PMDB não consegue acordo para novo candidato ao Senado. Fogaça avisa que está fora.

O PMDB do RS não conseguiu chegar a um consenso para escolher seu novo candidato ao Senado. Quer fazer isto na sexta-feira, amanhã.

. Assediado por lideranças partidárias, o ex-prefeito de Porto Alegre e ex-senador José Fogaça mandou avisar que não aceitará o encargo, mas há controvérsia sobre isto. 

Beto tenta conter crise no PSB. Ele assumirá coordenação da campanha de Marina.

Além do coordenador-geral da campanha do PSB à Presidência da República, Carlos Siqueira, o coordenador de mobilização e articulação da campanha, Milton Coelho, também anunciou ao presidente da sigla, Roberto Amaral, que deixará a coordenação.

Líder do PSB na Câmara e candidato a vice-presidente da República na chapa encabeçada por Marina Silva, o deputado Beto Albuquerque deve assumir a coordenação-geral da campanha. Planeja permanecer no posto temporariamente, até que seu partido escolha um substituto para Carlos Siqueira, que rompeu com Marina, criticou-a duramente e abandonou a coordenação nesta quinta-feira.


. Esta tarde, Beto participou de ato na sede do PMDB do RS para reafirmação da coligação.

EGR aplica calote de R$ 10 milhões nas prefeituras. Famurs quer que Tarso mande pagar tudo imediatamente.

Famurs cobra da EGR pagamento imediato de R$ 10 milhões aos municípios

O presidente da Famurs e prefeito de Tapejara, Seger Menegaz, avisou nesta quinta-feira que irá cobrar agilidade da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) no pagamento de R$ 10 milhões a municípios gaúchos. O valor corresponde à quantia de Imposto Sobre Serviço (ISS) devido pela estatal para as cidades onde estão situadas as praças de pedágio da estatal. Este imposto sempre foi pago pelas antigas concessionárias privadas, mas a estatal não paga e não quer pagar. 

. Desde janeiro de 2013, quando começou a operar, a empresa arrecadou R$ 198 milhões, dos quais 5% deveriam ter sido repassados às prefeituras. De acordo com Menegaz, a EGR cumpriu seu compromisso com o governo federal, mas fechou os olhos para as prefeituras. "A União arrecadou R$ 17,3 milhões da EGR em 2013, já que todos os impostos federais foram pagos pela estatal no ano passado. Já os prefeitos aguardam ansiosos pelo repasse dos R$ 10 milhões correspondentes ao ISS. Temos pressa para utilizar esse recurso no fechamento das contas", reclamou o presidente da Famurs.

. A solicitação da Famurs é baseada em parecer emitido pelo Ministério da Fazenda, que rejeitou o pedido de isenção tributária da EGR. 


- O superintendente administrativo e financeiro da Famurs, Janir Branco, defenderá o pagamento dos impostos devidos aos municípios pega EGR na próxima reunião do Conselho da empresa, na próxima quinta-feira, dia 28. 

Puxador de votos para o PSB, presidente do Atlético desiste da candidatura a deputado, contrariado com Marina

No mesmo dia em que Carlos Siqueira, coordenador nacional da campanha do PSB à Presidência, deixa o posto dizendo que foi tratado com "muita deselegância" por Marina Silva, Alexandre Kalil, presidente do Atlético mineiro, que prometia angariar votos para o partido em Minas Gerais, reduto eleitoral do tucano Aécio Neves, desiste de se candidatar a deputado federal, contrariado com Marina Silva. 

. Questionado se continuaria no PSB, partido ao qual se filou em outubro passado, o presidente do Atlético mineiro respondeu: 

- Este partido, estou pouco me lixando para ele, não tem nada que me interessa. O que me interessava caiu de avião. 

Emprego formal mantém saldo positivo em julho

No mês foram gerados 11.796 empregos e no acumulado do ano a expansão foi 1,56%, com geração de 632.224 postos formais no país, segundo dados enviado esta tarde ao editor pela Presidência da República.

