Zé Dirceu defende a Petrobrás: "A Petrobrás é nossa e ninguém tasca". Alguém duvida disto, depois do Petrolão ?

“A repercussão negativa dos supostos atos de corrupção envolvendo a estatal não pode ser maior que a importância da empresa para o Brasil e para os brasileiros. Não podemos nos deixar enganar pelos grupos que atendem a agenda do grande capital nacional estrangeiro”, diz o blog do ex-ministro José Dirceu.

Ontem, o senador tucano José Serra sugeriu um projeto visando revogar a participação da estatal em licitações para a exploração e produção de petróleo nas camadas do pré-sal.

José Dirceu acha que todas as delações premiadas, os US$ 180 milhões roubados da Petrobrás já repatriados, as prisões de gente da estatal, atravessadores e empreiteiros, mais o início das investigações sobre políticos, tudo isto é fantasia da direita, que quer tomar a Petrobrás.

Como se sabe, a Petrobrás é dos ladrões do PT e dos funcionários corruptos da Petrobrás. 

Saiba por que Dilma é a mais autoritária presidente dos governos democráticos

O caráter autoritário da atual presidente, Dilma Roussef, pode ser medido pela quantidade de projetos de lei e de medidas provisórias que ela enviou ao Congresso.

Compare as percentagens de cada presidente (o primeiro número é sempre de projetos de lei):

Sarney - 42-54
Collor - 63-37
Itamar - 50-50
FHC 1 - 58-42
FHC 2 - 60-40
Lula 1 - 49-51
Lula 5 - 58-42
Dilma 1 - 41-59

O levantamento é do sociólogo Carlos Alberto de Almeida.

O drama dilmista envolve cinco gravíssimas crises. Saiba quais são elas.

Em ampla reportagem no seu caderno de fim de semana, "Eu&", o jornal Valor cita as cinco graves crises que o governo Dilma Roussef enfrenta e que dificilmente resolverá:

Econômica
Política
Petrolão
Energa
Hídrica

CLIQUE AQUI para ler o livro, PDF, os cinco atos do drama Hamlet.

Dica de livro - A incrível viagem de Shackleton

Alfred Lansing
Sextante, 16 de mai de 2011 - 334 páginas
R$ 39,90


O editor acaba de ler e recomenda. É história verdadeira, detalhadamente contada, tudo a partir de diários de vários dos tripulantes e da narrativa de parentes próximos dos desbravadores e de alguns que ainda estavam vivos. Tudo começa no verão de 1914, quando  Sir Ernest Shackleton parte a bordo do Endurance em direção ao Atlântico Sul. O objetivo de sua expedição era cruzar o continente antártico, passando pelo Pólo Sul. Mas, a apenas um dia do ponto de desembarque planejado, o Endurance fica aprisionado num banco de gelo no mar de Weddell e acaba sendo destruído. A partir daí a história é da sobrevivência de toda a tripulação e sua epopíe na região mais inóspida do plante, sem ninguém e nem um só abrigo num raio de mais de mil kms no meio do gelo mais cruel e dos mares mais traiçoeiros. 

O editor comkprou o livro na Cultura, a partir da recomendação do publicitário Luciano Vignolli, agência E-21.

Ditadura de Cuba ameaça cassar o registro de médico que não mandar a família de volta a Havana

A Folha de S. Paulo de hoje conta que o médico cubano Juan (o nome é fictício), que está na região Norte do país atuando pelo programa federal Mais Médicos, está inconformado com as pressões que vem sofrendo para que sua mulher, atualmente no Brasil, retorne à Cuba. A seguir, o seu depoimento.

Tenho mais de 20 anos de graduação em medicina, com duas especializações e três missões internacionais. A primeira delas, em Angola, em plena Guerra Civil [1975-2002].
Em todas essas missões, tenho dado o melhor de mim como pessoa e como profissional.
Decidi ingressar no programa Mais Médicos porque poderia ter minha mulher ao meu lado. Nesses anos, ela e eu temos sofrido muito com a separação.
Recebi nesta semana um ultimato do governo cubano: ou ela regressa ou serei desligado do programa e terei cassado meu diploma, o que me impedirá de continuar exercendo medicina no meu país. Sem contar outras medidas disciplinares por não cumprimento das normas.
Quando pedimos alguma justificativa, só alegam que nossos governantes não vão permitir uma nova onda de deserções.
Há desconfiança dos nossos líderes em relação a nós porque já houve grupos de profissionais que decidiram deixar seus entes queridos e seu país para se dedicar à limpeza em qualquer lugar do mundo.
Eu não tomaria essa decisão porque amo a minha profissão. Mas, se eles insistirem, serei forçado a abandonar a missão.

Não admito que determinem sobre a minha vida. A decisão de a minha mulher ficar comigo é minha e dela, e de ninguém mais. 

ICMS mais alto só valeria para o ano que vem

Caso decida aumentar as alíquotas do ICMS, o governo estadual nada resolverá em 2014, já que novos impostos obedecem o princípio da anualidade.

A opção por aumento de impostos não tem chance na Assembléia.

XP demite para lucrar mais em 2015

A XP, que nasceu em Porto Alegre e hoje tem sede no Rio,  demitiu 170 dos seus 700 empregados. A direção do grupo não gostou do lucro de R$ 43 milhões do ano passado e quer emplacar R$ 103 milhões este ano.

