Assembléia aprova novo trenzinho da alegria de R$ 85 milhões por ano que próximo governo pagará

Este novo trenzinho da alegria enviado pelo governador Tarso Genro, foi aprovado por aplastante maioria na Assembléia Legislativa do RS. Quase todo ele produzirá efeitos devastadores sobre as finanças públicas a partir do ano que vem, quando novo governador estará comandando o Piratini.

. São benefícios salariais enormes, concedidos pelo governo que tenta se reeleger, em vésperas das eleições.

. É tudo extremamente abusivo.

. O governo não indicou de que  rubrica orçamentária sairá o novo dinheiro, mas é certo que o povo do RS terá que pagar a conta a partir do ano que vem. 

. O editor conversou com deputados do governo e da oposição, constatando que ninguém quis resistir à enorme pressão de dezenas de servidores que se aboletaram nas galerias para conseguir novas vantagens.

. Se não for reeleito, não será Tarso Genro o pagador da bagatela de mais R$ 85 milhões anuais que incharão a Folha de Pessoal de um Estado que foi novamente quebrado por um governo do PT, como Olívio Dutra já tinha feito antes.

. O mais surpreendente é que a oposição tenha embarcado nessa canoa furada.

. Foram 10 projetos  que "reestruturam" , "instituem" ou "alteram" carreiras", o que no jargão do serviço público significam novos ganhos salariais para os servidores e encargos multiplicados para os contribuintes gaúchos, nunca contemplados por benefícios sequer parecidos nas suas próprias atividades.

Nos números para examinar os textos completos de cada um dos 10 projetos aprovados pela Assembléia: PL 24/2014 - PL 26/2014 - PL 27/2014 - PL 28/2014 - PL 29/2014 - PL 30/2014 - PL 31/0214 - PL 36/2014 - PL 38/2014.

CLIQUE na imagem a seguir para examinar o comentário do editor, intitulado: Entenda por que a renúncia fiscal sobre valores já existentes é uma roubada do governador Tarso Genro

Artigo, Luis Carlos Yllana Kopschina - Dilma colhe o que plantou

Engana-se quem acredita que o rebaixamento da nota de crédito soberano do Brasil ocorreu somente ontem. Em junho do ano passado a S&P mudou para perspectiva negativa a nota do Brasil. Ou seja, a sinalização era clara de que a política econômica estava com muitos sinais de inconsistência, especialmente na área fiscal.A festa fiscal com o bypass no orçamento, em função dos aportes do Tesouro para o BNDES já ultrapassou a marca de R$ 415 bilhões (dado de janeiro) e representa mais de 10% do PIB! A contabilidade criativa para fechar o superávit primário abusou de receitas extras e de dividendos de empresas estatais.O anúncio da meta de superávit primário de 1,9% do PIB para 2014, com o contingenciamento de R$ 44 bilhões do Orçamento não agradou, pois o maior corte foi feito sobre despesas discricionárias (R$ 30,5 bilhões) e o restante (R$ 13,5 bilhões) supondo uma redução das despesas obrigatórias com projeções pouco críveis.O governo Dilma acha que tudo pode fazer em termos de política fiscal sem afetar as contas públicas e a sua credibilidade. Não pode. O represamento do preço dos combustíveis, a baixa forçada do preço da energia elétrica, com mais medidas criativas para transferir a conta para depois das eleições, também aponta na direção errada.A falta de reformas pró-mercado, com regras claras, estáveis e eficientes não está na pauta e o setor industrial vem perdendo posições, tanto no mercado interno, quanto no mercado externo. Isso já coloca uma luz amarela sobre o setor externo. Só o governo não enxerga que falatórios e promessas não são mais aceitos e que o atual estágio da economia com baixo crescimento, inflação pressionada e expansão dos gastos públicos não pode permanecer. É preciso corrigir este modelo, pois não há mais espaço para crescer somente baseado nos estímulos ao consumo, devido à expansão de salários e do crédito, ou seja, pelo lado da demanda e do mercado de trabalho.O investimento precisa ocupar o papel de principal motor de crescimento. Temos que retomar as reformas institucionais abandonadas. Um estadista tem que saber enfrentar as difíceis questões que se colocam no seu caminho. Não estamos ou vamos “quebrar”.Com este mix de política, colheremos os resultados que já temos, ou seja, baixo crescimento, inflação elevada e aumento da dívida pública. O país merece mais que isto.

