Governo é lerdo e atrasado nas negociações com caminhoneiros. Concessões não resolvem problemas imediatos. Bloqueios recrudescem em todo o País. Desabastecimento já começou em várias regiões de 12 Estados.

Palácio do Planalto sinaliza com sanção sem vetos da Lei do Motorista, congelamento do preço do diesel por meio ano e prorrogação de financiamentos do BNDES, mas não cede nos fretes, diesel, PIS/Cofins, Cide e pedágios. As medidas foram consideradas insuficientes, muito embora sejam importantes a médio e longo prazo. Neste aspecto, o governo não se emenda. Passou quatro anos segurando artificialmente preços e deu no que deu. Agora, no desespero, volta a tirar da cartola a fórmula barata – e ineficaz – do populismo, mas não resolve o problema da mão para a boca, que é a defasagem entre os valores dos fretes atuais e os custos atuais para rodar, com ênfase para diesel e pedágios.

O governo iniciou nesta quarta-feira com enorme atraso e lentidão as negociações para chegar num acordo com os caminhoneiros, que promovem paralisações em diversas rodovias brasileiras. Apesar do início de um diálogo com a categoria, pouco se avançou na pauta de reivindicações dos trabalhadores. O Palácio do Planalto ofereceu a sanção integral da nova Lei do Motorista (PL 4246/2012), de autoria do deputado Jerônimo Goergen (PP-RS), e a prorrogação dos financiamentos contratados junto ao BNDES. “São medidas importantes, mas consideradas insuficientes, por não atacarem o alto custo do transporte”, disse o próprio Goergen ao editor. 

Durante entrevista concedida na Bahia, a presidente Dilma Rousseff descartou baixar o preço do óleo diesel.  Para Jerônimo, o governo deveria suspender a cobrança da CIDE e do PIS/Cofins. “Isso representaria R$ 0,22 a menos no preço do combustível. Este valor não está sendo usado para salvar a Petrobras. É um recurso que cai diretamente no caixa da União”, destacou Jerônimo. Ele disse ainda que o Palácio do Planalto não tem solução para o baixo preço do frete, outro item prioritário para os caminhoneiros.

A manifestação dos caminhoneiros nas rodovias foi tema de reuniões paralelas em pelo menos três ministérios. As tratativas foram discutidas nas pastas dos Transportes, Agricultura e Secretaria-Geral da Presidência da República. A paralisação dos caminhoneiros já atingiu 12 estados. São eles: PA, CE, BA, ES, SP, GO, MG, MS, MT, PR, RS e SC. A greve chegou ao sétimo dia e provoca reflexos negativos na economia brasileira. Coordenador Institucional da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), Jerônimo considera que o governo brasileiro subestimou a força do transportador logo no início das manifestações e agora deve arcar com as consequências da demora de sua atuação. "Infelizmente falta habilidade a nossa presidente em lidar com o atual cenário brasileiro", finalizou.


Youssef garante ao MPF que Collor recebeu R$ 3 milhões em propina da BR Distribuidora

O doleiro Alberto Youssef afirmou a procuradores que investigam o achaque aos cofres da Petrobras que o senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL) recebeu R$ 3 milhões da BR Distribuidora, subsidiária da estatal, em 2012.

De acordo com o doleiro, a operação foi intermediada por um emissário de Collor, o consultor do setor de energia Pedro Paulo Leoni Ramos. PP, como é conhecido, foi ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos na época em que Collor era presidente da República.

A propina seria resultado de um contrato no valor de R$ 300 milhões assinado entre uma rede de postos de combustíveis de São Paulo e a BR Distribuidora. A rede deixou de operar com sob uma determinada bandeira e passou a integrar o grupo de revendedores da BR.

Com isso, foram arrecadadas junto à rede, em dinheiro vivo, três parcelas de R$ 1 milhão, repassadas a Leoni, cujo destino final seria Collor, assegurou Youssef.

Quase metade da campanha eleitoral do relator da CPI da Petrobras foi bancada por empreiteiras

Chega a ser ofensiva à inteligência das pessoas a indicação, pelo PT, do deputado Luiz Sérgio (RJ) como relator da CPI da Petrobras, que será instalada amanhã, na Câmara. O petista teve 40% das despesas de sua campanha do ano passado custeadas por recursos de quatro construtoras envolvidas no achaque aos cofres da Petrobras.

Luiz Sérgio recebeu R$ 962 mil das construtoras Queiroz Galvão, OAS, Toyo Setal e UTC.

Nunca é demais lembrar que o executivo Augusto Mendonça Neto, da Toyo Setal, em acordo de delação premiada, disse aos procuradores federais da Operação Lava Jato que parte da propina do esquema era depositada na conta do PT, como doação legal.

Em três dias, vai começar a faltar gasolina, diesel e álcool nos postos gaúchos

A foto ao lado é de um motorista enfrentando, dedo em riste, um policial que tentava removê-lo.

O sindicato dos distribuidores de combustíveis do RS (Sulpetro) alerta que os estoques de gasolina, diesel e álcool no Estado são suficientes para abastecer a frota gaúcha apenas pelas próximas 72 horas.

Em Pelotas, vários postos já estão sem os produtos.

No Paraná e em Santa Catarina já há falta de combustíveis em muitas regiões.

O movimento é muito forte em SC, onde a Fiesc, que é a Fiergs do Estado, tirou nota avisando que fábricas já estão parando de produzir e há falta de produtos, com desabastecimento mais grave nas áreas de alimentos e combustíveis.

O jornal Notícias do Dia de hoje, capa ao lado, dá o tom da gravidade da crise, abrindo manchetes diárias.



Artigo, Astor Wartchow - A Lei Anticorrupção

Aprovada no Congresso Nacional, a lei 12.846 - que trata da responsabilidade administrativa e civil de pessoas jurídicas pela prática de atos contra a administração pública, foi assinada e sancionada pela presidente Dilma no dia 1 de agosto de 2013.
Entretanto, até o momento, e inexplicavelmente, não foi regulamentada, embora obrigação do Poder Executivo.
Agravante: à época da sanção presidencial já havia uma minuta de regulamentação formulada pela Controladoria Geral da União(CGU) e ratificada em janeiro de 2014.
A falta de regulamentação revela que o interesse do governo no combate e redução da corrupção não é assim tão intenso, interessado e sério. Ou seja, o discurso oficial e midiático não corresponde aos fatos.
E qual a importância da regulamentação? Deverá definir procedimentos de integridade, códigos de ética, auditoria e incentivos a denúncia das/nas empresas contratadas pelo poder publico.
Uma vez adotadas essas regras, as empresas terão direito ao processo legal administrativo, evitando, possível e preventivamente, o transbordamento policial-judicial.
A agilidade da CGU em proceder a minuta de regulamentação tem explicação. Regulamentada a lei, a CGU poderia instaurar investigações administrativas, promover os processos punitivos e aplicar as respectivas penalidades legais. Mas a omissão do Poder Executivo frustrou essa expectativa e engessou as possíveis iniciativas da CGU.
Afinal, trata-se de uma lei muito importante e que está dentro de padrões e acordos internacionais. Dentre suas inúmeras definições e exigências, destaque-se o Acordo de Leniência.
É celebrado entre o Governo e as pessoas físico-jurídicas autoras de infração contra a ordem econômica. No próprio processo administrativo, permite ao infrator colaborar nas investigações e apresentar provas para a condenação dos demais envolvidos na suposta infração.
Então, a falta de regulamentação impede que a autoridade administrativa celebre acordos de leniência com infratores. Pior: são ilegais e anuláveis eventuais acordos firmados ate o momento no âmbito da administração pública, a partir de esforços da CGU e da AGU (Advocacia Geral da União).
Mas nada impede a ação do Ministério Público e do Poder Judiciário, a exemplo da Operação Lava Jato. Porém, repito, a omissão do Governo Federal inviabiliza a aplicação da lei “Anticorrupção” por autoridades administrativas federais, contribuindo para um ambiente de insegurança jurídica e impunidade!