O noticiário dos sites, esta noite, fornece informações com outro enfoque. O UOL diz que o país registrou o menor saldo de criação de vagas de trabalho com carteira assinada para julho desde 1999. O total de empregos formais gerados no mês foi de 11.796, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (21) pelo Ministério do Trabalho.O saldo de criação de vagas é 71,5% inferior ao de julho do ano passado, quando foram geradas 41,5 mil vagas. O resultado de junho já havia sido ruim. Naquele mês, o total de vagas criadas (25.363) foi o pior para o mês desde 1998

. Leia o despacho do Palácio do Planalto:

No primeiro semestre do ano, o Brasil gerou mais empregos (588.671) que países como Chile (53.964), Japão (40 mil), Austrália (91.320) – considerando os dados da OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico). “Isso prova que a nossa política está correta: manter o crescimento sem sacrificar a classe trabalhadora”, ressaltou o ministro Manoel Dias que fez nesta quinta-feira (21) o anuncio dos números do Caged em julho. Para o ministro, os investimentos no país vão impulsionar setores que tem perdido força no ano, como a indústria. “Esperamos uma recuperação desses setores a partir de agosto, com o aumento da produção das empresas para as compras de final de ano”, avaliou.

. Segundo os Dados do Cadastro-Geral de Empregados e Desempregados, já foram gerados um total de 5.512.308 empregos com carteira assinada desde 2011, um crescimento de 12,51% no estoque de empregos formais no país. Em 12 meses o aumento foi de 737.097 postos de trabalho, correspondendo à elevação de 1,82%. No acumulado do ano a expansão foi de 1,56%, representando um acrescimo de 632.224 novas vagas. Em julho, com o incremento de 11.796 postos de trabalho gerados, o crescimento foi de 0,03% em relação ao mês de junho, resultado de 1.746.797 admissões contra 1.735.001 desligamentos no período.

. O resultado de julho mantém a trajetória de crescimento do emprego no país.

CLIQUE AQUI para examinar detalhes por regiões. 

Entrevista do secretário da Fazenda de Tarso foi recheada de falsidades, meias verdades e verdades ocultadas

Como Tarso, o secretário acha que governar é gastar loucamente - não investir loucamente -  e tomar empréstimos, meter a mão nos depósitos judiciais dos outros, enfiar a colher no caixa único formado por dinheiro das estatais, tudo para cobrir os rombos, mesmo sabendo que não serão eles os que irão quitar as dívidas, porque tudo serão dívidas.Elas somam-se à dívida de R$ 50 bilhões com a União e aos R$ 6 bilhões dos precatórios. 


O governador Tarso Genro contaminou até seu secretário da Fazenda com a idéia de que o RS começou com o seu governo do PT. A seguir, o editor reproduz trechos da entrevista que o secretário Tonollier concedeu esta manhã ao programa Atualidade, Rádio Gaúcha. Eles estão entrecortados por textos em vermelho, análises do editor sobre as falsidades, meias verdades e verdades ocultas da entrevista. O editor também disponibiliza dois capítulos do seu livro Cabo de Guerra, que explicam o empréstimo tomado por Yeda junto ao Banco Mundial, que segundo o governo Tarso nem existiu, embora tenha sido o maior da história do BIRD para um ente federado de qualquer País. O dinheiro foi usado para amortizar a dívida com a União, trocando serviço caro por serviço mais barato, que já resultou numa economia de R$ 725 milhões para os cofres públicos em apenas cinco anos (Página 100, livro O RS tem saída ?).
CLIQUE AQUI para entender, passo a passo, como o governo Yeda limpou a ficha cadastral junto ao governo federal.
CLIQUE AQUI para saber os detalhes do empréstimo conseguido por Yeda no Banco Mundial, apesar do boicote pessoal de Dilma e do governo do PT. Foram US4 1,1 bilhão para abater da dívida com a União. 

