Saiba por que Lula, o governo Dilma e o PT impedem a fala do dono da Delta na CPI do Cachoeira

* Clipping revista Veja deste final de semana

Na semana passada, a CPI do Cachoeira aprovou a convocação de 51 pessoas e 36 quebras de sigilo bancário, fiscal e telefônico. Os números foram festejados pela cúpula da comissão como prova inconteste da disposição dos parlamentares para investigar os tentáculos da máfia da jogatina nos partidos políticos, na seara das empreiteiras e na administração pública. Sob essas dezenas de votações, no entanto, esconde-se a operação patrocinada pelo ex-presidente Lula e alguns políticos para impedir que a bomba atômica de Cavendish seja detonada. A estratégia é enaltecer as convocações e quebras de sigilo relativas a empresas e personagens já fartamente investigados pela Polícia Federal. Assim fica mais fácil despistar as manobras para evitar que Cavendish conte tudo - mas tudo mesmo - o que sabe sobre como obter obras públicas pagando propinas a pessoas com poder de decisão nos governos. Investigar a Delta, aliás, foi considerada a tarefa prioritária pelos próprios delegados da Polícia Federal que prestaram depoimento à CPI. Eles disseram que desvendar os mecanismos subterrâneos de concessão de obras públicas no Brasil seria o maior legado da CPI. Fala, Cavendish!

. Deflagradas pela Polícia Federal, as operações Vegas e Monte Carlo revelaram o envolvimento do contraventor Carlos Cachoeira com políticos como o senador Demóstenes Torres (ex-DEM) e Cláudio Abreu, ex-diretor da Delta na Região Centro-Oeste.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

PT de Porto Alegre veta desistência de Villaverde por apoio a Manuela

A orientação do PC do B nacional para Porto Alegre, de criar unidade na esquerda em torno de Manuela D'Ávila, é rechaçada por comunistas e petistas gaúchos. A ideia consistiria em uma retirada do comunista Netinho, em São Paulo, fortalecendo Fernando Haddad, do PT. Em troca, Adão Villaverde deixaria de concorrer à prefeitura da Capital.

. O presidente municipal do PT, Adeli Sell, afirmou que esta possibilidade não existe e que, desde a definição de candidatura própria com Villaverde, houve o apoio do PT nacional, que permanece. O presidente estadual, Raul Pont, declarou que qualquer cogitação sobre esse tema se trata de pura invenção.

. Até o presidente nacional do PT, Rui Falcão, foi enfático ao afirmar que "em Porto Alegre, não há nenhuma possibilidade de isso ocorrer. Não vemos razão, com todo respeito ao PC do B, para rever essa decisão, até porque já apoiamos o PC do B em outras cidades".