Padilha avisa: "PMDB até pode examinar com aliança com o PT no RS, mas só se cabeça for do Partido"

A nota é do deputado Eliseu Padilha e foi enviada ao editor neste sábado à noite:

 Relativamente a uma possível futura aliança entre PMDB e PT no Rio Grande do Sul, inveridicamente atribuída a mim, esclareço:

 1 - Acompanhei os Deputados Marco Maia(PT), Henrique Eduardo Alves(PMDB) e Osmar Terra(PMDB) em audiência com o Governador Tarso Genro, na qual Henrique buscava o apoio do Governador à sua eleição para Presidente da Câmara dos Deputados;

 2 - Ao final da visita o Dep. Marco Maia perguntou aos peemedebistas presentes se ainda era impossível se pensar em uma aliança PMDB e PT em nosso estado? Henrique, que buscava o apoio do Governador afirmou que nós somos aliados nacionalmente e eu respondi que já não mais via como impossível tal aliança também nosso estado, dependendo das condições. Não falei, mas pensei que eles nos ofertando a cabeça de chapa poderíamos começar a ouvir nossa base para decidir;

3 - Quanto ao mais que foi noticiado sobre este fato, corre por conta da imaginação de seus autores;

4 - O PMDB e os gaúchos me conhecem, sabem dos meus compromissos partidários. Tenho 46(quarenta e seis) anos de partido e sempre defendi seus interesses coletivos.


Manifestantes protestam durante visita de Tarso a São Lourenço do Sul

Manifestantes ligados ao Cpers e aos movimentos sociais de São Lourenço do Sul (leia nota a seguir)  foram atacados esta tarde pelos seguranças do governo do Estado, que tentaram impedi-los de levantar suas faixas de protesto durante visita do governador Tarso Genro a São Lourenço do Sul.

. Uma Faixa dizia:

- Tarso tu não cumpre nem a lei, o que dirá das promessas que fazes. O piso é lei!

. A faixa referia-se ao piso nacional do magistério. A outra faixa cobrou outra promessa:

- Cadê os 50 milhões a juro zero que o senhor prometeu ?

. Esta faixa referia-se a promessa de R$ 50 milhões a juro zero para as viítimas da enxurrada de março de 2011, via Banrisul.

. Ao chegarem na praia, os manifestantes foram encurralados e ameaçados de prisão pelos seguranças de Tarso. Eles foram dispersados.

Artigo,Adriano Pires - O setor de energia à deriva

* Clipping O Estado de S.Paulo 

 O setor de energia está nitidamente à deriva no Brasil e a razão principal é a sua utilização para fins políticos e eleitoreiros, pondo fim a um planejamento de longo prazo. Ao adotar uma agenda populista e eleitoreira, principalmente a partir de 2008, o governo levou o País a ser importador de combustíveis, etanol e a apagões de energia elétrica.O ano de 2008 foi marcado pelo início da crise econômica mundial, caracterizada à época pela quebra do banco Lehman Brothers. No Brasil o governo, embalado pelo anúncio da descoberta da camada pré-sal, passou a adotar medidas para que a crise causasse apenas "marolinhas" na economia. E aí começa o calvário do setor de energia.

A primeira vítima foi o setor de petróleo. Com o pré-sal, o governo ressuscitou a campanha do "Petróleo é Nosso" e com isso cancelou a realização de novos leilões, promoveu mudanças na legislação na direção de maior intervenção do Estado na Petrobrás e no setor de petróleo e congelou os preços da gasolina e do diesel. As consequências da política petropopulista foram a estagnação da produção de petróleo, o atraso na construção de novas refinarias, o aumento na importação de gasolina e diesel, pouco investimento das empresas privadas e a queda no valor de mercado da Petrobrás desde que ocorreu o processo de capitalização em 2010.

O setor elétrico também tem sido vítima dessa política intervencionista passando a privilegiar a modicidade tarifária em detrimento da segurança de abastecimento.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Nete sábado, Tarso faz populismo digital em São Lourenço

O Governador Tarso Genro estará em São Lourenço do Sul na manhã de sábado (19), participando da solenidade de lançamento do Programa Verão Numa Boa Mais Digital. A Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Turismo, Indústria e Comércio, iniciou as tratativas com o Governo do Estado no final de novembro de 2012.

. A solenidade de lançamento acontece próximo ao Estação Verão do SESC, a partir das 11 horas. O Programa Verão Numa Boa Mais Digital irá disponibilizar dois rádios digitais para cobertura do wi-fi livre, em um raio de 350 metros do local, além de cinco computadores que estarão disponíveis para uso público e gratuito no telecentro. O Programa é uma parceria entre as secretarias de Comunicação e Inclusão Digital (Secom), de Turismo (Setur), do Gabinete do Governador, e da Procergs.