Governo teme "contaminação" no rating do País

Os repórteres João Villaverde, Daiene Cardoso e Vera Rosa, do jornal O Estado de S. Paulo, produziram a reportagem que vai a seguir, demonstrando que a preocupação do governo, agora, é que o rebaixamento da nota da Petrobrás leve agências a retirar o grau de investimento dos títulos brasileiros

Leia tudo para entender melhor -

O rebaixamento da nota de crédito da Petrobrás pela agência Moody"s caiu como um balde de água fria na equipe econômica do governo Dilma Rousseff. O grupo, formado pelos ministros da Fazenda, Joaquim Levy, e do Planejamento, Nelson Babosa, além do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, vem se esforçando, desde o fim do ano passado, para melhorar o quadro das contas públicas brasileiras, aumentando a transparência e a comunicação com o mercado. Mas, ontem à noite, o que havia era uma sensação de que o rebaixamento da estatal poderia "contaminar" a nota de crédito dos títulos brasileiros.
Após o anúncio, ficou definido que o melhor seria discutir alternativas para evitar esse eventual contágio. Hoje, os ministros da equipe econômica devem se reunir com a presidente Dilma para fazer uma avaliação da perda do grau de investimento da Petrobrás e definir uma estratégia de trabalho.
Para os próximos dias, o governo prepara medidas fiscais, como a unificação e simplificação do PIS e da Cofins, e também um corte profundo de despesas federais no Orçamento. As medidas são esperadas pelas agências de rating e pelo mercado para melhorar o quadro fiscal do governo e o ambiente de negócios no País.
A maior preocupação do governo é com o impacto da crise sobre os investimentos privados e a geração de emprego. Na sexta-feira, Dilma destacou que é preciso perceber a diferença entre "as empresas e quem praticou corrupção, para que se punam os culpados, mas se preserve a geração de empregos".
No Congresso, deputados e senadores foram surpreendidos pela notícia em meio à sessão do Congresso para apreciação dos vetos presidenciais. A oposição disse que a petroleira havia chegado ao fundo do poço, enquanto a base disse acreditar na recuperação.
Oposição. "Mais um elemento da tragédia que o PT promoveu em instalar uma cadeia para roubar a Petrobrás", declarou o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP). Para o tucano, o rebaixamento é reflexo da "profundidade do buraco em que jogaram" a estatal.
Assim como Aloysio Nunes, o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) avaliou que a decisão da Moody"s também terá consequências sobre as empresas ligadas à Petrobrás e todos os seus investimentos. "Não é de se espantar a situação da Petrobrás. Isso tem causado preocupação a todos os brasileiros. Só posso lamentar", disse.
O senador e ex-ministro de Minas e Energia, senador Edison Lobão (PMDB-MA), acredita que a dificuldade enfrentada pela Petrobrás não é tão grande a ponto de perder o grau de investimento. "Esse é mais um sofrimento pelo qual passa a Petrobrás. É uma tempestade que a Petrobrás está enfrentando e ela será vencida", concluiu.

O líder do governo na Câmara dos Deputados, José Guimarães (PT-CE), disse que já esperava pelo rebaixamento em virtude do cenário que tomou conta da estatal. Para ele, o que está em jogo não é o combate à corrupção, mas o projeto da oposição de mudar o modelo de partilha do pré-sal e entregá-lo às grandes petrolíferas estrangeiras. O petista afirma que o novo presidente da empresa, Aldemir Bendine, vai recuperar a credibilidade da estatal e que o rebaixamento não prejudicará sua recuperação. "A Petrobrás é tão forte que vai sobreviver a tudo isso."

Alceu Moreira defende subsídio governamental ao óleo diesel

O deputado federal Alceu Moreira (PMDB-RS) disse há pouco ao editor que defenderá, em encontro a ser marcado com a Casa Civil, em conjunto com outros parlamentares, que o governo estude a possibilidade de subsidiar o óleo diesel para os transportadores, já que não cogita reduzir o valor nas bombas.

Foi mais longe e afirmou que o governo está agindo de maneira policialesca na questão dos caminhoneiros.

Vereador do PT quer Diploma de Honra ao Mérito para refúgio de lésbicas, gays, bisexuais e transexuais

Está em tramitação, na Câmara Municipal de Porto Alegre, o projeto de resolução de autoria do Vereador Mauro Pinheiro (PT) que concede o Diploma Honra ao Mérito à empresa Refugiu"s Bar Ltda. Localizada no Bairro Menino Deus, a Refugiu"s foi inaugurada pelos sócios-fundadores Eduardo Hilário da Silva e Jeferson Conde Vargas em 25 de setembro de 2004. "A importância, a competência e a responsabilidade no setor em que atua, fazem da Refugiu’s Mega Danceteria uma das marcas mais reconhecidas no mercado de festas e entretenimento da diversidade. Pelos serviços prestados à cultura, à importante interação dos movimentos LGBT do Estado, ao entretenimento e ao lazer de Porto Alegre e dos porto-alegrenses, a Refugiu’s Mega Danceteria merece a indicação ao recebimento do Diploma Honra ao Mérito", concluiu o vereador.

O vereador do PT, que é presidente da Câmara, não explicou quais os serviços prestados à cultura pelo bar dos porto-alegrenses que abraçaram a diversidade. 

Banrisul Cartões registrou lucro líquido de R$ 117,1 milhões em 2014

A Banrisul Cartões apresentou, nessa quarta-feira, na sede do Banrisul, Porto Alegre, o balanço financeiro de 2014 da empresa. O lucro líquido da Banrisul Cartões, subsidiária integral do Banrisul, alcançou R$ 117,1 milhões no exercício de 2014, 184,6% superior ao resultado do ano anterior. De acordo com o diretor-presidente da Banrisul Cartões, Bolivar Moura Neto. 

Segundo Bolivar Moura Neto, o desempenho da Banrisul Cartões em 2014 permaneceu elevado e acima do mercado. Foram feitas 188,3 milhões de transações na Vero, crescimento de 33,3% em relação ao ano anterior, que correspondem ao volume financeiro transacionado de R$ 14,9 bilhões, alta de 41,7%. Por meio dos cartões BanriCard (cartões de benefícios e empresariais), que operaram o total de 21,2 milhões de transações no ano, um incremento de 8,3%, o faturamento somou R$ 1,2 bilhão, aumento de 20% em relação a 2013.

O patrimônio líquido da Banrisul Cartões registrou, ao final de dezembro de 2014, R$ 258,1 milhões, crescimento de 54,1% em relação ao ano anterior. A rentabilidade calculada sobre o patrimônio líquido (ROE) foi de 45% em 2014, aumento de 21 pontos percentuais em relação a 2013. Ativos totais da Banrisul Cartões somaram R$ 1,7 bilhão ao final de 2014, volume 50,5% superior ao contabilizado no mesmo período de 2013. O aumento dos ativos decorre, na maior parte, da incorporação dos negócios da rede de adquirência e da evolução do saldo das aplicações financeiras.



