Mensagem do Juiz Sergio Moro sobre prisão de Lula decifrada por DefesaNet

Exclusivo - 
Lula preso causaria levante civil e ações nos fóruns internacionais pelos países bolivarianos.

O material a seguir é do blog Defesanet deste sábado. Vale a pena ler:

O Juiz Federal Sergio Moro, ao decretar a prisão preventiva do ex-ministro Antonio Palocci (Fazenda e Casa Civil/Governos Lula e Dilma), em 30 de setembro, mandou um recado cifrado à Sociedade Brasileira:

- Embora a prisão cautelar seja um remédio amargo, é melhor do que a contaminação da democracia pela corrupção sistêmica. Em um determinado nível, a corrupção coloca em risco a própria qualidade de democracia, com afetação das eleições livres e do regular funcionamento das instituições. Trata-se de um retrato de uma democracia vendida. É nesse contexto que deve ser compreendido o emprego, na forma da lei e ainda pontual, das prisões preventivas na assim denominada Operação Lavajato.

Parágrafo 184 do Despacho do Juiz Federal Sergio Moro decretando a prisão preventiva do ex-ministro Antonio Palocci
CLIQUE AQUI para ler a íntegra do despacho do juiz.

Comentaristas e analistas políticos mostraram estranheza com os termos empregados porém a maioria o desconsiderou (ver Reinaldo Azevedo “Palocci, prisão temporária, prisão preventiva e ameaça à democracia… CLIQUE AQUI para ler).

Que recado cifrado é este que o Juiz Sergio Moro enviou à Sociedade Brasileira e por qual razão empregou 5 vezes a palavra “Democracia” em seu despacho ?

DefesaNet traz com exclusividade o recado do Juiz Sergio Moro decifrado:

Estava tudo preparado para haver um levante civil caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, réu em dois processos, fosse preso pelo juiz federal Sérgio Moro. A justiça federal foi alertada sobre a possibilidade e os desdobramentos pelos serviços de inteligência militar do governo militar que tem atuado com agências civis e militares de estratégia dos Estados brasileiros. O principal alvo seria as eleições municipais, com a tomada das ruas, atentados e boicotes para causar a suspensão do pleito em nível nacional.

As informações começaram a chegar até os serviços de inteligência nos primeiros indicativos que Lula seria alvo da Lava Jato e da aproximação da promotoria federal as contas bancárias, bens não declarados e a descoberta de grandes esquemas de corrupção envolvendo o alto escalão do Partido dos Trabalhadores (PT) e integrantes do antigo governo de Lula e de Dilma Rousseff. “As informações começavam a encontrar ressonância em depoimentos feitos sob delação premiada, com o Nestor Cerveró (ex-diretor da Petrobras envolvido no petróleo). Quando houve a investigação do sítio e do tríplex a situação se complicou de vez, começaram as ameaças de invasão de prédios públicos, destruição massiva de fóruns de justiça, ataques as polícias e áreas dos comandos militares. Estavam buscando uma reação para amplificar mundialmente a ideia de golpe civil apoiado pelos militares. Foi quando nós começamos a ficar prevenidos que algo maior poderia eclodir a qualquer momento”, comentou um dos agentes ao DefesaNet.

Conforme o ministério público federal de Curitiba avançava nas investigações, com ajuda da Polícia Federal, sobre a alta direção do PT ficava evidente o envolvimento do presidente de honra do partido nos esquemas de corrupção, desvio de dinheiro público, favorecimento ilegal de empresas e aquisição de bens incompatíveis com sua renda. O Instituto Lula foi a ponta do iceberg nas investigações e também quando as mobilizações a favor do ex-presidente tomaram corpo rapidamente.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Ministério vai punir servidores que concederam aposentadoria drive thru para Dilma Roussef

O Ministério do Desenvolvimento Social informou neste sábado que afastou o ex-ministro petista Carlos Gabas e outros dois servidores de carreira do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para investigar a conduta deles em um suspeito tratamento diferenciado para a aposentadoria da presidente cassada Dilma Rousseff pelo instituto.

Segundo reportagem da revista "Época" (leia abaixo na íntegra), Dilma se aposentou menos de 24 horas depois de ter assinado, em 31 de agosto, a notificação do Senado que oficializava que o impeachment tinha sido aprovado. Ela obteve a remuneração mensal de R$ 5.189,82, teto da Previdência. O tempo médio de espera para se aposentar no Brasil é de 74 dias, segundo o INSS. Em Brasília, onde o pedido de Dilma foi deferido, é de 115 dias.

O secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, Alberto Beltrame, determinou ao INSS, vinculado à Pasta, que abra sindicância interna para apurar a responsabilidade de Gabas e de Iramo da Costa Coelho e Fernanda Cristina Doerl dos Santos. Segundo a "Época", Gabas - que foi ministro de Dilma e é servidor de carreira do INSS - acompanhou uma mulher munida de procuração de Dilma para fazer o pedido da aposentadoria em uma agência do instituto em Brasília. O chefe da agência, Iracemo da Costa Coelho, foi responsável pelo atendimento.
Fernanda foi responsável, segundo a revista, por fazer 16 alterações no cadastro da ex-presidente em 10 de dezembro do ano passado, oito dias depois que o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), anunciou que havia aceitado o pedido de impeachment da presidente.

Alexandrino Alencar para MO: "Presidenta do Sindicato dos Bancários de SP é nova paixão de Lula"

Da coleção da qual fez parte Rosemary Noronha, a presidente do Sindicato dos Bancários de SP, que comanda a greve nacional, seria a mais nova amante de Lula.

O blog O Antagonista conta neste sábado que nos e-mails dos executivos da Odebrecht analisados pela Polícia Federal, há o registro de um jantar organizado por Marcelo Odebrecht com Lula e seletos convidados. A lista inclui grandes industriais e empresários.

Leia tudo:

De última hora, Clara Ant pede a Alexandrino Alencar que inclua no evento Juvandia Moreira Leite, presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo.

Em outra mensagem, Marcelo Odebrecht questiona Alexandrino sobre Juvandia. O executivo então responde: "Parece que é a nova paixão do amigo do seu pai."

Nos e-mails dos executivos da Odebrecht analisados pela Polícia Federal, há o registro de um jantar organizado por Marcelo Odebrecht com Lula e seletos convidados. A lista inclui grandes industriais e empresários.

. No documento, a PF aponta para a presença de Juvandia Leite e Sergio Aparecido Nobre, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.“Os dois sindicalistas convidados para o evento são também sócios da Editora Gráfica Atitude, empresa apontada pelo empresário Augusto Ribeiro de Mendonça Neto como intermediária de pagamentos de propina destinados ao Partido dos Trabalhadores”, registra a PF.

Juvandia Leite e Sergio Nobre são administradores da Editora Gráfica Atitude.

Trackings demonstram que Marchezan Jr descolou de Raul Pont

Os trackings dos Partidos demonstram que o tucano Marchezan Júnior descolou de Raul Pont neste sábado.

Quatro dos cinco municípios com mais de 200 mil eleitores terão segundo turno

CLIQUE AQUI para acompanhar 
as receitas e despesas de todos os candidatos no Brasil

A presidente cassada por crime de improbidade, Dilma Roussef, acompanhará o candidato Raul Pont, PT, que votará na escola Infante Dom Henrique, 8h45min, bairro Menino Deus.

No Rio Grande do Sul, quinto maior colégio eleitoral do Brasil. 8,6 milhões de pessoas votarão em 497 cidades, 32 das quais registram candidaturas únicas. Em quatro dos cinco municípios com eleitorado superior a 200 mil habitantes, haverá segundo turno: Porto Alegre, Canoas, Caxias do Sul e Santa Maria. 

Santa Maria terá pela primeira vez segundo turno. Devem passar para a nova disputa os deputados Jorge Pozzobom, PSDB, e Valdeci Oliveiral, PT.

Em Pelotas, Paula Mascarenhas, PSDB, vai faturar a eleição no primeiro turno.

No Estado, 463.374 gaúchos são candidatos a vereador, disputando 26.313 vagas.

Quatro dos cinco municípios com mais de 200 mil eleitores terão segundo turno

CLIQUE AQUI para acompanhar 
as receitas e despesas de todos os candidatos no Brasil

A presidente cassada por crime de improbidade, Dilma Roussef, acompanhará o candidato Raul Pont, PT, que votará na escola Infante Dom Henrique, 8h45min, bairro Menino Deus.

