Sartori bate direto em Tarso: "Gastar mais do que se arrecada é um pensamento arcaico"

- Em alguns momentos deste texto, foram mantidos os travessões da fala de Sartori.

No discurso mais detalhado, claro e impactante que fez ontem na Assembléia  ao tomar posse, o governador José Ivo Sartori anunciou medidas concretas e duras para enfrentar e começar a reverter a crise que ele enxerga pela frente. O que ele disse:

- Serão medidas duras, difíceis, mas inadiáveis e fundamentais.

. Mas não detalhou nada, nem mesmo no discurso posterior no Piratini e nas entrevistas. Se tudo se limitar a cortes de 20% nos números de CCs, diárias e suspensão de pagamentos de fornecedores por 90 dias, que é o que vazou até agora, será muito pouco.

. As declarações têm a ver com a crise financeira estadual, conseqüência e não causa, segundo ele, já que decorrem da degradação do setor público como um todo.

.;  O discurso de Sartori revelou o compromisso completo do novo governo com a economia de mercado e com o estado democrático de direito, sem adjetivos. o que significa compromisso com a qualidade da gestão pública, o bem estar das pessoas e a inserção da vida estadual no mundo da civilização pós-industrial. 

. Numa crítica direta ao governador petista de Tarso Genro, ele bateu diretamente no queixo do adversário:

- Isso (o que aconteceu no governo anterior) reflete o pensamento arcaico de que é possível gastar mais do que se arrecada. Quando um estado ou um país se endivida de forma insustentável, compromete as gerações futuras.

. No discurso no Palácio, Sartori não repetiu nada disto diante de Tarso, provavelmente por elegância, predicado que sempre faltou ao petista.

. Numa aparente promessa de que não repetirá os grosseiros erros do governo petista na administração dos recursos públicos, José Sartori lembrou com clareza:

- Não dispomos mais dos remédios usados em outras épocas: a inflação,/ as privatizações,/ o caixa único, os depósitos judiciais, os empréstimos. Precisaremos ser criativos e,/ ao mesmo tempo,/
muito realistas.//

. Pouco mais adiante  esclareceu o sentido das suas palavras:

- Falo de um tipo de governo e de um jeito de governar que se esgotou.

. O novo governo prometeu “conversar com o povo gaúcho sobre a crise financeira de uma maneira transparente e tranquila;

- Temos o dever de informar, e a sociedade tem o direito de saber – esse e todos os pontos do governo. Uma gestão honesta não se faz com promessas, mas com a coragem de dizer a verdade para a sociedade

. Sartori tomou como vetor da sua fala a idéia de que o RS está no fim de um ciclo/ e no início de outro: ou para no tempo e permanece estagnado, ou avança. Ele avisou que fica com o avanço, prometendo criar ambiente para os empreendedores privados ajudarem seu governo a gerar empreendimentos modernos, riqueza e empregos no Estado. Sartori chegou a falar num futuro Vale do Silício no RS.

CLIQUE AQUI para ler o discurso completo.

Sartori fornece bom briefing sobre o tipo de propaganda que quer do seu governo

Quem for cuidar da publicidade no governo Sartori, terá um bom briefing a respeito do que ele deseja das peças de propaganda que as agências terão que produzir e autorizar para jornais, rádios, TVs, sites, revistas e outras mídias, caso se disponha a ler este trecho do que ele disse no Piratini:

Eu proponho que o Estado e os seus governantes sejam mais,discretos na aparência,/ nos anúncios,/ nas publicidades.// E mais eficientes nos resultados lá na ponta,/ no posto de saúde,/ na escola,/5

na delegacia,/ na manutenção das estradas...// Eu proponho que,/ no lugar de sublinhar virtudes de governos e governantes,/ a gente acentue virtudes dos gaúchos e das gaúchas,/ especialmente daqueles mais humildes.//

Nos primeiros meses, o governo terá que trabalhar com as mesmas agências que atenderam Tarso Genro, pelo menos até que possa licitar outras.