Luis Carlos Yllana Kopschina
Assessor econômico da ACI-NH/CB/EV”


Derrubada do veto ao projeto dos R$ 1,3 bi da CEEE mostra nova configuração da oposição na Assembléia do RS

No caso do veto 156/2013, a oposição conseguiu ampliar seus votos. Eis do que trata o veto:
Projeto de Lei n° 156/13, de iniciativa da Deputada Maria Helena Sartori, e mais três deputados, que introduz alterações na Lei n° 8.820 de 27 de janeiro de 1989, e alterações, que  institui o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação e dá outras providências.

A votação de ontem que melhor desenhou a nova configuração de forças na Assembléia do RS foi a decisão da maioria de impor contingenciamento ao uso dos R$ 1,3 bilhões que o governador Tarso Genro tungou dos cofres da CEEE para enfiar no Caixa Único. O governo vetou a emenda do deputado Lucas Redecker, PSDB, que impõe vinculação do dinheiro a uma conta destinada exclusivamente ao pagameno dos 1.400 funcionários da CEEE que tiveram sua Folha transferida para o Tesouro.

. Foram 28 pela derrubada do veto, número mínimo necessário.

. O governo fez 21 votos.

. A oposição contou com a totalidade dos votos do PMDB,PP, PSDB, PPS, DEM e Solidariedade, mais dois votos do PDT e um do PTB.

. O PDT, mais uma vez, ainda não conseguiu abandonar o barco petista na Assembléia, mas é possível imaginar que mais deputados trabalhistas votarão com a oposição daqui para a frente, consolidando sólida maioria oposicionista.

VP 350/2013 - REJEITADO
Ementa: Encaminha Veto Parcial ao Projeto de Lei n° 350/2013, de iniciativa do poder Executivo, que autoriza a transferência para o Poder Executivo do Estado do Rio Grande do Sul, mediante ressarcimento, de obrigações relativas aos proventos dos servidores ex-autárquicos, vinculados à Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia Elétrica – CEEE-GT – e à Companhia Estadual de Distribuição de Energia.

Votação SIM – 21 votos
PT – Adão Vilaverde, Aldacir Oliboni, Daniel Bordignon, Edegar Pretto, Jeferson Fernandes, Luiz Fernando Mainardi, Marisa Formolo, Miriam Marroni, Nelsinho Metalúrgico, Raul Pont, Valdeci Oliveira; PDT – Ciro Simoni, Dr. Basegio, Gerson Burmann, Marlon Santos; PTB - Aloísio Classmann, José Sperotto, Luis Augusto Lara, Ronaldo Santini; PC do B – Raul Carrion; PRB – Carlos Gomes.

Votação NÃO – 28 votos
PMDB – Alexandre Postal, Álbaro Boesio, Gilberto Capoani, Giovani Feltes, Márcio Biolchi, Maria Helena Sartori, Nelson Harter; PP – Adolfo Brito, Ernani Polo, Frederico Antunes, João Fischer, Mano Changes, Pedro Westphalen, Silvana Covatti; PDT – Juliana Brizola, Vinícius Ribeiro; PTB – Marcelo Moraes; PSDB - Adilson Troca, Elisabete Felice, Jorge Pozzobom, Lucas Redecker, Pedro Pereira, Zilá Breitenbach;  PSB – Catarina Paladini, Miki Breier; PPS – Paulo Odone; DEM – Paulo Borges; SDD – Cassiá Carpes.

Por um voto de diferença foi mantido o veto à emenda que ampliava pra todo o Estado o Passe Livre Estudantil. Entenda como foi a votação.

