Planalto diz que grupo do PT trabalha contra Dilma no Congresso

O jornalista Gerson Camaroitti, Rede Globo, geralmente bem informado sobre as atividades palacianas em Brasília, disse esta tarde que integrantes do núcleo palaciano já identificaram que um setor do PT trabalha para isolar a presidente Dilma Rousseff no Congresso Nacional. Esse grupo de petistas tem atuado em sintonia com a liderança do PMDB na Câmara e outros partidos aliados. Leia tudo:

. Recentemente, chamou atenção no Palácio do Planalto a declaração do deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP) de que o plebiscito para a reforma política proposto por Dilma era inviável para este ano.Vaccarezza tem influência num grupo de cerca de 20 deputados da bancada, que inclui o atual líder, deputado José Guimarães (PT-CE).


. “Esse grupo petista é pragmático e avalia que Lula tem mais chance do que Dilma na eleição de 2014”, explicou um interlocutor político de Dilma ao Blog. “Esse grupo petista insiste no ‘Volta, Lula’”, completou.

Ativistas espancam presidente da Câmara e fecham o Legislativo de Porto Alegre

A foto ao lado é do presidente (camisa clara) sendo agredido por ativistas. 





Manifestantes que ocupam pela violência e ilegalmente a Câmara dos Vereadores de Porto Alegre desde quarta-feira, agrediram com socos e ponta-pés, na tarde desta sexta-feira, um profissional da imprensa, o fotógrafo da Casa, Elson Sempé Pedroso, e o presidente do Legislativo, Tiago Duarte, que é do PDT. Somente depois da violência (o vereador Thiago Duarte e o fotógrafo foram salvos por servidores da Casa) é que um pelotão da Brigada Militar foi chamado, protegendo os vereadores e servidores que foram encurralados no gabinete da presidência, enquanto os manifestantes tomaram o plenário e as demais s dependências da casa. Os jornalistas da RBS e da Caldas Júnior são hostilizados, censurados e mantidos à distância pelo uso da violência física. ARI e Sindicato dos Jornalistas não saíram em defesa dos profissionais. Um deles, um fotógrafo (profissional da Casa), foi espancado esta tarde.

. Também apanhou muito um fotógrafo do setor de comunicação do legislativo. 

. O Legislativo foi fechado pelos ativistas ligados sobretudo ao PSOL, ao PSTU e o PT, repetindo o que fizeram os militares durante a ditadura. 

. Ambos foram atingidos por socos e pontapés no terceiro andar do prédio, quando estavam próximos ao estúdio da TV Câmara. Poucos minutos antes, os vereadores haviam entregue uma contraproposta às exigências dos manifestantes, que querem passe livre imediato para estudantes e aposentados, passe livre posterior para todos, quebra do sigilo bancário das empresas de ônibus e compromisso de derrubar qualquer veto do prefeito sobre os projetos que vieram a ser aprovados. Esta tarde, a bancada do PP se retirou das negociações, acusando qualquer concessão como ataque à ordem legal e à democracia, e também pediu ao presidente a imediata reintegração de posse. O presidente decidiu na noite de sexta entrar em juízo. 

. Os ativistas tentam censurar as atividades dos jornalistas desde o primeiro dia da invasão do plenário da Câmara. Eles reclamaram das fotos, inclusive de carros dos vereadores que não sejam do PT e do PSOL, todos riscados e violados. Além  disto, censuram os vereadores que estariam passando informações para a imprensa.

Marcos Munhoz, vice da GM, falará quarta na Federasul

O Tá na Mesa vai receber o vice-presidente da GM Brasil, Marcos Munhoz, que falará sobre “Tecnologia, design e performance: novos caminhos da Chevrolet no Brasil e no Mundo”, na quarta-feira (17/07). O evento inicia-se às 12h, no Palácio do Comércio, no Largo Visconde de Cairu, 17, no Centro de Porto Alegre.

IAB do RS tira manifesto confuso e atrasado sobre a reconstrução do Mercado Público de Porto Alegre

O manifesto que vai transcrito a seguir, assinado pelo Instituto dos Arquitetos do Brasil é uma das peças mais inúteis, atrasadas e desinformadas jamais publicadas até hoje pelo IAB do RS. O IAB já viveu fase melhor.

