Plebiscito: governo Dilma está mais perdido do que cusco em procissão

O comentário a seguir é do jornalista Reinaldo Azevedo no seu blog de Veja. Ele demonstra de que modo o governo perdeu o eixo político, porque depois de sugerir o plebiscito na quarta, voltou atrás na quinta de manhã e quatro horas mais tarde retornou ao ponto inicial. Leia:

Se eu não soubesse que a Irmandade Petista aguarda só o melhor momento para, se possível, golpear a democracia — ainda que recorrendo a instrumentos que o próprio regime democrático fornece —, seria o caso de sentir pena da presidente Dilma Rousseff e da turma. Estão num mato sem cachorro.
Como vocês viram, depois de se encontrar com José Eduardo Cardozo, ministro, vá lá, da Justiça, e Aloizio Mercadante, ora alçado à condição de primeiro ministro, sem hífen, ao menos no coração de Dilma, Michel Temer sepultou a possibilidade de o plebiscito valer já para a eleição de 2014. E ele deixou claro: se houver plebiscito! Segundo considerou, não sem razão, o Congresso pode fazer a reforma. Não será por falta de proposta.Muito bem: quatro horas depois, Temer emitiu uma nota, com a chancela da Vice-Presidência da República, negando que o governo tenha desistido do seu intento. Está escrito lá: “O governo mantém a posição de que o ideal é a realização do plebiscito em data que altere o sistema político-eleitoral já nas eleições de 2014″.Quatro horas antes, afirmou aos jornalistas: “Não há mais condições — e vocês sabem disso — de fazer qualquer consulta antes de outubro. E, não havendo condições temporais para fazer essa consulta, qualquer reforma que venha só se aplicará para as próximas eleições, e não para essa”.
Entre uma declaração e outra, houve um piti da presidente. Achou que foi desautorizada. Pois é… Um tema dessa importância, vejam vocês, está submetido a essa lambança.


. O governo está mais perdido do que cachorro caído de mudança no meio de um protesto contra… tudo isso que está aí!

Saiba como o governo federal gastou R$ 95,8 milhões em publicidade na Web.

- Sites e blogs como Carta Maiorm(Joaquim Ernesto Palhares, Marco Weisheimer)  e Conversa Afiada (Paulo Henrique Amorim)  tocados por notórios jornalistas alinhados com o governo, estão entre os que levam a maior parte do bolo de R$ 95,6 milhões gastos pelo governo federal em publicidade na Web. Os dois receberam R$ 1,5 milhão no ano passado, embora seus page views sejam insignificantes. Carta Maior também leva dinheiro grosso do governo Tarso Genro.  A matéria é da Ad News de hoje, replicando reportagem da Folha de S. Paulo:

O popular blog Viomundo entrevistou a ministra da Comunicação Social, Helena Chagas, para falar sobre a distribuição de verbas publicitárias por parte do governo. Além de conversar com a ministra, a jornalista Conceição Lemes teve também acesso a alguns dados relacionados ao investimento publico em mídia no ano de 2012.

Entre as informações mais reveladoras, está o volume de investimentos com a internet, distribuído entre sites e blogs. A web  recebeu dos cofres públicos um montante de R$ 95.6 milhões. Cabe notar que, mesmo sendo o meio que mais cresce, esse valor investido representa apenas 5,32% dos gastos totais do governo com publicidade. A TV, como de costume, é o meio que concentra maior volume de investimentos (62,63%). A ministra adotou na entrevista um discurso de “descentralização das verbas”, mas apenas os 20 endereços virtuais, entre sites e blogs, que mais receberam dinheiro público, concentram 69,32% das verbas destinadas para a publicidade.

O principal destino virtual dos recursos do governo foi o portal Terra, com R$ 9,8 milhões em 2012, seguido de UOL com R$ 9,7, MSN com R$ 9 milhões, IG com R$ 5,7 milhões e Yahoo com R$ 4,9 milhões.


Embora o MiniCom fale em adotar a audiência como "o principal critério norteador" para a distribuição dos recursos, a Folha, com números do Ibope, fez um comparativo do valor que os 20 sites recebem e a audiência que cada um deles de fato possuí.

Vivo decide mandar 200 mil torpedos do MPE para combater a corrupção no RS

“Combater a corrupção depende de todos”. Esta é a mensagem que 200 mil clientes da Vivo no Rio Grande do Sul estarão recebendo no celular, via SMS. A campanha é fruto de um termo de cooperação assinado hoje entre a Telefônica Vivo e o Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul. 

Vereadores do PSOL e do PT ajudam a censurar e expulsar repórter da RBS. Câmara se reúne e censura vereadores.

