Pacto com o diabo - Acordo entre governo do PT e Cunha começa pelo afastamento do ministro da Justiça

OPINIÃO DO EDITOR

É mais do que conveniência o anúncio de que o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, desceu hoje a São Paulo para fazer tratamento suplementar contra o câncer.

A saída de Cardozo é elegante.

Eduardo Cunha sabe bem o que quer e o que oferecer ao governo do PT.

Isto porque ele ofereceria as seguintes duas contrapartidas às exigências que já fez:

- Blindagem de Dilma nos casos de pedidos de impeachment, rejeitando todos eles.
- Apoio a todas as propostas do governo, inclusive ajuste fiscal e criação da CPMF

O presidente da Câmara também quer a nomeação de Michel Temer para o lugar de Cardozo, blindagem a possíveis pedidos de cassação e cobertura contra ataques invasivos na PGR e no STF.
Somente em relação a esta última proposta não houve acordo.

É Lula quem negocia com Cunha e Temer.

O ex-governador Tarso Genro diz que não acredita em nada disto, mesmo que não entenda por que razão a bancada do PT na Câmara não assinou o pedido de cassação de Cunha, a pedido de Lula.]
Tarso diz que se o PT fizer isto, terá vendido a alma ao diabo.

O PT já vendeu a alma ao diabo há muito tempo.

Fora da cadeia, Alexandrino poderá retomar sua cadeira de diretor do Sistema Fiergs

Alexandrino, de barba, atrás de Lula. - 


Agora que está fora da cadeia por ordem do ministro Teori Zavascki, o ex-diretor da Braskem e da Odebrecht, Alexandrino Alencar, poderá reassumir o cargo de diretor do Ciers, o Centro das Indústrias do RS, o órgão civil do poderoso Sistema Fiergs.

O que se espera é que ele faça isto logo.

Ninguém sabe que papel ele continuará jogando na diretoria do Sistema Fiergs, já que se demitiu da diretoria da Odebrecht.

O nome do réu da Lava Jato continua na lista de diretores do Ciergs.

Sem passaporte, processado, mantido sob vigilância, Alexandrino Alencar sai da prisão de Curitiba

O lobista, companheiro de viagens de Lula, preso até hoje em Curitiba no âmbito da Lava Jato, tem muitos amigos e relações em Porto Alegre, onde costuma ser recebido e festejado nos melhores salões do Estado.

O ex-diretor da Odebrecht Alexandrino Salles de Alencar deixou a cadeia por volta das 16h desta sexta-feira (16). Réu em ação penal no âmbito da Operação Lava Jato, Alexandrino teve a prisão preventiva revogada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki.
De acordo com o advogado que o representa, Técio Lins e Silva, Alexadrino segue do Complexo Médico-Penal, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, para casa em São Paulo. Ele saiu acompanhado da família, que estava na cidade para o dia de visitas.
O ex-executivo foi preso em junho deste ano, na deflagração da 14ª fase da Operação Lava Jato, que teve as empreiteiras Odebrecht e Andrade Gutierrez como alvo. Após ser preso, Alexandrino de Alencar pediu afastamento do cargo que ocupava "para se dedicar integralmente" a sua defesa.
saiba mais
Ao decidir pela revogação da prisão de Alexandrino de Alencar, o ministro entendeu que, assim como outros executivos de empreiteiras que foram liberados da cadeia, a prisão preventiva pode ser substituída por medidas cautelares.
Entre elas estão o comparecimento mensal em juízo, comparecimento a todos os atos do processo para os quais for chamado, proibição de manter contato com outros investigados e proibição de deixar o país.

Alexandrino também deve entregar de passaporte em até 48 horas.

Levy pede demissão, mas Dilma arregla porque quer viajar sem marola para a Suécia

O ministro Joaquim Levy saiu há pouco de reunião com a presidente Dilma Roussef, que viaja esta noite para a Suécia e não quer marola neste momento.

Ele foi falar mal de Lula, que fala mal de Levy.

O governo informa que o ministro não pediu demissão.

Há controvérsia.

Joaquim Levy está sendo desmoralizado pelo governo, por Lula e pelo PT.

MPF da Lava Jato prepara reação ao Soltador Geral da República

O ste da revista Época informou há pouco que o MPF prepara nova leva de fortes denúncias contra o grupo odebrecht, com ênfase para Marcelo Odebrecht.,

É uma reação ao soltador da república, o ministro Teori Zavascki.

Mais prisões serão pedidas.

Inclusive nova prisão de Alexandrino Alencar.

Leia nota:

Com base no farto material apreendido na operação Erga Omnes, realizada em junho, os procuradores da República vão fazer novas acusações contra representantes da empresa. É provável que os procuradores que cuidam da investigação da Lava Jato protocolem novos pedidos de prisão"

Réplica - Vira-lata responde a cão sarnento

O editor publica o texto a seguir do advogado gaúcho Marcelo Aiquel. Da mesma forma que o editor, ele também indignou-se com a nova sequência de bajulações que o escritor Luiz Fernando Verísismo faz aos seus amigos lulopetistas, mais uma vez implementando ataques despropositados e mentirosos aos seus adversários.

