Novo depoimento de Youssef revela com todas as letras: "Lula e Dilma sabiam de toda a corrupção na Petrobrás"

Nesta reportagem de Rubens Valente,  intitulada "Doleiro diz que Planalto escolhia diretores quando partidos divergiam", fica clasro que o doleiro e delator Alberto Youssef citou nominalmente Dilma Roussef e Lula, ao denunciar que o ex-presidente e a atual presidente sempre souberam da roubalheira na Petrobrás, concordavam com ela e dirigiam tudo desde o Palácio do Planalto, tanto que em casos de conflitos nas escolhas dos diretores por partes de PT, PP e PMDB, eram eles quem faziam a mediação. 

Apesar da clareza das denúncias e da nominação dos líderes, Lula e Dilma não constaram da Lista de Janot e nem o ministro Teori Zavascki devolveu a papelada como imprestável, exigindo novas petições.

O doleiro Alberto Youssef afirmou em delação premiada que o Palácio do Planalto era o responsável final pela escolha dos diretores da Petrobras quando surgiam divergências entre os partidos políticos em torno da indicação de nomes para os cargos.
A íntegra do depoimento foi incluída nos autos da Operação Lava Jato que tramitam no STF (Supremo Tribunal Federal).
"Eram comuns as disputas de poder entre partidos relacionadas à distribuição de cargos no âmbito da Petrobras e que essas discussões eram finalmente levadas ao Palácio do Planalto para solução; [Youssef] reafirma que o alto escalão do governo tinha conhecimento", diz o depoimento, dado em 3 de outubro.
Youssef disse a chefia da Petrobras e o Planalto sabiam do esquema. "Tanto a presidência da Petrobras quando [quanto] o Palácio do Planalto tinham conhecimento da estrutura que envolvia a distribuição e repasse de comissões no âmbito da estatal".
O doleiro nominou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a atual presidente, Dilma Rousseff, e os ex-ministros José Dirceu, Edison Lobão, Ideli Salvatti, Gleisi Hoffmann, Gilberto Carvalho e Antonio Palocci entre os nomes do Planalto que sabiam do esquema.
No mesmo depoimento, quando indagado diretamente sobre a participação da ex-presidente da Petrobras Graça Foster, o doleiro Alberto Youssef não foi assertivo. "O declarante esclarece acreditar que a mesma soubesse da estrutura de repasses das construtoras para partidos, mas não pode afirmar".

"Entretanto, a prática da indicação de cargos político visando pagamentos é rotineira e ocorre em todos os casos."

No 6º dia de alta, dólar sobe 2,4% e atinge R$ 3,13, maior valor desde 2004

O dólar comercial registrou a sexta alta seguida nesta segunda-feira (9) e fechou com valorização de 2,4%, a R$ 3,13 na venda. É o maior nível de fechamento desde 22 de junho de 2004, quando valia R$ 3,131. É também a maior alta percentual diária desde 30 de janeiro, quando a moeda avançou 2,96%

Tudo Fácil é alvo de vandalismo no Centro de Porto Alegre

A agência do Tudo Fácil da avenida Borges de Medeiros, no Centro de Porto Alegre, foi alvo de vandalismo por volta do meio-dia desta segunda-feira. Usuários do espaço, que aguardavam em uma fila do lado de fora da unidade, se revoltaram com a demora do atendimento.

Próximo do meio-dia, alguns clientes - que aguardavam na fila - se irritaram com o sistema e forçaram a entrada, tentando abrir a grade, que ficou completamente retorcida.

Durante a confusão, três pessoas foram presas em flagrante e encaminhadas para a 2ª Delegacia de Pronto Atendimento (DPPA), no Palácio de Polícia.

CDL de Porto Alegre irá para reunião "Chega de Mordida" disposta a recrudescer em relação ao Imposto de Fronteira

Nesta terça-feira, a CDL Porto Alegre realizará reunião com representantes do Chega de Mordida para debater, entre outros temas, as próximas ações do movimento.

O ponto central da agenda tratará das evasivas do governo estadual em relação à supressão da cobrança do chamado Imposto de Fronteira.

O movimento promete recrudescer para valer. 


O encontro será realizado, a partir das 11h, na sede da CDL POA (Senhor dos Passos, 235). 

Tarso passa ao largo da organização criminosda petista do Petrolão e ataca o PP do RS

Ratos como da ilustração ao lado não interessam a Tarso.

Ignorando totalmente o fato de que 54 dos 55 nomes da Lista de Janot são da base aliada do governo Dilma, do PT, que além disto ofereceu a inclusão de 6 dos seus ex-ministros, o ex-governador Tarso Genro escolheu seletivamente o PP do RS para alvo dos seus ataques de hoje, conforme o site Sul21.;

A organização criminosa do Petrolão, montada, dirigida e amparada por Lula e por Dilma, tudo para assaltar os cofres da Petrobrás e corromper os servidores da estatal, partidos e políticos, uma espécie de Mensalão II, não é assunto que interesse o ex-governador.

Só o que lhe interessa é a bancada federal do PP do RS, porque nem o PP nacional, envolvido até a medula na corrupção do governo do PT, é objeto da sua preocupação.

