A ex-amante de Lula começa a responder em juízo pelos crimes que cometeu no gabinete presidencial em São Paulo

A amante petista de Lula cobrava de dia o que concedia de noite na cama. Ela usou e abusou do cargo de chefe de gabinete da presidência em SP, até ser denunciada. Seu julgamento inicia no dia em que seus companheirinhos da liderança do PT começam a escapar do regime fechado da Papuda.

O artigo a seguir é da Folha de S. Paulo desta segunda-feira. A forma encontrada pelo jornal para falar da ex-amante de Lula foi um editorial, o que existe de mais nobre na mídia. O título: "Chinelos da impunidade". Leia tudo:

Pouco mais de um ano e três meses atrás, logo depois de decididas as penas para figurões do mensalão do PT, veio à tona um novo e bizarro escândalo: o escritório da Presidência da República em São Paulo se transformara numa filial de tráfico de influência sob a chefia de Rosemary Noronha.
Íntima de Luiz Inácio Lula da Silva desde a década de 1990, ela vai agora responder na Justiça pelos muitos favores que teria concedido e pedido como uma das mulheres mais influentes da república petista. A ação criminal contra ela e 17 associados se inicia no exato momento em que próceres do partido se livram de cumprir penas de prisão em regime fechado.
Noronha foi instalada no gabinete paulistano por Lula e ali mantida por Dilma Rousseff, mas não tanto por seus dotes administrativos.
Como se tivesse recebido um feudo para nele mandar e desmandar, de acordo com a Polícia Federal, comandava de São Paulo um esquema de venda de pareceres que chegou a envolver duas agências reguladoras federais e a Advocacia-Geral da União (AGU).
A amiga de Lula indicou os irmãos Paulo Rodrigues Vieira e Rubens Carlos Vieira para diretorias da ANA (águas) e da Anac (aviação civil), respectivamente. Na AGU, segundo a investigação, contavam com o beneplácito do advogado-geral-adjunto da União, José Weber Holanda Alves, que ajudou a resolver problemas do ex-senador Gilberto Miranda (PFL-AM) com ilhas no litoral paulista.
Eram várias as moedas de troca aceitas pelo grupo. De pagamentos em dinheiro vivo a passagens para cruzeiros, circulava de tudo pelos dutos do esquema. Tais miudezas, diante das enormidades do mensalão, chegaram a ser descritas por policiais como "chinelagem".
Na época em que eclodiu, o escândalo ajudou a firmar a noção de que o PT, ou ao menos setores do partido, não conhecia limites para a corrupção. Solidificou a ideia de que a praticava no atacado e no varejo --como fazem de resto tantas agremiações políticas no Brasil.

Para impor tais limites, porém, existe a Justiça. Se vierem novas condenações neste caso --que ora se torna mais robusto com a aceitação da denúncia-- e outras nos muitos escândalos que decerto surgirão, talvez um dia se recomponha a certeza de que a coisa pública não é um butim devido a quem conquista o poder

Kotscho ataca oposição. Ele só não explica acusações de Tuma Júnior contra seu antigo pastrão, o Barba.

No seu blog de hoje, regiamente patrocinado pela Odebrecht, o ex-assessor de imprensa de Lula (primeiro governo), Ricardo Kotscho, ataca Aécio e Eduardo Campos para defender o antigo patrão e o seu Partido, o PT. Kotscho só não fala sobre as acusações levantadas por Tuma Júnior, que detalhou de que modo Lula tornou-se alcaguete da ditadura militar, recrutado por Tumão, então chefão do Dops. Na época, Lula dedurava seus companheiros sindicalistas e políticos, usando o codinome "Barba". Leia:
Levado às últimas consequências, o tal pacto de não agressão firmado entre Aécio Neves e Eduardo Campos, ainda no ano passado, pode ser uma das razões para explicar porque, pesquisa após pesquisa, os dois continuam empacados no mesmo lugar, enquanto a presidente Dilma, candidata à reeleição, segue liderando a corrida só voando no piloto automático.
Os discursos com críticas à política econômica e à imensa base aliada do governo são absolutamente iguais, sem que nenhum dos dois consiga dizer uma palavra sobre o que pretende efetivamente fazer para melhorar a vida dos brasileiros caso seja eleito.
A única diferença visível a olho nu entre os dois candidatos é que Eduardo Campos, ao lado de Marina Silva, prega o surgimento de uma "nova política", sem explicar do que se trata e como pretende governar, enquanto Aécio se dedica no momento a celebrar os 20 anos do Plano Real, sempre levando Fernando Henrique Cardoso a tiracolo como seu maior cabo eleitoral.
CLIQUE AQUI par ler tudo.

