Artigo, Carlos Alberto Di Franco, Estadão - Legalização da maconha

Ao lado, presidente Mujica, Uruguai - o perfeito idiota latinoamericano.



O Uruguai, que já permitia o consumo de maconha, legalizou a produção e a venda da droga. A nova lei foi aprovada no Senado por 16 votos a 13 e deverá entrar em vigor no primeiro semestre de 2014. Pela nova legislação, os uruguaios e estrangeiros que residem no país e têm mais de 18 anos poderão comprar até 40 gramas da erva por mês em farmácias credenciadas pelo governo. Os defensores da liberação, armados de uma ingenuidade cortante, acreditam que a legalização reduzirá a ação dos traficantes. Mas ocultam uma premissa essencial no terrível silogismo da dependência química: a compulsividade. O usuário, por óbvio, não ficará no limite legal. O tráfico, infelizmente, não vai desaparecer.


A psiquiatra mexicana Nora Volkow é uma referência na pesquisa da dependência química no mundo. Foi quem primeiro usou a tomografia para comprovar as consequências do uso de drogas no cérebro.

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

ACM Neto, o preferido da comunidade homossexual brasileira

O prefeito ACM Neto, do DEM de Salvador, segue em alta com o público homossexual pelo terceiro ano consecutivo. Gestor da capital baiana pode em breve se tornar homem sexy número 1 do segmento LGBT.

. A promoção é da Revista Júnior, publicada pela editora Mix Brasil e voltada à temática gay.


. Divulgada nesta quarta-feira (25), a relação de candidatos traz, além do democrata, nomes corriqueiramente citados quando o assunto é beleza masculina, como o goleiro Diego Cavalieri, o modelo Jesus Luz e os atores Cauã Reymond e Caio Castro, além de algumas surpresas, entre elas o cantor Seu Jorge, o chef de cozinha Alex Atala e o também prefeito Fernando Haddad (PT-SP).

. Nem todos os figurantes da lista são gays, mas só homossexuais votam. 

Tarso volta a patrulhar o PDT: "O PDT erra ao falar com Aécio".

Em entrevista que concedeu ao site chapa branca, recheado de publicidade do governo, inclusive da prefeitura petista de São Paulo, Carta Maior, neste Natal, o governador Tarso Genro voltou a patrulhar o PDT e dizer o que devem fazer os trabalhistas em relação à sucessão presidencial:

- Estranhei este movimento do Vieira e creio que se trata, na verdade, apenas de um tiro de pólvora seca, pois o Aécio, em especial, não significada nada para as bases eleitorais do PDT aqui no Estado, pelos menos do PDT de Brizola. 

. Depois de dizer isto, o governador parece ter se dado conta de que não lhe cabe dizer ao PDT o que ele deve fazer, já que o Partido tem candidato próprio ao Piratini e não quis apoiar seu desastroso governo, preferindo desembarcar antes de ir junto para o fundo do mar:

De qualquer forma não devo fazer qualquer juízo de valor, pois esta é uma questão que deve ser analisada nas instâncias internas do PDT, partido que eu respeito e considero nosso aliado estratégico. 

Governo insistirá no voto para aprovar tungada de R$ 1,3 bi na CEEE

O governo Tarso Genro, que retirou e depois reapresentou o projeto que tunga R$ 1,3 bilhão dos cofres da CEEE para o arrombado caixa único do Estado, avisou que não recuará desta vez, insistindo com a aprovação durante a convocação extraordinária da Assembléia.

. Os deputados terão reunião amanhã a tarde.

. O governo não tem votos para aprovar o projeto.


. Há controvérsia, porque Tarso espera dividir de novo a oposição, que em horas decisivas não consegue manter seu quorum, já que são frequentes as defecções no PMDB e no PP.

Krieger, Pompeo e Zacher saem do secretariado do prefeito Fortunati

Pelo menos três secretários do prefeito José Fortunati anunciaram formalmente que sairão imediatamente do governo para disputar as eleições do ano que vem:

- Dia 31,sai Kevin Krieger, PP, que disputará uma cadeira na Assembléia. Ele é da Fase.
- Dia 5 de abril, sairão Mauro Zacher e Pompeo de Matos, PDT, que tentarão a Câmara dos Deputados. Eles ocupam as secretarias de Obras e do Trabalho.

