Temer discorda de aumento de impostos, diz presidente da Fiesp

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, afirmou neste domingo que o vice-presidente Michel Temer concorda com ele na visão de que não é preciso aumentar impostos, seja a CPMF ou qualquer outro, para fechar as contas públicas.

Skaf se reuniu com vice no Palácio do Jaburu por quase seis horas e meia e saiu afirmando que "em hipótese alguma" apoiará em um eventual governo Temer o aumento da carga tributária. "Acreditamos e sabemos que é possível acertar as contas do governo pelo lado das despesas, reduzindo o desperdício e melhorando a gestão", afirmou.


Skaf disse ter apresentado ao vice a situação grave pela qual passa a economia brasileira, com o fechamento das indústrias e do comércio e o aumento do desemprego. Para ele, o aumento da arrecadação se dará "naturalmente" com a retomada do crescimento. "Não é possível sacrificar as empresas e as famílias neste momento", destacou.

Opinião, Cristian Figueiredo - Grêmio está tão medíocre que nem final de Gauchão disputa mais

Cristian Figueiredo analisa. 


O torcedor gremista que tiver entre 1 a 6 anos de idade, mais uma vez não irá comemorar um título de campeonato, nem mesmo o "charmoso" Gauchão. O tricolor foi desclassificado pelo time do Juventude de Caxias do Sul, que disputa a 3º Divisão do Campeonato Brasileiro de Futebol, nas semifinais, dentro da Arena Gremio.

Dentre os chamados 12 grandes times do futebol brasileiro, o Grêmio é a equipe há mais tempo sem títulos. A última conquista ocorreu há 6 anos, no Gauchão de 2010 (foto).

A festa dentro da Arena Grêmio, mais uma vez foi para o time visitante, no caso a torcida da "papada", como são chamados os torcedores do Juventude. A equipe caxiense venceu o primeiro jogo em casa por 2x0 e perdeu hoje, na Arena, por 3x1. Como fez um gol fora de casa, o Juventude classificou-se e disputa a final do Gauchão contra o Internacional.

Ao Grêmio resta a Libertadores da América, onde disputa a próxima fase contra os argentinos do Rosário Central. A equipe tricolor está muito desgastada física e mentalmente. Conta com jogadores muito medíocres como Marcelo Oliveira, Bressan e Fred, e não tem peças de reposição para a zaga. O meio-campo e o ataque são o que mantêm a equipe entre os grandes, mas não podem fazer mágica. Os maiores culpados para mais essa desclassificação gremista foram o técnico Roger que usou meio time reserva no primeiro jogo em Caxias, e o goleiro Marcelo Grohe, que falhou nos dois gols do Juventude no mesmo jogo.

A torcida gremista já está tão acostumada em não ganhar títulos que aplaudiu a saida do time, hoje, em mais uma desclassificação. O Grêmio jogou como nunca e perdeu como sempre!!!

Fernando Schuller denuncia Tarso Genro por "perseguição macarthista" contra FHC

O filósofo, curador do programa Fronteiras do Pensamento e professor do Insper, Fernando Schuller, que é gaúcho e foi secretário da Justiça, denunciou hoje o ex-governador Tarso Genro e um grupo de professores de universidades do Brasil, pela prática de macarthismo contra o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

A denúncia de Fernando Schuller ocupa duas páginas da revista Época.

O grupo do qual faz parte Tarso Genro enviou uma carta ao professor Gilbert Joseph, pedindo-lhe que reconsiderem o convite para que FHC fale dentro da programação do Congresso da Latin American Studies, Lasa, agendado para o final de maio em Nova Iorque. A acusação: FHC não teria hesitado em pôr em perigo a "paz doméstica brasileira", bem como nossos "mais básicos mecanismos democráticos, como a Constituição".

Rapidamente, 500 intelectuais brasileiros enviaram outra carta, esta de apoio a FHC. Entre os signatários estão homens como Boris Fausto, Roberto Da Matta e Luiz Carlos Bresser Pereira.