Eis os números do ano passado e deste ano, em milhões de reais, por agência, as mesmas que atenderão Sartori:

2013
Escala, R$ 32,9
Matriz, R$ 18
Martins, R$ 7,8
Novacerntro, R$ 3,1
Dez, R$ 2,9
Morya, R$ 3,5
GlobalComm, R$ 2,2

2014
Escala, R$ 16
Dez, R$ 12,7
Morya, R$ 10,1

Matriz, R$ 8,9

Imbassahy, líder do PSDB: “Vimos a posse de uma presidente desacreditada, desorientada e sem foco”

Líder do PSDB na Câmara, Antônio Imbassahy disse que o discurso de posse da presidente Dilma Rousseff "não inspira confiança e evidencia um governo carcomido pelo descrédito, a partir de métodos condenáveis e velhas promessas nunca cumpridas". O que mais ele disse:

- Assistimos hoje à posse de uma presidente desacreditada, desorientada e sem foco. Como um náufrago, apelou a pedidos de apoio, certamente antevendo as consequências de problemas criados por ela mesma.

Por 30 dias, este são os novos deputados estaduais do RS

• Gabriel Souza e Neusa Kempfer (PMDB) - substituem Márcio Biolchi e Giovani Feltes, nomeados respectivamente secretários estaduais da Casa Civil e da Fazenda
• Artur Lorentz e Francisco Áppio (PP) - substituem Pedro Westphalen e Ernani Polo, nomeados respectivamente secretários estaduais dos Transportes e da Agricultura
• Décio Franzen (PDT) - substitui Gerson Burmann, nomeado secretário estadual de Obras, Saneamento e Habitação
• Jorge Drum (PSDB) - substitui Lucas Redecker, nomeado secretário estadual das Minas e Energia

• Vanderlan Vasconselos (PSB) - substitui  Miki Breier, nomeado secretário estadual do Trabalho

Suspensão de pagamentos de dívidas de curto prazo alarma fornecedores do governo do RS

Sem dinheiro dos depósitos judiciais e nem de empréstimos, o novo governo enfrenta o fantasma de um déficit estimado para R$ 5,3 bilhões para este ano. Os anúncios de cortes alarmam todos os setores do funcionalismo e do setor público estadual em todos os níveis, sobretudo fornecedores. Prestadora de serviços de saúde junto ao ao governo, por exemplo, estão alarmados. Um deles, que  realiza no seu  laboratório exames de prevenção ao câncer do colo do útero e nao recebeu sequer o pagamento referente aos exames de outubro de 2014, acha que poderá quebrar e além disto está disposto a cancelar os atendimentos. 

Um dos primeiros atos do governador José Ivo Sartori será a assinatura de decreto instituindo o corte de despesas e a suspensão, por 180 dias, do pagamento de débitos do governo anterior, estimados em R$ 700 milhões.Haverá uma restrição severa aos gastos com passagens aéreas e diárias para fora do Estado. Esse corte não atinge as diárias dos policiais deslocados para o Litoral para trabalhar na Operação Verão, mas afeta os deslocamentos de servidores dentro do Estado. As exceções terão de ser autorizadas pela Secretaria da Fazenda. A intenção do governo é reduzir à metade os gastos com diárias, na comparação com os quase R$ 500 milhões dos últimos quatro anos.

. O modelo é o mesmo que realizou o ex-secretário Aod Cunha no início do governo Yeda. 

. O pacote de cortes inclui o congelamento de novos concursos e de nomeações de aprovados, exceto em casos de absoluta necessidade. A tesoura atingirá também os gastos com a contratação de consultorias, aluguéis de imóveis e compra de material de expediente.O governo Sartori vai negociar com os chefes dos outros poderes e instituições o contingenciamento do orçamento, mas não detalhou de quanto deve ser a participação do Judiciário, da Assembleia e do Ministério Público no ajuste. No seu discurso na Assembléia, esta tarde, ele disse que o caixa é um só. 

. Com essas medidas, o governo espera afastar o fantasma do atraso no pagamento dos salários, previsto para março ou abril, se não houver cortes drásticos de outras despesas.

Partidos pressionam por nomeações no segundo escalão de Sartori

Cocluída nas últimas horas a montagem do secretariado, o governador José Ivo Sartori depara-se  agora com a insatisfação dos aliados em relação ao preenchimento dos cargos de segundo escalão.

. Até o PMDB não consegue entende r a demora e sequer compreende os critérios de distribuição dos cargos, inclusive porque não ficou certo em definitivo sob quais guarda-chuvas funcionarão algumas estatais, fundações, autarquias e institutos.

. Não é certo que os secretários terão porteira fechada nas suas pastas, mas eles e os Partidos aos quais estão filiados, querem indicar pelo menos os presidentes.

. Sartori já deixou claro que quer avaliar caso por caso e só depoiss fazer as nomeações, a nãos er em casos sobre os quais não pairem dúvidas.