Eis como o Sul21 trata a análise politicamente esquisofrênica do ex-governador:

A lembrança (a oposição do PP ao seu governo) foi feita nesta segunda-feira (9) pelo ex-governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, que vê uma tentativa de ocultamento deste fato em setores da imprensa local. “Há uma particularidade importante, aqui no Estado, que até agora não foi ressaltada. Aqui no Rio Grande do Sul, os grupos políticos que estão sendo incriminados foram aqueles que formaram o bloco contra a Dilma e contra o meu governo no Estado. Ou seja, a cor local do fato político, até agora não foi ressaltada devidamente, o que é uma clara omissão para proteger o bloco conservador, que aliás ganhou a eleição, legitimamente, aqui no RS”, assinalou o ex-chefe do Executivo gaúcho. O jornal Zero Hora publicou uma matéria sobre “como os deputados gaúchos do PP se aproximaram do governo (Dilma)”, sem mencionar o fato de que o PP gaúcho apoiou Aécio Neves na disputa presidencial do ano passado.
Tarso Genro não acredita que todas as pessoas que estão sendo apontadas para investigação serão consideradas culpadas, ao fim do processo. “Algumas podem ter se beneficiado sem saber, outras, podem ter sido alvo de uma delação premiada, para proteger pessoas que o delator não quer apontar. Vejam como Aécio ficou feliz!”, assinala. O ex-governador critica ainda o clima de “justiçamento midiático” que se formou no país: “Esse clima que esconde interesses políticos, que promove a fragilização da política e o enfraquecimento dos partidos, jamais me levará para esse tipo postura fascista de incriminação em grupo e sem provas. De outra parte, é claro que estes inquéritos são importantes para combater, tanto a corrupção no setor público, como no setor privado”.

Crítico daqueles que tentam transformar partidos políticos em organizações criminosas, Tarso Genro alerta para os riscos dessa postura: “Não acho que o PP e o PMDB sejam organizações criminosas. São partidos políticos tradicionais, que têm eleitorado, defendem interesses regionais e de classes, mas estão longe de serem organizações criminosas. Só dentro da democracia essas coisas aparecem, como apareceram dentro do meu partido e de todos os partidos”. Para ele, “fulminar a validade dos partidos é despertar numa parte da comunidade, um sentimento de impotência, que só favorece os verdadeiros criminosos, os que defendem aniquilamento da democracia e o monopólio de formação da opinião, para, ao fim e ao cabo, eles mandarem em tudo de maneira irrestrita”. E conclui:

Saiba do que são acusados os seis deputados federais do PP do RS.

Os leitores podem ler no link a seguir o inteiro teor das denúncias feitas pelo delator e doleiro Alberto Youssef em relação aos deputados gaúchos do PP, Zé Otávio, Afonso Hamm, Luiz Carlos Heinz, Vilson Covatti, Jerônimo Goergen e Renato Molling.

É preciso ler com atenção para compreender os fundamentos e a natureza do pedido de investigações feito pelo Procurador Geral da República.

Tudo se resume ao que está escrito no link a seguir.

A leitura também permitirá compreender a defesa de cada deputado do PP.

O que fica claro é que o núcleo de direção nacional do PP recebia a parte do leão e depois tratava de distribuir valores menores para os demais deputados, se é que distribuía, porque Youssef não possui prova alguma do que consta da petição de Rodrigo Janot, página 19.

Mesmo que a PGR não prove nada do que alega para investigar, os acusados não precisam esperar pelo inquérito, pela denúncia ou pelo julgamento, que serão demorados. Como a simples menção ao nome de cada um possui conteúdo político e midiático explosivo, imediato, também a reação precisa alcançar o mesmo tom pra que surta efeito junto aos seus eleitores e junto a todas as demais instâncias sociais. Oferecer in concreto à PGR e ao STF a quebra dos seus sigilos bancário, fiscal e telefônico, exigir acareações, interpelar judicialmente o delator e os dirigentes nacionais do PP, são medidas concretas e não apenas retóricas.

QUE, a distribuição do dinheiro iniciava com JOSE JANENE, o qual receberia a porção maio, por ser o organizados do esquema; QUE, as demais lideranças, os deputados MARIO NEGROMONTE, PIZZOLATTI, PEDRO CORREIA e NELSON MEURER recebiam um percentual dos recursos que ingressavam; QUE, a media de ingresso de receitas era de cerca de quatro a cinco milhões de reais; QUE, os demais parlamentares recebiam entre 10 e 150 mil reais mensais conforme a sua força política dentro do partido sendo que os nomes de todos os que recebiam foi declinado anteriormente em outro termo de colaboração, ao qual se reporta nessa oportunidade; QUE, os repasses eram feitos em espécie; QUE, detalha que o valor dos demais deputados era entregue a JANENE, que se encarregava de distribui-lo, sendo que esse papel em 19 de 56PGR Pet5260 e outras_parlamentares e ex-parlamentares_2 algumas oportunidades foi desempenhado por PIZZOLATI e PEDRO CORREA; QUE, a parte de MARIO NEGROMONTE foi entregue em algumas oportunidades em Brasí- lia e outras na residência deste em Salvador; QUE, acrescenta que em algumas oportunidades o dinheiro fruto do comissionamento do partido serviu para custear a locação de aeronaves para o deslocamento.