Neste caso do veto à ampliação do Passe Livre Estudantil para todo o Estado, o governador Tarso Genro conseguiu manter sua recusa por um voto, porque a oposição precisava de 28 deputados e só conseguiu 27.
. Como sempre, PT, PCdoB e PRB votaram caninamente juntos.
. Na oposição não houve defecções, mas nem todos compareceram. O deputado Edson Brum, presidente do PMDB, que viajava de Rio Pardo para Porto Alegre, não conseguiu chegar a tempo.
. PSB e PDT, que desembarcaram do governo, foram divididos para a votação. Mais do que o PSB, o PDT demonstra enorme dificuldade para abandonar o barco governista.

VP 309/2013 - ACEITO
Ementa: Encaminha Veto Parcial ao Projeto de Lei n° 309/2013, de iniciativa do Poder Executivo, que introduz modificações na Lei n° 14.307, de 25 de setembro de 2013, que institui o programa Passe Livre Estudantil e cria o Fundo Estadual do Passe Livre Estudantil.

Votação: SIM – 22 votos
PT – Adão Vilaverde, Aldacir Oliboni, Daniel Bordignon, Edegar Pretto, Jeferson Fernandes, Luiz Fernando Mainardi, Marisa Formolo, Miriam Marroni, Nelsinho Metalúrgico, Raul Pont, Valdeci Oliveira; PDT – Ciro Simoni, Dr. Basegio, Gerson Brumann, Marlon Santos, Vinícius Ribeiro; PTB – Aloísio Classmann, José Sperotto, Luis Augusto Lara, Ronaldo Santini; PC do B – Raul Carrion; PRB – Carlos Gomes.

Votação: NÃO – 27 votos
PMDB – Alexandre Postal, Álbaro Boesio, Gilberto Capoani, Giovani Feltes, Márcio Biolchi, Maria Helena Sartori, Nelson Harter;  PP – Adolfo Brito, Ernani Polo, Frederico Antunes, João Fischer, Mano Changes, Pedro Westphalen, Silvana Covatti; PDT – Juliana Brizola, Marcelo Moraes; PSDB - Adilson Troca, Elisabete Felice, Jorge Pozzobom, Lucas Redecker, Pedro Pereira, Zilá Breitenbach;  PSB – Catarina Paladini, Miki Breier; PPS – Paulo Odone; DEM – Paulo Borges; SDD – Cassiá Carpes.

Tarso Genro teve ajuda maciça do PP para aprovar projeto de renúncias fiscais para a Copa

O projeto enviado por Tarso Genro, que o tratou quase como um filho enjeitado, foi aprovado por 31 votos a favor e 19 contra.

. O próprio PT votou envergonhado, porque desde que tem deputados moveu campanhas terríveis contra os governos que propuseram renúncias fiscais, considerando o mecanismo um verdadeiro roubo do dinheiro do povo pobre.

. Na sessão de ontem, teve que engolir tudo que disse até hoje.

. A oposição dividiu-se na votação, já que a bancada do PP votou em peso com o PT, PCdoB, DEM, PRB, PTB e PDT. O PP alegou que a base do governo admitiu emenda de sua autoria, propondo ampla transparência nas aplicações dos R$ 25 milhões que serão amealhados através das renúncias fiscais.

. PSDB, PMDB, PPS votaram em peso contra o projeto do governo. A única defecção foi o deputado Alexandre Postal, PMDB.

PL 17/2014 - APROVADO
Ementa: Institui o Programa de Apoio à realização de Grandes Eventos Esportivos no estado do Rio Grande do Sul