Maduro esteve na posse de Dilma. Cerimônia foi patética. Discurso da presidente recheou mentiras e evasivas.

O canalha criminoso presidente da Venezuela, o caudilho Maduro, que enterra a Venezuela no terror e na crise econômica, esteve presente na posse de Dilma. O governo registrou a presença de 20 mil pessoas, mas não disse que 540 ônibus do nordeste e do Rio saíram lotados de consumidores de pão com mortadela. 

CLIQUE AQUI pra ler a íntegra do discurso de Dilma. 



A presidente Dilma Roussef prestou juramento no Congresso Nacional. A cerimônia foi transmitida ao vivo pela TV da revista Veja, via Internet.

A TV também listou seus repórteres e analistas para falar.

. O discurso de Dilma foi a repetição cínica, hipócrita e mentirosa das manifestações que fez durante a campanha eleitoral. Além disto, ela não se referiu uma só vez aos devastadores escândalos que mergulharam seu governo num mar de lama, tangenciando também a severa crise econômica a que nos levou sua incompetência.

. Nas redes sociais, multiplicaram-se críticas ao que disse a presidente,cuja credibilidade vale menos do que uma cédula de 3 reais.

Enfim, Tarso não governa mais o Rio Grande do Sul

O governador José Ivo Sartori ingressou no Palácio Piratini para a cerimônia de transmissão de cargo. São 15h23min.

. A TVE e a Band  TV transmitiram tudo ao vivo.

.Falaram Sartori e Tarso. Depois o novo governador levaou seu antecessor até a porta da saída. Em seguida, empossou o secretariado.

. Tarso fez um discurso seco, sem filigranas, o que agradou o distinto público.

. Sartori repetiu os termos do discurso da Assembléia. Foi uma peça consistente e esclarecedora sobre a boa gestão pública e os compromissos com as liberdades públicas e privadas, inclusive as de empreender em ambiente de respeito aos contratos.

CLIQUE AQUI para ler a íntegra do discurso de Sartori na Assembléia do RS. O governador também discursou no Piratini, mas a sua fala mais consistente e importante não foi ali, porque na transmissão de posse ele preferiu fazer filosofia. O discurso da Assembléia deve ser lido com atenção, porque revela compromissos materiais diretos com a gestão do Estado. 

Sartori assume na Assembléia do RS

Sartori chega na Assembléia com a mulher, deputada Maria Helena.
CLIQUE AQUI para ouvir e ver o discurso de Sartori, neste momento, 14h59min.



Começou na hora a cerimônia de posse do novo governador José Ivo Sartori, que prossegue neste momento (14h40min) na Assembléia Legislativa.

. Estão presentes os ex-governadores Pedro Simon, Germano Rigotto, Alceu Collares e Yeda Crusius. Não compareceram Antonio Britto e Olívio Dutra.

. Daqui a pouco acontecerá a cerimônia de transmissão de cargo no Piratini, quando também ocorrerá o esperado bota-fora do governador Tarso Genro.

. As 17h, Sartori reunirá seu secretariado.

. Na sua fala, o presidente da Assembléia, Gilmar Sossela, advertiu para o fato de que existe um abismo entre o Rio Grande que existe e o que queremos. Ele também considerou medonha a crise das finanças públicas do Estado, que passa pelo seu pior momento histórico.

. Ele espera por medidas duras.

. Sartori pensa da mesma forma.

Tarso bateu todos os recordes da história do RS. Tomou R$ 3,7 bilhões de empréstimos para desembolsar na gastança sem controle


Até o último dos seus dias, o governador Tarso Genro usou as margens que o governo Yeda Crusius conseguiu abrir para empréstimos nacionais e internacionais (Yeda levou dois anos para limpar o cadastro negativo do governo do RS junto ao Cadin), tomando empréstimos como jamais se tomou no setor público do Estado.

. Os governos do PT no RS só conjugam o verbo gastar. 

. Foram R#$ 3,7 bilhões em quatro anos:

2011 - R$ 272 milhões
2012 - R$ 1 bilhão
2-013 -R$ 542 milhões
2014 - R$ 1,8 bilhões


. Yeda tomou R$ 2,5 bilhões, R%$ 1,5 bilhões dos quais serviram para abater parte da dívida com a União,substituindo-a por dívida com serviço muito mais barato do Banco Mundial, o que permitiu economia de R$ 700 milhões apenas no primeiro ano de vigência dos novos termos da dívida. 