O site Coletiva (www.coletiva.net), informou esta tarde que o jornalista Eduardo Matos, da Rádio Gaúcha, RBS, foi impedido de acompanhar trabalhos de uma comissão da Câmera de Vereadores de Porto Alegre e resultou expulso do local por ativistas políticos, com o apoio de vereadores do PSOL e PT. Há mais tempo, jornalistas de vários jornais, rádios e TVs de Porto Alegre são agredidos por manifestantes e líderes do PSOL, PSTU e PT, sempre interessados em censurar a imprensa. Leia tudo:

O presidente da Câmara de Porto Alegre, vereador Thiago Duarte (PDT), reafirmou nesta quarta-feira, 3, o caráter público das reuniões promovidas pelas cinco comissões permanentes da Casa, conforme estabelece o artigo 43 do Regimento Interno. O comunicado foi feito após episódio em que o jornalista Eduardo Matos, repórter da Rádio Gaúcha, foi impedido de acompanhar sessão da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor (Cedecondh), sobre a violência contra manifestantes durante protestos. 
. “Manifestante pediu que eu saísse da reunião da Comissão de DH da Câmara de POA, porque trabalho na RBS, e foi atendido pelos vereadores”, relatou Eduardo em seu perfil no Twitter. De acordo com o jornalista, intimado a se retirar, ele questionou o seu direito de permanecer no local e não obteve apoio da presidente da Cedecondh, vereadora Fernanda Melchionna (PSOL) nem do vereador Marcelo Sgarbossa (PT) - únicos parlamentares presentes naquele momento. Fernanda e Sgarbossa alegaram que houve conflito que poderia ter se agravado. A presidente da Comissão justificou que, como forma de mediação, ela teria pedido a compreensão do jornalista, pois havia menores de 18 anos entre os denunciantes e a maioria não queria ter seus nomes e imagens veiculados. Também não teriam aceitado falar na presença do jornalista.

. O conflito levou a Câmara a reunir integrantes da comissão membros da Mesa Diretora, líderes de bancadas e representantes da imprensa para debater o assunto. Ao fim, o Legislativo municipal posicionou-se determinando que, em casos como esse, cumpra-se o Regimento Interno ou que a reunião seja interrompida. 

Milhares de brigadianos organizam-se para marchar nesta sexta contra o governo Tarso

As entidades de classe que representam policiais militares gaúchos a organizar uma manifestação às 13h desta sexta-feira, 5, e visa cobrar do governo do Estado melhorias salariais e no plano de carreira dos PMs. A concentração será em frente ao Quartel-general da Brigada Militar, na Rua dos Andradas, centro da Capital. Dali, os PMs marcharão até a Praça da Matriz, onde está prevista uma audiência pública na Assembleia, às 15h.

. Conforme Leonel Lucas, presidente da Associação dos Servidores de Nível Médio da BM, a expectativa é reunir milhares de PMs. Afirmou Lucas:

— As associações dos tenentes, dos subtenentes e sargentos e dos bombeiros estão convocando os colegas. Acredito em 5 mil PMs.

Josias Souza avisa: "Quando a opinião pública começava a se orgulhar, eis que surge o programa Bolsa FAB"

O jornalista Josias Souza, Folha, escreveu esta tarde que quando Renan Calheiros informou no plenário, diante dos olhos da TV Senado, que havia montado uma agenda positiva porque estava preocupado com a Opinião Pública, a própria Opinião Pública estranhou: “Preocupado com o quê?!?” Leia mais:

Impressionado com o ronco do asfalto, Renan reunira os líderes. Formara-se entre eles um consenso de que era preciso corresponder aos anseios da Opinião Pública. E a Opinião Pública: “Os seios de quem?!?”
É compreensível que a Opinião Pública tenha reagido mal. Ela jamais suspeitou que tivesse tanto prestígio no Senado. A Opinião Pública se perguntava, atônita: “Que mumunhas os senadores deixaram de fazer por que estavam preocupados com meus seios, digo, anseios?”

. Ainda outro dia a Opinião Pública enviara ao Senado 1,6 milhões de assinaturas contra a volta de Renan à presidência do Senado. Mas Ela não estranhou quando os senadores deram de ombros para sua iniciativa. Estranho mesmo era esse prestígio tardio!

. Meio sem jeito, com um pé atrás, a Opinião Pública começou a observar os senadores. Esqueceram as festas juninas. Trabalharam no dia do jogo da seleção brasileira. Destinaram a grana dos royalties para educação e saúde, engatilharam o fim do voto secreto… E a Câmara dançava no mesmo ritmo. Hummm!!! Será?!?

. Quando a Opinião Pública começava a se orgulhar da sua nova importância, sobrevieram as notícias sobre o programa Bolsa FAB.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Entrevista, Osmar Terra - Dilma tem pouco tempo para agir

Osmar Terra, deputado Federal do PMDB do RS

Antes mesmo da reunião com as bancadas da base aliada nesta quinta, o vice Michel Temer já tinha recebido recado direto de vocês, da bancada do próprio PMDB.
Sim, com efeito, na terça-feira a noite decidimos por ampla maioria que não teremos plebiscito este ano. Isto não sai.

