Panelaço acompanha Dilma no Jornal Nacional

Panelaço em Porto Alegre, enquanto Dilma fala no Jornal Nacional. No bairro Petrópolis, moradores também buzinam, piscam as luzes e gritam Fora dilma

Mais um pedido sobre possibilidade de parcelamento dos salários é feito pelo Tribunal de Justiça

Nem bem a Procuradoria Geral do Estado encaminhou, esta tarde, a posição oficial do governo a respeito da possibilidade de pagar integralmente - ou não - os salários de março dos servidores e um novo pedido de explicações foi solicitado.

Desta vez, pelo desembargador Nelson Antônio Monteiro Pacheco, que concedeu cinco dias para que o Estado se pronuncie. Ele atende a liminar solicitada pelo Cpers-Sindicato.

Como já foi admitido pelo governo, há a possibilidade de salários inferiores a R$ 4 mil não serem parcelados, caso a medida seja adotada. O magistrado também quer saber se há professores e funcionários de escola que recebem valores acima desse teto.

Datafolha e Ibope estão nas ruas e devem confirmar baixíssima popularidade de Dilma

O instituto Datafolha iniciou nesta segunda-feira coleta de opiniões da população a respeito do governo Dilma. Os resultados deverão ser divulgados pela imprensa até o final da semana.

Também o Ibope já está com seus pesquisadores nas ruas, sob encomenda da Confederação Nacional da Indústria, com divulgação prevista para quinta ou sexta-feira.

Os dois levantamentos devem trazer resultados semelhantes às pesquisas que o Palácio do Planalto tem feito, apontando índices baixíssimos de aprovação de Dilma Rousseff.

Em se confirmando as expectativas, o governo terá de arrumar outra desculpa para justificar a inconformidade da população, como a manifestada nas passeatas deste domingo, de que é coisa restrita à elite burguesa.

MPF denuncia tesoureiro do PT por corrupção, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha

O Ministério Público Federal denunciou nesta segunda-feira mais 27 pessoas pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Entre eles, o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, e o ex-diretor de Serviços, Renato Duque, que havia sido preso pela Polícia Federal esta manhã.

De acordo com o MPF, o pagamento de propina com recursos desviados da Petrobras foi feito ao partido através de doações oficiais ao partido, somando R$ 136 milhões.

Antunes quer transparência sobre uso de recursos para investimentos no custeio da máquina por Tarso

A partir da denúncia feita há duas semanas pelo líder do governo na Assembleia, Alexandre Postal (PMDB), de que o governador Tarso Genro usou recursos destinados a investimentos para o custeio da máquina pública, o deputado progressista Frederico Antunes quer fazer uma audiência pública na Comissão de Finanças para discutir essa questão.

Em contato com o editor, Antunes assegurou que não há intenção de buscar responsabilização de Tarso caso se confirme que investimentos deixaram de ser feitos para que os salários fossem mantidos em dia. Isto caberá ao Ministério Público, se houver entendimento nesse sentido. O objetivo do parlamentar é jogar luzes sobre essa questão.

OAB propõe que caixa dois seja tipificado como crime no Código Penal

O presidente da OAB, Marcos Vinícius Furtado Coelho, e os presidentes das seccionais da ordem estão reunidos neste momento com os líderes partidários da Câmara e do Senado para apresentar um pacote de propostas anticorrupção. A principal defende a criminalização do caixa dois de campanha.

A entidade justifica afirmando que os advogados de defesa de políticos encrencados dizem que todo ato de corrupção foi caixa dois por não existir o tipo penal para essa prática, o que abre um largo caminho para a impunidade.

Em atendimento à Justiça, governo dirá que pagamento dos servidores é incerto

A Procuradoria Geral do Estado encaminha dentro de instantes ao Tribunal de Justiça dados a respeito da situação financeira do Estado. Atende, com isso, determinação do desembargador João Barcelos de Souza Júnior, que na sexta-feira concedeu prazo de 72 horas para que o governo apresentasse uma posição a respeito de um eventual parcelamento dos salários do funcionalismo.

Na justificativa, a informação principal será de que não há como prever, no momento, se haverá condições de fazer o pagamento na íntegra, em parcela única. Tudo vai depender do quanto o Estado conseguirá arrecadar até o final da próxima semana.

Dilma diz que a corrupção pode ocorrer no governo, mas que ela não é corrupta

Depois da fala desta tarde sobre o programa Pátria Educadora, quando aproveitou para se explicar, Dilma Roussef concedeu nervosa entrevista coletiva, mas os jornalistas não quiseram perguntar nada sobre educação, centrando fogo nas crises política e econômica, sobretudo em relação aos protestos de domingo.

A presidente estava nervosa, o que ficou claro pela boca seca, o que a obrigou a esvaziar alguns copos de água.

A sua fala foi confusa, mal articulada, incapaz de esclarecer os jornalistas.

Ao abordar a corrupção no governo, Dilma chegou a informar que ela não era governo, tentando dizer que a corrupção não era dela. Ainda sobre o assunto, tentou jogar todos os brasileiros na vala comum do mau caratismo:

- A corrupção é endêmica no Brasil, vem do berço, e precisa ser atacada via educação e cultura.

Mais tarde, ela interrompeu as perguntas e avisou que só falaria sobre educação.

Mariana Kalil critica colegas que escondem-se em redes sociais (Tulio Milman): “Quem quiser emitir alguma opinião a respeito, vá pra rua”

Artigo da jornalista Mariana Kalil: “Ah eu sou coxinha!!!”
Blog “Por aí” – site da Zero Hora – 16/03/2015

As cem mil pessoas que se uniram no Parcão, caminharam até a Redenção e voltaram para o Parque Moinhos de Vento, em um protesto que durou cerca de três horas debaixo de um calor insano, eram pessoas de bem – salvas raríssimas exceções, visto que num universo de cem mil pessoas sempre haverá gente mal-educada e mal esclarecida. Uma minoria. A maioria, como eu, estava lá “de graça”, gritando estar lá de graça e assim contestando a manifestação da sexta-feira 13, quando dezenas de pessoas, entre militantes e participantes do exército de Stédile, convocados pelo ex-presidente Lula, admitiram ter embolsado R$ 35 mais sanduíche e Tubaína para empunhar a bandeira vermelha do partido governista. A maioria que tomou as ruas de graça gritava contra o que não é mais possível aceitar – corrupção, desemprego, mentira, inflação – e a favor das necessidades básicas de um povo: educação, saúde, dignidade, emprego.