No Rio Grande do Sul, quinto maior colégio eleitoral do Brasil. 8,6 milhões de pessoas votarão em 497 cidades, 32 das quais registram candidaturas únicas. Em quatro dos cinco municípios com eleitorado superior a 200 mil habitantes, haverá segundo turno: Porto Alegre, Canoas, Caxias do Sul e Santa Maria. 

Santa Maria terá pela primeira vez segundo turno. Devem passar para a nova disputa os deputados Jorge Pozzobom, PSDB, e Valdeci Oliveiral, PT.

Em Pelotas, Paula Mascarenhas, PSDB, vai faturar a eleição no primeiro turno.

No Estado, 463.374 gaúchos são candidatos a vereador, disputando 26.313 vagas.

Mais mulheres do que homens votarão neste domingo em todo o País

144 milhões de eleitores de 5.568 municípios, votarão amanhã em todo o Brasil, 46,3 milhões dos quais farão isto com o uso da biometria.

O maior contingente de eleitores tem entre 21 e 54 anos.

Por nível de escolaridade, saiba como está dividido este eleitorado:

Superior completo, 6,61%
Superior incompleto, 4,13%
Ensino médio completo, 10,01%
Ensino médio incompleto, 19%
Ensino fundamental completo, 7.02%
Ensino fundamental incompleto, 28,58%
Alfabetizados apenas, 10,74%
Analfabetos, 4,85%

52% dos eleitores são mulheres e 48% são homens.

TSE acaba de barrar pedido do PDT para cassar mandato de Giovani Cherini

O TSE barrou ontem a noite a tentativa do PDT de cassar o mandato do deputado Giovani Cherini, RS.

O deputado gaúcho votou pelo impeachment de Dilma Roussef contra a orientação do Partido e por isto foi expulso.

O PDT só fez isto com Cherini.

O deputado gaúcho é o atual presidente estadual do PR.

Polícia Federal investiga lobby de Palocci e WTorre em Porto Alegre e Rio Grande

No RS., o ex-ministro Antonio Palocci entrou no radar da Lava Jato por uma consultoria para a WTorrel, que ajudou a engordar o seu patrimônio. 

Entre 2007 e 2010, sua empresa recebeu recursos da construtora WTorre. Neste período, a empreiteira comprou e, logo, arrendou o Estaleiro Rio Grande para a Petrobras construir plataformas. Coincidentemente, a consultoria de Palocci se encerrou junto com a venda do estaleiro para a Engevix. O serviço de lobby, desconfiam investigadores, não era mais necessário. Depoimentos de delatores, como Paulo Roberto Costa, Alberto Youssef e Fernando Baiano mostram o envolvimento do ex-ministro com o Petrolão. Ao juiz Sergio Moro, eles narraram que Palocci pediu R$ 2 milhões desviados da Petrobras para a campanha presidencial de 2010.

 A WTorre montou poderoso esquema de lobby político e midiático também em Porto Alegre e Rio Grande.

A Lava Jato investiga tudo.

Palocci, o petista dos R$ 200 milhões

Os petista dos R$ 200 milhões.

Operações nada republicanas levaram o ex-ministro Antonio Palocci, um médico sanitarista que tinha R$ 2 mil de saldo em conta corrente, a virar o principal consultor das maiores empresas do País com uma movimentação financeira de mais de R$ 200 milhões. Na semana passada, devido aos caminhos tortuosos que escolheu para enriquecer e acumular um patrimônio colossal, o petista foi preso pela Lava Jato.

A trajetória de Palocci é o que conta a revista Istoé de hoje.

Leia tudo:


Preso na última segunda-feira, Antonio Palocci atravessou a recepção da Superintendência da Polícia Federal do Paraná meio sorumbático. Cabisbaixo, mal conseguiu reparar no quadro que adorna a entrada da carceragem em Curitiba com a imagem de uma onça agressiva – “a fera”, como costumam dizer os agentes penitenciários. Seu semblante abatido em nada lembrava o impávido ex-ministro da Fazenda de Lula e da Casa Civil de Dilma, protagonista do Petrolão, responsável por gerenciar negociatas que renderam cifras extraordinárias ao PT. Tampouco fazia jus ao physique du rôle do consultor milionário investigado pelo Ministério Público Federal. Pela primeira vez, em muitos anos, Palocci estava mais para Antonio, o médico sanitarista boa praça de Ribeirão Preto que debutou para a política em 1981 vendendo estrelinha do PT. De lá para cá, realmente, muita coisa mudou em sua vida. Preso pela Lava Jato, o petista é o retrato mais bem acabado do político que enriqueceu no poder – e graças ao poder. No início dos anos 2000, antes de se eleger deputado, Palocci tinha um patrimônio que somava R$ 295 mil. Sua conta-corrente no Banco do Brasil apresentava um saldo de R$ 2.300. No Banespa, seus depósitos somavam R$ 148. A ascensão patrimonial foi colossal. Na última semana, o juiz Sérgio Moro bloqueou das contas pessoais – físicas e jurídicas – do petista um total de R$ 30,8 milhões.

