Dilma, hoje, ao demitir Mendes Filho: "Vai se tratar, Mendezinho"

- "Bom malandro não berra", costuma dizer o ditado popular. É o caso do deputado Mendes Filho. Até as pedras da rua da Praia sabem que ele tentou de tudo para permanecer no ministério, mobilizando até mesmo as entidades empresariais do agro para ajudá-lo com notas e declarações públicas. O próprio PMDB do RS mobilizou-se, inclusive porque queria que Eliseu Padilha permanecesse na Câmara. A nota abaixo, demonstra que Mendes Filho absorveu rapidamente a queda e o discurso que lhe ensinou Dilma para o caso. 

Luciene Cruz*
Repórter da Agência Brasil
Brasília – O ex-ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) Mendes Ribeiro Filho admitiu neste sábado (16) que deixou a pasta para cuidar da saúde. Segundo ele, o ritmo intenso de viagens e trabalho que o ministério exigia, o impedia de cuidar de sua recuperação. "Agora vou poder me cuidar mais, cuidar do meu preparo físico, e me recuperar de tal forma que eu esteja pronto, logo, logo, para outro desafio", disse. Mendes Ribeiro Filho foi operado para a retirada de um tumor maligno do cérebro, em 2011, mas ainda continua em tratamento. Essa é a segunda vez que o ex-ministro é diagnosticado com a doença.

. Para o ex-titular da pasta, as exigências e as especificidades do setor agropecuário exigiam viagens constantes e o contato direto com o setor agropecuário. "Dilma [Rousseff] já vinha me alertando para cuidar da minha saúde, que eu tinha que parar de viajar para tudo que é canto. Eu já tinha diminuído um pouco as viagens, por conta da regionalização. Mas é impossível, tinha que estar em contato com todas as culturas, tinha que conversar com os agricultores. Era uma coisa que eu não podia estar quieto em Brasília", explicou.
Durante a cerimônia de posse dos novos ministros, Mendes Ribeiro Filho se emocionou bastante ao ouvir os agradecimentos da presidenta Dilma Rousseff pelo seu desempenho à frente do ministério. Na ocasião, Dilma disse que, além do caráter político, a relação entre eles tem "fortes bases afetivas".

. "O Mendezinho é sobretudo uma pessoa de grande lealdade política e pessoal. Ao Mendes, vou dizer, com muito carinho, obrigada pelo seu trabalho, e resista às dificuldades porque nós, no Brasil, precisamos de você. Espero que você pare de andar para baixo e para cima, cuide da sua recuperação", disse durante o discurso.

Mendes virou as costas para os companheiros no apoio a Dilma. A paga de Dilma foi mandá-lo para casa "descansar".

Dilma não esperou muito para mandar Mendes Filho de volta para casa. Ele não aceitou a esmola da SAE como compensação, mas aguardará na Câmara dos Deputados a próxima vaga no Tribunal de Contas da União.


O prêmio recebido pelo deputado Mendes Ribeiro Filho por ter sido o único grande líder do PMDB a apoiar a eleição de Dilma Roussef no RS foi ter sido nomeado e agora expelido como estorvo pelo governo do PT. É assim que o PT trata os seus aliados. Mendes resulta fragilizado politicamente. Sua demissão demonstra que os companheiros para os quais virou as costas em 2010, tinham razão no apoio que deram a Serra, este sim, muito mais confiável política e pessoalmente.

. O Planalto deixou vazar a informação de que Mendes Filho não quis o prêmio de consolação, no caso a Secretaria de Assuntos Estratégicos, o que revela que lhe sobrou um pouco de hombridade diante dos algozes do PMDB do RS. Dilma, aliás, segundo vazou o Planalto, chorou diante da consternação do seu ministro, mas recomendou-lhe:

- Vá para casa, Mendes: descansa e trata da saúde.

. O ex-ministro trata de um câncer no cérebro e dentro do governo as informações são de que ele não está nada bem.