Líder do PMDB diz que presidente do PT é homem de "má fé"

A cada dia fica mais difícil a situação do deputado Eliseu Padilha, que defende apoio do PMDB gaúcho à candidatura de Dilma Roussef.

Em sua conta no Twitter, Eduardo Cunha (RJ) alegou que o PMDB “não é respeitado pelo PT”; "A cada dia que passo me convenço mais que temos de repensar está aliança, porque não somos respeitados pelo PT", afirmou o parlamentar; as críticas foram mais contundentes ao presidente nacional do PT, Rui Falcão, que segundo Cunha, age de "má fé" ao propagar versão de que a ala ligada ao deputado esteja negociando a liberação de emendas parlamentares para destrancar a pauta de votações da Câmara

Sem policiamento, Porto Alegre virou território de bandidos ousados. Agora eles assaltam até restaurante e roubam picanha para fazer churrasco.

Sem medo da polícia, que sumiu, preciosistas, os bandidos só escolheram cortes nobres, sobretudo picanha, porque queriam churrasco de primeira qualidade. 

A Polícia liberou as informações, mas o site www.zerohora.com.br foi além e ouviu tamém o dono da churrascaria gaúcha. Em Porto Alegre não se encontra policiais nas ruas durante toda a noite. Mesmo de dia isto é impossível. O editor cruzou esta tarde de Nova Petrópolis até o bairro Petrópolis, Porto Alegre, 13h30min, e não encontrou um só policial em todo o trajeto de duas horas, nem mesmo nas rodovias. Leia a reportagem:
Dois homens arrombaram nesta madrugada a Churrascaria Braseiro, na esquina das avenida Pernambuco e Farrapos, no bairro Navegantes, zona norte de Porto Alegre. A dupla furtou 140 quilos de carnes nobres após entrar no estabelecimento pelo telhado. Câmeras de segurança registraram o furto a 1h30min. Um dos ladrões subiu no muro, arrebentou uma cerca elétrica e escalou o telhado do depósito do estabelecimento. Um telha de fibra de vidro foi quebrada. Depois, o bandido desceu para o pátio interno onde entortou uma grade de ferro. Em seguida, chegou à porta do açougue onde as carnes são cortadas e preparadas para assar. Na câmara fria, o bandido deparou com centenas de quilos de frango, salsichão, costela e outros tipos de carnes, mas não tocou em nenhum deles. Preferiu os pacotes dos cortes especiais, mais caros e macios. Um saco foi usado para embalar 140 quilos de picanha e filé mignon, causando um prejuízo de cerca de R$ 2,8 mil. Do lado de fora, o comparsa o esperava e minutos depois a dupla fugiu, atravessando, correndo, a Avenida Farrapos em direção a Avenida A.J. Renner. Nas paredes, ficaram marcas de barro das pegadas do ladrão.
- A insegurança pública é notória no RS. Restaurantes como Braseiro também sofrem. Há duas semanas, a Cantina do Toco, Ipanema, Porto Alegre, foi assaltada por 5 bandidos, que renderam clientes e proprietários. 

ONG diz que governo gaúcho não ganha nada com novo indexador da dívida com a União. Só redução do passivo apresenta solução.

A jornalista Patrícia Comunello entrevistou a economista Maria Lúcia Fatorelli para o Jornal do Comércio, Porto Alegre, e publicou tudo em uma página inteira na edição de hoje. A economista é coordenadora de um desconhedico movimento chamado Auditoria Cidadã da Dívida, que entre outras coisas defende auditoria da dívida pública e privada externa e interna, inclusive a dívida do RS com a União, a pior entre todos os Estados. O que ela denuncia claramente:

- Tarso Genro chuta quando diz que a mudança no indexador estancará o estoque da dívida.
-  A secretaria da Fazenda não demonstra como chegou aos resultados que chegou no cálculo da dívida com o novo indexador.
- Mesmo pagando tudo até 2027, o Estado terá dívida a pagar até o ano 2075.
- A dívida interna da União já é de R$ 3 trilhões e a externa alcança US$ 450 bilhões
- Lula só quitou US$ 15,5 bilhões com o FMI, mas não pagou a dívida com títulos, US$ 100 bilhões
- A dívidas é corrigida automaticamente, embora a indexação tenha acabado. Além disto, a União cobra alto custo demais pela dívida dos Estados e municípios. 