Leia o e-mail que o advogado mandou ao escritor gaúcho:

A cada novo dia o senhor tem aprimorado um péssimo “sense of humor” nos seus escritos.
"fora isso"  (título da sua coluna de hoje em ZH), nenhuma novidade na sua já notória e costumeira bajulação propagandista do desgoverno do PT.
Só que hoje, ao tentar posar de indignado com os abusos raivosos que alguns cometem contra os seus adorados bolivarianos morenos, o senhor comete mais uma das suas tradicionais, E parciais, manifestações de cunho racista.
Sim senhor, porque quem chama os opositores de “vira latas” é um racista dos mais odiosos.
"Fora isso", convém lembrar quem deu a partida para esta selvagem disputa entre “nós” e “eles”, foi exatamente o seu grande líder, aquele que convocou o exército do Stédile e disse que “sabia brigar”.
Aliás, nem os gremistas mais elitistas tem o desprezo de se referirem aos “inferiores” colorados como eles.
Quem semeia ventos só pode colher tempestades, sabia?

Em tempo: "Fora isso", a memória seletiva é um atributo inerente aos mal intencionados...

Lula assinou outra MP para beneficiar montadoras de carros. PF e MPF acham que há propina no meio.

Uma medida provisória editada pelo governo em 2010 e aprovada pelo Congresso no ano seguinte que ajudou montadoras de veículos a se livrar de dívidas com a Receita Federal também está sob suspeita de ter sido "encomendada".
A Polícia Federal e o Ministério Público Federal buscam conexões entre a MP 512, que permitiu a empresas do setor automobilístico a zerarem débitos em julgamentos no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), e a 471, editada em 2009 e também aprovada pelo Congresso no ano seguinte e já investigada por haver indícios de que teria sido "comprada" por meio de um esquema de lobby e corrupção. 
A nova MP sob suspeita foi assinada em novembro de 2010 pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva e estabeleceu regras complementares à Medida Provisória 471, que prorrogou de 2011 a 2015 benefícios fiscais de fábricas instaladas ou que quisessem se instalar no Norte, no Nordeste e no Centro-Oeste, desde que fizessem investimentos nas plantas, mas sem permitir que novas empresas aderissem à política de "desenvolvimento regional" ou que as empresas já contempladas apresentassem novos projetos.
Ao enviar a MP 512 ao Congresso, o governo Lula resolveu essa questão, ampliando o conjunto de beneficiárias. Além disso, permitiu que créditos de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) valessem não mais até 2015, mas até 2020. Por causa da conexão entre as duas MPs, a norma mais recente também entrou na mira dos investigadores.
O Congresso incluiu na MP 512 três novos artigos ao convertê-la na Lei 12.407, em maio de 2011. Os trechos adicionados por deputados e senadores resolveram uma antiga controvérsia com o Fisco, assegurando às fábricas ganho de causa em processos discutidos no Carf. Um esquema de corrupção nesse órgão é investigado na Operação Zelotes. 
A Receita não concordava que as montadoras aproveitassem os créditos de IPI assegurados pelas medidas provisórias de 2010 e 2011 e, concomitantemente, se beneficiassem de um regime especial de tributação instituído em 2001 por outra norma, a MP 2.158-35, que previa desconto de 3% no mesmo IPI. Para a Fazenda Nacional, tratava-se de um acúmulo indevido de benefícios. 
A nova lei, no entanto, pontuou que, "para efeito de interpretação", não havia óbice em somar as duas vantagens. A solução foi incluída em parecer do então deputado Moreira Mendes (PPS-RO), designado para relatar a MP 512 na Câmara. Ele escreveu que a proposta esclarecia "qualquer dúvida sobre a possibilidade de fruição conjunta". Procurado pela reportagem, o ex-congressista não ligou de volta.
O texto emendado passou pelas duas casas do Congresso e pela sanção da presidente Dilma Rousseff. Quase automaticamente, virou argumento usado pelos contribuintes no Carf. Em outubro de 2011, a Ford, uma das principais beneficiadas pela MP 512, reverteu condenação no órgão com base na nova norma.
Fora a ajuda providencial para apagar dívidas no chamado "tribunal da Receita", a MP ainda livrou o setor automotivo de recolher cerca de R$ 900 milhões por ano, nas contas do governo. 
A Ford não respondeu a questionamentos da reportagem. Em nota, a montadora afirmou ser "uma empresa comprometida com a ética e a integridade em todos os aspectos do negócio” e que “tem uma posição forte e clara contra a corrupção em todas as nossas operações”.
Inovar-Auto. Outra MP que está na mira dos investigadores é a 638/2014, que instituiu novas regras para o Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica e Adensamento da Cadeia Produtiva de Veículos Automotores (Inovar-Auto). O programa passou a ser investigado na Operação Acrônimo depois que a Polícia Federal detectou indícios de que a Caoa, fabricante de modelos Hyundai no Brasil e rede de revendas de diversas marcas, pagou propina para obter portarias que a mantivessem como beneficiária.

A montadora fez pagamentos a um empresário ligado ao ex-ministro do Desenvolvimento e atual governador de Minas, Fernando Pimentel (PT). A Caoa e o petista negam irregularidades.

Presidente da FEE não vê saída para a crise da economia e do setor público do RS

O modelo econômico equivocado, onde o Estado faz tudo, é a maior causa da crise interna que o Brasil vive e, consequentemente, o Rio Grande do Sul. 

É simples assim.

