PT e Dilma passam a comer pelas mãos de Padilha para manter votos fiéis do PMDB no Congresso

A dificuldade na aprovação da MP dos Portos fez a presidente Dilma Rousseff efetivar mudanças na sua coordenação política, segundo informa neste final de semana o jornalista Otávio Cabral na sua coluna Holofote, de Veja.

. Gleise Hofmann e Ideli Salvati continuarão fazendo a articulação, mas a partir de agora serão secundadas por um representante indicado por cada Partido da base aliada, que ajudarão o Planalto a conseguir que as bancadas votem de acordo com os interesses do Planalto.

. O PMDB indicou Eliseu Padilha, suplente de Mendes Filho, que já assumiu a função e se aboletou num gabinete montado junto ao escritório do vice-presidente Michel Temer.

Aécio, novo líder do PSDB, conclama: "Tratemos de tirar o Brasil das garras do PT"

* Clipping www.247.com.br

Eleito presidente nacional do PSDB com 521 votos, Aécio Neves endurece seu discurso num evento em que o PSDB demonstrou unidade; "Aecio será o mais paulista dos mineiros", diz o governador Geraldo Alckmin; "Vamos juntos à vitória em 2014", reforça José Serra; "Há uma vontade de renovação. Que não joga fora o passado", completou FHC 

O senador mineiro Aécio Neves acaba de ser eleito, com 521 votos, líder do PSDB. Mas para o possível candidato do partido à Presidência em 2014, sua maior satisfação foi ter visto o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o ex-presidente FHC e até mesmo o rival José Serra ao seu lado.
Num momento em que todos esperavam um José Serra ressentido, que fosse roubar a cena e anunciar sua saída do partido, o PSDB demonstrou uma união inesperada.

. "Esta é a festa da unidade do PSDB", disse Alckmin. O governador, que se intitulou o mais mineiro dos paulista, disse que Aécio será o mais paulista dos mineiros, abrindo as portas da resistente ala paulista para o candidato.O ex-governador José Serra também declarou apoio ao senador. "Desejo sorte ao Aécio na presidência do PSDB. A ele nós atribuímos a responsabilidade de unir as forças de oposição", disse. Afastado da política desde que perdeu a eleição à prefeitura de São Paulo para Fernando Haddad (PT), afirmou que vai continuar lutando contra o governo petista. "Dilma passou 2 anos tentando arrumar o estrago deixado por Lula e agora vai passar 2 anos fazendo campanha. Esse é o governo Dilma", disse. "O PSDB tem o desafio de tirar o Brasil da conversa mole da Educação do PT."

. Prestigiado pelas maiores estrelas do PSDB, Aécio Neves então assumiu a postura de chefe endurecendo o discurso. "Como presidente nacional do maior partido de oposição, digo: Somos o partido da estabilidade, das transferências de renda, das privatizações que tão bem fizeram ao Brasil e da ética", declarou. "Queremos tirar o país das garras de um partido que se esqueceu da sua história. Nossos adversários querem cercear a democracia. Querem colocar um garrote no STF e censurar a imprensa. Segundo Aécio, os tucanos reencontram hoje com sua história e com a responsabilidade de mudar o Brasil.

Convenção de hoje do PSDB confirma candidatura de Aécio Neves para o lugar de Dilma

CLIQUE AQUI para acompanhar, ao vivo, a convenção nacional do PSDB.

Ao assumir o comando nacional do PSDB, que realiza eleições neste sábado em Brasília, o senador Aécio Neves (MG) se projeta como candidato natural à Presidência da República, embora ainda tenha de contornar a divisão interna no partido, segundo cientistas políticos ouvidos pelo UOL. "O partido não tem alternativa melhor do que o Aécio. O [ex-governador de São Paulo José] Serra, isolado, é um cadáver insepulto e o [atual governador de SP] Geraldo Alckmin não tem expressividade nacional", avalia Cláudio Couto, da FGV (Fundação Getulio Vargas). Para Couto, Aécio é o único tucano viável com chances reais na disputa ao Palácio do Planalto. "Alckmin, que seria o nome mais óbvio, teve uma performance muito ruim nas eleições presidenciais em 2006. Ele recebeu menos votos no segundo turno do que no primeiro", observa. "Não resta ninguém com projeção nacional. O PSDB é muito fraco no Nordeste e no Sul."