Lamento por quem ficou em casa. Lamento quem menosprezou a força das ruas. Lamento por jornalistas, comunicadores e formadores de opinião enclausurados em redes sociais e ar-condicionado. No próximo dia 12 de abril, está marcada outra manifestação como esta. Arrisco dizer que maior. Porque quem temeu alguma violência ontem e eximiu-se da rua para depois perceber que os brasileiros de bem não estão aí para isso, deverá juntar-se aos milhões. E então sugiro que, quem quiser emitir alguma opinião a respeito, vá pra rua. Para pelo menos ver com os próprios olhos que o Brasil cresceu, amadureceu e não vai tolerar mais a lambança que está aí.

CLIQUE aqui para ler o texto completo.

Dilma concede coletiva neste momento. Vá na Globonews, canal 40 da OiTV e Sky

A presidente Dilma Roussef concede atrapalhadíssima entrevista coletiva na Globonews. Vários jornalistas estão falando.

Canal 40, da OiTV e SkY.

Vá lá.

Dilma manda ministros para nova coletiva e ela mesma foi para a TV

A presidente Dilma Roussef reuniu boa parte do seu ministério, servidores graduados e políticos ligados ao gogverno, esta tarde, para ouvi-la falar sobre os eventos deste final de semana.

O pretexto foi o projeto Pátria Educadora.

A Globonews transmitiu tudo ao vivo (canal 40 da OiTV e Sky).

Na verdade, Dilma queria mandar recado pela mídia e avisar que respeita as regras do jogo democrático e ouvirá as ruas para agir. Ela tentou explicar por que razão seu governo enfrenta grave crise econômica.

Durante a tarde, antes mesmo desta fala de há pouco, os ministros Cardozo e Eduardo Braga, este de Minas e Energia, e do PMDB, concederam nova entrevista coletiva, que usaram termos amenos para analisar os protestos de domingo.

Desta vez, o amarfanhado ministro Miguel Rosseto não falou.

Diretor petista da Petrobrás foi pego em casa com 131 caríssimas obras de arte

Ao lado, obra de Djanila. Pinturas como esta foram apreendidas com Duque - 

A Polícia Federal do Rio de Janeiro apreendeu na casa do ex-diretor da Petrobras Renato Duque, na manhã desta segunda-feira (16), 131 obras de arte. Segundo a Folha apurou, há quadros de artistas brasileiros valorizados, como Guignard, Djanira e Heitor dos Prazeres. A coleção de telas de Guignard era de cerca de dez peças.

A PF afirmou que o grande número de peças acabou aumentando o tempo do trabalho de buscas dos agentes pela manhã, já que foi preciso "seguir o padrão" para recolhê-las.

"Tudo que foi apreendido hoje pela manhã vai ser trazido para Curitiba. Provavelmente terão o mesmo destino das demais", disse o procurador da República Roberson Pozzobon.

Desde janeiro, obras de artistas como Salvador Dalí e Romero Britto, apreendidas ao longo da Operação Lava Jato, foram encaminhadas para exposição no Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba.
Segundo o procurador, também foram recolhidas obras de arte nesta segunda-feira na casa de Adir Assad, também preso nesta segunda-feira e suspeito de ser um dos operadores do envio para o exterior de dinheiro originado de propinas.

O Ministério Público Federal não deu estimativas sobre os valores das peças apreendidas com Duque.
"São muitas obras na residência de Renato Duque e dificilmente justificável [a posse], mesmo sendo um alto executivo da Petrobras", afirmou o delegado Igor Romário de Paula.


BMW vai contratar 300 pessoas para fábrica de SC

A BMW iniciou nesta semana a produção no Brasil do hatch Série 1 flex, que será vendido entre R$ 115,9 mil e R$ 161,9 mil. É o terceiro modelo da marca a ser produzido na fábrica inaugurada em Araquari (SC) em outubro.

A fábrica emprega hoje 550 funcionários e outros 300 serão contratados para trabalhar nas linhas de pintura e soldagem, que entram em operação em setembro. No primeiro bimestre a BMW vendeu 2.177 veículos, 11,8% menos que em 2014.

Aécio: "Dilma zombou da inteligência dos brasileiros"


Um dia após a maior mobilização popular desde a redemocratização, o senador Aécio Neves (MG), presidente do PSDB, disse nesta segunda-feira que a dimensão dos protestos, fator que surpreendeu governo e oposição neste domingo, foi influenciada pelo pronunciamento da presidente na TV no domingo anterior. "Dilma zombou da inteligência dos brasileiros ao atribuir a gravidade da crise no país a uma crise internacional que já não existe mais e à seca. É um acinte", disse o tucano, em entrevista à Rádio Gaúcha.

Instado pelos jornalistas a dar um conselho à presidente, Aécio clamou pela admissão de erros de Dilma, que segundo ele ainda não reconheceu sua responsabilidade pela crise econômica brasileira. "Olhar nos olhos dos brasileiros, o que ela não fez ontem. E fazer uma mea culpa. É o primeiro ponto para a mudança de rumo. Todos nós estamos sujeitos a erros", sugeriu. "Não é possível que ela imagine que não tenha nenhuma responsabilidade pelo descalabro que tomou conta da administração pública federal. O próprio governo não acredita muito nas medidas anunciadas pelo Ministério da Fazenda. É um governo de duas cabeças. A presidente quer fazer crer que pode existir um governo do ministro [Joaquim] Levy e um da presidente."

Sobre impeachment Aécio ressaltou: "Impeachment precisa de dois componentes, um de ordem política que não está longe de ocorrer, está expresso na insatisfação, e outro jurídico que ainda não está colocado", disse. "Torço para que isso não ocorra. Essa não é uma agenda dos partidos de oposição."

Até o PIB do Peru cresce mais do que o do Brasil

O Produto Interno Bruto (PIB) do Peru cresceu 1,68% em janeiro, comparado com o mesmo mês em 2014, marcando 66 meses consecutivos de expansão, informou a agência nacional de estatísticas, INEI. Comparado com dezembro, o crescimento em janeiro aumentou 0,5%.

Já a economia brasileira, comparando janeiro 2014 a janeiro de 2015, o índice foi de queda de 1,34%.

Balança comercial registra déficit de US$ 24 milhões na segunda semana de março

A balança comercial registrou déficit de US$ 24 milhões, na segunda semana de março, resultado de exportações de US$ 3,624 bilhões e importações de US$ 3,648 bilhões. No mês, o saldo é negativo: US$ 74 milhões.

A média das exportações da segunda semana chegou a US$ 724,8 milhões, 7,8% inferior à média de US$ 786 milhões da primeira semana, em razão da retração nas exportações de produtos manufaturados.

Os dados foram divulgados nesta segunda-feira pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Presidente da Câmara diz que vai arquivar pedidos de impeachment

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), indicou nesta segunda-feira, que vai arquivar os pedidos de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff que chegarem à Casa.