O autor da análise é o presidente da Fundação de Economia e Estatística, Igor Moraois. Ele falou sobre isto para os empresários da Associação Comercial e Industrial de São Leopoldo, a ACIS.

Eis a síntese do que disse Igor Morais:

1) O modelo desenvolvimentista que foi usado nas décadas de 20 e 70 e que vigora novamente, faz com que o Estado fique gigante e difícil de carregá-lo. Hoje, 22% do PIB é absorvido pelo Governo. 2) A culpa de toda a distorção é da população, dos eleitores, porque nós queremos que tudo seja de graça: estradas, educação, saúde. E como não há dinheiro para tudo, emite-se papel.
3) A sociedade está muito ausente dos políticos que ajudou a eleger, desde os vereadores a deputados. Nós não cobramos nada dos nossos políticos, que criam leis que muitas vezes nãos servem para nada, como a exigência dos extintores de incêndio para carros.

Nada disto é recente.

Leia o que lembra o economista gaúcho:

- O  Rio Grande do Sul vive a crise mais longa da sua história. Há doze anos, os gaúchos enfrentam um desafio que não conseguem resolver, que é a seca. A estiagem tem um impacto gigante na nossa economia e faz com que descolemos do restante do país. É um movimento periódico e intenso.]

Assessoria da Fazenda nega existência de carta de demissão de Levy

A assessoria do Ministério da Fazenda informou nesta sexta-feira, que não há uma carta de demissão do ministro Joaquim Levy. Há rumores de que o ministro tenha redigido uma carta de demissão. Hoje, o ministro cancelou sua ida à São Paulo e está, nesta tarde, reunido com a presidente Dilma Rousseff e a Junta Orçamentária (Casa Civil e Planejamento).

Em jantar com a presidente Dilma Rousseff na noite de quinta-feira, 15, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a dizer que Levy, tem "prazo de validade". No encontro com Dilma, ele pediu mudanças na política econômica para sair da crise e defendeu o afrouxamento do ajuste fiscal.

Levy e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, são alvos constantes do ex-presidente. O Diretório Nacional do PT vai se reunir no próximo dia 29, em Brasília, e cobrará, mais uma vez, a substituição do ministro da Fazenda, além de um "novo eixo" para a política econômica, com crescimento e distribuição de renda.

Ministro José Eduardo Cardozo é internado para tratamento complementar de câncer

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, internou-se nesta sexta-feira, no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Ele passará por um tratamento pelos próximos três dias em procedimento complementar à cirurgia de retirada de um câncer da tireoide realizada há três meses. "Logo estarei de volta", disse Cardozo.

Oi monta "Equipes Força Tarefa” para recuperar sistema de telefonia no RS


A Oi montou um plano de ação emergencial para amenizar os estragos causados pelas chuvas em sua rede de telecomunicações em todo o Rio Grande do Sul. A companhia escalou equipes “Força Tarefa”, em diversas cidades do estado, que ficarão de plantão, inclusive nos finais de semana, para recuperar as redes de telefonia fixa, móvel e banda larga eventualmente atingidas e amenizar as dificuldades que os clientes podem estar enfrentando.

 

A Oi ressalta que o restabelecimento total dos serviços de telecomunicações está condicionado à recuperação da infraestrutura local, além do retorno da energia elétrica. Os clientes da companhia e entidades públicas podem entrar em contato com a Oi para pedido de solicitações de reparo através do canal de atendimento 10314.

 

A Oi está priorizando os trabalhos de reparação das redes em hospitais, escolas e prefeituras de diversas regiões.

 

- No Rio Grande do Sul, a Oi investiu cerca de R$ 123 milhões no primeiro semestre de 2015, totalizando quase R$ 1,25 bilhão em cinco anos.

Reinaldo Azevedo explica por que Teori e Janot não abrem investigações contra Lula

O artigo a seguir está disponível no site www.veja.com.br Leia tudo:

Não tem jeito! Eu quero, sim, que Eduardo Cunha e outros quaisquer respondam por seus atos, pouco importa que pito toquem. Não sou Lula. Não sou petista. Não tenho moral seletiva. Mas jamais vou me conformar que Rodrigo Janot e o Ministério Público tenham transformado Eduardo Cunha na principal personagem do petrolão, um escândalo protagonizado, obviamente, pelo PT. E as evidências desse absurdo vão se acumulando. Querem ver?
Fernando Soares, o dito Fernando Baiano, fez acordo de delação premiada. Dados que vazaram de seus depoimentos, revelados pelo Jornal Nacional, complicam ainda mais a situação de Cunha, sem dúvida. Baiano afirma que entregou no escritório do deputado, no Rio, entre R$ 1 milhão e R$ 1,5 milhão, em dinheiro vivo. Seria parte da propina de US$ 5 milhões relativa à contratação de navios-sonda da Petrobras.
Mas há mais do que isso. Vocês se lembram que Lula criou uma imagem para o pré-sal, né? Seria, segundo ele, um “bilhete premiado”. Se Baiano diz a verdade, a família Lula da Silva teve acesso especial ao prêmio. Por quê? O delator, que afirmou ter pagado despesas da ordem de R$ 2 milhões de Fábio Luiz da Silva, o Lulinha, disse ao Ministério Público que repassou outros R$ 2 milhões para uma das noras de Lula.
Como e por que foi feito? Baiano trabalhava para que a OSX, empresa de Eike Batista, fosse contratada pela Sete Brasil para a construção de navios-sonda da Petrobras. O lobista recorreu então ao pecuarista José Carlos Bumlai, um polêmico amigão do peito de Lula, que conseguiu mobilizar o chefão petista. Segundo Baiano, o ex-presidente participou de reuniões.
O lobby de Lula tinha um preço: um repasse de R$ 3 milhões para uma nora sua. Baiano diz que acabou pagando R$ 2 milhões. Bumlai foi o intermediário da operação. Os dois simularam um contrato de aluguel de equipamentos, com notas frias. Lula, claro!, disse não ter nada com isso e que nunca autorizou Bumlai a negociar em seu nome.
Amigo-problema
José Carlos Bumlai (foto ao lado) é um amigão de Lula. Do peito mesmo. Voltem à imagem lá do alto. Quando o Babalorixá era presidente, havia uma foto do empresário na portaria do Palácio do Planalto com a seguinte recomendação:
“O sr. José Carlos Bumlai deverá ter prioridade de atendimento na portaria Principal do Palácio do Planalto, devendo ser encaminhado ao local de destino, após prévio contato telefônico, em qualquer tempo e qualquer circunstância”.
Pois é… Nem dona Mariza Letícia teria tal privilégio, não é mesmo? Suponho que nem o ministro da Fazenda ou o presidente do Banco Central. Se vocês clicarem aqui, terão acesso a uma porção de posts em que o amigão do Poderoso Chefão petista aparece em situações nebulosas.
Em 2010, o Incra comprou terras suas para a reforma agrária. Uma perícia revelou um superfaturamento, em uma única operação, de R$ 7,5 milhões. O homem, um pecuarista, participou da formação de consórcio para a construção da usina de Belo Monte. Bumlai também aparece fazendo pressão para o Banco do Brasil patrocinar a empresa de games de Lulinha. Mais: segundo Marcos Valério, aquele do mensalão, foi o pecuarista que arrumou dinheiro para pagar umchantagista que ameaçava envolver Lula na morte do prefeito Celso Daniel. Mais um pouco? Em 2013, mais da metade da dívida bilionária da usina de açúcar álcool do amigão de Lula estava com o BNDES e o Banco do Brasil, dois entes públicos.
Intimidade, pois, não falta entre Lula e aquele que, segundo Fernando Baiano, intermediou uma propina de R$ 2 milhões para uma nora do petista em razão do lobby que este fez em favor de uma empresa privada.

Venham cá: quando Janot determinou a abertura de inquéritos da Lava-Jato, havia contra os investigados algo mais do que isso? Por que nem mesmo um inquérito existe para investigar Lula? 

Quem será o próximo bandido da Lava Jato que Teori Zavascki mandará libertar ?

O editor aceita apostas sobre quem será o próximo petroleiro que o ministro Teori Zavascki mandará soltar em Curitiba.

A soltura de Alexandrino Alencar, companheiro de viagens de Lula, é apenas a última das interferências do ministro para melar a Lava Jato e ajudar Lula, o governo Dilma e o PT.

Vote na enquete ao lado e faça a sua escolha.

Junior Achievement apresenta feira de mini-empresas no iguatemi de Porto Alegre

Será neste final de semana a 43a. Feira de Mini-empresas,no shopping Iguatemi, Porto Alegre, 530 alunos de ensino médio estarão presentes. São 15 escolas públicas e privadas.

O evento mostrará projetos de negócios criativos e viáveis.

Ex-chefe da PGE no governo Olívio quer disputar OAB

O advogado Paulo Torelly, que foi Procurador Geral do Estado no duro e incompetente governo Olívio Dutra, PT, resolveu disputar a presidência da OAB do RS.

Produção industrial caiu 0,8% em agosto

Este é o oitavo resultado negativo consecutivo, acumulando retração de 5,6%; os dados foram divulgados nesta sexta-feira 16, pelo IBGE

Registre, agora, sua adesão à manifestação do dia 15 em Porto Alegre

Pelo menos 5.400 pessoas já foram convidadas e 1.200 confirmaram presença na manifestação pró-impeachment do dia 15 de novembro, 14h, no Parcão, Porto Alegre.

CLIQUE AQUI para aderir e buscar mais informações.

O editor já registrou adesão e convida todos os leitores a fazer o mesmo (leia anúncio aí ao lado, acima).

Presidente não quer saber de CEEE Telecom

Curitiba, via WhatsApp

O presidente da CEEE, Paulo de Tarso, nega-se a retomar as discussões sobre a criação da CEEE Telecom.

O projeto é cozinhado em banho maria desde o governo Rigotto.

A CEEE sempre teve tudo o que é necessário para entrar na disputa de mercado.

A Copel, do Paraná, já se propôs entrar de sócio.

Saques são implacáveis nas casas dos afogados de Porto Alegre

As casas abandonadas nas vilas e bairros mais pobres alagados de Porto Alegre, são saqueadas sem piedade desde o início da crise metereológica iniciada quarta-feira a noite.

Dólar volta a subir e é cotado a R$ 3,85

O dólar registra alta e é cotado acima de R$ 3,80 nesta sexta-feira. Na máxima do pregão, a moeda americana atingiu o valor de R$ 3,8570.



