Operários de BRT Transcarioca receberam café, almoço e R$ 140 para ir à inauguração com Dilma

Hoje, no Rio, o prefeito Eduardo Paes, PMDB, em gesto de sabujice extrema, faz o beija-mão em Dilma, sob os olhares curiosos do ex-governador Sérgio Cabral. 


Trabalhadores do corredor exclusivo de ônibus BRT Transcarioca, inaugurado pela presidente Dilma Rousseff no Rio de Janeiro, denunciaram ao jornal Folha de S. Paulo o pagamento de diária apenas para que comparecessem ao evento. 

. Segundo os trabalhadores, além do valor de R$ 140, quantia com adicional de 50% de hora, por ser domingo, também foi oferecido café da manhã e almoço. 

. A despesa para os cerca de 150 funcionários teria ficado por conta das empreiteiras responsáveis pelo empreendimento, a Andrade Gutierrez, a Carioca e a OAS. Procurados pela reportagem, os representantes das empresas não foram localizados. Nenhum dos funcionários quis se identificar. 

CLIQUE AQUI para examinar outra reportagem constrangedora para Dilma, que foi a inauguração de obras do aeroporto do Galeão, que nem estão prontas. 

Cairolli refuga aliança com Tarso, Ana e Vieira, preferindo ser vice de Sartori, PMDB

A consolidação da candidatura em torno do José Ivo Sartori (PMDB) ganhou mais um aliado de peso para a composição da majoritária, com o lançamento do presidente regional do PSD, José Paulo Dornelles Cairoli, como vice na composição da aliança, durante reunião na tarde deste domingo (01/06), na sede partidária em Porto Alegre. 

. A coligação de Sartori reúne  PSD, PSB, PHS, PT do B, PSL, PSDC PPS e do PMDB.

. O  deputado federal Beto Albuquerque (PSB) já pronunciou algumas palavras, fortalecendo a aliança dos partidos e fazendo menção aos concorrentes. 

- Pode vir Olívio, Lasier, Ana Amélia que nós estamos preparados.

. Na reunião, marcaram presença o presidente do PMDD, Edson Brum, os deputados estaduais Paulo Odone (PPS), Miki Breier (PSB), e os deputados federal Darnlei (PSD), além da Ibsen Pinheiro (PMDB), José Fogaça (PMDB), Luiz Roberto Ponte (PMDB) entre outros pré-candidatos dos partidos presentes.

Veja denúncia a farsa dos movimentos sociais

O editorial a seguir é da revista Veja desta semana. O editor há três décadas vem denunciando o que acontecia e acontece no RS, onde os governos do PT sempre adotaram a prática de "criar dificuldades para vender facilidades", ao mesmo tempo em que executou e executa um movimento de penetração em repartições, sindicatos, universidades, ONGs, tudo para dominar o corpo do governo e a cabeça da sociedade, visando implementar a ideologia reducionista do comunismo. Leia:

Une os governos de Lula e Dilma Rousseff o apoio ao que seus ideólogos chamam de “movimentos sociais”, que nada mais são do que grupos organizados para servir de massa de manobra aos interesses políticos radicais. O encarregado de organizar e manter vivos esses grupos é Gilberto Carvalho, que, de sua sala no Palácio do Planalto, atua como um ministro para o caos social. Essa pasta, de uma forma ou de outra, existe em todos os governos populistas da América Latina e se ocupa da cínica estratégia de formar ou adotar grupos com interesses que não podem ser contemplados dentro da ordem institucional, pois implicam o desrespeito às leis e aos direitos constitucionais.

Ora são movimentos de índios que reivindicam reservas em áreas de agronegócio altamente produtivas e até cidades inteiras em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, ora são pessoas brancas como a neve que se declaram descendentes de escravos africanos e querem ocupar à força propriedades alheias sob o argumento improvável de que seus antepassados viveram ali. A estratégia de incitar esses grupos à baderna e, depois, se vender à sociedade como sendo os únicos capazes de conter as revoltas é a adaptação moderna do velho truque cartorial de criar dificuldades para vender facilidades.

Brasília assistiu, na semana passada, a uma dessas operações. Alguns índios decidiram impedir que as pessoas pudessem ver a taça da Copa do Mundo, exposta no estádio Mané Garrincha. A polícia tentou reprimir o ato, e um dos silvícolas feriu um policial com uma flechada.

(...)

