Análise - 92% dos planos estratégicos das empresas não são executados

Um dado muito interessante da Business Week é que 92% dos planos estratégicos das empresas do mundo não são implantados.

92%!? 

Poxa, se isto não chama a atenção das empresas não sei o que mais pode chamar. De que adianta ter um plano perfeito se ele não sairá do papel? Puxo desta forma outra pergunta, o que faz com que estes planos fiquem no papel?

Conversei bastante sobre este assunto no último final de semana em São João Del Rei -MG com alguns amigos, creio que uma frase do Roberto Shinyashiki apresenta a resposta de uma forma bem interessante:

"...o projeto dá certo não quando é concebido, e sim quando as pessoas se comprometem com ele."

Mas como fazer uma equipe se comprometa com um plano? As respostas são as mais diversas, poderia escrever um livro por aqui, mas prefiro que façam suas próprias reflexões.

CLIQUE AQUI para ler toda a análise. É da administradores.com


Diversão - Movimente o mouse e ouça sua música preferida


Você só precisa movimentar o mouse e em seguida acender a vela e a lareira, para então clicar sobre a música preferida. Quando fizer isto, o piano fará o resto.

. CLIQUE AQUI para abrir, interagir, ver e ouvir. A dica faz parte do cartão de Natal do advogado Amadeu Weinmann.

Banrisul compra 49,9% da financeira do grupo Matone. A empresa continuará sob controle privado.

Há quase dez anos trabalhando em operações de crédito consignado com o Banco Matone, de Porto Alegre, o que valeu até mesmo forte denúncia feita pelo ex-vice-governador Paulo Feijó, que depois se desmentiu, o Banrisul acaba de comprar 49,9% do capital da financeira Bem Vindo, controlada pela MatoneInvst Holding. A financeira tem sede no Rio.O Banrisul será sócio da empresa, que é e continuará privada.


. Na ocasião da denúncia, Paulo Feijó revelou que as direções do Matone e do Banrisul na ocasião (2008, governo Yeda Crusius) eram muito próximas. A financeira tem 73 filiais distribuídas por todos os Estados brasileiros, conforme a seção Relação com Investidores do Banrisul.

STF tira de registro processos contra autoridades desde 1990

O Supremo Tribunal Federal (STF) apagou de seus registros de processos 89 das cerca de 330 ações penais propostas contra autoridades desde 1990. O expurgo no sistema de acompanhamento processual foi determinado pelo presidente do STF, ministro Cezar Peluso, sob a justificativa de impedir a violação da intimidade dos réus. Foram retirados casos que deram em absolvição; ações que demoraram a ir a julgamento e o crime prescreveu; e até ações que foram remetidas a outras instâncias do Judiciário porque o réu perdeu o direito a foro privilegiado.

Para descobrir a lacuna, O GLOBO fez um levantamento de todas as ações penais abertas de 1990 até dezembro deste ano. Alguns números que identificam os processos não apareciam. São casos que já passaram pela Corte. As ações que ainda tramitam no Supremo permanecem disponíveis para consulta.

CLIQUE aqui para ler toda matéria no jornal "o Globo".

Novas tarifas de pedágios começam a valer na quinta-feira

A partir do dia 29 de dezembro, quem passar pela BR-116, na divisa de Santa Catarina com o Rio Grande do Sul, explorado pela Autopista Planalto Sul, vai pagar R$ 3,30 pelo pedágio. O reajuste, autorizado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

. A ANTT também autorizou o reajuste das tarifas de pedágio das rodovias que integram o Pólo Rodoviário de Pelotas (BR-116, 392 e 293/RS), administrado pela concessionária Ecosul. A partir do dia 1º de janeiro de 2012, a tarifa passará dos atuais R$ 7,80 para R$ 8,40 nas cinco praças de pedágio: Retiro, Capão Seco, Glória, Pavão e Cristal.

. Além disso, o Departamento de Estradas de Rodagem (Daer-RS) está com os protocolos de outras concessionárias que pedem o aumento nas tarifas dos pedágios para analisar. Há duas semanas, o diretor de Operações Rodoviárias do Daer, Cléber Domingues, disse que todos os pedidos ainda estavam em fase de estudos no Departamento.

Empresas brasileiras agora investem na aquisição de estrangeiras no País

Favorecidas pela crise global, as empresas brasileiras não só estão se internacionalizando, mas também começaram a avançar sobre as estrangeiras no País. Estudo inédito feito pela Sociedade Brasileira de Estudos de Empresas Transnacionais e da Globalização (Sobeet) revela que as companhias brasileiras desembolsaram US$ 27,5 bilhões desde 2008 até novembro deste ano para comprar ativos de empresas estrangeiras no Brasil.

