Jornalista que escreveu o livro de Tuma Júnior diz que Veja só publicou 2% do que sabe

O jornalista e professor Claudio Tognolli, escreveu neste domingo no seu Twitter que o material disponibilizado neste final de semana pela revista Veja corresponde a apenas 2% do que está no livro “Assassinato de Reputação”, de Romeu Tuma Júnior. Tognolli foi quem gravou todos os depoimentos e depois escreveu o livro com base neles e em ampla documentação probatória.

. Ele também avisou (leia os postos abaixo) que muitas fotos e documentos virão, fazendo uma ameaça:
- Não nos encham a cara, porque senão a casa cai.

. Entre os postos abaixo, está também uma mensagem de Lobão, que já começou a ler o livro.

claudio tognolli ‏@claudiotognolli1h 
A Veja deu apenas 2% do q tem no livro: muitas fotos e documentos virão. E se nos encherem as caray, vai pra frente tb o q nao ha no book...

 claudio tognolli ‏@claudiotognolli 23h
O que saiu nas 7 pgs de Veja sobre meu nono e novo livro eh apenas dois por cento do que nele ha, documentado e com fotos excrusivis...

Lobão ‏@lobaoeletrico7 dez
@claudiotognolli Tognolli...estou aqui na página 319 no episódio do Battisti. CARAY!!É inacreditável!!!Isso vai dar a maior merda da paróquia
 Retweetado por claudio tognolli

Senador Álvaro Dias quer Tuma Júnior no Senado

Ao usar o Twitter neste domingo, o senador Álvaro Dias, PSDB, avisou que vai chamar o delegado Romeu Tuma Júnior para depor no Senado Federal e mostrar ali as provas que diz possuir sobre a fábrica de dossiês, denúncias e investigações promovidas e vazadas pela Polícia Federal a mando do ex-presidente Lula, do ministro Tarso Genro e do secretário Geral da presidência, Gilberto Carvalho.

. Está tudo no livro "Assassinato de Reputação".

. Álvaro Dias também fala sobre o assassinato de Celso Daniel, tragédia na qual Tuma Júnior envolve diretamente Gilberto Carvalho e Zé Dirceu. Leia:

O mensalão,morte de Celso Daniel são esqueletos ainda não retirados totalmente do  armário de crimes dos últimos anos http://www.alvarodias.com.br/2013/12/tuma-jr-havia-uma-fabrica-de-dossies-no-governo/ …

Lobão quer ver Lula na Comissão da Verdade

O cantor Lobão postou várias mensagens no seu Twitter deste domingo, fazendo um apelo para que a ministra Maria do Rosário chame Lula para a Comissão da Verdade.

. Os postos fazem referência direta ao livro do delegado Romeu Tuma Júnior, que afirma categoricamente que seu pai, chefão da Polícia Federal em São Paulo durante a ditadura, recrutou Lula da Silva como informante, alcaguete, concedendo-lhe a alcunha de Barba.

. Tuma Júnior diz que tem provas do que diz.

. Deve ter, porque ele acompanhou o pai durante todos os episódios do finalzinho da ditadura, quando a Polícia Federal prendeu Lula e outros sindicalistas do ABC, colocando todo mundo sob a guarda de Romeu Tuma, mais tarde senador da República pelo PP.

* A montagem das fotos e dos posts é do site www.brasil247.com.br

Coronel Ustra ficará frwente a frente com testemunhas que o acusam em Juízo

Ação protocolada pelo Ministério Público Federal acusa militar e delegados de polícia de sequestro e cárcere privado de Edgar Aquino Duarte, desaparecido até os dias de hoje. A reportagem do Estadão de hoje é assinada por Fausto Macedo e Mateus Coutinho. Ustra é de família gaúcha. Logo depois do golpe, a família chegou a ajudar o atual governador Tarso Genro, perseguido pelos militares. Leia tudo:

Pela primeira vez, o coronel reformado do Exército Carlos Alberto Brilhante Ustra e outros dois agentes da repressão durante a ditadura militar (1964-85) serão confrontados com testemunhas de um crime ocorrido no período ditatorial. A 9ª Vara Criminal da Justiça Federal de São Paulo realizará audiências, nos dias 9, 10 e 11 para ouvir as testemunhas de acusação do desaparecimento de Edgar Aquino Duarte, em 1973.