A denúncia que atinge os deputados do PP do RS é exclusivamente a seguinte:

 QUE havia outros deputados do PP, cuja posição era de menor relevância dentro do partido, que recebiam entre R$ 30.000,00 a R$ 150.000,00 por mês; QUE dentre os deputados que tem certeza de que receberam valores, estão GLADISON CAMELI, ARTHUR LIRA, JOÃO LEÃO, ROBERTO BRITTO, JOSÉ LINHARES, ROBERTO BALESTRA, SANDES JÚNIOR, WALDIR MARANHÃO, LUIZ FERNANDO FARIA, AGUINALDO RIBEIRO, DILCEU SPERAFICO, EDUARDO DA FONTE, ROBERTO TEIXEIRA, SIMÃO SESSIM, JULIO LOPES, JERÔNIMO GOER- 27 de 56PGR Pet5260 e outras_parlamentares e ex-parlamentares_2 GEN, AFONSO HAMM, JOSÉ OTÁVIO GERMANO, LUIS CARLOS HEINZE, RENATO MOLLING, VILSON COVATTI, CARLOS MAGNO, ALINE CORRÊA, MISSIONÁRIO JOSÉ OLÍMPIO, LÁZARO BOTELHO.

CLIQUE AQUI para ler toda a petição.




Juiz Federal diz no Twitter que Dilma assinou a lei que agrava penas de assassinatos de mulheres em "causa própria"

O juiz federal Alexandre Infante sugeriu, no Twitter, que Dilma assinou a lei que agrava as penas de assassinato de mulheres em “causa própria”.

Alexandre Infante, diretor tesoureiro da Associação dos Juízes Federais, Ajufe, apagou depois seu post, mas internautas já o haviam fotografado e espalhado.

O que vai aí ao lado é a foto e o post do juiz federal.

A nova lei promulgada por Dilma, torna hediondo crimes cometidos contra mulheres, não importa o motivo que tenha o assassino. 

Manifestações do gênero estão se tornando recorrentes em relação a Dilma, cada vez mais odiada pelos brasileiros. 

Governo deixa o dólar desandar. Meta de inflação vai para o espaço.

CLIQUE AQUI para ler, também, entrevista com José Júlio Dantas -

Na análise a seguir de Fernando Dantas, Estadão desta tarde, intitulada "Governo parece ter firmado posição de deixar real depreciar", o economista informa que há poucos dias o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, deu declarações indicando que a equipe econômica enxerga com naturalidade o forte movimento recente de depreciação do real. Já o Banco Central (BC), a partir da semana passada, deixou de rolar 100% dos swaps cambiais que vencem.

Leia mais - 

Um experiente analista nota de que esses sinais de que o governo está aceitando mais a alta do dólar foram mantidos desta vez mesmo num momento de tensão nos mercados. Porque, ele lembra, desde que a nova equipe foi anunciada no final do ano passado, algumas vezes aconteceram sinalizações de que a intervenção poderia diminuir - em declarações do presidente do BC, Alexandre Tombini, e do ministro da Fazenda, Joaquim Levy -, mas estas foram seguidas ou por retificações ou por novas colocações, no sentido contrário, por parte da equipe econômica.

Embora o grande teste seja o anúncio a ser feito sobre o futuro do programa de swaps cambiais no fim de março, as indicações agora parecem pender fortemente na direção de um câmbio menos administrado.

Uma possível explicação para isso, continua a fonte, é que, diante do aparentemente inexorável rompimento do teto de tolerância da meta de inflação (6,5%) em 2015 - a mediana da projeção do mercado do IPCA subiu para 7,77% -, o governo simplesmente relaxou quanto ao IPCA deste ano. Nesta ótica, melhor que a inflação suba tudo o que puder em 2015, e o menos possível em 2016. Assim, segurar a depreciação agora poderia apenas postergá-la, distribuindo seus efeitos inflacionários mais na direção do próximo ano.

Uma outra discussão é sobre o desajuste de preços relativos no Brasil. Apesar da grande depreciação nominal desde 2011, a inflação dos bens não negociáveis internacionalmente (non-tradables) ainda corre bem acima da inflação dos bens negociáveis (tradables), como observado pelo economista José Júlio Senna em entrevista publicada hoje pelo Estado de São Paulo.

O governo, compartilhando a inquietação de muitos analistas, deve estar preocupado com o fato de a economia brasileira estar parada (este ano deve inclusive recuar) com um déficit em conta corrente acima de 4% do PIB. É uma situação que poderia levar a uma parada súbita de financiamento externo, na qual o trauma em termos de depreciação, inflação, juros, desemprego e queda da renda poderia ser bem superior ao de um ajuste administrado. É evidente que segurar a depreciação cambial só aumenta esse risco.


O economista José Oreiro, da UFRJ, vê a depreciação como necessária e acha que ela ainda não chegou no ponto que restaura a competitividade industrial - a seu ver, entre R$ 3,20 e R$ 3,40. Além disso, Oreiro nota que depreciações puxadas pelo mercado tendem ao "overshooting", isto é, vão além do nível de equilíbrio antes de voltar. "Ainda tem muita desvalorização pela frente", diz.

Manifestantes acorrentam-se no Ministério da Fazenda contra Pacotaço de Dilma

Segundo o ministro Aloísio Mercadante, só a elite branca e rica protesta contra Dilma, mas a foto ao lado não mostra bem este tipo de manifestante - 

Eles se acorrentaram no interior do prédio e pediam mais recursos para a educação de negros e pobres. Uma audiência com o grupo foi marcada para o dia 17 deste mês. A reportagem é do site Terra. Leia tudo:

Os cerca de 20 manifestantes da Fundação Educafro que estavam acorrentados e ocupavam a entrada de serviço do Ministério da Fazenda na manhã desta segunda-feira (9), decidiram deixar o local por volta das 14h após duas horas de protesto. Eles reivindicavam mais recursos para a educação de negros e pobres.