Economia do Brasil já despenca 3,02% em prévia do PIB

Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) teve baixa de 0,76% em agosto, a terceira mensal seguida

A economia do Brasil voltou a apresentar retração em agosto segundo dados divulgados pelo Banco Central nesta sexta-feira. Considerado uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB), o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) apontou queda de 0,76% no oitavo mês do ano, com ajuste sazonal, que considera as variações ocorridas de tempos em tempos. Foi a terceira baixa mensal seguida do indicador.

No ano, também com ajuste sazonal, o recuo acumulado é de 3,02% e, em 12 meses, de 2,28%. O IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses.
Agência de risco rebaixa nota do Brasil, mas mantém grau de investimento do país

Na série observada, que considera períodos iguais de tempo (sem ajuste sazonal), os números indicam queda de 2,99% no ano e de 2,16% em 12 meses até agosto.


No Relatório Trimestral de Inflação de setembro, o BC revisou sua previsão de queda para o Produto Interno Bruto (PIB) de 2015 de -1,1% para -2,70%. No Relatório de Mercado Focus da última segunda-feira, a mediana das expectativas para o PIB estava negativa em 2,97% para este ano.

Artigo, Fernanda Barth - Por que sou favorável ao projeto de Revitalização do Cais de Porto Alegre

Porto Alegre, cidade de todos. Cidade democrática. Cidade politizada. Uma cidade que poderia ser bem mais do que é, mas sofre na mão de minorias organizadas e barulhentas, cujos interesses não são nada republicanos. Longe disto. São interesses egoístas, interesses políticos. Infelizmente enquanto a maioria que é simpática ao projeto de revitalização do Cais Mauá permanece silenciosa, por não ter aptidão para a cidadania ativa ou por falta de tempo mesmo, as minorias barulhentas seguem ganhando no grito e nossa cidade permanece estagnada e decadente. Foi por esta razão que resolvi expor aqui porque defendo a revitalização.

Disputa ideológica
Sinto que transformaram a questão da revitalização em um debate político ideológico, antecipando as eleições municipais do ano que vem. A maioria das “lideranças” culturais que estão a frente de movimentos contrários a revitalização já fizeram ou fazem campanha para o PT e para o PSOL. Temos vereadores de ambos os partidos envolvidos até os cabelos na luta contra o projeto. Seria uma tremenda ingenuidade não percebermos que o verdadeiro propósito disto que está sendo feito é enfraquecer o prefeito Fortunati e seu governo, não deixando que a importante obra comece. Não sou uma defensora do Fortunati, nem sei em quem vou votar ainda, mas tentar barrar o projeto com este propósito mesquinho só favorece os grupos políticos de esquerda que querem, desesperadamente, voltar ao poder.

Democratização do espaço
Os motivos citados para impedir a obra de ser realizada beiram o absurdo e estão recheados de ranço, mentiras e falta de visão. Não existe nada mais ultrapassado do que querer que o projeto apenas restaure os galpões, alguns literalmente caindo. O projeto urbanístico prevê uma verdadeira DEMOCRATIZAÇÃO do espaço, trazendo acessibilidade, segurança, espaços de lazer e convivência, atrações e negócios variados para todos os públicos, de todas as idades. Com visão cosmopolita. Restaurantes e barzinhos, centro comercial e bodegas. Para todos os bolsos e gostos.

Cais para todos de verdade
Não é nada elitizado, mas se a elite quiser frequentar será bem vinda também. Por que não? A cidade não é de todos? Parece que há um preconceito em relação a isto por parte dos grupos contrários ao projeto. Chimarródromo, cachorródromo, local para piquenique, bicicletário e hotel. Teremos tudo isto. Quem for contra isto está pensando apenas em seu umbigo. Como fizeram (os mesmos) com a ponta do Estaleiro Só, que hoje já poderia ser um local maravilhoso mas está entregue ao lixo e aos ratos.

As torres "da discórdia" e a Zona Mora do 4º Distrito
Vamos falar das “torres da discórdia”. O argumento é de que shopping é ultrapassado e que ninguém mais quer. Meu deus! Entrem em um shopping no sábado e no domingo! Quem mais frequenta são os jovens, a periferia e os moradores das vilas vem em peso. Pura inclusão social. Isto se fosse um shopping, coisa que não é. As torres serão edificadas lá perto da rodoviária, quase no quarto distrito, bem ali onde tem um cemitério de barcos enferrujados e que a vista fica horrível para quem entra na cidade, e não perto da chaminé do gasômetro, como alguns mal intencionados querem fazer pensar. Aquela região também precisa de revitalização, investimentos, desenvolvimento e o projeto de revitalização do Cais Mauá proporciona justamente isto, fazendo renascer aquela “zona morta” da cidade.

Mais vida, segurança e movimento no centro
Outro ponto positivo é o apoio majoritários dos comerciantes de “porta de rua” do centro, que sabem que com isto vão ter mais segurança e que o movimento vai aumentar. Os imóveis da região central também vão valorizar e a cidade que cresceu de costas para o rio-lago Guaíba vai ganhar muito com isto. O turismo nas ilhas também irá desenvolver, com novos empreendimentos, trazidos pelas balsas. A geração de novos postos de trabalho, empregos diretos e indiretos, mais fornecedores, mais frequentadores, geração de renda. Detalhes como o numero de arvores retiradas, quantas serão replantadas, a passarela que haverá, não podem ser impeditivos para que o projeto que a cidade já esperou durante décadas finalmente aconteça. São questões que precisam ser resolvidas com diálogo e sem radicalismos.

