Americana AES dá uma de CEEE e atende mal seus clientes do Vale do Sinos, RS

Opinião do leitror
Luiz Garcia, Estância Velha, RS

O que aconteceu na região foi um desastre natural, que afetou a vida dos que foram atingidos, mas não foi nas proporções que justifiquem a demora no restabelecimento da energia. A cidade onde moro, Estância Velha, padece, desde sexta-feira às 16 horas do péssimo serviço da péssima AES Sul, uma empresa de quinta categoria. Ela é estrangeira, americana, e seu único e promissor “negócio” aqui no RS é a tunga mensal realizada contra os tais “consumidores”. Só para se ter uma ideia: o 0800 destes cretinos esta desligado desde a última sexta-feira. Isto é criminoso, para dizer o mínimo. Eu liguei na madrugada de sábado para domingo as 2 e as 3 da madrugada, a resposta era a mesma: “Nossas posições estão ocupadas...”. Incrível. Acho que todo o estado do RS resolveu ligar para estes incompetentes ao mesmo tempo. O telefone de Novo Hamburgo, de tão safados e descompromissados que são, colocaram um sistema automático de resposta, em inglês. É mole ou quer mai ? Na minha casa e em mais de 500 residências no meu bairro, estamos sem luz e sem água, já que a maioria das residências usa poço artesiano, pois aqui a gloriosa Corsan é uma piada, simplesmente porque um poste de final de linha caiu. Fui especialmente a Novo Hamburgo fazer uma queixa, recebi um protocolo que não serve para nada, pois eles nunca cumprem o combinado. Isto foi às 15h14min. Disseram que o tempo de resposta seria de 1 a 4 horas. Pois bem, agora são 20h28min, continuamos às escuras, e para confirmar que esta empresa não está nem ai para seus clientes, não apareceu nenhuma viatura para restabelecer a energia. Fosse este um país sério, estes pilantras já teriam sido multados ou descredenciados, mas estamos em Botocúndia. O que este pilantras precisam fazer, é continuar a encher os bornais de políticos, que sempre continuarão a votar leis que os beneficiem. Assim o fluxo de dinheiro sujo, não para nunca. Afinal,  se não forem as tais concessionárias de rodovias, de energia, dos planos de saúde e por ai vai, alimentarem as contas correntes de nossos gloriosos políticos, ai todos eles, deputados estaduais e federais, senadores, governadores e todo seu séquito, todos eles teriam que cumprir os contratos com alguma eficiência.

O RS está à beira da floresta, onde quem manda é o mais forte e não quem tem razão

Quando um juiz (Ana Krause, desembargadora do TRT) apela para que as partes cumpram uma decisão judicial, que inclusive é sua, e quando um governador (Tarso Genro) nega-se a cumprir a lei para garantir a ordem pública, isto significa que a sociedade está á beira do mato selvagem, onde vale a pena a lei do mais forte e não a lei de quem tem razão.

. É este o cenário atual do RS.

. Clique na imagem a seguir e examine a análise que o editor faz sobre o caso.

Empresários e trabalhadores próximos de um acordo para por fim à greve dos ônibus em Porto Alegre

As lotações e vans escolares não dão conta de todos os passageiros. A foto é da zona central, final da tarde.



Foi aceita  pelos dois lado a sugestão da procuradora regional Beatriz Junqueira Fialho, de que o valor do vale-alimentação passe para R$ 19, a contribuição no plano de saúde por funcionário seja de R$ 10 e aumento salarial de 7,5%. Os empresários praticamente fecharam  com a proposta, mas a comissão que representa os grevistas afirmou estar de acordo com a proposta, e lutariam em defesa dela em assembleia da categoria que deve ocorrer amanhã de manhã, 8h. A condição, no entanto, é de que fique acordado que somente 70% da frota irá operar amanhã mesmo, normalizando o serviço a partir daí.

Dossiê falso, o método de sempre que usa o PT para fritar amigos e inimigos

O gaúcho Mauro Hauschild e até Rosemary, a amante de Lula, foram denunciados por Gabas como autores do dossiê falso contra ele. 



