7 de cada 10 paraenses votam contra a divisão do Estado do Pará

Eleitores paraenses decidiram, em plebiscito realizado neste domingo, manter o Estado unido e negaram a divisão territorial para criação dos Estados de Carajás e Tapajós. Com isso, o Brasil continuará com 26 Estados, além do Distrito Federal. Por volta de 20h30, 87,74% dos votos haviam sido apurados: 67,43% dos eleitores votaram contra criação de Carajás e 66,87%, de Tapajós.

. A apuração continuava as 22h07m deste domingo, mas era matematicamente impossível que o "Sim" à divisão ultrapassasse o "Não", tanto para Carajás, quanto para Tapajós. O resultado final deve ser homologado ainda esta semana pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Pará.

Frente de Partidos resolveram lançar o Deputado Marco Alba como candidato a Prefeito de Gravataí

O PP de Gravataí promoveu ato público neste domingo a noite no Hotel Radar para anunciar apoio á candidatura do Deputado Marco Alba, PMDB, a Prefeito de Gravataí.

. O PV fará o mesmo no dia 14, seguido no dia 15 pelo DEM. Também são aguardados os apoios do PTB, PDT e PSB, mas nenhumdos tres ainda disse o que fará.

- O PT dominou a cena política municipal durante 14 anos, mas sua Prefeita, Rita Sanco, foi expulsa da Prefeitura este ano.

PV do RS expulsa Mont'Serrat Martins e pode apoiar Manuela D'Ávila

As alfinetadas aplicadas pelo verde Mont'Serrat Martins sobre a Deputada Manuela D'Ávila foram a gota d'água que faltava para que o PV do RS decidisse expulsá-lo do Partido, o que foi confirmado neste domingo pelo diretório estadual em Porto Alegre.

. Os problemas de Martins, que foi candidato a Governador no ano passado e queria ser candidato a Prefeito com o apoio de Marina silva, começaram durante a campanha Presidencial, porque o PV no Estado ficou com a direção nacional na queda de braço com a própria candidata.

- Na quinta-feira, o PV e vários outros Partidos reuniram-se com Manuela em Porto Alegre. Ela tem muita simpatia entre os dirigentes do Partido, sobretudo na forte seção de Gravataí, que apóia o Deputado Marco Alba, PMDB, na disputa local com o PT. Logo em seguida à reunião, Mont'Serrat Martins tirou nota criticando a Deputada, mas foi desautorizado.

A corrupção sem fim do governo Dilma Rousseff, do PT, é pior que pornochancada

- No RS, pouco repercutem as análises sobre o destrambelhamento moral e ético do governo Dilma Rousseff, do PT. Nem mesmo a oposição gaúcha dá-se ao trabalho de desmascarar o carrossel da corrupção petista em Brasília, apoiada sem meios termos pelo PT e pelo governo do Estado. E os intelectuais gaúchos? Como a maior parte da sua confraria brasileira, quase toda ela comprometida com o pesadelo marxista, prefere calar-se diante da indignidade com que os políticos que ela admira, revelaram-se perfeitos canalhas.

É grotesca esta repetição enfadonha do mesmo enredo usado pelos seis corruptos Ministros do governo Dilma Rousseff, enfiados na lata do lixo da história, mas não na cadeia, tendo agora por protagonista o petista Fernando Pimentel. Sobre o assunto, vale a pena ler o que escreveram neste domingo o colunista Tutty Vasques, página A2, caderno Aliás, e Renato Leessa, na página A3 do mesmo caderno.

. Na sua coluna, Tutty Vasquez resume esta declaração clamorosamente safada de um ex-sócio de Fernando Pimentel, ao falar sobre os contratos permissivos de “consultoria” entre a Fiemge (a Fiergs de Minas) e o ministro, que lhe valeram R$ 1 milhão numa só penada:
- Inexiste incompatibilidade!

. "A gente já viu esse filme: é remake do Palocci!”, escreveu Tutty Vasques. Do seu texto, o editor pinçou mais o seguinte:

O problema dos escândalos políticos no Brasil é a péssima qualidade de seus roteiros. Os diálogos são repetitivos, por vezes sem nexo, a trama é desinteressante, o desfecho patético – nas pornochanchadas, pelo menos, tinha gente bonita pra se ver. Assistimos, sem data para acabar, a uma sucessão de histórias mal contadas, mal ouvidas, mal escritas e mal lidas no noticiário nacional. Gente assim ocupou em 2011 mais tempo de atenção da classe média do que as telenovelas.

- O artyigo de Renato Lessa, “Conspiração de ouriço”, revela que a corrupção no governo Dilma Rousseff obedece formas predatórias, patéticas e heterodoxas em termos penais.

CLIQUE AQUI para ler o artigo de Tutty.
CLIQUE AQUI para ler “Conspiração de ouriço”.

Marta Suplicy, o PT e seus satélites, querem impor a lei do silêncio sobre quem critica o homossexualismo

- A Senadora Marta Suplicy, com o apoio do PT, PCdoB, PSOL, PSTU e omissão covarde da maioria dos demais Partidos, quer porque quer emplacar esta lei autoritária, reacionária, cretina, que pune com prisão quem se atrever a questionar as opções e ações de homossexuais de todos os gêneros, inclusive a decisão dessa gente que quer impor aos brasileiros a crença de que não existe diferente entre heteros e homessexuais. Marta e seus aliados sabem que estão abrindo caminho para a ditadura, porque eles acabam de fazer acordo com a Igreja Católica para permitir que os padres critiquem o homossexualismo dentro das igrejas. E a Igreja, acovarda, aceitou este tipo de acordo imoral, aético e ilegal.

A Senadora do PT de São Paulo quer aprovar lei de qualquer jeito, que é o começo de uma ditadura esquerdista no Brasil, porque controlará todos os hábitos públicos, e proibirá qualquer crítica, começando pela crítica ao homossexualismo.Quem criticar levará cinco anos de cadeia. Depois virão outras legislações, proibindo a liberdade de  expressão.

. O caso é tão grave, que por exemplo, psicanalistas, psiquiatras, cientistas, psicólogos, jornalistas, políicos e autoridades terão que fazer trabalhos cientificos nacionais fora do Brasil.  Isto significa que profissionais não poderão publicar ou falar mais nada sobre homossexuais que tiveram tratamento ou desejaram procurar atendimento porque irão para a cadeia.

. Além de Marta Suplicy, o Deputado Jean Willys, da Frente de Gays, Lésbicas e Transgêneros é o principal mentor destas iniciativas medievais.

. É de se perguntar onde está a OAB, que sempre protesta quando a liberdade está ameaçada? O que foi feito da  Associação Brasileira de Imprensa? Não existe similar ddesta legislação em nenhum pais do mundo, o Brasil está reinventando a criminalização da opinião, e da publicação de estudos e trabalhos científicos.

- Mesmo amordaçando a Igreja, que por covardia concordou em aprovar a lei, desde que pudesse rezar missas e falar mal somente dentro da Igreja, Marta Suplicy não consegiu ainda aprovar a lei na Comissão do Senado. Seria o primeiro passo para aprovação geral no Senado.

CLIQUE AQUI para saber como foi o acordo feito enbtre Martaxa e a Igreja Católica.