Por que razão?
Por que não tem como e nem por que fazer. Quem tem que fazer isto é o Congresso.

Só que não faz.
O Congresso, da mesma forma que a presidente Dilma Roussef, ouve a voz das ruas, está sob pressão, e terá que dar respostas imediatas. É uma questão de sobrevivência. Vamos fazer a reforma política e depois referendar no segundo turno das eleições gerais do ano que vem. 

E a voz das ruas?
Ninguém pediu isto. Dilma tentou empurrar a brasa para o Congresso. Ela tem que implementar medidas imediatas para melhorar a saúde, a educação, a segurança e a mobilidade urbana. Ela tem pouco tempo para sair da sua posição contemplativa e diversionista atual.

A presidente tem maioria ampla no Congresso.
Tinha. Não sei se o Chinaglia, agora, é líder da maioria ou da minoria. As bancadas governistas estão sem comando no Congresso.

PIB pode ser menor do que 2% este ano

Os economistas do Banco Brasil Plural, tendo à frente Fernanda Guardado, sua economista-chefe, começaram a pensar seriamente em PIB menor do que 2% em 2013:

- Se é possível crescimento de 2% ou menos do que isto no ano? Sim, é possível.

Dilma vai cair, caso não demita seu ministério e adote ações imediatas para atender as demandas populares

Se não cortar cabeças, Dilma poderá dizer adeus ao cargo, como fez Mursi (foto ao lado). 

Ao jogar a toalha na lona, o governo Dilma Roussef entrou num brete político do qual só poderá sair mediante ações dramáticas e imediatas, e entre elas estão seguramente a demissão do seu ministério, a redução drástica do número de pastas ministeriais e a nomeação de ministros de comprovadíssima reputação e talento, além de um programa mínimo de ações efetivas de mudanças nas áreas que estão sujeitas ao maior clamor popular.

. Ela falhou em todas as propostas que apresentou na semana passada, porque recuou nos casos do plebiscito e da constituinte, mas além disto os discursos feitos sobre saúde, educação, corrupção e mobilidade social, ainda não saíram da retórica, ainda que em todos estes casos o Congresso tenha respaldado suas propostas, todas elas sem efeito imediato.

. Se não fizer isto, o governo enfrentará novas e maiores turbulências nas ruas, o que poderá determinar sua queda.

. O exemplo do que aconteceu esta semana no Egito é mais do que suficiente para entender a encruzilhada em que se meteu Dilma.

. As ações do governo do PT não causam apenas indignação interna, porque mesmo externamente os agentes econômicos passaram a desconfiar das suas intenções, como demonstra a entrevista a seguir do gestor da Deltec, Greg Leskor, que falou de Nova Iorque para o Estadão. CLIQUE AQUI para ler. Vale a pena examinar seus argumentos e sua análise sobre o cenário desta semana.

Dilma sofre nova humilhação ao desistir de plebiscito para este ano

O site da revista Veja (www.veja.com.br) revelou ainda há pouco que após reunião com partidos da base no Congresso, o vice-presidente da República, Michel Temer, jogou a toalha e descartou tentar mudar o sistema eleitoral para as próximas eleições, como queria Dilma Rousseff. Esta manhã, o deputado Osmar Terra, PMDB do RS, já tinha informado ao editor que o próprio Partido de Temer, ontem, disse claramente isto a ele. Leia mais:

Sem conseguir apoio dos partidos que sustentam seu governo no Congresso Nacional, o Palácio do Planalto jogou a toalha e desistiu da proposta de realizar um plebiscito para promover a reforma política no país às pressas, visando as eleições de 2014. Nesta quinta-feira, dez dias depois de a presidente Dilma Rousseff sugerir a realização do plebiscito em resposta à onda de manifestações que tomou as ruas, o vice-presidente, Michel Temer, admitiu que a proposta é inviável.

. A partir de agora, segundo Temer, o governo tentará armar um plebiscito simultâneo ao segundo turno das eleições do ano que vem - eventuais mudanças implementadas só valeriam a partir do pleito municipal de 2016. Na prática, porém, o discurso de insistir na ideia é uma tentativa de minimizar a humilhação imposta ao governo Dilma Rousseff desde que a proposta do plebiscito foi sacada da manga. Desde então, cresceu no Congresso a avaliação de que a presidente tentou transferir parte da pressão que assombra seu governo para os deputados e senadores. Mais: que a manobra oportunista acobertava os interesses do PT para as eleições de 2014.