Votação: SIM  - 31 votos
PT – Adão Vilaverde, Aldacir Oliboni, Altemir Tortelli, Ana Affonso, Daniel Bordignon, Edegar Pretto, Jeferson Fernandes, Luiz Fernando Mainardi, Marisa Formolo, Miriam Marroni, Nelsinho Metalúrgico, Raul Pont, Valdeci Oliveira; PMDB – Alexandre Postal; PP – Adolfo Brito, Ernani Polo, Frederico Antunes, Mano Changes, Pedro Westphalen, Silvana Covatti; PDT – Ciro Simoni, Dr. Basegio, Gerson Brumann, Juliana Brizola; PTB - Aloísio Classmann, José Sperotto, Luis Augusto Lara, Ronaldo Santini; DEM – Paulo Borges; PC do B – Raul Carrion; PRB – Carlos Gomes.
Votação: NÃO – 19 votos
PMDB – Álbaro Boesio, Edson Brum, Gilberto Capoani, Giovani Feltes, Márcio Biolchi, Maria Helena Sartori, Nelson Harter; PDT – Vinícius Ribeiro; PTB – Marcelo Moraes; PSDB – Adilson Troca, Elisabete Felice, Jorge Pozzobom, Lucas Redecker, Pedro Pereira, Zilá Breitenbach;  PSB – Catarina Paladini, Miki Breier; PPS – Paulo Odone; SDD – Cassiá Carpes.


Leia, aqui, todos os documentos da Petrobrás sobre a negociata de Pasadena

CLIQUE AQUI para conhecer os documentos oficiais da Petrobrás sobre a negociata da refinaria Pasadena, Texas.

. Vale a pena clicar, ler, examinar e copiar.

Pedro Parente falará dia 3 para ADVB de Porto Alegre

O presidente da Bunge, Pedro Parente, ex-chefe da Casa Civil de FHC e ex-RBS, agora se afastando da própria Bunge, vai debater A Eficiência e a Competitividade da Atividade Exportadora no Brasil em 3 de abril (quinta-feira),  durante almoço que vai reunir as mais importantes lideranças do setor no Hotel Sheraton Porto Alegre. Logo após, participa de talk show ao lado do presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil – AEB, José Augusto de Castro. 

. Na ocasião, será lançado  a  42ª edição do Prêmio Exportação RS, iniciativa da ADVB. 

Tarso abre o jogo na Assembléia e diz como quer conduzir o RS ao "paraíso" comunista proposto por Lênin

Muito mais rica de esclarecimentos do que a proposta orçamentária para 2014, é a mensagem que o governador Tarso Genro assina no cartapácio de 175 páginas que o Piratini protocolou na Assembléia do RS, porque ele revela o altíssimo grau de delírio ideológico alcançado pelo PT do RS.

. Neoleninista de carteirinha, autor do livreto “Lênin, corações e mentes”, o governador nunca renunciou ao abraço de urso ideológico que fez quando ainda era jovem e inscreveu-se  no Partido Comunista Brasileiro Revolucionário, em Santa Maria. Ele até se adaptou e trabalhou sob a ordem institucional “burguesa” nos últimos anos, mas nunca esqueceu e nem desistiu do que queria.

. Logo na página 17, avisa a mensagem em tom solene, irreal e delirante:

- O novo papel do Estado ou avançará no sentido de iniciar uma transição ao socialismo ou ficará restrito a uma reforma do capitalismo que fortaleça a autonomia de suas burguesias nacionais e promova sua ascensão â situação de competidoras no cenário mundial, a partir da consolidação, com o apoio dos seus governos, da condição de “campeões” empresariais regionais.

. Tarso Genro sabe mais do que qualquer outro cidadão que é impossível implantar uma Comuna de Paris no RS, mas muito menos sustentá-la. Não se implanta o comunismo em unidades federadas separadamente.

. A proposta dos “campeões” regionais, neste caso um empreendimento reformista de caráter “modernizador” e “nacionalista” no quadro do capitalismo, nem sequer resiste ao fracasso que foi a política de “campeões nacionais” patrocinada pelo governo Lula através do BNDES.

. O governo estadual não conta sequer com seu próprio BNDES, porque o Badesul não tem dinheiro para emprestar ou investir em nada desde setembro do ano passado.

. Na esclarecedora mensagem, Tarso Genro diz-se admirador e seguidor do atual modelo ideológico, portanto político e econômico, bolivariano, que só se mantém na Venezuela, seu berço, porque usa força bruta desmedida para oprimir o povo e suprimir as liberdades individuais e públicas.