Há três meses, o MST, o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra, mandou seus militantes profissionais atacar o Planalto. Gilberto Carvalho foi até a rua, onde, depois de uma rápida conversa, se combinou que Dilma receberia os manifestantes. “O MST contesta o governo, e isso é da democracia”, explicou Carvalho, o pacificador, que, com um dedo de prosa, dissolveu o cerco feroz. O MST é um movimento arcaico, com uma pauta de reforma agrária do século passado em um Brasil com quase 90% de urbanização e 80% da produção dos alimentos consumidos pelos brasileiros vinda da agricultura familiar.Por obsoleto, já deveria ter desaparecido. Mas Carvalho não permite que isso ocorra. O MST faz parte do exército de reserva e precisa estar pronto se convocado. Foi o que se deu na semana passada, quando João Pedro Stedile, um dos fundadores do movimento, obediente ao chamado do momento, atirou: “Só espero que não ganhe o Aécio Neves, porque aí seria uma guerra”. É impossível não indagar: contra quem seria essa guerra? A resposta é óbvia: contra a vontade popular e contra a democracia

Artigo, Eliane Cantanhêde - Ao bolso e às urnas

CLIQUE AQUI para ler, também, "O PIB do fracasso", editorial do Estadão de sábado.

MAIS leitura sobre o PIB: "O pibinho, os gringos e a conspiraçao de São Pedro, Rolf Kunz. CLIQUE AQUI


BRASÍLIA - Quem não ouviu deveria ouvir a entrevista do ministro da Fazenda, Guido Mantega, explicando e tentando justificar o pibinho de 0,2% no primeiro trimestre. Num resumo de leigo(a) para leigo: ele ensinou que o crescimento do país foi tão pequeno porque o consumo das famílias foi baixo, por causa da inflação; o nível do crédito caiu, por causa dos juros; e tudo reflete a lenta recuperação dos EUA.
Como sempre, Mantega usou de um certo ar humilde e sincero, apesar de suas previsões nem sempre se confirmarem ao longo desses anos, inclusive, ou sobretudo, as de crescimento. Ele sempre criou a expectativa de índices maiores, para no fim ter de anunciar outros bem modestos. Aliás, o ministro continua sendo bastante otimista, em contraste com essa gente chata, elitista, mal-humorada e oposicionista que insiste em achar que alguma coisa não vai bem na economia. Segundo ele, vem aí a Copa, e o crescimento do segundo trimestre vai ser uma beleza. Tomara! Como naquela velha música, "daqui pra frente, tudo vai ser diferente".

. Só tem um problema: o próprio Mantega reconheceu que a Copa vai aquecer comércio e serviços, mas, com os feriados, a indústria poderá sofrer. Justamente a indústria?

. Deixando a economia para os economistas, vamos para a política. Enquanto Aécio Neves e Eduardo Campos falarem de PIB, juros, inflação e balança comercial, a grande maioria do eleitorado não vai dar bola. O foco está nas bandeiras muito mais apetitosas de Dilma Rousseff: Bolsa Família, Mais Médicos, Pronatec e Minha Casa, Minha Vida. Mas Mantega deu um prato feito para a oposição.

. Ao traduzir do economês que as famílias estão comprando menos, o crédito minguou e nem a Copa sacode a indústria, ele foi camarada com os adversários. Essa linguagem fala ao bolso e às urnas. O eleitor entende.


. Só faltou o ministro admitir como se chegou até inflação e juros tão altos, com investimento e crescimento tão baixos. Não foi só fatalidade...

Eduardo Campos virá quarta ao RS para eventos com PSB e PMDB

O ex-governador Eduardo Campos almoçará quarta-feira com o prefeito de Cachoeirinha e lideranças do PSB no RS. Campos aproveitará a agenda para participar à noite da festa de aniversário do deputado Alceu Moreira, PMDB. 

Eis a visão edulcorada de Dilma sobre o estado atual da economia do Brasil

Em suas recentes reuniões com empresários da indústria, a presidente Dilma Rousseff admitiu que o país vive um "problema seriíssimo de expectativa", que está afetando o crescimento econômico. A informação é da Folha. Leia o que ela disse aos empresários:

- Enquanto esse problema não passar, fica muito difícil o processo. O país e ei governo não são responsáveis pela perda de credibilidade entre investidores internacionais.

- Confiem em uma mudança de clima "quando novembro chegar", após a eleição. Estou fazendo a minha parte, mas nem sempre é fácil lidar com expectativas negativas.

