junto ao extrato do mês de julho, sugerindo que o crescimento da presidente Dilma Rousseff (PT) nas pesquisas eleitorais poderia acarretar na piora da economia brasileira.

. A reportagem intitulada de “A saia justa do banco Santander” afirma que a iniciativa “caiu como uma bomba no Planalto”, ressaltando a estreita relação de Dilma com o presidente mundial do Santander, Emílio Botín. A publicação lembra que “hoje, o Brasil representa um quinto do lucro do grupo”.


. Por conta disso, a vinda de Botín ao país, esperada esta semana para evento promovido pelo banco sobre educação, também estaria ameaçada. A publicação lembra que “desde que a presidenta Dilma Rousseff assumiu o poder, em 2011, o presidente mundial do Santander, Emílio Botín, esteve pelo menos quatro vezes no país. E nas quatro ocasiões, foi recebido pela presidenta no Palácio do Planalto, quando Botín fazia questão de tornar públicas suas mensagens de otimismo com o país”.

CLIQUE AQUI para ler toda a reportagem de O Globo.

Aécio diz que governo foi precipitado e desequilibrado na condenação a Israel

Ao contrário do que a mídia governista publicou na sexta, O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, criticou a atuação da diplomacia brasileira após a ofensiva de Israel que aumentou a violência na Faixa de Gaza. Para o tucano, o governo brasileiro "se precipitou" no episódio.
Aécio Neves falou sábado
 sobre o tema, após participar de ato de campanha na capital paulista ao lado do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que tenta reeleição, e do candidato ao Senado por São Paulo pelo PSDB, José Serra.

. Para Aécio Neves, o governo brasileiro deveria ter dado uma "palavra mais clara de convocação ao cessar-fogo".

. "O Brasil sempre se caracterizou por ter uma política externa de equilíbrio e isso deve retornar a conduzir nossas ações. Em relação a essa última posição [posição a respeito da violência na Faixa de Gaza], acho que faltou equilíbrio. Temos que condenar o uso excessivo de força de Israel, mas também temos que condenar as ações do Hamas com lançamento sucessivo de foguetes. Faltou uma palavra mais clara de convocação ao cessar-fogo. O Brasil se precipitou, ao meu ver", afirmou o candidato tucano.
Para ele, o Brasil perdeu espaço nas negociações sobre questões internacionais e também reduziu sua participação no comércio 

Conheça a verdade sobre o "crescimento" da economia do RS sob o atual governo do PT

O governador Tarso Genro, caminhou no centro de Santa Cruz do Sul na manhã deste sábado. até a praça da Igreja Matriz, onde fez um discurso, repetindo o mesmo mantra que a maciça propaganda paga usou durante todo o primeiro semestre:

- Há uma diferença entre os dois caminhos que se apresentam aos eleitores gaúchos através dos projetos dos candidatos. O de continuidade do atual governo, que trilhou a senda do desenvolvimento econômico e social e o de retorno da estagnação, de um Estado reduzido em suas funções, representado pelos adversários que defendem o choque de gestão.

. O que fez Tarso Genro, segundo ele mesmo:

- Quando chegamos ao governo, o Rio Grande do Sul crescia menos que o Brasil. Então desenvolvemos uma política industrial, um sistema de incentivos, como o Microcrédito, reestruturamos a agricultura familiar e as cooperativas, valorizamos os professores e os soldados da Brigada Militar e estruturamos a nossa Polícia Civil. Assim, o Estado alavancou. De 2012 para 2013 nós crescemos o dobro do Brasil. O Rio Grande está respondendo.