Saques dos depósitos judicias: Rigotto, R$ 1,4 bilhão; Yeda, R$ 615 milhões; Tarso, R$ 7,7 bilhões. Tarso sacou mais do que todos os governadores do RS juntos. .

O uso dos depósitos judiciais - dinheiro depositado em juízo por particulares que disputam causas - foi outra das características da perversa política de finanças públicas do governo Tarso Genro, que passou quatro anos operando na área como se fosse contas a fundo perdido, tomar dinheiro dos outros (caixa único e depósitos judiciais) ou valores emprestados.

. Não há controle algum sobre as razões dos saques, os totais a serem sacados, os locais de aplicação e nem as datas para devoluções.

. Nunca houve nada igual na história deste Estado.

. Foi uma sangria sem paralelo.

. Sartori e governadores que o sucederem, terão que pagar estas contas sem fim.

. Saiba como os últimos três governadores sacaram do depósito judicial, em bilhões de reais:

2003-2006, governo Rigotto - R$ 1,4. 18,5% sacados dos depósitos judiciais.
2007-2010, governo Yeda - R$ 615 milhões
2011-2014 - R$ 7,7. 100% de todos os depósitos judiciais.

Participe da posse de Sartori. Mande seus videos e fotos para o editor. Saiba como fazer isto.

Pela primeira vez, gaúchos de todo o Estado poderão participar da posse de um governador do RS, no caso, José Ivo Sartori que, nesta segunda-feira a tarde assume seu  primeiro mandato.

. Envie suas fotos e seu vídeo, mostrando seu olhar sobre a cerimônia.; As fotos e os vídeos recebidos serão editados e exibidos nesta página.

. Use seu smartphone para fotografar e envie por whats app para (051) 8434.4403 ou remeta via e-mail: polibio.braga@uol.com.br

Secretaria gaúcha da Fazenda sonega há um mês os dados sobre as contas patrimoniais

O editor consulta diariamente o complicado sitre da secretaria gaúcha da Fazaenda e encontra as contas patrimoniais zerada há mais de mês. Embora procure respostas, nada é informado pelo governo estadual.

. Sem falar oficialmente, fontes da secretaria disseram a esta página que existe falha do sistema.

. Há controvérsia.

. O mais provável é que os dados estejam sendo sonegados.

. Durante os quatro anos do governo do petista Tarso Genro, a secretaria da Fazenda manteve seus dados longe dos olhares dos jornalistas, que não sabem sequer o nome do seu assessor de imprensa.


. O novo secretário, deputado Giovani Feltes, promete reintroduzir a prática de reunir os jornalistas uma vez por mês e esclarecer todas as perguntas. O próprio secretário não possui todas as informações, porque o governo do PT só forneceu dados parciais e ainda assim incompletos. 

Saiba como você encontrará a freeway ao voltar das praias e de Santa Catarina

A freeway, única autoestrada gaúcha, construída pelo então ministro dos Transportes, o coronel gaúcho Mário Andreazza, é a principal via de escoamento de veículos da Grande Porto Alegre para as praias do litoral Norte, as mais frequentadas, e para SC. O editor passa a seguir informações da concessionária da rodovia, desta manhã.

Apenas nos dias 30 e 31 de dezembro, 132,3 mil veículos usaram a Free Way para ir ao litoral norte gaúcho e às praias catarinenses. Na terça-feira (30) foram 60,9 mil, e na quarta-feira (31), 71,4 mil. O total superou a estimativa inicial da concessionária, de que 115 mil veículos usassem a rodovia com este destino nas duas datas.

. Para este dia 1º é previsto o retorno de aproximadamente 39 mil veículos. A melhor opção é pegar a estrada até 14h.  

. A expectativa da concessionária agora é para a volta após o final de semana. O dia de maior concentração de veículos na estrada deve ser o domingo (4), quando estão previstos cerca de 69 mil veículos. A segunda-feira (5) também deve ter movimentação intensa, principalmente durante a manhã, com previsão de 41 mil veículos ao longo de todo o dia. Como a estimativa de ida foi superada, o mesmo pode ocorrer na volta.

. Para evitar congestionamentos nas estradas, os motoristas devem antecipar a volta. Para o domingo a indicação é de que o retorno seja feito da meia-noite às 10h. Já na segunda-feira, a recomendação para a volta é após as 16h.


. Os motoristas podem se informar sobre as condições do trânsito através do site (www.triunfoconcepa.com.br) e de aplicativo para celulares com imagens em tempo real de câmeras na rodovia

Tarso sacou a fundo perdido dez vezes mais do que Yeda no caixa único.

