Estudantes desfilam em caracas para exigir provas de vida de Hugo Chavez


Centenas de estudantes pró-oposição e outros críticos do governo de Hugo Chávez marcharam em Caracas neste domingo para exigir a prova de que o líder venezuelano, doente de câncer, ainda está vivo e governa.

. A multidão, incluindo vários líderes da coligação de oposição Unidade Democrática, cantou músicas de protesto e hasteou bandeiras em uma manifestação em um bairro central nesta manhã.

. "Diga-nos a verdade!" e "Pare de mentir!", diziam os cartazes.

PT abiscoita novamente a prefeitura de Novo Hamburgo. Em Eugênio de Castro,vence o PSDB.

Luis Lauermann (PT) é o novo prefeito de Novo Hamburgo. Com 55,84 % dos votos, o candidato comandará o município até 2016. Ao todo foram contabilizados 126.302 votos válidos, com 6,62% de votos brancos, 5,84% de votos nulos e 18,6% de abstenções.

- Novo Hamburgo teve novas eleições porque o prefeito anterior, Tarcisio Zimmerman, notório Ficha Suja, provocou a anulação do pleito de outubro.

. O candidato da oposição, Paulo Kopschina, foi derrotado.Paulo Roberto Kopschina (PMDB) ficou em segundo, com 44,16%.

- Em Eugênio de Castro, também no Rio Grande do Sul, Daltro Steglich (PSDB) teve 53,53% (1.214) e assumirá a prefeitura.

Vítimas de Santa Maria já são 240

Foi sepultada esta manhã, 11h,  a  vítima número 240 do incêndio na Boate Kiss, em Santa Maria. O corpo de Pedro Falcão Pinheiro, 25 anos, é velado desde a madrugada no salão nobre da prefeitura de Santana do Livramento. O Hospital Cristo Redentor (HCR) confirmou no começo da tarde deste sábado a morte de Pedro. Ele não resistiu ao envenenamento por gases tóxicos e também às queimaduras diversas que sofreu.

Natural de Santana do Livramento,  estudava na Unifra e trabalhava na América Latina Logística. Pedro foi o primeiro paciente atendido em Santa Maria a ser enviado a Porto Alegre, de helicóptero, ainda no dia da tragédia que matou 240 pessoas.

Artigo, Bárbara Gancia, Folha - Yoani é mesmo agente da CIA

* Clipping FSP

 (...) Atente: Yoani Sánchez esteve na cidade e me chamaram para mediar um debate com público e blogueira cubana na Livraria Cultura. Fiquei super-honrada e lá fui eu, perfumada e produzida na hora marcada. Bem que meu amigo, o jornalista Reinaldo Azevedo, alertou que ia dar encrenca, mas eu disse para ele: "Me matar não vão, né, Rey? Na pior das hipóteses eu levanto e vou comer uma coxinha no Viena". E ainda pedi que ele me ajudasse a fazer umas perguntas bem picantes para a cubana.

Foi descer do táxi na frente do Conjunto Nacional para ouvir os gritos de guerra do Fla-Flu, slogans de torcida de futebol contra o imperialismo. O ambiente estava "caliente" como uma cela em Guantánamo.

Subi ao palco e me acomodei ao lado da anticastrista que sofreu o pão que o diabo amassou na sua terra. E fui logo tirando um impresso intitulado "40 perguntas que Yoani nunca responderá à imprensa", que circulara insistentemente na internet naquele dia. Então comecei: "Quem patrocina a sua turnê de pop star pelo mundo?". Muito cordial, ela disse que, só naquele dia, já tinha respondido a essa pergunta umas oito vezes.

Quando percebeu que eu estava percorrendo a lista das perguntas que "nunca" seriam feitas a Yoani, a turma do fundão, um grupo de cerca 50 estudantes que acabara de entrar na sala com estandartes e apitos, começou a tumultuar. A gritaria não me impediu de notar que a próxima pergunta, "Quem paga o seu salário?", seria descartada pela falta de interesse jornalístico. O debate passou a ser interrompido na base do grito. Os estudantes exigiam o microfone. Só sei que minha interferência, para selecionar perguntas e tornar o debate mais ágil, não foi aprovada. Ficamos sem saber que apito Yoani toca, o que pensa e a quantas anda a abertura em Cuba. Enfim, tiveram de levar a cubana para a coxia antes que alguém resolvesse partir para cima. E a vontade que deu, naquele momento, de pedir cidadania paraguaia?

O ato perpetrado por aquela juventude bocó inspira até certa piedade. Os caras estão na faculdade e não percebem que a única coisa hoje que rege os governos, todos os governos, são os humores do mercado? Que ideologia virou apenas marketing para diferenciar um discurso do outro? Parece que esse raivoso Fla-Flu que nos divide nunca vai ceder ao óbvio.

E o meu milagre, onde ficou?

Bem, o seu Saraiva não deu as caras no encontro. Provocaram, provocaram, mas ele não apareceu. Em outros tempos, teria levantado no palco e mandado a molecada plantar coquinho na ladeira.

Em seu lugar, compareceu uma babá inglesa que pedia silêncio sorrindo copiosamente. Só pode ter sido artimanha da Yoani. Como se sabe, ela é agente da CIA.

Arrivistas do PT, PCdoB e PDT cercam e xingam o jornalista Merval Pereira no Rio

* Título original: Meu momento Yoani
by Merval Pereira, O Globo.