. Desprezadas as pequenas diferenças entre o gráfico publicado pelo Jornal do Comércio e os numeros do IBGE a seguir, que não influem no resultado maior, o que fica claro é o seguinte:

1) Ao contrário da propaganda oficial enorme do primeiro semestre que passou o tempo todo dando a impressão de que a lo largo a economia local cresce o dobro da economia brasileira, o qwue é totalmente falso, Tarso preferiu ficar apenas com 2013, um espasmo que já aconteceu antes por conta de safras abundantes.
2) Os bons resultados da economia local pouco têm a ver com o desempenho dos governos mais recentes, que não mexeram e nem tentaram mexer de verdade na matriz econômica atrasada do RS. 
3) Considerando-se os últimos três governos, o atual é o que registra o pior desempenho do PIB.

. Os números estão todos aí abaixo e no gráfico ao lado, acima. 

. O RS perde posição em relação aos outros Estados. Isto é visível pelos números do IBGE. Nossa participação no PIB despencou.  Entre os anos 1990 e o início dos 2000, os gaúchos respondiam por 7,1% das riquezas produzidas no país. Em 2011, último ano analisado na pesquisa, o índice passou para 6,4%. CLIQUE AQUI para ler reportagem da Folha que comprova a queda. O título diz o que ocorre: "Endividado, o RS perde posição no PIB nacional". Governo algum endividou-se tanto quanto o atual. 


. Nada mais falso, como atestam os números oficiais tabulados pela Fundação IBGE, atestados pela FEE, do próprio governo estadual, e usada por todos os economistas do RS.

RIGOTTO/1º Governo Lula
- 2003: 1,6/1,1
- 2004: 3,3/5,7
- 2005: -2,8/3,2
- 2006: 4,7/4,0
Média, 3,1%/3,5

YEDA/2º Governo Lula
- 2007: 6,5/6,1
- 2008: 2,7/5,2
- 2009: -0,8/-0,3
- 2010: 7,8/7,5
Média, 4,05%/4,5

TARSO/Governo Dilma
- 2011 – 5,7/2,7
- 2012 – Menos 1,8/0,9
- 2013 – 6,4/2,2
- 2014 – 1,95/1,8
Média, 3,05%/1,9

Outro jovem é assaltado e morto por bandidos em Porto Alegre

Um jovem de 20 anos, Edson Raupp, foi morto às 3h deste domingo, na Rua Felizardo Furtado, no bairro Petrópolis, em Porto Alegre.

. Ele estava com outros 19 jovens quando foi assaltado e baleado.

. Assaltos e mortes tornaram-se recorrentes em toda Porto Alegre depois que 2 mil policiais que tinham sido deslocados para a Copa voltaram ao interior. Morador do bairro, o senador Pedro Simon teve que enfrentar assalto e sequestro da própria mulher há menos de um mês. 

. A insegurança pública é total na cidade.

. O governo não age.

. Os candidatos ao governo estadual não incluíram a questão da segurança pública nas suas prioridades e mal tocam no assunto.

. Ninguém consegue sair de casa na Capital. 

. Não se vê policiais nas ruas. 

. Esta semana, até mesmo o presidente do Tribunal de Justiça, José Aquino Flores de Camargo. Um ex-assessor do anterior presidente, um juiz da Vara de Execuções Criminais (VEC) de Porto Alegre, já tinha sido assaltado no bairro Rio Branco, vizinho de Petrópolis.

. Segundo o delegado João Paulo de Abreu, da 3ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), dois ou três homens se aproximaram de um grupo com cerca de 20 jovens que estavam na via, perto de um Siena, que estava aberto. Um dos assaltantes teria perguntado pelo dono do veículo.


. Os assaltantes fugiram sem levar o veículo. As investigações estão a cargo da Polícia Civil, que não descarta a possibilidade de homicídio.

Artigo, Telmo Schoeler - O velório do Conselho (o caso Pasadena)

CLIQUE AQUI para  ler análise de Dora Kramer sobre o caso.

Eles não viram nada e parecem adornos decorativos de um Conselho de Administração irresponsável por seus atos, segundo o TCU e na inversa mão do que diz a boa prática da moderna Governança Corporativa, coisa que o dr. Jorge Gerdau, na foto à extrema esquerda, conhece mais do que ninguém, porque o tema é dever de casa no Grupo Gerdau, no PGQP e no Movimento Brasil competivo, tudo cria dele. 