. Os substitutos serão Marcelo Soares, PP, Fase; vereadores Luís Neves e Mário Fraga, PDT, para Obras e Trabalho.

. O prefeito José Fortunati passará o final do ano em Nova Iorque com a mulher e o enteado.


. Novas substituições ocorrerão e poderão ser conhecidas em janeiro.

Silêncio dos culpados - Leitor sugere entrevistas com Rosário, Lula, Tarso e Comissão da Verdade

Sobre as denúncias do Tuma Junior, contra Lula e Tarso, poderias lançar um desafio a todos os jornalistas do Brasil, sobre quem vai ter coragem de:

- Entrevistar a Maria do Rosário (se concorda que Lula atentou contra os direitos humanos ao ser informante do DOPS);
- Questionar a Comissão da Verdade (se Lula será chamado a se explicar);
- Entrevistar o Lula (para desmentir);
- Entrevistar o Tarso (para desmentir).

Será que nenhuma dessas figuras irá processar o Tuma Junior pelas acusações, pedindo uma reparação moral?


Quem cala consente.

Sérgio Arquimedes, Porto Alegre, RS. 

Governo Dilma pensa privatizar rodovias federais no RS. Tarso não quer nem ouvir falar nisto.

Animado com o sucesso dos três leilões que já promoveu para privatizar rodovias federais, o governo federal decidiu listar para concessões novos trechos, desta vez no Paraná, Rio Grande do Sul e Nordeste.

. O caso do RS é o mais problemático, porque o governo do PT, de Tarso Genro, não admite privatizações de rodovias e está retomando os trechos concedidos pelo governo Britto. O governo gaúcho prefere não ter rodovias ou não mantê-las em bom estado, do que entregar tudo para o setor privado.

. O último leilão de rodovias do ano, o trecho Brasília Juiz de Fora, 936 kms, revelou o interesse de oito grupos.

- As rodovias federais privatizadas este ano: BR-090, Goias-Minas; BR0163, Mat Grosso; BR-060/153/262, Brasília,Goioás e Minas; BR-162, Mato grosso do Sul.

M.Grupo decide avançar sobre mercados de shopping centers em SC e no Paraná

Depois de ter avançado bastante sobre os mercados gaúchos de shopping Center e de hotelaria, o M.Grupo anunciou neste final de ano que em 2014 ingressará nos mercados de SC e do Paraná.

. Com R$ 85 milhões, o grupo irá comprar participações em dois centros de compras, um em cada Estado.

. A estratégia é compar shoppings familiares já existentes.


. Nos últimos três meses, o M.Grupo inaugurou o primeiro shopping Center de Gravataí e adquiriu participações em dois outros empreendimentos, um em Bento e outro em Canoas. 

Homem do Ano - Joaquim Barbosa

O presidente do STF, Joaquim Barbosa, é sem favor nenhum o Homem do Ano no Brasil. Ao levar a termo o julgamento e as prisões dos milionários petistas da organização criminosa do Mensalão, o juiz dos juízes demonstrou que cadeia não é lugar apenas para pobres, o quer dizer que ricos e poderosos também podem e devem parar no calabouço, sempre que in correm em infrações graves da lei.

. Alguns leitores desta página mandaram mensagens verdadeiras sobre a grande lição proporcionada pelo julgamento do Mensalão:

- Devolver um pouco da esperança ao povo brasileiro.

. Na se trata da esperança por mais dinheiro no bolso, por mais e melhores condições dos serviços públicos ou por mais democracia, mas por algo muito intangível e capaz de verdadeiramente conduzir a sociedade para a civilização, ou seja, a idéia de que fazer o correto é o melhor caminho para a convivência harmônica e feliz.


. Foi só um primeiro passo - e quem o proporcionou no STF foi a condução segura, inflexível, competente, de Joaquim Barbosa. 

Saiba como os americanos da John Hopkins e da AFL-CIO treinaram Lula para fazer o que fez no ABC

Lula é levado preso para o Dops, em meio à greve de 1980 no ABC. É notável que o preso político esteja sem algema, fumando, ao lado da própria mulher, numa camioneta, bem acomodado na poltrona - em plena ditadura militar. O Dops tratava bem seus alcaguetes no movimento sindical.