. Leia o que escreve o governador na página 15:

- Esse movimento (de mudanças e avanços) é decorrente de um processo de mudanças políticas iniciado no começo do século XXI, apenas comparável em abrangência geográfica, sincronia temporal e efeito transformador com o de independência, 200 anos antes. Seu ponto de partida foi a eleição de Hugo Chavez (....) A perseguiãop dessss objetivos veio sendo liderada, em um primeiro momento, de maneira paralela, por iniciativas do Brasil e Venezuela, como a criação da Alba. 

CLIQUE AQUI para examinar todas as 175 páginas da mensagem e da proposta orçamentária de 2014, ainda em exame na Assembléia do RS. 

Presidenciável Magno Malta, PR, falará amanhã em Porto Alegre

O senador e pré-candidato a presidência pelo Partido da República (PR/22), Magno Malta, estará em Porto Alegre, amanhã. Ele será um dos palestrantes do I Encontro de Legislativos Municipais, que começa nesta quarta-feira e segue até sexta-feira, no auditório Associação dos Agentes Fiscais da Receita Municipal de Porto Alegre (AIAMU), rua dos Andradas, 1234, 8º andar.


Servidores municipais da saúde estão em greve desde o início da manhã

Em estado de greve, os trabalhadores do Hospital de Pronto Socorro (HPS), do Hospital Materno Infantil Presidente Vargas (HMIPV) e dos pronto atendimentos (Cruzeiro do Sul, Bom Jesus e Lomba do Pinheiro) iniciaram, às 8 horas dessa quarta-feira, nova paralisação simultânea, pelo período de 48 horas, com término às 8h do dia 28.

. Os trabalhadores reivindicam uma legislação municipal que regulamente o índice de insalubridade de 40% para todos os servidores da saúde; a jornada mensal máxima de 12 plantões; a adequação do número de trabalhadores às necessidades do serviço, com a nomeação dos aprovados no concurso e a criação de cargos; e as condições de trabalho na saúde. O SIMPA e os integrantes da Comissão de Mobilização participaram de reuniões com o governo municipal, mas nenhuma sinalização de avanço nas reivindicações da categoria foi apresentada.

Pressionado pelo governador do PT, juiz pede afastamento do caso dos mensaleiros do PT

Investigado pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal por instigação do governador do PT, que defende seus companheiros da organização criminosa do Mensalão, todos presos em presídios sob sua administração, o juiz Bruno Ribeiro disse que ficará afastado desse caso pelo menos até que seja concluída apuração sobre suposta infração disciplinar dele.

. O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), conseguiu provocar a abertura de um processo de investigação contra o juiz da Vara de Execuções Penais (VEP) Bruno Silva Ribeiro, um dos responsáveis pela execução das penas dos réus do mensalão em Brasília. A partir de um ofício encaminhado pelo petista ao presidente do Tribunal de Justiça (TJ) do DF, desembargador Dácio Vieira, a Corregedoria do TJ instaurou um processo administrativo e deu um prazo de cinco dias para que o juiz explique por que cobrou explicações do governador a respeito das supostas regalias concedidas aos réus do mensalão.
O magistrado investiga o tratamento privilegiado dispensado a esses réus pela administração penitenciária do DF. A ofensiva de Agnelo junto ao presidente do TJ está atrasando uma decisão da Justiça sobre o pedido do Ministério Público (MP) do DF para que os réus do mensalão sejam transferidos a um presídio federal.

Começou a revolução dos maconheiros na Universidade Federal de Santa Catarina

Encharcados de drogas, os estudantes da Universidade Federal de Santa Catarina atacam a Polícia Federal e a Polícia Civil. 



