IAB do RS soma-se à vanguarda do atraso e veta Projeto Cais Mauá de Porto Alegre

- O Instituto de Arquitetos do Brasil, seção RS, parece ter se somando à vanguarda do atraso. Segundo registra Marcelo Bumbel na nota a seguir:

O Instituto dos Arquitetos do Brasil quer revogar o convênio da Prefeitura com o Jaime Lerner e cancelar o projeto da Orla do Guaíba e começar tudo de novo com novos concursos.

Por favor pessoal mandem pelo menos 1 email para a IAB e 1 email para a Prefeitura manifestando seu descontentamento quanto a essa tentativa do IAB de tentar atrasar o progresso na nossa cidade!

IAB:  iab@iab.org.br
SPM (Planejamento): spmgab@spm.prefpoa.com.br
SMAM (Meio Ambiente): zachia@smam.prefpoa.com.br

Caos ronda a Bahia: greve de policiais provoca 30 assassinatos em menos de 24h

Entre a 0h de ontem e as 14h30 de hoje, 30 pessoas morreram no Estado, segundo dados da Secretaria de Segurança da Bahia.

. A greve de policiais militares da Bahia, que entra em seu quinto dia neste sábado (4) e tem provocado uma onda de violência, vem ganhando adesões no interior do Estado.Integrantes do 20º Batalhão da Polícia Militar, do município de Paulo Afonso (a 484 km de Salvador), também decidiram cruzar os braços sob a alegação de que o governo não vem cumprindo com algumas pendências.

. Na noite da sexta-feira (3), policiais da cidade de Barreiras (a 848 km da capital baiana) também aderiram ao movimento.

Greve da PM da Bahia pode se espraiar pelo País. Ministro da Justiça viajou às pressas para Salvador.

- O Ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso, chegou neste sábado a Salvador. A greve da PM, que começou terça, instalou o caos na Bahia. 53 pessoas já foram assassinadas, 26 das quais nas últimas 48 horas. Ninguém se atreve a sair nas ruas, que foram tomadas por bandidos e saqueadores. O governo petista do Governador Jacques Wagner perdeu o controle da situação. A nota a seguir do jornal A Tarde, Salvador, avisa que o movimento pode se espraiar pelo País. 
 
A greve de parte dos policiais militares baianos, iniciada na quarta-feira, 1º, poderá desencadear um movimento nacional.

Segundo o Secretário da Associação Nacional de Entidades Representativas de Praças Militares Estaduais (Anaspra), Roberto Caetano, que visitou os PMs baianos amotinados na Assembleia Legislativa, há uma possibilidade de a polícia militar do Rio de Janeiro aderir ao movimento.

Informação foi confirmada pelo coronel Almir Rosa, comandante do policiamento militar do Rio de Janeiro. Segundo ele, haverá, na próxima sexta-feira, 9, uma reunião na Cinelândia do Rio de Janeiro, para discutir se haverá greve no estado. Se acatado, o movimento no Rio começa no dia 10 de fevereiro.

Governos federal, do RS e de Porto Alegre gastaram R$7,6 milhões do dinheiro do povo, sem licitação, para esquerda fazer seu Fórum Social Mundial

- Como não conseguem ficar longe dos cofres públicos, os empreendedores do Fórum Social Mundial que terminou dia 29 no RS, foi buscar R$ 7,6 milhões junto aos governos federal, estadual e municipais (Porto Alegre, São Leopoldo, Canoas e Novo Hamburgo) todos do PT, à exceção de Porto Alegre, cujo Prefeito, José Fortunatti, é no entanto alinhado com as teses do FSM. O dinheiro foi todo gasto sem licitação alguma e em benefício da aividade privada de um grupo de ativistas políticos alinhados com os governos que tiraram dinheiro dos contribuintes. TCE, Assembléia, Câmaras e Ministério Público não quiseram discutir o assunto, que escandalizaria qualquer um deles, caso esse dinheiro todo fosse destinado ao Fórum da Liberdade, que sairá em março em Porto Alegre.O que se espera é que o FSM preste contas do que gastou. Na última edição, tiveram as contas glosadas no governo estadual e na prefeitura de Porto Alegre. Saiba quais os contribuintes que pagaram as atividades da disneylandia da esquerda global:

Governos federal e estadual – R$ 2 milhões cadaPrefeitura de Porto Alegre – R$ 2,1 milhõesPrefeituras de Canoas, Novo Hamburgo e São Leopoldo – R$ 1,5 milhão
Foram R$ 2 milhões do governo federal, que viabilizou a vinda de painelistas e integrantes de movimentos sociais de outros países, R$ 2,1 milhões da prefeitura de Porto Alegre, que bancou toda a infra-estrutura, R$ 2 milhões do governo do Estado, que arcou com custos de publicidade e divulgação, e R$ 1,5 milhões aplicados pelas prefeituras de Canoas, Novo Hamburgo e São Leopoldo