Vereador em primeiro mandato, Rodrigo Maroni se apresenta ao editor

O vereador Rodrigo Maroni (PCdoB) ligou para o editor para informar que ele não se tornou conhecido apenas por ser namorado da deputada Manuela D’Ávila, de quem, aliás, já está separado. Suas principais bandeiras de campanha foram seus trabalhos voluntários de apoio aos idosos, às crianças com câncer e à causa animal.

Ele contou que, apenas no ano passado, quando ainda não tinha mandato na Câmara (primeiro suplente, conquistou a cadeira quando o judoca João Derly se elegeu deputado federal, em 2014), conseguiu encontrar um lar para cerca de 200 animais de rua. Este ano, com a visibilidade que a vereança está lhe dando, pretende ampliar a meta para 500 animais apenas neste primeiro semestre.

Maroni informou ainda que, hoje, ele recebeu o título de “protetor oficial de animais”, concedido pela Secretaria de Defesa Animal, da prefeitura de Porto Alegre.

Na contramão do bom senso, vereadores liberam venda de bebidas alcoólicas nos estádios

Enquanto se amplia mais e mais a discussão a respeito da violência no futebol, os vereadores de Porto Alegre aprovaram esta tarde, por 11 votos a 7, um projeto de lei que volta a autorizar a venda de bebidas alcoólicas nos estádios.

O autor da proposta é o vereador Alceu Brasinha (PTB), que delimitou a comercialização a antes do início, durante os intervalos e após o término das partidas e apenas em garrafas e copos plásticos.

O teor alcoólico não poderá passar de 14% (dentro do que se enquadra a cerveja), exceto nas áreas VIP e camarotes, onde não haverá restrições.

O projeto ainda precisa ser sancionado pelo prefeito José Fortunati.

Dilma inaugura maior parque eólico (mais sistemas de transmissão) de R$ 2,1 bilhões, Rio Grande do Su, nesta sexta-feira

O maior empreendimento eólico do Rio Grande do Sul, o Parque Geribatu, pertencente à Eletrosul e FIP Rio Bravo Energia I, em Santa Vitória do Palmar, será inaugurado nesta sexta-feira, 15 horas, pela presidente Dilma Rousseff. Com 258 megawatts (MW) de capacidade instalada, produz energia suficiente para abastecer 1,5 milhão de habitantes. Junto de outros dois parques em implantação no extremo Sul - Chuí e Hermenegildo - forma o Complexo Eólico Campos Neutrais (583 MW) - o maior da América Latina. O início da operação do Parque Eólico Geribatu representa um acréscimo de mais de 30% na capacidade de geração eólica do Estado.

O sistema de transmissão que irá escoar a energia do parque eólico e integrar a zona Sul do Rio Grande do Sul ao Sistema Interligado Nacional (SIN) também será oficialmente entregue. São aproximadamente 470 quilômetros de linhas de extra-alta tensão (525 kV) e três novas subestações (Santa Vitória do Palmar, Marmeleiro e Povo Novo) - obras realizadas em parceria entre Eletrosul (51%) e Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia (CEEE-GT). Serão entregues, ainda, outros 290 km de linhas de alta tensão (230 kV) e a Subestação Camaquã 3 - parceria entre Eletrosul (80%) e Copel (20%) -, que reforçam o sistema elétrico gaúcho.


Os investimentos no parque eólico e sistemas de transmissão associados somam R$ 2,1 bilhões. 

Bancada pedetista na Assembleia tentará barganhar mais cargos no governo amanhã

O PDT não está fazendo qualquer questão de disfarçar seu descontentamento com o pouco poder decisório concedido ao partido pelo governador José Ivo Sartori. Para tentar reverter o quadro, igualando-o à importância que tiveram no governo Tarso, deputados estaduais da sigla voltam a se reunir amanhã no Palácio Piratini.

O que quer que o partido obtenha de Sartori agora, talvez pudesse ter sido alcançado na semana passada, quando a bancada trabalhista na Assembleia esteve com o governador. A reunião, porém, foi invadida por deputados federais e dirigentes do PDT, que tumultuaram o encontro, segundo um deputado confidenciou a este editor, impedindo que se chegasse a qualquer novo acordo.

Como protesto à truculência dos federais, os deputados estaduais boicotaram a reunião da Executiva na segunda-feira.

CALÇADISTAS BENEFICIADOS COM REABERTURA DO MERCADO ARGENTINO

No momento em que o cenário parece estar cada vez mais afeito para a exportação, com a valorização do dólar e a recuperação econômica de importantes mercados, uma notícia trouxe alívio para os calçadistas que, apesar das quedas no varejo doméstico, nutrem otimismo quando aos embarques internacionais. 

Isto foi o que informou esta tarde a Abicalçados.

. Leia toda a análise da entidade:

A notícia é de que a Argentina ouviu a Organização Mundial do Comércio (OMC), que em setembro passado havia decido que o governo de Cristina Kirchner deveria eliminar das barreiras às importações. Para os calçadistas, que vêm sofrendo com as barreiras impostas desde 2012, a decisão pode abrir um novo horizonte para exportadores que já haviam desistido daquele mercado por conta da imprevisibilidade nas negociações. O presidente-executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Heitor Klein, ressalta que a medida deve dar um novo ânimo para exportadores de calçados que haviam desistido do mercado argentino devido aos constantes cancelamentos gerados pelos atrasos nas liberações das licenças. Segundo ele, a Argentina, que ainda é o segundo maior mercado o produto verde-amarelo, vem perdendo força entre os destinos das exportações de calçados ano após ano. “Em 2011 chegamos a exportar o equivalente a US$ 189,8 milhões para a Argentina, número que caiu a US$ 79,45 milhões no ano passado. O calçado brasileiro já chegou a representar 70% do total comprado do exterior por aquele mercado, espaço que foi tomado pelos asiáticos. Hoje, apenas 25% dos calçados comprados pela Argentina são brasileiros”, lamenta o executivo. 

Queda
Conforme levantamento da Abicalçados, em 2014 as exportações para a Argentina caíram ao pior patamar desde o calote argentino no início da década passada. A queda chegou a 34,5% frente a 2013, quando os embarques geraram US$ 121,4 milhões. Já as importações argentinas de calçados do resto do mundo, notadamente dos asiáticos, cresceram 11%, para US$ 182 milhões. Para Klein, a normalização do fluxo de comércio, mesmo em meio à crise econômica pela qual passa o país vizinho, pode representar um aumento nos embarques para lá, recuperando um pouco do espaço perdido nos anos recentes. 

Tempo

Por outro lado, os calçadistas ressaltam que, de acordo com as regras da OMC, a Argentina poderá levar até 15 meses retirar integralmente as barreiras. “Nós aguardamos ansiosos desde 2012. A decisão da OMC comprova que estávamos certos na nossa luta pela normalização do comércio frente ao absurdo das restrições impostas ao produto brasileiro pelo país vizinho”, conclui o executivo. 

Governo Dilma, sem vergonha, assume formalmente a defesa das empreiteiras que roubaram a Petrobrás para o PT

A Advocacia-Geral da União, comandada pelo ministro Luís Inácio Adams (o primeiro à esquerda), protocolou nesta quarta-feira, petição no Tribunal de Contas da União, defendendo o direito das empreiteiras investigadas na Lava Jato de firmarem acordos de leniência com a Controladoria Geral da União.

