Governo Dilma e PT sofrem derrota humilhante na Câmara

O governo acaba de sofrer uma derrota humilhante na Câmara dos Deputados. Eis os resultados:

Eduardo Cunha, PMDB, apoiado pelos adversários do PT e de Dilma - 267 votos
Arlindo Chinaglia, PT, candidato chapa branca - 136 votos
Júlio Delgado, PSB, apoiado pelo PSDB e oposição - 100 votos

Não foi nem preciso dois turnos.

Somando-se os votos de Cunha e de Delgado, o governo, hoje, amealhou 367 votos contra seu candidato, que obteve apenas 138, muito menos do que imaginava.

Eduardo Cunha, apesar do PMDB, é adversário ferrenho de Dilma e do PT, que usaram de calúnias, difamações, pressões e compra de votos contra ele. A partir de agora, CPIs terão livre trânsito e, caso o povo vá para as ruas, terá um presidente da Câmara que ficará ao seu lado, até mesmo para impedir Dilma.

Disputa na Câmara começa pelos discursos dos quatro candidatos

Os quatro candidatos à presidência da Câmara começaram a falar neste momento, 18h30min. O leitor pode acompanhar os discurso pela TV Câmara, ao vivo. Tão logo Chico Alencar, Chinaglia, Eduardo Cunha e Julio Delgado terminem suas falas, começará a votação, cujo resultado será conhecido em seguida. Ao contrário do Senado, na Câmara o candidato com mais chance é Cunha, que embora do PMDB, tem restrições em relação a Dilma, que faz campanha aberta contra ele. Na Câmara, poderá ocorrer dois turnos.

Senado fica ao lado da corrupção, da impunidade e da sujeição ao governo do PT

Ressultado da votação no Senado para presidente da Casa

Renan Calheiros, 49 votos
Luiz Henrique, 31 votos

O Senado mais uma vez demonstrou que quer corruptos e submissos ao governo do PT na direção do Congresso. A boa notícia é que seu adversário, Luiz Henrique, conseguiu polpudos 31 votos, o que demonstra maior força da oposição e seus aliados da base governista. O senador Renan Calheiros, como todo o Senado sabe, será listado pela Procuradoria Geral da República como um dos nomes envolvidos na organização criminosa do Petrolão. A eleição foi a última tentativa de Renan para se blindar dos processos a que responderá junto ao STF. Ele poderá ser cassado ainda este ano.

Gasolina já custa até R$ 3,39 nos postos de Porto Alegre

Confirmando informação de ontem, sábado, esta página, embora a  expectativa de que o preço da gasolina passasse a ser vendida cerca de R$ 0,20 mais cara, variando entre R$ 3,20 e R$ 3,25, o certo é que o valor nas bombas de Porto Alegre já chegava a R$ 3,39 — como em um posto na Avenida Protásio Alves, onde, no sábado, o valor era de R$ 2,99. Na maioria dos estabelecimentos que abriram neste domingo, o acréscimo médio foi de R$ 0,40.

Ana Amélia, Lasier e Paim votarão unidos em Luiz Henrique

Ao lado, Renan Calheiros, ainda há pouco, na trivbuna (17h01min) - O senador Renan Calheiros, que não pretendia falar, foi obrigado a subir à tribuna há poucos momentos, para reagir ao pronunciamento do seu adversário, senador Luiz Henrique, que o acusou de submissão ao governo Dilma, tudo em função das indicações que ele fez para cargos estratégicos da administração federal, inclusive presidência da Transpetro. O editor soube há pouco que os três senadores do RS votarão em Luiz Henrique, inclusive Paulo Paim, que é do PT. Em notas anteriores, o editor informou que Paim acompanharia a decisão do Partido e votaria em Calheiros, mas isto não acontecerá. A votação para a presidência acontecerá dentro de alguns instantes no Senado.,

Luiz Henrique, adversário de Renan Calheiros, fala neste momento no Senado

Neste momento está falando o senador Luiz Henrique, candidato que disputa a presidência do Senado contra o senador Renan Calheiros, apoiado pelo governo Dilma. A votação para a escolha da nova direção já começou. Os leitores podem acompanhar ao vivo pela TV Senado, canal 169 da Sky.

Ana Amélia diz que Luiz Henrique vencerá no Senado "caso não haja traição"

A senadora Ana Amélia disse ainda há pouco por Whats App ao editor que o senador Luiz Henrique da Silveira, PMDB, será eleito presidente do Senado. A senadora, no entanto, avisou: "Se não houver traição". Os três senadores gaúchos votarão deste modo: Ana Amélia, PP, e Lasier, PDT, irão de Luiz Henrique; Paulo Paim, PT, votará em Calheiros.A senadora gaúcha passou o sábado cabalando votos para o senador catarinense. Ela tem afirmado na imprensa que a reeleição de Renan poderá implicar em riscos institucionais, referindo-se às notícias de que o atual presidente do Senado integra a lista de investigados e futuros réus da Operação Lava-Jato.