- Nós fizemos o possível e o impossível.  Exemplo é o BNDES, cuja ação é feita para estimular o crescimento os financiamentos com juros subsidiados.

- Podem falar à vontade que é ruim ficar subsidiando PSI [Programa de Sustentação do Investimento], porque vamos subsidiar, sim.

- Na minha época, tinha um filme 'Quando Setembro Vier'. Eu acho que [vai melhorar] quando novembro vier, após a eleição vai mudar a expectativa.

- A avaliação da presidente foi feita na semana em que o IBGE divulgou, na sexta (30), que a produção nacional desacelerou no primeiro trimestre deste ano, registrando crescimento de apenas 0,2%, o que leva o próprio governo a estimar alta do PIB abaixo de 2% em 2014.

 - Diziam que o Brasil ia quebrar, teríamos uma crise monstruosa, a credibilidade do país ia se esvair. O Brasil quebrou?", perguntou aos presentes. Respondeu ela própria que um país que recebe US$ 65 bilhões de investimentos estrangeiros diretos e tem US$ 378 bilhões de reservas, "a quinta maior do mundo", "não é frágil".

- Falam que a inflação do governo da presidente Dilma está quase descontrolada. Então, vamos ver os números. Nos três primeiros anos do FHC estava acima de 12%. Nos três primeiros anos do Lula, quando a situação era dificílima, chegamos a 7,52%. Nos meus três anos está em 6,08%. Não há hipótese nenhuma de sair de controle."

Jornalistas de Zero Hora são majoritariamente maragatos

No seu artigo deste domingo no jornal Zero Hora, Moisés Mendes informa que oito de cada dez jornalistas do diário são maragatos.

. Apenas dois são castilhistas.


. No golpe militar de 64, Zero Hora, quando ainda se chamava Última Hora, era castilhista, mas dois meses depois virou borgista e mudou seu nome para Zero Hora. 

Saiba como Black Blocs firma acordo com PCC para perturbar a Copa

Na edição deste domingo do Estadão, o repórter Lourival Sant'Anna revela que os black blocs que executaram as ações de grande repercussão do ano passado continuam fora do radar da polícia, e prometem transformar a Copa do Mundo “num caos”. 

. Leia:

Para isso, alguns deles esperam que o Primeiro Comando da Capital (PCC), a organização que domina os presídios paulistas e emite ordens para criminosos soltos, também entre em campo. Não se trata de uma parceria, mas de uma soma de esforços.

Com o compromisso de não identificá-los, o Estado ouviu 16 desses black blocs, em seis encontros, na última semana. À diferença dos adolescentes que os imitaram em depredações, e que acabaram arrolados em um inquérito do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), eles são adultos, seguem tática desenvolvida há décadas na Europa e nos Estados Unidos, não têm página no Facebook nem querem aparecer.

CLIQUE AQUI para saber mais.

COMPRE LIVROS DO EDITOR
Tudo em formato digital e-book e leia neste final de semana
Metade do preço de livraria
"Cabo de Guerra"
"A Casa Civil"
"Herança Maldita - Os 16 anos do PT em Porto Alegre"
www.albuka.com.br

Centro de Controle de R$ 40 milhões será inaugurado amanhã em Portyo Alegre

Será inaugurado nesta segunda-feira o Centro Integrado de Comando e Controle Regional. Ele operará na rua Voluntários da Pátria, Porto Alegre.

. O investimento no comando foi de R$ 40 milhões, dinheiro do ministério da Justiça.

. Na Copa, o CICCS, interligado com brasília e demais cidades-sedes dos jogos, reunirá 30 órgãos públicos de várias áreas federal, estadual  e municipal.

. Câmaras espalhadas pela cidade estarão plugadas nos telões.

Vannazi busca líderes do PP, PDT e PMDB do RS para abrir dissidências em favor de Dilma

O presidente estadual do PT, Ary Vannazi, anunciou que trabalha para montar uma coordenação suprapartidária para apoiar Dilma no RS.

. Ele conversa com PMDB, PP e PDT.

. Sua idéia é reunir líderes como Eliseu Padilha, PMDB, para trabalharem eleitores que estão rachados em relação à sucessão presidencial.

Dilma fala como ex-dona de lojinha de R$ 1,99: "Os tucanos vão pro beleléu"

Usando a linguagem que costumava empregar quando era dona da loja de R$ 1,99 em Porto Alegre, a presidente Dilma Roussef discursou em Belo Horizonte no lançamento da campanha a governador do seu ex-minsitro Fernando Pimentel:

- Os tucanos vão pro beleléu.