. Pelos planos do governo, o plebiscito deveria ocorrer em setembro, antes das eleições de outubro.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Sadig, especialista em BI, apurou vendas 12% maiores no primeiro semestre, mas aposta em número menor (10%) para o ano.

Ao lado, Moacir Pogorelsky, o fundador.

Especialista em sistemas de business intelligence, BI, pelo qual podem ser capturados dados vitais para a mineração e apresentação de estratégias de vendas, marketing e administração, a empresa gaúcha Sadig fechou o primeiro semestre com avanço de 12% no seu faturamento, comparado com igual período do ano passado. Foi o que informou nesta quinta ao editor o diretor Moacir Pogorenslky.

. As perspectivas para este ano são de crescimento de 10%, portanto abaixo do avanço do primeiro semestre, tudo em função da atual instabilidade política, econômica e social.

. A empresa gaúcha de TI tem 27 anos e possui uma lista de 700 clientes.

. No segundo semestre, ela lançará um novo produto, um SaaS (Software as a Service) baseado na nuvem, visando atender necessidades específicas de administradores geradores de informações dentro das organizações. A empresa já conclui a integração da solução Sadig com o ERP de dois parceiros da Índia e Dubai

-  A empresa gaúcha  sediada em Montenegro (RS) e tem filiais em Porto Alegre, São Bernardo do Campo (SP) e Hyderabad, na Índia. Auxiliadora Predial, Beira-Rio, Benoit, Brasmetal, Ceusa, Dakota, Demobile, DellAnno, Gang, Goldsztein-Cyrela, Mangels, Miolo, Moval, Muffato, Royal Canin, SCA, Seven Boys, Simbal, Speedo, Todeschini, Unimed, Valduga, Vinícola Aurora, Vonpar. 

Caixa Seguros já assumiu o comando da gaúcha Previdência do Sul

 Já assumiram os novos controladores da Cia. Previdência do Sul, no caso a Caixa Seguros, que é controlada pela Caixa Federal em associação com o grupo Francês CNP Assurance.

. A seguradora, que tem 107 anos, é gaúcha,  e continuará com sede em Porto Alegre.

. Há cinco anos, a Previsul foi vendida pelo grupo Aplub para o grupo paranaense Consulfac, que permanecerá com 30% do negócio.

. A Caixa Seguros gastou R$ 70 milhões na operação. 

Disposto a ser protagonista na atual crise política, mesmo sem ser ouvido, Tarso resolve discutir o caso até em Portugal. Ele viajará pela terceira vez em dois anos para a inexpressiva Lisboa.

Sem governar o governo desde que se instalou a atual crise política brasileira e envolvido freneticamente em infindáveis discussões públicas e privadas sobre o papel que deve jogar nela, o governador Tarso Genro resolveu agora incursionar pelo mundo, visando marcar sua posição não apenas para o que ocorre no Brasil.

. Por conta e risco dos combalidos cofres do Tesouro do Estado, indisposto com as cansativas ordenações de governo e contrariado com a insipidez das discussões políticas e filsóficas da província, o governador do PT viajará neste sábado mais uma vez para a Europa, porque neste final de semana gravará um depoimento para o sociólogo Boaventura de Souza Santos sobre a crise econômica mundial. Será um de dez depoimentos.

. Onde houver a possibilidade de uma viagem internacional e de um convite de personalidades ou organizações de esquerda, Tarso Genro estará apto a embarcar.

. O gabinete do governador no Piratini nega-se a informar quais são os gastos de cada viagem, alegando “questões de segurança”. O portal Transparência Brasil estima que só no ano passado as despesas foram de R$ 500 mil.

. Muitas despesas ocorrem foram do gabinete, como diárias. No ano passado, o governo gastou R$ 58,9 milhões em diárias.

. Em 2013, Tarso Genro viajou para Cuba, Argentina, Alemanha, Portugal, Espanha, Inglaterra, Havana e França (duas vezes para Paris, em épocas diferentes).

. No acumulado de 365 dias, o governador passou ¼ do tempo viajando mundo afora.

. Este ano ele já foi a Palestina, Israel e Portugal, sendo que agora volta a Portugal. 

Maioria dos deputados gaúchos aprova o plebiscito, mas, no Senado, Ana e Simon não topam proposta de Dilma.

O jornal Zero Hora montou uma planilha com as posições atuais dos 31 deputados e dos 3 senadores do RS a respeito do plebiscito sugerido por Dilma Rousseff ao Congresso e também sobre a reforma política.
20 dos 31 deputados federais concordam com o plebiscito
2 dos 3 senadores não concordam
O  PT aprovou tudo sem restrições.
Nos demais grandes Partidos, a divisão é a mais comum das posições.
Entre os Partidos com menores representações, os destaques ficaram com o PDT, que fechou com o governo, e o PTB, que é totalmente contra o governo. Ambos são da base aliada.
A planilha revela incongruências muito grandes, como as do PSB, cujo líder, o governador colocou-se contra o plebiscito, mas até seu líder na Cãmara, Beto Albuquerque, cravou a resposta “sim”.

