Delegado cumpre passagem relâmpago no RS. Vem aí novo superintendente da Polícia Federal. Saiba o que aconteceu.

Os Partidos do RS, sobretudo os que tiveram seus interesses devassados por operações da Polícia Federal durante o governo anterior - PMDB, PP, PSDB, PTB e PDT - tudo por ordem do então ministro da Justiça, Tarso Genro, precisam prestar atenção à chegada a Porto Alegre do delegado Sandro Caron de Moraes, semana que vem. Ele será o novo superintendente da PF no Estado.

. Com a troca, Rosalvo Ferreira Franco, que assumiu o comando da Polícia Federal no Estado em junho de 2011, retorna ao Paraná, onde será superintendente. 

. Foi veloz a passagem de Ferreira Franco pelo RS e sua presença no Estado não agradou o atual governador do PT. Sob seu comando estão pelo menos cinco inquéritos que podem dar o que falar. 

- Caron iniciou suas atividades como delegado da PF em Rio Grande, em 1998. Trabalhou na Delegacia de Repressão a Entorpecentes, no Núcleo de Inteligência, na Delegacia do Meio Ambiente e Patrimônio Histórico e na Delegacia de Segurança Institucional.Desde julho de 2011, o delegado gaúcho é titular da Superintendência da Polícia Federal no Estado do Ceará.

Dilma age como serviçal ao defender tráfico de influência de Lula


Usando sua condição de ex-chefe de governo do Brasil e suserano do atual governo, Lula viaja pelo mundo com despesas pagas por grandes empresários, advogando seus interesses particulares no exterior, sempre casados com favores do governo do Brasil, sobretudo do BNDES.
- A defesa feita por Dilma Roussef é vexatória para um presidente da República e mostra a total tutela a que ela está submetida por Lula e pelo PT. Lula não só faz lobby para grandes empresas privadas, como pratica advocacia administrativa e  faz claríssimo tráfico de influência. O editor não cometeria o deslize de dizer que Lula também promove chantagem explícita ao procurar chefes de Estado e ministros do governo Dilma, sempre intermediando negócios pouco claros para seus contratantes. Leia a defesa patética de Dilma, a serviçal que Lula enfiou no Planalto para atender seus interesses:

A presidente Dilma Rousseff saiu em defesa do antecessor, que vem sendo acusado por parlamentares da oposição de fazer lobby às escondidas para empreiteiras que, segundo os opositores, Lula teria beneficiado durante seu governo. "Eu me recuso a entrar nesse tipo de ilação sobre o presidente Lula. O presidente Lula tem o respeito de todos os Chefes de Estado da África e deu grande contribuição ao País nessa área", disse Dilma, por meio de nota enviada ao jornal O Estado de S.Paulo.

As suspeitas levantadas sobre a conduta de Lula inflamaram a oposição nesta sexta-feira. "Se ele quer fazer lobby, que faça às claras, que receba honorários para isso. Feito por baixo dos panos é indecoroso. O problema é confundir o interesse de uma empresa com os interesses do país", criticou o líder do PSDB no Senado, Aloysio Nunes (SP). Dilma, que destacou o prestígio internacional do ex-presidente, disse ainda que não é possível deduzir que Lula teria atuado em favor de empreiteiras como OAS e Odebrecht durante essas viagens.

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, que foi chefe-de-gabinete durante o governo Lula, também defendeu o ex-presidente. "Lula não roubou e não tem dinheiro próprio. Nenhum homem público honesto sai do governo acumulando dinheiro. Quem sai acumulando dinheiro é porque teve algum comportamento inadequado", disse. "Ele não teria condição de pagar. O que é melhor: ele ficar parado em casa? É isso que eles [oposição] querem?", questionou.

Lula fez lobby para ajudar Eike Batista - e quase deu certo

* Clipping www.veja.com.br

A presidente Dilma e dois de seus ministros tentaram ajudar o empresário a tirar do Espírito Santo um investimento estrangeiro de 500 milhões de reais e transferi-lo ao Porto do Açu. Só faltou combinar com os capixabas
Malu Gaspar e Daniel Pereira

PARECIA PROMISSOR -  Eike, Lula e o lobista Pires Neto deixam o Açu no jato do empresário: ali, eles selaram o plano para tomar das mãos dos capixabas o estaleiro Jurong (Carlos Grevi/ Agência Ururau/ Agência O Globo)

A foto acima, ao lado, tirada em 24 de janeiro, mostra o ex-presidente Lula logo depois de uma visita às obras do Porto de Açu, empreendimento de Eike Batista no litoral norte fluminense. Era o ato final de um encontro de negócios para lá de promissor. Reportagem publicada em VEJA desta semana detalha a operação desencadeada por Lula para ajudar o amigo empresário a desatolar os investimentos no Açu. O ex-presidente se comportou como lobista. Graças a ele, Eike conseguiu audiência com a presidente Dilma Rousseff, que prometeu ajudá-lo a encontrar parceiros para o porto. Ele ainda viu dois ministros se engajarem pessoalmente em sua causa (acionando, inclusive, a estrutura do Itamaraty). Guido Mantega, da Fazenda, e Fernando Pimentel, do Desenvolvimento, trabalharam para convencer a Jurong Shipyard, uma das grandes companhias de construção naval do mundo, controlada pelo governo de Singapura, a transferir para o Porto do Açu o estaleiro de 500 milhões de reais que está construindo no Espírito Santo. Só faltou combinar com os capixabas, que não gostaram nada da ideia de ficar a ver navios.

- A reportagem completa ainda não foi disponibilizada na Web pela Veja.

CLIQUE AQUI para ler, também, artigo de Elio Gaspari, intitulado "Uma trapalhada em Cingapura", onde ele conta em detalhes de que modo os ministros Mantega e Pimentel trabalharam como lobistas de Eike Batista, envolvendo até o embaixador brasileiro, que mostrou suas provas para a mídia.

João Luiz Vargas vai pedir o impeachment de Tarso Genro


O ex-presidente da Assembléia do RS, João Luiz Vargas, vai protocolar pedido de impeachment contra o governador Tarso Genro. É caso de improbidade administrativa. João Luiz já pesquisou pedido igual apresentado contra o governador Olívio Dutra pelo advogado Paulo do Couto e Silva.