Novos prefeitos foram soterrados por pilhas enormes de dívidas


A foto acima é de João Cavalazzi, profissional da área de comunicação do prefeito de Florianópolis, Cezar Júnior. Ao redor da mesa, quase soterrados pelas contas espetadas e não pagas pelo prefeito anterior, estão os secretários da Administrração, Goiverno, Finanças, e o procurador Júlio Marcelino Júnior.

. As pilhas formam 726 processos de um programa que o novo prefeito intitulou Redívidas. O prefeito Cezar Júnior ia fornecer mais detalhes, incluisve valores, em coletiva agendada para esta sexgta-feira, mas a chegada da Força Nacional de Segurança a Florianópolis, obrigou-o a mudar os planos.

. No RS, dezenas de prefeitos gostariam de repetir o gesto de Cezar Souza. Além de dívidas inacreditavelmente altas, como a que herdou o prefeito Aníbal Moacir, São Leopoldo, que já contabilizou R$ 360 milhões, os novos prefeitos depararam-se com contratos, convênios e "acertos" imorais com terceirizados e até segmentos do funcionalismo público. O editor tem informações pessoais de casos escabrosos, como um contrato de serviço de lixo assinado por 20 anos entre a prefeitura de São Leopoldo e a Vega, terceirizados que prestam serviços de patrolagem e recebem por eles até mesmo quando estão parados por causa da chuva, grupos de servidores que "acertaram" um plus salarial, neste caso formado por horas extras jamais prestadas. São vespeiros que nem sempre acabam sendo enfrentados, graças ao corporativismo e às teias de interesses formados em torno deles. 
O TCE poderia ajudar os novos gestores municipais, avocando para si o ônus de examinar os contratos e convênios, e obrigando os novos prefeitos a entrar em ação. Eles agradeceriam.  

Exame demonstra de que modo os governos do PT destróem a Petrrobrás


Na capa da revista Exame, da Editora Abril, uma bomba de gasolina é transformada numa forca. Internamente, o título "Como destruir uma empresa". Na reportagem, o ex-presidente Lula é apontado como responsável pelo "crime"; Civita pede ainda que empresas estrangeiras possam explorar o pré-sal e um aumento maior da gasolina

247 - A capa da revista Exame desta quinzena é um marco nos ataques recentes à Petrobras, empresa que lucrou R$ 21 bilhões no ano passado.Numa reportagem editorializada, e que, portanto, reflete a opinião do patrão, o empresário Roberto Civita, o PT é acusado de destruir a Petrobras. A imagem de capa traz uma bomba de gasolina como se fosse uma forca. Internamente, o título "Como destruir uma empresa". E, na reportagem, a acusação de que esta destruição é um crime com culpado: o ex-presidente Lula.

. Frequentemente acusado de defender interesses alienígenas, sobretudo norte-americanos, Civita não esconde suas motivações. Diz que uma das saídas para a Petrobras seria abrir o pré-sal a outras empresas. "Sem uma Petrobras saudável, será impossível explorar as riquezas do pré-sal. E, sem dividir o fardo da exploração com outras empresas, o investimento em novos campos seguirá paralisado".O crime de Lula, segundo Civita, seria reservar a riqueza do pré-sal para a Petrobras. "Tudo começou com a descoberta do pré-sal e a subsequente mania de grandeza que hipertrofiou a empresa a ponto do imobilismo. Em um de seus discursos, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que o pré-sal era uma "dádiva de Deus"– e que cabia ao governo garantir que as riquezas geradas a partir dali ficariam nas mãos do povo brasileiro. Tudo bonito no discurso; na prática, foi exigir demais de uma empresa só".