A reportagem é de Veja desta semana. É um novo caso escabrosíssimo. Desta vez, o atingido é um alto quadro do PT, cotado até há pouco para o lugar finalmente ocupado por Aloísio Mercadante. Ele foi vítima da usina de dossiês falsos, que segundo Tuma Júnior no seu livro "Assassinato de Reputações", foi montado por Lula e Tarso Genro (leia nota a seguir). Neste caso, Carlos Gabas, secretário executivo do ministério da Previdência, foi atrás, descobriu o autor do dossiê e botou a boca. É possível que cale a partir de agora, porque ao se queixar para Lula ele foi convidado a integrar o comitê de campanha de Dilma.O pior de tudo é que ninguém consegue botar um fim a essa infamante organização criminosa que se instalou nos governos e possui ramificações em setores de decisão da sociedade brasileira, inclusive em centros públicos e privados de decisão.  Leia tudo:

O secretário executivo do Ministério da Previdência, Carlos Gabas, é um técnico respeitado no governo. Servidor de carreira do INSS há 28 anos, ele conhece como poucos os meandros do sistema previdenciário. Seu currículo acadêmico reúne algumas das mais importantes instituições do Brasil e do exterior. Gabas também é um quadro orgânico do PT. Ligado a Lula e a outros petistas históricos, ele já foi ministro da Previdência e hoje ostenta o prestígio de ser um dos auxiliares mais próximos da presidente Dilma Rousseff. A forma discreta de transitar nos assuntos do poder fez com que ele se tornasse no fim do ano passado um forte candidato a assumir a chefia da Casa Civil da Presidência, um dos cargos mais importantes e cobiçados da Esplanada. A possível ascensão, no entanto, chamou a atenção de desafetos, e Gabas passou a sentir na pele uma das mais constrangedoras situações que uma figura pública pode enfrentar: uma saraivada de acusações sobre sua vida pessoal e profissional difundida através de dossiês anônimos que chegam pelos Correios e se espalham pela internet.

Materializado em uma carta anônima de quatro páginas, o dossiê foi enviado ao Palácio do Planalto, ao Ministério da Previdência e a uma série de órgãos estratégicos do governo. Gabas só ficou sabendo do papelório, postado por um remetente fictício de São Paulo, quando o documento parou sobre a mesa do ministro Garibaldi Alves, em 19 de dezembro de 2013. A partir desse dia, o secretário passou a reunir documentos sobre sua movimentação financeira e a de seus familiares, declarações de imposto de renda, extratos bancários e até escrituras de imóveis para desqualificar as acusações. Quando terminou, juntou o calhamaço de documentos e entregou ao ministro Garibaldi com uma carta na qual rebatia treze acusações. Ciente de que o ataque tinha como objetivo abalar sua credibilidade junto a Dilma, o secretário foi ao Planalto e repetiu as explicações ao chefe de gabinete da presidente, Giles Azevedo. "Fui vítima de uma sórdida e criminosa campanha de difamação. E o diabo é que há coisas que não tem nem como responder. É tudo tão absurdo", disse o secretário.

Depois de prestar esclarecimentos aos superiores, Carlos Gabas decidiu tentar descobrir a origem do dossiê. Consultou amigos dentro do governo, companheiros de PT. E acha que descobriu. Um ministro próximo contou-lhe que quem estava distribuindo o material apócrifo em Brasília era o ex-presidente do INSS Mauro Hauschild.

CLIQUE AQUI para ler toda a reportagem. 

A piora das contas públicas

Em editorial na edição deste domingo, O Estado de S.Paulo informa que sem grande esforço, o governo conseguiu piorar suas contas, gastar um dinheirão com incentivos fiscais e chegar ao terceiro aniversário com indústria ainda estagnada, inflação maior que a do ano anterior e perspectiva de resultados medíocres em 2014. Leia toda a análise:

Mas o balanço fiscal ainda teria sido mais fraco sem a grande contribuição de receitas extraordinárias, como os R$ 22,07 bilhões obtidos com as concessões no setor de infraestrutura e os R$ 21,79 bilhões coletados com o novo Refis, o programa de refinanciamento de dívidas tributárias. Só a soma desses dois itens - R$ 43,86 bilhões - corresponde a 56,9% do superávit primário de R$ 77,07 bilhões anunciado na sexta-feira pelo governo central e apresentado pelo secretário do Tesouro, Arno Augustin, como um resultado "importante". Em 2012 o governo central havia conseguido R$ 88,26 bilhões de superávit primário, dinheiro destinado ao pagamento de uma parte dos juros da dívida pública - só uma parte, porque sempre sobra uma boa fatia dos compromissos financeiros do ano.
Mas o resultado de 2012, embora oficialmente superior ao do ano passado, foi obtido graças a uma porção de malabarismos. Os truques ficaram conhecidos internacionalmente como "contabilidade criativa".
O pífio saldo primário do governo central - Tesouro, Previdência e Banco Central (BC) - resultou da combinação de três fatores: a gastança de sempre, o baixo crescimento econômico e o desperdício representado pela maior parte dos R$ 77,8 bilhões de incentivos fiscais.