Cunha, que é o terceiro na linha de sucessão da Presidência, disse que não leu o pedido do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), mas acredita que o impeachment "não é a solução". Ele ainda disse que o impedimento da presidente é uma situação que "beira o ilegal e o inconstitucional".

"Efetivamente, da nossa parte, não tem guarida para poder dar seguimento até porque entendemos que esta não é a solução. Entendemos que temos um governo que foi legitimamente eleito e que, se aqueles que votaram neste governo se arrependeram de terem votado, isso faz parte do processo político. E não é dessa forma que vai resolver", argumentou o peemedebista.

Lava-Jato: "É assustador", diz juiz Sérgio Moro sobre sequência de propinas

No despacho em que mandou prender preventivamente Renato Duque, o juiz federal Sérgio Moro, que conduz todas as ações da Operação Lava-Jato, ressaltou que é “assustador” o fato de que o pagamento de propinas para o ex-diretor de Serviços da Petrobras continuou ocorrendo ainda no segundo semestre de 2014 - meses depois da deflagração da investigação sobre o esquema de corrupção na estatal petrolífera.

O magistrado destacou que o rastreamento bancário mostra que Duque “transferiu os saldos milionários de suas contas na Suíça para contas em instituições financeiras em outros países, entre eles o Principado de Monaco”. Todos os ativos nas contas de Duque já foram bloqueados pelo Principado.

O rastreamento mostra que ainda no segundo semestre de 2014, a conta em nome da offshore Milzart Overseas, no Banco Julius Baer, no Principado de Monaco, que tinha como beneficiário e controlador Renato Duque, recebeu, em diversas operações de crédito, cerca de US$ 2.220.517. Já a conta em nome da offshore Pamore Assets, no Banco Julius Baer, também no Principado de Monaco recebeu, no segundo semestre de 2014, a quantia de 208.643,65 euros.

“Esses valores foram provenientes de contas mantidas em nome das offshores Tammaroni Group e Loren Ventures, no Banco Lombard Odier, na Suíça, que também seriam controladas por Renato Duque, ainda em 2014?, assinala o juiz Moro.

Dólar é vendido a R$ 3,22; Bolsa volta a oscilar

O dólar operava em queda nesta segunda-feira, e a Bovespa voltou a operar quase estável. Os investidores avaliavam o impacto dos protestos da véspera contra o governo federal e contra a corrupção.

Por volta das 15h, o dólar comercial operava em baixa de 0,7%, a R$ 3,226 na venda.

No mesmo momento, o Ibovespa, principal índice da Bolsa, tinha leve alta de 0,06%, a 48.626,54 pontos. Na última sexta-feira, o dólar tinha atingido o maior valor desde 2003, passando de R$ 3,25.

Pepe Vargas sai até o fim de março

A expectativa no governo é que Pepe Vargas saia da Secretaria de Relações Institucionais para outro ministério, a exemplo do caminho trilhado por seus três antecessores na pasta.

O gaúcho Pepe Vargas está apenas a 78 dias no cargo, ele assumiu dia 29 de dezembro de 2014.

Impostômetro chegou a R$ 400 bilhões nesta segunda-feira

O total de tributos pagos pelos brasileiros neste ano ao Governo Federal, Estados e municípios alcançou a marca de R$ 400 bilhões nesta segunda-feira, de acordo com o Impostômetro, da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

No ano passado, o valor de R$ 400 bilhões foi registrado somente no dia 24 de março. Segundo o presidente da ACSP, "isso mostra que houve aumento da arrecadação. E esse aumento é resultado da elevação de preços e do fim de isenções fiscais".

Brasil: Atividade econômica é a pior desde 2012

O Índice de Atividade do Banco Central (IBC-Br) revela que 2015 apresentou o pior começo de ano para a economia doméstica desde 2012, quando teve retração de 1,34% em janeiro, na margem, com ajuste sazonal. Em janeiro deste ano, o indicador apresentou baixa de 0,11% na mesma comparação.

Vale destacar, no entanto, que a queda de três anos atrás foi fortemente influenciada por uma base alta de comparação e agora, o recuo, é observado pela segunda vez consecutiva. O BC revisou a queda de dezembro de -0,55% para -0,57%.

Em 2014, o IBC-Br subiu 1,11% na margem em janeiro e, no ano anterior, 0,63% no mesmo período. Todos os dados são citados pela série dessazonalizada. Bem pior do que o esperado pela maioria dos analistas do mercado financeiro, o IBC-Br é mais um indicador ruim para os negócios de hoje.

No Relatório de Mercado Focus, divulgado simultaneamente ao IBC, a mediana das estimativas dos analistas para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano passou de uma queda de 0,66% para recuo de 0,78%, também segundo o BC. O IBGE trará o resultado oficial do PIB de 2014 na próxima sexta-feira.

Para líder do PSDB, discurso do governo "é alienado, arrogante e afronta a sociedade"

Para o Líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), mesmo diante das manifestações que levaram milhares de brasileiros às ruas de todo o país, o governo demonstra que ainda não aceitou o recado da sociedade e insiste em classificar os protestos como sendo de iniciativa de eleitores da oposição.
Segundo Sampaio, isso ficou claro com as falas dos ministros José Eduardo Cardozo (Justiça) e Miguel Rossetto (Secretaria-Geral da Presidência), em entrevista coletiva, há pouco, alvos de um novo panelaço em várias cidades.

“Os ministros Cardozo e Rossetto foram os porta-vozes do discurso alienado e arrogante do governo, completamente desconectado com o que aconteceu nas ruas de todo o país neste domingo. Repetiram a ladainha de sempre, de que os protestos são uma iniciativa de eleitores da oposição, e acenam apenas com o envio de um pacote anticorrupção anunciado há meses, como se a questão levantada nas ruas fosse apenas essa. O governo reluta em reconhecer que perdeu a confiança dos brasileiros e demonstra não ter a humildade de perceber que está num beco sem saída. As manifestações de hoje foram apenas o começo”, afirmou Sampaio.

Movimento pelo impeachment convoca novo ato para o dia 12 de abril

"Um milhão de pessoas foi pouco! No próximo vamos atrair o dobro!" Era esse o discurso do Movimento Brasil Livre (MBL) ao final do protesto realizado na Avenida Paulista na tarde deste domingo. O protesto reuniu um milhão de pessoas, de acordo com a Polícia Militar. Já o Datafolha anunciou que 210 mil compareceram à manifestação.

Movimento que se posiciona como grupo jovem, liberal, a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff e contra a intervenção militar, o MBL foi o primeiro dos grupos participantes do ato deste domingo a confirmar nova manifestação, que será realizada no dia 12 de abril, às 15h, no mesmo local.

Na contramão do cenário econômico, Panvel expande suas lojas em Porto Alegre

A Panvel Farmácias mantém sua estratégia de expansão em 2015 a partir da inauguração de novas lojas. Nos últimos seis meses, 15 filiais foram abertas na região Sul.

