Polícia Federal sai no encalço de outro banqueiro. Salim Schahin é a bola da vez.

Salim Schahin, do Banco Schahin, que foi assumido pelo mineiro BMG, está sendo investigado pelo Banco Central por ter desviado R$ 156 milhões para contas suíças no Clariden. 

. O grupo Shahin é também um dos principais fornecedores da Petrobras e arrenda plataformas para a estatal comandada por Graça Foster, em contratos da ordem de US$ 2 bilhões.

CLIQUE AQUI para ler reportagem da Folha deste domingo, contando toda a história em detalhes.

Busca de dinheiro: Fortunati reunirá 50 prefeitos em Brasília. Agenda inclui reuniões no Palácio e na Câmara.

O prefeito de Porto Alegre e presidente da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), José Fortunati, estará em Brasília nesta segunda-feira, 5, para avançar no debate de projetos para os municípios nas áreas de saúde, mobilidade e proteção à juventude. Estão na agenda encontros no Palácio do Planalto, na Câmara Federal e a reunião da diretoria da Frente Nacional de Prefeitos (FNP).

. Às 8h, Fortunati participa de café da manhã com a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, para debater o Comitê de Articulação Federativa (CAF), responsável pela interlocução entre o governo federal e as entidades municipalistas. Das 9h às 13h, será realizada a reunião da diretoria FNP, com a presença do ministro da Saúde, Alexandre Padilha. O encontro no Brasília Palace Hotel reunirá 50 prefeitos de todas as regiões do país para avaliar questões relativas ao transporte urbano, saúde, pagamentos de precatórios, tributação e emendas parlamentares. Durante a reunião, será realizada assinatura de termo de cooperação entre a FNP e o Serviço Social da Indústria (Sesi) para promover o Projeto de Combate a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes durante a Copa do Mundo de 2014.

. À tarde, Fortunati participa do ato de entrega das assinaturas da campanha “Saúde+10”, do Movimento Nacional em Defesa da Saúde Pública, ao presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (RN). O evento acontecerá às 15h, no Plenário da Câmara dos Deputados.

- O “Saúde+10” foi criado há um ano com o intuito de propor um projeto de lei de iniciativa popular que assegure o repasse efetivo e integral de 10% das receitas correntes brutas da União para a saúde pública brasileira. Ao todo, foram coletadas mais de um milhão e quinhentas mil assinaturas, o suficiente para dar início ao projeto no Congresso Nacional.

Saiba de que modo Dilma quer estuprar a Lei de Responsabilidade Fiscal

O título do editorial do Estadão deste domingo é "Nova ameaça à disciplina fiscal". O jornal é bem educado e não gosta de exagerar nos títulos. Não é o modo de trabalhar do editor. Leia toda a análise:

A boa gestão das contas públicas será novamente posta em xeque se os investimentos em mobilidade urbana forem descontados do endividamento de Estados e municípios, uma inovação defendida pela presidente Dilma Rousseff. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, declarou-se contrário a essa mudança, mas sua chefe, segundo informou o Estado na sexta-feira passada, "exigiu esforço máximo e conjunto" de sua equipe para dar à inovação uma vestimenta jurídica adequada.

Essa nova demonstração de voluntarismo - a proposta de mudança na regra fiscal - é mais uma reação da presidente às manifestações de rua.

CLIQUE AQUI para ler mais.

Feltes, Biolchi, Moreira, Sartori e Rigotto são os nomes do PMDB para o Piratini

No Congresso Estadual do PMDB doRS, dia 31 de agosto, estes nomes serão apresentados como possíveis candidatos a governador do Estado:

- Deputado estaduais Giovani Feltes e Márcio Biolchi
. Deputado federal Alceu Moreira
- Ex-prefeito de Caxias, José Ivo Sartori

- Ex-governador Germano Rigotto

Eliane Cantanhêde avisa: "Prestem atenção em agosto !"

Ao lado, a jornalista da Folha.

No jornal Folha deste domingo, sob o título "Mensalão versus Siemens", a jornalista Eliane Cantanhêde diz que reza a lenda política que agosto é o mês do azar, quando Getúlio Vargas se suicidou, Jânio Quadros renunciou e Juscelino Kubitschek morreu num acidente de carro até hoje ainda nebuloso. Leia mais:

Pois justamente em agosto recomeça o julgamento do mensalão no Supremo, que pega o PT de jeito, e emerge a denúncia da alemã Siemens de que houve um cartel para licitações das obras do metrô de São Paulo, o que desestabiliza o PSDB. Como pano de fundo, a popularidade de Dilma em queda, protestos contra Alckmin e Cabral, o Congresso em pé de guerra e a recuperação da economia, só na promessa.

