Aliados já pensam em nova reeleição do amigão de Dilma Roussef, o presidente da Fiergs, Heitor Muller

Já tem adeptos a proposta de mudar os estatutos que permitiriam mais uma reeleição do amigão de Dilma Roussef, o presidente da Fiergs, Heitor Muller.

O PT não vai perdoar Paulo Bernardo

A roubalheira foi só para campanha da mulher ?


A coluna Painel, Folha de hoje, diz que o PT não perdoa Paulo Bernardo, como não perdoou Henrique Pizzolato, porque roubar para o Partido é uma coisa e algo bem diferente é roubar também para si mesmo.

O PT respeito e considera verdadeiros mártires todos os seus membros que respeitaram o dinheiro partidário e além disto cumpriram e cumprem a lei do silêncio mafioso.

Estão no caso de mártires, nomes como seus ex-dirigentes Zé Genoíno, Dirceu, Vaccari, Renato Duque, Paulo Ferreira e Silvio Land Rover Pereira.

Painel avisa que Paulo Bernardo m,eteu a mão no dinheiro para passar bem e sobretudo financiar as campanhas eleitorais da sua mulher, a senadora Gleisi Hoffmann.

Quem tem medo da CPI da UNE ?

A esquerda está com medo da CPI da UNE.

Editorial Estadão, hoje - Sórdida tramóia petista.

À direita, Carlos Gabas, assecla de Paulo Bernardo e Gleisi, ex-ministro de Dilma e seu motoqueiro preferido.

CLIQUE AQUI para ler, também "As pedaladas, as campeãs e o assalto aos velhinho", Rolf Kuntz.

CLIQUE AQUI para ler "O PT vai pagar pelo custo Brasil ?", Ruth de Aquino.

Já não há quem se surpreenda com a prisão de mais um figurão do PT, ex-ministro de Lula e de Dilma, por envolvimento em corrupção. A acusação que pesa sobre Paulo Bernardo e seus cúmplices, no entanto, é excepcionalmente grave não pelo fato de tratar-se de mais uma velhacaria urdida com o objetivo de alimentar o propinoduto que durante tantos anos financiou o lulopetismo, mas porque a natureza dessa trama criminosa é particularmente perversa do ponto de vista social: obrigava funcionários públicos de baixa renda – os principais usuários do crédito consignado – a contribuir compulsoriamente para abastecer os cofres do PT e rechear o bolso de espertalhões como o ex-ministro do Planejamento e também das Comunicações. A Operação Custo Brasil, congênere da Lava Jato, desvela assim mais uma sórdida tramoia do peculiar modo lulopetista de promover a defesa dos interesses dos trabalhadores.

O esquema armado pelos sequazes de Paulo Bernardo para roubar mais de R$ 100 milhões dos funcionários públicos revela uma criatividade e eficiência que o PT jamais conseguiu demonstrar para administrar ou impedir a crise econômica em que afundou o País.

CLIQUE AQUI para ler mais.

Placar do impeachment, segundo Estadão.

O Senado conta com 81 parlamentares. Para impedir Dilma, são necessários 54 votos. Os três senadores gaúchos já se definiram: Paim, a favor de Dilma; Ana Amélia e Lasier, contra Dilma.

A favor: 38
Contra: 18
Não quiseram responder: 19
Indecisos: 6

Ajuda bilionária de Lula ao Paraguai será paga pelo consumidor brasileiro

Consumidores de energia vão pagar uma conta quase bilionária do acordo fechado pelos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Lugo para ajudar o Paraguai. A fatura tem origem no acerto firmado com Lugo, em 2009, que pleiteava à época uma remuneração maior para a eletricidade fornecida ao Brasil pela usina binacional de Itaipu. Lula classificou aquele acordo como “histórico”.

A reportagem é do jornal Valor deste final de semana. Leia tudo:

O Valor apurou que a MP 735, medida provisória com amplas mudanças no setor elétrico, repassará às contas de luz um montante anual de cerca de US$ 200 milhões. O impacto nas tarifas dos consumidores é estimado em 0,6% de aumento. Até o ano passado, quando a despesa foi de R$ 692 milhões, o ônus era assumido pelo Tesouro Nacional. Conforme o Tratado de Itaipu, cada país tem direito à metade da energia produzida.

O Brasil exerce preferência para comprar a eletricidade que não é consumida no Paraguai por falta de demanda. No entendimento assinado em 2009, o governo aceitou elevar a quantia paga anualmente por uma parte do excedente. Neste ano, porém, o Orçamento Geral da União (OGU) não previa os pagamentos. Isso acabou criando uma situação inusitada: desde janeiro, o país vizinho não recebeu os pagamentos adicionais prometidos por Lula. Esses valores em atraso também serão repassados à tarifa, segundo previsão de um artigo incluído na MP 735, apesar da forte discordância apresentada pelo Ministério de Minas e Energia ao longo das negociações. A equipe econômica acabou vencendo o embate.

A energia produzida por Itaipu abastece as distribuidoras do Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Ou seja: o aumento se restringe apenas aos consumidores das três regiões. 