. O governo assumiu a defesa das empreiteiras que assaltaram os cofres da Petrobrás para desviar dinheiro para o PT e seus aliados.,

Por vias transversas, a ação visa salvar Lula e Dilma.

. A  AGU lembrou que os acordos são feitos com pessoas jurídicas e não com pessoas físicas, como se pessoas jurídicas não pudessem ser punidas sequer pelos dispositivos previstos pela Lei de Licitações, que já as enquadrou  como inidôneas e portanto incapazes de contratar com governos, faltando apenas os atos declaratórios.

O desejo do governo é o seguinte:  isto é, pune-se os mentores, e preserva-se as empresas; "Impedir a atuação da CGU no âmbito de suas competências expressamente previstas em lei soa como total despropósito e desserviço ao Estado brasileiro.

Vereadores aprovam moção de solidariedade aos concursados da segurança pública do RS

Proposta pelo vereador Delegado Cleiton (PDT), foi aprovada, mas não sem muito debate, agora há pouco pela Câmara de Porto Alegre uma moção de solidariedade aos 661 aprovados no concurso público para a Polícia Civil, Brigada Militar e Corpo de Bombeiros no final do governo Tarso Genro (PT). O placar da votação foi de 21 votos a favor e duas abstenções, dos vereadores Idenir Cecchim Lourdes Sprenger, ambos do PMDB.

Com o gesto, os vereadores pretendem sensibilizar o governador José Ivo Sartori a nomeá-los imediatamente, e não apenas no segundo semestre, como pretende o governo.

Um dos que falaram contra a moção foi o vereador Idenir Cecchim, alegando que seria uma irresponsabilidade o governo contratar sem a garantia de que conseguirá pagar os salários. Ainda acusou Tarso de haver cometido uma ação desastrada por ter esgotado os recursos dos depósitos judiciais.

Deputado Antunes apóia caminhoneiros e protestos nas estradas: "Ninguém aguenta mais esse governo"

O líder da bancada do PP na Assembleia Legislativa, deputado Frederico Antunes (PP), resolveu apoiar a mobilização dos caminhoneiros gaúchos. Ele fez isto da tribuna da Assembléia, esta tarde.

“Há uma base justa nas reivindicações dos nossos caminhoneiros, porque é nítido o empobrecimento de quem trabalha no setor.”, denunciou o deputado. Ele  explicou:

- A mobilização liderada pelos caminhoneiros é uma resposta direta não apenas aos aumentos no valor do diesel ou ao alto custo do frete, mas o resultado de uma indignação mais ampla contra uma política nacional absolutamente descomprometida com a sobrevivência da categoria. A grande maioria votou achando que não seria enganado. E o que vemos agora? Combustíveis em alta, dólar disparando, energia idem e ainda com previsão de novos reajustes, deterioramento das estradas, descumprimento de acordos bilaterais que freiam a entrada de produtos brasileiros em países do Mercosul, e por aí vai. Isso tudo gera um peso insustentável para os caminhoneiros. São custos e riscos para todo lado.

O deputado sugeriu que seja criada uma Comissão liderada pela Assembleia Legislativa, em conjunto com o Governo do Estado:

.- Não há mais tempo para respostas evasivas, como temos ouvido de alguns ministros. Se concordam, se têm noção de o quanto isso está dificultando a vida dos transportadores, que sejam apresentadas as respostas con


Mal de Acton atinge quem preside a Assembleia gaúcha

No século XIX, o historiador britânico Lord Acton cunhou uma frase que o tornaria célebre: O poder corrompe e o poder absoluto corrompe absolutamente, de modo que os grandes homens são quase sempre homens maus.

Quem assume a presidência da Assembleia Legislativa gaúcha parece ser acometido do “mal de Acton”. Não bastassem as malfeitorias realizadas pelo ex-presidente Gilmar Sossella (PDT), cassado ontem pelo TRE, agora foi a vez do novo presidente, Edson Brum (PMDB).

Ele se utilizou do site de notícias do Parlamento para elogiar o irmão, Edivilson Brum, que esta semana foi nomeado presidente da Companhia Rio-Grandense de Mineração pelo governador José Ivo Sartori.

A chiadeira entre os deputados foi grande.



Vândalos travestidos de manifestantes apedrejam dois ônibus da Carris

Dois ônibus da empresa pública Carris foram vandalizados durante a manifestação realizada em Porto Alegre na noite desta terça-feira. Um veículo da linha T3 foi apedrejado por volta das 20 horas, enquanto cumpria seu percurso na Vila Cruzeiro. O veículo faz parte da nova frota adquirida pela Carris e estava em seu segundo dia de operação.

Outro veículo, que fazia o trajeto da linha T2-A, também foi depredado. O ônibus estava na rua Carlos Barbosa quando uma pedra foi arremessada contra um dos vidros laterais.

Nos dois episódios, ninguém ficou ferido.

Surgem mais três nomes à presidência do PMDB, cuja escolha será dia 15

Está cada vez mais distante a intenção do deputado estadual Ibsen Pinheiro de ser escolhido por consenso para presidir o PMDB estadual.

Além do atual presidente, Edson Brum, e do deputado federal Alceu Moreira, agora o secretário geral do partido, João Alberto Machado, o deputado estadual Vilmar Zanchin e o secretário da Fazenda Giovani Feltes também surgem como outros possíveis candidatos.

No início da semana, Ibsen declarou que, sem unanimidade a seu nome, desistirá da pretensão.

Vereador Maroni parece ter sido eleito para o Parlamento da lua

Quando a população média diz que não acredita nos políticos, sempre aparece algum para justificar esse preconceito. E esse “algum” se manifestou na sessão plenária da Câmara de Vereadores de Porto Alegre, esta tarde.

Estava em discussão o projeto 1755/13, que altera um dispositivo do Código de Edificações de Porto Alegre. Inicialmente, falou a autora da proposta, a vereadora Mônica Leal (PP). Em seguida, pediu a palavra o estreante Rodrigo Maroni (PCdoB), que construiu sua imagem pública posando como namorado da deputada Manuela D’Ávila, do mesmo partido.

Maroni começou a discorrer sobre uma ONG de proteção de animais, quando foi alertado de que aquele espaço deveria ser utilizado para discutir o projeto da vereadora. Ele parou e disse: ah, tá. Então, vou dizer que votarei a favor porque é muito legal. E continuou falando sobre a tal ONG.

O projeto acabou não sendo votado porque Mônica pediu o adiamento por quatro sessões.

Artigo, João Ricardo Moderno - Movimento contra a liberdade de imprensa

O ‘crime’ da mídia brasileira é publicar as maiores barbaridades perpetradas contra o nosso país
O desprezo pela liberdade de imprensa e de expressão cresce nos políticos radicais brasileiros; e, no Facebook, valendo-se da liberdade da internet, militantes engrossam a voz contra a mídia. O sonho totalitário é tornar a grande imprensa brasileira de timbre estatal, buscando a “harmonia” ditatorial. Assim, jamais teríamos reportagens estarrecedoras sobre a progressiva e interminável cultura da corrupção, do furto aberto ao dinheiro público e a desavergonhada sucessão de crimes, em uma escalada reconhecida por especialistas como talvez a maior da história da humanidade.

Contudo, nada parece abalar a convicção que a preservação e a expansão política e demográfica do homo corruptus depende da destruição da liberdade. Em latim, corrumpere significa destruir. Assim, corromper a liberdade é a garantia quase constitucional de expandir a corrupção do dinheiro público. O mantra liberticida faz alusão ao “controle social da mídia” ou “regulação da mídia”, eufemismos para a repressão.