Tem-se que agosto encontrará o governo batendo cabeça, o Congresso testando forças, os tucanos esbaldando-se com o mensalão petista, e os petistas, com o caso Siemens dos tucanos. E a plateia botando fogo. Isso tudo é álcool, gasolina e fósforo aceso para as manifestações populares. Elas começaram em junho, movidas em grande parte pela exaustão diante das práticas políticas e da falta de ética, e prometem voltar com tudo no Sete de Setembro, pelos mesmos motivos, mas com novidades, confrontos explosivos e a sensação de que não se salva um. Se o mensalão do PT atinge José Dirceu, José Genoino e João Paulo Cunha, a denúncia da Siemens, que entregou documentos para as autoridades brasileiras, aponta o governo Mário Covas, chega ao primeiro de Geraldo Alckmin e atinge um ano do de José Serra. É guerra de comandantes, não de soldados.Como sempre, o caso Siemens começa assim: vem a manchete na imprensa, o atingido diz que há manipulação política e o investigador responde que o processo é legal, rigoroso e técnico. Depois, vira tudo um deus nos acuda, com verdades borbulhando, a mídia vasculhando cada vírgula, a opinião pública irada.

. Mas agosto é só o começo, setembro está logo aí e 2014 é ano de eleição presidencial. O que está ruim sempre pode piorar.

Eliseu Padilha assumirá vaga de Mendes Ribeiro, que irá para o Tribunal de Contas da União.

O ex-ministro e deputado Mendes Ribeiro Filho, PMDB, está sendo indicado para o Tribunal de Contas da União, na vaga de Valmir Campelo.

. O outro candidato é Gim Argello, PTB do Distrito Federal, alvejado esta semana pela Procuradoria Geral da República por malfeitorias contra o serviço público.

. O PMDB quer a vaga porque deseja que assuma o suplente do RS, Eliseu Padilha.

CLIQUE AQUI para saber informações recentes sobre a reforma do ministério. O que se diz no PMDB é que Padilha é um dos nomes cotados, justamente porque conhece o PMDB como ninguém. A reportagem é de Veja de hoje. 

Os Carvalho (ministro e presidente do CADE) usam o governo do PT para desmoralizar os adversários

Ao lado, à esquerda, Vinicius, presidente do CADE. Ele é sobrinho de Gilberto Carvalho, à direita (vide caso Celso Daniel) que ultimamente está metido em tudo que é maldade política do governo Dilma e do PT. 

As notícias sobre investigações no CADE a respeito da formação de cartel e distribuição de propinas de fornecedores para as obras dos metrôs de SP e de Brasília, foram vazadas para a revista IstoÉ há três semanas e agora o ministro da Justiça ameaça botar a PF em cima dos delinquentes que cometeram o crime. CADE e ministério da Justiça trabalham em conjunto. O método fascista que usam neste momento, visa atingir apenas o governo de SP, já que o de Brasília, do PT, é poupado. A prática foi usada por Tarso Genro no RS, sempre contra seus adversários, quando foi ministro da Justiça. Leia um pouco mais e entenda as relações permissivas e até carnais estabelecidas pela nomenklatura petista:

Vinícius Marques de Carvalho, o presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) é sobrinho de Gilberto Carvalho, secretário do Lula e da Dilma. Antes de chegar ao cargo, atuava no Ministério da Justiça, comandado por José Eduardo Cardozo, um dos aspirantes à candidatura petista ao governo do Estado de São Paulo. De 2008 a 2011, o irmão de Gilberto Carvalho já fatura uns trocados como conselheiro do CADE. Antes, pasmem, foi chefe de gabinete da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, um dos feudos da família no governo petista. A Folha de São Paulo está dando grande cobertura ao Dossiê Petista sobre um suposto cartel de empresas para aumentar preços nas obras do Metrô paulista. É quem esta recebendo os dados vazados pelo CADE. Talvez seja por isso que a Folha esqueceu de informar aos leitores que Vinícius é sobrinho do Tio Gilberto, o que já coloca toda a investigação sob suspeita.

CLIQUE AQUI para ler o medíocre discurso de posse de Vinicius, o sobrinho do ministro.

Disputa é feroz pela presidência do Tribunal de Justiça do RS

A disputa pela presidência do Tribunal de Justiça do RS voltou a ser severa. A oposição vai de José Aquino Flores de Camargo, que pretende obter consenso.

No Congresso, tem CC de senador gaúcho que recebe R$ 17.154,00 por mês. Gastos da bancada gaúcha vão a R$ 2,8 milhões por ano com CCs.