- De certa maneira, Civita reproduz o pensamento de José Serra, que, segundo revelações do site Wikileaks, prometeu dividir a receita do pré-sal com empresas como a Chevron, responsável por um grande vazamento recente de óleo na Baía da Guanabara.Além de pedir que empresas americanas explorem o pré-sal, Civita também reclama, na capa de Exame, um aumento maior da gasolina. Segundo ele, a estatal vem tendo seus preços contidos de forma artificial para segurar a inflação.
A reportagem critica a gestão de José Sergio Gabrielli, mas elogia a "transparência" de Graça Foster. Segundo Civita, Graça "tem feito o possível para salvar a Petrobras e o pré-sal". Falta, segundo ele, o governo fazer a sua parte, ou seja, permitir que empresas americanas tenham acesso aos blocos mais lucrativos.

* Clipping www.brasil247.com.br

Com ajuda federal, fraco governador Colombo anuncia neste sábado: "Vamos quebrar a espinha dos terroristas"


* Clipping Diário Catarinense
Material de Moacir Pereira´

40 presos, 70 mandados de prisão e operação Divisa em SC
16 de fevereiro de 20130

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e o governador Raimundo Colombo, fizeram pronunciamento a Santa Catarina e concederam entrevista coletiva no QG da Policia Militar, oferecendo informações sobre a operação de guerra deflagrada contra o crime organizado.

Em síntese:

1.Foram transferidos 40 presos ligados ao crime organizado e estão sendo transferidos para presídios federais.
2.Estao sendo cumpridos 70 mandados de prisão, sendo 25 já executados e 45 em execução.
3.Quatro advogados estão sendo presos. Outros estão sendo investigados.
4. Está deflagrada uma monstruosa Operaçao Divisa, que empregará órgãos policiais e da receita federais e estaduais, por terra, mar e ar.
5.Santa Catarina vai construir um Presidio de Segurança Máxima. Estará pronto em um ano. O local não foi revelado.
6.A prioridade dos governos é cortar o crime organizado pela raiz.
7. As ações objetivam acabar com a lavagem de dinheiro no Estado, eis que ligada ao crime organizado.

Várias ações continuarão sendo executadas nos próximos dias.

- Ministro e governador foram contundentes na afirmação que a partir de hoje haverá uma “luta determinada contra o crime organizado no Estado”.
- Estamos quebrando a espinha dorsal do crime organizado em Santa Catarina – completou o governador.* Clipping Moacir Pereira

PT vai distribuir dossiê contra a blogueira Yoani Sánchez. Ela virá ao Brasil para lançar seu livro mais recente.

Reportagem em VEJA desta semana mostra o envolvimento de militantes petistas - e até de um funcionário do Palácio do Planalto - numa conspiração do governo cubano para desmoralizar a blogueira durante sua visita ao Brasil
MISÉRIA MORAL - O dossiê contra Yoani Sánchez tem 235 páginas, foi distribuído pela Embaixada de Cuba em Brasília a militantes do PT, contém uma compilação de artigos publicados sobre a blogueira na ilha comunista, fotos e sórdidas montagens com insinuações de que ela teria se rendido ao dinheiro porque bebe cerveja, come banana e vai à praia

Robson Bonin
MISÉRIA MORAL - O dossiê contra Yoani Sánchez tem 235 páginas, foi distribuído pela Embaixada de Cuba em Brasília a militantes do PT, contém uma compilação de artigos publicados sobre a blogueira na ilha comunista, fotos e sórdidas montagens com insinuações de que ela teria se rendido ao dinheiro porque bebe cerveja, come banana e vai à praia