Somente na capital gaúcha foram cinco novas lojas.

Atualmente, a Panvel Farmácias chega a 104 lojas instaladas em Porto Alegre e 328 em todo o RS.

Oi abre sétima loja própria no RS

A Oi inaugura nesta terça-feira a sua sétima loja própria no Rio Grande do Sul. A nova loja Oi funcionará no Shopping Iguatemi e contará conta com atendimento especializado e oferta de serviços convergentes da Oi: telefonia fixa, móvel, internet e Oi TV.

Com um design arrojado e inovador diferente de outras lojas da companhia na região Sul, a nova loja da Oi no Iguatemi irá proporcionar aos seus clientes experiências de alta qualidade, no atendimento e na degustação de aparelhos e produtos da companhia.

Nos nove primeiros meses de 2014, a Oi investiu R$ 200 milhões no Rio Grande do Sul, são mais de R$ 1,2 bilhão nos últimos cinco anos.

Programa de humor dos EUA satiriza corrupção na Petrobras e postura de Dilma: Como ela foi absolvida???

Os escândalos de corrupção da Petrobras, que somaram o pagamento de pelo menos US$ 800 milhões em propina por construtoras para fechamento de contratos, ganharam espaço num programa de humor veiculado pela HBO nos Estados Unidos e no Canadá. John Oliver, do Last Week Tonight, satirizou tanto o escândalo em si quanto o pronunciamento de Dilma Roussef em cadeia nacional, na semana passada, quando ela pediu calma aos brasileiros.

Oliver também falou sobre o panelaço que ocorreu em todo o país durante o discurso da presidente, e se mostrou indignado diante do fato de ela, apesar de ter sido do conselho da Petrobras quando os atos de corrupção já ocorriam na estatal, ter sido inocentada de qualquer envolvimento com a prática ilícita. 

CLIQUE na imagem acima para ver o vídeo completo.

Dois helicópteros e um drone fizeram a segurança aérea em Porto Alegre.

Além dos dois helicópteros que acompanharam toda a manifestação de ontem em Porto Alegre, também um drone sobrevoou a concentração no Parcão, fazendo até mesmo alguns vôos razantes.

Os helicóperos eram da Brigada.

O drone foi usado pela própria organização das manifestações.

A grande massa de 100 mil pessoas não percebeu distúrbio algum, mas pelo menos 10 infiltrados foram identificados e removidos pelos policiais.

A segurança também impediu o ingresso dos 100 mil manifestantes no Parque da Redenção, evitando incidentes com pequeno grupo de galeteiros petistas que assavam coxinhas. Entre a multidão que frequenta todos os domingos a Redenção, também foram identificados infiltrados, localizados com estilingues e bolinhas de aço.

PT alarmado com prisão do diretor petista da Petrobrás. Ele foi solto e aproveitou para esconder 20 milhões de euros em Mônaco.

O PT está alarmado com a prisão do ex-diretor da Petrobrás, Renato Duque, nomeado para o cargo com a finalidade de roubar dinheiro da Petrobrás para o Partido. O próximo pode ser Vaccari Neto, tesoureiro nacional do PT. Esta fase do Petrolão é do PT.

Renato Duque foi solto uma primeira vez pelo ministro Teori Zavascki, que teria atendido pedido de Lula, alarmado com as ameaças da mulher do diretor petista.

Depois de solto por ordem de Zavascki, Duque com tinuou escondendo dinheiro sujo.

Leia notícia do G1 de hoje:

No despacho, Sérgio Moro apresentou os motivos que o levaram a mandar prender Duque novamente. Segundo o juiz federal, o Ministério Público descobriu que Duque continuou lavando dinheiro mesmo depois da deflagração da Operação Lava Jato, em março do ano passado.
O magistrado afirmou na decisão que o ex-diretor de Serviços da Petrobras "esvaziou" suas contas na Suíça e enviou € 20 milhões para contas secretas no principado de Mônaco. O dinheiro, que não havia sido declarado à Receita Federal, acabou bloqueado pelas autoridades do país europeu.
"Os indícios são de que Renato Duque, com receio do bloqueio de valores de suas contas na Suíça, como ocorreu com Paulo Roberto Costa, transferiu os fundos para contas no Principado de Mônaco, esperando por a salvo seus ativos criminosos", afirmou Moro no documento.
Ainda de acordo com o juiz, há indícios de que Renato Duque mantém outras contas correntes nos Estados Unidos e em Hong Kong. O MP, que solicitou o bloqueio dos recursos em Mônaco, acredita que Duque transferiu o dinheiro para o principado e para outros países por receio de que o dinheiro fosse apreendido, como ocorreu com o ex-diretor de Refino e Abastecimento da petroleira Paulo Roberto Costa.
Na decisão, Sérgio Moro afirmou que a quantia apreendida em Mônaco, e não declarada ao fisco, é "incompatível" com seus rendimentos na Petrobras.
"Oportuno destacar que Renato Duque não declarou, à Receita Federal, qualquer valor mantido no exterior, que jamais admitiu perante o Juízo ou ao Supremo Tribunal Federal que teria contas no exterior, e ainda que o montante bloqueado é absolutamente incompatível com os rendimentos que recebia como ex-diretor da Petrobras", disse o magistrado.
O juiz responsável pela Lava Jato na primeira instância destacou no despacho que a prisão de Duque se justifica para evitar o crime de lavagem e a transferência do dinheiro para outras contas, o que dificultaria o rastreamento e a recuperação dos recursos.


Polícia Federal deflagra mais uma fase da Operação Lava-Jato

O ex-diretor de Serviços e Engenharia da Petrobras Renato de Souza Duque voltou a ser preso pela Polícia Federal (PF) nesta segunda-feira, no início da décima fase da Operação Lava-Jato. Duque foi encontrado por agentes na casa dele, no Rio de Janeiro. Na ação, 40 policiais cumprem 18 mandados desde às 6h, na capital carioca e em São Paulo. Também foi preso o empresário paulista Adir Assad, investigado na CPI do Cachoeira. As duas prisões são preventivas.

Três prisões temporárias foram cumpridas: Lucélio Góes, Sônia Mariza Branco - ligada à empresa de publicidade Rockstar - e Dário Teixeira - mencionado na delação premiada do executivo da Toyo Setal Augusto Mendonça. A 13ª Vara atendeu o pedido do Ministério Público Federal (MPF) para prender temporariamente Sueli Maria Branco, mas a ordem não foi cumprida, já que a mulher é falecida.

Outros 12 mandados de busca e apreensão também eram previstos para esta etapa da operação. Todos os presos devem ser levados para o Paraná. Entre os crimes investigados nesta etapa da Lava-Jato, intitulada de "Que país é esse?", estão associação criminosa, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, uso de documento falso e fraude em licitação.

