Repulsivo deputado do PSOL ataca Marina por seu recuo no apoio à causa gay: "Você mentiu para nós"

Ser repulsivo e ridículo, o deputado psólico usou o Twitter para espinafrar Marina.



O deputado Jean Wyllys (Psol-RJ), que além de não ser do mesmo Partido de Marina e nem a apoiar, e que além disso é um psólico de posições políticas e ideológicas reducionistas e repulsivas, reagiu, indignado, ao recuo de Marina Silva, que cedeu em seu programa de governo depois que ela recebeu um ultimato do pastor Silas Malafi.

. O que disse o representante bastardo do PSOL, que com suas declarações melhorou o volume de votos da candidatas:


- Bastaram quatro tuites do pastor Malafaia para que, em apenas 24 horas, a candidata se esquecesse dos compromissos de ontem, anunciados em um ato público transmitido por televisão, e desmentisse seu próprio programa de governo, impresso em cores e divulgado pelas redes. É com essa autoridade, de quem agiu de boa fé, que agora digo: Marina, você não merece a confiança do povo brasileiro! Você mentiu a todos nós e brincou com a esperança de milhões de pessoas".

Marina volta atrás na defesa da causa gay. "Não é bem assim", recuou a candidata do PSB.

"Não é bem assim!", recua Marina, depois de ter apoiado o casamento gay no seu programa de governo.


Menos de 24 horas depois de divulgar seu programa de governo, que contemplava a defesa dos direitos do público LGBT (leia nota abaixo), Marina Silva voltou atrás e soltou nota para explicar que não era bem assim

.  O motivo para o recuo foi a reação irada de Silas Malafaia, evangélico como Marina, que disse que o programa da candidata do PSB conseguia ser "pior do que o de PT e PSDB".

Simon estréia na TV com "vigor de jovem" e batendo forte no Mensalão

O jornalista Marcos Martinelli, que faz a campanha de TV de José Ivo Sartori na coligação PMDB-PSB-PSD no RS, ficou impressionado com o vigor "jovem" demonstrado pelo candidato ao Senado, Pedro Simon.

. O editor também ficou surpreso com o primeiro programete do senador.

. Aos 85 anos, Pedro Simon faz uma valente defesa das posições recheadas de ética na política que ele desenvolveu ao longo da sua vida pública, concluindo por candente prestação de contas sobre a posição que tomou contra os mensaleiros do PT, cujos líderes foram todos parar na cadeia, apesar da descrença geral.

. Ele faz um apelo para que os jovens não se desmobilizem. 

. Vale a pena ver de novo.

. O editor foi procurar Marcos Martinelli para conseguir cópia do programete.

CLIQUE AQUI para ver e ouvir. Vale a pena.

Começa corte de pessoal na campanha de José Ivo Sartori

Começam a ocorrer cortes na equipe de profissionais que fazem a campanha de José Ivo Sartori, PMDB. A falta de recursos financeiros conduz as ações a um tipo de atividade totalmente espartana.

Tarso na TV veio sem Lula, Dilma e PT

Os últimos programas de TV do governador Tarso Genro parecem ter esquecido Dilma, Lula e o PT.

Ana Amélia concentra campanha na Grande Porto Alegre para vencer no primeiro turno

A apenas 2 pontos de vitória no primeiro turno (ela está com 41,9%, segundo Methodus de hoje), a senadora Ana Amélia resolveu centrar sua campanha eleitoral na Grande Porto Alegre.

. É o que fará nestes sábado e domingo.

. Os números das pesquisas internas feitas pela coligação indica que Ana Amélia já dobrou o cabo da boa esperanças no interior, o que ainda não ocorreu na Grande Porto Alegre.


. O sábado da candidata começou por campanha na Restinga. 

Leia, aqui, o texto de 247 páginas do Programa de Governo de Marina

CLIQUE AQUI para ler a íntegra do programa
de 247 páginas. 

• Programa de governo do PSB acena ao mercado financeiro ao prever em lei a autonomia do BC e tenta afastar críticas sobre influência de sua religiosidade na gestão ao defender causas gays


O programa da candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, divulgado nesta sexta-feira, combina promessas de uma política econômica como a independência do Banco Central garantida em lei e a redução da presença do Estado em atividades econômicas, com uma série de medidas de caráter progressista na área de comportamento, como a defesa clara das causas homossexuais.Em relação ao aborto, a ex-ministra promete a regulamentação de sua prática em hospitais da rede, nos casos já legalmente autorizados.