A Lasa repeliu a perseguição macarthista e confirmou o convite.

O dono da Engevix conta quanto pagou para conseguir um encontro com Carlos Araújo

Ele contou que pagou R$ 239 mil para Nilton Belsarena.

A revista Época deste final de semana voltou a revelar trechos da delação premiada que o empreiteiro José Antunes Sobrinho, um dos donos da Engevix, quer acertar com os procuradores do MPF do Paraná e da PGR de Brasília, contando novos detalhes dos contatos que fez com o ex-marido de Dilma Roussef, o advogado Carlos Araújo.

Por duas vezes ele foi pedir ajuda em nome da Engevix.

Em sua proposta de delação, cujo texto foi obtido com exclusividade pela revista, há um anexo inteiro sobre Carlos Araújo.

José Antunes Sobrinho confirmou que Paulo Roberto Zuch e Nilton Belsarena, este amigo de longa data do casal Roussef e Araújho, intermediaram os encontros entre Antunes e Araújo. Antunes pagou R$ 239 mil a Nilton, por meio de Zuch e um mês depois recebeu o dinheiro de volta.

O empreiteiro disse aos procuradores que Carlos Araújo prontificou-se a ajudar nas duas vezes em que foi procurado, mas jamais cobrou valores diretamente e que nem sabe se Nilton apenas usava o nome do ex-marido de Dilma. Ele também avisou que não sabe se Araújo agiu ou não, mas informou que a partir dos contatos os prazos das obras foram cumpridos e as tensões diminuíram.

O que disse José Antunes sobre Carlos Araújo:

- Desejava manter uma relação com Carlos Araújo, pois este era ex-marido da presidente e também notadamente exercia influência e aconselhava a presidente e poderia ogbte3r algum benefício para as empresas do grupo. 

Fiesp levou a Temer proposta de ajuste fiscal sem aumento de impostos

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, chegou na manhã deste domingo ao Palácio do Jaburu para um encontro com o vice-presidente da República, Michel Temer.

Acompanhado de outros diretores da Fiesp, Skaf levou ao vice uma proposta de ajuste fiscal na economia sem necessidade de aumento de tributos.

CLIQUE AQUI para ler, também, 
"Temer será de fato Ponte para o Futuro", Samuel Pessôa.

Bolsonaro adverte golpistas que protestaram diante da sua casa: "Quem entrar aqui, não sai vivo". Ninguém entrou.

Ameaça foi publicado pelo deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) em seu Facebook, após ele ser alvo na manhã deste domingo de uma manifestação de três dezenas de renegados sociais comprometidos com a organização criminosa lulopetista.

O protesto ocorreu diante da casa do deputado, que nas últimas pesquisas de intenções de votos ocupa o quarto lugar entre os candidatos mais votados para presidente.

Na votação do impeachment, Bolsonaro foi ofendido e levou uma cusparada do deputado hermafrodita Jean Willys, que vai responder pelo que fez ao Conselho de Ética. 

Dilma, o coice da mula

No artigo que Bernardo Mello Franco assina na Folha de hoje, intitulado "Dilma não ouviu Collor, há o relato que o colunista registrou numa conversa que teve na Câmara com os deputados Heráclito Fortes, PSB, e Maria do Rosário, na véspera do impeachment.

O que ambos dizem, dá boa pista sobre a avalanche de votos despejados sobre Dilma. Lei o que escreve Mello Franco:

“O erro da Dilma foi tratar todo mundo no coice, como fez o Collor. Na hora da dificuldade, ela pegou a bicicleta e saiu pedalando sozinha, em vez de se cercar de aliados”, me disse o deputado Heráclito Fortes, do PSB.