. A conversa entre Dilma Roussef e Mendes Filho é parecida com a conversa que em 1946 tiveram o ex-presidente Getúlio Vargas e o sindicalista, na época deputado estadual, José Vecchio, que o procurou em Itu para se queixar do modo como o PTB o tratava na questão da disputa interna pela candidatura à prefeitura de Porto Alegre. Depois de passar o dia todo tentando tirar algum apoio de Getúlio, Vecchio finalmente ouviu o seguinte conselho:

- Faça como eu, Vecchio: vá para casa, porque nós não entendemos nada de política.

As mulheres do PT são iguaizinhas aos homens do PT: respeito às leis só vale para os outros Partidos


As fotos aí ao lado são do jornal O Globo. As mulheres do PT foram flagradas desembarcando de carros oficiais, pagos e mantidos com dinheiro público. Isto é flagrantemente proibido pela lei e constitui crime.Em sentido horário, a assessora da ministra Ideli Salvatti; Luiza Barros, da Secretaria de Igualdade Racial; a senadora Ana Rita e a prefeita Lucimar, de Valparaíso (GO). É o estado a serviço do poder feminino… do PT!

* Clipping www.veja.com.br, by Reinaldo Azevedo
Título original: Em matéria de desrespeito à lei, as “mulheres do PT”, vejam só!, são iguaizinhas aos “homens do PT”. Alguém esperava outra coisa?

As mulheres do PT se acham dotadas de alguma particularidade política no cotejo com os homens do PT. Por isso elas decidiram fazer um “Encontro Nacional de Mulheres Eleitas do PT”. Foi uma beleza. Segundo informa Fernanda Krakovics, no Globo, foi um verdadeiro desfile de carros oficiais para uma evento que é… partidário. Em matéria de ilegalidade e desculpa esfarrapada, as “mulheres do PT” são idênticas aos “homens do PT”.

Apesar de ser um evento partidário, o Encontro Nacional de Mulheres Eleitas do PT teve um festival de carros oficiais transportando autoridades. No intervalo de 30 minutos, uma ministra, uma assessora especial do governo federal, uma senadora e uma prefeita chegaram ou foram embora em veículos custeados pelo poder público. O evento transcorreu durante todo o dia de ontem, em um hotel de Brasília, e prosseguirá hoje. Um dos objetivos é orientar prefeitas, vice-prefeitas e vereadoras petistas, eleitas no ano passado, a desenvolver programas federais nos municípios.

Uma das que compareceram ao evento a bordo de um carro oficial foi a ministra Luiza Bairros (Igualdade Racial). Para o encontro, fechado à imprensa e organizado pelo PT, só foram convidados ministros do partido, e as participantes eram exclusivamente petistas. “Fui convidada como ministra, então estou cumprindo a minha função. Podia ser qualquer partido”, disse a ministra.

Representante da ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais), Paula Ravanelli, que é assessora especial da Subchefia de Assuntos Federativos, chegou em carro com o adesivo “Uso exclusivo a serviço da Presidência da República”, placa JJV 0019.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Editorial, Zero Hora - Estamos com medo

A foto ao lado é do Correio do Povo. Trata-se de manifestação desta sexta-feira diante do Palácio Piratini. Amigos e parentes de Lauane Lucas, 22 anos, assassinada esta semana em Porto Alegre, foram pedir mais segurança. Tarso Genro mandou um delegado receber o pai e a comitiva. O governo estadual, como se sabe, tem a atribuição constitucional exclusiva pela segurança pública no RS, coisa que não oferece.

O editorial a seguir é do jornal Zero Hora deste sábado. Ele revela o sentimento que domina todos os portoalegrenses há bastante tempo. Ninguém mais está seguro na Capital, a não ser algumas autoridades que se cercam de seguranças armados, carros blindados e todo tipo de proteção. São elas que não enxergam o que acontece nas ruas e por isto deixam de tomar atitudes na defesa do cidadão indefeso. A segurança pública é direito das pessoas e obrigação do governo estadual - que nada faz.

 O que interessa para as pessoas é ter tranquilidade no lugar onde vivem e trabalham, nas ruas e praças onde circulam e, especialmente, nas suas casas.