O jornal Zero Hora deste domingo publica reportagem de três páginas, revelando que os 31 deputados federais gaúchos empregam um total de 643 funcionários em cargos de confiança (CCs), que são de livre nomeação. Em junho, o gasto com salários foi de R$ 2.310.266,13. Se somados aos vencimentos pagos aos 75 assessores dos três senadores do Rio Grande do Sul, o valor sobe para R$ 2.790.347,56. Levantamento feito por ZH com base nos dados do Portal da Transparência mostra os nomes e os vencimentos brutos dos CCs, chamados de secretários parlamentares. Pelas regras da Câmara, cada deputado pode gastar mensalmente R$ 78 mil em salários com o seu estafe, composto por até 25 secretários, nomeados por critério de confiança, com rendimentos entre R$ 845 e R$ 12.940. Horas extras e auxílios – como R$ 740 de vale-refeição – são adicionais ao salário dos servidores comissionados. Os vencimentos estão distantes do teto do funcionalismo, que é de R$ 28.059,29. No entanto, em relação às normas internas, há dificuldade de aferir a frequência de cada um, já que o ponto não é obrigatório – lotados em Brasília só batem para receber horas extras. Além disso, deputados não precisam informar quais funcionários ficam nos gabinetes e quais atuam nas bases eleitorais.

. Entre os senadores, Paulo Paim, PT, é o que mais emprega.São 33 servidores. Os outros dois senadores, Ana Amélia, PP, e Pedro Simon, PMDB, empregam 17 cada um. Os melhor remunerados dos gabinetes percebem R$ 17.154,00, como são os casos do jornalista Luiz Claudio Cunha, lotado no gabinete de Simon, Ivanete Ferronato, do gabinete de Paim, e Marco Aurélio Ferreira, do gabinete de Ana Amélia.

. Nos gabinetes dos deputados ninguém ganha mais do que R$ 11.940,00, mas a média é bem mais baixa. 

Governo Dilma paga passagem aérea superfaturada

O vaivém de servidores públicos e de integrantes do primeiro escalão do governo pelos ares do Brasil e do exterior custou aos cofres públicos R$ 890 milhões no ano passado. O valor total é uma das pistas que revelam o descontrole dos gastos com passagens aéreas, motivado pela falta de planejamento na compra de bilhetes e também por uma irregularidade identificada pelo Ministério Público Federal (MPF) e pelo Tribunal de Contas da União (TCU): a adulteração de bilhetes para superfaturamento das tarifas e a cobrança de taxas inexistentes.

. O jornal Correio Braziliense teve acesso a documentos que mostram como empresas contratadas por órgãos públicos alteram os bilhetes para cobrar do governo federal valores muito mais altos do que os efetivamente praticados pelas companhias aéreas. Diante do desperdício de recursos, o TCU aprovou, na semana passada, mudanças nas regras de contratações de agências com o governo. A meta é acabar com a sangria de recursos públicos.

. O gasto de quase R$ 1 bilhão registrado no ano passado reúne apenas as compras da administração pública federal direta. A maioria das licitações dos órgãos públicos escolhe as agências de viagem que oferecem os maiores percentuais de desconto durante a concorrência pública. Para faturar os contratos milionários com o governo, algumas empresas praticam descontos superiores à possibilidade econômica, em percentuais muito acima das comissões recebidas das companhias aéreas. Para fechar essa conta, muitos empresários do turismo incluem nos bilhetes emitidos para o governo valores superiores aos cobrados pelas empresas aéreas, embutindo um lucro oculto.

Saiba como se esfacela a base de apoio a Dilma. Ela já perdeu o apoio de 9 Partidos.

O jornal O Estado de S. Paulo deste domingo conta que em seu terceiro ano como presidente, Dilma Rousseff assistiu ao esfacelamento do "núcleo duro" de apoio a seu governo na Câmara dos Deputados, que já foi formado por 17 partidos e hoje abriga apenas petistas e remanescentes de outras sete legendas. Leia tudo:

O núcleo duro - formado pelos parlamentares que votam com o governo 90% das vezes ou mais - era integrado em 2011 por 306 dos 513 deputados. Ou seja, Dilma podia contabilizar como aliados fiéis seis em cada dez dos membros da Câmara. Desde então, esse núcleo vem encolhendo, e atualmente se resume a 101 deputados, segundo revela o Basômetro, ferramenta online do Estadão Dados que mede a taxa de governismo do Congresso.

Dos nove partidos que abandonaram totalmente a linha de frente de apoio ao governo, três são de tamanho médio - PR, PSD e PSB. Os demais se enquadram na categoria dos "nanicos", com bancadas de menos de dez integrantes (PMN, PTC, PRTB, PSL, PT do B e PRB).

CLIQUE AQUI para saber mais.

FHC avisa que as cartas estão na mesa. E avisa: "Vamos ao Poder !"

FHC avisa que Lula transformou-se no Macunaíma do PT e de Dilma, o anti-herói brasileiro malemolento, sem jaça e sem caráter. 