A ex-ministra Maria do Rosário, do PT, ouviu o rival sem discordar. “O Congresso no estava acostumado a uma figura to austera na Presidência. Essas coisas no deviam ter importância, mas vão acabar contando muito”, ela previu. Era a véspera da votação do impeachment.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Saiba por que Lula confudiu-se com Dilma, segundo Pedro Simon: "Ela era meio ríspida e o Lula confundiu isso com capacidade"

Pedro Simon, neste domingo, na Folha de S. Paulo, explicando por que Lula enganou-se sobre Dilma Roussef:

- Dilma foi secretária na prefeitura de Porto Alegre, foi secretária no governo do Estado. Foi para o PT e chamou a atenção do Lula. Ela era meio ríspida e o Lula confundiu isso com capacidade.

Uma presidente fora de si

Istoé diz que Dilma é uma espécie de Maria Louca do Brasil.


Na nota a seguir, o site da ONG "Contas Abertas" revela que a revista Istoé tinha razão quando há duas semanas publicou a reportagem de capa a seguir.

Leia tudo:

Bastidores do Planalto nos últimos dias mostram que a iminência do afastamento fez com que Dilma perdesse o equilíbrio e as condições emocionais para conduzir o país

Sérgio Pardellas e Débora Bergamasco


Os últimos dias no Planalto têm sido marcados por momentos de extrema tensão e absoluta desordem com uma presidente da República dominada por sucessivas explosões nervosas, quando, além de destempero, exibe total desconexão com a realidade do País. Não bastassem as crises moral, política e econômica, Dilma Rousseff perdeu também as condições emocionais para conduzir o governo. Assessores palacianos, mesmo os já acostumados com a descompostura presidencial, andam aturdidos com o seu comportamento às vésperas da votação do impeachment pelo Congresso. Segundo relatos, a mandatária está irascível, fora de si e mais agressiva do que nunca. Lembra o Lula dos grampos em seus impropérios. Na última semana, a presidente mandou eliminar jornais e revistas do seu gabinete. Agora, contenta-se com o clipping resumido por um de seus subordinados. Mesmo assim, dispara palavrões aos borbotões a cada nova e frequente má notícia recebida. Por isso, os mais próximos da presidente têm evitado tecer comentários sobre a evolução do processo de impeachment. Nem com Lula as conversas têm sido amenas. Num de seus acessos recentes, Dilma reclamou dos que classificou de “traidores” e prometeu “vingança”. Numa conversa com um assessor, na semana passada, a presidente investiu pesado contra o juiz Sérgio Moro, da Lava Jato. “Quem esse menino pensa que é?

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Palácio de Dilma compra medicamentos para depressão, sedação e insônia

CLIQUE AQUI para ler todas as revelações de "Contas Abertas".

Na foto ao lado, Dilma esbraveja na ala externa do Palácio do Alvorada, num dos momentos de transtorno. 


No início de abril, a revista Istoé chegou a publicar que os dias no Planalto estavam sendo marcados por momentos de extrema tensão e absoluta desordem com uma presidente da República dominada por sucessivas explosões nervosas, “quando, além de destempero, exibe total desconexão com a realidade do País”.

O site da ONG "Contas Abertas" revela no seu site, hoje, que no último dia 18 a Secretaria de Administração da Presidência da República reservou R$ 3,6 mil para compra de diversos tipos de remédios. Os medicamentos tratam taquicardia, depressão, insônia, amidalite,  entre outras enfermidades. 

A compra abrange 50 ampolas de adenosina (taquicardia), 1.200 ampolas de água destilada, 280 comprimidos de amoxicilina (antibiótico para bactérias), 10 frascos de lidocaína (anestésico), 100 ampolas de midazolam (sedação e insônia) e 120 comprimidos de quetiapina (anti-psicótico). 

Para que servem:

Adenosina é um remédio antiarrítmico cardíaco utilizado para tratar taquicardia. 
Quetiapina é um medicamento anti-psicótico. Ele é usado para tratar o transtorno bipolar (psico maníaco depressiva). A quetiapina também é usada em conjunto com medicamentos antidepressivos para tratar transtorno depressivo maior em adultos. 
Maleato de midazolam é um medicamento de uso adulto indicado para tratamento de curta duração de insonia. 