CLIQUE AQUI para examinar a tabela montada por Zero Hora.

Dólar abre o dia em queda. Goldman Sachs diz que câmbio está desancorado.

Em meia hora após o início dos negócios, o dólar comercial estava cotado a R$ 2,266, com queda de 0,13%. O contrato de agosto marcava R$ 2,2785, baixa de 0,15%.

. O câmbio no Brasil está desancorado, e a piora nos fundamentos da economia doméstica é a principal razão para isso. Essa é a avaliação do diretor de pesquisas econômicas para a América Latina do Goldman Sachs, Alberto Ramos, para quem o país corre risco de enfrentar um rebaixamento da nota de crédito em meio a uma variável até então não tão preocupante: o risco político.

Márcio Souza é o novo presidente do PV no RS. Partido terá maior autonomia em relação ao governo Tarso.

O PV, Partido Verde, já tem novo presidente no RS. Trata-se de Márcio Souza, vereador do Partido em Gravataí, importante município da região metropolitana de Porto Alegre.

. Márcio Souza já foi do PT, mas acabou saindo do Partido depois que ajudou a comandar a queda da prefeita Rita Sanco, envolvida em malfeitorias que resultaram na sua cassação. Dentro do Partido, ele é da corrente que defende maior autonomia do PV em relação ao PT e ao governo Tarso Genro no RS. 

Amestrada, Manuela apóia o plebiscito e tudo que fez, faz e fará Dilma Roussef

Amestrada pelo Palácio do Planalto, a deputada Manuela D´Ávila, PCdoB do RS, não apenas defende o plebiscito nos termos propostos pelo governo, como além disto defende tudo que fez, faz e fará a presidente Dilma Rousseff.

. A deputada comunista é uma das poucas vozes do situacionismo, fora do PT, que mantém fidelidade canina a tudo o que diz Dilma e o Planalto.

CLIQUE AQUI para ler toda a entrevista da Folha, que é bastante longa, “complexa” e comprometedora para a carreira da deputada, cujos erros políticos mais recentes já são de dimensões oceânicas.

Ex-presidente do Trensurb sai da Odebrecht e reassume emprego. Odebrecht nada fala.

Depois de permanecer dois anos afastado da empresa como homem da Invepar, braço que a Odebrecht montou para fazer a modelagem do metrô de Porto Alegre e depois tomar conta do negócio, o ex-presidente do Trensurb, Marco Arildo Cunha, voltou esta semana à condição de empregado da estatal federal. Ele não podia mais permanecer afastado, sob risco de demissão. Uma gorda FG estava à sua espera. A Invepar não quis falar sobre a mudança, mas prosseguirá com seus planos.

. Na Invepar, com livre acesso às informações sobre a Trensurb, Marco Arildo Cunha participou de todas as tratativas com a prefeitura de Porto Alegre sobre a construção da primeira linha do metrô, a linha 2, cujo investimento pode chegar a R$ 2,5 bilhões.

. A Odebrecht quer que metrô e Trensurb sejam privatizados e transformados num único negócio de R$ 5 bilhões, porque acha que somente assim o empreendimento poderá ganhar escala e viabilidade econômica.

Dilma manda prender quem impedir o trânsito no Brasil

Diante da intransigência dos caminhoneiros, que insistem em descumprir a ordem judicial para desobstruírem as estradas do Brasil, a presidente Dilma mandou prender e multar, em R$ 100 mil por hora, aqueles que insistirem em impedir o livre trânsito da população. 


. Até a noite de quarta-feira, as forças policiais já tinham levado 15 pessoas para a prisão (Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina). “É fundamental no país que as estradas não sejam interrompidas, e o meu governo não ficará quieto perante esse processo. Na nossa bandeira tem a palavra ordem, que significa democracia, mas também respeito às condições da produção e de circulação das pessoas”, disse Dilma.

Nova diretoria da Procempa só sairá depois de concluídas as sindicâncias em andamento.

Antes de 30 dias não serão concluídas as sindicâncias em andamento na Procempa, destinadas a apurar malfeitorias na empresa estatal municipal de TI (Tecnologia da Informação).

. Só depois disto o prefeito José Fortunati indicará os nomes do novo presidente e do novo diretor técnico.

. O prefeito não aguardará pelos resultados de investigações paralelas que são feitas pela Polícia Civil e pelo Tribunal de Contas do Estado. 

- O PMDB, que indica o diretor técnico, já apresentou seus nomes, mas o PTB só fará isto para o caso da presidência,  depois de concluídas as sindicâncias da prefeitura. 