Grande parcela desse dinheiro serviu somente para impulsionar o consumo e favorecer alguns segmentos industriais, mas o efeito global foi insignificante. 

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Balança comercial registrou maior déficit da história: US$ 4,05 bilhões

A balança comercial brasileira encerrou janeiro com o maior déficit da história, de US$ 4,057 bilhões. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira, 3, pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). 

. As exportações somaram US$ 16,027 bilhões e as importações atingiram US$ 20,084 bilhões. 

. A série histórica do ministério tem início em 1994.

CLIQUE AQUI para examinar ampla reportagem - e detalhada - do site do Estadão desta tarde. 

Ouro, mais 6,73%, foi o melhor investimento de janeiro

O ouro foi disparado o melhor investimento de janeiro, segundo cálculos feitos pela equipe da gaúcha Leandro & Stormer. Logo em seguida vem o dólar comercial. O pior investimento foi de novo a Bolsa, com recuo de 7,5%.

. Acompanhe a valorização, em percentagem:
Ouro, 6,73
Dólar comercial, 2,63
CDB, 0,68
Fundo DI, 0,67
Poupança, 0,55
Fundo DI, pequenos investimentos, 0,53
Fundos de Renda Fixa, 0,51
Bolsa, menos 7,51

. A inflação medida pelo IGP-M foi de 0,48

Isam fechou dívidas de R$ 3 milhões

Fechou no final de semana o Instituto de Saúde e Assisstência aos Municipários, Isam,  sem saber o que fazer com a dívida de R$ 3 milhões que deixou espetada no mercado.

. O Isam nasceu dentro da Famurs.

. Ele foi criado por Flávio Lammel, atual diretor do Banrisul. 

PMDB quer escolher candidato ao governo do RS no dia 15 de março

Se tudo acontecer como quer o presidente do PMDB, a reunião do dia 10 da Executiva do Partido confirmará para o dia 15 de março a pré-convenção que escolherá entre José Ivo Sartori e Paulo Ziukolski o candidato ao governo do Estado.

PDT não confirma candidatura de Regina Becker

O PDT não confirma a candidatura a deputado da mulher do prefeito José Fortunati, Regina Becker. Ela é do PDT. Regina é militante política desde jovem. Nos últimos anos, tem se dedicado à causa da proteção aos animais.

Prefeitos e governador começam a pressionar o Senado pela votação do projeto que muda indexador das dívidas dos Estados

Prefeitos e governadores  desembarcarão nesta terça em Brasília para pressionar o presidente do Senado, Renan Calheiros, que vacila em colocar na pauta o projeto de lei complementar que muda o indexador de variação das dívidas públicas de Estados e municípios.

. O plenário da Câmara já aprovou o projeto, mas falta o Senado.

. O governador Tarso Genro estará presente.

. Aliás, o governador chegou a colocar publicamente que sua candidatura ao Piratini depende da aprovação do projeto, mas não voltou a insistir com a tese.

Dilma empossa quatro ministros, mas reforma continuará

Ao dar posse a quatro ministros, a presidenta Dilma Rousseff afirmou hoje (3) que as mudanças fazem parte da democracia e não alteram a forma de atuação do governo. A foto é de Roberto Stuckart.


Foram empossados nesta manhã os ministros Arthur Chioro (Saúde), José Henrique Paim (Educação), Thomas Traumann (Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República) e Aloizio Mercadante (Casa Civil). Mercadante comandava a pasta da Educação.

A cerimônia realizada no Palácio do Planalto faz parte da primeira etapa da reforma ministerial. 