 Segundo o frade franciscano David Santos, porta-voz do movimento, a decisão de desocupar o prédio foi tomada após a Secretaria Executiva do ministério marcar uma audiência com o grupo para o dia 17 de março.
“Nesta data voltaremos aqui para definir todos os pontos de reivindicação, em uma audiência com o secretário executivo adjunto Ariosto Culau. Se não atenderem nossas demandas, aí teremos uma audiência com o ministro”, disse Santos.
Sobre a escolha do local da manifestação, o frade explicou que várias audiências foram realizadas no Ministério da Educação, que sempre alega o corte de verbas para não atender as reivindicações.
“Queremos a garantia de que todo aluno cotista negro, cuja renda seja inferior a 1,5 salário mínimo, tenha bolsa moradia, alimentação e transporte”, afirmou. “Colocamos aqui como é incoerente falar em pátria educadora e cortar 30% da verba para educação. Queremos saber quanto mais vai para educação, em uma pátria educadora”, disse.
A portaria principal do Ministério da Fazenda foi bloqueada por volta das 12h, num descuido da segurança. Lá dentro, alguns se acorrentaram às catracas de acesso ao ministério, impedindo a entrada de servidores. Eles também tocaram berimbau, timbau e jogaram capoeira, além de cantar músicas pedindo ao ministro Levy mais dinheiro para educação.   


No Twitter, #VaiaDilma bate #DilmadaMulher.

Ao lado, disputa minuto a minutoSegundo a rede, foram 47.000 contra 41.000 citações em três horas

O pronunciamento da presidente Dilma Rousseff e o simultâneo panelaço em várias cidades brasileiras, na noite deste domingo, foram antecedidos e acompanhados por um disputa virtual. A fala da presidente foi ao ar em cadeia de rádio e TV às 20h40 e durou 16 minutos.

As falas do ministro Aloisio Mercadante e da direção nacional do PT, tentando minimizar o panelaço, são desmentidas pelo gráfico.

Dilma foi massacrada no Twitter com expressões como "vaca", "imbecil" e "falsária".

Segundo dados do Twitter, os simpatizantes do panelaço digital levaram vantagem no período compreendido entre 20h30 do domingo e 0h30 desta segunda-feira quando comparadas as hashtags #VaiaDilma, uma das mais populares do protesto, e #DilmadaMulher - impulsionada pelo perfil oficial da presidente. Foram cerca de 47.000 tuítes contra e 41.000 a favor de Dilma.


O gráfico mostra uma ampla vantagem dos apoiadores de Dilma durante o pronunciamento.

Dólar dispara de novo e chega a R$ 3,10 nesta segunda

Moeda americana refletiu repercussão negativa do discurso de Dilma, que culpou o exterior pela crise nacional, e previsões econômicas ruins divulgadas pelo BC

Jerônimo chora, defende-se, ataca e diz que o PP acabou

A foto ao lado é de Maurício Tonetto, Zero Hora. O deputado, desde que saiu a Lista de Janot, procura e é procurado por jornalistas, não foge de nenhum contato e exige interpelações e acareações, abre seus sigilos e protesta inocência, invocando seu passado de oposição aos governos Lula e Dilma. Há duas semanas, ele foi acusado pelo Planalto de ter insuflado e liderado os caminhoneiros. Agora, parece ter levado o troco. 


O deputado federal gaúcho Jerônimo Goergen, chorou muito ao falar hoje com jornalistas sobre a inclusão do seu nome na Lista de Janot.

Na delação premiada de Youssef, Goergen aparece no seguinte trecho: "Que havia outros deputados do PP, cuja posição era de menor relevância dentro do partido, que recebiam entre R$ 30 mil e R$ 150 mil por mês; que dentre os deputados que tem certeza que receberam estão Jerônimo Goergen (entre outros)".

— Leva a crer que ele fala da bancada federal. Não sei. Sobre as mesadas, uma hora ele cita R$ 10 mil, outra, R$ 30 mil. Eu não o conheço, não o conheço.

No depoimento, Youssef deixou claro que passava a propina para dirigentes nacionais do PP, que ficavam com a maior parte, enquanto que estes faziam a distribuição secundária, sobre a qual ele não tinha controle, não sabia se os valores eram ou não pagos e só tinha conhecimento dos nomes através de terceiros. 

Jerônimo disse que também abriu seus sigilos bancário e fiscal para qualquer investigação.

O deputado disse que o PP acabou. 



Mercadante despreza panelaço. "Isto só saiu em bairros ricos onde perdemos as eleições", avisou o ministro de Dilma.

Ao lado, moradores ricos de bairros como Jardins, SP, e Bela Vista, Porto Alegre, em pleno protesto contra Dilma -

O ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, disse nesta segunda-feira que o “panelaço” realizado ontem durante o pronunciamento da presidente Dilma Rousseff ocorreu em cidades e bairros ricos onde o PT não venceu as eleições. O petista disse que a manifestação pacífica é legítima, mas pediu tolerância e defendeu que o resultado das urnas seja reconhecido.

“Vimos hoje pela imprensa a manifestação de algumas cidades, em geral onde perdemos as eleições, em bairros em que nós perdemos as eleições, que tivemos uma derrota significativa”, disse Mercadante, no início de uma entrevista coletiva no Palácio do Planalto.