Acompanhe a sangria feita por cada um dos últimos três governos sobre o caixa único:

Governo Rigotto (2003/2006)
R$ 1,5 bilhão
Governo Yeda Crusius (2007/2010)
R$ 615milhões
Governo Tarso Genro (2011/2014)
R$ 6,2 bilhões

. A fonte são os Balanços do Estado e os Pareceres Prévios do Tribunal de Contas do Estado.


. Em algum momento da história, algum governador terá que pagar a conta.

Economia sob Tarso foi muito pior do que sob o governo Yeda. Examine os números.

CLIQUE AQUI para examinar o desempenho da economia e das contas públicas do RS, conforme livro "O RS tem saída ?", Darcy F.C. dos Santos e outros. 

Os números sobre o desempenho do PIB nos últimos quatro governos, demonstram que os governos do PT foram desastrosos para os gaúchos, empobrecendo o Estado.

. A tabela ao lado foio montada pelo editor.

. Yeda Crusius, demonizada pelos petistas durante e depois do seu mandato, foi a que obteve os melhores resultados, o que demonstra que gastanças generalizadas, administração populista e endividamento descontrolado geram problemas e não soluções.

. Isto tudo significa que o discurso petista sobre o bom estado da economia sob os governos do PT, inclusive o de Tarso, nada tem a ver com a realidade dos fatos. Trata-se de retórica mentirosa. Ela vem sendo usada de modo fraudulento  ao longo deste ano, sobretudo na véspera eleitoral, baseada em campanhas publicitárias milionárias produzidas pela agência Escala, que em momento nenhum foi peitada pelo Conar, apesar dos apelos do editor, que denunciou a decisão do governo e do seu cliente, que sempre foi a de manipular o eleitor.

. Eis como foram os crescimentos médios anuais  do PIB nos quatro governos: Olívio, 2,4%; Rigotto, 1,7%; Yeda, 3,9%; gtarso, 2,5%.

Análise, Darcy F.C. dos Santos - Governador Sartori é o que recebe o Estado em pior situação financeira desde 1987.

O economista gaúcho, especialista em finanças públicas, conta que no período compreendido entre 1987 e 2014 houve sete governadores e ainda que a maioria tenha recebido o governo em más condições, nenhum deles recebeu o Estado em situação financeira tão deplorável como o governador Sartori, p qie se deve às  dimensão e rigidez dos déficits, como pelo esgotamento  dos recursos com o que eles foram historicamente financiado.

CLIQUE AQUI para ler tudo com atenção. 

No último ato do ano, Dilma libera R$ 17,9 bilhões para ajudar a salvar a Petrobrás

Apesar das dificuldades da equipe econômica para fechar as contas de 2014, o governo editou nesta quarta-feira uma medida provisória que libera R$ 17,9 bilhões a fundo perdido (dinheiro sem volta) para ajudar a salvar a Petrobras, que enfrenta um escândalo de corrupção e, nesta semana, proibiu empreiteiras citadas como suspeitas pelo Ministério Público Federal no esquema de cartel de participar de novas licitações a serem abertas pela estatal.

Artitgo, Carlos Sardenberg - Lula, Dilma e a maldição do petróleo

Em artigo que assina hoje no jornal O Globo, intitulado Um desastre de Lula/Dilma, Carlos Alberto Sardenberg revela que se perdeu um momento de preço alto do óleo, que atrairia investimentos, nacionais e estrangeiros, ávidos pelos novos campos. Ele atribui o desastre aos governos Lujla e Dilma. Leia trechos editados e link com versão integral ao final:

O preço do petróleo tem ciclos e pelo menos parte da história funciona assim. O mundo entra em um período de crescimento — e aí falta o combustível, cuja produção estava ajustada à demanda anterior, de baixa expansão econômica. Sobe o preço do petróleo e isso viabiliza mais investimentos na exploração e produção de óleo, especialmente quando se supõe que o crescimento global é duradouro. E as pessoas têm uma tendência irresistível de achar que agora vai, e vai por muito tempo. Daí, podem acontecer duas coisas: o ciclo de expansão é longo ou curto. Neste último caso, o preço do petróleo cai e volta logo ao patamar anterior, pois a oferta fica maior que a demanda, diminuída com a redução do crescimento do PIB mundial.