O secretário estadual da Fazenda, Odir Tonollier, afirmou nesta quinta-feira em entrevista à Rádio Gaúcha, RBS, que o Rio Grande do Sul está no limite da capacidade de endividamento.  O secretário comentava o contrato de operação de crédito no valor de US$ 280 milhões, assinado na quarta-feira com o Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento.
Preenchemos o espaço que existia. Desde a assinatura do contrato da dívida até dois, três anos atrás, o Rio Grande do Sul não teve acesso a nenhuma operação de crédito, investiu muito pouco, a não ser com recursos das privatizações — declarou Tonollier. — Isso contribuiu para o atraso do Estado, inclusive em relação ao crescimento do país — acrescentou.
O secretário da Fazenda do governo Tarso mente em relação aos empréstimos, porque "esquece" completamente o empréstimo de US$ 1,1 bilhão que o governo Yeda buscou junto ao Banco Mundial, que foi usado exclusivamente para pagar parte da dívida estadual com a União, trocando serviços mais caros (o empréstimo da União) por serviços mais baratos (BIRD). Aliás, foi Yeda quem tirou o governo do Cadin, porque durante todo o governo anterior de Rigotto nem um só tostão de novos empréstimos foram amealhados. A situação fiscal equilibrada e o cadastro limpo, permitiram a Tarso tomar os empréstimos que tomou até agora.

CLIQUE AQUI para ler tudo (o texto é bastante extenso). 
CLIQUE AQUI para ler, também, o artigo completo de Darcy F.C. dos Santos.

Vá esta noite com seus amigos, parentes, namoradas.
O melhor segundo Veja, 5 anos seguidos.
36 torneiras de chopes artesanais, todos diferentes uns dos outros. Marcas globais. 
Cardápio, carta de cervejas e chopes, serviço: www.biermarkt.com.br

Número de caloteiros é agora de 57 milhões de brasileiros

O número de pessoas inadimplentes bateu recorde este ano, segundo levantamento inédito da Serasa Experian.

. A pesquisa aponta que 57 milhões de brasileiros têm dívidas em atraso e, por isso, tiveram o nome incluído na lista de inadimplentes. O número é maior do que o verificado em agosto de 2013, quando foram registrados 55 milhões. No mesmo mês de 2012, eram 52 milhões de pessoas.

PSL racha com Marina, que perde apoio de 780 vereadores no Brasil

Além de um dos seus coordenadores de campanha (leia nota abaixo) em nível nacional o PSL anunciou que está liberando seus diretórios para apoiarem os candidatos que julgarem melhor

. O presidente do PSL, Luciano Bivar, disse esta tarde que Marina deverá perder entre seis e oito segundos, dos dois minutos e três segundos hoje à sua disposição no guia eleitoral. "Mas a perda maior serão os 780 vereadores e 36 prefeitos", ressaltou Bivar 

Banco de Olhos de Porto Alegre começa a demitir

O Banco de Olhos de Porto Alegre está demitindo. 

Almoço executivo a R$ 27,50. Também à la carte no almoço e jantar.
Tudo nos antigos túneis da Brahma, shopping Total.
www.famigliafacin.com.br

Entrevista - Mais crédito beneficia um só setor e não é solução para reaquecer a economia

ENTREVISTA
Milton Pignatari, professor de Economia do Mackenzie, 

O Banco Central, anunciou novas medidas para estimular o mercado de crédito no país. Em comunicado o BC indicou que elevou para 60%, a parte do recolhimento compulsório a prazo, que pode ser realizada em operações de crédito. Com isso abre-se a possibilidade de liberar aproximadamente 10 bilhões de reais no mercado brasileiro.
A liberação de crédito é sempre uma tentativa válida, desde que o processo produtivo, comercial e de serviços esteja funcionando. Atualmente, as empresas estão passando por um processo de transição, no qual muitas delas se veem com estoques acima do normal, e consequentemente, acabam por diminuir a produção e oferta de produtos.