. O FSM foi um fracasso de público, de personalidades e de debates. A questão dos direitos humanos foi ignorada durante o FSM, que não quis discutir a morte de dissidentes e tampouco a prisão domiciliar a que são condenados os cicadãos cubanos.  Foram apenas 40mil paricipantes nas quatro cidades, o que significa menos de 2% da população da região metropolitana. Como ocorreram 670 atvidcades diferentes uma da outra, isto significa que cada uma delas recebeu público médio de 50 pessoas por evento.

. A não ser pela presença de Dilma Rousseff, o FSM não conseguiu emplacar nenhuma personalidade importante, a não ser o assassino italiano Cesare Battisti, cujo nome sequer constou dos bala nços feitos pelos empreendedores do FSM. O bandido foi recebido com as honras de estilo pelo seu benfeitor gaúcho, o governador Tarso Genro, mas sumiu de cena depois de cumprimentá-lo efusivamente no Piratini.

Arno Agustin, o xiita da DS neotrotskista do RS, é o novo homem forte do PT no Conselho da Embraer

- O governo do PT conseguiu introduzir na posição estratégica do Conselho de Administração da Embraer,  um dos seus mais importantes representantes, o xiita neotrotskista da DS do RS, Arno Agustin, que foi secretário da Fazenda do governo Olívio Dutra e é desde o governo Lula o secretário do Tesouro Nacional. A Embraer produz aviões militares para vários Países. A vaga de Conselheiro da Embraer ren de R$ 50 mil por mês.
A indicação do Sr Alexandre Gonçalves Silva, membro Independente do Conselho da Administração, desde abril de 2011, à presidência do mesmo sucedendo a Maurício Novis Botelho, que solicitou afastamento no dia 13 de janeiro de 2012, é no mínimo curiosa. O material a seguir é do site defesanet.

. O Sr Alexandre Gonçalves Silva não tinha as melhores relações com o Comando da FAB na administração do Brig Bueno. Alias não era interessante colocar os dois no mesmo ambiente pois o confronto seria inevitável. À Alexandre Silva é creditada a decisão de não mais dar manutenção às turbinas GE dos F-5, quando presidente da CELMA e depois da GE Brasil, o que muito atrapalhou o Comando da Aeronáutica.

Também o descarte de custosa maquinaria para fabricação de palhetas de turbinas que vieram como contrapartida comercial da aeronave AMX.

CLIQUE AQUI para saber mais quem é Arno Agustin.

Saiba a que interesses responde o novo presidente da Embraer

- Trata-se da maior empresa de construção de aviões da América Latina. Ela foi criada pelos militares, durante a ditadura. Os dados abaixo resultam de pesquisas feitas pelo editor, neste sábado, junto ao site defesa.net e a fontes militares.

A Embraer pulverizou seu capital há bastante tempo. Acionista algum pode ter mais de 5%. Mesmo quem dispõe de fatia maior, nem por isto leva  vantagem no Conselho. Os franceses, que tinham 20 % do capital, retirararam-se quando o capital foi dissolvido. Só ficou a Dassault, com  apenas 2%. O Previ e outros fundos estatais federais sob controle do PT,  é que tinham maioria, mas que estão saindo do negócio.

. Alexandre Silva parece ligado aos Ioschpe,  pois participa em uma empresa com eles, a Pulsar  Invest, e é representante independente no Conselho desde 2011. Ele é civil e foi colocado pelos militares para gerenciar a CELMA, que revisava turbinas, porém quando da sua privatização ele se atirou aos braços dos americanos da GE.

. Depois inclusive cancelou o serviço de manutenção das turbinas dos caças F5, o que muito atrapalhou a FAB.

. O presidente da empresa  era Frederico Curado,  pupilo do Mauricio Botelho. O presidente da Embraer Defesa e Segurança,  Luiz Carlos Aguiar,  era  representante da PREVI e esteve envolvido no escândalo do Mensalão.

Artigo - Está na hora dos petistas prestarem solidariedade aos companheiros soldados da PM da Bahia

No post abaixo, reproduzi alguns flagrantes do noticiário sobre o caos na Bahia. Quando uma parcela ínfima — mas o suficiente para deixar o PT assanhadíssimo — da Polícia Civil de São Paulo decidiu paralisar suas atividades em 2008, escrevi o óbvio: gente armada não pode fazer greve. Mais: quando um policial pára de trabalhar, torna-se aliado objetivo de bandido. Se, como chegou a acontecer em Salvador, saca uma arma contra cidadãos comuns, aí já pratica banditismo mesmo. Eu me opus severamente àquela manifestação em São Paulo e me oponho, igualmente, à greve de PMs na Bahia, governada pelo PT.