Eduardo Cunha consegue montar o maior bloco parlamentar da Câmara dos Deputados

Três blocos partidários foram criados na Câmara dos Deputados antes da eleição para a Presidência da Casa; o maior deles, formado por 218 parlamentares, é composto por 14 partidos, entre eles o PMDB, de Eduardo Cunha. O segundo maior bloco, formado por 160 deputados, apoia o petista Arlindo Chinaglia.  O bloco de apoio a Júlio Delgado (PSB-MG) é composto por 106 deputados. O Psol, do candidato Chico Alencar, permaneceu isolado, com apenas 5 deputados. O governo fracassou na tentativa de apresentar o maior bloco, o que parece indicar seu fracasso na eleição do novo presidente da Câmara.

PP quer Débora Villela na diretoria da Procergs. Piratini ainda não definiu nome do novo presidente.

A secretária de Inovação do prefeito José Fortunati, Débora Villela, foi indicada pelo PP para a diretoria Técnidca da Procergs. Os demais cargos da estatal, que ainda não foram definidos, irão para PMDB, PDT e PSDB. O PMDB ficará com a presidência. O secretário da Fazenda, Giovani Feltes, que queria ter nomeado toda a diretoria na terça-feira, licenciou-se para assumir sua cadeira na Câmara e só voltará dentro de uma semana. O nome mais forte para a presidência era o de Antonio Ramos, mas a partir de quarta-feira outro candidato, também do PMDB, mas do quadro da Procergs, assumiu aparente vantagem nas preferências do Piratini.

Sartori acompanhará Procissão de Navegantes em Porto Alegre

O governador José Ivo Sartori participa, na manhã de segunda-feira, da tradicional Procissão de Navegantes em Porto Alegre. Também o prefeito José Fortunati participará do evento. 

Operação Lava Jato investiga contratos suspeitos da Odebebrecht

Três contratos envolvendo a construtora nas obras da refinaria da Petrobras Abreu e Lima, em Pernambuco, estão sendo investigados pela Operação Lava Jato. Eles tiveram 61 aditivos elevaram em R$ 960 milhões o custo da obra – de R$ 5,1 bilhões para R$ 6 bilhões. Os acordos foram E
assinados entre julho de 2007 e dezembro de 2009;
Estas  informações fazem parte de sindicância interna da estata, mas  até o momento, a empreiteira tem sido poupada na investigação da PF

Governo Sartori prepara seu pacote de maldades para o final de fevereiro

O pacote de medidas para enfrentar o rombo de R$ 5,4 bilhões nas contas do Estado é extenso e não exclui sequer o aumento de impostos, tarefa que terá forte reação e não passará na Assembléia. O pacote não inclui alternativas novas para melhorar a receita, a não ser pelas velhas cantilenas de sempre, como combate à sonegação.  Na entrevista que concedeu sexta-feira pela manhã à Rádio Gaúcha, o secretário da Fazenda, Giovani Feltes, não descartou o atraso no pagamento dos salários do funcionalismo nem o aumento do ICMS. O aumento de 17% para 18% na alíquota geral do ICMS está na previsão e poderá ser apresentado no segundo semestre, entrando em vigor no ano que vem. Ao contrário da recriação da Cide, aumento de alíquotas do PIS, Cofins e congelamento do reajuste no IRPJ, todos federais, que não causaram reação enérgica nem do empresariado, ICMS maior é tabu no RS. A verdade é que o pacote de maldades que governador deverá propor, inclui uma cota de sacrifício aos demais poderes. Sartori também vai pedir socorro ao governo da presidente Dilma Rousseff, apesar de o momento ser de cortes em Brasília.
As propostas que serão apresentadas à população na metade de fevereiro, provavelmente após o Carnaval, vão do enxugamento da máquina pública, com privatizações, extinções, fusões ou transferência de órgãos para organizações sociais à venda de imóveis, passando pelo corte radical nos orçamentos e a revisão das necessidades de servidores, para evitar nomeações de novos concursados. O governo imagina que já em março começará a faltar dinheiro para fazer frente às despesas. O dilema do governo será escolher o que não pagar. O atraso no pagamento de salários é considerado inevitável neste ano, mas o governo sabe que não há como sacrificar os que ganham menos.
No Piratini, o conteúdo do pacote é tratado como segredo de Estado, mas os secretários têm se reunido com técnicos do Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade (PGQP), que trabalham na elaboração de cenários e de sugestões de medidas, com cálculos do impacto político e econômico de cada uma.O governo

Depois do decreto que cortou as horas extras em 40%, proibiu viagens e congelou os pagamentos de contas deixadas pelo governo de Tarso Genro, a próxima fase do ajuste deverá trazer medidas que dependem de aprovação da Assembleia e, em caso de privatizações, precisam passar por um plebiscito. É o caso do Banrisul, Cesa, Lafergs e Uergs poderão ir para o lixo.