. Por partes:
1 - Os primeiros cinco parágrafos são todos dedicados a fazer um panegírico desnecessário sobre  a importância do Mercado Público, o desinteresse do IAB em apontar responsabilidades pelo incêndio e como são indispensáveis os arquitetos na vida da cidade.
2 - O pior mesmo está nos parágrafos finais do indigitado manifesto, nos quais o IAB coloca questões surpreendentemente improcedentes e descabidas:
a) Ao chamar a cidadania a refletir quanto às atuais priodades de obras e investimentos em obras da cidade ("que só beneficiam as grandes empresas e os megaempreendimentos"), porque talvez elas não ocorram em prol dos verdadeiros interesses da sociedade, o IAB ataca o que não vê e fala sobre o que não sabe.
b) Propondo que sejam paralisadas as atuais obras e os investimentos sejam direcionados para a área social, o IAB demonstra nada compreender sobre a formação e a execução do orçamento da cidade. 

. Ora, como se sabe, as obras em andamento na cidade foram todas  discutidas ad nauseam com a sociedade, tardam em sair e visam melhorar a vida de toda a população de Porto Alegre. Jamais, antes, em qualquer governo, tantas e tão necessárias obras públicas estiveram em andamento na Capital. 

. Os ataques às carências sociais da população podem e devem ser feitos com outro gênero de recursos, porque eles existem. 

MANIFESTO RECONSTRUÇÃO IMEDIATA DO MERCADO PÚBLICO
     O Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB RS) lamenta profundamente o incêndio que consumiu parte do Mercado Público de Porto Alegre. O Mercado representa o patrimônio e a memória de nossa cidade. A reação de consternação que tomou conta de todos diante de uma possível destruição total demonstra a importância deste edifício e de suas atividades para a população.
     Não cabe ao IAB apontar ou buscar responsáveis, mas neste momento histórico é nosso dever reforçar a importância que nossa cidadania dá ao espaço público e ao patrimônio arquitetônico e cultural.
     Os arquitetos são os profissionais habilitados para o estudo, conservação e promoção do patrimônio artístico, histórico, cultural e ambiental em nossas cidades.
     Lembramos o quanto o envolvimento dos arquitetos foi fundamental, a seu tempo, para a não demolição, o tombamento como bem cultural e o processo de restauração e qualificação deste importante marco na paisagem e na identidade porto-alegrense.
     Neste momento, reiteramos nossa disposição diante do poder público e da sociedade gaúcha para colaborar com as administrações e com a comunidade na recuperação do Mercado Público.
     Finalmente, chamamos a toda a cidadania a refletir quanto às atuais prioridades de obras e investimentos. Estão sendo postas em prol dos verdadeiros interesses do conjunto da sociedade?
     Precisamos exigir que os recursos disponíveis sejam alocados em prol do desenvolvimento social, e não em grandes obras de questionável necessidade à cidade, Estado e nação que parecem apenas vir em benefício das grandes empresas e mega empreendimentos.
     Por último, nos cabe lembrar o importante trabalho dos técnicos da Prefeitura de Porto Alegre no projeto de restauração e modernização do Mercado Público realizado em meados dos anos 1990.

Cenários discute melhoria da gestão pública e da economia do RS com Ronald Krummenauer, CEO da Agenda 2020 no RS




Ronald Krummenauer, CEO da Agenda 2020 no RS, é o entrevistado desta semana no programa Cenários, da LST¨V (Leandro & Stormer TV). O editor é o âncora do programa, que conta com a partipação dos analistas financeiros Leandro Rushel e Stormer. A conversa toda trata das alternativas para a melhoria da situação da gestão pública e da economia do RS. 

. Cenários já ouviu André Azevedo, Suzana Kakuta, Vilson Noer, Yeda Crusius, José Fogaça e Eduardo Oltramari. Todos os vídeos estão disponibilizados aí ao lado, sob a telinha de TV. É só clicar em cima, ver e ouvir. Cada programa tem a duração de 60 minutos.

. A LSTV oferece programação deTV pela Internet a partir das 9h e até as 17h, acompanhando exclusivamente, on line, tudo o que ocorre no mercado financeiro brasileiro, com ênfase para as operações de Bolsa. 