CLIQUE AQUI para ler tudo.
* O autor é presidente da Academia Brasileira de Filosofia. O artigo é de O Globo de hoje. 

Após grosseria de Dilma, governo indonésio ameaça suspender compra de aviões

Depois de a presidente Dilma se recusar a receber as credenciais do novo embaixador indonésio, Toto Riyanto, para começar a trabalhar no Brasil, na semana passada, o governo daquele país ameaçou, em retaliação, cancelar a compra de 16 aviões de combate EMB-314 Super Tucano, produzidos pela Embraer, cujas ações caíram um ponto na Bovespa, ontem, após a notícia ser veiculada.

Simultaneamente, a Indonésia reafirmou que o brasileiro Rodrigo Muxfeldt Gularte, que está no corredor da morte, será mesmo executado, a despeito de seu estado de saúde mental, diagnosticado como esquizofrenia.

54 pontos de rodovias gaúchas estão com paralisação dos caminhoneiros. Rosseto media crise com caminhoeiros.

O Rio Grande do Sul  já está com 54 pontos de bloqueios dos  protestos de caminhoneiros, manhã desta quarta-feira. Até o momento são ocupadas  26  rodovias federais e 28 nas estaduais.  O trecho com maior concentração é na BR-101, em Três Cachoeiras, onde há uma fila de espera superior a mil caminhões, no sentido Torres-Osório, ocupando o acostamento e a faixa da direita.

O governo federal intermédia, neste momento, as negociações entre caminhoneiros e empresários, conforme disse a imprensa o Secretario-Geral da Presidência, Miguel Rossetto, ao lembrar que na pauta da reunião não consta o principal protesto, que é contra o alto valor do combustível. O encontro tratará do preço pago pelos fretes, considerados defasados pelos sindicatos. Já o governo deve se posicionar sobre a Lei dos Caminhoneiros, que muda as regras da jornada de trabalho e  ainda aguarda a sanção da presidente Dilma.


Protestos de caminhoneiros pegam fogo no RS. 1.500 caminhões bloqueiam 101 e 386.

Os governos federal e estaduais agem com lentidão. Justiça é acionada, mas ordens não causam efeito porque os bloqueios são difusos e flexíveis. Já há desabastecimento. Dilma diz que não tem como baixar o preço do diesel.  

Os protestos são muito mais intensos, nesta quarta-feira, no km 25 da BR-101, em Três Cachoeiras, no Litoral Norte, tradicional ponto de encontro de motoristas do RS. A passagem de caminhões é impedida por manifestantes, que permitem o tráfego de carros e ônibus pela rodovia. Os pátios dos postos de combustíveis da região estão lotados de caminhões estacionados.

O ato, que conta com cerca de 1,5 mil veículos, faz parte de um movimento que ocorre em 1'2 Estados, contra a alta do diesel, dos pedágios e pelo aumento no valor dos fretes. Só no Rio Grande do Sul, são mais de 50 trechos bloqueados.

Já há desabastecimento de gasolina, leite, verduras, frutas e carne em vários Estados.

No km 385 da BR-386, em Tabaí, há bloqueio desde o início da manhã. A manifestação chegou a causar lentidão.  Os caminhões ficam parados no acostamento da BR-386. De meia em meia hora, o tráfego é liberado para caminhões, mas a maioria prefere aderir ao movimento, permanecendo no local.

Aécio: "Incompetência do governo gerou rebaixamento da Petrobras"

O presidente nacional do PSDB, o senador Aécio Neves (MG), divulgou nota, nesta quarta-feira, na qual diz que a retirada do grau de investimento da Petrobras, divulgada na terça-feira, 24, à noite pela agência internacional de risco Moody's, "é um desastre provocado pela incompetência do governo". "Uma empresa que até poucos anos era a que mais investia, hoje é a que tem o maior endividamento do mundo. Isso ocorreu pelo excessivo intervencionismo do governo e pelo aparelhamento da empresa, culminando com o maior escândalo de corrupção de nossa história", criticou Aécio.

Para o tucano, o rebaixamento da estatal prejudica não somente a empresa petrolífera, uma vez que o custo de capitalização de todas as empresas brasileiras será, a partir de agora, maior. "É uma péssima sinalização", afirmou.

O senador mineiro concluiu a nota dizendo que uma empresa com um "corpo técnico competente, que é a empresa que mais investe em inovação, não merecia uma condução tão desastrosa, o que é exclusiva responsabilidade dos governos do PT".

Procura doméstica por aéreas cresceu 9,2% em janeiro

A demanda por transporte aéreo doméstico registrou aumento de 9,24% em janeiro na comparação com igual mês de 2014, segundo dados divulgados nesta quarta-feira (25), pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), que consolida os números de Avianca, Azul, TAM e Gol.

Já a oferta teve expansão de 4,11% no primeiro mês deste ano, na comparação com o mesmo mês de 2014. Com isso, a taxa de ocupação subiu 3,95 pontos porcentuais e alcançou 84,62% em janeiro.

Em termos de participação de mercado, medida em passageiro-quilômetro transportado (RPK), a Gol liderou pelo segundo mês consecutivo, com 38,43% de participação, seguida pela TAM, com 37,02%. A Azul capturou 16,45% e a Avianca ficou com 8,10%.

Arrecadação do governo encolhe 5,44% em janeiro

A arrecadação da Receita Federal registrou queda real de 5,44% em janeiro deste ano em relação ao mesmo mês de 2014, totalizando R$ 125,28 bilhões, considerando a inflação do período. É o pior volume para o primeiro mês do ano desde 2012. Em relação a dezembro passado, o montante registrou aumento real de 7,84%.

O chefe do centro de estudos tributários e aduaneiros da Receita, Claudemir Rodrigues Malaquias, informou que esse aumento em relação a dezembro ficou abaixo da expectativa do órgão.


“Houve um aquecimento nas vendas e o fato gerador de que havia uma expectativa de crescimento. Este ano, a arrecadação não chegou no patamar que estávamos esperando, mas chegou bem próximo”, disse técnico em entrevista coletiva nesta quarta-feira.

Artigo, Ênio Bacci - As mentiras dos governos sobre o Presídio Central de Porto Alegre

Enviado pelo iPhone

Fiz um pronunciamento forte sobre as mentiras que muitos políticos já fizeram ao longo dos últimos anos, engando os eleitores e trazendo descrédito para as instituições:

No País 
- Anos 90 deputado João Alves ( anões orçamento.) disse ter ganho 200 vezes a loteria.
- Collor disse que iria cassar os marajas.
- Maluf disse que não tinha contas na Suíça .
- Senador Demóstenes Torres disse que não era mentiroso .
- Lula nada sabia do Mensalão .

Aqui no Estado 
- YEDA disse que iria implodir o presídio central, nao cumpriu.
- TARSO prometeu demolir o central e construir uma praça,.inclusive fornecendo data ( novembro 2014) .

E nada . . . O Central continua superlotado. Está com 4000 presos .
   
Espero que o Sartori entenda que quase todas cidades têm seu presídio, Porto Alegre não pode ser diferente, pois a cada dia cerca de 20 pessoas são presas somente na capital .
   
É necessário desativar o Central, mas sem demagogia , primeiro reduzindoa lotação pela metade e depois construindo um novo presídio  em Poa em local fora da área central.

Cabe a Porto Alegre o ônus de cuidar de seus presos e não empurrar o problema para venancio Aires ou canoas .


