Médicos cubanos fracassam na cirurgia de Chavez


 O dr. José Rafael Marquina é um médico venezuelano que vive e trabalha em Miami. De lá, ele acompanha o estado de saúde de Hugo Chavez. Ele avisa no seu Twitter que a cirurgia realizada em Havana foi um fracasso. Leia posts dele, desta tarde:

Jose Rafael Marquina (@marquina04)
23/12/12 16:39
En conclusión la cirugía fue un fracaso no le resolvió el problema y le ocasiono múltiples complicaciones
Jose Rafael Marquina (@marquina04)
23/12/12 16:43
Mañana harán una teleconferencia para saber sí lo operan de nuevo o el plan a seguir
Jose Rafael Marquina (@marquina04)
23/12/12 16:45
Médicos en Cuba no tienen la experiencia necesaria para realizar esta cirugía
Jose Rafael Marquina (@marquina04)
23/12/12 16:48
No le deseó ningún mal a Chávez, al contrario, pero me limito a decir detalles q el gobierno no da
Jose Rafael Marquina (@marquina04)
23/12/12 16:55
Cualquier cirugía q le ocasioné tantas complicaciones como las q padece, puede considerarse un total fracaso


Prefeito Vanazzi, PT de São Leopoldo, dá calote no 13o e nas férias do funcionalismo

No RS, o caso mais emblemático de calote aplicado no funcionalismo público é o do prefeito petista de São Leopoldo, Grande Porto Alegre, Ary Vannazi. O caso é mais grave porque Vannazi é presidente da Famurs, a entidade que representa todos os prefeitos do Estado. Além  do 13o, o prefeito do PT também não pagou as férias e deixará pendurada a Folha de dezembro para seu sucessor. Sobre sua administração paira a sombra da Operação Cosa Nostra, desfechada pela polícia do governador Tarso Genro, companheiro de Vannazi. A Operação não anda.

. A LRF deixa claro que prefeito que não quitar a dívida até o fim do mandato pode ficar inelegível.

- O pagamento do 13º salário ocorrerá com atraso em 11% das prefeituras do país. O estudo foi feito pela Confederação Nacional dos Municípios, que consultou 60% dos 5.565 municípios brasileiros. Segundo a entidade, o prefeito que não quitar a dívida até o fim do mandato pode ficar inelegível.

Artigo, Paulo Henrique Amroim - Dilma não é nada sem o PT

* Clipping Paulo Henrique Amorim. 
Título original: Dilma tem a ver com o mensalão, sim!

Saiu numa colona (*) do Globo, aquela que é o melhor Proust que o PiG (**) planaltino conseguiu produzir, a seguinte preciosidade:

A Presidenta está “azeda … com o mensalão, que não tem nada a ver com ela, entrando para atrapalhar o Governo, numa briga infecunda entre o presidente do STF e da Câmara …”

Como se sabe, o Palácio do Planalto, no atual Governo, passou a ser povoado por um conjunto significativo de neo-petistas pigais (**).Talvez seja um neo-petista esse “um de seus ministros “, o que passou a informação especialíssima ao colonista global.O amigo navegante deveria, porém, levar em conta que a Presidenta tem tudo a ver com o mensalão.Primeiro, porque foram condenados sem prova alguns dos arquitetos do edifico político que permitiu uma desconhecida economista mineiro/gaúcha tornar-se presidenta da República.Dilma deve mais ao Dirceu do que ao Celso Furtado.Dilma tem a ver com o mensalão, sim, porque a condenação sem provas de líderes políticos insubstituíveis do PT significa que, cedo ou tarde, a mesma excepcionalidade chegará aos seus (dela) calcanhares Ou a Presidenta se deixou contaminar pelos neo-petistas que a cercam e se esqueceu de uma expressãosinha – “luta de classes” – , que ela deve ter conhecido enquanto na cadeia ?E que a elite furiosa, anti-chavista que se instalou no Brasil e no Supremo, na bancada dos Chinco Campos, “tem lado”?

Ela acha que o julgamento do mensalão NÃO foi politico ?

CLIQUE AQUI para ler mais. 

Governo Tarso Genro atrapalha-se e RS pode perder verba contra seca

* Clipping Correio do Povo

O Rio Grande do Sul corre o risco de perder os R$ 10 milhões anunciados no início deste ano pelo governo federal para investimento em obras de prevenção à estiagem. De acordo com o Ministério da Integração Nacional, o Estado só deu entrada no processo em setembro e, agora, precisa correr contra o tempo para garantir a assinatura do convênio até o dia 31 deste mês, sob o risco de o aporte caducar em 2013. Diante deste impasse, 60% dos 370 municípios que decretaram situação de emergência entre novembro de 2011 e agosto de 2012 seguem sem os recursos previstos para perfuração e equipamentos de poços artesianos, recuperação de barragens e redes de distribuição de água.