Os acenos da candidata ao mercado financeiro aparecem em quase todo o programa de 242 páginas. Um dos mais visíveis é a independência do Banco Central, promessa que não foi assumida nem pelo candidato Aécio Neves, cujo partido, o PSDB, é o mais identificado com o mercado financeiro.
Ao enfatizar a “recuperação do tripé econômico”, indica uma política mais ortodoxa do que a do atual governo em relação às metas de inflação, câmbio flutuante e superávit primário - a reserva que o governo faz em caixa para pagamentos de juros da dívida. Ela se compromete a conter a inflação “sem recorrer a controle de preços que possam gerar resultados artificiais”. É uma crítica a Dilma, que teria contido aumentos, como o de combustíveis, para evitar estouros na meta de inflação. Ao falar de reforma tributária, Marina promete não elevar a atual carga de tributos, prometendo até “redução dos impostos sobre faturamento de empresas”.

. Menos Estado. Marina também sinaliza a possibilidade de encolhimento das atividades dos bancos estatais, como a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil, além do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Isso abriria mais espaço para os bancos privados nos mercados imobiliário e agrícola, entre outros. Ao mesmo tempo que fala em reduzir a presença do setor estatal, meta que afina com a cartilha econômica liberal e tende a desvinculá-la de seu passado petista e estatizante, Marina também se preocupa em se distanciar da sombra de fundamentalismo evangélico que a acompanha desde a campanha de 2010.

. A candidata evitou polêmica ao recuar de trechos de seu plano preliminar referentes à participação popular. No texto prévio havia a promessa de criação de “mecanismos de controle social sobre os políticos eleitos”. Em sua empreitada para garantir que respeitará as instituições, Marina suprimiu o trecho. Manteve, porém, a defesa da Política Nacional de Participação Social de Dilma, que recomenda a criação de conselhos populares para acompanhar os trabalhos do governo.

Vá neste final de semana. Grande Porto Alegre.

- 37ª. Exponter. Maior feira brasileira do agro. Esteio.
http://www.expointer.rs.gov.br/inicial


- Casa Cor. Rua Carlos Trein Filho 930. Porto Alegre.

No segundo turno, Marina venceria Dilma facilmente no RS

A pesquisa foi feita entre 18 e 23 de agosto, portanto há uma semana, mas só foi publicada hoje. É encomenda da ADI, Associação dos Diários do Interior do RS. A pesquisa é do Instituto Methodus:

1o Turno 
Dilma Roussef, PT - 31,2%
Marina, PSB - 25,8%
Aécio, PSDFB - 20,4%
Os outros sete candidatos não alcançaram 1'%.

2o Turno
Marina - 47,9%
Dilma - 37%

ADI/Methodus: Ana, 40,9%; Tarso, 31,2%; Sartori, 5,8%; Vieira, 4,7%

A pesquisa foi encomendada pela ADI, Associação dos Diários do Interior. A pesquisa é do Instituto Methodus. 

1o Turno
Ana Amélia Lemos, PP =- 40,9%
Tarso Genro, PT – 31,2%
José Ivo Sartori, PMDB – 5,8%
Vieira da Cunha, PDT – 4,7%
Roberto Robaina, PSOL – 2%
Demais candidatos não alcançaram 1% cada um.

2º Turno
Ana Amélia – 52,6%
Tarso Genro – 36,9%

- O Instituto Methodus entrevistou 1,5 mil eleitores no período de 18 de agosto até o dia 23. A pesquisa registrada no Tribunal Eleitoral sob o número RS-00011/24 foi às ruas, nove dias após a morte do candidato Eduardo Campos. A margem de erro é de 2,5 pontos para mais ou para menos e o intervalo de confiança é de 95%.

Dilma resolve atacar Marina: "Ela é obscurantista"

Aécio e o PSDB praticamente não reagiram ao programa de governo anunciado ontem por Marina em São Paulo, mas Dilma e o PT já se fardaram para a guerra. 