Motos Tiger 800 XC chamam para recall

Já está em operação o recall para substituição das hastes dos indicadores (setas) das motocicletas Tiger 800 XC, fabricadas em 2012 e 2013, e Speed Triple, fabricadas em 2013. De acordo com a empresa, a Campanha, com início em 15 de julho de 2013, abrange 199 (cento e noventa e nove) motocicletas, com numeração de chassi compreendida entre os intervalos 534107 a 567413, para motocicletas Tiger 800 XC, e 552417 a 567389, para motocicletas Speed Triple.

- Mais informações podem ser obtidas junto à empresa, por meio do telefone 0800 727 2025, de segunda a sexta-feira, das 9 às 18 horas ou pelo e-mail sac.triumph@europ-assistance.com.br. Detalhes sobre a Campanha de Chamamento também estão disponíveis no site do Ministério da Justiça – www.mj.gov.br/recall

Acordão desta tarde poderá reativar extração predatória de areia no rio Jacuí

Esta tarde, 14hs, no Tribunal Regional Federal da 4 Região ( Justiça Federal) sairá uma audiência de emergência para tratar o futuro da extração de areia no  rio Jacuí, suspensa há dois meses por conta de irregularidades de toda ordem.

.Estarão presentes as três empresas já condenadas por cartel e investigadas na Operação Concutare da Polícia Federal, que denunciou relações permissivas entre todas elas o DNPM e a secretaria estadual do Meio Ambiente. As empresas são Smarja - Sociedade Mineradora, Somar mineradora, Aro Mineradora. Também foram intimados o Ministério Publico Federal, Departamento Nacional de produção Mineral e a Fepam-Fundação Estadual de Proteção Ambiental,.

. Poderá ser um acordo para que o cartel prossiga extraindo areia do rio Jacuí.

- A falta de areia atingiu duramente a indústria da construção civil da Grande Porto Alegre, que se abastecia quase que integralmente do insumo produzido no Jacuí.

CLIQUE AQUI para examinar o video que apanha cenas do rio Jacuí. 

91% dos leitores acham que greve geral foi ilegal, política e chapa branca

91% dos leitores acham que a greve desta quinta-feiras foi ilegal, política e chapa branca, como de fato foi. Aliás, como se esperava, o dia foi mais de feriado do que de greve, o que demonstra a falência desse modelo de sindicalismo chapa branca e pelego que existe no Brasil.

. Eis as respostas da enquete:

Qual a sua percepção sobre a greve desta quinta-feira?
É greve ilegal, política e chapa branca, 91%
Uma legítima paralisação em defesa dos direitos dos trabalhadores, 9%

Queda na atividade econômica de 1,4% em maio é histórica

A atividade econômica apresentou queda de 1,4% em maio, em relação ao mês anterior, de acordo com o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) dessazonalizado (ajustado para o período), divulgado nesta sexta-feira. Foi a maior queda registrada na série histórica, iniciada em 2003, para o período, nesse tipo de comparação.

. A retração veio depois de dois meses seguidos de alta no indicador, de acordo com os dados revisados. Em abril, comparado a março, a expansão do índice revisado ficou em 0,96%.

. Em relação ao mesmo mês do ano passado, houve crescimento de 2,28% (sem ajustes). No ano, o IBC-Br apresentou expansão de 3,01%, e em 12 meses encerrados em maio, de 1,74%.

Delinquentes políticos do MST desocuparam da Fazenda Palermo, São Borja

- No final das tarde desta sexta-feira, os ativistas do MST descouparam
a Fazenda Palermo.

O editor falou esta manhã com o advogado Eduardo Caetano Lemos, que avisou que os oficiais de Justiça acabam de intimar os bandidos do MST para que saiam da Fazenda Palermo, ocupada ontem em São Borja. Os invasores terão que cumprir a citação em 48 horas. O ato de violência inscreveu-se nos atos de protesto patrocinados ontem pelas centrais sindicais.

. A ação de reintegração de posse foi ajuizada ontem e a liminar saiu na mesma hora. 

. Caso o MST não desocupe a fazenda por bem, o juiz do caso já determinou a desocupação pela força. 

Miriam Leitão diz que governo e centrais sindicais provaram que não têm mais o controle das ruas. A greve das centrais sindicais foi apenas um feriado forçado.