Artigo de David Coimbra em ZH: Quem é Gregório Duvivier?!

Artigo de David Coimbra: sobre Gregório Duvivier e as cadeias - 
Jornal Zero Hora – 16/03/2015

Gosto do Gregório Duvivier nos vídeos do Porta dos Fundos. Ele faz um tipo meio aéreo, perplexo com as contingências da vida, bom contraponto com o ar brejeiro do Fábio Porchat. Semana passada, o entrevistamos no Timeline, da Gaúcha. Falamos, sobretudo, sobre política. Aí, o Gregório foi mal. Não por causa de seu posicionamento  – ele é governista a ponto de chamar a Dilma de presidenta. Por causa da sua articulação. Ou falta de.
Quando um personagem sem consistência intelectual se põe a reproduzir um discurso, é porque alguém mais preparado pensou isso por ele. Alguém, obviamente, do PT, que dispõe de intelectuais com estofo teórico.


CLIQUE aqui para ler o texto completo de David sobre as intenções do PTde transformar a reforma política no centro da discussão sobre a corrupção.

Os alquimistas do Datafolha acabam de exterminar mais de 800 mil manifestantes

Neste artigo no seu blog de hoje do site www.veja.com.br, Augusto Nunes conta que na sexta-feira, a Polícia Militar constatou que 12 mil pessoas participaram da manifestação organizada por centrais sindicais e pelo MST para defender o emprego de Dilma Rousseff e a impunidade dos companheiros bandidos do Petrolão. O Datafolha, amparado em alguma metodologia revolucionária, enxergou um rebanho com 41 mil cabeças.

Leia o que escreve Nunes:

Neste domingo, a PM constatou que 1 milhão de brasileiros participaram da manifestação contra o governo lulopetista promovida em São Paulo. O cálculo foi endossado por vídeos, fotografias e olhares capazes de ver as coisas como as coisas são. Ninguém discordou ─ à exceção do Datafolha. Onde até um bebê de colo viu 1 milhão de seres humanos os alquimistas do instituto contabilizaram 210 mil.
Imediatamente, uma jornalista da Globonews fez a advertência: algum sherloque do Planalto logo estaria insinuando que os cálculos da PM são ditados pelo governador tucano Geraldo Alckmin. Muito bem lembrado. No começo da noite, a Polícia Militar divulgou o seguinte 

ESCLARECIMENTO:
“A Polícia Militar, a respeito da grande manifestação popular realizada nesta data (15/03), na região da Avenida Paulista, ratifica suas estimativas de público em aproximadamente 1 milhão de pessoas, de acordo com a aplicação de sua ferramenta tecnológica “COPOM ON-LINE”, que utiliza recursos de mapas e georreferenciamento, baseadas nas imagens aéreas colhidas por um dos helicópteros Águias, determinando a extensão principal da manifestação, bem como, a ocupação das ruas adjacentes adotando como parâmetro de cálculo, naquele momento, de 5 pessoas por metro quadrado. A estimativa, apurada por volta de 15h40min, considerou a extensão da Avenida Paulista, da Praça Oswaldo Cruz até a Rua da Consolação, considerando ainda a ocupação das ruas adjacentes e paralelas, além do Vão Livre do MASP”.
O Brasil anda implorando pela criação de um instituto especializado na contagem de imbecis, sabujos e trapaceiros. É uma espécie em expansão. Talvez já não caiba na Avenida Paulista.


Morreu o coronel Nehme

Morreu o coronel João Emílio Nehme, ex-subchefe da Casa Militar do governo Leonel Brizola. Ele estava internado no Hospital da BM. Nehme tinha 89 anos.

Sua ativa participação na Legalidade, custou-lhe perseguições políticas por parte da ditadura. Foi preso cinco vezes em sete meses, chegando a ser expulso da Brigada. Sem soldo, criou o dirigiu o Casarão Azul, loja de antiguidades que implantou no bairro Rio Branco. Com a redemocratização, voltou aos quadros da Brigada.

O coronel foi ativista do PTB e depois do PDT. Nunca abandonou e nem traiu Brizola.

"Trabalhador" protesta em dia de trabalho e "elite rica" protesta em dia de descanso

OPINIÃO DO LEITOR

É tudo muito irônico e divertido: a "elite branca e golpista"(anti-governo)saiu no domingo, enquanto que a "classe trabalhadora" , pro-governo, o lumpesinato de sempre, saiu na sexta, durante o horário de expediente.


Por si só, isso já explica metade da crise.

André Severo, Porto Alegre

CLIQUE AQUI para saber o que é lumpenproletário.

TCU denuncia superfaturamento de R$ 93,8 milhões no Ceitec de Porto Alegre

Acórdão do TCU publicado no Diário Oficial da União de quinta-feira, denunciou superfaturamento de R$ 93,8 milhões nas obras de construção do Ceitec, o Centro de Excelência de Tecnologia Avançada, localizado em Porto Alegre. A estatal é federal e foi criada a partir de uma luta política enorme do então deputado Beto Albuquerque. Tudo saiu porque o ministro de Ciência e Tecnolgia da época era correligionário de Beto no PSB.

O editor acabou de ler o texto completo do Acórdão, publicado nas páginas 96, 97 e 98 do DOU e que só neste domingo chegou às mãos desta página.

A empresa que conseguiu elevar o preço original em, 63,11% é a mesma Delta que se envolveu em escândalos de corrupção no Rio de Janeiro, deixando em maus lençóis o então governador Sérgio Cabral.

O Ceitec é atualmente um elefante branco.

Os responsáveis pelos contratos, inclusive aditivos, estão todos citados no Acórdão e serão responsabilizados civil e criminalmente. O caso foi para o MPF para investigação e denúncia.

O TCU não aborda casos de corrupção e de propinas no seu Acórdão, até porque não cabe a ele fazer este tipo de investigação, o que será feito pelo MPF e PF.

Homens e mulheres, em igual número, protestaram contra Dilma em Porto Alegre. Veja, aqui, mais análise sobre o perfil dos manifestantes.

O jornal Zero Hora de hoje informou que em Porto Alegre os institutos Índex e Amostra acompanharam a caminhada que reuniu cerca de 100 mil pessoas pelas ruas para identificar o perfil dos participantes do protesto realizado ontem  nas ruas. 

O instituto Índex realizou entrevistas com 766 pessoas que participaram da manifestação que reuniu 100 mil pessoas . A margem de erro é de 3,6 pontos percentuais para mais ou para menos, com uma margem de confiança de 95%.

Homens e mulheres - A divisão por gênero ficou praticamente parelha, com 51,2% de homens (392) e 48,8% de mulheres (374). A maior parte dos manifestantes que responderam à pesquisa tem entre 25 e 44 anos (42,3%) e concluiu o Ensino Superior (68,4%). 