Leia mais:

Enquanto o governo estadual tenta furar o bloqueio da União para votar o novo indexador da dívida estadual, o movimento chamado Auditoria Cidadã da Dívida aponta que a mudança embutida no Projeto de Lei 99/2013 que tramita no Senado, já aprovado na Câmara dos Deputados, é a “pior dos mundos” para os gaúchos. Ex-auditora da Receita Federal, a coordenadora do movimento, Maria Lucia Fattorelli, adverte que não adianta trocar o fator de correção sem rediscutir a composição do passivo, que ultrapassa R$ 45 bilhões. Maria Lucia aponta que o problema está na origem, no que formou o passivo, herança de renegociação nos anos de 1990, que combinou débitos do Estado e passivos de bancos públicos, no caso o Banrisul. O movimento, que nasceu após a CPI da Dívida Pública, com relatório emitido em 2010, defende que a revisão do extrato dos passivos reduziria em muito a conta paga pela sociedade, por meio da União. Maria Lucia lembra que a auditoria da dívida pública está prevista na Constituição Federal e já teve apoio de mais de 7 milhões de pessoas em um plebiscito eletrônico. 
C – Mudar o indexador é solução para o pagamento das dívidas de estados e municípios?

Maria Lucia – A proposta de trocar o indexador da dívida não é boa, apesar de reconhecermos que deve haver a mudança da correção. A União colocou a atualização monetária automática, mensal e cumulativa. O primeiro absurdo é a correção automática, quando a indexação havia sido abolida pelo Plano Real, e ainda com índice privado (IGP-DI), que mede expectativa, não inflação. Segundo, enquanto o Bndes adota taxas baixas e TJLP, a União cobra alto custo. O PL muda o indexador, mas não prevê retroagir ao início do contrato, para recálculo do débito, o que  é necessário.

(...)

JC – O governador Tarso Genro fala que a mudança do indexador estancará o estoque. Serve de consolo?
Maria Lucia – Isso não é verdade, fizemos uma simulação, que entregamos aos senadores e está em nosso site. O cálculo da dívida gaúcha é o mais grave no País. O Estado paga a dívida em 2027 e não terá terminado de saldar o resíduo, além de continuar com o mesmo limite de pagamento de 13% da receita líquida real. Com isso, o Rio Grande do Sul terá dívida a pagar até o ano de 2075.

JC – Mas o Estado assegura que é a solução?
 Maria Lucia - Quero ver a conta deles para saber como chegaram nela. Fizemos o cálculo usando o novo indexador. Consideramos o ambiente mais favorável e conservador. Ou a nossa conta está muito errada ou a deles. Na nossa, o Estado está na pior situação. Pedimos informações sobre as dívidas à Secretaria Estadual da Fazenda. Faremos uma série de ações para nivelar estudos internos e depois analisaremos as respostas e promoveremos ações locais de mobilização sobre o tema, como em escolas.

JC – Quanto se poderia reduzir a despesa com revisão da composição do passivo?
 Maria Lucia – Seria brutal.

CLIQUE AQUI para ler a entrevista completa.

INSCREVA-SE AGORA
WORKSHOP "MARKETING POLÍTICO DE OPOSIÇÃO"
Dias 22 e 23 de março, Plaza, Porto Alegre.
9 especialistas contam tudo sobre montagem de comitês, captação de recursos, prestação de contas, estratégias de marketing, rádio, TV, jornal, internet, pesquisas, legislação
Informações: (051) 3061.0741 ou pelo e-mail polibio.braga@uol.com.br
CLIQUE AQUI para examinar toda a programação e saber como se inscrever.