* Os ruídos da resposta
Míriam Leitão, O Globo

A ideia inicial do governo era, no Dia Nacional de Lutas, mostrar que ainda tem controle sobre as ruas, através das centrais sindicais que, direta ou indiretamente, estão ligadas a ele. Mas o balanço é melancólico. Houve confusão, mas não adesão popular. Não foi uma demonstração de força do trabalhismo oficial, e vários lemas foram até hostis ao governo. O governo pensou que estrelas seriam lustradas, bandeiras, sacudidas, e o PT e os partidos da coalizão governamental exibiriam controle majoritário no movimento social organizado. Mas foi uma manifestação bem mais vazia do que imaginaram, e os interesses defendidos foram diversificados.

(...)

As próprias centrais sindicais, mesmo todas juntas, como CUT, CGT, Força Sindical, entre outras menos votadas e representativas, mostraram que não conseguiram fazer sombra à força da participação espontânea, quando ela irrompeu em junho.

O movimento, quando aconteceu, deixou as centrais confusas. Achavam que tinham o monopólio de levar manifestantes para as ruas e foram surpreendidas. O movimento de ontem foi convocado para mostrar que elas ainda sabem como encher avenidas com seus seguidores. O que mais impressionou no Dia Nacional de Lutas foi o uso abusivo do que é cada vez mais comum nos últimos tempos: bloqueio de rodovia como ato de protesto. Isso, seja qual for o motivo da reivindicação, cria uma série de problemas para o país, limita o direito de ir e vir, afeta o escoamento do abastecimento de produtos, que é majoritariamente rodoviário. E, como se viu ontem, virou a forma mais comum de protesto.

(...)

O Dia Nacional de Lutas acabou sendo um mosaico de reivindicações — algumas justas, outras inviáveis, algumas corporativas, outras ideológicas — mas não foi demonstração de força do governo sobre o movimento social organizado. Não foi sequer demonstração de força das centrais sindicais sobre os trabalhadores.

Houve adesão, o dia esteve longe de ser normal, trabalhadores foram para as ruas, muitas categorias se manifestaram, mas a mobilização esteve abaixo do que os próprios sindicatos tinham imaginado. Enquanto isso, o governo continua enrolado na sua incapacidade de dar uma resposta à insatisfação que espontaneamente apareceu nas ruas de junho.

CLIQUE AQUI para ler a íntegra.

Banco Central continua apurando expansão raquítica do PIB

Nesta sexta-feira, o Banco Central informou ao mercado que  o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado um sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), caiu 1,4% em maio ante abril. Na comparação a maio do ano passado, a prévia do PIB indicou crescimento menos significativo - expansão de 2,61% - do que havia registrado no mês anterior (4,85%). Esta é a comparação que mais conta. O resultado no mês ficou pior do que as expectativas do mercado, mas o indicador apresenta reação no acumulado em 12 meses, com alta de 1,89% em maio ante 1,66% em abril e 1,2% em março na mesma base de comparação.

. Em 2013, o IBC-Br somou crescimento de 3,17%, ante expansão de 3,43% observada no primeiro quadrimestre, o que indica certa desaceleração do ritmo do desempenho econômico.
Analistas consultados pela agência Reuters esperavam queda mensal de 0,9% em maio, de acordo com a mediana de 17 projeções. As estimativas variaram de quedas de 1,6 a 0,3%. Para este ano, o mercado financeiro voltou a reduzir a previsão para crescimento da economia brasileira em 2013 e em 2014. Economistas ouvidos pelo Banco Central (BC) para o último relatório semanal Focus estimam alta de 2,34% para o PIB (2013) ante expectativa anterior de 2,4%.

- Esta semana, o Fundo Monetário Internacional (FMI) rebaixou novamente a projeção de crescimento da economia brasileira em 2013 e 2014, conforme relatório divulgado pelo órgão nesta terça-feira. A instituição agora prevê que o PIB brasileiro cresça 2,5% neste ano, ante expectativa de alta de 3% no último relatório, de abril. Para 2014, a revisão para baixo foi ainda maior: de 4% para 3,2%. O governo brasileiro rejeitou o diagnóstico. 

Cenários discute melhoria da gestão pública e da economia do RS

Ronald Krummenauer, CEO da Agenda 2020 no RS, é o entrevistado desta semana no programa Cenários, da LST¨V (Leandro & Stormer TV). O editor é o âncora do programa, que conta com a partipação dos analistas financeiros Leandro Rushel e Stormer. A conversa toda trata das alternativas para a melhoria da situação da gestão pública e da economia do RS. 