Propostas na reunião do TRT estão próximas de um acordo entre rodoviários e empresários de Porto Alegre

A última proposta dos empresários(16h23m) com apoio da juiza do Trabalho, foi de aumento salarial de 7,5%, vale-alimentação de R$ 18 e contribuição por funcionário no plano de saúde de R$ 10. Os patrões melhoraram bastante a proposta e os trabalhadores reduziram bastante a sua, mas nada foi decidido.

Começou as 14h a audiência de conciliação entre patrões e empregados para mediar o fim da greve dos ônibus em Porto Alegre. O pedido da reunião partiu do prefeito José Fortunati, preocupado com os prejuízos que sofre a população da Capital. A sessão teve início às 14h desta segunda-feira, no Tribunal Regional do Trabalho.

. Foram convocados os representantes dos sindicatos dos rodoviários e sindicato patronal. Também participarão representantes da EPTC e da prefeitura.

Entrevista, João Luiz Vargas - Só o impeachment pode devolver a paz pública ao RS

João Luiz Vargas, advogado, ex-presidente da Assembléia e do Tribunal de Contas

Por que razão o senhor voltou a pedir o impeachment do governador Tarso Genro?
Como sublinho no pedido que protocolei na Assembléia, ele viola os artigos 144 da Constituição Federal e 82 da Constituição Estadual, portanto comete crime de responsabilidade. Neste caso, seu juiz são os deputados estaduais, que precisam fazer cessar o crime.

Que crime é esse?
Ora, é público: ele viola a Legalidade, marca do Estado do Rio Grande do Sul, simbolizada principalmente no movimento imortalizado por Leonel Brizola, ao se negar a garantir a segurança da população.

De que modo?
Ao negar a segurança nas garagens, sem se dar conta até mesmo de uma movimentação agressiva entre empregados e patrões, mas sobretudo por não proteger trabalhadores e a população que utiliza os ônibus da frota da cidade.

Isto está caracterizado?
Quando o próprio prefeito dá ultimato para a Brigada e ameaça recorrer à Força Nacional, o que mais se pode querer para que a Assembléia cumpra o seu dever e substitua o governante que se nega a governar. Só o impeachment poderá devolver a paz pública ao RS. 

CLIQUE AQUI para ler a íntegra do pedido de impeachment. 

À beira de um apagão, governo federal nem pensou em acionar AES Uruguaiana

Mesmo à beira de um apagão sem precedentes por causa do calor alto, falta de chuvas e seca nos reservatórios, o governo federal não deu sinal algum de que quer retomar as operações da novíssima usina a gás de Uruguaiana, da AES Sul, cuja capacidade de geração é de 600MW, a maior do gênero no País.

. O calor insuportável e o nível dos reservatórios só pega de surpresa as pessoas, empresas e governos que não planejam nada.

. Neste momento, mesmo que quisesse, Uruguaiana só começaria a produzir dentro de 60 dias, porque antes de mais nada o governo brasileiro teria que negociar com o governo argentino o desembarque de navios propaneiros em Baia Blanca, já que é de lá que o gás liquefeito é remetido por gasoduto para o Brasil.

Endividado, RS empobrece e perde importância no PIB naciona

O repórter Felipe Bachtold escreve neste domingo que com dificuldade para acompanhar o ritmo do crescimento do país, o Rio Grande do Sul perde status na economia nacional. Leia toda a reportagem ao final do link. A seguir, os trechos mais consistentes editado para esta página:

Fatores climáticos, dependência do campo e crise nas contas públicas são algumas das causas citadas por economistas para explicar o mau momento do Estado. O Estado vem freando a participação da região Sul no PIB (Produto Interno Bruto) e foi o único, juntamente com São Paulo e Distrito Federal, a perder importância em relação a 1995. Os dados estão em estudo do IBGE divulgado em novembro. Entre os anos 1990 e o início dos 2000, os gaúchos respondiam por 7,1% das riquezas produzidas no país. Em 2011, último ano analisado na pesquisa, o índice passou para 6,4%. Já o Centro-Oeste, região de novas fronteiras agrícolas, ganhou espaço. Enquanto o país experimentava crescimento acelerado de destaque mundial no meio da década passada, o interior gaúcho enfrentou na época uma das maiores secas de sua história.
(...)
Com indústria vinculada ao meio rural por força da produção de máquinas e implementos agrícolas, a crise do campo gaúcho se espalhou por diversos setores. 
(...) 
O Estado é proporcionalmente o mais endividado do país, com dívida superior ao limite legal de 200% da receita corrente líquida. Sem caixa, pouco consegue investir em infraestrutura e é prejudicado na guerra fiscal.
(...)
As dificuldades financeiras marcaram as gestões dos últimos governadores. Desde 2003, os três principais partidos do país se revezaram no governo estadual: PMDB, PSDB e PT. O problema, no entanto, persiste.