Tarso vai de novo para convescote filosófico sem importância na Espanha, mas com isto terá um bom fim de semana remunerado em Madrid

O governador Tarso Genro passará o final de semana em Madrid, Espanha, para onde viajará nesta quarta-feira. A convite da Fundação Alternativas, da Espanha, o governador desembarca em Madri no dia 5 de março para participar do painel de abertura do seminário internacional Cooperação Ibero-Americana e Desenvolvimento. O evento é de menor importância e dele participam conferencista do segundo time de regiões periféricas. Trata-se de outro dos convescotes sem relevância que volta e meia conduzem Tarso até a Espanha ou Portugal. Ele ocorre no dia 7, propõe uma reflexão sobre os desafios que confrontam os países da península ibérica e suas implicações nas relações com o Brasil e a América Latina, bem como discutir novas possibilidades de integração, mecanismos transnacionais de promoção do desenvolvimento regional e experiências de renovação da democracia. O Sistema Estadual de Participação Popular e Cidadã do RS (Sisparci), premiado pela Organização das Nações Unidas em 2013, será um dos temas em debate. Outro assunto que deverá ser objeto de discussão diz respeito ao chamado Gabinete Digital.

. Entre os painelistas, constam nomes como o do sociológo português Manuel Carvalho, que até há pouco foi do Partido Comunsita Português;  o economista Ladislau Dowbor, o político e jornalista espanhol Nicolás Sartorius, o secretário-geral Ibero-americano, Enrique Iglesias, o presidente da Fundação Getúlio Vargas, Carlos Ivan Simonsen, o jurista espanhol Antonio Baylos e a ativista Simona Levi, entre outras representações. O secretário-geral de Governo do Rio Grande do Sul, Vinícius Wu, participa da última mesa apresentando o case do Gabinete Digital.

Encontro com empresários

Para além do seminário, a agenda do governador em Madri inclui um café da manhã com empresários cuja lista não foi fornecida pelo Piratini, na Embaixada do Brasil, e um almoço empresarial, também sem lista revelada de nomes,  na sede do banco Santander. Nas agendas com empreendedores locais, Tarso apresentará dados sobre o crescimento econômico do Rio Grande do Sul, oportunidades de negócios e os setores mais propícios para atrair investimentos.A Espanha está em crise financeira, não investe mais na proporção que costumava e mais precisa do que concede ajuda. O País não representa mais soluções, porque só apresenta problemas para a comunidade econômica global. 

Folha aposta na instabilidade política para derrotar Dilma

Em editorial desta terça-feiras, o jornal Folha de S. Paulo ensina que "incapazes de entusiasmar o país com um projeto de mudança, os adversários de Dilma terão de confiar nos embates de campanha e na propaganda eleitoral para conquistar terrenno". Escreve mais o jornal:

-  Sua (da oposição)  maior esperança, porém, reside no clima de instabilidade política que se vê em todo o país –algo que nenhum candidato controla, mas que afeta sobretudo aqueles que estão no poder. 

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

Alguém leva a sério este pedido de extradição feito contra Pizzolato ?

- Ninguém leva a sério o pedido feito pelo governo controlado pelo PT, com presidente e ministro do PT, contra um dos líderes mais importantes do PT, flagrado com fortuna que roubou do Mensalão e levou junto para a Europa. Ao lado, Pizolato com Lula. 

O governo brasileiro oficializou nesta segunda-feira o pedido de extradição do ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato, condenado a mais de doze anos de prisão pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento do mensalão. 

. As informações são da Agência Brasil.
. A documentação foi entregue pela embaixada brasileira em Roma ao Ministério das Relações Exteriores da Itália. Como possui cidadania italiana, Pizzolato seguiu para a Europa no ano passado, antes da expedição do mandado de prisão, em uma fuga hollywoodiana descoberta pela Polícia Federal somente em fevereiro. Desde então, está preso em território italiano.

PMDB do RS poderá ter disputa para candidatos ao Piratini e ao Senado

Além da disputa entre José Ivo Sartori e Paulo Ziukolski na pré-convenção do dia 15, poderá acontecer também a disputa entre José Fogaça e Germano Rigotto pela vaga ao Senado.

. A disputa entre apoio a Dilma ou Eduardo Campos estará automaticamente resolvida quando se conhecer o nome do candidato ao Piratini.

Lourdes Sprenger é a nova presidente da Escola do Legislativo da Câmara de Porto Alegre

Lourdes Sprenger, vereadora do PMDB de Porto Alegre, ´~e a nova presidente da Escola do Legislativo da Câmara da Capital. A vice-presidência coube a Séfora Mota (PRB).