Caminhoneiro é morto por manifestantes na BR-116, em Camaquã

Um caminhoneiro foi morto por volta das 21h desta quarta-feira, na BR-116, próximo ao local em que integrantes da categoria fazem protestos. O motorista de 44 anos foi atingido por um objeto, possivelmente uma pedra, na região de Camaquã, no sul do Estado.

. Conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF), ele teria sido agredido por manifestantes ao tentar sair do posto de combustíveis no qual teria sido obrigado a parar. Com ferimentos no rosto, ele pediu auxílio à PRF e iria registrar ocorrência na Polícia Civil e buscar atendimento num hospital. Ele voltou à rodovia e sete quilômetros depois do posto, o caminhão saiu da pista. No para-brisa, havia um buraco, e o motorista estava desacordado, com um ferimento na garganta. 

. Segundo informações do site ClicRBS, dezenas de caminhoneiros registraram ocorrência nesta quarta-feira por terem seus veículos apedrejados durante o protesto. (Foto: Divulgação DP)

Dinheiro de "aloprados" deverá ir para a União, ou seja, voltar para o PT

A Justiça Federal decidiu repassar à União cerca de R$ 1,7 milhão apreendido com dois integrantes do PT às vésperas das eleições de 2006, no episódio conhecido como escândalo dos “aloprados”.

. O montante foi encontrado pela Polícia Federal em um hotel em São Paulo, em setembro de 2006, com Gedimar Pereira Passos, que trabalhava na campanha à reeleição do então presidente Lula, e Valdebran Padilha, arrecadador da campanha do PT à Prefeitura de Cuiabá dois anos antes.

. Segundo o Ministério Público Federal do Mato Grosso, o dinheiro pagaria um suposto dossiê contra o então candidato ao governo de São Paulo José Serra (PSDB).

Senado apressa o fim do voto secreto

Em decisão que esvazia uma parte do plebiscito sugerido pela presidente Dilma Rousseff sobre a reforma política, a Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou ontem proposta que acaba com o voto secreto no Congresso. Esse era um dos pontos sugeridos por Dilma para ser incluído na consulta.

. A PEC (Proposta de Emenda à Constituição) aprovada na comissão elimina da Constituição todas as hipóteses de votação secreta previstas pela legislação, como nas cassações de mandatos de parlamentares, vetos presidenciais e indicações de autoridades pelo Poder Executivo.

Renan Calheiros também usou avião oficial para ir a casamento na Bahia

O presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), a exemplo de seu colega da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN), usou aeronave da FAB para fins particulares. Renan requisitou um avião modelo C-99 para ir de Maceió a Porto Seguro às 15h do dia 15 de junho, um sábado. Ele participou do casamento da filha mais velha do líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), em Trancoso. O voo de volta foi às 3h da manhã do domingo, para Brasília.

. As informações foram confirmadas pela FAB. A assessoria do Senado não se manifestou. O decreto 4244 de 2002 diz que aviões da FAB podem ser requisitados por autoridades por “motivo de segurança e emergência médica, em viagens a serviço e deslocamentos para o local de residência permanente”.

- Ontem, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), devolveu à União R$ 9.700 referentes, segundo ele, ao valor da carona que deu a sete pessoas em um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) para assistir ao jogo entre Brasil e Espanha, domingo no Maracanã. (Foto: Google)

Assembleia Legislativa do RS tem 16 salários acima de R$ 28 mil

A divulgação nominal da remuneração dos servidores ativos e inativos da Assembleia Legislativa do Estado revelou que 16 funcionários recebem salário bruto superior ao dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) – R$ 28.059,29, considerado o teto do funcionalismo no país.

. O grupo é composto por 14 servidores inativos e dois ainda em atividade que tinham vencimentos maiores do que o teto em 2007, quando houve o chamado abate-teto. Quem recebia mais do que os ministros do STF naquele ano teve o salário congelado.

. O teto atual da Assembleia é de R$ 25.323,51, subsídio semelhante ao dos desembargadores do Estado. A Assembleia gasta R$ 30 milhões por mês para pagamento de pessoal, despesa que corresponde a 89% da receita da Casa.

. O Legislativo gaúcho conta ainda com 1.524 servidores ativos - 1.139 comissionados (CCs) e 385 efetivos -, 637 inativos e 314 estagiários.

Plebiscito deverá custar R$ 16 milhões aos cofres gaúchos

Após reunião da ministra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Cármem Lúcia com os 27 desembargadores dos tribunais eleitorais de cada região do País, a desembargadora do Rio Grande do Sul Elaine Macedo voltou ao Estado para compartilhar as informações em coletiva de imprensa para jornalistas.