Os outros 40% já foram atendidos com repasse de verba estadual, de pouco mais de R$ 13 milhões.

CLIQUE AQUI para ler mais.

Valter Nagelstein assumirá presidência do PMDB de Porto Alegre no dia 2

As 19h do dia 2 de janeiro o vereador Valter Nagelstein assumirá a presidência do PMDB de Porto Alegre. O vereador foi o mais votado do Partido. O presidente atual, Sebastião Melo, foi eleito vice-prefeito e assumirá o cargo no dia 1o.

Fortunati define com base aliada a presidência da Câmara e o líder do governo

Montado o secretariado municipal, a base aliada do governo do prefeito José Fortunati articula-se agora para definir os nomes dos próximos presidentes da Câmara de Vereadores (um a cada quatro anos) e do líder no Legislativo.

. Os presidentes da Câmara devem ser os seguintes:

2013 – Dr. Thiago, PDT
2014 – Professor Garcia, PMDB
2015 – Mauro Pinheiro, PT
2016 – Cássio Trogildo, PTB

. O nome mais forte para a liderança do governo é do vereador socialista Airto Ferronato, PSB. O PSB tem dois vereadores e não ajudou a eleger Fortunati e nem integra a base, mas está sendo trabalhado para fazer parte da administração municipal. 

Artigo, Percival Puggina - Saiba por que é preciso quebrar os ovos para enquadrar Lula e o PT

O artigo a seguir é de Percival Puggina, Porto Alegre. O editor editou o texto inicial, mas o link dá acesso à íntegra da análise.


Tem chamado atenção a vigorosa blindagem proporcionada ao ex-presidente Lula, suas persistentes negativas, e o furioso enfrentamento que seu partido trava ante o STF, a mídia e o jornalismo independente. Somam-se tenebrosas ameaças de regular a atividade da imprensa - o chamado marco regulatório - e agendam-se vigorosas manifestações em favor de José Dirceu e outras lideranças. É o povo nas ruas? Não. Claro que não. Não se confunda povo com militantes. O povo não está para essas coisas. Homens e mulheres do povo estão ocupados com seus afazeres, com suas famílias. Os estudantes do povo estudam. Os agricultores do povo plantam e velam por suas colheitas. Só os militantes é que se arregimentam ao estalar de dedos do comando político, até mesmo para coisas tão abomináveis quanto defender meliantes.

Exagero? Não. Exagerada foi a quebradeira de ovos. Demasiada é a incoerência do ministro Gilberto Carvalho desqualificando as denúncias de Marcos Valério por provirem de alguém condenado a 40 anos de prisão. Mas que diabos, para quem trabalhava o careca? Não é o partido do ministro e o próprio Lula que afirmam não haver ocorrido crime algum? Então, para vocês, Gilberto Carvalho, o publicitário Marcos Valério é inocente como bebê de berçário! Será preciso, também, quebrar os ovos da nossa paciência e da lógica mais elementar?

CLIQUE no endereço a seguir para ler tudo
 http://www.puggina.org/

Sartori investiu R$ 200 milhões e oito anos para resolver o problema de água em Caxias, mas só Dilma e Tarso aparecem na foto

A foto da capa do jornal O Sul deste domingo é uma demonstração material de que modo os governos do PT apropriam-se de obras dos outros. A foto diante da barragem do sistema Marrecas, Caxias, mostra trablhadores da obra, tendo ao centro a presidente. Agachados, aparecem em primeiro plano o ministro Pepe Vargas, ex-prefeito, e o governador Tarso Genro. No canto da foto, quase sumido, está o prefeito de Caxias do Sul, José Ivo Sartori, que nos seus oito anos de mandato construiu Marrecas do começou ao fim e entregou a maior obra do seu governo. O dinheiro saiu do PAC, de Dilma, mas foi um empréstimo de R$ 200 milhões que a prefeitura pagará. O relevo dado a Dilma e a Tarso (Tarso distribuiu notícia pelo Piratini, passando a impressão de que a obra era sua e de Dilma) seria o mesmo que poderia ser concedido ao dono do Itaú, Roberto Setúbal, quando financia algum empreendimento. Nada disto a presidente explicou em seu discurso, que foi de louvação do seu governo - apenas isto. O investimento é da prefeitura e não do governo federal ou do governo estadual. O governo federal apenas foi o financiador, o banqueiro, que receberá de volta cada tostão que emprestou, mas o investimento não foi seu.  Leia mais

— Vim aqui porque acho que isso é um exemplo para o Brasil e também porque temos uma parte expressiva da indústria do país.