A blogueira Yoani Sánchez desembarca no Brasil nesta semana para divulgar o livro De Cuba, com Carinho, uma coletânea de seus textos sobre o triste cotidiano do povo cubano sob a ditadura dos irmãos Fidel e Raúl Castro. O trabalho rendeu à dissidente uma perseguição implacável. Ela foi sequestrada, torturada e, durante anos, impedida de deixar o país. É rotulada de mercenária pelos comunistas da ilha e acusada de trair os princípios revolucionários. O que Yoani não sabe é que, apesar da distância que separa o Brasil de Cuba - 5 000 quilômetros -, ela não estará livre dos olhos e muito menos dos tentáculos do regime autoritário. Para os sete dias em que permanecerá no Brasil, o governo cubano escalou um grupo de agentes para vigiá-la e recrutou outro com a missão de desqualificá-la a partir de um patético dossiê. Uma conspirata oficial em território estrangeiro contra quem quer que seja é uma monumental afronta à soberania de qualquer nação. Esse caso, porém, envolve uma inquietante parceria. O plano para espionar e constranger Yoani Sánchez foi elaborado pelo governo cubano, mas será executado com o conhecimento e o apoio do PT, de militantes do partido e de pelo menos um funcionário da Presidência da República.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Opinião do leitor - A indesejável presença de Renan no Kurotel

OPINIÃO DO LEITOR
A indesejável presença de Renan no Kurotel

O presidente do Senado, contra o qual há uma petição com mais de um milhão e trezentas mil assinaturas, afronta a população, e pode incomodar os demais hóspedes do Kur. A questão não é se ele pode pagar. É que a sua presença é non grata para outros brasileiros que estão pagando, e que não querem compartilhar o mesmo espaço com ele.Quem vai lá não quer se incomodar, paga caro para se desestressar.A presença do Renan é fator de stress. Os hóspedes podem se sentir agredidos pela presença de uma pessoa assim, rejeitada pela população brasileira.Como o Kur pretende administrar fatos como estes no futuro, já que pode se tornar uma propaganda negativa, e influir negativamente junto aos hóspedes? Como o Kur administrou a estadia de Renan Calheiros e o desagrado dos demais hóspedes? O Kur já tinha passado por situação parecida na sua história?

Se eu estivesse lá, faria uma confusão. Tiraria fotos, diria que ele se recolhesse aos aposentos, não deixaria barato. Iria comandar uma rebelião. Ele ia ver que não pode andar em locais coletivos. Nem no Kur.

Milton Azevedo Bento, Porto Alegre.

Artigo, Marcos Cavalcante: "Meu irmão foi assassinado pelos inimigos de Yeda. Seu cadáver permanece insepulto"


Neste sabado, dia 16 de fevereiro, será celebrada missa em memória de Marcelo Cavalcante, na Igreja Santo Antônio, na SGAS 911, às 19h, pelo 4º ano de seu falecimento.A família Cavalcante até hoje sofre com esta perda irreparável. Marcelo teve a vida ceifada de forma cruel e brutal, sendo até mesmo utilizado como bode expiatório pelos opositores da então governadora Yeda Crusius na tentativa de derrubar o seu Governo.

Com um desfecho totalmente vergonhoso e descabido de “suicídio”, sem uma única prova concreta, a família não consegue simplesmente sepultar seu ente querido... pois sua honra foi manchada e explorada em prol de escusos interesses políticos, onde a verdade que não quer calar. O caso de um arquitetado assassinato em favor do candidato que fazia oposição ao governo Yeda, líder de um Partido que usa de artimanhas para derrubar seus adversários e que não faz a luta limpa e digna com os seus oponentes.

Há um Celso Daniel no Rio Grande do Sul e o seu nome é Marcelo Cavalcante!

A dor da perda pode até ser amenizada com o passar do tempo, mas a dor da INJUSTIÇA permanece sem que o tempo consiga fazer esquecer...

O Rio Grande do Sul, um Estado solidário e patriota, precisa tomar conhecimento do que fazem aos seus filhos, que infelizmente tiveram tudo a ver com a morte de Marcelo. Clama aos céus o total descaso da grande mídia gaúcha. Pois bem: o nome do seu filho assassinado é Marcelo Oliveira Cavalcante, que aos 41 anos de idade teve sua vida arrancada de forma covarde e vergonhosa por escusos interesses políticos...

O pior de tudo é que a vítima ainda teve sua honra abalada por fazer-se acreditar em um “suicídio comum”, sem motivação política...