Tudo considerado, fica evidente que o Brasil, nos governos Lula e Dilma, perdeu uma imensa oportunidade. Cinco anos sem leilão para a exploração de novas áreas, enquanto se discutia e se tentava aprovar a nova forma de dividir o dinheiro do óleo, deixaram um enorme prejuízo. Perdeu-se um momento de preço alto, que certamente atrairia investimentos, nacionais e estrangeiros, ávidos pelos novos campos.

Quando se juntam a cobiça e a miopia política, histórica e econômica, o resultado só pode ser um imenso desastre. Lula e Dilma anunciaram a autossuficiência em petróleo e a devolução da Petrobras ao povo brasileiro, para terminar importando combustível caro e jogando a Petrobras no mar da corrupção e do atraso. Sem contar a quase destruição do etanol. Pode haver desastre maior que esse?

Não ouviram o sábio ensinamento do xeque Yamani, inventor da Opep: a Idade da Pedra não terminou por falta de pedra.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Dilma assume em meio a protestos, Petrolão, economia em recessão e ajuste fiscal duro

As redes sociais convocam há uma semana uma série de protestos e o uso do preto em todos os locais, tudo para protestar contra Dilma Rousseff (veja ao lado),  que assumirá o segundo mandato, na tarde desta quinta-feira, em Brasília, sob pressão. Investigações e prisões em função de corrupção no seu governo, fogo amigo dentro do próprio partido, manifestações de protesto, anúncios de ajustes fiscais pesados e críticas ao novo ministério serão alguns dos ingredientes da cerimônia de posse.

– Este é um governo que, em vez de começar em festa, vai começar em crise – disse ao jornal Zero Hora o cientista político José Álvaro Moisés, da Universidade de São Paulo. José Moisés jás foi quadro importante do PT. 

. Além dos problemas já citados, cicatrizes deixadas pela eleição, que terminou com o país cindido e uma vitória apertada, seguem abertas. Dilma e o PT arsenal todo o saco de maldades disponível no mercado, mentindo, agindo de modo cínico e hipócrita, revelando dossiês falsos e promovendo campanhas de assassinatos de reputação contra Marina e Aécio. 

. Na tentativa de deslegitimar a posse, protestos devem ocorrer pelo país. Para fazer frente, o PT convocou movimentos sindicais e sociais ligados ao partido para uma mobilização em favor da presidente, chamada de Marcha da Esperança. A intenção é fazer uma festa com a cantora Alcione, em Brasília. Mais de 600 ônibus são esperados.


. O governo espera protestos em Brasília, onde Dilma perdeu fragorosamente as eleições e o PT perdeu até o controle do governo local. 

Sartori é o quarto peemedebista a assumir o governo do RS. Ele receberá herança maldita de Tarso.,

Sartori assumirá pesada herança maldita deixada pelo governo petista de Tarso Genro, com máquina inchada por empreguismo desbragado, cofres raspados e déficit previsto de R$ 5,3 bilhões para este ano, sem contar a paralisia da economia, já que o PIB deste ano oscilará entre menos 1% e mais 1%.

Pelo menos 2.500  convidados participarão da das solenidades de posse do  novo governador do Rio Grande do Sul. :eleito em outubro, José Ivo Sartori (PMDB) será o quarto peemedebista a governar o Estado. A solenidade de transmissão de cargo está prevista para as 15h, no Salão Negrinho do Pastoreio, no Palácio Piratini. Antes, às 14h, Sartori irá até a Assembleia Legislativa, onde fará o tradicional discurso como novo chefe do Poder Executivo, além de uma saudação aos parlamentares.

. O protocolo prevê que José Ivo Sartori se desloque a pé da Assembleia até o Palácio Piratini. Ele será recepcionado pelo chefe do cerimonial do governo, Artistides Germani, na entrada principal, na Avenida Duque de Caxias. Depois, o governador eleito subirá as escadas até o Salão Negrinho do Pastoreio, onde será recepcionado por Tarso Genro, que está deixando o cargo.A banda da Brigada Militar tocará o Hino Nacional e o Hino do Rio Grande do Sul. A cerimônia prevê ainda discursos de Tarso e Sartori, nesta ordem, e a leitura da ata da posse.

. Após a transmissão de cargo, já como governador, José Ivo Sartori dará posse aos 19 secretários de Estado. Depois, o governador promoverá a primeira reunião com o secretariado, no Palácio Piratini. Os secretários voltarão a se reunir no domingo.

. TV Assembléia e TVE transmitirão as duas solenidades.