Isso visa refletir diretamente na expectativa de crescimento do PIB, que vem caindo a cada previsão divulgada ?
O endividamento, a inadimplência que já existe pode se agravar, se pensarmos apenas na liberação do valor. O percentual de cheques devolvidos pela segunda vez por falta de fundos ficou em 2,24% em julho. De acordo com a Serasa Experian, esse é o maior nível de inadimplência para o mês de julho desde o início da série histórica, em 1991”, afirma Pignatari.

O que gera economia "parada", juros altos, inflação "rondando", o teto de 6,5% estabelecido pelo governo ?
Desconforto, além do próprio enfraquecimento do mercado de trabalho. Estes são fatores que não podem ser ignorados.

Dá para reaquecer a economia sem aumentar a oferta de produtos ?
Favorecer apenas um setor da economia, sem dúvida nenhuma não é uma solução para o aquecimento, pois pode oferecer uma falsa imagem de aumento produtivo, mas na verdade, caso consiga atingir o objetivo, este ganho seria apenas para um setor, que isoladamente, não é capaz de sustentar ou conseguir reverter problemas econômicos.

Gaúcha Kenta Informática recebe R$ 2,5 milhões do BNDES

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou R$ 41,3 milhões em financiamentos a seis empresas de tecnologia da informação localizadas nos Estados do Ceará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e São Paulo. As operações acontecem no âmbito do Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação (BNDES Prosoft). Ao todo, os projetos devem gerar mais de 5 mil empregos

. No RS, segundo soube esta tarde o editor, que falou com o BNDES, aKenta Informática Ltda., de Porto Alegre (RS), resultou beneficiada com R$ 2,5 milhões. 

. O valor representa 83% dos investimentos em P&D e marketing e comercialização previstos no projeto, que deverá gerar 12 novos empregos até fevereiro de 2016. O objetivo principal é desenvolver novas funcionalidades na plataforma DRS da empresa, tais como gravação simultânea de mais de uma câmera, alta definição, videoconferência, mobilidade, reconhecimento de face e de voz e geração de texto a partir do áudio. 

Censurada por Tarso na TVE, TV Cultura volta aos lares gaúchos pela Ulbra TV

Depois que o governador Tarso Genro censurou a entrevista concedida pelo delegado Romeu Tuma Júnior, a TV Cultura foi boicotada e saiu da grade de programação da TVE do RS.


. Os sinais da emissora voltam agora pelas mãos da Ulbra TV, mas apenas para a região metropolitana. 

Santa Casa de Porto Alegre começa demissões em massa

A Santa Casa está demitindo em Porto Alegre. Os números contam-se por dezenas. 

EGR tenta ganhar dinheiro terceirizando mão de obra

A Empresa Gaúcha de Rodovias, o mais novo mamute criado pelo governo Tarso Genro, encarregada de administrar e dar manutenção em todas as estradas pedagiadas que foram concedidas ao setor privado,  foi autuada pelo Ministério do Trabalho e Emprego por terceirizar mão de obra nos pedágios de Gramado, São Francisco de Paula e Flores da Cunha.


. Segundo o Ministério, uma fiscalização constatou que 88 funcionários que atuam nesses pontos não estão vinculados à EGR, mas a outras empresas. A EGR tem um prazo de 10 dias para apresentar defesa.

Simpósio Nacional sobre Automação da Manufatura começará dia 10 em Caxias do Sul

A “Automação da Manufatura – Tendências e Desafios com Foco na Produtividade” será o tema central do 6º Simpósio SAE BRASIL de Manufatura, que reunirá especialistas do Brasil e do Exterior nos dias 10 e 11 de setembro, no Hotel Intercity Premium (avenida Therezinha Pauletti Sanvitto, 333), em Caxias do Sul, RS. 

. A expectativa é atrair 450 participantes entre engenheiros, especialistas, executivos, estudantes e profissionais ligados à manufatura.