Só que eu tenho um compromisso com os fatos. Em 2008, o governador José Serra estava em São Paulo, trabalhando normalmente, tentando contornar a situação. Era o seu papel. Jaques Wagner, com o movimento grevista já deflagrado, foi passear em Cuba, para atender, sei lá, a antigos reclamos íntimos. Ou como explicar?

Apanhei muito aqui porque já deixei claro que sou contra greve de qualquer funcionário público. A razão é simples: uma paralisação em empresa privada quase sempre (nem sempre…) é ruim para o patrão. O “patrão” do servidor ou de trabalhadores de concessionárias de serviços públicos é o povo, e quem mais sofre com a greve, nesse caso, são os pobres. O rico sempre dá um jeito. Na minha República, isso seria simplesmente proibido. Minha tese não tem a menor chance de prosperar, sei disso. Sigamos.

Cadê os deputados petistas para irem lá se solidarizar com os “companheiros soldados baianos”, como se solidarizaram em São Paulo com os policiais civis? Vá lá, Suplicy, cantar o seu rap do Racionais ou o seu “Blowin’ in the Wind”…

Entenderam como a coisa funciona? Quando há um adversário do PT no governo, os “companheiros” não querem nem saber: mandam a institucionalidade às favas e, se preciso, apóiam até greve de polícia. Quando quem está no poder é um deles, aí, obviamente, eles somem e, se preciso, dão apoio integral ao aliado. Não há estudante, cozinheiro ou índio cegados pela PM que os tirem do silêncio covarde e cúmplice.

Clipping www.veja.com.br deste sábado, por Reinaldo Azevedo.

Artigo, Augusto Nunes - O bando da supergerente deve serfotografado ambém de perfil

POLÍTICA O bando da supergerente deve ser fotografado também de perfil

Blog do Augusto Nunes
Por vontade de Dilma Rousseff, viraram ministros Antonio Palocci, Alfredo Nascimento, Wagner Rossi, Pedro Novais, Orlando Silva, Carlos Lupi e Mário Negromonte. Todos perderam o emprego contra a vontade da chefe de governo, que ignorou enquanto pôde o assombro dos brasileiros inconformados com a impunidade dos fabricantes de maracutaias.
Em 13 meses, a presidente foi forçada a devolver à planície sete casos de polícia. Teriam sido nove se Fernando Pimentel não fosse tratado por Dilma como um pirralho peralta e Fernando Bezerra não estivesse sob as asas protetoras de Eduardo Campos.

Se presidisse uma empresa privada, a superexecutiva de araque não teria sobrevivido ao segundo despejo registrado na diretoria que nomeou porque quis. Debilitado pelo precedente, seria expulsa aos berros pelo conselho administrativo, apupada por acionistas coléricos, desqualificada para pilotar até carrinhos de pipoca e condenada ao desemprego perpétuo.

Como é Presidente do Brasil, a única faxineira do mundo que não consegue viver longe do lixo capricha na pose de defensora da moral e dos bons costumes. E os jornalistas federais fingem enxergar uma supergerente na superlativa mediocridade que coleciona escolhas desastrosas.

CLIQUE AQUI para ler todo o texto de Augusto Nunes.

A partir de segunda o preço da passagem de ônibus em Porto Alegre irá para R$ 2,85

A partir de segunda-feira o valor da passagem dos ônibus municipais de Porto Alegre, ficará, em R$ 2,85 em vez dos R$ 2,88 propostos pelo Comtu.

. O reajuste, de 5,56%, entra em vigor a partir do dia 6 de fevereiro. Pela proposta inicial do Comtu, o aumento seria de 6,79%

Dia 13, Ministro Rabelo virá a Porto Aletre com ultimato para o Inter

Diante do atraso na reforma do Beira-Rio,  Internacional e a Andrade Gutierrez estão prestes a sofrer um ultimato do governo Dilma. O governo quer cronograma completo da realização das obras. Ele deve ser  entregue até o dia 13, quando o Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, desembarca em Porto Alegre.

. No dia 13 à noite, Rebelo participa de uma reunião com o Prefeito José Fortunati. Nesse encontro, mantido fora da agenda oficial da visita à Porto Alegre.

-O Plano B é levar os jogos para a Arena do Grêmio, cujas obras estão em ritmo muito adiantado.