-  A análise de Claudio Couto, ouvido por UOL, é mentirosa e arrogante, segundo avaliação do editor, porque não pode ser considerado "cadáver insepulto" um candidato que levou Dilma para o segundo turno e obteve mais de 40% dos votos dos brasileiros. Além disto, é falsa a argumentação de que o PSDB é muito fraco no Sul, já que é do Partido o governo do Paraná. Serra venceu as eleições no Rio Grande do Sul, no primeiro e no segundo turnos, onde a govgernadora Yeda Crusius era do PSDB. Em SC, aliou-se ao atual governador Raimundo Colombo, elegendo o senador Paulo Bauer, PSDB.

RS é o primeiro estado a receber imageador térmico aéreo de alta tecnologia para a Copa

A segurança pública do Rio Grande do Sul passa a contar com um equipamento inédito no Brasil: o imageador térmico aéreo, entregue nesta quinta-feira no Palácio Piratini. O sistema está instalado em um helicóptero da Brigada Militar e custou R$ 7,5 milhões - verba do Ministério da Justiça destinada à Copa do Mundo. O helicóptero da Polícia Civil também está adaptado para operá-lo, quando necessário. O Rio Grande do Sul é o primeiro Estado do Brasil a recebê-lo.

. O comandante-geral da Brigada Militar no Estado, coronel Fábio Duarte Fernandes, lembrou que o investimento qualifica ainda mais a segurança pública. "Começamos nessa semana o policiamento ostensivo aéreo no Rio Grande do Sul. Cada aeronave equivale a 35 guarnições motorizadas", detalhou. 


O equipamento tem capacidade de operação diurna e noturna e filmagem a longa distância. À noite, as imagens são captadas por meio do calor dos corpos, sendo possível identificar pessoas, por exemplo. Também contém sistemas de mapas digitais, de gravação e de transmissão de vídeo em tempo real, integrados ao Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp). Nos próximos meses, servidores da segurança pública participarão de cursos sobre como operá-lo.

- O Sensor Eletro-Ótico e Infravermelho (Electro-Optical and Infrared System - EO/IR), também conhecido como imageador térmico, fica na parte externa da aeronave e contém uma câmera infravermelho para visão noturna e uma câmera tipo CCD para luz visível. Além de imagens em alta definição, os sensores têm teleobjetivas de - a imagem não fica tremida. O sistema permite, por exemplo, a leitura da placa de um veículo a cerca 750 metros de distância. As imagens da câmera e as informações dos mapas podem ainda ser transmitidas para o solo em tempo real, por meio de um sistema com alcance superior a 50 quilômetros. Desta forma, o Ciosp pode acompanhar e planejar toda a operação com recurso de imagens aéreas ao vivo e localização geográfica em mapas digitais. O equipamento pode operar a altura de vôo superior a 1.500 metros, tanto à noite, quanto de dia, com capacidade de visualizar pessoas a uma distância de até 10 quilômetros

* Clipping jornal NH, Novo Hamburgo.