Para o petista, é direito do cidadão discordar do governo, mas a radicalização depois de uma eleição polarizada preocupa. “Tivemos uma eleição bastante polarizada, que teve momentos de radicalização. Nós precisamos construir uma cultura de tolerância, de diálogo, de respeito. É isso que ajuda a construir uma agenda de convergência, podendo superar as dificuldades conjunturais e poder não só assegurar a estabilidade econômica e das instituições, mas a recuperação do crescimento econômico”, disse o ministro, que não comentou a série de protestos marcados contra a presidente no próximo dia 15.


Mercadante disse que Dilma tentou fazer isso em seu pronunciamento – dialogar para superar as dificuldades econômicas – e partiu para a defesa do ajuste fiscal promovido pelo governo. “Ajuste fiscal é agradável? Não. É mais ou menos como um dentista, de vez em quando tem que ir num dentista. Tem que fazer o ajuste fiscal. Quanto mais rápido, melhor. Vamos debater a proposta. A democracia não pode ter a intolerância como proposta”, disse o ministro.

Alfredo Englert assumirá nesta quarta a posição de provedor da Santa Casa de Porto Alegre

O  dr. Alfredo Guilherme Englert assume, em cerimônia marcada para as 18h30min desta quarta-feira, o cargo de provedor da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, 

A Santa Casa possui situação financeira equilibrada. 

    
Também foram eleitos pela Assembléia Geral da Irmandade da Santa Casa, realizada em 11 de dezembro de 2014, os vice-provedores Vladimir Giacomuzi, Antonio Parissi e Eduardo José Centeno de Castro e os novos membros da Mesa Administrativa do Conselho de Irmãos Definidores. Na mesma cerimônia também serão empossados o novo Diretor Geral da Santa Casa, Dr. Júlio Flávio Dornelles de Matos, e o novo Diretor Administrativo, Oswaldo Luiz Balparda. Os doutores Jorge Lima Hetzel (Diretor Médico) e Ricardo Englert (Diretor Financeiro e de Planejamento), que permanecem no cargo, completam a nova Direção Executiva da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre.   

Deputado Goergen vai interpelar doleiro na Justiça

Citado na lista da Procuradoria-Geral da República, que investiga a participação de políticos no esquema de corrupção da Petrobras, o deputado federal Jerônimo Goergen (PP) pretende interpelar judicialmente o doleiro Alberto Youssef, que fez o acordo de delação premiada com a Polícia Federal (PF).

Em coletiva na manhã desta segunda-feira, Goergen reiterou que irá se afastar do partido para poder se defender e acredita que se estivesse em outra sigla não seria citado na operação Lava Jato.

Nota do editor - Só a defesa negativa salva reputações
O deputado do PP é o parlamentar gaúcho citado na Lista de Janot que tem demonstrado maior indignação. A interpelação a Youssef, que citou seu nome na lista que ele passou para o MPF como beneficiários secundários de propinas recebidas pelos dirigentes nacionais do PP, precisa compor um conjunto de outras ações, como pedido de acareação entre o doleiro, os dirigentes nacionais do PP que receberam a propina, e ele mesmo. Goergen pode protocolar pedido junto ao ministro Teori Zavascki e junto a Rodrigo Janot. Agindo rapidamente desta forma e além disto entregando procurações com a quebra dos seus sigilos bancário e fiscal junto ao STF e PGR, o deputado do PP terá dado amplas demonstrações materiais de defesa, implementando a busca de provas de sua inocência, diante de acusações que não foram provadas por Rodrigo Janot ou Teori. A defesa negativa impõe-se neste caso.

CLIQUE AQUI para entender o que é defesa negativa.

David Coimbra diz que a revista Veja tinha razão, "Lula e Dilma sabiam do Petrolão"

Artigo desta segunda-feira do jornalista David Coimbra, em Zero Hora:


Ao fim e ao cabo, a revista Veja estava certa: foi dito mesmo, pelo doleiro Alberto Youssef, que Dilma e Lula sabiam da roubalheira que ocorria na Petrobras.
Desde a eleição, estava curioso para saber se esse depoimento fora realmente dado à Justiça.
Foi.
Veja, portanto, não mentiu. Mas dizer que fez o certo é outra conversa. A matéria foi publicada com espalhafato, em edição especial, um dia antes do segundo turno. É óbvio que a revista pretendia influenciar no resultado da eleição. Jornalisticamente, condenável. Juridicamente, suponho que também.
Mas duvido que a matéria tenha mudado um voto sequer. Em primeiro lugar, porque a radicalização transformou a política brasileira em algo parecido com torcida de futebol, só que pior. O PT virou um clube, com seus fanáticos torcedores. É defendido incondicionalmente pelos petistas e atacado incondicionalmente pelos antipetistas – mais uma denúncia de corrupção não faria diferença para qualquer lado.

CLIQUE aqui para ler todo o texto.

FGV: Inflação ganha força nas principais capitais do país

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC-S) teve variação de 1,26%, na primeira prévia de março, que representa 0,29% superior ao resultado do fechamento de fevereiro (0,97%). Quatro dos oito grupos pesquisados apresentaram avanços em índices acima da apuração anterior, segundo os dados da pesquisa feita pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas.

