Marina Silva ingressa no PSB e anuncia apoio a Eduardo Campos

Marina Silva e Eduardo Campos anunciaram esta tarde a formação de chapa completa para disputar a eleição com Dilma Roussef.

. O ato público abriu com o Hino Nacional, a primeira e grande diferença do que ocorre nos atos do PT.

. O anúncio poderá levar o PT a trocar a candidatura de Dilma, entrando Lula em seu lugar.

. A partir de hoje a campanha presidencial está de fato nas ruas.

Marina avisa seus seguidores: "Meu projeto é acabart com a hegemonia e o chavismo do PT"

- Eduardo, você está preparado para ser presidente do Brasil? Eu vou ser sua vice e estou indo para o PSB.

. Foi com esta frase que  a ex-senadora comunicou sua decisão ao governador pernambucano. A reunião decisiva terminou às 4h30 deste sábado. Nela, Marina comunicou aos seguidores que seria vice de Eduardo Campos e que sua posição seria inegociável; ao dizer que o sonho de ser presidente seria adiado. O que ela disse aos seus seguidores, segundo quem a ouviu:

- Meu projeto é acabar com a "hegemonia" e o "chavismo" do PT.

Entenda como fica a sucessão com a chapa Eduardo Campos-Marina

Marina Silva anuncia neste momento sua ida para o PSB em  ato público do qual participa também o presidente do Partido, o governador Eduardo Campos. Ela será candidata a vice na chapa dele.

. O acerto pegou de surpresa todo mundo, porque ninguém cogitou do acordo.

. O que ficou acertado:

- A Rede, o Partido que Marina não conseguiu emplacar, continuará sendo o objeto de luta principal de Marina e seus seguidores, mas enquanto isto não ocorrer, todos encontrarão abrigo no PSB. É algo semelhante ao que faziam os comunistas do PCB, que antes da ditadura abrigaram-se em várias legendas, como o PSP, de Ademar de Barros, e mais tarde, durante a ditadura, no MDB, até que conseguiram emplacar seu próprio Partido.
- Marina será a vice de Eduardo Campos, muito embora registre muito maior quantidade de intenções de votos, porque afinal de contas o PSB é do governador de Pernambuco. Este movimento reforça extraordinariamente a chapa de Eduardo Campos, que se torna realmente competitivo. Na prática, duas candidaturas diversas consertaram uma poderosa coligação.  

. O presidente do PPS, Roberto Freire, ferrenho adversário do PT, considera a opção de Marina um completo equívoco, porque queria que ela se candidatasse pelo seu Partido, caracterizando uma opção claramente de oposição.

. Se tudo ocorrer como se espera, o próximo pleito terá três fortes candidatos:

Dilma, PT
Eduardo Campos, PSB

Aécio Neves, PSDB

Marina vai para o PSB e acerta "coligação democrática" para enfrentar Dilma e o PT

O jornalista Merval Pereira, O Globo, ontem a noite, tinha antecipado o que iria acontecer. CLIQUE AQUI para ler. 

A notícia acaba de ser anunciada pela CBN, pela Globo e já circula rapidamente pelas redes sociais. Marina Silva se filiou ao PSB de Eduardo Campos, informou há pouco o site www.brasil247.com.br Leia tudo:

. As circunstâncias ainda são meio confusas, mas tudo indica que Eduardo Campos sacou uma solução brilhante da cartola: inventou uma tal de “coligação democrática” e “reconhecerá a existência política da Rede”.

. Apesar de surpreendente, não deixa de ser uma solução quase racional. Marina tem poderosos apoiadores financeiros, que fizeram pesada pressão nas últimas horas. O Estadão sequer hesitou em dar nome aos bois: Natura e Itaú. Mencionou-se ainda articulação do próprio Roberto Irineu Marinho, presidente das Organizações Globo.

. A turma do dinheiro estava decidida a manter Marina no páreo de qualquer jeito, e não aceitavam a derrota. A sua presença é fundamental para levar a eleição para o segundo turno.
A notícia ainda precisa ser confirmada, naturalmente, por uma declaração da própria Marina Silva.

Governo de faz de conta - Ministro dos Portos sai do governo sem ter investido um só centavo este ano

O repórter Dimmi Amora revela neste sábado no jornal Folha de S. Paulo que o ministro Leônidas Cristino, da secretaria dos Portos, deixou o governo anteontem sem ter gasto, em nove meses, um real do orçamento da pasta com obras deste ano. Leia tudo:

Cristino também não executou à frente da pasta nenhum dos compromissos para melhorar a gestão dos portos assumidos pelo governo com o setor privado em dezembro do ano passado no lançamento do novo marco regulatório do setor.

. O orçamento total da secretaria para investimentos, incluindo o repasse para as Companhias Docas, era de R$ 1,1 bilhão. Até o fim de setembro, a pasta pagou apenas 13% deste valor, em dívidas dos anos anteriores.

. Ao lançar o novo marco, a presidente Dilma Rousseff fez promessa de destravar o setor e assim alavancar investimentos de R$ 54 bilhões nos próximos quatro anos.


. O governo enfrentou dificuldades para aprovar a lei do setor no Congresso Nacional, processo que só ocorreu em junho.

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

Marina poderá filiar-se neste sábado ao PPS. Folha nega e diz que ela acertou com o PSB.

Os jornais de São Paulo da manhã deste sábado anunciam que Marina Silva entrará com seu grupo no PPS e será candidata a presidente. Um dos jornais, contudo, a Folha, assegura que na madrugada deste sábado ela acertou com o PSB.  Até o final da tarde ela terá que se filiar a algum partido para habilitar-se à disputa do ano que vem, mas se a Folha estiver correta, Marina não será candidata a presidente, já que o candidato dos socialistas é o candidato Eduardo Campos.

Aécio será recebido no estádio do Aimoré, dia 18, em São Leopoldo

O PSDB gaúcho resolveu investir pesado na vinda do senador Aécio Neves ao RS no dia 18. Em São Leopoldo, 16h, ele será recebido no Estádio do Aimoré. O prefeito Aníbal Moacir promete casa lotada. 

Cassiá, ex-PTB, terá bancada nova, de um homem só, na Assembléia do RS. Ele foi para o Solidariedade.

Entre os nomes gaúchos mais conhecidos que migraram na undécima hora para outros Partidos estão o depuado estadual Cassiá Carpes, PTB, que foi para o Solidariedade, e a ex-senadora Emília Fernandes, ex-PTB e ex-PT, que foi para o PCdoB.


. Cassiá Carpes formará nova bancada na Assembléia e promete na disputar nada em 2014, mas Emília é candidata declarada a senadora.