O governador Tarso Genro (PT) disse em dezembro que só concorrerá a um novo mandato se o Congresso aprovar um novo indexador das dívidas dos Estados.

CLIQUE AQUI para ler a reportagem completa. 

Tuma Júnior sobre Tarso Genro: "A fábrica de dossiês falsos era dele. Ele azucrinava meu ouvido como grilo falante"

Esta noite, TV Cultura (TVE, no RS), o delegado Romeu Tuma Júnior poderá fornecer novos elementos sobre esta denúncia que faz no seu livro "Assassinato de Reputações". Saiba mais sobre o programa, abaixo. 

Tarso e Barba comandaram juntos a fábrica de dossiês falsos contra adversários políticos, denuncia Tuma Júnior. 


Entre 2007 e 2010, o delegado Romeu Tuma Júnior, filho do ex-senador Romeu Tuma, chefe da Polícia Federal no finalzinho da ditadura militar, ex-carcereiro de Lula, foi secretário nacional de Justiça durante a administração do atual governador do RS, Tarso Genro, a quem ajudou a eleger em 2010, fazendo campanha para ele no RS, inclusive na elaboração do Programa de Governo (leia abaixo). O delegado contou para a revista Veja deste final de semana, que foi nomeado porque Lula devia favores a seu pai, Romeu Tuma, já que ele, o pai, foi quem orecrutou para a função de informante do Dops, sob o codinome “Barba”.

. No livro que resolveu escrever, “Assassinato de Reputações”, Tuma Júnior conta que Tarso Genro comandou pessoalmente a fábrica de dossiês montada pelos governos do PT para destruir adversários.

. Tarso Genro terá que se explicar sobre estas acusações diretas do delegado de São Paulo:
- Desde 2008, o PT queria que eu vazasse os documentos enviados pela Suíça para atingir os tucanos na eleição municipal. O ministro da Justiça, Tarso genro, me pressionava pessoalmente para deixar isso vazar.

- O ministro da Justiça, Tarso Genro, estava me pressionado pessoalmente, vinha à minha orelha como um grilo falante (para vazar informações sobre o cartel dos trens)

- Eu, como secretário nacional de Justiça, investiguei casos engavetados, relacionados ao Opportunity. Mas nesse esforço, recebo um retorno diverso: Daniel Dantas aparecia como denunciante e não como réu. Embora tivesse cargo executivo no governo petista, eu suspeitava da existência de tal conta. E mais: que essa conta era a lavanderia do Mensalão no exterior (...) Mandei cópia para o ministro Tarso Genro apurar isso, e espero a resposta até hoje...

- Quando veio a resposta de Cayman (sobre a conta do Mensalão) os caras pararam tudo. Isso foi para a gaveta da Polícia Federal e do ministro Tarso Genro. Eu publico no livro o documento para dizer isto: o governo não deixou investigar isso em 2007.

. As denúncias e revelações de Romeu Tuma confirmam todas as denúncias e revelações que o editor fez em seu livro “Cabo de Guerra” A fábrica de dossiês montada pelo ministro Tarso Genro, originou perseguições implacáveis aos seus adversários do RS e o ajudaram a se eleger quase sem oposição, devastada por investigações dirigidas, prisões arbitrárias, inclusive com uso abusivo de algemas e exposição dirigida para fotógrafos e cinegrafistas de todos os prisioneiros, vazamentos sistemáticos de meias verdades e uso perverso de Partidos, ONGs e sindicatos aparelhados pelo PT e seus aliados no Estado. 

Saiba como ver e ouvir Tuma Júnior, esta noite, nas TVs Cultura, Brasil e TVE do RS

Está confirmado para as 22h, hoje, o programa Roda Viva, TV Cultura de São Paulo, que terá como entrevistado o autor do livro "Assassinato de Reputações", Romeu Tuma Júnior, ex-secretário nacional de Justiça.