Em 50 anos de vida executiva e consultiva já fui a muitos velórios de amigos, empresários e mesmo empresas. Mas hoje, pelos noticiários e jornais vi um convite para enterro que me surpreendeu pelo impensável, não pelo inesperado: o dos Conselhos de Administração. A causa mortis foi a conclusão do relatório do TCU onde o relator ministro José Jorge isenta de culpa e responsabilidade o Conselho da Petrobrás pelos erros, omissões e prejuízos envolvidos na famigerada operação de compra da refinaria de Pasadena e, na sua sequencia, a determinação do Procurador Geral da República – Rodrigo Janot – de arquivamento da apuração de responsabilidade desse mesmo Conselho.

Se analisarmos a legislação societária e a normatização de funcionamento, deveres e responsabilidades de um moderno e verdadeiro ‘’Conselho de Administração’’ sustentado pelos princípios internacionais de boa Governanca Corporativa, é fácil, cartesiano e inquestionável perceber o absurdo posicionamento do TCU e da PGR. Usar dos argumentos, como fez explicitamente o relator, de que “houve outras intercorrências”, de que “os Conselheiros foram induzidos a erro pelos diretores”, pois tomaram deliberação com base num “resumo executivo” omisso e falho a eles entregue, sendo, portanto, a responsabilidade imputável “a quem fez o negócio”, i.e., os “diretores” os quais “já estão sendo processados”, é, no mínimo, demonstração de total desconhecimento dos mecanismos de Governanca Corporativa e, também, de desprezo à inteligência de quem os conhece e ao bolso de quem paga as contas. Estas, no caso específico, todo cidadão brasileiro: alguns na qualidade de prejudicados investidores da Petrobrás e todos na condição de pagadores de impostos que suprem os irresponsáveis cofres do tesouro nacional.

As falhas na argumentação são evidentes, como aliás já foram nos casos Sadia e Aracruz.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Servidores do prefeito do PT de SP dão expediente nos Partidos da base

Os repórters Artur Rodrigues e Leandro Machado acompanharam servidores da prefeitura de São Paulo, do prefeito Fernando Haddad, PT, atuando nos Partidos da base aliada durante o horeário do expediente. Gente que recebe mensalmente até R$ 13 mil. Leia tudo:

A movimentação durante a semana é frenética no sobrado amarelo da Bela Vista (região central) onde fica a sede do PP (Partido Progressista). Entre os frequentadores mais assíduos do local estão funcionários públicos da Cohab, órgão da prefeitura responsável por construir casas populares em São Paulo.
Nomeados no ano passado, eles têm salários de até R$ 13 mil pagos pelo município, mas deixam o expediente e usam até carro oficial para atuar em tarefas partidárias.
A Cohab é controlada por indicados do deputado federal Paulo Maluf desde o início da gestão do prefeito Fernando Haddad (PT), em 2013. A direção da companhia foi uma das concessões feitas para o PP apoiar o prefeito.
A Folha acompanhou a movimentação na sede da legenda desde o último dia 17.

Assessor especial da Cohab, Fernando Martins Pizo, tesoureiro do PP, foi flagrado de quinta (17) a terça (22) na sede do partido. "Ele chega às 8h e vai embora às 18h todos os dias", disse uma secretária do partido ao telefone.

CLIQUE AQUI para ler mais e examinar fotos e videos.