PRF tira nota de apoio aos brigadianos que viraram novos heróis gaúchos na sexta-feira

A nota ao lado é da Polícia Rodoviária Federal. Trata-se de apoio explícito aos quatro brigadianos que na sexta-feira à tardinha foram atacados na rua, reagiram e mataram todos os quatro bandidos que os ameaçaram com armas de grosso calibre.

O modo como o Jornal do Almoço, RBS, tratou o caso neste sábado, causou indignação dentro e fora da Brigada Militar.

Nas redes sociais, as críticas atingiram a apresentadora Cristina Ranzolin, que durante a tarde foi obrigada a explicar-se em seu Facebook.

As falas de Ranzolin mantiveram-se dentro de padrões aceitáveis, segundo constatou o editor, mas a repórter de rua ousou questionar o comportamento dos brigadianos durante a ação, já que um dos bandidos foi alvejado várias vezes depois que saiu correndo do carro, parecendo querer fugir a pé ou se entregar.]

O fato é que toda a ação durou 25 segundos, durante os quais os bandidos e os brigadianos trocaram dezenas de tiros à luz do dia e diante de dezenas de pessoas e enfermos do Hospital Cristo Redentor, palco da tragédia.

14h09min, chove muito e sopram ventos fortes em Porto Alegre

14h09min

Chove forte e sopram ventos velozes nesta tarde de nuvens baixas e temperatura amena (26 graus) em Porto Alegre.

Estes gaúchos poderão integrar o ministério de Michel Temer

Eliseu Padilha (foto) é o único nome gaúcho listado como certeza no ministério de Michel Temer. Dependendo do que dirá o PP, poderá sair também outro gaúcho, a senadora Ana Amélia, para o ministério da Agricultura.

Padilha poderá ir para a Casa Civil ou para a secretaria de Relações Institucionais.embora ele preferisse algo como um superministério de Infraestrutura e Logística.

O filósofo Dênis Rosenfield irá com o vice para o Planalto, mas para algo mais parecido com uma  função especial de assessoria.

Caso o novo presidente decida emplacar outro gaúcho do PMDB e não opte por José Serra para a Saúde, estão bem cotados para a posição os médicos e deputados Darcisio Perondi e Osmar Terra.

Orçamento deve ser o primeiro alvo de Temer para recuperar a economia

Em encontros com economistas, o vice-presidente Michel Temer tem confirmado o diagnóstico de que o Brasil está vivendo além de suas possibilidades financeiras. Presente no documento Uma Ponte para o Futuro, uma espécie de carta de intenções de Temer para o caso de assumir a presidência, essa conclusão deve fazer com que sua primeira prioridade seja uma reforma profunda no orçamento federal.

A esperança de quem acompanha a evolução das contas do país é que Temer se inspire na iniciativa privada e proponha ações que tornem o orçamento mais flexível e sustentável, com espaço para revisões periódicas de programas, desvinculações e redução de gastos obrigatórios.

O que Dilma ofereceu para Renan?

Políticos do PMDB, inclusive aqueles mais leais ao presidente do Senado, não conseguem entender o apego de Renan Calheiros a Dilma Rousseff. Esses amigos têm advertido, de maneira crua, que a presidente “já morreu” politicamente, e que a saída dela é inevitável.


Mas Renan, segundo o jornalista Claudio Humberto, parece apostar em uma sorte lotérica: afinal, caso consiga “salvar Dilma”, como tem dito a amigos, será dele o bilhete premiado.

Ministério Público quer ajuda de delator para investigar Lula

O Ministério Público Federal em Brasília quer usar um possível acordo de delação premiada de executivos da Odebrecht para avançar nas investigações sobre suposto tráfico de influência praticado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em favor da empreiteira.