Grupos holandês e árabe investirão R$ 600 milhões em terminal de grãos de São Francisco, SC

A holandesa Nidera e a árabe Al Khaleej Sugar, confirmaram investimento de R$ 600 milhões na construção do Terminal Graneleiro de Babitonga, São Francisco do Sul, SC. São Francisco já foi escolhido como destino dos carros BMW que começam a ser montados em Araquari, a 80 quilômetros dali.

O novo terminal desviará 40% dos grãos atualmente exportados por Paranaguá, Paraná, 170 kms mais ao Norte.

Araújo diz em entrevista à Folha que o rugido das ruas "é justo"

A jornalista Paulo Sperb ouviu o ex-deputado Carlos Araújo para a Folha de S. Paulo, que publica suas divagações neste domingo,sempre muito cuidadoso em não extrapolar limites e passar a idéia de que é algum tipo de eminência parda de Dilma Roussef, mas fazendo questão de manter sua postura de velho seguidor das teses mais ortodoxas do marxismo, mesmo estando no PDT. Araújo diz na entrevista que as razões para as pessoas protestarem são justas, elencando duas delas: corrupção e perda de vantagens econômicas. É um bom resumo. O marido de Dilma não se aprofunda no caso da corrupção, já que não identifica Lula, Dilma e o PT como chefes e sustentáculos da organização criminosa que roubou no Mensalão e no Petrolão, portanto os responsáveis pela roubalheira, seus principais beneficiários políticos e, assim, sujeitos às mais duras penas de cadeia. 

Leia mais:

A crise econômica, mais do que a corrupção, está inflando as manifestações contra o governo Dilma (PT) e os protestos, "não se pode negar", são justos e reais.

A avaliação é do ex-militante de esquerda Carlos Araújo, 77, que foi casado com a presidente Dilma Rousseff por 22 anos.


Apesar da crise, ele acha que a proposta do impeachment enfraqueceu. "Eles [os adversários] sabem que não levam a nada, quem vai assumir, o Temer'}"é?", ironiza.

CLIQUE AQUI para ler mais. 

Padilha diz que Cunha poderá ser o candidato do PMDB à sucessão de Dilma

O ministro Eliseu Padilha fala hoje para a revista Época. É uma longa entrevista. Ele avisa que o deputado Eduardo Cunha poderá ser o candidato a presidente, ignorando completamente as investigações que o MPF passou a fazer sobre o envolvimento do presidente da Câmara no Petrolão. O ministro também avisou que não quer que o PT continue com a presidência depois do atual mandato de Dilma.

Eliseu Padilha integra, agora, o núcleo duro que assessora Dilma na coordenação política.

Leia a entrevista:

ÉPOCA – Em sua jornada política, o senhor já viu um momento tão conflagrado e delicado como o atual?
Eliseu Padilha – Nestes 20 anos em que estou em Brasília, nunca vi nada parecido. Jamais a participação das pessoas nas redes sociais teve tanto reflexo direto na atuação do Congresso, que é uma caixa de ressonância da sociedade. As pessoas estão decepcionadas com a política e com os políticos de maneira geral. Mas a insatisfação das pessoas está mesmo concentrada no governo federal. Se observarmos, veremos que há uma grande diferença entre as manifestações de junho de 2013 e as que ocorreram no dia 15 de março. Os protestos de junho de 2013 eram dispersos e envolviam discussões sobre o preço da passagem de ônibus, por exemplo. Agora o objeto das reclamações está focado no governo federal. Verificamos que mais de 70% das pessoas que foram para as ruas nunca tinham ido antes. Isso mostra, mais uma vez, que a manifestação do dia 15 de março é diferente.
ÉPOCA – Quanto o embate entre o ex-ministro da Educação Cid Gomes e deputados na última quarta-feira aprofunda a crise entre o Executivo e o Legislativo?

CLIQUE AQUI para ler tudo.


Manifestantes inundaram as ruas de todo o País. Gramado e Canela uniram-se para reunir 3 mil pessoas.

As contas que indicaram a presença de 2 milhões de manifestantes no dia 14, incluiram apenas o povo das capitais.

O governo sabe que foi muito mais.

Até mesmo em pequenas cidades como as gaúchas Gramado e Canela, manifestantes inundaram as ruas. No dia 15, por exermplo, 3 mil pessoas percorreram a estrada que liga Canela a Gramado.

Veja abre capa para o poderoso Eduardo Cunha

Ao impor uma sequência de derrotas e constrangimentos à presidente Dilma - incluindo a demissão de um ministro -, Eduardo Cunha emerge como o político mais poderoso do país. 

Reportagem de VEJA mostra como o pragmático presidente da Câmara dos Deputados logrou ascender em Brasília: capacidade de trabalho, disciplina e conhecimento das regras do jogo.

Nas próximas semanas o poder de Eduardo Cunha ficará ainda mais visível, porque ao se negar a sequer atender telefonemas do ministro gaúcho Pepe Vargas, o homem das interlocuções de Dilma com o Congresso, os Partidos e os políticos, ele acabou por esvaziá-lo, decretando sua morte súbita. Pepe Legal devfe ser substituído pelo também gaúcho Eliseu Padilha, do mesmo Partido de Cunha, o PMDB.

Uma conjugação de fatores, mas sobretudo as circunstâncias - erros políticos do governo, economia e contas públicas em desalinho, o Petrolão - d favorecem o fortalecimento dos músculos políticos do deputado carioca.