Este jornalista da Folha, Fernando Rodrighues, atreve-se a pedir censura à ciência

Neste artigo (O PT e o mercado no Brasil) assinado ontem pelo jornalista Fernando Rodrigues, Folha de S. Paulo, há uma clara proposta para que o governo do PT censure a publicação dos resultados dos estudos econômicos sobre o desempenho da economia brasileira sob administração da presidente Dilma Roussef.
.
 Basta ler o que escreveu o jornalista:

- Numa democracia, um banco tem o direito de se manifestar. Liberdade de expressão. Só que a nota do Santander se prestou –de maneira inadvertida ou não– a algo mais complexo. Análises estapafúrdias produzem um ambiente no qual poucos faturam alto especulando com fantasias sobre o futuro da economia.
Mas o episódio tem sua utilidade. Escancara o nível de atraso do capitalismo brasileiro e como sucessivos governos (do PSDB e do PT) são incapazes de impor normas mais rígidas e civilizatórias ao tal mercado.

. O que diria Rodrigues e a própria Folha, caso o Santander pedisse censura à produção do jornalista e do jornal, sob o pretexto de que "são necessárias normais mais rígidas e civilizatórias ao tal mercado" ? Stalin, Mao, Fidel Castro, Hitler, todos eles seguiram este tipo de conselho.

. A Constituição de 88, quando fala em "ampla liberdade de expressão", não se refere apenas aos jornalistas e aos jornais, mas a todos os cidadãos e organizações, além de que a censura às pesquisas e estudos científicos é mais do que fascista, porque é medieval.


CLIQUE AQUI para ler o absurdo e fascista comentário de Fernando Rodrigues. 

Análise - O fim do Brasil

A análise econômica que vai abaixo, intitulada  "O fim do Brasil", é uma das mais intessantes sobre a real situação econômica do Brasil e o porque de devemos nos preocupar com um Plano B, que deve incluir, inclusive, um outro País para se viver, diante da caótica situação brasileira em que ele mostra neste trabalho.

. Leia tudo:


Olá. Meu nome é Felipe Miranda.

Há quase cinco anos, eu fundei, junto ao Caio Mesquita e ao Rodolfo Amstalden, a Empiricus Research, a primeira casa de pesquisa independente voltada a investimentos do Brasil.

Hoje, a Empiricus é referência em recomendações de investimento, contando com 200 mil leitores diariamente. Chegamos a um tamanho que nem nós mesmos aventávamos quando da criação da Companhia. Agradeço todos os dias por isso. Aos leitores e a nossos profissionais – seria impossível chegar aqui sem tamanhas competência e paixão. É a nossa vocação, de fato.

Talvez a esta altura você já conheça a Empiricus por conta de nossos serviços prestados nos últimos anos. Temos ajudado milhares de investidores a ganhar dinheiro com o cenário de queda da Bolsa brasileira desde nossa fundação, alta dos imóveis e comportamento volátil da taxa de câmbio.

Nós alertamos nossos leitores, por exemplo, a evitar as ações da Petrobras, pouco antes do início de seu derretimento. Também recomendamos vender ações de construtoras às vésperas de problemas emblemáticos de estouro de orçamento, parcerias mal feitas e de práticas que desrespeitavam os acionistas minoritários. Evitamos com isso prejuízos da ordem de até 90%.

Alguns de nossos leitores ficaram ricos apostando na queda das ações de Petrobras ou de grandes incorporadoras. Outros ganharam bom dinheiro seguindo a recomendação de comprar dólar a R$ 1,90.

Em outras palavras, nossos assinantes puderam lucrar mesmo num ambiente extremamente desafiador para o mercado de capitais. Que seja de meu conhecimento, não há uma única empresa de pesquisa e/ou consultoria no Brasil com histórico tão consistente de acerto em suas recomendações de investimento aos clientes.

Aqui cito apenas exemplos mais contundentes. Poderia perder um tempo enorme na lista de acertos. Mas eu não escrevo este texto para isso.

Faço referência à capacidade de fazer nossos assinantes ganharem dinheiro num ambiente difícil tão somente por uma questão: há tempos muito mais difíceis por vir. Projetamos a mais importante crise para o Brasil desde 1994. Ela está aí, batendo à nossa porta.

Só por isso eu tenho dedicado uma enormidade de tempo e dinheiro nos últimos meses preparando este material.