A intenção da Procuradoria da República no Distrito Federal é que os empresários detalhem eventuais irregularidades cometidas pelo petista ao fazer gestões para que a construtora obtivesse obras em outros países e crédito no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O MPF em Brasília abriu inquérito no ano passado para apurar a atuação de Lula como "lobista" internacional da Odebrecht. O caso está a cargo de um grupo de procuradores do Núcleo de Combate à Corrupção no DF. Um dos focos da investigação são as viagens do ex-presidente para América Latina e África, bancadas pela empreiteira, a título de falar em eventos. Após as visitas do petista, a construtora teria obtido financiamento do BNDES para obras nesses países. A suspeita dos investigadores é de que ele obteve "vantagens" em troca, na forma de doações ao Instituto Lula e contratos para palestras.

Anatel proíbe limitação de acesso a internet fixa de banda larga

A Anatel mudou de ideia e agora proibiu as operadoras de limitar o acesso à internet fixa de banda larga. Clientes e órgãos de defesa do consumidor comemoraram a decisão.

Durante cinco dias, usuários de internet temeram ter menos: além do limite de velocidade, um limite de dados para baixar conteúdo na rede. E a pressão para que isso não acontecesse, por enquanto, deu certo.

A Anatel voltou atrás e determinou que as prestadoras estão proibidas de reduzir a velocidade, suspender o serviço ou cobrar mais de quem estourou o plano ou pacote da internet fixa. Mesmo que isso esteja previsto em contrato, não está valendo.

É o que diz o anúncio publicado na página da Anatel e o que defendiam os órgãos de defesa do consumidor.

“Mesmo que esteja no contrato que a franquia existe, as empresas não podem implementar nenhuma medida para fazer valer a franquia de dados, punindo o seu consumidor. Isso é uma vitória para o consumidor porque agora nós vamos contestar a própria ideia da franquia de dados”, explica Rafael Zanata pesquisador em telecomunicações do Idec.

A determinação da Anatel vale por tempo indeterminado, até que o mérito da questão seja analisado. E isso não tem prazo para acontecer. Quem conhece bem os desafios do setor espera que a conversa seja ampla e transparente.

Depois do impeachment, PT perdeu um de cada cinco prefeitos que elegeu em 2012

O PT perdeu um de cada cinco prefeitos que elegeu em 2012, tudo depois do início do atual processo de impeachment contra Dilma.

O levantamento está publicado na edição de hoje da Folha.

Dos 638 prefeitos que o PT elegeu, perdeu 135 até o dia 15 de abril.

E o viés é de piora.

Jornalista lulopetista reclama de Temer: "Ele não é um cavalheiro gentil"

Alex Solnik gostaria que Temer desse rosas para Dilma, como fazia Carlitos com suas damas lápidas. 

Inconformado com a falta de "cavalheirismo gentil" de Michel Temer, o jornalista Alex Solnik protestou pela decisão de Temer de não continuar sendo humilhado, caluniado e maltratado por Dilma:

- Na hora em que a cabeça de chapa que o elegeu começou a correr perigo ele, em vez de ajudá-la, como cabe a cavalheiros gentis fez o oposto: ajudou a derrubá-la.

Como se percebe, Temer não é um "cavalheiro gentil", embora casado com uma "mulher jovem, bela, recatada e do lar".

Temer anunciará ministério no mesmo dia da saída de Dilma

O colunista de O Globo, Ilimar Franco, informou nesta sexta-feira que Temer anunciará todos os ministros no mesmo dia do afastamento de Dilma, o que poderá acontecer dentro de 15 dias.

Em Porto Alegre, seu correligionário, o ex-senador Pedro Simon, não gosta do modo como as conversações de Temer parecem tão públicas:

- Pobre do Temer. Isto não está certo. Tinha que ter mais recato. Afinal, Dilma ainda é presidente.