No seu livro "Assassinato de Reputação", o delegado Romeu Tuma Júnior faz revelações surpreendentes sobre o início da vida sindical de Lula no ABC. São informações que nem mesmo José Nêumane Pinto conta no seu livro "O que eu sei de Lula", no qual narra detalhadamente o que acompanhou pessoalmente em São Bernardo, no ocaso da ditadura militar.

. No livro, Tuma Júnior conta que seu pai, o chefão do Dops na ditadura, Romeu Tuma, recrutou o líder sindical como alcaguete da polícia. No seu livro "Jogo Duro", Editora Best Seller, 1988, 3a. edição, página 130 a 132, o banqueiro e ex-presidente da Anfavea, Mário Garnero,diz que Lula não chegou a ser o cabo Anselmo do ABC, mas andou perto disto. Ele escreveu no livro:

- O líder da esquerda brasileira costuma se esquecer, por exemplo, de que esteve recebendo lições de sindicalismo da John Hopkins University, nos Estados Unidos, 1972. Na universidade americana, até hoje todos se lembram de um certo Lula com enorme carinho.

. O editor conheceu Mário Garnero quando ele estava no auge da sua carreira, dono do Brasilinvest, sócio até de George Bush, pai.Conversei com Garnero algumas vezes, em Washington, em reuniões do FMI, e em Mônaco, para onde ele levou Bush e ministros do STF, a pretexto de um convescote sobre a economia mundial.

. Na página 57 do seu livro, Tuma Júnior confirma as informações de Mário Garnero:

- Esclareço aqui a dúvida de Garnero. Lula fez a sua parte. Aliás, meu irmão Rogério, que estudou medicina na Univerisade John Hopkins, em Baltimore, Maryland, já havia confirmado ao Tumão sobre a presença de um jovem sindicalista brasileiro por lá, no início de 1970

. Lula não é o ignorante que muitos pensam, senão vejamos: Lula passou em 1968 pelo IADESIL (Instituto Americano de Desenvolvimento do Sindicalismo Livre), escola de doutrinação mantida desde 1963 em São Paulo pelos norte-americanos da ALF-CIO (American Federation of Labor Congresso Industrial Organization), que surgiu em 1955 e é a maior Central Sindical dos EUA. Tanto a IADESIL como a ALF-CIO ministram cursos contra-revolucionários de liderança sindical.

Lamacchia distribui migalhas de força moral, tudo extraído de textos e falas de Rui Barbosa

Uma das maiores pestes da vida nacional, entre nós, consiste no indiferentismo político
Rui Barbosa, 136.




O vice-presidente do Conselho Federal da OAB, o gaúcho Claudio Lamacchia, presenteou poucos amigos com exemplares pocket books com "Migalhas de Rui Barbosa".


. São 733 migalhas de inspiradoras força moral, algo bastante desconhecido nestes escabrosos idos lulo-petistas.  

O silêncio dos culpados - Lula, alcaguete da ditadura militar. E ninguém quer ouvir e investigar ? Leia, aqui, as denúncias de Tuma Júnior.

Ao lado, Tuma Júnior e seus dois chefes diretos no governo do PT.


- Escreve Romeu Tuma Júnior na página 66 do seu livro "Assassinato de Reputação": "Eu vivi essa história com o meu "velho" (o chefão do Dops de SP na ditadura, Romeu Tuma). Sou protagonista; eu era policial (investigador do Dops) não esqueçam". O livro chegou a Porto Alegre nesta segunda-feira. O editor comprou um exemplar, leu, e vai resumir em notas o que considera mais relevante.

Em 20 páginas (51 a 70) de enorme consistência, o delegado Romeu Tuma Júnior desconstrói por completo a imagem que Lula e o PT forjaram ao longo da sua exitosa carreira de sindicalista e líder político, reduzindo-o a um reles dedo duro da ditadura militar - um traidor da causa operária e dos oposicionistas que acreditaram na sinceridade do que ele proclama até hoje nas assembleias, nas convenções e no governo.

. O título do capítulo em que conta a deduragem diz tudo:"Lula: Alcaguete e aprendiz do Dops".