Na sexta-feira à noite, na inauguração do museu MAR na Praça Mauá, passei por rápidos instantes a mesma situação que enfrentou a blogueira Yoani Sanchez quando esteve no país recentemente. Havia diversas manifestações nos arredores do museu, onde participavam da inauguração a presidente Dilma Rousseff, o governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes. O barulho era insuportável dentro do museu, que, com seu lindo teto ondulado, criou um inesperado efeito acústico dentro do prédio.
Uma era contra o fechamento dos teatros do Rio depois da tragédia de Santa Maria. Muitos teatros, que funcionavam sem as medidas de segurança necessárias, continuam fechados e os artistas estavam ali protestando. Mas protestavam contra o quê? Deveriam mesmo protestar contra o fato de terem passado todo esse tempo trabalhando e recebendo pessoas em lugares sem condições de segurança adequadas. Deveriam protestar contra a prefeitura, mas pelo que ela não fez, e não pelo que está fazendo, embora tardiamente.

. Havia um pequeno grupo reclamando casas prometidas e não entregues. E um terceiro grupo, mais barulhento e agressivo, que protestava contra a Medida Provisória dos Portos que, em boa hora, a presidente Dilma enviou ao Congresso. Aparentemente, não havia no grupo nenhum estivador ou operário. Eram todos jovens estudantes com máscaras e cartazes que alertavam: "Gestão mata".

. O que esses jovens do PT, do PCdoB, da Juventude Socialista, do PDT queriam dizer é que a nova legislação sobre os portos trará prejuízos aos trabalhadores. O que está por trás dos protestos, no entanto, é uma nada estranhável, embora exótica, aliança entre órgãos sindicais e empresários que operam os portos sem competição beneficiando-se de uma reserva de mercado tão ultrapassada quanto prejudicial à economia.

. Os jovens radicais estavam ali protestando contra a possibilidade de os novos administradores de portos disputarem cargas com os terminais já existentes e contratarem mão de obra pelo regime da CLT, à qual estão subordinados todos os trabalhadores brasileiros.Sindicatos liderados pelo Paulinho da Força Sindical, deputado federal (PDT), querem impedir a modernização dos portos.

CLIQUE AQUI para ler mais.

Começou a votação para prefeitos em Novo Hamburgo e Eugênio de Castro, RS. M ais seis municípios brasileiros também terão eleições.

Neste domingo, os eleitores de nove municípios, em quatro Estados, voltam às urnas para eleger os prefeitos e vice-prefeitos das seguintes cidades: Eugênio de Castro e Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul; Sidrolândia e Bonito, no Mato Grosso do Sul; Camamu, na Bahia; e Balneário Rincão, Campo Erê, Criciúma e Tangará, em Santa Catarina. Esses municípios ainda estão sendo governados interinamente pelos presidentes das câmaras de vereadores. Nessas cidades, as eleições foram anuladas porque os candidatos que concorreram, em 2012, com registro de candidatura rejeitado obtiveram mais de 50% dos votos válidos. Assim, os votos recebidos por eles foram anulados pela Justiça Eleitoral, ficando os candidatos impedidos de serem diplomados e empossados. As eleições deste domingo (3) ocorrem das 8h às 17h, no horário local de cada cidade

As novas eleições em Novo Hamburgo e Eugênio de Castro foram marcadas porque os candidatos vencedores das eleições regulares, em outubro de 2012, tiveram o registro de candidatura (Tarcísio Zimmermann, em Novo Hamburgo) ou o diploma (Roberto Bruinsma, em Eugênio de Castro) cassados pela Justiça Eleitoral. 

Em Eugênio de Castro, a eleição contará com 2.587 eleitores, distribuídos em nove locais de votação. Em Novo Hamburgo, serão 177.240 eleitores, em 58 locais de votação. Nos dois pleitos, cerca de dois mil mesários irão trabalhar. Serão utilizadas, aproximadamente, 550 urnas eletrônicas.

NOVO HAMBURGO - Em Novo Hamburgo, na região metropolitana de Porto Alegre, concorrerão ao cargo de prefeito José Luiz Lauermann (PT), com o vice Roque Serpa, e Paulo Roberto Kopschina (PMDB), tendo como vice Lorena Mayer. Em 30 de agosto de 2012, o Tribunal Regional Eleitoral do Estado (TRE-RS) indeferiu o pedido de registro de candidatura do então prefeito de Novo Hamburgo, Tarcísio Zimmermann (PT). Os juízes do tribunal regional entenderam que a condenação sofrida pelo político em 2004, pela participação irregular em um evento de inauguração de um Centro de Atenção Socioeducativo da Fase, ainda estava em vigor no momento do registro de sua candidatura. O ex-prefeito recorreu ao TSE, mas a decisão do TRE-RS foi mantida.

EUGENIO DE CASTRO - Um dos candidatos a prefeito é Horst Daltro Steglich (PSDB), com o candidato a vice José Fernando Machado. Seu oponente será Sirlei Maria Reginaldo (PP), tendo como vice Rogério Augusto da Rocha.No caso desse município, na região noroeste do Rio Grande do Sul, em primeira instância, os registros da chapa composta por Bruinsma e Zweigle e do vereador Teixeira foram cassados. Os três políticos também ficaram inelegíveis por oito anos. Bruinsma recebeu, ainda, multa de 50 mil Ufirs, e Teixeira, multa de R$ 25 mil.