Cidade mais humana e integrada
Com a revitalização do Cais Mauá teremos uma cidade mais humanizada, mais orgânica, integrada com seu centro, que será como um coração pulsante. Eu fico imaginando quando cair a noite, após um lindo pôr do sol, todas as luzinhas acessas, os barzinhos com as mesas na beira do rio, as pessoas conversando, os casais namorando, uma música ao vivo no fundo. Teremos todos os dias um espaço que só pudemos vislumbrar como pode ser maravilhoso quando aconteceu a Bienal do Mercosul ou quando rolou a Copa do Mundo. Feche os olhos e imagine. Agora vamos defender juntos o projeto. 

CNA acusa Banco do Brasil de venda casada na liberação de crédito agrícola

O presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins da Silva Junior, disse ter apresentado ao Banco do Brasil provas de venda casada em agências da instituição. Produtores rurais estariam sendo levados a comprar outros produtos junto com a contratação do crédito agrícola.


“Nós provamos que o BB está fazendo chantagem em cima do produtor. Levamos provas de venda casada. Isso encarece o custo de produção”, afirmou após a abertura do evento “Diálogo agrícola Brasil-Estados Unidos”, promovido pela CNA.


O executivo defendeu a ampliação do seguro rural como forma de diminuir riscos e, consequentemente, o custo dos financiamentos. “Não podemos mais ficar a mercê de seguro insignificante, que não cobre nem 4% da nossa área e menos de 20% da nossa produção”, avaliou. “Se tivermos seguro agrícola com cobertura de 50% da produção, teremos facilidade de buscar recursos”, afirmou.

STF concede habeas corpus para libertar Alexandrino, ex da Odebrecht

O Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu habeas corpus para a soltura do executivo Alexandrino Alencar, ex-diretor de Relação Internacional da Odebrecht, preso preventivamente desde junho e réu na operação Lava-Jato por corrupção.

De acordo com o advogado de Alencar, Augusto Botelho, a decisão foi concedida pelo ministro Teori Zavascki. A expectativa é que Alencar seja liberado ainda nesta sexta-feira. O ex-diretor foi preso no dia 19 de junho, junto com o presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e outros dois diretores da empresa.


Alexandrino Alencar é apontado como lobista da empreiteira e cuidava das doações eleitorais da Odebrecht. De acordo com a Polícia Federal, ele relatou em depoimento encontros na sede da empreiteira com o braço direito de Alberto Youssef, Rafael Ângulo Lopez, e reuniões em hotéis de São Paulo com o ex-deputado José Janene (PP/PR).

Ainda segundo a Polícia Federal, no relatório final de interceptação telefônica da 14ª fase da Lava-Jato - que prendeu os executivos da Odebrecht - o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva conversou por telefone com Alencar no dia 15 de junho, quatro dias antes de o executivo ser preso. De acordo com o relatório, Lula estaria preocupado com "assuntos BNDES".

Novo pedido de impeachment de Dilma será entregue hoje à Câmara

O jurista Hélio Bicudo, o ex-ministro da Justiça Miguel Reale Jr. e líderes de movimentos Fora, Dilma registraram um novo pedido de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, ontem, em um cartório em São Paulo. A nova petição será apresentada na terça-feira à Câmara dos Deputados para ser analisada pelo presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).


Também presente, o líder do PSDB na Câmara, deputado Carlos Sampaio, informou que o documento reúne argumentos que estão no aditamento ao pedido original de Bicudo, sobre as pedaladas fiscais de 2014, e também informações prestadas pelo Ministério Público de Contas ao Tribunal de Contas da União (TCU), sobre a continuidade das pedaladas em 2015.

Exército cassa medalhas de mensaleiros

Finalmente, três anos após serem condenados pelo Supremo Tribunal Federal, os mensaleiros José Genoino (PT), Roberto Jefferson (PTB) e Valdemar Costa Neto (PR) tiveram cassadas a Medalha do Pacificador, a mais alta condecoração do Exército Brasileiro. O ato é do general Vilas Boas, o atual comandante.


Segundo o site Diario do Poder, o ex, general Enzo Peri, teve medo de irritar Dilma e não casou as medalhas, apesar de ser obrigado a isso pela legislação. Os mensaleiros já sumiram do Almanaque do Exército. O decreto 4.207/02 manda cassar honrarias de condenado por crime contra o erário, em sentença transitada em julgado.


Os mensaleiros são corruptos transitados em julgado no STF desde 28 de novembro de 2012. Suas penas somaram 282 anos de cadeia.

Emprego na indústria em agosto atinge menor nível da série

O emprego na indústria voltou a atingir, em agosto, o menor nível da série, iniciada em dezembro de 2000, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É a sexta vez consecutiva que esse recorde é rompido este ano, e significa que a atividade mantém hoje o menor número de pessoal ocupado assalariado desde que o órgão passou a realizar a pesquisa.


Além disso, o resultado negativo de agosto levou o indicador de emprego industrial a acumular uma queda de 5,1% em 12 meses. É a primeira vez que o resultado nesse tipo de confronto supera a retração percebida em dezembro de 2009 (-5,0%). Com isso, a força de trabalho na indústria brasileira já registra a maior queda da série - que tem informações desde dezembro de 2001 nesse recorte.