. Elaine afirmou na reunião foram discutidas as possibilidades de atuação de cada Tribunal Regional Eleitoral (TRE), caso ocorra o plebiscito no dia 8 de setembro. Elaine garantiu que o Estado tem condições de cumprir a demanda, mas para isso, o governo irá desembolsar entre R$ 15 e 16 milhões para atender a esse processo. Além disso a desembargadora disse que o TRE se compromete em entregar as respostas no dia seguinte ao pleito (9/9).

. O Rio Grande do Sul possui, em média, 8 milhões de eleitores distribuídos em 173 zonas eleitorais.

Livro sobre Mensalão será lançado dia 18 com palestra em Porto Alegre

Ao lado, a capa do novo livro sobre o Mensalão.



Depois de ser lançado no Rio de Janeiro, o livro “Mensalão – Diário de um julgamento” chega a Porto Alegre com a palestra "O Mensalão e a Sociedade Brasileira",  que será realizada no dia 18 de julho, às 19h, na Decision Business School. O debate será comandado pelos autores e professores da FGV Direito Rio, Ivar A. Hartmann e Mário Machado, que abordarão o significado do julgamento na trajetória da democracia brasileira. O evento será aberto ao público e as  inscrições já podem ser feitas pelo e-mail palestra@decision.edu.br ou pelo telefone 3027-3045.

. O livro mais conhecido sobre o Mensalão é do jornalista Merval Pereira. O autor leu tudo, anotou e recomenda. Outros dois livros também foram lançados sobre o mesmo caso, porém sem tanto sucesso. 

Câmara aperta o cerco e aprova abertura total das planilhas de cálculos dos preços das passagens de ônibus.

- Povo, deputados e vereadores apertam o cerco sobre empresas, consórcios e associações, mais prefeituras. Em Porto Alegre, 14 empresas de ônibus, organizadas em três consórcios, todas sob o manto da ATP, operam sob os olhos condescendentes da prefeitura, e nem sequer contratos de concessão possuem. O prefeito José Fortunati promete licitar na área e escolher novas empresas, mas se sabe que isto nunca ocorrerá, como nunca ocorreu. 

A Câmara de Vereadores de Porto Alegre nem precisará mais aprovar o projeto do vereador Valter Nagelstein, que prevê a abertura das planilhas de cálculos das empresas de ônibus, coisa sobre a qual a ATP e a prefeitura não querem nem ouvir falar. É que o plenário da Câmara aprovou nesta quarta-feira, com apoio da bancada do Democratas,  o Projeto de Lei 3546/2012, do Dep. Ivan Valente (PSOL/SP) que assegura acesso público a dados e informações usados para calcular as tarifas de transporte coletivo.

. Nesta mesma linha, o Democratas deverá apresentar na próxima semana requerimento para apreciação em regime de urgência do PL 5883/2013, do Deputado Rodrigo Maia (DEM/RJ), estabelecer a obrigatoriedade de as empresas prestadoras de serviços de transporte público coletivo rodoviário de passageiros adotarem a forma de sociedade anônima.O projeto pretende combater a formação de cartéis de empresas, a falta de transparência na divulgação das planilhas de custos de concessionárias e permissionárias, e a barreira à entrada de novas empresas e à livre concorrência.

Câmara concede autonomia à Defensoria Pública, convoca secretários de Tarso a Brasília e protege mais policiais e bombeiros

Não foi apenas a PEC 207/2012 (que deu autonomia à Defensoria Pública) que foi votada nesta quarta-feira, segundo constatou o editor, que alinha as seguintes informações recolhidas nesta quarta-feiras a noite:

Governo Tarso terá que se explicar em Brasília - A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado (CSPCCO) aprovou nesta quarta-feira (03) requerimento de autoria dos Deputados Onyx Lorenzoni (DEM/RS), Nelson Marchezan Júnior (PSDB/RS) e Otávio Leite (PSDB/RJ) convocando para audiência pública o Secretário da Segurança Pública Airton Michels, para discutir e explicar as políticas de segurança pública do governo Tarso Genro, o aumento alarmante dos índices de criminalidade no RS e a desestruturação e aparelhamento político das polícias gaúchas, em especial a Brigada Militar.

Familiares mais protegidos em caso de morte de policiais e bombeiros - A Comissão de Segurança Pública também aprovou Projeto de Lei de autoria do Deputado Alexandre Leite (DEM/SP), que assegura aos policiais militares e bombeiros que venham a morrer no cumprimento do dever ou em razão de sua função, em serviço ou não, o pagamento a seus dependentes de uma indenização de valor correspondente a doze meses da sua última remuneração. Pelo projeto do deputado Democrata entende-se como servidor no cumprimento do dever aquele que vier a falecer exercendo dever funcional laboral decorrente de sua condição de policial ou bombeiro, ainda que não esteja em serviço, ou que seja alvo de ação criminosa, motivada pela sua condição de policial militar ou bombeiro. O projeto vai agora para apreciação nas Comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público, Finanças e Tributação e Constituição e Justiça e de Cidadania, onde será apreciado de forma conclusiva, ou seja, não precisará passar pelo plenário da Câmara dos Deputados.