A coleta de preços refere-se ao período de 8 de fevereiro a 7 de março últimos e o aumento mais expressivo ocorreu em habitação (de 0,90% para 1,75%) sob o efeito da tarifa de energia elétrica residencial (de 1,09% para 7,20%.

O orçamento das famílias também foi mais pressionado pelos grupos: alimentação (de 0,77% para 1,11%), puxado pelas hortaliças e legumes que ficaram 8,21% mais caros contra alta de 4,56%; educação, leitura e recreação (de -0,02% para 0,42%) e vestuário (de 0,11% para 0,20%).

Novo mapa de energia brasileiro sai até 2019

A energia em trânsito nos fios vem basicamente de três fontes quando uma lâmpada é acesa: hidrelétrica, fóssil e biomassa. Mas aos poucos crescem alternativas de geração na matriz da energia elétrica no Brasil. Da potência instalada total, de 134 gigawatts (GW) no país, a procedência hídrica (barragens) responde por 66,6%. Depois vem fóssil (carvão, gás e óleo) com 19%, biomassa (resíduos agrícolas) com 9,2%, eólica com 3,7%, nuclear com 1,5% e solar com 0,01%.

Até 2019, porém, o mapa será outro: estarão concluídos R$ 58 bilhões em investimentos eólicos vendidos em leilões desde 2009. A produção dos ventos do país saltará dos 4.980GW atuais para 14.000GW.

No Rio Grande do Sul, onde a fatia dos investimentos é de R$ 8,6 bilhões, a geração eólica irá dos 805,6MW instalados, para 2.054 GB em cinco anos. A alta na potência elétrica não é estimativa. São contratos de leilões firmados desde 2009, observa Silveira, destacando que ocorreram 13 leilões desde aquele ano.

Suspeita de bomba bloqueia ruas de Porto Alegre

A suspeita de uma bomba bloqueou ruas de Porto Alegre na manhã desta segunda-feira. Um artefato foi deixado na Marquês do Herval, interrompendo o trânsito entre a Félix da Cunha e a Barão de Santo Ângelo.

O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) foi acionado e, após inspecionar o objeto, eliminou a ameaça. O simulacro foi deixado ao lado de um container de lixo.

Bovespa segue abaixo dos 50 mil pontos com queda de Petrobras e Vale

O mau humor toma conta da Bovespa na manhã desta segunda-feira com o índice seguindo abaixo dos 50 mil pontos, perdidos na sessão da última sexta-feira, e sendo pressionado pela baixa das ações da Petrobras, Vale e bancos. O movimento de queda é atribuído especialmente ao cenário político nacional conturbado.

No exterior, as bolsas mostram cautela com a Grécia e a possibilidade de aumento de juros mais cedo este ano nos Estados Unidos no radar, embora as bolsas em Nova Iorque e na Europa não sigam numa única direção.

Às 10h22min, o Ibovespa tinha queda de 0,96%, aos 49.503,33 pontos. As ações da Petrobras caíam 1,41% (PN) e 0,66% (ON). As da Vale perdiam 0,82% (PNA) e 0,56% (ON), prejudicadas pela queda no preço do minério de ferro.

No 6º dia de alta, dólar sobe mais de 1% e vai a R$ 3,09; Bolsa cai

O dólar comercial registrava a sexta alta seguida nesta segunda-feira (9), com preocupações com a viabilidade do ajuste das contas públicas brasileiras e com a eventual alta dos juros nos Estados Unidos. A Bolsa caía. Por volta das 10h30, a moeda norte-americana subia 1,14%, a R$ 3,091 na venda; mais cedo, o dólar chegou a bater R$ 3,10. Enquanto isso, o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, perdia 0,72%, a 49.619,8 pontos. O Banco Central realiza nesta sessão dois leilões no mercado de câmbio: um para vender 2.000 novos contratos de dólar no mercado futuro e outro para rolar parte dos contratos que vencem em 1º de abril

Dilma vai novamente em busca de "conselhos" de Lula

Ao lado, a cabeça bicéfala do Mensalão e do Petrolão -

Em almoço previsto para esta terça-feira em São Paulo, a presidente Dilma Rousseff deve levar ao ex-presidente as últimas notícias sobre o agravamento da crise no Congresso com a lista de Rodrigo Janot ao STF.

Dilma quer ajuda de Lula, que está também sob fogo cerrado.

Desde o último encontro, há um mês, Dilma multiplicou aparições públicas e tem dialogado mais com a sua base governista e com lideranças do PT; principal preocupação do Planalto é aprovar pacote de ajustes.

Os panelaços de ontem deixaram o governo e o PT desorientados, a um ponto tal que alguns dos seus dirigentes, hoje, consideram que houve organização por parte da oposição. 

Mercado aposta em inflação de 7,47% para 2015

Segundo o boletim Focus, pesquisa junto a instituições financeiras divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) encerrará o ano em 7,77%, maior do que a previsão de 7,47% na semana anterior. Os preços administrados, como o da gasolina e da energia, subirão 11,18%. Anteriormente, a estimativa era 11%.

A  expectativa para fechamento da Selic, taxa básica de juros da economia e principal instrumento do BC para controle da inflação, permaneceu em 13% ao ano para 2015.

Já a estimativa para o dólar é que a moeda termine o ano cotada entre R$ 2,91 e R$ 2,95, embora a cotação atual já seja bem superior a isto.