Prévia do PIB registra queda de 2,99% no ano

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) apresentou baixa de 0,76% em agosto ante julho, a terceira consecutiva na margem, na série com ajuste. Em julho, o recuou foi de 0,01% e em junho, de 0,85%, segundo dados revisados nesta sexta-feira, 16, pelo Banco Central).

O resultado deficitário ficou um pouco maior do que a mediana de -0,60% das estimativas apuradas pelo AE Projeções com 26 instituições financeiras. O intervalo dessa amostragem ia de -1 23% a -0,21%. O IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses.


O indicador passou de 141,08 pontos (dado revisado) em julho na série dessazonalizada para 140,01 pontos em agosto. Na série observada, é possível identificar um recuo de 2,16% nos 12 meses encerrados em agosto. No acumulado deste ano até agosto, a retração acumulada já está em 2,99%.

Na comparação entre os meses de agosto de 2015 e de 2014, houve diminuição de 4,47% também na série sem ajustes sazonais. Na série observada, agosto encerrou com o IBC-Br em 142,91 pontos ante 145,82 pontos de julho (dado revisado).

Tarso: "Acordo com Cunha é o mesmo que entregar a alma ao diabo"

O ex-governador Tarso Genro, que continua não acreditando em Papai Noel, duvida das intenções da cúpula do PT, de Lula e do governo Dilma, no sentido de uma concertação com o deputado Eduardo Cunha.

Ele ignora todas as evidências, entre as quais o fato de que o PT não quis homologar o pedido de cassação do mandato do presidente da Câmara.

Disse Tarso, que não acredita em Papai Noel:

- Seria a desmoralização definitiva do PT

E mais:

- É o mesmo que entregar a alma ao diabo.


Dica de leitura, Leo Iolovitch - Atenuante metereológico

CLIQUE AQUI para ler e ouvir no original. 

Uma tarde chuvosa daquelas bem desagradáveis, que seria melhor nem fazer parte da vida da gente. Os sapatos estavam molhados, a cada passo sentia aquela espuminha gosmenta quando os dedos dos pés tornam-se sujeitos do verbo chafurdar. Desceu do ônibus e ficou pleonasticamente parado na parada, com vontade de nada, gostaria de desaparecer. Olhou para o lado e viu um sorriso de mulher, instintivamente respondeu e ofereceu carona no seu guarda chuva.
Atravessaram a rua bem juntos para evitar a chuva, da qual falaram com queixas. No trajeto até o prédio dela a conversa e a proximidade resultaram no convite para entrar e acabou evoluindo para uma intimidade inesperada, numa tarde em que os prognósticos eram os piores. O que confirma a genial frase do Machado: “o imprevisto é uma espécie de deus avulso, ao qual é preciso dar algumas ações de graças; pois pode ter voto decisivo na assembleia dos acontecimentos”...
Dias depois os amigos reunidos falavam do período chuvoso, que deixava todos com baixo astral e sem programa. Então o Rafa narrou sua aventura, que começou ao descer do ônibus e terminou no apartamento. Surgiu a pergunta desnecessária, se era bonita. A vacilação e breve silêncio do Rafa já significava uma resposta negativa, que foi suavizada com o comentário: “bem legal, mas um pouco narigudinha”.
Depois de alguma bebida o Cebola entusiasmou-se e contou o que houve com ele e a Red Bull, que ganhara este apelido por ser atarracada, agitada, dinâmica e ter cabelo crespo e bem ruivo. Ela sabia que a mulher menos desejada deve estar em permanente disponibilidade, e, naquela tarde, funcionou. Fosse um dia ensolarado e ele nem teria dado assunto, mas ficaram conversando à toa, e depois foram para a casa dele ouvir música. Lá, ao som do primeiro trovão, ela se agarrou nele dizendo-se amedrontada; terminaram na cama em frenética atividade, sonorizada pelas trovoadas e iluminada pelos flashes estroboscópicos dos relâmpagos.
Quando os amigos quiseram ironizar as escolhas dos dois, o Rafa e o Cebola reagiram quase ao mesmo tempo, como um jogral improvisado:
“Pô, mas com essa chuva! Queriam o que”?
A partir daí, foi instituído o ATENUANTE METEOROLÓGICO...

Ministro do STF, Marco Aurélio Mello, defende renúncias de Dilma, Temer e Eduardo Cunha

Já repercute na mídia nacional a nota desta manhã da jornalista Natuza Nery, Folha de S. Paulo, na sua coluna Painel, segundo a qual o  ministro Marco Aurélio Mello, do STF, defende uma forma "não traumática" para o país superar a crise: a "renúncia coletiva" da presidente Dilma Rousseff, do seu vice Michel Temer e do presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

Se de fato isto ocorresse, novas eleições teriam que ser convocadas. 

As declarações do ministro ajudam a botar combustível na fogueira da crise política. 

Escreve Natuza Nery:

"Falo isso como cidadão e em uma perspectiva utópica, já que seria algo impensável para os atuais detentores dos poderes", diz ele. Para o ministro, "o mal maior, a crise econômica," está sendo deixado "em segundo plano" por "interesses políticos".

