Dica de leitura do editor para Tarso Genro - A Grande Degeneração

DICA DE LEITURA

A Grande Degeneração
Niall Ferguson, Planeta, 128 páginas, R$ 24,90

É a dica de leitura que o editor passa para o governador Tarso Genro e seus aliados do PT mais satélites. Usando Adam Smith para explicar a degeneração da civilização ocidental e seu domínio sobre a economia mundial, avisa Niall Fergusson:


A dívida pública – declarada e implícita – tornou-se uma forma de a geração mais velha viver à custa dos jovens e dos que ainda estão por vir. 

A Aliança do Pacífico (Chile, México, Colombia e Peru) já nasce maior do que o Mercosul

Sem ranços ideológicos, unidos para crescer e se aliar com os ricos, os presidentes da Aliança do Pacífico mostram a cara moderna da América Latina.



- No dia em que eram reveladas as preocupações de Pedro Simon, quinta-feira, em Cali, na Colômbia, os presidentes do Chile, Peru, Colômbia e México firmaram a Aliança do Pacífico. A área de livre comércio foi anunciada no ano passado, mas sacramentada apenas nesta quinta. A partir de 30 de junho, 90% dos produtos comercializados entre os quatro terão tarifas zero. O Mercosul, criado há 22 anos, chegou aos 80% dos produtos com tarifa zero somente dwepois de 22 anos. Outros dois dados esclarecedores: 

Crescimento do PIB parra 2013
Mercosul - 2,5%
Aliança - 5%
Posição no ranking de liberdade econômica, se o bloco fosse um País
Mercosul - 133
Aliança - 29
Exportações em 2012
Mercosul - US$ 335 bilhões
Aliança - US$ 556 bilhões

Por sugestão do senador Pedro Simon (PMDB-RS), a Comissão de Relações Exteriores (CRE) vai analisar as consequências da criação da Aliança do Pacífico. Formado pelo México, Chile, Colômbia e Peru, o novo bloco regional está tomando uma série de medidas de liberação comercial entre seus membros, visando à obtenção de vantagens competitivas. O tema será discutido, por exemplo, em audiência pública com o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, ainda sem data definida.

. Na quinta-feira, o senador Pedro Simon abordou o assunto com o novo diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo, que falou na CRE. O parlamentar quis saber qual será o impacto da Aliança do Pacífico no comércio exterior do Brasil e, do ponto de vista estratégico, como o novo bloco regional formado influenciará o processo do Mercosul.

. O diplomata, primeiro não europeu a dirigir o organismo máximo do comércio internacional, aconselhou o Brasil a ser ”mais competitivo”, já que blocos como o da Aliança do Pacífico, com áreas de livre comércio, serão criados com maior frequência.

Ministro Pimentel é acusado pela PGR pelo desvio de R$ 5 milhões em conluio com CDL de Belo Horizonte

Ao lado, a superdilma, na visão do chagista de O Globo, Chico Caruso.



Protegido pela presidente Dilma Roussef desde a campanha eleitoral, quando foi pilhado organizado um grupo de malfeitores petistas para espionar e difamar Serra, o ministro Fernando Pimentel foi formalmente acusado esta semana pela Procuradoria Geral da República junto ao STF. Fernando Pimentel e Dilma são amigos e companheiros desde os tempos de estudante em Minas. Ambos foram da organização terrorista VAR. Com 19 anos, o ministro esteve em Porto Alegre, onde participou da tentativa de sequestro e assassinato do cônsul dos EUA, Charles Curtiss Cutter. Ele foi preso pela ação terrorista realizada na Rua Mariante, Porto Alegre. ]

. Nem sempre a superdilma tem trabalhado tão escandaradamente a favor de um ministro acusado de malfeitorias.

. Ele é acusado de ter desviado R$ 5 milhões da prefeitura de Belo Horizonte, em favor da Câmara dos Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte" (CDL/BH), contratada para a implantação de 72 câmeras de vigilância no centro da cidade.


. A Procuradoria afirma dispor de descrição "clara e concisa" do "fato criminoso e dos indícios de autoria, que permitem com segurança apontar o denunciado como autor dos delitos". Para a PGR, o convênio com a CDL foi mera dissimulação, e o dinheiro, desviado para uma empresa-fantasma. Se condenado, Pimentel está sujeito a pena de até 12 anos de prisão.

Marcha das Vadias protesta em SP contra a violência contra as mulheres no Brasil

Ao lado, ativista mostra os seios nus para protestar contra a violência masculina contra as mulheres, sobretudo contra os atos de repetidos estupros. A foto e o texto são do jornal O Globo deste domingo.  