Dep. Enio Bacci

Ex-secretário segurança RS

Osmar Terra pede que governo pare de espancar caminhoneiros e resolva a crise de desabastecimento

Em discurso feito na noite de 24/2 Câmara, o deputado federal Osmar Terra (PMDB-RS), manifestou sua preocupação com a situação do Brasil e cobrou providências do governo em atenção à suinocultura e afetada pelas paralisações dos caminhoneiros:
                
- Há 30 horas, mais de 800 mil suínos estão nas granjas do noroeste do Rio Grande do Sul sem receber ração e começam a morrer em grande número. Isso causa um prejuízo incalculável, irreversível e termina com os frigoríficos do noroeste do Rio Grande. É muito grave essa situação.
           
O parlamentar exigiu soluções imediatas:


-  Governo tem que entrar para ajudar a resolver e não para espancar os caminhoneiros. Mas que ajude a resolver logo. O governo federal não pode esperar mais e tem que dar soluções de curto prazo Os caminhoneiros estão em situação desesperadora. Não conseguem mais trabalhar, têm que pagar para trabalhar. É necessário dar um subsídio para o óleo diesel. Tem que atender os pleitos dos nossos caminhoneiros, porque são milhares e milhares de famílias brasileiras que estão num desespero total

Rebaixamento decretado pela Moody's provoca desmonte das ações da Petrobrás na Bolsa

As ações da Petrobras abriram em forte queda, após a agência de classificação de risco Moody's cortar os ratings da empresa para grau especulativo por conta das investigações sobre corrupção e pressões de liquidez; Às 10h55, horário de Brasília, as ações preferenciais da Petrobras eram negociadas com queda de 7,4%, e as ações ordinárias com baixa de 6,88%; índice Bovespa opera em queda de 1,37%, operando com 51.284 pontos

RS é o segundo que mais oferta fará no leilão de geração de energia eólica

Os estados do Rio Grande do Norte e da Bahia lideram a oferta de geração eólica nos empreendimentos cadastrados para o Leilão A-3, com 3.100 MW e 2.471 MW, respectivamente, englobando 132 e 105 projetos. Em seguida, aparecem o Ceará com 91 projetos (2.246 MW) e o Rio Grande do Sul, com 93 projetos (2.089 MW).

Quinhentos e vinte e um projetos de geração de energia elétrica, totalizando 18.929 megawatts (MW), se cadastraram na Empresa de Pesquisa Energética (EPE) para participar do Leilão A-3, marcado para o dia 24 de julho. Os projetos ainda deverão ser habilitados para disputar o leilão, informou nesta segunda-feira (23) a assessoria de imprensa da EPE, vinculada ao Ministério de Minas e Energia.


Do total de empreendimentos cadastrados, 475 são de geração eólica (dos ventos), correspondendo a uma oferta de 11.476 MW. Há 18 usinas termelétricas a gás natural (6.648 MW), 13 termelétricas a biomassa (604 MW) e 15 pequenas centrais hidrelétricas (201 MW). (Fonte Revista Exame)

Farsul anuncia crescimento das exportações gaúchas na Europa e perdas no mercado da Ásia

As exportações do agronegócio do Rio Grande do Sul cresceram 6,37% em janeiro deste ano na comparação com o mesmo mês do ano passado, totalizando US$ 602,94 milhões.  Os números são da Federação de Agricultura do RS (Farsul) com base em dados do Agrostat, sistema de estatísticas do Ministério da Agricultura.

O principal destino em janeiro de 2015 foi a União Europeia, com participação de 26,88% no total das exportações da agropecuária gaúcha. Em segundo lugar, aparece a Coreia do Sul (8%) seguida pela Tailândia (6,4%).


O relatório da Farsul mostrou ainda uma perda de mercado na China, principal destino dos produtos do agronegócio do estado do Rio Grande do Sul. As vendas para o país asiático caíram 42,96% na comparação de janeiro deste ano com o mesmo mês em 2014. A explicação, de acordo com a entidade, é a deficiência logística diante da concorrência dos americanos no mercado internacional.

Bloqueio de caminhoneiros já produz desabastecimento em várias regiões do País

A reportagem a seguir, assinada pela jornalista Júlia Lewgoi, Jornal do Comércio de hoje, rfevela que a paralisação nos eixos rodoviários, reduziram estoques de diversos produtos serão reduzidos. Leia tudo:

Foram 46 municípios e 53 trechos de rodovias federais e estaduais paralisados ontem no Estado pelo protesto dos caminhoneiros, que reivindicam melhores condições à categoria. Em oito estados no País, as principais queixas dos transportadores ainda são a alta nos preços do diesel, dos pedágios e dos tributos sobre o transporte. O movimento não tem liderança unificada, nem uma pauta conjunta, mas ganha força e preocupa diferentes entidades, que temem a falta de insumos na indústria e nas prateleiras.

Ontem, o movimento ganhou amplitude no Rio Grande do Sul. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, os principais eixos rodoviários do Estado e do Mercosul foram bloqueados. Entre eles, a BR-116 - nos municípios de Camaquã, Capão do Leão e São Lourenço -, a BR-285 - em Lagoa Vermelha, Passo Fundo, Mato Castelhano, Ijuí e Carazinho -, e a BR-386 - nas cidades de Soledade, Sarandi e Frederico Westphalen.

Ainda ontem, a Justiça determinou a liberação de trechos de três rodovias no Sul do Estado: as BRs 293, 116 e 392. A decisão da 3ª Vara Federal de Pelotas foi a primeira a atender pedido da Advocacia-Geral da União (AGU), que ajuizou ações em sete estados, para solicitar a liberação das rodovias federais. Na decisão da Justiça de Pelotas, que tem caráter provisório, foi fixada uma multa de R$ 5 mil por hora de permanência não autorizada dos manifestantes nas pistas. A decisão também obriga a aplicação de sanção prevista no Código de Trânsito Brasileiro, que estabelece como infração gravíssima a promoção de eventos organizados sem permissão da autoridade de trânsito.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o procedimento da maioria dos manifestantes tem sido o mesmo: parar nos postos de gasolina e obrigar caminhoneiros que estão passando a estagnar nos postos. Muitos, no entanto, param no acostamento, e liberam veículos leves, ônibus e caminhões com cargas perecíveis.

Nas estradas estaduais, segundo o Comando Rodoviário da Brigada Militar, em 17 trechos, os bloqueios não tinham previsão de encerramento até o fechamento desta edição. Entre os municípios atingidos pelo protesto, estão Passo Fundo (RSC- 153), Veranópolis (RSC-470) e Caxias do Sul (ERS-122), onde ocorre liberação a cada cinco minutos.

A falta de matéria-prima, que deixa de ser transportada, atinge diferentes setores da indústria gaúcha e ameaça o abastecimento de alguns produtos no Estado. Em alguns postos de combustíveis na região Sul, em Pelotas e cidades ao redor, e na zona das Missões, já falta gasolina, especialmente a comum, a mais consumida. Segundo o presidente do Sindicato Intermunicipal do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes do Rio Grande do Sul (Sulpetro), Adão Oliveira, a falta de gasolina ainda é isolada, mas pode se agravar, se o protesto perdurar por mais um dia. "Com o movimento de que faltará combustível, muitos consumidores já enchem o tanque para se precaver. O álcool é uma boa alternativa", considera Oliveira.