Opinião do editor - Michel Temer não tem tempo para ser recatado

O ex-senador Pedro Simon verbaliza a opinião de muitos brasileiros, que torcem o nariz diante da intensa movimentação do vice-presidente Michel Temer para formar o seu ministério. "Ele devia ser mais recatado", avisou o ex-senador. Simon sempre agiu com recato, elegância e discrição, quando esteve dentro e fora do governo, comportamento que faz parte da liturgia que seguem homens públicos sensatos em situações ordinárias. O problema de Michel Temer é exatamente esta "situação ordinária", porque Simon não parece ou não quer compreender que há uma "situação extraordinária", muito parecida com aquela que o próprio ex-senador experimentou quando Sarney foi repentinamente obrigado a assumir a presidência, escolhendo o próprio Simon para seu ministro da Agricultura, quando na verdade nem era este seu nome preferido, fazendo isto apenas porque ele foi incluído na "Lista do Tancredo", o presidente que morreu sem ter sido presidente. Foi uma "situação extraordinária". Dentro de 15 dias, Dilma será inapelavelmente apeada do governo, de modo que a ação de Michel Temer nada tem a ver com discrição ou falta de discrição, porque é tudo muito urgente e extraordinário, já que um novo governo terá que ser instalado dentro de meio mês para que o País não pare de vez. Ou alguém supõe que o novo presidente assuma dentro de 15 dias com um ministério, o atual, que fracassou vergonhosamente, detesta-o  e trabalha abertamente contra ele ? O que está em jogo são os interesses nacionais - e estes têm pressa, sim, muita pressa. Michel Temer não tem tempo para ser recatado.

Serra adverte o PSDB: "Seria bizarro não participarmos do governo Temer"

José Serra escreve no seu Facebook.


O senador José Serra, que vem sendo cogitado para a equipe ministerial de Temer, inclusive para ocupar o ministério da Fazenda, reagiu ontem a declarações de líderes tucanos como Alckmin e Aécio, que não querem ver ninguém do Partido no próximo governo.

Disse Serra, com bom senso:

- Ajudamos o povo brasileiro a remover este governo incompetente e corrupto. Assim, seria bizarro o PSDB não completar o que começou. Eu concordo com o senador Aloysio Nunes Ferreira: se o futuro presidente Michel Temer aceitar os pontos programáticos do PSDB, o partido deve apoiar o governo. E se apoiar o governo e for convidado, deve participar do governo.

Comandante da BM avisa: "Se alguém tiver que morrer que sejam os criminosos"

Eis o que pensa o coronel Alfeu Freitas, comandante da Brigada Militar, fazendo coro com o que pensa a imensa maioria dos gaúchos:

- Queremos nossos heróis vivos, mas se alguém tiver que morrer que sejam os criminosos.

O coronel fez a declaração ao final de entrevista que concedeu ontem a jornalistas, tudo por conta do tiroteio em que quatro bandidos foram mortos por brigadianos no curso de ataque que fizeram aos agentes da lei. Os bandidos portavam armas de uso restrito e todos possuíam extensa fichas criminais. 

Domingo será de tempo instável no RS

Este domingo será de instabilidade no Rio Grande do Sul, porque o dia será com chuva em diversas regiões, notadamente no Centro, Oeste e o Sul,  mas no Norte do Estado, a nebulosidade é menor e o sol até aparece entre nuvens com sensação de abafamento, embora possa chover até o fim do dia em vários pontos. 

Em cidades do Norte, como Gramado, na Serra, apinhado de turistas neste feriadão, o sol resplandece neste momento, 8h30min.

A MetSul alerta que a chuva segue amanhã e terça, podendo ser forte em muitos locais do Estado.

Unasul repele moção de repúdio ao impeachment de Dilma

Nem mesmo a travessa carta preparada pelo assessor internacional de Dilma, Marco Aurélio Garcia, foi capaz de convencer os chanceleres da Unasul a aprovar moção de repúdio ao processo de impeachment no Brasil. Eles reuniram-se neste sábado em Quito, Equador.

Abaixo, nota que reproduz texto apelativo enviado por Marco Aurélio aos presidentes dos Países que compõem  a Unasul. 

Houve forte resistência à proposta por parte de Colômbia, peru, Chile, Argentina e Paraguai.

Os patrocinadores da moção foram Venezuela e Bolívia.

No sábado, a prfesidência da União das Nações Sul-Americanas passou do Equador para a Venezuela.

O governo Dilma tentará emplacar sua queixa novamente, mas desta vez no âmbito do Mercosul.