. Além de Ustra, também são réus na ação protocolada pelo Ministério Público Federal os delegados de polícia Alcides Singillo e Carlos Alberto Augusto. Os réus são acusados pelo Ministério Público Federal de sequestro e cárcere privado de Edgar que, segundo o MPF, não tinha envolvimento com a resistência ao regime militar.

. Na audiência, serão ouvidos o advogado do desaparecido e sete ex-presos políticos que testemunharam o sequestro de Edgar Aquino Duarte inicialmente nas dependências do Destacamento de Operações Internas do II Exército (DOI-Codi) e depois no Departamento de Ordem Política e Social (DEOPS), ambos em São Paulo, entre 1971 e 1973.

Secretário Geral da Presidência diz que não levava dinheiro sujo de Celso Daniel para o PT

Maria do Rosário mobilizará a Comissão Nacional da Verdade e os peritos da Polícia Federal para atender os pedidos da família e checar quem matou Celso Daniel, como faz com Jango?


Bruno Daniel, um dos irmãos de Celso, assassinado há 12 anos, afirma que, no dia da Missa de Sétimo Dia, Gilberto Carvalho, hoje secretário-geral da Presidência do governo Dilma, confessou que levava dinheiro do esquema montado na Prefeitura para a direção do PT. Carvalho disse que chegou a entregar R$ 1,2 milhão ao então presidente do partido, José Dirceu.  Bruno e sua família acabaram se exilando na França, onde receberam o estatuto oficial de “exilados”. Eles achavam que o PT queria assassiná-los. Francisco, o outro irmão, também teve de se mandar. Eles não aceitam a tese de que o irmão foi vítima de crime comum. O ressentimento de Bruno – ele e a mulher eram militantes do PT – com o partido é grande. Ele acusa os petistas de terem feito pressão para que a morte fosse considerada crime comum.
  
Na entrevista concedida ao repórter Robson Bonin, Veja deste final de semana, o delegado Romeu Tuma Júnior conta que a morte do então prefeito de Santo André Celso Daniel "foi um crime de encomenda", como denuncia a família e como acusa o Ministério Público  e que, como "delegado da área onde o crime ocorreu", à época, acabou ouvindo uma "confissão" do ministro Gilberto Carvalho sobre a prática de desvios da prefeitura do município do ABC Paulista para campanhas políticas do Partido dos Trabalhadores. No livro que lançará nos próximos 15 dias, "Assassinato de Reputação", Tuma Júnior escreve:

- Quando saiu aquela história de que havia desvios na prefeitura, eu, na maior boa fé, procurei a família dele (de Celso Daniel) para levar um conforto. Fui dizer a eles que o Celso nunca desviou um centavo para o bolso dele, e que todo recurso que arrecadávamos eu levava para o Zé Dirceu, pois era para ajudar o partido nas eleições.

. À Veja, Romeu Tuma Júnior dispara ainda contra outros petistas, como o ex-ministro da Justiça Tarso Genro, hoje governador do Rio Grande do Sul, o ex-presidente Lula e o ex-ministro José Dirceu.Tuma diz que, no livro, conta tudo "em detalhes, com nomes, datas e documentos", para "revelar o motivo de terem me tirado da função, por meio de ataque cerrado à minha reputação, o que foi feito de forma sórdida"

. Ao saber das novas acusações, Gilberto Carvalho emitiu nota na secretaria Geral da Presidência:

"Repudio as acusações absolutamente falsas do senhor Romeu Tuma Júnior. Vou processá-lo imediatamente, para que ele responda na Justiça pelas calúnias que fez contra mim.

CLIQUE AQUI para ler "Promotor diz que Celso Daniel foi morto porque sabia demais". A reportagem é do portal Terra.