A família Cavalcante espera contar com o apoio e a solidariedade inerente do povo gaúcho para poder devolver a dignidade ao seu querido Marcelo, através do conhecimento da verdade sobre a sua morte e a devida punição aos verdadeiros culpados!

"A verdade não se pode esconder, por mais que a encubram”
Provérbio português.

Marcos Cavalcante, irmão de Marcelo

Caras pintadas voltam às ruas, desta vez em Gramado. Contra os ladrões do Mensalão ? Nada disto. Só Renan, PMDB, leva o troféu.

- Agora, falta sair às ruas para pedir a imediata prisão dos mensaleiros do PT - Zé Dirceu, Genoíno e Delúbio - além da conclusão das investigações sobre a liderança de Lula na roubalheira do Mensalão.

É verdade que o presidente do Senado já não estava mais na cidade (ele foi embora do Kurotel um dia antes, na quinta) mas ainda assim 50 pessoas, entre estudantes, trabalhadores e turistas, protestaram - no fim da tarde desta sexta-feira em frente ao Palácio dos Festivais, irritados contra a presença do senador Renan Calheiros na cidade. Os manifestantes apresentaram-se com rostos pintadas e nariz de palhaço gritava palavras de ordem contra a corrupção.

O que fará Dilma com seu pupilo indesejável, o ministro Brizola Neto?

Pois a Presidente Dilma Rousseff precisa resolver onde vai colocar Carlos Daudt Brizola, mais conhecido como "Brizola Neto" depois da nanoreforma do seu ministério, prevista para março.

Dilma finalmente se convenceu que não tem como vencer uma queda de braço como as lideranças pedetistas e assumir o controle do partido, como gostaria, principalmente porque entregou a condução dessa missão para alguém absolutamente inexpressivo dentro do PDT, que além do sobrenome nada tem a oferecer, além de ter se mostrado uma verdadeira nulidade no comando do MTE.

Mas e agora: o que fazer com "Brizola Neto"? A tarefa de buscar um lugar para o neto de Brizola não tem sido fácil, pois o ainda Ministro do Trabalho não se ajuda.  Sendo um protegido do primeiro ex-marido, Carlos Araújo, deixa-lo ao desabrigo não é uma opção para Dilma.

Algumas alternativas têm sido cogitadas, mas a solução tem esbarrado no perfil de "Brizola Neto". Uma idéia era que ele assumisse a Secretaria Nacional da Juventude, mas é uma hipótese descartada, pois sair da condição de Ministro do Trabalho para a de subalterno da Secretaria-Geral da Presidência da República é algo impensável para quem se considera "herdeiro da tradição trabalhista", como se classifica "Brizola Neto".

Uma segunda hipótese seria que ele, uma vez despido da condição de ministro, transferisse seu título eleitoral para o RS e, em dobradinha com a irmã Juliana Brizola para a Assembleia Legislativa, fosse candidato a deputado federal, contando com a força do sobrenome no imaginário gaúcho.

Mas aí é que a coisa fica feia, mais uma vez por conta do temperamento do Ministro do Trabalho. Carlos Daudt Brizola é um legítimo menino do Rio, e qualquer mudança para longe das areias quentes de Copacabana lhe causa arrepios. Além do que, quem conhece o ministro sabe que ele tem verdadeira ojeriza ao Rio Grande do Sul e a tudo que lhe diga respeito.

Em rodas de amigos, Brizola Neto costuma zombar do sotaque gaúcho, classifica a pilcha como "fantasia", e não esconde detestar a cultura e o modo de ser dos gaúchos, a quem classifica de arrogantes, e considera o nosso clima - frio e úmido no inverno - algo "bem apropriado para bárbaros", adjetivações ouvidas com frequência por interlocutores muito próximos a ele.

Em razão dessas limitações , resta a Dilma convencer Sérgio Zveiter a retornar como secretário ao governo do outro Sérgio, o Cabral, abrindo vaga para que "Brizola Neto" assuma o mandato de Deputado Federal, como já aconteceu em 2010.