. O âncora é o jornalista Augusto Nunes, blogueiro da revista Veja e ex-diretor de Redação de Zero Hora, Porto Alegre.

. Uma banca consistente foi montada para a entrevista.

. Tuma Júnior poderá reiterar as denúncias que fez no livro, segundo as quais seu pai, Tumão, recrutou o ex-presidente Lula como ganso, alcaguete, dedo duro do Dops, durante a ditadura militar, sob o codinome de Barba. No livro, o autor usa 20 páginas para detalhar episódios das dedo-duragens de Lula, inclusive contra seus companheiros sindicalistas e da oposição. Tuma Júnior conta de que modo o ex-presidente foi treinado pela John Hopkins e pela AFL-CIO para encarar a condição de alcaguete da ditadura militar, como usufruía vantagens durante doce prisão que enfrentou no Dops e de que modo se articulou no PT para obstruir a trajetória de líderes que voltavam do exílio, como Brizola e Arraes.

. Você poderá ver e ouvir tudo nestes canais:

TV Cultura
Canal 160 da Sky
TVE do RS
Canal aberto, 7
TV Brasil
Canal aberto, 65


Empresas de ônibus anunciam corte de salários, cancelamento do plano de saúde e possíveis demissões em Porto Alegre

 O Sindicato das Empresas de Ônibus de Porto Alegre resolveu recrudescer e anunciou esta tarde duas retaliações contra os rodoviários em greve:
1)  Corte do ponto de todos, com o desconto imediato dos dias parados, o que já atinge todo o efetivo no salário de janeiro.
2)  Corte do plano de saúde para todos os empregados.

. Os empresários de ônibus informaram que as restrições são decorrentes do caráter ilegal da greve, conforme decisão já prolatada pela Justiça.

. O sindicato empregador também analisa a proposta de demissões dos grevistas e contratação de novo pessoal, mas isto não foi decidido até o momento. 

Campos e Marina lançarão diretrizes do programa de governo nesta terça, Brasília

O presidente nacional do PSB, governador de Pernambuco, Eduardo Campos, e a fundadora da Rede Sustentabilidade, ex-senadora Marina Silva, lançam na terça-feira, 4 de fevereiro, em Brasília (DF), as diretrizes para o programa de governo da aliança programática PSB-REDE.

. O evento será realizado no auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, às 10 horas. E será transmitido ao vivo pela TV João Mangabeira: www.tvjoaomangabeira.com.br 

. No dia 22, Campos e Marina virão a Porto Alegre para começar uma discussão em cinco regiões do País. 

Novo presidente do Tribunal de Justiça do RS assumirá as 14h

Será as 14h a posse do novo presidente do Tribunal de Justiça do RS, desembargador José Aquino Flores. As 16h ele concederá entrevista coletiva à imprensa.

. Você poderá acompanhar a solenidade de posse, ao vivo, por canal corporativo na Internet.

Boletim Focus do BC prevê PIB raquítico de 1,91% para 2014

Projeções para o final do ano, segundo analistas do mercado financeiro, para Focus, Banco Central:

Taxa de juros básicos, Selic - 11% (taxa atual, 10,50%)
IPCA - 6%
Câmbio - R$ 2,47 (era R$ 2,45)
PIB - 1,91%

Noblat revela outra "fuga" secreta de Dilma, desta vez a Palermo, Itália

Esta é outra das histórias de passeios inesperados, mantidos em sigilo e bem desfrutado pela presidente Dilma Roussef, que sabe se tratar bem quando os recursos em jogo são públicos, do povo brasileiro. leia esta história contada pelo jornalista Ricardo Noblat, mantida em sigilo até hoje:

No sábado 31 de março de 2012, depois de uma visita à Índia, Dilma Rousseff embarcou de volta sem a imprensa saber que o avião presidencial faria uma escala para reabastecimento no Sul da Itália. Não tem autonomia para voar direto de tão longe.

Durante cinco horas, por decisão de Dilma, somente as cúpulas do governo, das Forças Armadas e dos órgãos de segurança sabiam onde ela estava e o que fazia.