Ao analisar a revolução dos maconheiros na Universidade Federal de Santa Catarina, o jornalista Reinaldo Azevedo escreve hoje no seu blog do site www.polibiobraga.com.br o seguinte texto:

Dizer o quê? A Polícia Federal foi acionada para averiguar um possível caso de tráfico e consumo de drogas no campus da Universidade Federal de Santa Catarina. Cinco pessoas foram presas em flagrante. Estudantes e professores cercaram os policiais para impedir que a polícia fizesse o seu trabalho e cumprisse a lei, o que também é crime. Os federais pediram reforços, e chegou a tropa de choque da PM. Houve confronto. Um carro da PF e outro da Guarda Universitária foram virados pelos vândalos das baganas.
Achando que ainda era pouco, eles se dirigiram à Reitoria para exigir da direção da universidade que a polícia não entre mais no campus. É a velha história: a autonomia universitária, no Brasil, é confundida com território livre, sem lei. Esses ditos “estudantes” — eu os considero apenas bandidos disfarçados de universitários — transformam o que é público em domínio privado.
A lei antidrogas, a 11.343 está em vigência. Vale fora e dentro da universidade. O simples consumo de qualquer droga não condena ninguém à cadeia, mas cabe ao juiz decidir, já que mesmo o porte continua, sim, a ser crime — punido nem que seja com uma admoestação verbal. Houve feridos na ação: quatro. Eram todos policiais. Coisa parecida já aconteceu na USP, vocês devem se lembrar.
De toda sorte, consomem-se drogas mais pesadas na Universidade Federal de Santa Catarina. Que eu saiba, é a única do país que conta com um núcleo bolivariano: o “Jornadas Bolivarianas”, que tem o “Instituto de Estudos Latino-Americanos”. No mês que vem, eles vão até fazer um seminário.

Convenham: até que a maconha, nesse contexto, é inofensiva, né? Já o bolivarianismo, não. Este mata mesmo, como prova a Venezuela.

Saiba quais são os bancos que a Standard & Poor's colocou na linha de risco

Além do Brasil, do governo do Brasil, a agência de classificação de riscos Standard & Poor’s rebaixou os ratings do Bradesco, Banco do Brasil, Itaú BBA, Itaú Unibanco Holding, Citibank, HSBC Bank Brasil, Santander Brasil, Banco do Nordeste do Brasil, Sul América Companhia Nacional de Seguros e Allianz Global Corporate & Specialty Resseguros Brasil.

. A S&P também rebaixou para BBB- a nota em moeda estrangeira da Caixa Econômica Federal e do BNDES. Em moeda local, as notas da Caixa e do BNDES foram cortadas para BBB+, de A-. O rating da Sul América, em moeda local e estrangeira, foi rebaixado para BB, de BB+.

. Entre as instituições com o rating em observação negativa estão o BNP Paribas, BES Investimentos do Brasil, BM&FBovespa, Safra, Votorantim, Banco Pan, Daycoval, Pine e BTG Pactual.


Tarso critica a si mesmo no caso das renúncias fiscais: "Fazer a Copa nestas condições foi uma roubada".

Depóis de ter concedido renúncias fiscais que já somam R$ 100 milhões, a última das quais foi aprovada ontem pela Assembléia do RS, o governador Tarso Genro surpreende o distinto público gaúcho com esta afirmação destemperada:
- Fazer a Copa nestas condições foi uma roubada.

. A roubada, no caso, foi feita com sua direta participação.

- O governador gaúcho parece ter perdido definitivamente o eixo, pretendendo exercer ao mesmo tempo papel de situação e oposição.

CLIQUE AQUI para ler a notícia. É do site www.zerohora.com.br de hoje

Maiojama atrasará entrega do seu Trend Nova Carlos Gomes

A Maiojama informou esta semana aos seus clientes que não entregará no prazo as torres Corporate, Offices e Residence do seu conjunto Trend Nova Carlos Gomes, Porto Alegre.

. O compromisso da construtora era começar as entregas no ano que vem, mas isto só acontecerá a partir de abril de 2016. As vendas ocorreram em 2012. Tudo foi vendido em menos de 30 dias. 

. A Maiojama alega que teve obras embargadas durante boa parte (8 meses) de 2013.

CLIQUE AQUI para examinar vídeo sobre o empreendimento
CLIQUE AQUI para acompanhar os serviços na área.

Senado já tem assinaturas suficientes para CPI. Ana e Simon assinaram ontem o pedido. Dilma poderá ser convocada a depor.