CLIQUE AQUI para ler mais.

Em 13 anos, salários dos servidores públicos subiu três vezes mais do que os salários dos trabalhadores privados

Os salários médios do funcionalismo público subiram, em termos reais (acima da inflação), 33% entre janeiro de 2003 e janeiro de 2016, enquanto na iniciativa privada esse aumento foi de 10%. O levantamento, feito com base em cruzamento de dados oficiais pelo consultor legislativo do Senado Marcos Köhler, confirmam as queixas do governo federal, governadores e prefeitos sobre o crescimento do custo da folha salarial dos servidores nas despesas públicas. 

Em 13 anos, pulou de cerca de 880 reais para 1.650 reais a disparidade média entre o que ganha um funcionário do Estado e um profissional do setor privado.

O estudo comparativo de Köher, com dados compilados da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram que o rendimento mensal médio em 12 meses do funcionário público era de 2.897 reais no início de 2003. O crescimento, quase linear, só registrou três quedas no período, nos anos de 2004, 2014 e 2016, quando atingiu 3.860 reais — alta de 33,24%. Na iniciativa privada, por sua vez, o crescimento dos salários foi mais lento e menor, subindo de 2.012 reais no início de 2003 para 2.210 reais em janeiro deste ano, um aumento de 9,84%.

CLIQUE AQUI para ler mais. A reportagem é do site da revista Veja.

A Lava Jato chegou com tudo ao senador Renan Calheiros

Veja de hoje conta que em sua caçada montante, a Operação Lava-Jato nunca esteve tão perto de capturar o terceiro homem na linha de sucessão da República: o senador Renan Calheiros, do PMDB de Alagoas, que preside o Senado Federal. A revista teve acesso a um despacho sigiloso do ministro Teori Zavascki, cuja leitura traz quatro revelações:

• O homem da mala do PMDB, o empresário e advogado Felipe Rocha Parente, fez um acordo de delação premiada e apresentou cinco anexos, como são chamados os itens que compõem a lista do que o delator pretende detalhar.
• Em um dos cinco anexos, Parente conta que entregava propinas para a cúpula do PMDB. Eram fruto de dinheiro desviado da Transpetro, subsidiária da Petrobras.
• Entre os beneficiários das propinas saídas da Transpetro, estão Renan Calheiros e seu colega de Senado Jader Barbalho, do PMDB do Pará.
• O anexo de Parente ainda precisa ser comprovado no curso da delação, mas já foi confirmado por pelo menos três delatores.

Leia tudo:

As revelações do despacho de Teori jogam luz sobre um dos momentos mais barulhentos da Lava-Jato, ocorrido entre maio e junho passado. Nessa ocasião, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de uma só tacada, pediu ao Supremo Tribunal Federal que decretasse a prisão de Renan Calheiros, do senador e então ministro do Planejamento Romero Jucá e do ex-presidente da República José Sarney.


As prisões pedidas por Janot foram rejeitadas pelo Supremo, mas, em segredo, os investigadores fecharam um acordo de colaboração com Felipe Parente, o entregador de propinas. Do seu depoimento, surgiram os laços que comprometem o PMDB com a Transpetro. O lado visível desses laços já era conhecido. Renan Calheiros era um dos principais fiadores da permanência de Sérgio Machado no comando da Transpetro. O lado invisível apareceu com a delação do próprio Sérgio Machado, que contou que Renan era bem remunerado pela fiança. No início do esquema, recebia um porcentual sobre cada contrato assinado com a estatal. Depois, optou por um mensalão de 300 000 reais, que eram repassados pelo próprio Sérgio Machado, segundo ele mesmo. Em anos eleitorais, o numerário se multiplicou.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Dilma já tinha tempo para aposentar-se pela FEEE