UM MÊS ANTES  o chefe do cerimonial da Presidência da República telefonara para José Viegas, embaixador do Brasil em Roma, pedindo uma sugestão: de volta da Índia, onde o avião deveria pousar? Viegas respondeu na hora: em Palermo, capital da ilha da Sicília, parte da Itália. Ali conhecera um dos bens mais preciosos da humanidade - a Capela Palatina, recoberta de mosaicos do século XII.

VIEGAS FOI  avisado uma semana antes da chegada de Dilma à Índia de que deveria recepcioná-la em Palermo. Os que cuidam da segurança da presidente haviam inspecionado os locais por onde ela passaria - o centro da cidade, a capela e o restaurante reservado para o jantar da comitiva de 18 pessoas, o quatro estrelas Tratoria Piccolo Napoli (telefone: +39 091 320431). Somente o governo da ilha sabia da visita.

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

Tempo continuará muito quente no RS. Ontem a noite os termômetros marcaram 40 graus em Porto Alegre.

Os uruguaios estão em "alerta laranja" até amanhã às 18h, em razão da grande instabilidade do tempo, com previsão de forte chuvas, temporais e queda de granizo. Uma parte disso sempre chega ao RS.
Então, vamos ficar de olho.CLIQUE AQUI para examinar a notícia desta manhã. 

Neste momento, 9h12min, 26 graus em Porto Alegre. Ontem, 21h, conforme mostrador do iPhone do editor, a temperatura marcou 40 graus. O dia promete repetir a dose.

. O céu é azul, o sol é forte, não há brisa, e o dia amanheceu sufocante na Capital do RS.

. Em todo o Estado, o tempo é bom e quente.

CLIQUE AQUI para examinar as previsões do Clima Tempo.


Frota de ônibus escolares, sob proteção policial, já circula para atender passageiros de Porto Alegre

Como a greve dos ônibus prossegue nesta segunda-feira em Porto Alegre, começaram a trafegar no transporte coletivo a frota de 617 vans escolares, conforme autorização do prefeito José Fortunati.

. Elas fazem companhia às lotações.

. O sindicato dos ônibus escolares garantiu que metade da frota começou a operar a partir da primeira hora da manhã. Quando estiverem a pleno, eles cumprirão as rotas atuais dos ônibus paralisados.

. O preço da passagem é de R$ 4,20.

. O governo estadual enviou comunicado aos jornalistas, inclusive ao editor, avisando que dará proteção aos ônibus escolares, coisa que se negou a fazer com os ônibus paralisados por força da greve.

. Esta tarde, na Justiça do Trabalho, haverá nova audiência entre as partes em litígio.

. A greve foi declarada ilegal pela Justiça, mas as forças da ordem não foram acionadas para cumprir a decisão, até porque a própria Justiça negou-se a dar a ordem para que seja respeitada pela força.

Paul Krugmann diz que pode estourar a bolha das economias emergentes

Em artigo que assina no Estadão de hoje, o economista americano Paul Krugmann garante o seguinte:

- Estamos vendo o que parece ser o estouro de uma bolha dos países emergentes. E uma crise nestes mercados pode, de forma plausível, transformar o risco de deflação na zona do euro em realidade.

Ele destacou no seu artigo que a Europa pode passar por situação semelhante a do Japão, que viu sua economia estagnada por anos. Leia mais:

. Paul Krugman não está muito otimista com o desenrolar da recente turbulência nos países emergentes. Para ele, o problema não é da Turquia, ou Índia, Hungria, África do Sul e qualquer outros mercado emergente que pode se tornar a bola da vez. "O verdadeiro problema é que as nações mais ricas, sobretudo Estados Unidos e a zona do euro, fracassaram em lidar com suas próprias fraquezas", afirma o economista no artigo.

. O economista diz que as crises financeiras têm ficado mais próximas umas das outras e com resultados mais severos, em termos de impactos na economia real. Por um longo período após a Segunda Guerra o mundo ficou livre de crises financeiras, provavelmente, avalia Krugman, porque muitos governos restringiram movimentos de capital entre países. Em anos recentes, a situação piorou, com uma crise atrás da outra, na América Latina, Estados Unidos, Ásia e Europa. "Se a forma da crise parece a mesma, os efeitos estão ficando piores."