Delator deu dinheiro sujo para Lulinha, mas também deu propina para a construção da casa da nora de Lula

Ao lado, Lula e Marisa Letícia posam com a família real holandesa. Era este tipo de foto que Lula queria ter com a própria família ? - 


Em delação premiada, o lobista Fernando Soares, conhecido como Baiano, afirmou ter feito pagamento de R$ 2 milhões que teria como destinatária uma nora do ex-presidente Lula. Segundo o delator, o pagamento foi feito a pedido de José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente. Baiano conta que o valor pago era referente a uma comissão a que Bumlai teria direito por incluir Lula em uma negociação para um contrato. Baiano era representante da empresa OSX, que tinha interesse em entrar na licitação para construir navios-sonda para explorar o pré-sal.

Os jornais e serviços de web publicaram tudo ontem e hoje.

Leia a reportagem do site de Veja (www.veja.com.br) que conta tudo:

Segundo Baiano, houve duas reuniões com a participação do ex-presidente. O delator disse que não participou dos encontros, mas que estiveram no local, além de Lula, Bumlai e o então presidente da Sete Brasil, empresa criada para construir as sondas para exploração do pré-sal pela Petrobras. Conforme Baiano, por ter ajudado a incluir o ex-presidente na negociação, Bumlai pediu um favor: disse que estava sendo cobrado por uma nora de Lula, que precisava pagar uma dívida, ou uma parcela de imóvel, e precisava de R$ 3 milhões. O lobista respondeu que poderia pagar apenas R$ 2 milhões.
Em depoimento voluntário, Lula nega tráfico de influência em favor da Odebrecht
Baiano também afirmou que entregou uma quantia entre R$ 1 milhão e R$ 1,5 milhão em espécie no escritório de Eduardo Cunha, repasse que seria fruto de desvios da Petrobras. A informação foi divulgada nesta quinta-feira pelo Jornal Nacional.
Janot inclui delação de Baiano em denúncia no STF contra Cunha
Baiano é apontado como operador do PMDB no esquema de corrupção da Petrobras. Cunha já é alvo de investigação por corrupção e lavagem de dinheiro decorrente desse caso. Neste processo, o lobista Júlio Camargo – que fez delação premiada – declarou que Cunha o pressionou, em 2011, por uma propina de US$ 5 milhões em contrato de construção de navios-sonda, equipamento usado na perfuração de poços de petróleo.
Segundo Baiano, o pagamento teria sido feito no escritório de Cunha, no Rio de Janeiro, em outubro de 2011, e foi uma das parcelas da propina. O delator disse que a ordem partiu do próprio Cunha, que o orientou a deixar o dinheiro com uma pessoa chamada Altair.


O RS acabou

O violentíssimo temporal de 10 minutos de quinta-fera a noite, demonstrou que a infraestrutura material do RS é frágil e ainda assim aparece no limite dos seus poderes, o que é alarmante e só confirma o que já ocorre há mais tempo nos precários serviços e equipamentos da sua infraestrutura social. Manter e atrrair investimentos neste tipo de cenário degradado é sonho de uma noite de verão. O RS acabou. -

Os serviços de energia, telefonia, água e internet móvel via smartphone só voltaram a suprir as necessidades do editor as 4h17min desta sexta-feira.Eles foram descontinuados na quarta-feira a noite.

Durante toda a sexta-feira o editor buscou alternativas em escritórios conhecidos de pelo menos cinco bairros de Porto Alegre, mas acaou desistindo e buscou refúgio no Hospital Mâe de Deus, dentro do pressuposto de que hospitais não ficam sem estes serviços (foto ao lado).

Foi o caso mais inusitado dos seus 50 anos de jornalismo, mesmo em casos de revoluções e golpes militares.


Sol brilhará hoje, sábado e domingo no RS

Segundo o Weather Chanel, consultado neste momento, 8h31min pelo editor, o dia será todo de sol nesta sexta-feira no RS. A previsão é de tempo nublado com sol no sábado e de sol forte no domingo.

Em Porto Alegre, a temperatura é de 18 graus.

O mau tempo de terça, quarta e quinta-feiras, ocasionou danos de monta em pelo menos 90 municípios, com moradores flagelados, estradas danificadas, enchentes e falta de luz, água, telefone e internet.

Na Capital, mais de metade da população de 1,3 milhão de habitantes passou mais de 24 horas sem água, luz, telefone e internet.

Centenas de moradores foram postos para fora de casa pela água do Guaíba.

A cidade está totalmnente despreparada para desastres naturais de monta.

O mesmo ocorre no interior.

Temporal derrubou 327 árvores em Porto Alegre

A foto ao lado foi obtida pelo editor no seu iPhone, 17h, quinta-feira, rua Dario Pederneiras, uma das mais atingidas do bairro Petrópolis, Porto Alegre. 



Embora seja uma das capitais brasleiras mais arborizadas, o que quer dizer que temporais como os de quarta-feira podem resultar em centenas de árvores abatidas pelos ventos (na noite de quarta-feira, eles chegaram a 106 kms por hora) ocasionando danos de grande monta, como foi o caso.

Na quarta-feira, foram 327 árvores, segundo soube o editor.

Esta manhã, 59 pontos da cidade ainda estão prejudicados.



Feltes vem aí com seu big data de feroz combate à sonegação

Esta tarde, 14h, o secretário gaúcho da Fazenda, Giovani Feltes, anunciará publicamente o início dasoperações do seu big data, um impressionante novo sistema que fornecerá maior agilidade ao governo no combate à sonegação.

Que será ainda mais feroz.