Na primeira campanha eleitoral de Dilma Roussef a presidente, o editor esteve várias vezes na sede da Fundação de Economia e Estatística Siegfrid Emanuel Heuser, Porto Alegre, para tentar levantar a ficha funcional da economista Dilma Roussef. Sem sucesso. Na época, ainda não existia a Lei de Acesso a Informação. E era o governo Yeda Crusius. A muito custo, o editor soube que Dilma tinha mandado paralisar seu contrato. Na FEE, na época, o que se dizia era que a petista iria aguardar o melhor momento para se aposentar. Ninguém conseguia entender por que razão ela não fazia isto, já que possuía tempo de aposentadoria.

A maior parte da vida funcional, Dilma passou fora da FEEE, cedida para tudo quanto é órgão por onde passou, como secretaria de Minas e Energia, ministério de Minas e Energia, Casa Civil e presidência da República.

Agora, tudo ficou mais claro.

Dilma Roussef aguardava o momento de sair da presidência ou já contava com a eventualidade de ser posta para fora do governo.

Dilma Roussef furou a fila e se aposentou pelo INSScom R$ 5,2 mil mensais

Dilma aposentou-se para não ter que comer de bandejão.


Documentos obtidos pela revista  ÉPOCA mostram que cadastro da petista foi alterado 16 vezes dentro da sede do INSS, e ex-ministro foi a agência para garantir pensão sem agendamento.

Leia a reportagem de hoje do jornalista Bruno Boghossian

Às 15h05 do dia 31 de agosto, Dilma Rousseff assinou o documento que a notificava que o Senado havia aprovado sua destituição da Presidência da República. Terminavam ali, oficialmente, seus cinco anos e oito meses de gestão e pouco mais de 13 anos em cargos no governo federal. Menos de 24 horas depois do impeachment, um de seus aliados mais próximos, o petista Carlos Eduardo Gabas, entrou pelos fundos da Agência da Previdência Social do Plano Piloto, na Quadra 502 da Asa Sul de Brasília. Acompanhado de uma mulher munida de uma procuração em nome de Dilma, Gabas passou por uma porta de vidro em que um adesivo azul-real estampava uma mão espalmada com o aviso: “Acesso apenas para servidores”.

Mas Gabas podia passar. Não estava ali apenas como funcionário de carreira da Previdência, mas como ex-secretário executivo e ex-ministro da Previdência do recém-encerrado governo Dilma, como homem influente na burocracia dos benefícios e aposentadorias entre 2008 e 2015. No papel agora de pistolão, Gabas subiu um lance de escadas até uma sala reservada.

CLIQUE AQUI para ler toda a reportagem.

TRE libera candidatos impugnados de Candiota, Cerro Largo, Montenegro e S. Francisco de Assis

Depois de impugnar candidaturas como as de Daniel Bordignon em Gravataí e Aírton Santos em Novo Hamburgo, o TRE liberou quatro nomes que também estavam sob risco de cassação:

- Adriano Castro dos Santos (PT)
Candiota
- Valter Hatwig Spies (PP)
Cerro Largo
- Percival Souza de Oliveira (PTB)
Montenegro
- Jorge Ernani da Silva Cruz (PP)

São Francisco de Assis

Bancários completam um mês de greve sem solução à vista

Os líderes dos sindicatos dos bancários de todo o País terão reunião na segunda-feira para avaliar o avanço da greve que no início da semana completará um mês.

Não há sinal de acordo entre trabalhadores e patrões.

Os líderes dos bancários, além da reivindicação salarial (14,78% contra 7% dos banqueiros) também querem que os bancos estatais não sejam privatizados ou extintos, como é o caso do Badesul.

Dia será de céu azul, sol claro e temperatura moderada no RS

Porto Alegre, 9h25min, 16 graus

A manhã (9h23min) abriu com sol claro, céu azul e frio em Porto Alegre, sendo que o sol predominará durante o dia, acompanhado de nuvens no Rio Grande do Sul. O sábado dia começou com temperaturas frias e com formação localizada de nevoeiro e neblina. 

Entre a tarde e a noite há uma chance de instabilidade extremamente isolada na Metade Norte. 

Durante o dia, a temperatura crescerá pelo Estado. Na cidade de Santa Rosa, a máxima deve chegar aos 29°C. Em Porto Alegre, as marcas ficam entre 12°C e 24°C.