Operação Ourives apurou roubalheira de cinco funcionários no Sindicato dos Bancários de Porto Alegre

O Ministério Público Estadual encaminhou denúncia à 9ª Vara Criminal do Fórum Central da Capital contra cinco pessoas suspeitas de envolvimento em um esquema que teria lesado 137 associados do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre. O grupo teria desviado R$ 1,4 milhão — apuração inicial era de R$ 5 milhões.

.O golpe se materializou entre janeiro de 2004 e junho de 2012, envolvendo o ex-funcionário da tesouraria do sindicato João Carlos Galbarino Amaral, 46 anos, e outros quatro amigos, que serviriam de "laranjas" (concordavam com depósitos das quantias desviadas em suas contas em bancos). Um deles, Erni Menezes Flores, 50 anos, tinha sido integrante do conselho fiscal do Sindbancários em anos anteriores. Eles foram denunciados por estelionato e formação de quadrilha.

. Os próprios dirigentes sindicais determinaram uma inspeção interna e depois contrataram uma auditoria externa que confirmou o golpe, resultando no afastamento de Amaral. A partir daí, a Polícia Civil foi acionada. Municiada com documentos fornecidos pelo sindicato, a Delegacia Fazendária (Defaz) deflagrou a Operação Ourives. 

RBS admite que Copa é um mau negócio para o RS

O repórter Pedro Moreira publica na edição de hoje do jornal Zero Hora, RBS, um primoroso trabalho de reportagem, que demonstra claramente que a Copa é um mau negócio para o RS, porque as despesas feitas e a fazer superam de longe os possíveis ganhos. Leia tudo:

Nesta terça-feira faltarão cem dias para o início do Mundial no Brasil, e essas são as discussões que dominam o país. Em Porto Alegre, após o tema ganhar visibilidade com as manifestações de junho passado, a indefinição sobre o financiamento das estruturas temporárias do Beira-Rio acirrou o debate sobre o envolvimento do poder público no pagamento por equipamentos e serviços que podem não deixar legado algum ao Rio Grande do Sul.

(...)

Uma estimativa inicial feita com base em dados públicos aponta um gasto de governo do Estado e prefeitura de R$ 569,9 milhões frente a uma estimativa da Fundação de Economia e Estatística de um incremento de R$ 503,6 no Produto Interno Bruto (PIB) estadual.
Ainda distantes de valores definitivos, os gastos do poder público com o evento se dividem basicamente em dois tipos: aqueles que deixarão legado à população e os que representam custo apenas para a realização das partidas ou para receber turistas.

. Justificar investimentos e isenções fiscais para a Copa é um cavalo de batalha para Estado e prefeitura em meio ao recrudescimento do debate sobre o financiamento das temporárias. Lançado às pressas no mesmo dia em que a administração estadual protocolou o projeto que prevê desconto no ICMS devido para empresas que investirem nas estruturas, há cerca de 10 dias, um estudo da Fundação de Economia e Estatística (FEE) aponta elevação de R$ 503,6 milhões no Produto Interno Bruto (PIB) gaúcho a partir dos gastos de turistas que virão para cá durante o Mundial — com um incremento de R$ 36,4 milhões na arrecadação de ICMS.

O estudo é pessimista. Esse seria um piso e não um teto. Se eu pegar a construção do Beira-Rio, de estradas, daria um valor enorme — sustenta o diretor-técnico da FEE, André Scherer. O órgão prevê, também, a criação de 7,5 mil empregos diretos e 4,9 mil indiretos, e usa como base um levantamento da Fecomércio-RS que estima um gasto de R$ 360 milhões dos visitantes no Estado.

CLIQUE AQUI para ler mais, inclusive lista, ítem por ítem, dos ganhos e perdas. 

Marqueteiro argentino ajudará Aécio

O argentino Guillermo Raffo, que atuou na campanha de Márcio Lacerda (PSB) em Belo Horizonte, em 2008, e na de Fernando Pimentel (PT) na capital mineira, em 2004, com Duda Mendonça, vai trabalhar para a campanha tucana em 2014 em parceria com Paulo Vasconcelos, que já está com o candidato tucano.