Em seu artigo mensal, o principal líder das oposições no Brasil, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, afirma que as "cartas estão na mesa" e tenta dar a voz de comando à oposição: "O Brasil quer e precisa mudar. Chegou o momento de as vozes oposicionistas se comprometerem com um novo estilo de política e de assim procederem. Escutando e interpretando o significado do protesto popular. Sendo diretas e sinceras. Basta de corrupção e de falsas manias de grandeza".  FHC também comparou Lula a Macunaíma, por ter aconselhado "a presidenta a fazer oposição a si mesma, como se governo não fosse".

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Saiba como são feitas as convocatórias para manifestações de massa no dia 7 de Setembro

Nas redes sociais é intensa a troca de mensagens e de imagens sobre manifestações que poderão sair no dia 7 de Setembro. A mesma rede usada para levar milhões de brasileiros às ruas no mês de junho e julho, é usada agora para dirigir convocatórias como as do banner ao lado.

. O problema é que também são fortes as convocações do lado de Partidos e seus aparelhos de esquerda e extrema esquerda, inclusive do PT, portanto contando com apoio logístico e de dinheiro público farto (leia nota abaixo sobre o apoio do ministro Gilberto Carvalho ás manifestações contra o governador Cabral.

. O cenário político e social radicaliza-se a olhos vistos, o que significa que se avizinham tempos sombrios, semelhantes aos que conduziram a 64.

. O depoimento a seguir do jornalista Fábio Pannunzio, agredido fisicamente nas ruas de São Paulo ao cobrir eventos de protesto contra o governador Alckmin, demonstra que a intolerância políticas do extremismo forçará novamente a uma intervenção drástica das forças da ordem pública, por conta própria, já que as autoridades da área são coniventes com a morte.


. No RS, o ex-deputado João Luiz Vargas tem repetido o mantra de que o governador local, Tarso Genro, segue a consigna do general franquista Astray, que diante dos adversários costumava gritar: "Viva a Morte !".

Fábio Pannunzio dá adeus aos fascistas mascarados

Eles querem um retorno aos tempos de Brucutu. Os Black Bloc se organizaram em 23 Estados para implementar o levante popular: clique aqui para ler reportagem de hoje do Estadão. 

Neste material disponibilizado pelo editor, o jornalista Fábio Pannunzio conta que foi destacado para cobrir a manifestação convocada pela página Black Bloc do Facebook. Estive com os manifestantes desde as cinco horas da tarde, quando eles começaram a se concentrar em frente à Prefeitura de São Paulo. Leia o que ele viu e como analisa tudo o que acontece:

Acompanhei todo o trajeto da marcha até a Avenida Paulista. Vi quando um policial agrediu, sem nenhum motivo e de forma covarde, pelas costas, uma manifestante que subia a Brigadeiro Luís Antônio.

Percebi que alguma coisa mudou radicalmente desde o início da safra de protestos. Quando saiu do Centro, a manifestação tinha cerca de 500 participantes. Quando chegou à Paulista, tinha os mesmos 500.

Mas ninguém aderia.

Mais uma vez, houve muitas hostilidades contra jornalistas e técnicos das empresas de comunicação. A primeira vítima da ira dos arruaceiros foi o motociclista da equipe de moto-link da Band. Ele foi empurrado e derrubado. Ameaçaram linchá-lo e depredar seu equipamento. Isso só não aconteceu porque um grupo de manifestantes contrários à prática da violência (contra pessoas) interveio.Logo adiante, eu mesmo acabei me transformando em alvo da ira daquela turba. Um grupo me cercou, tentou tomar meu microfone e passou a me atacar fisicamente. Deram cotoveladas, caneladas e chutaram meu joelho. É horrível ser cercado por uma alcateia raivosa, que baba de ódio de tudo e te enxerga como inimigo a ser eliminado.
Senti-me ultrajado com a intimidação. Não é possível que um jornalista não possa exercer seu ofício em plena rua de um País livre e democrático. Resolvi resistir ao expurgo, finquei pé e enfrentei os arruaceiros. O clima ficou péssimo. E só não foi pior porque, mais uma vez, alguns anjos-da-guarda mascarados vieram em meu socorro. Agradeço imensamente sua intervenção. Mas ela só aconteceu depois que os vândalos já haviam danificado o microfone, impossibilitando a continuação do meu trabalho.

Sabe o que parece? A Ku Klux Klan vestida de preto. É isso que parece: a KKK pós-moderna – um grupamento fascista e antidemocrático que não tem nenhuma proposta construtiva. Destruir é a palavra-chave. Destruir os governos, as instituições, o capitalismo, a liberdade de imprensa. Para por o que no lugar? Eles não sabem. Só querem destruir. Pois bem. Entendi, finalmente, que nós, jornalistas, não somos bem-vindos à República dos Mascarados. Nela, não vigora a nossa Constituição. Não existem as salvaguardas do Artigo Quinto. A liberdade é tão escassa quanto os negros e pardos.