        A resistência de moradores de Porto Alegre em permitir a entrada de agentes sanitários do combate à dengue em suas residências pode ser explicada pelas páginas policiais dos jornais e pelos noticiários de rádio e televisão. Não passa dia sem que a população seja confrontada com algum crime brutal, como o recente assassinato da jovem Lauane Custódio Lucas, em frente de sua casa no bairro Partenon, por delinquentes que tentavam roubar o carro do seu namorado. É muita estupidez, é muita selvageria, é muita insegurança. Todos sabemos que a dengue deve ser combatida e que a população deve colaborar com os agentes de saúde, mas como permitir a aproximação de pessoas estranhas num clima de terror como o que se vive na capital gaúcha? Não é só na principal cidade do Estado, é verdade. A violência urbana atinge todo o Estado e todo o país. Ninguém desconhece isso. Mas o que interessa para as pessoas é ter tranquilidade no lugar onde vivem e trabalham, nas ruas e praças onde circulam e, especialmente, nas suas casas.Sempre reclamamos da impunidade. Ontem, a polícia anunciou a prisão dos suspeitos do bárbaro crime desta semana, que devem ser julgados e punidos de acordo com a legislação. Nem é preciso dizer que a penalização dos culpados, por mais dura que seja, não diminuirá a dor dos familiares e amigos pela perda da estudante. Nem reduzirá o medo que todos sentimos quando saímos às ruas ou quando algum parente próximo demora para chegar em casa. Punir os criminosos é necessário, sim, mas insuficiente. O que precisamos todos é de proteção, de policiamento preventivo, de ações sociais e repressivas capazes de inibir a criminalidade antes que ela se manifeste.

De que adianta saber que o presídio está cheio de delinquentes, submetidos a condições desumanas que, na visão de suas vítimas, talvez até seja punição branda demais? De que adianta saber que, às vezes, a polícia age com eficiência na investigação e na detenção de criminosos, embora também seja frequente que eles fiquem pouco tempo encarcerados? De que adianta saber que existem leis rigorosas para enquadrar os marginais? O que queremos é a segurança de poder ir e vir na nossa própria cidade, sem o risco de sermos assaltados, agredidos e até exterminados por facínoras entupidos de drogas.

 É possível sair deste ambiente de terror a que os brasileiros parecem condenados eternamente? Metrópoles outrora violentas, como Nova York ou mesmo cidades brasileiras que reduziram significativamente a criminalidade, comprovam que sim. Com programas sociais que incluem emprego e lazer para os jovens, com polícia comunitária e investimento em inteligência, com monitoramento de áreas mais suscetíveis a ocorrências policiais, com penas mais longas para crimes hediondos, com a implantação de vigilância eletrônica e com outras medidas que podem ser replicadas, várias cidades conseguiram dar um pouco mais de paz aos seus habitantes.

Precisamos de ações desse tipo de nossos governantes. E logo. Estamos com medo.


Ex-porta-voz de Lula diz que PSB renegou o socialismo e quer que o Partido seja expulso do governo do PT

Ao lado, André Singer, 
o mais novo falcão petista.

Ex-porta-voz de Lula, jornalista André Singer diz que o governo Dilma "parece alimentar a ilusão de que pode recuperar lealdade de Campos mais à frente", mas afirma que "só a terá se e quando não precisar mais dela"; ele diz ainda que, de socialista, só restou o nome ao PSB

247 - O argumento do prefeito de São Bernardo do Campo (SP), Luiz Marinho, que disse ao 247 que Eduardo Campos "já é candidato e, portanto, já é adversário", vem ganhando força dentro do PT. Neste sábado, o jornalista André Singer afirma que o PT alimenta a "ilusão" de que poderá recuperar a lealdade do PSB. Leia abaixo:

Base governista? 

Fosse a política brasileira menos acomodatícia, a reforma ministerial em gestação implicaria a retirada dos cargos entregues ao Partido Socialista Brasileiro (PSB), que a esta altura, aliás, nada mais tem de socialista afora o nome.

CLIQUE AQUI para ler mais.