CLIQUE AQUI para ler mais.

Alagoas aprovou lei que regula Escola Sem Partido

Alagoas foi o primeiro estado a aprovar uma lei inspirada no projeto Escola Sem Partido, no final do ano passado. Ela chegou a ser vetada pelo governador Renan Calheiros Filho (PMDB), mas o veto foi derrubado neste ano na Assembleia. Ela passou a valer no mês passado. Além do Estado, também são discutidas leis similares em Amazonas, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul e no Distrito Federal, segundo levantamento do Movimento Professores Contra a Escola Sem Partido.

Veja a seguir os principais trechos da Lei 7800/2016 aprovada em Alagoas:

- Fica criado, no âmbito do sistema estadual de ensino, o Programa “Escola Livre”, atendendo os seguintes princípios:

(...)

IV – liberdade de crença;

VII – direito dos pais a que seus filhos menores recebam a educação moral livre de doutrinação política, religiosa ou ideológica;

CLIQUE AQUI para saber mais sobre a lei.

A educação brasileira no centro de uma guerra ideológica.

A foto é de Fábio Arantes, Secom de SP, conforme El País.

CLIQUE AQUI para examinar boletim do movimento Escola sem Partido.

Esta reportagem da edição digital brasileira do jornal El País, assinada por Talita Bedinelli, mostra que movimentos diversos fazem leis contra a "ideologia nas escolas" e pedem que currículo básico passe pela Câmara

Leia tudo:

A polarização ideológica que atingiu o país nos últimos anos tem levado a educação para o centro de uma batalha que começa a ter contornos perigosos, na opinião de educadores. Iniciativas espelhadas no movimento "Escola Sem Partido", que prega o "fim da doutrinação" nas escolas, têm se espalhado pelo Brasil e pressões conservadoras querem levar a aprovação da Base Nacional Comum Curricular, um documento guia para todas as escolas e que há um ano é discutido por especialistas, para as mãos do Congresso, que em 2015 já conseguiu banir o termo "gênero" do Plano Nacional de Educação, por considerar que a palavra se referia a uma questão de ideologia.

Criado há 12 anos por um pai indignado com o professor de história da filha, o Escola Sem Partido começou a ganhar um protagonismo maior no ano passado. 

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Domingo será de sol, poucas nuvens e temperatura amena no RS

Este domingo  amanheceu com poucas nuvens, sol e temperatura amena (11o graus, 7h30min) em Porto Alegre. Ele será de muitas nuvens no Oeste e no Sul do Rio Grande do Sul, onde o dia terá chuva que pode ser forte e até acompanhada de trovoadas em alguns pontos. No Centro e em todo o Norte do Estado, incluindo a Grande Porto Alegre, espera-se uma jornada de sol e nuvens, com períodos de nublado. As temperaturas máximas ficarão acima dos 20°C em várias cidades. Na Capital, a temperatura varia entre 12°C e 23°C.

Conforme a MetSul Meteorologia, a tendência é de que os últimos dias de junho e os primeiros de julho sejam de temperaturas mais amenas, indicando o fim do frio intenso dos primeiros dias deste mês.

Opinião do editor - Chegou a hora da Escola Sem Partido

"Escola Sem Partido" nasceu porque pais estão fartos da doutrinação ideológica por parte de professores comprometidos com o comunismo, sempre dispostos a subverter os valores éticos, morais e legais da sociedade aberta e democrática, sobretudo os familiares. 

A lista das reivindicações que os professores públicos estaduais públicos colocaram para o governador José Ivo Sartori, inclui a retirada do projeto 190/2015, que regula no RS a chamada Escola Sem Partido. "Quero acabar com a doutrinação ideológica nas escolas", disse ao editor o autor do projeto, Marcel Van Hatten. No RS isto ocorre pelas mãos sobretudo de professores públicos de todos os graus de ensino.

A pedida do Cpers, visa marcar posição política e ideológica, porque os professores em greve sabem que o projeto é do deputado do PP e não do governo.

Neste domingo, a editora de política do jornal Zero Hora, Rosane Oliveira, toma partido dos professores e diz que o projeto afronta a Constituição. Se isto fosse fato, a lei aprovada pela Assembléia de Alagoas (leia abaixo) não estaria em vigor. Além disto, a própria Assembléia do RS trataria de fulminar o projeto.

A jornalista alega que "nem nos Anos de Chumbo, quando nas escolas eram proibidas pelo governo da ditadura  de tratar de questões políticas com os alunos". Ledo engano de Rosane Oliveira, porque durante a ditadura, o MEC introduziu na base curricular, inclusive nas universidades, uma disciplina chamada OSPB (Organização Social e Política Brasileira) que promovia lavagem cerebral escancarada em favor do autoritarismo e contra as liberdades públicas e privadas. A editora de política da RBS avisa que seria até impossível fiscalizar o cumprimento da nova lei, o que torna seu argumento bizarro, porque neste caso lei alguma seria introduzida em sociedades civilizadas.

Dilma Roussef está em Porto Alegre

Dilma Roussef resolveu passar o final de semana com os familiares em Porto Alegre.