Dilma desrespeitou Lei Eleitoral em Porto Alegre. Ela usou instalações e veículos públicos para fazer campanha para TV.

No sentido relógio: no trem público do Trensurb, em campanha com Tarcisio Zimmermann, PT; posando para entrevista em plenas instalações da estatal federal; cruzando as catracas, toda embandeirada com estandartes e cabos eleitorais do PT; nas instalações do Trensurb, junto com cabos eleitorais. Dilma esteve o tempo todo acompanhada de Miguel Rosseto, ministro do Desenvolvimento Agrário. 


A presidente Dilma Rousseff voltou a desrespeitar completamente a legislação eleitoral na sexta-feira, porque fez campanha aberta em prédios, veículos e instalações públicas federais, desrespeitado o que diz o artigo 73 da Lei Eleitoral, que proíbe este tipo de procedimento No Rio, neste final de semana, o governador Pezão foi proibido de fazer o mesmo (leia nota abaixo). CLIQUE AQUI para saber o que diz o artigo 73 e também comentário sobre ele.

. Uso e abuso do Trensurb - Dilma  andou de trensurb em Novo Hamburgo, onde gravou imagens para a propaganda eleitoral gratuita, e dedicou o curto tempo de entrevista coletiva dentro das instalações públicas da empresa federal,  elencando realizações de seu governo. A presidente embarcou no estação Santo Afonso e desceu na nova estação Fenac, que, segundo ela, cumpre "padrão internacional".

Aeromóvel -  Em seguida, a agenda de Dilma Rousseff contemplou uma visita ao aeromóvel, também para gravação de imagens para a campanha da televisão. Além disso, ela garantiu que em breve o trensurb deve receber vagões novos, com ar condicionado.

. O jornal Zedro Hora de sábado informou que "em clima de comício, a entrevista foi curta e com poucas respostas aos jornalistas presentes". Cercada de assessores e partidários, a presidente desceu ao púlpito improvisado na estação Fenac ao lado do ministro Miguel Rosseto, o prefeito de Canoas, Jairo Jorge, e o prefeito de Novo Hamburgo, Luis Lauermann.

CLIQUE AQUI para examinara a reportagem da RBS TV de sexta-feira a noite, destacando os eventos de campanhas em prédios, instalações e veículos públicos.

Candidato à reeleição, governador Pezão é proibido de fazer campanha em prédio público

O inciso primeiro do artigo 73 da Lei Eleitoral  proíbe ceder ou usar, em benefício de candidato, partido político ou coligação, bens móveis ou imóveis pertencentes à administração direta ou indireta da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios para que todos os candidatos disputem em igualdade de condições.

O desembargador Wagner Cinelli concedeu na última sexta-feira liminar que proíbe o candidato Luiz Fernando Pezão (PMDB), da coligação Rio em 1º Lugar, de divulgar agenda ou fazer campanha em prédios públicos, mobilizando servidores, sob pena de multa diária de R$ 5 mil a cada vez que a decisão seja desrespeitada. A ação foi movida pela coligação Frente Popular, do senador Lindbergh Farias (PT) que também disputa o cargo de governador do Estado. A liminar, no entanto, não impede que o candidato grave programas eleitorais em prédios públicos, como os que já foram apresentados na propaganda política. Segundo um dos advogados da coligação de Lindbergh, Marcelo Weick Pugliese, uma ação que trata desse tema ainda está sendo preparada pela Frente Popular.

. Na ação, os advogados da coligação Frente Popular citam uma série de atividades desenvolvidas por Pezão desde o início do mês e divulgadas pela imprensa, pelo site de campanha ou na agenda oficial do candidato. Entre elas estão as visitas a UPP de Vila Kennedy (4 de agosto) na qual o candidato se comprometeu a manter a política de pacificação em comunidades; o Centro Vocacional Tecnológico de São Gonçalo (5 de agosto), o Hospital da Mulher de São João de Meriti (13 de agosto) e o Centro de Diagnóstico por Imagem (19 de agosto).

- O candidato ao governo do Rio pelo PT Lindbergh Farias visitou, nesta quinta-feira, o campus da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) de Marechal Hermes, na Zona Norte do Rio. Como o governador Luiz Fernando Pezão, candidato à reeleição pelo PMDB, que visitou na terça-feira o Centro Vocacional Tecnológico (CVT) de Colubandê, em São Gonçalo, e prometeu triplicar o número dessas unidades, o petista usou, em benefício próprio, bem imóvel pertencente à administração direta do governo estadual, o que é proibido pela Lei Eleitoral.

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

Depois de fugir do caso em Porto Alegre, Dilma recua e joga Graça Foster às feras. Petrobrás é cadáver fétido que contamina o governo.

Em Porto Alegre, sábado de manhã, Dilma Roussef não quis saber de falar com os jornalistas sobre a delação premiada que o ex-diretor da Petrobrás, Paulo Costa, o Paulinho, resolveu acertar com a Polícia Federal e o MPF do Paraná.

. Paulinho avisou que se falar tudo, nem eleição haverá.

. A Petrobrás está no vértice de mais um escândalo de corrupção, desmandos e bandidagens do governo do PT.

. Neste domingo a tarde, acertada com seus assessores, Dilma falou numa entrevista coletiva.

. Ela praticamente atirou Graça Foster às feras, no melhor estilo lulista, que nunca sabia de nada e tudo atribuía a traições.