CLIQUE AQUI para examinar a programação e todas as demais informações. 

Fundo de pensão dos Correios perde R$ 200 mi com calote argentino

O jornal "O Estado de S. Paulo" denuncia nesta reportagem a seguir que os carteiros brasileiros estão entre as vítimas do calote técnico da Argentina. O Postalis, fundo de pensão da categoria, viu um investimento de R$ 370 milhões registrar perdas de 51% porque estava aplicado em títulos da dívida do país vizinho.

Leia tudo:

O investimento se deu por meio de um fundo operado pelo Bank of New York Mellon, que informou o prejuízo ontem em fato relevante. O Brasil Sovereign II Fundo de Investimento de Divida Externa - Fidex afirmou que deu baixa em ativos entre R$ 185 milhões e R$ 197,9 milhões ao fazer provisões para aplicações em títulos da dívida argentina. Contribuiu para a perda uma mudança no método de avaliação de investimentos, conforme a nota.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

PP do RS reclama acerto secreto entre governos Tarso e de Cuba

Ao lado, fac símile de reportagem desta semana da revista Veja. O editor disponibilizou nota sobre o assunto na edição de ontem. Sobre o assunto, o Partido Progressista do Rio Grande do Sul manifestação extrema preocupação com o conteúdo da referida matéria, que informa que o Governo petista de Tarso Genro pretende investir em convênios com estatais cubanas, para fabricação de insumos biológicos.

. A senadora Ana Amélia, que é do PP, não levará adiante qualquer programa do gênero.

. Leia o que mandou dizer o PP ao editor:

Primeiramente chama a atenção que um assunto dessa natureza, com reflexos diretos no setor agrícola, seja feito as escondidas, sem nenhuma transparência. Não fosse a reportagem da revista Veja, quando saberíamos dessas tratativas? Outro aspecto que merece interrogação é de que a Embrapa, uma das melhores empresas de pesquisas agropecuárias do mundo, possui uma divisão dedicada a agrobiologia, responsável pelos significativos avanços que temos alcançado nesse campo. No entanto, o Governo Gaúcho ignora este fato e prefere o “modelito cubano”.  Preocupação que aumenta já que o Plano Decenal da Secretaria de Agricultura do Rio Grande do Sul (Seapa) sinaliza neste mesmo caminho.“Fazer convênios nessa área com Cuba, cuja produtividade é baixíssima (não consegue sequer colocar comida na mesa de seu povo), significa um desrespeito com a nossa história e com a nossa inteligência”, diz o presidente progressista Celso Bernardi.


. Trata-se de uma aventura, sem qualquer justificativa a não ser para fazer afagos no campo ideológico. Querer substituir o atual modelo pode representar um retrocesso, colocando em risco o futuro da nossa economia, já que os bons números do PIB Gaúcho, que temos conseguido ano a ano, dependem diretamente da nossa produção agrícola. 

Rosseto abre programa Mais Alimentos Internacional com tratores Agrale

O embarque dos primeiros lotes de 320 tratores da Agrale, Caxias do Sul, marcou o início do programa Mais Alimentos Internacional, lançado pelo ministério do Desenvolvimento Agrário.

. As vendas saíram para o Zimbábue, África, e somaram US$ 11 milhões.

. O MDA é comandado pelo petista gaúcho Miguel Rosseto.


. Além de Zimbábue, participam do Mais Alimentos Internacional os países de Gana, Senegal, Moçambique, Quênia e Cuba.

PMDB reúne dirigentes para escolher novo candidato ao Senado

O PMDB do RS reunirá esta tarde seus principais dirigentes e lideranças para escolher o novo candidato ao Senado. O Partido ficou num brete político e eleitoral depois que Beto Albuquerque renunciou e Simon avisou que não tem mais saúde para fazer campanha.

. O editor aposta no nome do ex-prefeito e ex-senador José Fogaça.  