Artigo, Márcio Garcia - Novas perspectivas e velhos riscos (na economia global e para a economia brasileira)

No artigo a seguir, publicado na edição desta quarta do jornal Valor,  Márcio Garcia fala sobre "novas perspectivas e velhos riscos", que é o título original do material. Ele demonstra que o cenário econômico internacional mudou muito e que é preciso que o Brasil compreenda o que ocorre para se posicionar melhor, coisa que não está fazendo. leia tudo: 

O cenário econômico internacional mudou significativamente. Há duas semanas, o presidente do Fed, Ben Bernanke, fez saber que o programa de expansão monetária conhecido como QE3 (compras mensais de US$ 85 bi de títulos de longo prazo com o juro básico mantido em zero) deverá ser paulatinamente descontinuado até 2015, caso a economia dos EUA continue a se recuperar como previsto, com o desemprego continuando a cair. Embora a intenção de Bernanke fosse botar água na fervura, os efeitos do anúncio sobre os mercados financeiros internacionais foram enormes, com grande deslocamento de fundos de títulos de longo para curto prazo e de mercados emergentes para as economias centrais. Moedas e bolsas de mercados emergentes sofreram forte queda. Outro fator a aumentar as incertezas é a provável substituição de Bernanke em futuro próximo, mencionada pelo presidente Obama.Para o Brasil, tão ou mais importante do que o futuro da economia dos EUA, é como se comportará a economia chinesa. Os preços das commodities, que constituem nossos principais produtos de exportação, seguem de perto o crescimento chinês. Na semana passada, o BC chinês, ao se defrontar com queda generalizada dos mercados e ameaça de quebras bancárias, acabou revertendo medidas restritivas de política monetária que havia tomado para arrefecer a expansão do crédito doméstico fora das instituições financeiras ("shadow banking system"). Aumentaram muito as dúvidas sobre a velocidade com que o dínamo chinês continuará a crescer. Tais condicionantes do cenário externo continuarão a influenciar decisivamente a trajetória dos fluxos de capitais e dos preços dos ativos financeiros domésticos: bolsa, dólar e juros.

. Simultaneamente à piora do cenário externo, sobreveio, de forma totalmente inesperada, a onda de manifestações populares no Brasil.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Ibsen propõe e PMDB gaúcho repele plebiscito à lá Dilma, propondo outro sobre a reorganização do Estado no Brasil

O PMDB gaúcho propôs nesta quarta-feiras ao Diretório Nacional que o partido convoque o seu Conselho Político para que discuta dois pontos centrais do atual imbroglio político nacional. A proposta dos gaúchos foi do ex-deputado Ibsen Pinheiro, acolhida na terça-feira pelo presidente Edson Brum, que a levou a Brasília.

1) Nada de plebiscito no formato sugerido por Dilma ao Congresso.
2) Formatação de um plebiscito sobre o artigo 4o da Constituição, que trata da organização dos Poderes. 

. O que mandou dizer ao editor o presidente do PMDB gaúcho, Edson Brum:
- Com este enfoque, a população possa efetivamente opinar sobre os rumos do País, oferecendo subsídios para que o Congresso Nacional tenha mecanismos para trabalhar, não apenas na reforma política, mas no conjunto do Estado brasileiro.

. Ibsen Pinheiro, com quem o editor conversou longamente logo no início da crise, ensinou o seguinte aos seus companheiros:
- A voz das ruas, por mais generalizada que seja, reflete a insatisfação com todo o sistema. Não é pela passagem, pela saúde e pelo fim corrupção que estão reivindicado, mas por tudo isso e muito mais. Logo, não adianta achar soluções pontuais para um problema generalizado.

- Um dos autores da Constituição de 1988, Ibsen Pinheiro reforça que ela é modelo mundial do ponto de vista social e das liberdades individuais, porém, não acompanha os avanços do Brasil, que nos últimos 25 anos conquistou a redemocratização, a reconstitucionalização e o controle da inflação.“O Estado brasileiro não está conseguindo responder a estes avanços, pois ainda está em 1946, quando tínhamos uma população de 40 milhões de habitantes, dos quais 80% agrários. Hoje somos 200 milhões, sendo 80% urbanos”, contextualiza e arremata: “É preciso uma profunda reflexão nacional da readequação do aparelho de Estado às necessidades do País”.

Sérgio Moraes pedirá anulação da convenção estadual do PTB do RS

O deputado Sérgio Moraes anunciou que pedirá a anulação da convenção estadual que reelegeu o secretário Luiz Carlos Busato presidente do PTB do RS.