.  No início da tarde deste domingo, a presidente Dilma Rousseff disse não temer o caso:

- O Brasil e nós todos temos de aprender que se pessoas cometeram erros, malfeitos, crimes, atos de corrupção, isso não significa que as instituições tenham feito isso. Eu não tenho que comentar sobre a decisão de uma pessoa presa fazer ou não delação premiada. Isso não é objeto do interesse da Presidência da República. 

Mesmo acusada de associação criminosa armada, Justiça do Rio autoriza viagens e palestras de Sininho

A Justiça do Rio autorizou Sininho, a líder dos violentos bloc blacks., presa no mês passado, a viajar e dar palestra em Pernambuco Acusada de associação criminosa armada, Elisa Quadros vai debater 'atual situação da educação pública e os movimentos sociais'

TSE impugna campanha do PSDB contra brancos e nulos.

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Tarcísio Vieira de Carvalho concedeu liminar neste sábado que impede o candidato tucano Aécio Neves de usar o slogan e a hashtag "Vem Pra Urna" durante a campanha política. O slogan já é usado pela Justiça Eleitoral para incentivar a população a votar nas eleições deste ano. O ministro entendeu que a utilização de slogan de campanha institucional do judiciário pode induzir o eleitor em erro "soando despropositada a sua apropriação em campanha eleitoral".

O caso foi levado ao Tribunal por meio de representação apresentada pela coligação Com a Força do Povo, da presidente e candidata do PT, Dilma Rousseff. A alegação foi de que a campanha do tucano usou, no site oficial da coligação e nas redes sociais, campanha com o mesmo slogan e hashtag da Justiça Eleitoral.

Crime
O uso de símbolos, frases ou imagens associadas ou semelhantes às usadas por órgão de governo constitui crime, destacou o ministro Tarcísio Carvalho, citando a Lei das Eleições. A punição é de detenção de seis meses a um ano, com possibilidade de pena alternativa em prestação de serviços à comunidade e multa. O ministro apontou que o uso do slogan na campanha eleitoral deve ser, portanto, apurado e sancionado em processo penal eleitoral e não por representação - recurso utilizado pela coligação encabeçada pelo PT. Mesmo assim, o ministro considerou a necessidade de suspender a prática "aparentemente irregular" pela concessão da liminar. A campanha do tucano ficará proibida de usar o "Vem Pra Urna" até a decisão final do Tribunal. De acordo com o TSE, a coligação Muda Brasil, de Aécio Neves, já foi notificada da decisão. (Estadão)

Brigada baleia índios sublevados no Norte do RS

Na edição deste domingo do site www.zerohora.com.br, o repórter Felipe Luis da Costa conta que dois índios foram baleados durante um confronto com a Brigada Militar (BM), na tarde deste sábado, em Iraí, no norte do Estado. Dois policiais militares foram desarmados e chegaram a ser levados pelos índios da reserva caingangue, conforme a BM.

.Leia mais:

. Os PMs foram liberados e os indígenas só devolveram os armamentos, coletes à prova de balas e uma viatura pertencente ao 37º Batalhão da cidade no começo da noite, depois da garantia de que seria aberto um inquérito para apurar os motivos dos disparos.

. O agente da Polícia Civil Pedro Evaldo Wink, responsável pelo caso, diz que foram registradas duas ocorrências pelos policiais militares envolvidos.

Alckmin teve alta

O governador Geraldo Alckmin estava  internado desde a tarde da última sexta, para tratamento de uma infecção intestinal causada por bactéria. Segundo boletim desta manhã do Incor, o governador vai manter o tratamento com medicamentos, dieta específica e repouso relativo em sua residência oficial.

Eis o boletim que o editor recebeu esta manhã:

PACIENTE
GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN
O Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, teve alta hospitalar no final da manhã deste domingo, 24 de agosto, do Incor (Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP), onde estava internado desde a tarde da última sexta-feira (22), para tratamento de uma infecção intestinal causada por bactéria. Nesta etapa de desospitalização, o Governador permanecerá em tratamento medicamentoso, dieta específica e repouso relativo em sua residência oficial  – onde será acompanhado pelas equipes médicas que o assistiu no Incor (Professores Doutores David Uip, infectologista, e Flair José Carrilho, gastroenterologista) e a do Palácio do Governo.

Aécio acha que Marina deve responder sobre uso do jatinho de Campos

Eis o que disse Aécio Neves em Fortaleza, Ceará, ontem,  sobre o jatinho que matou Eduardo Campos, falando sobre a possibilidade de impugnação do registro de Marina Silva:

- Todos os homens e mulheres públicos têm que estar preparados para responder sobre tudo, a qualquer tipo de indagação. Esse é um problema sobre o qual o PSB vai ter que responder.

PSB não se explica sobre caixa 2 para compra do jatinho. Marina poderia ser até cassada.

A Polícia Federal já investiga se o jato usado por Eduardo Campos e Marina Silva foi comprado com dinheiro de caixa 2.Marina Silva pode ter a candidatura cassada

. Seriam  despesas não foram declaradas na campanha do PSB.

. O Partido prometeu abrir as informações no final de semana e não fez isto até agora.

. As contas poderão ser rejeitadas pelo Tribunal Superior Eleitoral; 

. "Se os gastos com o avião não forem declarados, isso pode configurar omissão de despesas e o candidato pode responder a uma ação por abuso de poder econômico", diz a advogada Katia Kufa, presidente do Instituto Paulista de Direito Eleitoral; segunda ela, a própria; A dificuldade do PSB é encontrar um dono para o avião, uma vez que o proprietário teria também que arcar com o custo de indenizações e danos materiais causados a terceiros.