Boate Kiss: laudo técnico diz que jovens morreram em verdadeira câmara de gás

* Clipping Estadão, by Elder Ogliari

Os delegados que investigam a tragédia de Santa Maria (RS) receberam nesta sexta-feira o último lote de laudos de necropsia das vítimas do incêndio da boate Kiss e viram confirmada a tese de que os 234 óbitos ocorridos no dia 27 de janeiro tiveram como causa a inalação de cianeto e monóxido de carbono. Outras sete pessoas que estavam na casa noturna morreram posteriormente, em hospitais, elevando o número de óbitos para 241. Dos 145 feridos que necessitaram de internação, 126 tiveram alta e 12 continuam em tratamento em hospitais de Santa Maria e Porto Alegre.

Total de 241 pessoas morreram na tragédia em Santa Maria
Os laudos técnicos são uma das últimas etapas do inquérito. Havia a previsão de que a investigação terminaria nesta sexta-feira, mas a conclusão foi adiada para a segunda metade da semana que vem.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Governo federal cede a pressões religiosas e cancela kit gay do MEC


* Clipping Estadão

BRASÍLIA - Um material educativo para prevenção de aids dirigido a adolescentes teve sua distribuição suspensa por determinação do governo federal. O kit, formado por seis revistas de histórias em quadrinhos, aborda temas como gravidez na adolescência, uso de camisinha e homossexualidade. A suspensão ocorre quase dois anos depois da polêmica interrupção da distribuição do kit anti-homofobia, por pressão de grupos religiosos.

. Quadrinhos foram criadas para alertar sobre gravidez na adolescência e prevenir sobre risco de aids
As revistas em quadrinhos foram produzidas em 2010, numa parceria entre os Ministérios da Saúde, da Educação e organismos internacionais. O material seria usado como apoio do programa Saúde e Prevenção nas Escolas. Em seu primeiro fascículo, procura abordar o preconceito enfrentado por jovens gays.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Lupi: amor finalmente correspondido por Dilma

-
- Desde que o ex-ministro Juraci Magalhães beijou a mão do ex-presidente Ike (Dwight Eisenhower) o beija-mão é considerado um ato de sabujice extrema quando ocorre entre autoridades. Ao lado, Lupi, no beija-mão. Percebam que Dilma nem olha para o repelente gesto, que além do mais nem foi sincero.Ouitras personalidades também já beijaram a mão de Dilma, tentando agradá-la. Entre eles, estão o ministro Fernando Pimentel e o atual presidente da Fiergs, Heitor Muller. Estas fotos, como o filme que mostra o industrial Jorge Gerdau correndo o cercadinho da cerimônia de posse do primeiro mandato de Lula, aflito, afobado, silente, em busca de um segundo de atenção, entrarão para a história do servilismo dos filhos da república petista.

- Ao demitir o ministro Brizola Neto sem pestanejar, Dilma Roussef promoveu dois agrados de uma só vez no presidente do PDT, Carlos Lupi: 1) Reforçou sua reeleição, marcada para o dia 22, sepultando de vez a oposição comandada pelos Irmãos Brizola com o apoio do próprio ex-marido de Dilma, Carlos Araújo, e pelos neopetistas do PDT alojados no governo de Tarso Genro. 2) Enfiou no cargo de ministro um homem da maior confiança de Lupi e do PDT, o secretário Geral do Partido, o catarinense Manoel Dias, velho quadro do Partido desde os tempos de Leonel Brizola. Leia o que mais escreveu sobre isto O Globo de hoje:


O Globo

A declaração de amor do pedetista Carlos Lupi, feita publicamente à presidente Dilma Rousseff, em novembro de 2011, finalmente balançou o coração da petista.

A nomeação de Manoel Dias para o Ministério do Trabalho, no lugar de seu desafeto Brizola Neto, é uma vitória e tanto para o presidente do partido, que já tem integrantes do partido flertando com o governador Eduardo Campos, provável candidato do PSB à Presidência em 2014.

Manoel Dias, Antonio Andrade e Moreira Franco assumem as 10h no Planalto


Logo mais, as 10h, cerimônia de posse do Ministro de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Andrade; do Ministro de Estado do Trabalho e Emprego, Manoel Dias; e do Ministro-Chefe da Secretaria de Aviação Civil, Moreira Franco , no Palácio do Planalto.

. São todos do PMDB.