Já há falta de etanol em Porto Alegre

Há claríssimo desabastecimento de etanol (álcool para automóveis) em Porto Alegre. O caso ficou mais evidente neste domingo.

Os postos de combustíveis encomendam e não recebem nada.

PMDB ocupa espaços do PP na Expodireto

 O PMDB ocupou os espaços políticos tradicionalmente reservados ao PP na Expodireto, Não-Me-Toques, que abriu hoje.

Mercado espera inflação de 7,77% e queda de 1,38% na produção industrial

Os investidores e analistas do mercado financeiro voltaram a elevar a expectativa do fechamento da inflação para 2015. Segundo o boletim Focus, pesquisa junto a instituições financeiras divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) encerrará o ano em 7,77%, maior do que a previsão de 7,47% na semana anterior.

Os preços administrados, aqueles regulados pelo governo - como o da gasolina e da energia - subirão 11,18%. Anteriormente, a estimativa era 11%.

Sabatinas para Banrisul e IPE poderão sair nesta quinta-feira

As sabatinas dos novos diretordes do Banrisul e do IPE poderão sair nesta quinta-feira. É o que acha o deputado Frederico Antunes, PP, com quem o editor falou esta manhã.

Dólar chega a subir 1,5% e passa de R$ 3,10

O dólar comercial registrava a sexta alta seguida nesta segunda-feira, com preocupações com a viabilidade do ajuste das contas públicas brasileiras e com a eventual alta dos juros nos Estados Unidos. Por volta das 9h30, a moeda norte-americana subia 1,5%, a R$ 3,102 na venda.

O Banco Central realiza nesta sessão dois leilões no mercado de câmbio: um para vender 2.000 novos contratos de dólar no mercado futuro e outro para rolar parte dos contratos que vencem em 1º de abril.

Whats App reuniu milhões de brasileiros no panelaço de ontem a noite contra Dilma

Nas 11 capitais e dezenas de outras cidades onde ocorreram panelaços, buzinaços, pisca-pisca nos edifícios e vaias, durante o discurso de Dilma na TV, o que mobilizou todo mundo foi o Whats App.

Em Porto Alegre, a rede foi pouco usada e o protesto praticamente não ocorreu, a não ser em bairros como Bela Vista.

Whats App possui 40 milhões de usuários no Brasil.

Organizados em verdadeiras redes, grupos de pressão e de discussão fazem mensagens circular isntantâneamente e com eficácia plena.

Desde sexta, a mensagem abaixo foi a mais enviada através do aplicativo:

- Hoje,às 20:40 hs, PANELAÇO NAS JANELAS, no momento do pronunciamento da presidente Dilma em rede nacional em comemoração ao dia internacional da Mulher, oportunidade em que defenderá o governo e lançará um pacote anti-corrupção. Vamos todos para as janelas e vaiar muito. Tb vale disparar alarmes de casas e carros! Passe adiante.

AQUI FOI ONDE TUDO COMEÇOU
Primeira capital importante administrada pelo PT, Porto Alegre esteve 16 anos sob o jugo do Partido. Esta é a história que ninguém contou antes. Ela revela os primórdios da técnica de criar dificuldades para vender facilidades.
345 páginas
R$ 50,00. Entrega em qualquer parte do País, sem custo adicional. 
Poucos exemplares.
Peça seu exemplar via polibio.braga@uol.com.br

Justiça julgará dia 16 a inconstitucionalidade da lei do salário mínimo regional

Foi agendado para o dia 16 o julgamento da inconstitucionalidade da lei estadual que aumentou em 16% o salário mínimo estadual.

A lei nao vale no momento.

Tarso Genro resolveu antecipar o aumento para 1,3 milhão de trabalhadores gaúchos.

Em Santa Catarina, semana passada, o governador Raimundo Colombo concedeu aumento de 8%.

Governo já decidiu atrasar salários no RS

Embora ainda não fale oficialmente, tudo encaminha-se pasra que o governo estadual anuncie atraso dos salários de março. O anúncio seria feito no dia 11, mas a data não foi confirmada até agora. Pelo menos 50 mil servidores ativos e inativos serão atingidos, exatamente os que ganham salários superiores a R$ 4 mil l´qiujidos. 50% do total são professores e policiais.

Os valores cortados seriam pagos em duas parcelas, no mês seguinte.


O atraso duraria o ano todo.  

PP gaúcho ouvirá esta tarde os deputados federais incluídos na Lista de Janot

Será as 17h a reunião do comando do PP do RS, tensionado até o limite pela inclusão dos seus deputados federais na Lista de Janot. Todos serão ouvidos esta tarde pelo Partido. O PP gaúcho jamais passou por crise semelhante.

Quase toda a bancada federal do PP foi parar na lista.


Menos Paulo Maluf, que sempre foi considerado a ovelha negra do Partido. 

Ex-secretário da Fazenda de Tarso aposenta-se com salário integral no TCE

O ex-secretário da Fazenda do governo Tarso, Odir Tonnoilier, que nos últimos anos permaneceu fora das funções de auditor do Tribunal de Contas, sempre cedido para administrações do PT, requereu e levou aposentadoria.

Ele levará salário integral.