Dilma também afirmou ter respeito e admiração pelo atual prefeito José Ivo Sartori (PMDB) e assumiu um compromisso ao cumprimentar o futuro prefeito, Alceu Barbosa Velho (PDT):

— Quero assegurar que manteremos nossa parceria nesta cidade.

Durante o discurso a presidente também falou do plano de investimentos nos aeroportos, do qual Caxias do Sul e Gramado serão beneficiados:

.— Não queremos só garantir água. Queremos garantir empregos e crescimento. A presidente também falou da importância da educação, defendendo escolas de tempo integral.

A presidente decolou às 12h40min com destino a Porto Alegre. Ela desembarcou em Canoas e se dirigiu para a casa do ex-marido. Ela ficará até terça-feira em Porto Alegre, onde passará o Natal com a filha, o genro e o neto. 

Dica de livro - Nossos Anos Verde-Oliva

DICA DE LIVRO
Nossos Anos Verde-Oliva

Recomendo comprar Nossos Anos Verde-Oliva, do chileno Roberto Ampuero, editora Benvirá, 500 páginas. O romance tem como pano de fundo os regimes comunistas da ex-RDA e da ainda ditadura comunista familiar da dinastia dos irmãos Castro - suas misérias humanas, o autoritarismo, a crônica falta de alimentos;  o desperdício;  a censura aos livros, cinema, TV, rádio, internet;  as proibições de viagens;  os fuzilamentos e prisões arbitrárias;  a vigilância dos CRD sobre cada cidadão;  o terror;  a traição;  o medo; a falta de remédios, de sapatos, de calças e cuecas;  o Partido único, a proibição de reuniões, a patrulha ideológica e as mentiras. E isto que o autor e o personagem principal eram comunistas da Jota, a Juventude Comunista do Chile, exilado e inicialmente ardoroso combatente da revolução que derrubou Batista. Vale a pena ler.

Revista revela quem delatou Dilma durante sua militância na organização terrorista VAR Palmares

Leia abaixo a reportagem de Josie Jeronimo, publicada na Istoé:

Vítima do aparato repressivo da ditadura, a presidenta Dilma Rousseff foi processada, presa e submetida a torturas por conta de sua militância em grupos de esquerda como o Comando de Libertação Nacional (Colina), que promoveu ações armadas entre 1967 e 1969. A organização de Dilma foi desmantelada por uma operação militar que prendeu seus principais integrantes e só foi possível a partir de informações fornecidas por colaboradores do regime militar. A lista desses informantes consta de denúncia oferecida pela 4ª Circunscrição Judiciária Militar em 1971 e foi obtida com exclusividade por ISTOÉ. No documento, até agora inédito, os militares listam cinco nomes de civis que, após terem testemunhado ações do Colina, passaram a integrar a rede de informações em Minas Gerais. Essas pessoas entregaram detalhes de encontros, endereços e a identidade de militantes. Um dos delatores citados no documento é considerado peça-chave para a inclusão da jovem Dilma Vana Rousseff no processo movido contra integrantes da organização. Trata-se do médico José Márcio Gonçalves de Souza, que hoje atende num hospital ortopédico de Belo Horizonte.

No fim da década de 1960, Gonçalves lecionava na Escola de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A faculdade era considerada a principal célula de operação do grupo armado. Lá atuava Dilma Rousseff e mais cinco integrantes do Colina. Eles costumavam se reunir na cantina, onde o professor também fazia seu lanche nos intervalos das aulas, mas Gonçalves só começou a reparar nos militantes depois de ser vítima de parte do grupo. No início de 1968, quatro militantes, entre eles o sindicalista Irani Campos, abordaram o professor de medicina no estacionamento da faculdade e roubaram seu carro. Ele registrou queixa e, pouco tempo depois, foi chamado pela polícia para identificar Campos. Na acareação, negou a participação do sindicalista no episódio. Posteriormente, mudou sua versão para os militares e incluiu Irani. A partir dali, José Márcio Gonçalves foi recrutado para ajudar a monitorar os movimentos da célula da Faculdade de Medicina. Dilma, embora fosse estudante de economia, e não tivesse participado do roubo do carro, integrava aquele grupo na condição de "coordenadora nas escolas", conforme descrição que consta do processo: "Integrava uma célula na Faculdade de medicina. Fazia reuniões com os ginasianos em sua residência."