Escândalo dos avais falsos ao KfW - Ex-diretor da CGTEE, homem de confiança do PT no RS, condenado a cinco anos de prisão

O editor acompanhou detidamente o escândalo dos avais falsos concedidos por um diretor da CGTEE, estatal federal que explora energia térmica a partir do carvão (Candiota III, por exemplo) a um empréstimo de 157 milhões de euros, que o banco alemão KfW concederia para construir seis usinas de biomassa a investidores privados do RS e Paraná. Em função das denúncias, o editor teve que responder a dois processos judiciais movidos pelo então presidente do Conselho da CGTEE, mas venceu ambos. O escândalo envolve quadros importantes do PT do RS. Todos acabam de ser condenados. Sobre o caso, o jornal Zero Hora deste sábado publica a seguinte reportagem, que vai copidescada pelo editor:

Passados quase seis anos, o à época rumoroso caso de um aval irregularmente concedido pela Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (CGTEE) teve suas primeiras condenações. A 1ª Vara Federal Criminal de Porto Alegre concluiu que seis dos réus são culpados no esquema, que incluiu documentos forjados e assinaturas falsificadas para oferecer garantias a um empréstimo de 157 milhões de euros entre uma multinacional e um banco alemão — expondo a CGTEE a riscos financeiros de forma ilegal. Três réus foram absolvidos.

. Em irregularidades cometidas entre 2004 e 2007, os réus atuaram para possibilitar à empresa alemã CCC Machinery obter o empréstimo de 157 milhões de euros. O objetivo era construir sete usinas de biomassa no Rio Grande do Sul. Para repassar o dinheiro, o banco alemão KfW exigiu um fiador. O grupo, então, tentou obter o aval junto à própria CGTEE, mas o conselho da estatal vetou o pedido: a Lei de Responsabilidade Fiscal proíbe estatais de conceder avais a empresas independentes. Rejeitado o pedido, os réus seguiram em frente e forjaram os papéis para tocar adiante o financiamento. A cúpula da CGTEE só se deu conta do esquema quando foi notificada pelo KfW de que constava como fiadora do empréstimo, em abril de 2007. Em 1º de junho de 2007, a estatal exonerou o então diretor técnico e de meio ambiente, Carlos Marcelo Cecin, abriu sindicância e, dias depois, comunicou o caso à Polícia Federal. Cecin foi condenado pela Justiça Federal a cinco anos, um mês e 10 dias de prisão e multa superior a 50 salários-mínimos.

. De acordo com a denúncia, os réus atuaram na prática de vários crimes, entre eles, corrupção passiva, corrupção ativa, estelionato e contra o sistema financeiro nacional.

. Os condenados: Carlos Marcelo Cecin,  Alan de Oliveira Barbosa (oito anos, cinco meses e 10 dias e multa de 109,3 salários mínimos),Joceles da Silva Moreira (seis anos, oito meses e 15 dias e multa de 79,6 salários mínimos), Luciano Prozillo Junior (um ano e oito meses e multa de 272 salários mínimos), Erwin Alejandro Jaeger Karl (10 anos, três meses e 16 dias e multa de 14,8 salários mínimos) e Julio Magalhães (dois anos, 7 meses e 15 dias e multa de 32 salários mínimos)

CGTEE fechou 2012 com prejuízo recorde de R$ 400 milhões. Contribuintes pagaram o rombo.

A CGTEE confirmou no início deste ano, depois que publicou seu balanço de 2012, que fechou o ano com  prejuízo de R$ 400 milhões.

. No final do ano, a CGTEE terá que fechar uma das unidades da usina, a fase A, a primeira das três que possui.

- Como empresa pública, o prejuízo da estatal federal será pago pelos contribuintes.

Banco alemão KfW ajuizou ação cível contra CGTEE em Porto Alegre, com pedido de indenização

A CGTEE está sendo processada pelo banco alemão KfW, uma espécie de BNDES da Alemanha, que quer indenização por prejuízos morais e materiais. A ação foi ajuizada na 10a. Vara Civel, em agosto de 2010, em Porto Alegre.  O banco alega que as direções da Eletrobrás e da CGTREEl sempre souberam de tudo o que ocorria nas suas barbas, acosta fotos da visita do então presidente do Conselho da CGTEE, Valter Cardeal, a fornecedores alemães que forneceriam equipamentos para as usinas para as quais um diretor da CGTEE concedeu aval, considerado falso, e transcreveu depoimentos comprometedores, obtidos na própria Alemanha por gente que participou dos negócios em Porto Alegre.