Paulo Henrique diz que Dilma se rendeu para a Globo

* Clipping www.brasil247.com.br

Defensor da Ley de Medios argentina, o jornalista Paulo Henrique Amorim, do site Conversa Afiada, argumenta que a presidente Dilma Rousseff cedeu às pressões dos grandes meios de comunicação. Leia abaixo:
A Globo venceu.
Venceu a tese de que o controle remoto é o que faz a Democracia.
Essa deve ser a marca do Governo Dilma.
A máxima concessão.
Ela fala groso com os bancos e fino com a Globo.
Qual a saída?
Como diz o Nunca Dantes, o caminho é a rua.
O PT ir para as ruas e imprensar o resto do Governo.
O boicote a CPI do Cachoeira, agora se entende, não foi do Michel Temer nem do Miro Teixeira.
Quem odarelou foi a Dilma.
A Ley de Medios não é para proteger a Dilma da Globo.
A Ley de Medios é para você, amigo navegante, para exercer seu Direito Inalienável à Informação e à Expressão.
Basta o PT seguir o professor Comparato e o Franklin Martins: o que o cidadão brasileiro quer é o cumprimento da Constituição de ‘88.
Nada além da Constituição.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Jornal espanhol ABC diz que Chaves está em coma induzido e só sobrevive pela força dos aparelhos

Os leitores que duvidam dos posts que abarrotam as redes sociais, com ênfase para as mensagens disponibilizadas nos diversos sites do twitter, podem agora tranquilizar-se com a nota a seguir do respeitado e influente jornal espanhol ABC:

El diario asegura que el presidente venezolano se encuentra en un coma inducido, con los signos vitales muy debilitados y mantenidos gracias a la asistencia artificial.

Memória - Artigo: "As fantasias do Plano Real"

Em 12 de julho de 1994,  7 dias depois do parto do Plano Real, um conhecido economista publicou na Folha de S. Paulo um artigo sobre o recém-nascido. Teria vida breve, garantiu o autor. Mas provocaria um desastre de tal porte que o Brasil demoraria algumas décadas para sair da UTI.
 Vale a pena ler a análise feita pelo Economist, cujo nome vai o final deste texto. 

AS FANTASIAS DO REAL

Diga-se o que quiser do Plano Real, pelo menos num aspecto ele foi bem sucedido. Conseguiu excitar a imaginação popular e passar a impressão de algo novo e diferente dos planos anteriores.
Os arquitetos do real não pouparam sua imaginação para lançar velhas ideias com aparência de novas, como o Comitê da Moeda, Banco Central independente, ou a dolarização com conversibilidade, mesmo que nada disso tenha sido utilizado.Chegaram ao ponto de reinventar os reis ou reais, uma nova moeda fantasiada do dólar e garantida por um lastro que não exerce nenhum papel prático, uma vez que o real não é conversível, a não ser o de dar a impressão de que o real vale tanto quanto a moeda norte-americana.
E todo esse barulho para quê? Para vestir com roupagens sofisticadas e muitos truques de ilusão, mais um ajuste tradicional, calcado no corte de gastos sociais, numa contração dos salários, num congelamento do câmbio e outros ativos e, sobretudo, num forte aperto monetário com taxas de juros estratosféricas.
A parte mais imaginativa do plano, que foi a superindexação da economia pela URV, revelou-se a mais perversa, porque passou a ideia de que os salários estavam sendo perfeitamente indexados e resguardados da inflação. Quando, na verdade, foram colocados em desvantagem na conversão para a URV em relação a preços, tarifas e vários outros custos e ainda perderam os reajustes automáticos que a lei salarial lhes garantia.De primeiro de julho em diante os salários serão pagos em real, que tem a aparência de ser uma moeda indexada, como se tivesse herdado as virtudes da URV, porém é uma moeda desindexada e totalmente vulnerável a corrosão inflacionária do real.A regra de conversão dos salários pela média e dos preços, tarifas e outros custos pelo pico, matou dois coelhos de uma só cajadada. Reduziu preventivamente a demanda dos assalariados, que poderia aumentar com a queda brusca da inflação e comprimiu os custos salariais, dando uma folga para os preços.Com esses artifícios, os preços têm chance de apresentar alguma estabilidade por algum tempo, porque desfrutarão de um conjunto de custos estáveis, como salários, tarifas, matérias-primas importadas, aluguéis e tudo o mais que foi congelado por até 12 meses, sem a aparência de estar congelado.E aqui também a ilusão funcionou, porque vendeu-se a ideia de que o plano não utilizou o congelamento, quando, na verdade, congelou o câmbio, tarifas, aluguéis e contratos. Só não congelou mesmo os preços e deixou os salários no limbo de um semicongelamento, com o ônus de correr atrás do prejuízo que será causado pela inflação do real.Portanto, mais do que um plano eficiente e bem concebido, o real é um jogo de aparências, que pode durar enquanto não ficar evidente que as contas do governo não vão fechar por causa dos juros altos, que o mercado sozinho não é capaz de conter os preços dos oligopólios sem uma coordenação das expectativas por parte do governo, que os salários não manterão o poder aquisitivo por muito tempo, que o real não vale tanto quanto o dólar.Mas não se deve subestimar a eficiência das aparências e dos jogos de prestidigitação nas artimanhas eleitorais. As remarcações preventivas dos preços, junto com os congelamentos, permitirão uma inflação moderada em julho e, talvez, uma ainda menor em agosto, numa repetição da trajetória dos preços por ocasião da implantação da URV, que subiram muito em fevereiro, na véspera da fase dois, elevando os índices de inflação de março, e depois caíram em abril e só voltaram a subir em maio e junho.A questão é saber em quanto tempo o grosso da população irá perceber que uma inflação moderada por si só, acompanhada por um aperto monetário e recessão, não melhora sua situação, não cria empregos e, na ausência de uma lei salarial e correções automáticas, pode ser tão deletéria quanto uma inflação de 30% a 40% com indexação.