- Neste sábado de madrugada, 1 da manhã, foram realizados testes de som na praia. Pelo visto o importante é ter internet, porque o sono e descanso dos cidadãos não interessa à nomenklatura.Sobre o programa em si, é louvável os hotspots com computadores para a população, mas a distribuição externa da internet não passa de uma piada, já que o alcance é de 350 metros e link de 4 Mbps, segundo consta no site da promoção, mas as 11h30min, o pessoal do evento avisou que o alcance seria de 2 kms. Ocorre que ninguém conseguiu o sinal nem sequer na metade do raio. Com mais de 10 usuários simultâneos, as coisas já começam a ficar bem lentas. Distribuir o sinal a distâncias maiores não é problema financeiro, porque não sai caro montar uma antena com alcance maior. Já que o motivo principal da visita do governdor Tarso Genro a São Lourenço é esse, bem que o governo poderia poupar a viagem e o dinheiro público.

Artigo, Guilherme Fiuza - Sorria, você está sendo roubado

* Clipping O Globo

O “Financial Times” disse que o jeitinho brasileiro chegou ao comando da política econômica. O jornal britânico se referia à solidariedade entre os companheiros Fernando Haddad e Guido Mantega, num arranjo para que a prefeitura de São Paulo retardasse o aumento nas tarifas de ônibus, ajudando o Ministério da Fazenda a disfarçar a subida da inflação.A expressão usada pelo “Financial Times” é inadequada. Os britânicos não sabem que esse conceito quase simpático de malandragem brasileira está superado. O profissionalismo do governo popular não mais comporta diminutivos.

No Brasil progressista de hoje, os números dançam conforme a música. E a maquiagem das contas públicas já se faz a céu aberto: o império do oprimido perdeu a vergonha.No fechamento do balanço de 2012, por exemplo, os companheiros da tesouraria acharam por bem separar mais 50 bilhões de reais para gastar. Faz todo o sentido. Este ano as torneiras têm que estar bem abertas, porque ano que vem tem eleição e é preciso irrigar as contas dos aliados em todo esse Brasil grande. A execução do desfalque no orçamento foi um sucesso.

Entre outras mágicas, o governo popular engendrou uma espécie de “lavagem de dívida” para fabricar superávit. Marcos Valério ficaria encabulado.

A charge é de Amorin do jornal Diário dos Campos, PR.

Dilma diz a Eduardo Campos que é candidata em 2014

Em sua terceira conversa desde o início de novembro com o presidente do PSB e pré-candidato à Presidência da República em 2014, governador Eduardo Campos (PE), na última segunda-feira, a presidente Dilma Rousseff afirmou categoricamente que é candidata à reeleição.O socialista, que tenta viabilizar sua própria candidatura, mas continua na base de apoio ao governo, não se posicionou em relação ao eventual apoio à reeleição de Dilma. Comprometeu-se apenas a ajudá-la a fazer uma boa administração neste ano de 2013.


Lula debate política externa com integrantes do governo Dilma.













Setores do PT gostariam que o ex-presidente Lula fosse candidato em 2014, já que Dilma mantém uma relação mais distante com o partido.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

* Clipping, O Globo, reportagem de Fernanda Krakovics

DHL inicia operações no RS


A DHL Supply Chain, player do segmento de logística, oficializou nesta quinta-feira (17) a implantação de uma unidade em Caxias do Sul, a primeira em território gaúcho. A companhia iniciou suas atividades no Estado no final do ano passado, administrando o Centro de Distribuição da RGE, concessionária de energia elétrica, com a qual assinou contrato de parceria. O diretor de operações da DHL no Brasil, Nelson Filipe, informou que a empresa ocupará uma área de 6,5 mil metros quadrados e que foram contratados 90 funcionários para Caxias do Sul e mais 40 para os postos avançados de Passo Fundo, Erechim, Santo Ângelo e Cruz Alta. O valor do investimento não foi revelado. Em suas primeiras ações no Estado, a DHL movimentará 950 toneladas mensais de materiais utilizados pela RGE na manutenção e ampliação da rede.

. Subsidiária da Deutsche Post DHL, a companhia mantém 85 operações no Brasil, com 700 mil metros quadrados de área para armazenagem. O grupo, que atua em 220 países, teve uma receita global de 53 bilhões de euros em 2011.

* Clipping revista Amanhã