Zé Otávio escreve ao editor: "Nunca fui de núcleo duro nenhum e nem sei porque Youssef mentiu tanto"

O deputdo José Otávio Germano, RS, incluído na Lista de Janot, enviou ontem a noite a seguinte nota ao editor:

Ao cumprimenta-lo como de costume, gostaria, tendo em vista algumas referências que fizeste ao meu nome, em teus comentários relacionados a operação lava jato, inseridas em teu prestigiado blog, esclarecer que não é verdade que o Sr. Youssef tenha dito que eu, por supostamente pertencer a um tal “núcleo duro” do partido, “teria recebido  altos valores de propinas do dinheiro sujo da Petrobrás”. Na delação desse senhor, não consta tal informação relacionada diretamente a mim. A única referência que fez, de maneira irresponsável e mentirosa, é que eu, ao lado de outros parlamentares, teria recebido ilicitamente valores mensais, para fins de campanhas políticas, o que é algo absurdo.
Contando com tua costumeira compreensão e renovando o meu respeito e a minha estima pelo amigo jornalista, peço, na medida do possível, que reproduzas esse esclarecimento em teu blog, do qual sou assíduo leitor.
                
José Otavio Germano
Deputado Federal

Artigo, Henrique Meirelles, Folha - Duro aprendizado

Os mercados, os investidores e o meio empresarial vivem hoje clima de inferno astral, no qual tudo de ruim acontece ou pode acontecer na área política, econômica e social. É uma preocupação que se estende por amplos segmentos da sociedade.
Mas, se as projeções econômicas para 2015 são péssimas e medidas urgentes e eficientes precisam ser tomadas para que os próximos anos sejam melhores, as más notícias embutem ao menos duas boas notícias.
Era inevitável que cedo ou tarde o Brasil sofresse esse experimento chamado "nova matriz econômica", aplicado no primeiro mandato da presidente. Correntes importantes do pensamento econômico, político e até empresarial o defenderam aguerridamente desde os anos 1990.
Mesmo quando o Brasil crescia a taxas elevadas, a inflação estava controlada, o desemprego caía e a classe média aumentava de forma impressionante, éramos atacados com o argumento de que cresceríamos muito mais se essa nova política fosse aplicada.
A primeira boa notícia é que o experimento foi tentado quando o Brasil estava forte. Não gosto nem de imaginar o que teria ocorrido se tivesse sido aplicado em 2003. O Brasil hoje está muito mais preparado para resistir a ele, com 120 milhões de pessoas na classe média e 30 milhões nas classes A e B, mercado financeiro forte, desemprego baixo, empresas sólidas, mais de US$ 370 bilhões em reservas e, apesar da deterioração recente, uma dívida pública ainda aceitável em termos internacionais já que ela caiu muito de 2003 a 2010.
A segunda boa notícia é que essa tentativa, inevitável, fracassou de forma brutal, rápida e acachapante e o remédio contra ela já era conhecido.
A sociedade brasileira está pagando hoje um custo enorme e lamentável, mas ao menos caminhamos na direção certa.
Há ainda grandes obstáculos e riscos, como o de o ajuste ser abandonado quando o país enfrentar as consequências do aperto fiscal e monetário numa economia em recessão ou o de o ajuste se perder dentro da crise política. Neste último caso, outro mal, a concentração de poder excessivo no Executivo, pode fazer um bem: a maior parte do ajuste só depende do próprio governo.
Portanto, as causas fundamentais dos problemas urgentes poderão ser resolvidas se o curso for mantido e conseguirmos passar por esse período dramático, como costumam ser ajustes dessa dimensão.
Podemos voltar a crescer no ano que vem, embora a uma taxa ainda muito baixa. Mas já com um ganho de aprendizado inestimável: o fracasso do experimento inevitável.

Esse aprendizado deve orientar a busca das soluções de longo prazo para a economia brasileira, discutindo não como o país vai sair da crise, mas como vai crescer a taxas mais elevadas e aumentar o padrão de vida da população. 

Marta Suplicy detona fala de Dilma: "SP assistiu, atônita, ao pronunciamento"

A ex-prefeita de São paulo e senadora do PT, Marta Suplicy, voltou  a atacar publicamente a presidente Dilma Rousseff:

- Tentando se apoiar na ultrapassada justificativa da crise internacional, Dilma negou, mais uma vez, a gravidade e a dimensão da atual crise econômica, as responsabilidades de seu governo e as consequências de seus desdobramentos para os brasileiros

Em mensagem no Facebook, a ex-ministra diz que, “em meio a gritos de protestos, buzinas e panelaço, São Paulo assistiu, atônita e perplexa, o pronunciamento da Presidenta Dilma nesta noite de 8 de março”.


Segundo ela, "tentando se apoiar na ultrapassada justificativa da crise internacional, Dilma negou, mais uma vez, a gravidade e a dimensão da atual crise econômica, as responsabilidades de seu governo e as consequências de seus desdobramentos para os brasileiros"

Expodireto abre hoje em Não-Me-Toque. Feira poderá resultar em negócios de R$ 3,5 bilhões.

Abre hoje em Não-Me-Toque, a edição deste ano da Expodireto, a maior feira agropecuária privada do RS.

O evento é da Cotrijal e irá até o dia 13.

São 70 participantes e 515 expositores.

No ano passado, a Expodireto propiciou negócios de R# 3,2 bilhões, reunindo público de 230 mil pessoas. Este asno, a expectativa é de que aconteçam negócios no valor de R$ 3,5 bilhões.

Daiçon Maciel é o novo presidente da Cientec

O ex-prefeito de Santo Antonio da Patrulha, Daiçon Maciel, é o novo presidente da Cientec. Ele é do PMDB.