Renda -  5% ganham entre um e dois salários mínimos, enquanto 22,7% recebem entre três e cinco salários, 31,9% entre seis e dez, e 40,5% ganham mais de dez salários mínimos. 

Raça - Os brancos respondem por 87,2% dos entrevistados, com apenas 9,9% de negros e 2,9% de pardos. 

Problema central é corrupção - A corrupção representou por larga margem o principal problema do país de acordo com a pesquisa, com 60,1% das citações, enquanto a administração pública foi a segunda opção mais lembrada com apenas 8,6% das menções. Além disso, 78,1% dos entrevistados opinou que a corrupção aumentou muito nos últimos quatro anos, durante o primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff, e 86,4% consideram o combate à corrupção no Brasil como "não eficiente" e "nada eficiente". Em escalas de um a cinco para o nível de corrupção, a maioria dos entrevistados apontou o grau máximo tanto para os partidos políticos (76%), quanto para Congresso (73,4%) e para a Presidência da República (71,3%). Em relação ao impeachment de Dilma, 66,3% se disseram favoráveis e 29,8%, contrários.

76% foram eleitores de Aécio - Os resultados do levantamento apontaram que 71% dos entrevistados dizem não ter preferência ou simpatia por nenhum partido político. Por outro lado, 76% responderam ter dado voto ao senador Aécio Neves nas últimas eleições presidenciais.

Arno Augustin: de homem forte da república a dono de café gourmet no bairro Santana

A reportagem a seguir é de Ana Clara Costa para o site de Veja desta segunda-feira. A repórter conta tudo sobre a rica família do ex-chefão do Tesouro Nacional e ex-secretário de Olívio, que voltou magoado a Porto Alegre, depois do expurgo de Dilma, onde montou um café gourmet no bairro Santana.

Conheça a história:

Diante da proporção inesperada das manifestações de 15 de março, há quem busque um culpado - ou vários - pelos desmazelos que levaram o Brasil à situação em que se encontra. A presidente Dilma Rousseff carrega boa parte da responsabilidade não só pelo cargo que ocupa, mas também por ter sido autora de muitas das derrapadas econômicas e políticas que colocaram o país em crise. Contudo, se Dilma quiser repassar a bronca a um subordinado também digno de responsabilidade, no caso o ex-secretário do Tesouro Arno Augustin, terá alguma dificuldade em encontrá-lo. Isso porque o economista que foi o artífice e executor das medidas fiscais equivocadas da presidente nos últimos quatro anos simplesmente desapareceu.
Ao ser exonerado do cargo no Tesouro, Arno foi cotado para assumir a presidência da usina de Itaipu. A nomeação subiu no telhado e ele decidiu voltar a Porto Alegre, onde estudou e fez carreira. Saiu de Brasília magoado com a forma com que foi tirado do governo e com a indicação de Joaquim Levy e Nelson Barbosa para cargos de ministros. A indicação de Barbosa foi um baque, em especial, porque o atual ministro do Planejamento era um de seus maiores desafetos e havia justamente deixado o governo Dilma 1 por desavenças com o ex-secretário.
Com a derrota do PT no governo do Rio Grande do Sul, Arno está sem muitas alternativas no setor público. Foi-lhe imposto, portanto, um período sabático, o qual vive em reclusão. Economistas de São Paulo e Brasília que costumavam ter algum contato com o ex-secretário dizem achar estranho o sumiço.
O que se sabe é que, recentemente, montou uma torrefação de cafés especiais e uma cafeteria "gourmet" para alguns familiares no bairro de Santana, em Porto Alegre. Dizem os entendidos do ramo que se trata do melhor café da capital gaúcha. Mas o ex-secretário raramente é visto por lá - está (bem) distante da contabilidade do negócio.
Se os dias de Arno como servidor realmente chegaram ao fim, não significa que ele esteja na rua da amargura. Longe disso. Como boa parte dos trotskistas em atividade, o economista nasceu numa família abastada de Carazinho (RS) e é herdeiro de uma fortuna construída do setor do agronegócio. Arno sempre se mostrou desprendido da riqueza que seu pai, de quem herdou o nome, acumulava com o passar do tempo. Dono de terras, comerciante de máquinas agrícolas e empresário do setor automotivo, Arno pai nunca foi dado à política. Morreu em março do ano passado deixando três herdeiros muito bem amparados.

Claudio, o primogênito, enveredou-se no sindicalismo e, como o irmão, jamais demonstrou interesse pelo patrimônio familiar. O único a seguir o caminho paterno foi Carlos Ernesto Augustin, que hoje comanda um conglomerado de agronegócio, em especial de soja e algodão, com sede em Rondonópolis, no Mato Grosso.

Análise - Se depender do Fed, o real não vai a R$ 3,91, mas o caso é a crise de credibilidade do governo

A análise a seguir é de Luiz Séwrgio Guimarães, Brasil Econômico de hoje, intitulada "Fed encara a hora da decisão - O mercado como ele é". Leia tudo:

O medo de Lula fez a moeda bater na cotação máxima de R$ 3,91 no dia 16 de outubro de 2002. Pode chegar a tanto agora ? Se dependesse apenas dos rumos da política de juros do Fed, não
Há muita inquietação nos mercados globais com a reunião de quarta-feira do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) do Federal Reserve. Não só porque os investidores pressentem que está chegando a hora da decisão. Mas também porque a de março é uma das quatro reuniões do Fomc no ano em que há a divulgação das projeções econômicas dos seus membros e discurso e entrevista à imprensa da "chair" Janet Yellen. Já na sexta-feira os mercados começaram a aquecer os motores para a reunião. O juro do título de dez anos do Tesouro americano chegou a subir de 2,10% para 2,15% e o dólar disparou globalmente, amplificando o "overshooting" ante o real agudizado primariamente por temores políticos. A moeda americana saltou sextafeira 2,77%, cotada a R$ 3,2490. Desde o fundo do poço recente, os R$ 2,8560 do dia 27 de fevereiro, até agora o dólar já se valorizou 13,76% - uma autêntica maxidesvalorização cambial. Se o mercado de câmbio estivesse aberto ontem, teria ido buscar os R$ 3,30 às 16 horas, quando a PM estimou em 1 milhão o número de manifestantes na Avenida Paulista. O comportamento de hoje vai depender da reação dos políticos e do Palácio do Planalto aos protestos. Os investidores vão comprar e vender dólar de olho em Brasília e no Fed.
Editoria de Arte As três etapas da reunião do dia 18 do Fomc são relevantes para a definição dos rumos da política monetária dos EUA. Na primeira, ocorre a divulgação do resultado prático, no caso a manutenção da taxa básica de juros entre zero e 0,25%, o mesmo patamar que vigora desde o final de 2008. A decisão será comunicada por meio de uma nota, cujos termos são mais importantes que ela mesma. A expectativa é que o Fomc irá retirar o atual "guidance" de política monetária - a propensão do Fed de cultivar a "paciência" antes de tomar a trilha ascendente do aperto. Os analistas acreditam que a retirada da paciência virá acompanhada da advertência que isso não significa que o juro básico será descongelado na reunião seguinte. Apenas reforçará a condicionante reiterada nas últimas atas do Fomc, a de que as decisões futuras serão "data dependent", vinculadas ao desempenho da economia, à retomada do mercado de trabalho e ao ritmo da inflação.
As três pré-condições precisam caminhar juntas, embora alguns falcões do Fed defendam que o aperto deve se iniciar muito antes dos primeiros sinais mais concretos de revigoramento do ímpeto inflacionário. Se o comitê fosse esperar a inflação chegar perto da meta de 2% não teria espaço para fazer nenhuma correção em face da forte valorização global do dólar. Após o "statement", o Fed atualiza as previsões dos integrantes do Fomc para as variáveis essenciais inflação, emprego e juros.
A terceira etapa da reunião, o pronunciamento e a coletiva de Yellen, é a que congrega maior potencial de novidades e agitações, dada a franqueza da dirigente. Se a "fed funds rate" for tirada do freezer ainda em 2015 o será ou na reunião de 17 de junho, ou na de 17 de setembro, ou no último encontro do ano, agendado para 16 de dezembro, pois são estas três reuniões as que arregimentam as mesmas características especiais dessa de março. Uma mudança de curso da política monetária é indicada nesses encontros especiais porque há condições mais favoráveis para o Fed explicitar as suas intenções. Hoje o mercado está dividido praticamente meio a meio entre os que apostam na reunião de junho e os que põem fichas na de setembro.
Se a "chair" do Fed deixar escapar a possibilidade de o juro iniciar sua trajetória de alta já na reunião de junho, os grandes fundos de investimento mundiais tendem a deslanchar operações de venda de "treasuries" com consequente elevação da rentabilidade dos títulos. Começará a corrida para o ajustamento dos portfólios à nova realidade monetária dos EUA. Mas não se espera que a taxa do papel de dez anos tenha fôlego para saltar de imediato dos atuais 2,10% para perto dos 3% aos quais chegou depois que o então presidente do Fed, Ben Bernanke, anunciou, em maio de 2013, a intenção de desfechar o "tapering" da política monetária, ou seja, a diminuição na oferta mensal de dólares para a recompra de títulos públicos e hipotecas, até sua completa extinção.
Mesmo que não tenha apetite para tanto, dada a maciça oferta de moeda para os EUA, a tensão tenderá a crescer nas praças globais nos próximos três meses num momento em que o mercado de câmbio doméstico embarcou num rali de alta semelhante ao do segundo semestre de 2002. O medo de Lula fez a moeda bater na cotação máxima de R$ 3,91 no dia 16 de outubro daquele ano. Pode chegar a tanto agora ? Se dependesse apenas dos rumos da política de juros do Fed, não. Como o mercado não tem contra quem apostar - o Banco Central sustenta glacial indiferença em relação à disparada do dólar, ao manter estável o atual estoque de swaps cambiais em US$ 113 bilhões e ao negar-se em vender moeda das reservas internacionais -, em algum ponto as próprias forças de mercado encontrarão um preço de equilíbrio. Quando o mercado perceber que o dólar chegou por si mesmo à cotação que promove o equilíbrio natural do balanço de pagamentos, os altistas perdem motivação.

Um combustível extra precisará ser injetado de outra bomba, instalada no Congresso. O dólar decolou na sexta-feira por causa de movimentos de defesa - a cobertura de posições vendidas às vésperas de evento imprevisível, os protestos de ontem - e também da montagem de novas posições compradas por parte de investidores que apostavam na ampliação da crise política com consequência das manifestações. A aposta foi de que os aliados se sentirão encorajados a aumentar o confronto com Dilma Rousseff em face da adesão popular aos protestos, sobretudo em São Paulo. Se os políticos se considerarem respaldados pela população e se puderem tirar vantagem desse apoio, a briga deve recrudescer. E não vai funcionar mais a chantagem utilizada na semana passada - a ameaça de demissão do ministro Joaquim Levy. Se o ajuste fiscal ficar comprometido, o câmbio engrossará a via do impeachment. 

Joaquim Barbosa critica Dilma por fala de ministros

O ex-presidente do STF, Joaquim Barbosa disse que foi um “erro” da presidente Dilma Rousseff colocar os ministros de Estado para falar dos protestos do 15 de março.

Pelo Twitter, ele também criticou o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo por ‘insinuar que as iniciativas do Ministério Público Federal (MPF) e da Polícia Federal (PF) são impulsionadas pelo governo’.

O editor considera que Dilma não poderia ter falado ontem a noite, a menos que fosse para anunciar sua própria renúncia. O panelaço que acompanhou a entrevista dos ministros, teria se transformado em manifestação de rua em plena madrugada. 

MPF, Moro e Polícia Federal começam a prender os petistas do Petrolão. Renato Duque já está na cadeia.

"Que país é este ?", perguntou Renato Duque, ao lado, ao ser preso a primeira vez, antes de ser solto por Teori Zavascki a pedido de Lula -

CLIQUE AQUI para ver e ouvir o Legião Urbana cantar "Que País e este ?"

A Polícia Federal voltou a prender, nesta segunda-feira, o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato de Souza Duque, apontado como operador do PT no esquema desmontado pela Operação Lava Jato. João Vaccari Neto, tesoureiro nacional do PT, será o próximo. E é só o começo. 

O site Congresso em Foco desta manhã informa que a ação faz parte da 10ª fase da Lava Jato, batizada de “Que país é esse?”, em alusão à frase dita pelo ex-diretor ao ser preso pela primeira vez, em novembro do ano passado. Desta vez, Duque foi preso em sua casa no Rio de Janeiro em caráter preventivo. Nesta nova etapa, a PF apura os crimes de corrupção passiva e ativa, lavagem de dinheiro, uso de documento falso, fraude em licitação e associação criminosa, informa a TV Globo.
Ao todo, são 18 mandados – 12 de busca e apreensão, quatro de prisão temporária e dois de prisão preventiva. Além de Duque, também foi preso em caráter preventivo o empresário e lobista de origem libanesa Adir Assad, investigado na CPI do Cachoeira por operações envolvendo a Delta Engenharia. Todos os presos devem ser levados para Curitiba, onde estão concentradas as investigações contra acusados sem foro privilegiado.