Semana que vem Sartori decidirá novas direções do Badesul, Procergs, AGDI, EGR e BRDE

A partir da semana que vem o governador Ivo Sartori resolverá os casos das novas direções do Badesul, Procergs, AGDI, EGR e BRDE.

Congresso já abriu para posse de parlamentares e eleições no Senado e Câmara

Os novos deputados federais e senadores já começaram a chegar no Congresso para a posse. As 10h04min, ainda não tinha iniciado a abertura dos trabalhos. Os momentos mais importantes do dia serão as eleições na Câmara e no Senado, porque este ano o governo foi desafiado por candidatos do PMDB e apoiados pela oposição. Estão previstas manifestações pró-impeachment de Dilma. As 10h19min, a sessão da Câmara foi aberta pelo deputado mais antigo, Miro Teixeira, com transmissão pela TV Câmara e Globonews (canal 40 pela Sky), ao vivo. As duas, mais a TV Senado, transmitirão todo o dia, ao vivo, desde os plenários.

Refém é assassinado em rebelião no Presídio Estadual do Jacuí

Um refém foi assinado ontem de manhã no Presídio Estadual de Jaguari. Era um detento.  De acordo com a Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe), dois presos da unidade mantiveram outros cinco apenados como reféns por mais de quatro horas. A revbelião aconteceu 7h45min. O homem que morreu seria o responsável pelas chaves da cadeia. A rebelião acabou por volta das 11h.

Luiz Henrique é outro desafio ao governo. Eleição no Senado será esta tarde.

Em reportagem de hoje do site brasileiro do jornal espanhol El País, Afonso Benites conta que o racha no PMDB que parecia complicar a vida de Dilma Rousseff apenas na Câmara dos Deputados chegou ao Senado. Aliando-se a deputados de oposição, o senador Luiz Henrique Silveira (PMDB-SC) lançou sua candidatura à presidência da Casa para se contrapor a Renan Calheiros (PMDB-AL). Aos 74 anos, Silveira tenta pela primeira vez obter o cargo. Dois anos atrás ele tentou concorrer, mas desistiu diante da promessa de que teria o caminho livre agora em 2015, já que Calheiros se candidataria a governador de Alagoas. Dos três senadores do RS, o que se sabe é que Ana Amélia, PP, e Lasier Martins, PDT, votarão em Luiz\ Henrique, porque acham que Renan é corrupto e será listado na leva de políticos do Lava Jato.  Paulo Paim ficará com o senador do PMDB..
A promessa de Renan não se concretizou. Quem concorreu e se elegeu ao governo alagoano foi o filho dele. Assim, a expectativa de Silveira de chegar ao posto máximo no Senado ficou mais distante, diante da insistência do atual presidente disputar a reeleição. Não contente com a quebra do acordo, o senador catarinense lançou seu nome dizendo ser um candidato da instituição, e não do Governo ou da oposição.

Por ter a maior bancada, no Senado, caberia ao PMDB presidir a Casa. Dos 19 peemedebistas, ao menos cinco já se comprometeram com a candidatura de Silveira, um deles é ele próprio, claro. “É uma candidatura suprapartidária para propor uma mudança no Senado. Nada contra o Renan, mas precisamos mudar o que está aí há tanto tempo”, explicou o senador Waldemir Moka (PMDB-MS), um dos incentivadores da candidatura de Silveira.

Flávio Dutra chefiará escritório de Ana Amélia no RS

O jornalista Flávio Dutra é o novo coordenador do escritório de representação da senadora Ana Amélia Lemos no RS.

Sartori falará terça na Assembléia sobre o estado do governo do RS. Suplentes assumirão na quinta.

O governador Ivo Sartori falará na terça-feira à tarde na Assembléia do RS. Ele usará a tribuna para expor aos deputrados a difícil situação das finanças públicas, o que fez no primeiro mês do seu governo e de que modo vai governar. Não é comum governadores falarem na Assembléia. Ontem a noite, o editor falou por What's App com o presidente  Edson Brum, que confirmou para quinta-feira a posse dos suplentes, 14h. Nem todos voltarão imediatamente. Fábio Branco, que está hoje em Rio Grande para as festas de Iemanjá e Navegantes, disse ao editor que na quarta já estará na Sedai, mas Pedro Wesphalen deseja ficar alguns dias a mais na Assembléia para resolver questões pendentes.  Inicialmente, imaginava-se que os secretários estaduais que assumiram suas cadeiras na Assembléia, voltariam na terça-feira mesmo, o que não acontecerá. Todos eles estarão no plenário para ouvir o governador.