Prefeitura avisa que cumprirá decisão judicial para licitar linhas de ônibus de Porto Alegre

A prefeitura de Porto Alegre não vai recorrer da decisão monocromática do desembargador Canibal Canibal e fará a concorrência que ele quer para as linhas de ônibus. Não serão incluídos os ônibus que terão integração com o sistema BRT e o metrô. A EPTC tratará jo futuro  das alterações em curso. A licitação será pelo modelo de menor preço e dará às empresas vencedoras o direito de explorar as linhas por 10 anos, prorrogáveis por mais 10.

. As empresas de ônibus atuais impugnarão o edital, caso sintam-se prejudicadas.

. Nunca houve licitação de linhas em Porto Alegre e isto raramente aconteceu no Brasil, já que se trata de permissão de uso e não concessão ou estatização.

. O prefeito José Fortunati não disse como é que fará para indenizar as atuais empresas de ônibus que porventura perderem a licitação, já que elas não transferirão de graça as suas frotas de ônibus. 

.  As empresas ou consórcios que apresentarem as menores tarifas na concorrência serão declaradas vencedoras.


Odeni Sanches, ex-freeway, assume comando das privatizadas BRs 060, 153, 162. Obras de melhoria começam imediatamente.

 Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a Triunfo Participações e Investimentos (TPI) assinaram o contrato de concessão da BR-060/153/262(DF/GO/MG). A assinatura ocorre com um mês de antecedência em relação ao cronograma previsto no edital e agradou a empresa, que poderá se beneficiar com a realização das primeiras obras durante o período seco na região. "O adiantamento da assinatura, em virtude do regime de chuva da região, é de extrema importância para a companhia, pois permitirá um melhor aproveitamento do período de estiagem para a realização das obras", disse o presidente da Triunfo, Carlo Alberto Bottarelli, por meio de nota.

A administração ficará com a Concessionária das Rodovias Centrais do Brasil S.A. (Concebra), que terá como presidente Odenir Sanches. O executivo veio da Concepa, outra controlada da Triunfo e administra 121 quilômetros da BR-290, no Rio Grande do Sul.

Dilma privatiza 5 novas estradas federais, nenhuma no RS porque o governo do PT não quer

Uma nova leva de privatizações de rodovias federais está em marcha acelerada, mas a presidente Dilma Roussef não se atreveu a incluir na relação nenhuma estrada do RS. Foi até o Mampituba, mas de novo não atravessou a ponte. E isto tudo em função de um governo de corte neomarxista que odeia  a iniciativa privada, mesmo quando esta é a única alternativa para melhorar as condições de vida da população, fortalecendo-lhe os músculos econômicos, o que só desembarca com a duplicação de estradas, coisa que o governo estadual não faz há 50 anos;  ou para manter decentes as demais rodovias de mão única que possui. O governo Tarso Genro vai até na mão contrária, acabando com as privatizações de estradas e entregando tudo para uma nova estatal que já abriu inchada de servidores públicos e consumindo os parcos recursos do Tesouro. O Brasil que quer sair do atraso vai até Torres. Leia o material do DCI de hoje:

A presidente Dilma Rousseff disse na última sexta-feira, no Palácio do Planalto, que as novas concessões de rodovias serão feitas a partir do programa de manifestação de interesse que o governo federal vai desenvolver com o setor privado. O anúncio foi feito durante a assinatura do contrato de concessões das rodovias federais, BR-060/153/262(DF/GO/MG), entre a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a Triunfo Participações e Investimentos (TPI).

. "Com isso, a gente quer melhorar a qualidade dos projetos e também garantir que fiquem claras as condições mais adequadas para a formatação de toda a engenharia financeira do projeto e também da engenharia do próprio projeto de estruturação da rodovia", disse Dilma. "Eles são todos muito importantes para que a gente eleve a competitividade da economia brasileira."

. As cinco concessões lançadas por Dilma dizem respeito: à ponte Rio-Niterói, cujo contrato de concessão vence em maio de 2015; à BR-163 com ligação com a 230, passando do Mato Grosso para o Pará, entre Sinop e o Porto de Miritituba; à BR-364 com a 060, Mato Grosso e Goiás; à BR-364 entre Goiânia e Minas Gerais, entre Jataí e entroncamento da 153; à BR-476, com ligação com a 153, a 282, a 480, entre o Paraná e Santa Catarina, passando por Lapa, Chapecó e a divisa com o Rio Grande do Sul e Santa Catarina.