-  Fernando Pimentel, com 17 anos, veio de Belo Horizonte a Porto Alegre, onde se integrou à organização terrorista VAR Palmares, a mesma de Dilma, para sequestrar e assassinar o então cônsul dos EUA, Curtis Cutter. A ação fracassou, mas o cônsul foi atingido com um tiro. O ex-ministro está envolvido em denúncias variadas de corrupção em Minas. 

Copa deve manter em baixa produção das indústrias

O jornal Folha de S. Paulo deste domingo informa que o destaque negativo no PIB, com queda de 0,8% no primeiro trimestre deste ano ante o último trimestre de 2013, a indústria deve voltar a sofrer no segundo trimestre com os reflexos da Copa. O mundial tem ao menos dois efeitos negativos, segundo a indústria. De um lado, feriados e paralisações reduzem a produção. De outro, as famílias desviam sua renda para consumir outros itens. Leia tudo:

A indústria puxou para baixo o crescimento do PIB, que avançou 0,2% no primeiro trimestre ante os três últimos meses de 2013. O ramo da transformação, o de maior peso dentro da indústria, caiu também 0,8% na mesma base de comparação.
O destaque negativo foi para máquinas e aparelhos elétricos, veículos automotores, produtos de metal e mobiliário, bens de mais alto valor, dependentes de crédito.
No polo moveleiro de Bento Gonçalves (RS), algumas empresas já decidiram adotar férias coletivas durante o período dos jogos, segundo Henrique Tecchio, presidente do Sindmóveis.
Os eletroeletrônicos passam por momento delicado, segundo Humberto Barbato, presidente da Abinee (associação do setor elétrico e eletrônico). O crescimento baseou-se na linha de produção de televisores vendidos para a Copa, demanda que terá sido suprida até o mundial.
"Estamos revendo as previsões porque o primeiro quadrimestre teve desempenho aquém do esperado. A alta da Selic reduziu a demanda e isso tem um reflexo importante nas fábricas", diz Barbato.

CLIQUE AQUI para saber mais. 

Saiba quem é Carlos Klafke, o novo secretário de Segurança do prefeito petista Jairo Jorge, Canoas.

Carlos Adriano Klafke dos Santos, tenente-coronel da Brigada, é o novo secretário municipal de Segurança Pública de Canoas, o mais importante município governado pelo PT do RS. O prefeito Jairo Jorge fez o anúncio nesta sexta-feiras. Ele é pouco conhecido na Brigada Militar, pois é um oficial que costuma trabalhar cedido ao Ministério Público e Governo Federal (PT), como se pode observar no Portal da Transparência do Planalto, através de uma simples verificação. Ou seja, sempre servindo aos governos petistas.  

. Ele já trabalhou com a prefeitura de Canoas do PT, sempre acionado por Alberto Kopttike, que foi secretário de segurança municipal durante o governo Yeda, coincidentemente quando "puxou" Klafke para ser o Chefe de Inteligência de Canoas. Kopttike é hoje vereador do PT em Porto Alegre, depois de ter sido rifado por Tarso, que não o quis como seu secretásrio da Segurança. Klafke  fez diversas "operações conjuntas" com o promotor Amilcar Macedo naquela época, sem participação da Polícia Civil, demonstrando estar trabalhando para o PT (administração municipal). No final do governo Yeda, foi esse oficial quem conduziu as investigações contra o sargento Rodrigues, em "parceria" com Amilcar Macedo, que fez inúmeras trapalhadas e sentou em cima da investigação, limitando-se a jogar insinuações contra a então governadora.

. Carlos Klafke foi o mentor dessa investigação e acabou sendo premiado quando Tarso se elegeu, pois passou a atuar adido ao governo federal, como se observa na sua movimentação junto ao Portal da Transparência. Em resumo, desde que Tarso foi eleito, Klafke nunca mais usou farda, trabalhando somente na SENASP, Secretaria de Nacional de Segurança Pública.

. Essa foi a forma de tirá-lo do ar, de certa forma premiando-o pelos "brilhantes serviços prestados" ao PT.

´- O sargento Rodrigues, investigado, preso e processado a partir das ações midiáticas de Klafke e do promotor Macedo, tudo para incriminar Yeda num esquema de espionagem de adversários, acabou inocentado dentro da Brigada e em todas as ações judiciais intentadas pelo Ministério Público de Canoas. Ele já ajuizou ação milionária para exigir indenização do Estado.