. Cenários já ouviu André Azevedo, Suzana Kakuta, Vilson Noer, Yeda Crusius, José Fogaça e Eduardo Oltramari. Todos os vídeos estão disponibilizados aí ao lado, sob a telinha de TV. É só clicar em cima, ver e ouvir. Cada programa tem a duração de 60 minutos.

. A LSTV oferece programação deTV pela Internet a partir das 9h e até as 17h, acompanhando exclusivamente, on line, tudo o que ocorre no mercado financeiro brasileiro, com ênfase para as operações de Bolsa. 

PSB reúne-se neste sábado para definir rumos para a sucessão de 2014 no RS

Foi agendado para este sábado o encontro do diretório estadual do PSB. Entrará na pauta o caso da sucessão estadual do ano que vem.

. O PSB não ficará ao lado do PT no RS, caso se confirme a candidatura do seu líder Eduardo Campos. As alternativas do Partido seriam o PMDB (José Ivo Sartori) e o PP (Ana Amélia Lemos).

Alceu Moreira já é o coordenador da bancada gaúcha no Congresso

O deputado Alceu Moreira, PMDB, já  assumiu a coordenação da bancada gaúcha no Congresso Nacional. 

Artigo, Cesar Maia - A democracia das redes sociais impõe-se sobre a fossilizada democracia dos Sindicatos, ONGs e Partidos

Ninguém consegue gerenciar politicamente e de modo permanente as redes sociais - ainda. 



No artigo a seguir, o ex-prefeito do Rio, Cesar Maia, escreve nesta sexta-feira que um acompanhamento cuidadoso das mobilizações ocorridas nos países árabes e na Europa, que vêm sendo acunhadas  de "os indignados", mostra a completa ausência indutora de sindicatos, associações locais ou profissionais ou partidos políticos. Essas mobilizações têm como vetores indutores as redes sociais, as mídias sociais. O que vem ocorrendo nas últimas semanas no Brasil, cujo ápice foi a fracassada greve geral desta quinta-feira, demonstra que o fenômeno repete-se aqui. Leia mais:
           
A chamada 'sociedade civil organizada' perdeu sua capacidade de mobilização e liderança, vis a vis as redes sociais. Isso vale também para os partidos políticos, que se fossilizam exclusivamente na atividade parlamentar e falam para eles mesmos e para os meios de comunicação. Neste aspecto, essa é a primeira mudança profunda desde a revolução francesa, ou seja, desde mais de 200 anos. Portanto, essa mudança não deve ser tratada apenas como um fato interessante para a curiosidade dos analistas. Deve ser tratada como um fato histórico que muda as relações dentro da sociedade civil, dentro da sociedade política e entre ambas. As redes sociais superam a disjuntiva entre democracia representativa, via eleições parlamentares, e democracia direta, via sociedade civil organizada. Uma democracia direta eletrônica com a característica básica de ser horizontal e não ter coordenações, lideranças e organizações estáveis. Não se consegue impor um clichê, ou um nome para um segmento em ebulição nas redes sociais.  Não se pode chamar de associação, sindicato ou partido, esta ou aquela rede. Não tem forma nem sede.E as associações civis e políticas que imaginarem poder usar as redes sociais como instrumentos seus, vão perder tempo. Elas têm, de certa maneira, de se dissolver nas redes, resgatando sua integridade pela unidade de suas ideias, sem a pretensão de reproduzir nas redes sociais a forma de fazer política social ou partidária à qual estão acostumados. Esse é um processo que já começou e que vai desenvolver no tempo, os seus caminhos, os seus métodos. Os que pensam ser um modismo serão atropelados. Os que tiverem humildade e estudarem a sua lógica vão se antecipar aos demais nessa transição de organizações verticais rígidas para redes horizontais plásticas e automobilizáveis. E de tal agilidade e rapidez, que quando se estiver fazendo um estudo de caso, outros estarão surgindo. Nenhum permanente na forma e todos permanentes no método.