Coordenador da campanha de Marina sai batendo na candidata: "Fui. Ela é grosseira !!"

Apesar de militante histórico e secretário-geral do PSB, Carlos Siqueira foi humilhado por Marina Silva e por isto deixou, furioso, a coordenação nacional da campanha da legenda:

-  Pela maneira grosseira como ela me tratou. Ela foi muito deselegant na reunião de ontem. Se ela comete uma deselegância no dia em que está sendo anunciada candidata, imagine no resto. Com ela não quero conversa.

. O que fará Carlos Siqueira, que aparece em primeiro lugar na sequência de fotos ao lado (os outros são Marina, Feldmann e Roberto Amaral) ? Ele explica:

- Não estou e não estarei em hipótese alguma na campanha desta senhora.

. O deputado Walter Feldman, homem de confiança da ex-senadora, assume a coordenação.

Simões Pires lembra a covardia moral de Bira Valdez ao se submeter às pressões do governo Olívio, PT do RS

Na newsletter que envia diariamente para seus leitores e no blog Ponto Crítico de ontem, o jornalista Gilberto Simões Pires lembra que em 1999, ainda no primeiro ano do governo Olívio Dutra (PT), tanto ele quanto o jornalista Políbio Braga, foram categoricamente demitidos da Rede Bandeirantes de Porto Alegre pelo seu diretor de então, Bira Valdez, por pressão do governo petista.

. Bira Valdez já está morto. 

. Leia mais:

O fato, que impõe esclarecimento, é que o então diretor da Band/RS, o já falecido Bira Valdez, ao ser pressionado pelo PT de Olívio Dutra, não teve a coragem que o atual, Leonardo Meneghetti, está mostrando. Enquanto Bira preferiu a covardia (lamento que não esteja vivo para confirmar), atendendo aos interesses do PT, Meneghetti foi bem mais correto: não se rendeu à postura ditatorial neocomunista do governador Tarso Genro, representado pelo seu assessor de imprensa, Guilherme Flores. Naquela época, infelizmente, poucos deram importância ao fato que em qualquer lugar deste mundo seria considerado gravíssimo. Pior: o Sindicato dos Jornalistas e tampouco a ARI, Associação Rio-Grandense de Imprensa, não deram nem um pio a respeito. Há quem diga, inclusive, que ambos até festejaram o pé na bunda. Isto, no entanto, resultou na criação do Blog do Políbio Braga (www.polibiobraga.com.br) e do site -Ponto Critico- (www.pontocritico.com) deste editor.

. Em 1999, para não ser prejudicada com a perda da verba de publicidade do governo, a Band se rendeu ao PT. Isto é fato!

Dilma amanhã no comício do PT no Gigantinho

A agenda da presidente Dilma Rousseff no Estado, inicialmente restrita ao comício no Gigantinho, amanhã à noite, e à reunião com lideranças aliadas, sábado pela manhã, acabou ampliada. A petista gravará gravar imagens para seus programas eleitorais na TV. As gravações serão externas, em Porto Alegre e no Interior, sábado à tarde. Há a possibilidade de Dilma chegar à Capital hoje no início da noite. Amanhã pela manhã ela deve visitar o ex-marido Carlos Araújo, em sua residência, na zona Sul. Em tempo: A presidente ficará hospedada no Hotel Plaza, onde ocorrerá a reunião com lideranças políticas.

.  Dilma deixou em aberto a possibilidade de ficar em Porto Alegre até a tarde de domingo. 

Análise, Armando Talavera - Tarso apresenta Dilma como fiadora. E a oposição desperdiça o precioso tempo

Análise dos programas eleitorais de TV no RS. Ao lado, cenas da vida de Tarso, que foi quem melhor aproveitou o primeiro dia de TV. 