Em resumo, quero falar de um evento específico cuja ocorrência deve se dar num futuro bastante próximo, com implicações pronunciadas sobre as finanças de cada brasileiro e, até mesmo, sobre nosso modo de vida.


Esta esperada crise encontra suas raízes no colapso do sistema financeiro de 2008, cujo ápice é marcado pela quebra do centenário banco norte-americano Lehman Brothers e pelo consequente caos em Wall Street. 

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Tarso Genro, o candidato do PT, fará campanha em Porto Alegre neste domingo

O governador Tarso Genro passará o domingo em Porto Alegre, iniciando campanha eleitoral as 10h com os segmentos da juventude do seu Partido, o PT, e dos Partidos que o apóiam. As 11h, ele terá plenária com dirigentes do PTB.

. À tarde, Tarso terá atividades fechadas com companheiros do PT.

Porto Alegre
10h - Ato político com juventudes partidárias da Unidade Popular pelo rio Grande
Local: Adesbam (Rua Doutor Mário Totta, 108)
11h - Plenária com dirigentes do PTB

Local: Diretório municipal do partido (Rua General Caldwell esquina com Erica Verissimo)

A covardia (esperada) do Santander leva deboche de cliente do RS

A trapalhada da semana foi sem a menor dúvida a nota que o Banco Santander expediu aos seus clientes, mas não a todos, recomendando que os eleitores devem ficar longe de Dilma Roussef nas eleições de outubro, já que devem evitar o risco que representa o atual governo do PT para a economia, mergulhada em repiques inflacionários e paralisia econômica, cenário que será pior daqui para a frente.

. Leo Iolovitch, advogado, autor de crônicas perfeitas que disponibiliza no ambiente nuvem do Google, algo inédito no RS, foi um dos 0,18% dos clientes de alta renda que receberam a mensagem do Santander, e é nesta condição que fala sobre o assunto, fazendo chiste em cima do recuo do banco, 24h depois, dizendo publicamente que não disse o que disse e que quer dizer.

. Leia ao lado, clicando em cima da imagem e ampliando.

Dinheiro farto repassado pelo PT para o PMDB abre crise entre os Partidos

O esquema ao lado é desenho da Folha. 


Os jornalistas Andréia Sadi e Ranier Bragon revelam na edição deste domingo da Folha de São paulo que a egociação envolvendo o repasse oficial de recursos financeiros do PT para o PMDB abriu uma crise entre os dois partidos, os maiores da coligação pela reeleição da presidente Dilma Rousseff.

. Leia tudo:

. Sem aval do comando peemedebista, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), costurou o recebimento de uma ajuda de campanha de R$ 35 milhões.

. O PT, que arrecadaria o valor por meio de doações legais de empresas, repassaria a quantia a cinco candidatos do PMDB a governos estaduais em Rondônia, Amazonas, Paraíba, Pará e Alagoas -onde Renan Filho é o nome do partido na disputa.Em quatro desses Estados o candidato peemedebista tem o apoio oficial do PT (a exceção é em Rondônia).

. O vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), foi informado da exclusão da maioria do partido no repasse e exigiu que fosse feita uma distribuição igualitária para todos os candidatos da sigla.
Segundo relatos ouvidos pela reportagem da Folha, a negociação com Renan foi acertada com Aloizio Mercadante (PT), ministro da Casa Civil. Por meio de sua assessoria, o ministro negou que tenha tratado do assunto com Renan ou com "qualquer liderança do PMDB": "A Casa Civil não trata das finanças de campanhas, sendo este um tema exclusivo dos partidos".

. O mal-estar no PMDB chegou aos ouvidos de assessores de Dilma. Congressistas afirmam que o imbróglio foi o principal motivo da volta de Temer à presidência do partido. Porém, a equipe de Temer nega, alegando que ele voltou ao comando do PMDB para estar à frente da interlocução política na campanha.


. Segundo relato de participantes da negociação, houve acerto e o valor será distribuído de maneira "igualitária''.