. O que escreve Tuma Júnior, relatando a ordem de Lula para que seu ministro Tarso Genro deveria mantê-lo secretário nacional da Justiça, como reconhecimento das "relações íntimas" que o presidente sustentava com Tumão, o pai de Tuma Júnior, quando este comandava o Dops de São Paulo, justamente o órgão estadual da repressão, enlace direto com os militares e sobretudo com o general Golbery do Couto e Silva, o ente político de Geisel e da tese da abertura "lenta, gradual e segura":

- Na ditadura, Lula foi um dos mais importantes informantes do Dops, capitaneado pelo meu pai.

. Lula era o que no jargão policial chama-se "ganso (nos sindicatos, a função chama-se Judas ou Judas) e seu nome de guerra era "Barba". Ele foi recrutado por Tumão, antes mesmo de ser preso em 1980. Na prisão, Lula costumava dormir na poltrona da sala de Tumão no Dops. Pouco ia para o xadrez onde estavam seus companheiros, alegando que era "ouvido" a toda hora pelos policiais e militares, o que não deixava de ser verdade. 

. A função era muito perigosa:

- Se soubessem que era informante pessoal do meu pai, Lula estaria morto há muito tempo.

. Mais adiante, Tuma Júnior escreve (página 53)

- Lula era o nosso melhor informante, por isso eu estava na missão de acompanhá-lo em sua prisão. Lula nos prestava iformações muito valiosas sobre as datas e locais de reuniões sindicais, quando haveria greve, onde o pastrimônio das multinacionais poderia estar em risco por conta dessas paralisações. Queríamos informações especiais sobre o líder dos bancários. Luiz Gushikin,um jovem trotskista da facção Libelu.

. Sobre Gushikin, que depois seria seu ministro da Propaganda, mais tarde defenestrado em meio a denúncias, eis o que Lula pensava dele:

- Gushikin é o mais arredio, um louco incontrolável.

. Tuma Júnior conta no livro que Lula entregava tudo de Gushikin.

. A colaboração com a polícia da ditadura militar, incluía acertos com as multinacionais do setor automotivo:

- Lula combinava as greves com empresários e avisava o Dops. Muitas das greves que ele armava com os empresários eram pasra aumentar o valor de venda dos veículos.

. Não foi por acaso que Miguel Jorge, um dos ex-presidentes de montadoras do ABC, virou ministro de Estado, sob Lula.

. Tuma Júnior concede datas, locais, testemunhas, situações - em grande profusão.


. Muito do que ele escreve, é contado de maneira bem mais encoberta nos livros "Jogo Duro", do banqueiro e ex-presidente da Anfavea, Mário Garnero, e "O que eu sei de Lula", de José Nêumanne Pinto. 

. Em Porto Alegre, o livro está à venda por R$ 69,90 nas livrarias Cameron (shopping Bourbon Ipiranga). 

Vigilância contra ilegalidades pode impedir novo emprego de Zé Dirceu

Depois que perdeu o emprego de R$ 20 mil no hotel St. Paul, agora é a vez de protestos da presidente do Conselho Nacional de Biblioteconomia, Regina Céli de Souza, que divulgou nota em que contesta a oferta de emprego oferecida pelo advogado José Geraldo Grossi a José Dirceu para cuidar dos livros de sua biblioteca. Ensina a presidente:

- Em relação a emprego oferecido a mensaleiro, informamos que o exercício da profissão de bibliotecário é privativo do bacharel em biblioteconomia, conforme a legislação vigente determina.

. É o que é.


. O jornalista Ricardo Kotscho, ex-ministro da Propaganda do governo Lula, acha que tudo é perseguição. Numa carta aberta endereçada aos “amigos Zé Dirceu, Genoíno e Delúbio”, escreve ele, a pretexto das festas de Natal:

.- O cerco contra o Zé continua implacável. Não querem mesmo que ele trabalhe fora da cadeia, como prevê o regime semiaberto, nem para tomar conta de uma biblioteca. Para dar uma ideia do clima de intolerância e perseguição que persiste, o "Painel do Leitor" da Folha desta segunda-feira publica uma carta da presidente do Conselho Federal de Biblioteconomia, Regina Céli de Sousa, para advertir o escritório.

CLIQUE AQUI para ler toda a carta do "companheiro" Kotscho. A publicação é do site www.brasil247.com.br