Análise - O esterco aplicado diante do prédio da RBS ficaria bem melhor em outro ponto mais reluzente de Porto Alegre

Violência inaceitável aí ao lado, corresponde à escalada de tropelias autoritárias dos grupos agressivos minoritários da sociedade gaúcha, que usam a liberdade para acabar com a liberdade. Este tipo de ataque, visa censurar a imprensa e impedir o trabalho livre dos jornalistas. Noutro ponto do País, em Brasília, ontem, bandidos do MST invadiram o prédio do Incra, ocuparam tudo, e fecharam as portas para a imprensa, aos gritos jurássicos de notórios candidatos a ditadores: "A mídia não entra". É que eles não querem que o povo saiba o que dizem e o que fazem. 

O jornal Zero Hora desta sexta-feira conseguiu manter a elegância depois do agravo criminoso que fizeram nesta quinta-feira 40 ativistas do grupo que se auto-intitula levante Popular da Juventude.

. Eles derramaram esterco diante da sede da RBS na avenida Ipiranga.

. O jornal desta sexta-feira fez apenas o registro em nota interna de duas colunas, com direito a foto, mas sem comentário.

. O agravo continuou com outros atos de vandalismo, como pichações e afixação de cartazes nos vidros do prédio, um dos quais defende a realização do plebiscito, o que revela a ligação do grupo com o PT e os governos Dilma e Tarso Genro (Tarso, em Porto Alegre, voltou, ontem, a defender o plebiscito). Esta ligação foi reforçada poucos minutos depois do início da manifestação, quando ao grupo somaram-se CUT e MST, dois notórios aparelhos do PT e do governo.

- A escalada de violências físicas e verbais que ocorrem em Porto Alegre contra a RBS por parte de minorias agressivas e comprometidas com o autoritarismo, visa impor pela força tudo aquilo que os sindicatos, entidades ongueiras e partidos como o PT e seus satélites, não conseguem implementar democraticamente, seja através dos debates públicos, de eleições ou mesmo nos parlamentos, um dos quais, a Câmara de Porto Alegre, também criminosamente está ocupada neste momento (fechada, como fechado foi o Congresso do Brasil pela ditadura militar). A RBS é apenas o símbolo do ataque maior contra a liberdade de imprensa e de expressão, que no RS tem como líder do movimento o próprio governador Tarso Genro, cuja proposta de implantação do Conselho Estadual de Comunicação é tão pérfida quanto os dois projetos nos quais enfiou a presidente Dilma Roussef (constituinte exclusiva e plebiscito). O esterco distribuído na entrada do jornal Zero Hora, cairia bem melhor em outro ponto da cidade. 

Com juros básicos mais altos, poupança volta a ser atraente

Os analistas financeiros de Leandro & Stormer, Porto Alegre, com os quais o editor conversou ontem a noite, consideram que o novo aumento da taxa básica de juros muda o cenário para quem investe e aplica no mercado financeiro.

. A taxa Selic aumentou pela terceira vez seguida e foi para 8,5% ao ano, mas o mercado estima que três novas altas ainda poderão ocorrer este ano.

. O governo tenta conter a inflação de qualquer modo (leia artigo a seguir), que já superou (6,7%)  o limite superior da meta traçada (6,5%). Isto se dá não apenas pelo aumento dos juros básicos, mas também pelo controle dos gastos e elevação consequente do superávit primário do setor público, que deverá emplacar 2,3% este ano.

- Com a taxa de 8,5% na poupança, a caderneta de poupança se revela uma boa alternativa neste momento. Os novos depósitos rendem 70% da Selic mais TR (Taxa Referencial).

Artigo, Eduardo de Carvalho Andrade - Oportunidade desperdiçada (o descontrole da inflação)

Neste artigo publicado na Folha desta quinta e que vai a seguir na íntegra, o doutor em economia pela Universidade de Chicago, Eduardo de Carvalho Andrade, propõe mudanças na definição da meta de inflação para o ano que vem, fixada em 4,5%. Leia o que ele escreve:

O governo decidiu manter para 2015 a meta de inflação de 4,5% com um intervalo de 2 pp (pontos percentuais) para cima ou para baixo, que vigora desde 2006. Mas ele poderia ter aproveitado essa oportunidade para realizar ajustes graduais de forma a recuperar sua credibilidade e ancorar as expectativas futuras de inflação.O governo luta para evitar que a inflação ultrapasse o limite superior de 6,5% do regime de meta de inflação. A oposição utiliza o surto inflacionário para enfraquecer politicamente a presidenta. O fato é que a credibilidade do governo para enfrentar a subida dos preços está abalada e ele deveria implementar mudanças no atual regime de metas para tentar recuperá-la. A primeira mudança seria reduzir o intervalo da meta de inflação, de 2 pp para 1 pp. Dessa forma, mantido o centro da meta de 4,5%, a inflação em 2015 deveria ficar entre 3,5% e 5,5%. CLIQUE AQUI para ler tudo. 