Nos supermercados, ainda não há sinais de desabastecimento, segundo a Associação Gaúcha de Supermercados (Agas). Em nota, a entidade afirmou que monitora a situação junto à indústria e que, se os bloqueios das rodovias continuarem, consumidores sentirão os efeitos ainda a partir de amanhã. Os produtos que mais correm risco de faltar são frutas, verduras e carnes. "A alta do diesel veio em hora errada, não apenas pelo encarecimento do frete, mas também pelo desincentivo à produção própria de energia com geradores, em meio a uma grande crise energética", afirma o presidente da Agas, Antônio Longo.
Empresas de outros estados também sofrem dificuldades com o desabastecimento
A paralisação dos caminhoneiros já prejudica a produção em Santa Catarina e Minas Gerais. De acordo com o Sindileite (Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados) catarinense, toda a produção do estado foi paralisada na segunda-feira, causando prejuízo mínimo de R$ 10 milhões por dia. A maior parte dos laticínios catarinenses está na região Oeste, que é também o epicentro da paralisação em Santa Catarina, e que já registra falta de combustível em postos e alimentos hortifrúti.

O bloqueio das rodovias também fez a Fiat dispensar, pelo segundo dia consecutivo, cerca de 6 mil trabalhadores do primeiro e segundo turnos da fábrica de Betim (MG), fazendo com que, pelo menos, 2 mil veículos deixem de ser produzidos por dia. Segundo a empresa, o protesto impede que as autopeças e componentes utilizados na fabricação de veículos chegue no horário programado. A Fiat não descarta ter que dispensar os colaboradores novamente hoje. No Rio de Janeiro, lojas da Ceasa deixaram de receber mercadorias e receberam avisos de que os fornecedores não vão abastecer os caminhões.
Empresas já estão suspendendo suas atividades no Estado
Produtores também sentem os reflexos das paralisações, já que falta matéria-prima para rações de animais, medicamentos e outros itens necessários. Segundo o presidente da Associação de Criadores de Suínos do Rio Grande do Sul (Acsurs), Valdecir Luis Folador, os suinocultores já contabilizam prejuízos, com unidades suspendendo abates pela falta de animais e de insumos para o abastecimento da granja, como na gaúcha Alibem, de Santa Rosa.

Um levantamento feito pelo Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados do Estado do Rio Grande do Sul (Sindilat-RS) apontou que o leite dos produtores não chega a muitas indústrias, algumas delas com 80% da produção parada, à espera do insumo. A situação é agravada pelo acúmulo de matéria-prima, que é perecível e deve ser mantida sob refrigeração. "O processo produtivo do leite está travado", avalia o presidente do Sindilat-RS, Alexandre Guerra.

Em Rio Grande, a Superintendência do Porto informou que a manifestação dos caminhoneiros têm reflexos na operação portuária, mas que não paralisou as atividades do Porto de Rio Grande. "Os terminais possuem carga nos pátios, o que permite que sigam operando os navios",afirma o diretor técnico, Darci Tartari.

A superintendência do porto participou ontem como mediadora de uma reunião entre o Sindicato dos Transportadores Autônomos de Bens de Rio Grande (Sindicam), transportadoras e transportadores autônomos.


Empreiteiros cedem, farão delação no Petrolão e também contarão sobre corrupção na Eletrobrás

Presos há três meses, executivos citados na operação Lava Jato estariam dispostos a fazer revelações sobre irregularidades no setor elétrico em possíveis acordos de delação premiada com o Ministério Público.

Segundo a colunista Mônica Bergamo, na Folha de hoje, "tudo o que eles querem é colocar um ponto final na situação em que se encontram", segundo um dos advogados do caso.


Entre os investigados, o presidente da UTC, Ricardo Pessoa, é um dos que considera fechar o acordo. Segundo seu advogado, Alberto Toron, apesar de outras duas tentativas terem fracassado, isso não inviabiliza a busca de um entendimento entre as partes.

Governo tentou de tudo para evitar rebaixamento da nota da Petrobrás

Segundo reportagem do ‘Estado de S. Paulo’ de hoje, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, ligou para a Moody's e ofereceu uma "carta de conforto" do governo federal, como garantia de que a União socorreria a estatal caso necessário.

 Em passagem por Nova York, na semana passada, ele também se reuniu com os representantes da agência para tentar evitar a decisão.

Antonio Ramos assumirá esta tarde a presidência da Procergs

Será esta tarde, 17h30min, a posse da nova diretoria da Procergs. O presidente é Antonio Ramos, PMDB do RS.

A nova Diretoria da Companhia será composta também por Deborah Pilla Villela (Vice-Presidência), Sergio Rene Debarba Dalanhol, (Diretoria Técnica), e Paulo Fernando Kapp,(Diretoria Administrativo e Financeira).

Os capangas de Lula, do PT e do governo Dilma não assustam mais o Brasil

Ao lado, capanga do PT, imigrante mercenário, esgarça sua bocarra canina para os defensores da democracia, da lei e da ordem - São controversas as interpretações sobre os incidentes de ontem a noite no Rio - o confronto entre petistas e manifestantes no ato que teve Lula como protagonista (leia abaixo) na ABI.

O ato na ABI, de Lula, serviu para defender a corrupção na Petrobrás.

Os capangas do PT, de Lula e do governo Dilma não assustam mais o Brasil. 

O professor da unesp, Milton Lahuerta, falando ao Estadão, compara a crise ao que aconteceu nos primórdios da guerra civil espanhola, na qual os comunistas foram esmagados.

"É como se vivêssemos numa sociedade completamente polarizada, na Espanha da Guerra Civil", avalia Milton Lahuerta, professor da Unesp, em declaração ao jornal Estado de S. Paulo. "Estamos vivendo um momento de acirramento do debate político, decorrente de um processo eleitoral que terminou mas parece continuar", afirmou Marco Antonio Teixeira, professor da FGV.

Nada mais falso.

O Brasil não está à beira da guerra civil, porque o confronto é entre a organização criminosa em que se transformou o PT versus Justiça Federal, Ministério Público Federal e Polícia Federal.

Trata-se de um contraditório entre os bandidos políticos liderados por Lula, Dilma e a cúpula do PT, mais seus aliados, e as instituições jurisdicionais da República.

O componente político ocorre entre os que defendem o crime e os bandidos de um lado, tendo do outro lado os que defendem a ordem e os mocinhos. 

O entrevero político nas ruas nem é entre PT e outros Partidos da Oposição, mas é entre o PT e o povo brasileiro. 

Isto tudo significa que a comparação mais consequente é com os primórdios do governo Collor, quando o povo foi para as ruas e levou o então presidente da Cãmara, Ibsen Pinheiro, a declarar o seguinte, depois de anunciar o impeachment do presidente:

- O que o povo quer, esta casa quer.

Apple condenada nos EUA por violar patentes

A Apple foi condenada pela justiça americana a pagar 532,9 milhões de dólares por três patentes da empresa americana Smartflash durante a criação da loja on-line iTunes. A decisão foi emitida ontem por um tribunal de Tyler (Texas). A Smartflash, que tem sua atividade baseada na valorização de uma carteira de patentes, havia apresentado uma denúncia em 2013 e reclamava inicialmente 852 milhões de dólares, uma quantia calculada por meio de uma divisão proporcional das vendas do iTunes.