A Marcha das Vadias, em sua terceira edição em São Paulo, percorreu neste sábado as ruas da região da Avenida Paulista e do centro da capital. Na ocasião, manifestantes distribuíram cartões informativos de onde as mulheres podem denunciar a violência sofrida e ainda sobre pontos de apoio às vítimas da violência. O tema deste ano proposto pelo coletivo feminista, “Quebre o Silêncio”, tem por objetivo incentivar que as violências sexual e doméstica sejam denunciadas.

Selvagens diárias - Este ano, Tarso já gastou 300% mais do que gastou Yeda no mesmo período do seu governo

Rosane Oliveira (foto ao lado), editora de Política de Zero Hora, sempre no dedo no gatilho contra a desafeta e mel para passar nos lábios do plantonista do Piratini: Tarso gasta muito com viagens, porque Yeda gastava pouco. 



Diárias nos cinco primeiros meses, em milhões

Governo estadual
2012 - R$ 45
20134 - R$ 58,9

Assembléia
2012 - R$ 1,20
2013 - R$ 1,18

Ministério Público Estadual
2012 0 R$ 1,19
2013 - R$ 1,08

Tribunal de Contas
2012 - R$ 222 mil
2013 - R$ 202 mil

Ao analisar os gastos de mais 29% com as diárias deste ano, a jornalista Rosane Oliveira, Zero Hora, misturou laranja com banana neste domingo, porque enfiou tudo num só balaio para efeito de comparação, quando o que se percebe é que na comparação correta - laranja com laranja e banana com banana - o que se percebe é que o governador Tarso Genro é o único chefe de Poder que gasta perdulariamente, já que todos os outros conseguiram poupar gastos com diárias.Misturar tudo é beneficiar o gastador e punir o poupador.

. O pior nem é isto.

. É que ao conceder a Tarso Genro o benefício da boa explicação para seus selvagens gastos, geometricamente maiores do que os gastos da governadora Yeda Crusius em igual período do seu governo (janeiro a maio de 2009) ela encontrou estes números:

Yeda - R$ 21,7 milhões
Tarso - R$ 58,9 milhões

. E encontrou esta explicação chapa branca, repleta de sofismas,  de quem continua tentando pegar no pé da desafeta servir aos interesses do plantonista do Piratini:
"A explicação para uma parte da diferença fica evidente no discurso do governador Tarso Genro, que acusa sua antecessora de não ter feito relações internacionais porque as desavenças com o vice, não lhe permitiram se ausentar do País".

. É certo que Yeda não fez viagens inúteis ao Uruguai, Cuba e Palestina, como também é verdade que os chefes do Legislativo, do MPE e do TCE, também não fizeram viagens desse gênero, e no entanto reduziram drasticamente suas despesas de viagens, ao contrário de Tarso, que continua procurando no exterior aquilo que não encontra no RS.


- A RBS também poderia comparar os extravagantes déficits que o atual governo acumula ano após ano ou os saques bilionários feitos pelo atual governo em cima do caixa único e dos depósitos judiciais. O resultado surpreenderia Rosane. Claro que a RBS culparia Yeda pelo fato de ter poupado tanto e administrado tão bem as finanças públicas estaduais, apenas para prejudicar o governador Tarso Genro, que não quer, não sabe e não consegue fazer o mesmo. 

Artigo, Henrique Meirelles - Chega ao fim a era do dólar fraco

* Clipping Folha, by Henrique Meirelles

Muitos analistas anunciam o fim da era do dólar fraco em relação a uma cesta abrangente de moedas.
No Brasil, quando o real se deprecia, muitos falam em aumento do dólar. Sim, é um aumento do dólar ante o real, mas não necessariamente ante as demais moedas.

. O que se discute agora é o fortalecimento do dólar diante da maioria das moedas, independentemente do real.

. O dólar passou por um processo histórico de depreciação em função dos deficit comerciais crescentes dos EUA, gerados pelo aumento das importações de bens de consumo e energia durante décadas.
A crise reverteu essa tendência. A aversão ao risco gerou grande demanda pelo dólar como moeda de reserva de valor. Mas ele voltou a se depreciar com o programa de aumento agressivo de liquidez do Fed (o BC dos EUA).

. Agora, com a aproximação do momento de normalização da política monetária americana, espera-se a continuidade do fortalecimento do dólar. Há razões para isso.

CLIQUE AQUI para ler tudo.