. O governo tenta desesperadamente conter a inflação abaixo do limite superior de 6,5% que traçou para a meta da inflação deste ano, mas o índice já superou o índice.

. O aumento da taxa de juros pela terceira vez seguida (a Selic foi para 8,5%), mesmo com a economia patinando, é uma clara evidência de que o governo tenta reduzir ainda mais o ritmo de crescimento da economia, encarecendo o custo do dinheiro e com isto forçando a diminuição do consumo - e dos preços. 

Copa das Confederações movimentou 230 mil turistas brasileiros

As estimativas iniciais do Ministério do Turismo sobre a circulação de turistas nacionais na Copa das Confederações mostram que pelo menos 230 mil brasileiros viajaram para assistir aos jogos nas seis cidades-sede do torneio.

. O resultado considerou o número de ingressos vendidos pela Fifa e resultados preliminares de uma pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) sobre o perfil dos turistas nos jogos da Copa das Confederações.

. Do total de turistas no evento, 85,3% informaram que estavam na cidade-sede motivado pela Copa das Confederações e 62,7% permaneceram em média por três dias na cidade. Cerca de 20 mil turistas estrangeiros visitaram o país durante a Copa das Confederações, o que significa 3% do público local. O resultado está dentro da expectativa inicial

. O impacto do evento para o setor turismo é estimado em R$ 322 milhões diretamente na cadeia do turismo, R$ 348 milhões indiretamente e R$ 70 milhões em desembolso das equipes relacionadas ao evento da Fifa, conforme cálculo por gasto médio de turistas feito pela Embratur, órgão ligado ao MTur.

Manifestantes' ganham até R$ 70 para ir a ato sindical em São Paulo

CLIQUE AQUI para ouvir a CBN. A repórter
conta de que modo o dinheiro saiu para os manifestantes terceirizados.
O lumpesinato nunca esteve tão ativo no Brasil.


Numa rua atrás do Masp, um grupo de 80 pessoas com camisetas da UGT (União Geral dos Trabalhadores) espera em fila a vez de preencher um papel. Trata-se do recibo de que ganharão R$ 70 por terem participado, vestidos como militantes, do ato de ontem na avenida Paulista, em São Paulo. O jornal Folha de São Paulo presenciou a entrega do recibo, que se deu por volta das 15h, quando a manifestação acabou. Mulheres de 30 e 40 anos e rapazes com aparência de pós-adolescentes entregavam uma pulseira numerada que usaram na manifestação a um homem de agasalho, que perguntava o nome da pessoa, preenchia o recibo e o entregava aos presentes.

. No documento, consta que o pagamento é uma ajuda de custo para alimentação e transporte. Na parte de cima do papel, há impressa a data e o nome da manifestação: "11 de julho - Dia de Luta". Na fila, as pessoas confirmaram que não tinham relação com sindicatos filiados à UGT e que foram ao ato apenas para receber os R$ 70. Com medo de represálias, não quiseram dar o nome.

TRT pede explicações à EPTC por falta de ônibus em Porto Alegre

O Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região deve oficiar a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) ainda nesta quinta-feira para que explique como fiscalizou o cumprimento da medida cautelar que exigia o funcionamento de metade da frota do transporte público em horários de pico, nesta quinta-feira, e de 30%, nos outros horários, em Porto Alegre.

. O TRT alertou que, em caso de aplicação de multa, ela ainda deve ser avaliada pela Sessão de Dissídios Coletivos do Tribunal.

. Desde a madrugada e em função da greve geral convocada por centrais sindicais de todo o Brasil, nenhum coletivo saiu das garagens. Nas ruas, 250 agentes da EPTC orientaram os motoristas. Já os táxis estão funcionando normalmente. Ontem, o Sindicato dos Táxistas (Sintáxi) alertou para a possível falta de veículos em função da demanda.