. A cifra é um pouco menor do que a que foi gasta com a internacionalização das companhias brasileiras no mesmo período para comprar ativos no exterior (US$ 32,6 bilhões). No entanto, o resultado é importante porque sinaliza uma nova tendência, de acordo com o estudo feito com base em 850 fusões e aquisições. Os negócios envolveram empresas brasileiras como compradoras, vendedoras ou alvo. Neste último caso, o Brasil não é nem comprador nem vendedor, mas sedia o ativo que é objeto da negociação.

Senado contrata 246 com salários de até R$ 23,8 mil

Um dia depois de o Congresso barrar o reajuste dos funcionários públicos no Orçamento de 2012, o Senado abriu anteontem um concurso para contratar 246 novos servidores, com salário inicial de até R$ 23,8 mil.

. A remuneração do grupo deve custar R$ 53,3 milhões por ano aos cofres da União.

Beto Richa: "Se o PSDB não tiver juízo, a coisa tende a se agravar"

O governador do Paraná, o tucano Beto Richa, disse em entrevista ao jornal "Folha de S.Paulo" que o PSDB deve “ter juízo” e “parar com essa bobagem de briga”. “O partido encolheu nessa última eleição”, afirmou Richa. “Se não tiverem juízo, a coisa tende a se agravar". Ele elogiou o senador Aécio Neves (MG) e o ex-governador José Serra (SP), que disputam a indicação de candidato do PSDB à Presidência em 2014, mas afirmou que o partido “tem um espectro enorme de pré-candidatos”.

Veja abaixo alguns trechos da entrevista:

Folha – No último dia 19, o senador Aécio Neves esteve no Paraná. Vocês conversaram sobre o futuro do PSDB?

Beto Richa – Ele sempre me cobra de estarmos juntos, [diz] que eu seria importante nesse processo de reestruturação, como uma liderança nova. Vive me convidando para eventos. Mas estou me dedicando, pelo menos esse ano, a recuperar o Estado. Ele [Aécio] é uma grande liderança do partido e tem tudo para se consolidar como candidato à Presidência da República. Isso vai depender do tempo, do trabalho interno dele. O [José] Serra já foi candidato, não sei se tem aspiração de novo, é um bom nome também. O Geraldo [Alckmin], que governa o Estado mais populoso do país, é muito competente. O Marconi [Perillo, governador de Goiás] é uma liderança nova… Enfim, tem um espectro enorme de pré-candidatos.

Folha - E entre Aécio e Serra, qual é o melhor nome para disputar a Presidência em 2014?

Beto Richa - O melhor é o PSDB parar com essa bobagem de briga, grupos disputando… O partido encolheu na última eleição. Se não tiverem juízo, a coisa tende a se agravar. Ou existe uma união, um desprendimento de todas as partes pensando no fortalecimento do partido, ou a situação tende a piorar. Existem grupos que querem o Aécio, que querem o Serra… Tem que ter um grupo só. No momento oportuno, vamos discutir candidatura. Mas não é agora.

Governo Dilma enfrenta a menor oposição desde 1988

A presidente Dilma (PT) chega ao final de seu primeiro ano no poder com a menor oposição na Câmara desde a Constituição de 1988. Os quatro partidos que hoje se opõem sistematicamente ao governo – PSDB, DEM, PPS e PSOL – somam hoje 91 cadeiras, o equivalente a 17,5% da Casa. O percentual representa quase a metade da oposição que Lula enfrentou após sua reeleição (30,5%). Herdeira da coalizão formada por Lula, Dilma se beneficiou da popularidade do ex-presidente, que ajudou a eleger um grande número de deputados federais aliados.

. Em 2010, PSDB, DEM e PPS elegeram juntos 109 deputados. Quatro anos antes, quando Lula foi reeleito, foram 153. O PSOL teve três deputados em ambos os períodos. O cenário se repete no Senado, onde Lula teve dificuldades. Foi lá que o governo perdeu a votação que extinguiu a CPMF, deixando de arrecadar R$ 40 bilhões ao ano.

. Durante a campanha de Dilma, o ex-presidente enfatizou a importância de aumentar a maioria no Senado. A estratégia deu certo. Hoje os quatro partidos oposicionistas têm 17 senadores, número que era 50% maior no segundo governo Lula.

. Segundo matéria do jornal "Folha de S.Paulo", para piorar a vida da oposição, a criação do PSD neste ano desidratou o DEM. Em fevereiro, o partido somava 43 deputados. Hoje tem 27. Segundo o Banco de Dados Legislativos do Cebrap, um centro de estudos, o PSD, embora não faça parte da coalizão de Dilma, atua na Câmara como seu aliado e sempre vota a favor do governo.