Zveiter se elegeu deputado federal pelo PDT, tendo como primeiro suplente "Brizola Neto", e depois migrou para o PSD, o que está longe de atrapalhar as intenções de Dilma, uma vez que o partido de Kassab foi criado sob medida para atender aos interesses do Planalto, e basta uma ligação da Presidente ao ex-prefeito de São Paulo para decidir a questão.

Assim, o destino de "Brizola Neto", após deixar o ministério que nunca comandou de fato, deve ser retornar à Câmara como deputado, deixando-o mais livre e próximo das areias de Copacabana, como é de sua vontade.

Decididamente, nada mal.

Entrevista: Jader Teitelbaum, diretor de Joal Teitelbaum.

Vocês promovem um lançamento imobiliário inédito, que é este Atlântida Green Square, no balneário de Atlântida, RS, que ocupa um quarteirão inteiro, oferecendo serviços parecidos com os existentes nos condomínios fechados das praias, esta febre que dominou o RS.
Programamos tudo para 320 pessoas, 90 apartamentos, duas torres em sete andares cada uma. São unidades que vão de 132 m2 a 297 m2, com preços que variam de R$ 491 mil a R$ 880 mil.

Por que Atlântida ?
É o balneário mais badalado do Litoral do RS. O empreendimento fica na avenida Central, a 1.400 metros da praia.

Como andam as vendas ?
Queremos vender 50% até o final do mês. Os números comprovam que a meta será cumprida. É um negócio bem estruturado, na modalidade preço de custo. Desde já, as frações ideais de terreno vão para o nome do comprador.

E os serviços ?
Estamos num quarteirão de 12.200 m2. Inúmeros serviços serão pay per vew. A rede hoteleira Aspen Hotéis de Caxias do Sul, administrará os serviços.

Quando serão as entregas ?
Maio de 2016.

As mulheres da Câmara de Porto Alegre

Nunca, antes, na história política de Porto Alegre, tantas mulheres ocuparam tantos cargos de vereador. São oito:

- Luiza Neves, PDT; Mônica Leal, PP; Séfora Motta, PRB; Jussara Cony, PCdoB; Fernanda Melchionna, PSOL; Any Ortiz, PPS, e Sofia Cavedon, PT.

. Elas são de sete Partidos diferentes.

Serpro do RS faz até treinamento contra incêndios, mas não tem PPCI e nem "habite-se"

Os mesmos problemas que afligem o governo estadual do RS,  são vivenciados pelo governo federal no RS, porque também os prédios federais apresentam inúmeras irregularidades e não são interditados pela prefeitura de Porto Alegre e pelo Corpo de Bombeiros - ou pelo Ministério Público Federal, que agiu na UFSM, Santa Maria.

. É caso emblemático o Serpro, o Serviço Federal de Processamento de Dados, 5 pisos, 7 mil m2, onde trabalham 320 profissionais. O prédio não tem "Habite-se" da prefeitura e nem Plano de Prevenção e Combate a Incêndios aprovado pelos Bombeiros. O mais curioso é que o Corpo de bombeiros ministra cursos para os Brigadistas da BCI (Brigada de Combate a Incêndio) do Serpro. A responsabilidade direta pela irregularidade, no Serpro, é dos gestores da área de GL (Gestão Logística), ex-sindicalistas ligados ao grupo Articulação, do PT. O PT manda no Serpro há dez anos, mas o prédio tem 40 anos.

Ordem de "interdição" geral de Tarso vale para todos, menos para o setor público

É incompreensível que o Corpo de Bombeiros e a prefeitura de Porto Alegre ainda não tenham interditado o prédio onde funcionam a secretaria estadual do Meio Ambiente e a Fepam. O prédio pegou fogo no ano passado, o incêndio foi contido, mas desde lá as condições de trabalho são precárias.

. A secretaria e a Fepam já deveriam ter mudado para o edifício da Cia. União, mas a demora já dura um ano.