Na defesa, a Apple argumentou que as patentes não eram mais válidas e que outras empresas haviam registrado tecnologias similares, e que estas não valeriam mais do que 4,5 milhões de dólares. O tribunal considerou não apenas que a Apple efetivamente violou as patentes - sobre a administração e o armazenamento de dados nos sistemas de pagamento -, mas também que o grupo fez isto com conhecimento de causa. No mesmo tribunal texano, a Apple foi condenada em 2013 a pagar multa de 368 milhões de dólares por ter violado patentes da empresa VirnetX, mas anulada, mais tarde, por um tribunal de apelações federal e o caso foi reenviado a outro tribunal para um novo julgamento. (Fonte: AFP)

PMDB avisa que pode desembarcar do governo Dilma

Após jantar no Palácio do Jaburu da equipe econômica do governo com dirigentes peemedebistas, segunda-feira, o vice-presidente da República, Michel Temer, teria alertado a presidente Dilma Rousseff que o PMDB está no "limite da governabilidade".

O PMDB está prestes a desembarcar.

A manutenção do apoio depende de mais espaço nas decisões estratégicas do governo.

"O PMDB quer dar um fundamento à coalizão, quer participar da definição das políticas públicas. Essa coalizão, ela é capenga porque o PMDB, que é o maior partido do ponto de vista da coaAlizão, ele não cumpre o seu papel", ueixou-se o presidente do Senado, Renan Calheiros

Capangas do PT agridem manifestantes que protestaram contra o o Pai do Petrolão. Lula diz que está fardado para a guerra.

Nos três principais jornais do País, Folha de S. Paulo, Globo e Estado de S. Paulo, a cena de destaque é a mesma: o confronto, ocorrido na tarde de ontem, entre militantes do PT que foram ouvir Lula defender a Petrobrás no Rio e manifestantes, pessoas comuns do povo, que se reuniram para protestar contra a roubalheira do Petrolão, urdida justamente por Lula para enriquecer companheiros, além de corromper políticos e eleitores. 

O episódio ocorreu no Rio de Janeiro, pouco antes do ato em defesa da Petrobras e do modelo de partilha do pré-sal, em que o ex-presidente Lula pássou o seguinte grito de guerra:

- Eu quero paz e democracia, mas se eles querem guerra, eu sei lutar também.

Lula foi o chefe do Mensalão, com  Dirceu, e é o chefe do Petrolão, com Dilma. 

O PT e Lula não possuem mais estatura moral, ética e política para qualquer enfrentamento, nem mesmo nas ruas, a menos que contratem capangas, como fizeram ontem no Rio. 

As imagens estampadas nos três jornais prometem acirrar ainda mais os ânimos.

Eis a legenda da Folha: BRUTALIDADE - Em ato da CUT e do PT em defesa da Petrobras perto da Associação Brasileira de Imprensa, no Rio, petista agride homem que pedia o impeachment de Dilma.

Legenda do Estado: Pancadaria no Rio - Em ato de petroleiros no Rio, que teve agressões entre manifestantes, o ex-presidente Lula disse que Dilma Rousseff 'não pode ficar dando trela' sobre as investigações na Petrobras e 'tem de levantar a cabeça'.

Legenda do Globo: Intolerância - Homens com camisa do PT partem para a briga com manifestantes que pedem a saída de Dilma em frente à ABI, no Rio, onde aliados do governo fizeram ato.

Aonde isso vai parar, ninguém sabe, mas se espera que acabem com Lula na cadeia e Dilma impedida.  Mas as imagens de ontem, estampadas nos jornais de hoje, certamente elevarão a temperatura do dia 15 de março, dia em que estão previstos protestos pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Pequenos e microempresários gauchos ganham espaço de atendimento dos Correios em Porto Alegre.

Os Correios iniciaram hoje (25) o funcionamento de um espaço destinado ao atendimento dos pequenos e microempresários no Rio Grande do Sul. A sala fica na agência de Correios Terceira Perimetral (Avenida Carlos Gomes, 1001), em Porto Alegre, e conta com um guichê específico para o atendimento das micro e pequenas empresas.


No local será possível o acesso a serviços exclusivos, como a Logística Reversa, serviço de Malote e Mala Direta Especial, todos com gerenciamento on-line. Além do Cartão Correios Fácil. Outra possibilidade é a página do programa para MPE, em que os clientes podem fazer um vídeo para divulgar suas empresas, conhecer as soluções dos Correios para esse segmento, além de acessar e-books e se cadastrar para receber a Revista Correios para Micro e Pequenas Empresas gratuitamente.

Petrobrás promete resolver até esta sexta novo preço para nafta vendida ao Pólo de Triunfo

A Petrobras prometeu ontem ao governo gaúcho que apresentará uma proposta de preço para o fornecimento de nafta para a Braskem até sexta-feira.  O contrato vigente, de seis meses, encerra-se em 28 de fevereiro. A Braskem anunciou que terá que fechar o Pólo Petroquímico de Triunfo se os prfeços da nafta forem excessivos.

Eis o que disse o vice-governador José Cairolli, que conversou em Brasília com o ministro de Minas e Energia:

- Foi uma reunião longa, que teve no ministro Carlos Eduardo Braga (Minas e Energia) um excelente mediador. Como resultado, tanto a Braskem como a Petrobras saíram satisfeitas e o importante é que não haverá rompimento.

José Cairolli viajou com o secretário do Desenvolvimento, Fábio Branco.

A Braskem pertence ao grupo Odebrecht, que está sendo investigada no âmbito do Petrolão.

Com medo de ser preso, o presidente da Odebrecht, controladora da Braskem, Marcelo Odebrecht, resolveu morar no exterior. 

Moody's rebaixa nota e diz ao mercado internacional que Petrobrás é má pagadora do que deve

A crise na Petrobrás após as denúncias de corrupção levantadas pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal, fizeram a empresa perder o grau de investimento da agência de classificação de risco Moody's.

O acesso a novos financiamentos fica mais complicado após resolução da agência de classificação de risco Moody's. 

Em comunicado divulgado nesta terça-feira, a agência diz que a estatal não é uma boa pagadora de seus débitos, o que complica ainda mais a situação da companhia, hoje a petroleira mais endividada do mundo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Desordeiros liderados pelo PSOL protestam contra passagens altas. Eles também querem a extinção da Brigada.

CLIQUE AQUI para ver video de vândalos queimando boneco de Fortunati - Os 3.050 manifestantes que saíram ontem à noite às ruas, protestaram em Porto Alegre contra o aumento do preço das passagens de ônibus e também pediram o fim da Brigada.. Boneco do prefeito Fortunati foi queimado na zona central. O preço das passagens foi reajustado para R$ 3,25 desde o último domingo. Quatro pessoas detidas por desacato nesta terça-feira. A ordem do governador Sartori foi de prender quem levantasse a primeira pedra ou usasse máscaras.

 De acordo com a BM, parte do grupo queimou móveis antigos em uma das pistas da Avenida Ipiranga, em frente à Vila Cachorro Sentado, e três pessoas acabaram detidas por desacato e agressão. Dois integrantes do policiamento montado teriam sido atingidos por pedras.

Um dos protestos havia sido marcado pelas redes sociais e teve início no fim da tarde, em frente à prefeitura de Porto Alegre. 

As ruas da região central ficaram bloqueadas e muitas linhas de ônibus sofreram atrasos, deixando as paradas lotadas ao fim da tarde. O protesto contornou o Mercado Público e seguiu pela Dr. Flores em direção à Avenida João Pessoa. 

Por volta das 20h, os manifestantes que marchavam pelo Centro seguiram em direção ao Palácio da Polícia, também na Avenida Ipiranga, para exigir a libertação dos detidos. 


Alguns manifestantes gritavam frases pedindo "o fim da Polícia Militar" .