Ao final desta terça, a oposição já tinha as 27 assinaturas de senadores necessárias para instalar a comissão mista, com trabalho conjunto entre Senado e Câmara. Ainda hoje a oposição espera conseguir as 171 assinaturas de deputados federais. Com as duas quotas fechadas, a CPI virará Comissão Parlamentar Mista de Investigações. Leia a nota sobre o assunto, a seguir. O texto é do Estadão.

. Além dos 11 senadores do PSDB, os quatro do PSB, quatro do DEM, um do SDD e um do PSOL, só foi possível obter o número mínimo após a adesão de senadores da base, como Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), Pedro Simon (PMDB-RS), Pedro Taques (PDT-MT), Ana Amélia (PP-RS), Cristovam Buarque (PDT-DF) e Sérgio Petecão (PSD-AC).

. O que mais pesou foi o interesse dos dois principais candidatos de oposição em desestabilizar a presidente Dilma Rousseff a poucos meses do início da campanha eleitoral. Aécio, após se reunir à tarde com lideranças da oposição na Câmara e no Senado deixou claro esse interesse, ao mencionar a possibilidade de a própria Dilma comparecer para depor. "Queremos trazer o senhor (Nestor) Cerveró, o diretor Paulo Roberto (Costa), o ex-presidente da empresa (José Sérgio Gabrielli) e até a própria presidente da República, se achar necessário, que venha aqui também prestar esclarecimentos. É o que queremos". Também falou sobre a importância do PSB no processo: "A colaboração do PSB para alcançar a adesão necessária é indispensável". De São Paulo, onde participou de um evento, Campos orientou parlamentares do PSB que deveriam assinar qualquer proposta: CPI, CPMI, requerimento, tudo o que fosse possível para desgastar a imagem de "boa gerente" de Dilma. Ligou para o senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) e disse que havia se convencido da necessidade de aderir ao movimento dada "a gravidade da situação".

. Com as 27 assinaturas do Senado asseguradas, o objetivo nesta quarta é conseguir fechar as 171 assinaturas mínimas de deputados necessárias para que o requerimento seja apresentado. A tarefa de coleta na Câmara cabe a quatro partidos: PPS, PSDB, DEM e PSB. Até o fechamento desta edição, faltavam aproximadamente 50 deputados para completar o número obrigatório e muitos oposicionistas sequer haviam assinado.

. A expectativa é de que o número será obtido e também com a ajuda da base aliada.



Ana Amélia está mais próxima de Aécio no RS

. Ana Amélia caminha para fechar com o PSDB e dar palanque a Aécio no Rio Grande do Sul. 

Badesul está sem dinheiro

Desde novembro o Badesul está sem dinheiro para emprestar.

BRDE aumentou capital em R$ 600 milhões mas Paraná não consegue subscrever sua parte de R$ 200 milhões

Sem muita divulgação, o BRDE aumentou seu capital em R$ 600 milhões. Como o banco é controlado pelos três Estados do Sul, coube R$ 200 milhões para cada um.

. RS e Santa Catarina já aportaram os recursos para a capitalização, mas o governo do Paraná alega não ter dinheiro para a subscrição, prometendo fazer isto quando receber o empréstimo de R$ 817 milhões que pediu ao BB no âmbito do programa Proinveste. Acontece que a secretaria do Tesouro Nacional (leia-se Arno Augustin) tranca todos os empréstimos e avais pedidos pelo governo Beto Richa. O caso do Proinveste é um pouco diferente, porque o STF acaba de acolher recurso de Beto Richa, mandando a secretaria do Tesouro conceder o empréstimo, que já foi liberado para todos os outros Estados. 

Senado tenta, hoje, votar, de novo, proposta que muda o indexador das dívidas dos Estados com a União

O RS é o que possui a pior relação de dívida com a União. Nos últimos meses, o governador Tarso Genro tentou assumir a liderança de governadores e prefeitos que lutam pela aprovação da proposta, mas tem sido atropelado por Dilma, que não quer piorar a situação fiscal do País.