Em depoimento, o executivo Augusto Ribeiro de Mendonça Neto, um dos delatores do esquema, disse que empresas de fachada ligadas ao lobista Adir Assad foram utilizadas pelo Grupo Toyo Setal, do qual ele era representante, para simular ao menos seis contratos de prestação de serviços para pagar propina a Renato Duque.

Preso na sétima etapa da Lava Jato, Duque conseguiu revogar a prisão graças a um habeas-corpus concedido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki, em dezembro. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contestou a soltura, alegando que Duque poderia deixar o país.

O ex-diretor de Serviços da Petrobras foi apontado como pelo ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa e pelo ex-gerente Pedro Barusco, seu subordinado, como participante do esquema bilionário de desvio de recursos da empresa. Outro delator, o doleiro Alberto Youssef, também diz que Duque operava para o PT. O ex-executivo sempre negou participação no esquema.


Artigo, Daniel Ramos - É o povo, estúpidos !

Imagino que todo o Ministério da Desculpa estava reunido logo cedo no Palácio. Por volta da uma hora da tarde todos relaxaram. Afinal, falava-se em apenas 200 mil pessoas no Brasil inteiro, protestando contra o governo, pedindo para aquela senhora desocupar a cadeira. Eles conseguiram emplacar na imprensa um número de 120 mil pessoas nas manifestações de apoio da última sexta-feira. Nas contas deles 200 e 120 dá quase no mesmo, é mais fácil relativizar. É surreal, mas houve uma marola de protestos a favor do governo, contra a situação econômica e a corrupção. Economia quem controal é o governo, e os maiores escandalos de corrupção envolvem diretamente eles mesmos. Apenas como registro, muita gente na imprensa estava consternada.
À tarde, tudo mudou. Só na avenida Paulista tinha mais de um milhão de pessoas. No Brasil inteiro esse número deve ser, no mínimo, duplicado.
O Ministério da Desculpa se mobilizou e colocou um de seus integrantes para falar mais do mesmo, claro, igualando manifestações à base de mortadela com protestos legítimos: “somos a favor da democracia, os protestos de sexta e domingo foram respeitados e o que as pessoas querem e estamos fazendo: combatendo a corrupção”. Mais uma vez, parece que nada foi com eles. A ordem dada para seus seus robôs e militontos, veio com outro integrante, a desculpa era menos ortodoxa e eles seguiram a repetir alucinadamente:
- Olha, são os eleitores do Aécio!
Pra começo de conversa, o voto dos eleitores de Aécio vale menos? Hoje pela manhã o petismo disse que era da democracia, e depois desvaloriza 51 milhões de votos? A coerência é, ou deveria ser, o feijão com arroz da política. É o básico.
Tem mais uma desculpa:
 - É a classe média!
Ora, não é o petismo que vive se vangloriando de ter ascendido milhões de pessoas à classe média? Ah, a classe média ingrata! Se for isso, se for por falta de agradecimento, nosso mais hipócrita muito obrigado! E nosso mais sincero Adeus! Podem levar o petismo pra casa descansar. Levem junto seus 40 ministérios e centenas de milhares de cargos em comissão. Aproveitem agora. Alguns devem voltar para se explicar à justiça.
Mas nunca esqueçam, a classe média, maior parte de povo segundo o próprio petismo, faz a economia girar e chegar até o governo mais de UM TRILHÃO DE REAIS, e gostaria que retornasse em forma de serviços de qualidade. Simples. Mas só o que se vê sobre o destino do dinheiro é o caminho que ele faz pro bolso de corruptos.
Mesmo assim, a maioria dos que reclamam segue produzindo e trabalhando. Por isso o domingo foi sacrificado. O sagrado dia de ficar com a família foi usado para ir às ruas se manifestar. Porque essa é uma forma de defender o futuro da sua família. O petismo deveria agradecer é que quem protestou, não quis atrapalhar a vida dos outros, em uma sexta-feira, por exemplo.  Para desespero do pessoal dos ventríloquos do Planalto, também estava chovendo.  Ou seja, além da determinação das pessoas em mostrar seu descontentamento, a chuva ainda enche um pouco o nível do Cantareira e esvazia o discurso que a insatisfação é contra a política em geral. Desta vez não tem nem como colocar no colo dos outros. Em São Paulo, secretários de estado, vereadores, deputados, foram recebidos como cidadãos comuns.  Portanto, o recado é direto.
Também não adianta chamar rede de rádio e televisão para anunciar pactos. Para não ir tão longe, só da Pátria Educadora recém lançada foram retirados milhões de reais, das bolsas do FIES, em calotes no Pronatec, corte de verbas para universidades. E não esqueçam, os 5 pactos de 2013 foram quebrados. Alguns dos tantos que foram quebrados com a sociedade.

O petismo que se serve das riquezas do país deveria no mínimo respeitar quem faz bem para o Brasil. Quem está indignado é o povo. O recado foi claro.

Igor falará sobre economia brasileira, esta noite, no IEE

Esta noite, 19h30min, o presidente da Fundação de Economia e Estatística, Igor Morais, falará no Instituto de Estudos Emprfesariais.

Igor analisará a conjuntura econômica brasileira.

O evento é fechado.

Não se sabe se o presidente da FEE adiantará os números sobre os números do PIB de 2014, que ainda não saíram. O editor tem informações de que o PIB do ano passado apurou números iguais aos de recessão, algo como menos 0,5%.




Sartori reúne secretariado esta manhã para discutir a crise financeira do governo estadual

A partir da semana que vem o governo estadual iniciará agenda de reuniões no interior gaúcho e também na capital, tudo destinado a abrir os números das finanças públicas estaduais.

Esta manhã, 8h, no Piratini, o governador reunirá o secretariado para afinar o discurso em torno do que fará a administração, com ênfase para a questão salarial, porque este tema é o que mais preocupa Sartori, já que ele poderá se decidir pelo parcelamento dos pagamentos a partir deste mês.

O Piratini está encurralado por decisões judiciais que o proíbem de parcelar salários e exigindo a imediata entrega de números sobre as situações financeira e fiscal.

O governo já foi citado e precisa entregar tos os dados em 72 horas.


Em 23 anos, Câmara e Senado já criaram 23 comissões para discutir a reforma política

Mais uma vez diante de crise política e social grave, a presidente Dilma Roussef empunha a justa bandeira da reforma política, tendo como ponto fulcral a eliminação do financiamento empresarial de campanhas eleitorais.

Nos últimos 23 anos, Câmara e Senado já criaram 13 comissões para implementar as mudanças.
Sem êxito algum.

Servidores da Polícia Civil querem impeachment de Sartori

O Sindicato dos Servidores da Polícia Civil ameaçou protocolar pedido de impeachment contra o governador Ivo Sartori, caso ele emplaque o parcelamento dos salários no RS.