O centro da estratégia de Tarso Genro como candidato incumbente ao governo do Estado indica a saída possível: apresentar Dilma como avalista de seu governo assegurando que ele fará um segundo mandato melhor. Segundo colocado nas pesquisas (Datafolha e Methodus), e com altíssima rejeição, Tarso almeja uma gradativa “transfusão de sangue” no curso do horário eleitoral apostando na esmagadora intenção de voto dos gaúchos em Dilma para presidente.  Fiel à retórica petista tradicional, ele demarcou terreno e classificou sua derrota de retrocesso: “Não vamos começar do zero”! Tarso desfilou um conjunto de testemunhais-vitrine de programas do governo federal e desta forma preparou a cama para sua ‘garota-propaganda’ entrar em cena. Dilma apenas adaptou ao Rio Grande o malabarismo retórico de Lula ao eleitor brasileiro: “Tarso vai fazer um segundo mandato muito melhor que o primeiro”.  Foi assim que o petista entrou em campo, trocando o “alinhamento das estrelas” por certo “compartilhamento”, um genérico publicitário, que tira coelho de qualquer cartola. Mas Tarso disse a que veio!

. Ana Amélia fez uma linha contida, moderada, no tom da esperança, como diz o seu jingle. Escolheu como cenário a sobriedade de um lar classe A, caprichou no gauarda-roupa, voltou a receitar austeridade fiscal e boa aplicação de impostos Mas não pontuou a transformação que pretende deixando de explicitar o que vai alterar.

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

Sentido de urgência comanda escolha do substituto de Beto na chapa de Sartori

Há um sentido de extrema urgência na escolha do nome que ocupará a vaga de Beto Albuquerque como candidato ao Senado pela coligação PMDB-PSB. O nome natural seria o de Pedro Simon, mas ele avisou ontem que seu médico pessoal, Fernando Lucchese, proibiu-o de fazer campanha, já que correria risco de vida devido à idade.

. Lucchese confirmou o que disse ao senador.

. No PMDB já se sabia disso, mas tanto o Partido quanto Simon relevaram o aviso.

. A cada dia sem definição, desmilingue-se a candidatura de José Ivo Sartori, atingido de frente pela substituição de Eduardo Campos por Marina e também pela necessidade de escolher seu novo candidato ao Senado, sem contar com o nome de consenso, no caso o de Simon.

. O mais provável é que Sartori busque apoio entre um dos nomes que estavam em evidência antes das mudanças: Rigotto, Fogaça, Ibsen ou Paulo Ziukolski.

Fator Marina divide mais o PMDB do RS, agora dividido entre marinistas, dilmistas e aecistas

Sob ameaçada de debandada do PMBD gaúcho, Beto Albuquerque, vice na chapa de Marina Silva (PSB) à Presidência, quer se colocar como o fiador dos compromissos de Eduardo Campos, mas o Partido não aceitará nada menos do qwue compromissos da própria Marina Silva. Ele virá hoje a Porto Alegre.

. Em algumas áreas do PMDB do RS, nem Marina resolverá o problema.

. Os líderes que já estavam alinhados com Dilma Roussef, como o deputado Eliseu Padilha, acham que a ascenção de Marina inflou o volume de dilmistas no Partido.

. É o caso do próprio presidente, Edson Brum.

. O pessoal que preferia Aécio, também se soltou.

. "Nós defendemos o agronegócio. Se a Marina insistir naquele discurso estreito do ambientalismo, não teremos outra alternativa senão apoiar o Aécio Neves", avisou o deputado Alceu Moreira (PMDB-RS), da bancada ruralista.

. Segundo o colunista Bernardo Mello Franco, para Alceu Moreira, a presidenciável defendeu medidas "nocivas" ao agronegócio no debate do Código Florestal. "Não vamos trocar nossos ideais por um prato de lentilhas", afirma.

. O deputado Osmar Terra (PMDB-RS) também diz que Marina tem posições "radicais" e terá que se comprometer com o discurso moderado de Campos. "Se houver mudança de rumo, vamos reavaliar nosso apoio."

CLIQUE AQUI para ler mais.