Hoje, pela terceira vez em dois meses, há novamente a promessa de que o projeto de renegociação das dívidas dos estados com a União será votado na Comissão de Constituição e Justiça do Senado.


Fundador de Bibi Calçados morre aos 90 anos em Parobé, RS

Moreu ontem a noite em Parobé, RS, o fundador da Calçados Bibi, Albino Eloy Schweitzer. Ele tinha 90 anos de idade. O Corpo está sendo velado no Barracão da Comunidade Evangélica de Parobé e o sepultamento será as 16h30min no Cemitério Evangélico.

. O grupo que ele fundou é um dos maiores do Brasil na área de calçados. 

Comissão Externa da Câmara investigará outro escândalo da Petrobrás, desta vez na Holanda

O gaúcho Onyx Lorenzoni é o único gaúcho da comissão.

A Câmara dos Deputados divulgou nesta terça-feira os nomes dos nove deputados que vão acompanhar investigações de denúncias contra a Petrobras na Holanda.

Os deputados querem informações da investigação feita na Holanda sobre a SBM Offshore, que presta serviços para a indústria petrolífera. Segundo denúncia de um ex-funcionário da companhia, US$ 250 milhões foram pagos de propina, entre 2005 e 2011. Desse total, US$ 139 milhões teriam sido destinados a funcionários da Petrobras.

No fim de 2013, a SBM Offshore, que tem contratos com a companhia brasileira para aluguel de plataformas, admitiu em uma nota a existência de investigação interna para apurar práticas impróprias, cometidas por funcionários.

A Comissão Externa será instalada no dia 2 de abril.

Base governista domina a comissão externa, com cinco membros indicados. A oposição será representada por três parlamentares.

- Maurício Quintella Lessa (PR-AL) – Coordenador
- Luiz Alberto (PT-BA)
- Lucio Vieira Lima (PMDB-RJ)
- Paulo Magalhães (PSD-BA)
- Mário Negromonte (PP-BA)
- Anthony Garotinho (PR-RJ)
- Carlos Sampaio (PSDB-SP)
- Onyx Lorenzoni (DEM-RS)
- Fernando Francischini (SDD-PR)

Primo do ex-presidente da Petrobrás conduziu disputa judicial inútil por Pasadena

O editor já tinha colocado aqui que o gaúcho Renato Bertani, empregado dos quadros da Petrobrás, era o presidente da Petrobrás America quando a estatal comprou a refinaria Pasadena, passando no ano seguinte para a posição de CEO de uma subsidiária do escritório de advocacia que intermediou o negócio, mas o que não se sabia é que seu substituto foi o primo do próprio presidente José Sérgio Gabrielli, José Orlando Azevedo.

. Ele foi nomeado pelo então presidente Sérgio Gabrielli para comandar a Petrobras América. À  frente da companhia entre outubro de 2008 ao final de 2012, ele foi o responsável por conduzir a disputa judicial que garantiu vitória da belga Astra Oil em litígio sobre a compra de Pasadena, numa conta de US$ 820,5 milhões a mais para a estatal brasileira pagar.

. Existem obscuridades sobre o negócio que nem de longe foram investigadas até o momento. 

Oito anos depois, a presidente da Petrobrás investigaPasadena e ameaça: "Não sobrará pedra sobre pedra"

Somente oito anos depois da venda de pai para filho da refinaria Pasadena para a Petrobrás é que a presidente da estatal assume postura pró-ativa e informa que abriu uma comissão para apurar a compra da refinaria Pasadena, no Texas, e o envolvimento no negócio do ex-diretor Paulo Roberto Costa, preso na Operação Lava Jato da Policia Federal. Ela visou, ontem, ameaçando fazer o que a oposição no Congresso, o MPF, o TCU e o próprio governo não fizeram:

- É muito importante que se saiba que a Petrobras tem um comando. É uma empresa que tem 85 mil funcionários e tem uma presidente. Sou eu. Eu respondo pela Petrobras. E o que precisa ser investigado é investigado. Eu preciso de uma comissão para me sentir respaldada a discutir Pasadena.