. Na Bahia, Dilma atacou a ênfase de Marina ao etanol, em detrimento do pré-sal, dizendo que o programa de Marina é obscurantista.Mais moderado, o ministro Gilberto Carvalho disse que o programa é quase todo do PSDB, mas avisou que o combate a Marina deve ser dado por Aécio. 

. Publicações alinhadas com o PT, como o site www.brasil247.com.br, reclamam que "ou o PT desconstrói Marina ou entrega a rapadura que está com Dilma".

Merval avisa aos navegantes: "Marina não é só uma onda passageira"

Neste artigo, intitulado "A onda se forma", o jornalista Merval Pereira escreve que ontem deve ter sido o dia mais difícil da presidente Dilma nos últimos tempos porque ela só teve notícia ruim. Pela manhã, o anúncio oficial de uma recessão econômica, à noite a pesquisa Datafolha no "Jornal Nacional" anunciando o que a maioria já previa: Marina Silva alcançou-a no primeiro turno, preparando a ultrapassagem previsível nas próximas sondagens, e tem vitória confirmada no segundo turno por dez pontos de vantagem.

. Leia Merval:

Para o tucano Aécio Neves, sobra a constatação de estar no lugar certo no momento errado, pois antes do acidente trágico que matou o ex-governador Eduardo Campos tinha condições de chegar ao segundo turno, e até mesmo ganhar a eleição.

Preparado para uma disputa que tinha como mote o fim da era PT, de repente o candidato do PSDB foi atirado em meio a uma nova eleição, que abriu outra perspectiva eleitoral, com o mesmo sentido mas com outros ingredientes: a emoção superando a razão, os símbolos ganhando dimensões de realidade, trocada pelos sonhos.

CLIQUE AQUI para ler tudo.
CLIQUE AQUI para ver e ouvir Marco Antonio Villa no comentário "Marina é furacão sem precedentes". 

Tucanos já desconfiam do apoio do PP no RS

Já não são surdas as queixas tucanas de que o PP do RS, seus candidatos e a própria candidata Ana Amélia, fazem pouco para ajudar Aécio Neves. Na semana que vem, dia 5, Aécio visitará Porto Alegre, irá até a Expointer e visitará Caxias do Sul, quando poderá medir o pulso dos seus aliados no Estado.

. PP e Ana Amélia negam ruídos na campanha.

. O presidente do Partido, Celso Bernardi, no entanto, admite que no caso de confronto Marina-Dilma no segundo turno, sem Aécio, a escolha de lado já está feita.

Tarso defende governo bolivariano para o RS

No novo programa de governo que lançou ontem, o governador Tarso Genro voltou a defender censura à imprensa e limites dos poderes atuais das instituições da república.

. É o que acontecerá caso emplaquem seus Conselho de Comunicação e Sistema Estadual de Participação Cidadã.

. Trata-se do equivalente aos mecanismos de controle social implementados nos governos bolivarianos.

. Menos mal é que Tarso Genro não conseguirá emplacar suas propostas por razões que se tornam cada dia mais evidente.

Ministros do STF transformam-se em Marajás da República

É desarrazoado e inaceitável o aumento que os ministros do STF concederam-se a si mesmos, porque ninguém neste País consegue avanço de 22% e nem  o presidente da República percebe os R$ 35.919,00 que ganhará cada ministro, sem contar mordomias de todo gênero.

Temer faz passagem meteórica e melancólica pelo RS

Foi melancólica a passagem do vice-presidente Michel Temer pelo RS nesta sexta-feira. Ele foi recebido por dever de ofício por José Ivo Sartori, mas foi só. Simon nem compareceu.

. O vice ficou poucas horas no RS. 

. Na inauguração do vistoso comitê Dilma-Temer, que foi proibido de expor imagens de Sartori, governador, e Simon, senador, o único líder de expressão do PMDB do RS foi o deputado Eliseu Padilha, que organizou a viagem e coordena a campanha.

. Os jornalistas foram informados durante o ato público que ali estavam presentes 107 prefeitos e 71 vices. Foram os números que disponibilizaram repórteres como a editora de Zero Hora, Rosane Oliveira. Quem esteve no local não contou mais do que 150 pessoas.

. Caso o PMDB tivesse realmente colocado no apoio a Dilma algo como 107 prefeitos, apenas 29 não teriam comparecido, o que parece impossível.