Quando a denúncia da Justiça Militar foi feita em 1971, Dilma já estava presa por conta de outro processo. Fora capturada um ano antes na Operação Bandeirantes em São Paulo. Então, estava operando para a Var-Palmares – organização que surgiu da fusão do Colina com a VPR de Carlos Lamarca. Com o julgamento dos integrantes do grupo de Minas Gerais, os militares resolveram transferir Dilma. A jovem foi parar na Penitenciária de Linhares, em Juiz de Fora, outro calabouço da ditadura. Ali, passou por novas sessões de tortura.

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

Maior banqueiro brasileiro, o do Itaú, diz que banco lucra pouco e governo aperta muito

* Clipping Folha de S. Paulo, domingo

Para o presidente do Itaú, Dilma acerta ao permitir capital privado na infraestrutura, mas precisa acelerar investimentos

Ana Estela de Sousa Pinto.

A equação é simples: possibilidade de lucros maiores = mais interesse em investir = obras de infraestrutura = ganho de produtividade = mais crescimento do PIB.Se a presidente Dilma Rousseff quer chegar a um crescimento de 4% em 2013, precisa completar os termos: permitir uma taxa de retorno maior para atrair "bons empresários" às obras dos pacotes de infraestrutura.O teorema sai da prancheta de um engenheiro de produção: Roberto Setubal, 58, presidente do maior banco privado do Brasil, o Itaú Unibanco. "Há uma coisa que desperta o espírito animal como nada mais: o retorno que o empresário obtém."Para Setubal, a situação da infraestrutura é dramática e o ganho que o país teria com a aceleração das obras torna irrelevante a intenção de limitar a taxa de retorno dos investidores. "O retardamento desses investimentos tem um custo muito maior."Em entrevista na sede do banco no Jabaquara (zona sul de SP), ele falou sobre a política macroeconômica, os desafios do setor bancário, as estratégias do Itaú e seus planos pessoais para o futuro.
-
Folha - o que ainda está segurando o crescimento?
Roberto Setubal - Além da crise global, dois fatores muito importantes: um arrefecimento na demanda e no próprio preço de commodities, que tinham sido um impulso importante na década passada, e o fato de que saímos de um baixo nível de crédito para um nível razoável, com níveis de endividamento que não permitem mais o mesmo crescimento e impulso.
O vigor vai voltar?

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Um de cada cinco revólveres vendidos nos EUA são da gaúcha Taurus

- A Taurus, Porto Alegre, possui fábrica de armas até mesmo nos EUA, em Miami. No Brasil, a empresa comporta-se de modo muito low profile, mas costuma ser generosa nas contribuições para candidatos a cargos eletivos. Até mesmo candidatos radicais de esquerda, como Luciana Genro, PSOL, e Manuela D’Ávila, PCdoB, costumam receber verbas gordas para suas campanhas. Na eleição deste ano, a comunista Manuela recebeu R$ 100 mil da fábrica de armas.

* Clipping  Roberto Simon - O Estado de S.Paulo

O Brasil tem um papel cada vez mais importante no mercado armamentista dos EUA: a marca gaúcha Forjas Taurus tornou-se a quarta maior distribuidora de armas no país da National Rifle Association, ao lado de gigantes como Smith&Wesson. Um em cada cinco revólveres comprados por americanos em 2012 veio da fabricante brasileira, que hoje vende mais nos EUA do que no próprio Brasil.
Essa rápida expansão no território americano é parte de uma estratégia maior da holding Taurus, que nos últimos anos vem adotando uma estratégia mais agressiva para ampliar exportações. Segundo a diretora de relações com investidores, Doris Wilhelm, no topo da lista de destinos cobiçados pela empresa está África e América Central – segundo a ONU, as duas regiões do mundo com maior número de mortes por arma de fogo.
A lei militar brasileira impede que a indústria bélica nacional revele o número de armas exportadas, tampouco os destinos exatos das vendas. Divulgam-se apenas "blocos geográficos" para onde vão esses produtos. Em 2012, 55% das armas da Taurus foram vendidas ao "bloco norte-americano" (EUA, Canadá e México). A empresa tinha uma receita líquida de US$ 409 milhões em 2009. Este ano, impulsionada pelas exportações, ela deve fechar nos US$ 700 milhões.
CLIQUE AQUI para ler tudo.