. Os funcionários públicos enviaram fotos para o editor, mostrando marquises apoiadas por estacas e sinais claros de infiltração no prédio. Boa parte dos servidores prefere subir 10 andares pelas escadas, temendo as frequentes paralisações dos elevadores.

- O Ministério Público Estadual agilizou investigações sobre as más condições de ocupação dos prédios públicos de Porto Alegre. As revelações sobre irregularidades são alarmantes.

Raimundo Faoro foi primeiro presidente gaúcho da OAB nacional

Se vier mesmo a se eleger presidente nacional da OAB no próximo pleito, o advogado Claudio Lamacchia seria o segundo gaúcho a ocupar o cargo.

. O primeiro foi Raymundo Faoro, autor de "Os Donos do Poder", que foi presidente de 77 a 79, em pleno regime autoritário.

João Luiz Vargas lançará "Conspiração Rodin" no interior do RS

Ainda não tem data a sessão de autógrafos do livro que o ex-deputado e ex-presidente do TCE do RS, João Luiz Vargas, escreveu sobre a Operação Rodin, que ele chama de Conspiração Rodin. O livro tem 16 capítulos e 276 páginas.

. O ex-deputado do PDT fará lançamentos em todas as regiões do Estado.

Site Nacional de Empregos reaparece com novo formato na web

Tem novo formato o Site Nacional de Empregos. O acesso é gratuito. É para quem busca empregos. Ali já estão 700 mil currículos.

Consulte www.sine.com.br

Febramec quer faturar R$ 80 milhões na feira da Fiergs

A Febramec (Feira Brasileira da Indústria Metal-Mecânica e de Automação) já confirmou a presença de 50 empresas n a sua 19ª. Edição, programada para 5 a 8 de março na Fiergs. Os organizadores projetam vendas de R$ 80 milhões.

. Este ano, além de máquinas e equipamentos, a Febramec incorporará as áreas de informática, inclusive software aplicado.

Site: www.febramec.com.br

GP decide cortar na carne no caso da gaúcha Fargs

É da GP Investimentos a decisão de cortar na carne e com isto reduzir drasticamente os custos da Fargs, comprada pela carioca Estácio. A Fargs (Marcelo Mandelli) é de Porto Alegre.

Horário de verão termina neste sábado

Terminará neste sábado o horário de verão.

Térmica a gás de Uruguaiana gerará 2/3 da capacidade em março

A partir do mês que vem a térmica a gás de Uruguaiana, que começou trabalhando este mês com 1/3 da sua capacidade de 639 MW, poderá trabalhar com 494 MW.

. O gás que abastece a usina da AES não é argentino, já que é importado pela Petrobrás, que no entanto descarrega tudo em Baia Blanca e usa o gasoduto argentino-brasileiro já existente.

É coisa de África, mas no Brasil de Dilma a energia é produzida antes das linhas de transmissão

A imprevidência e incompetência do governo federal no que diz respeito ao que já se pode chamar de sistema brasileiro de energia eólica refletem-se de modo assustador na circunstância de que grande parque das usinas prontas para operar e as 50 que entrarão em operação este ano não contarão com sistemas de transmissão para leva-los até as distribuidoras e destas para as casas dos consumidores.

. Atualmente existem 26 parques (622 MW) na Bahia e RN, mas que não fornecem um só megawatt. A Chesf não concluiu as linhas de transmissão.

. Apesar disto, todos recebem pagamento pelo que iriam fornecer. É a lei.

. No RS, as usinas em funcionamento conseguem colocar a energia nos sistemas de transmissão.

- O governo avisou que conhece o problema e que toma providências para mudar o planejamento, inclusive dos leilões dos parques eólicos, para que eles só saiam quando o sistema estiver em condições de pleno funcionamento.

CLIQUE AQUI para ler o editorial "Ameaça Energética", do jornal Zero Hora. O artigo analisa com competência as ameaças que o setor de energia oferecem ao desenvolvimento econômico brasileiro.