- O texto foi escrito por ninguém menos que GUIDO MANTEGA.Passados 18 anos, o autor  não pediu desculpas pelo que escreveu, não se declarou envergonhado com o papel de Cassandra nem pediu perdão aos leitores que tentou iludir. Agora Dilma e seu Ministro estão assustados com as sombras no horizonte.
O que será do Brasil se o Governo resolver enfrentar o perigo com um "Plano Mantega"?   

A Hora de Chavez - Cuba cala pela primeira vez no aniversário da revolução. Mensagens cifradas falam más notícias sobre Chavez.

Pelo meio dia de hoje, hora brasileira, Lucio Quincio tinha dado esta mensagem cifrada no twitter
Lucio Quincio C (@LucioQuincioC)
01/01/13 12:10
A buen entendedor,pocas palabras....a confesión de partes, relevo de pruebas...

Pouco depois, mensagens do gênero a seguir cruzaram a blogsfera, a partir de Miami
URGE1LUCHANOVIOLENTA (@Tu_Pueblo_Grita)
01/01/13 13:54
HUGO CHAVEZ FUE DESCONECTADO AYER A LAS 5:10 AM DEJO DE RESPIRAR 11:37 AM FUENTE EL TUERTO ANDRADE, MIAMI FLA

A conhecida blogueira cubana Yoani sanchez estranha o silencio e falta de entusiasmo na data da revolução cubana, hoje. Informação local de Cuba
Yoani Sánchez (@yoanisanchez)
01/01/13 13:55
#Cuba En mi barrio ningún entusiasmo por 54 aniversario #Revolucion Incluso entidades que otros años celebraban, hoy muy calladas.

- O editor vem monitorando e minerando o que encontra nas redes sociais, com ênfase para o Twitter. Lucio Quincio, fonte do primeiro post, é alguém situado no alto escalão do governo de Caracas. Não é o caso do Twitter "Tu Puebleo Grita", bastante desconhecido, que é tomado aqui como um dos exemplos da tensão que percorre a blogsfera no continente. Yoani, como se sabe, é uma dissidente cubana - a mais conhecida do País. 

OFERTA PARA OS LEITORES
Cabo de Guerra + Herança Maldita – Os 16 anos do PT em Porto AlegreApenas R$ 70,00
Os dois livros, cujo conjunto é vendido nas livrarias por R$ 125,00, podem ser adquiridos exclusivamente pelos leitores por apenas R$ 70,00, com entrega grátis. Faça seu pedido pelo e-mail Polibio.braga@uol.com.br Caso a encomenda seja superior a um pacote, destinandos-se a presente de final de ano e leitura de verão, o preço cai para R$ 50,00 cada conjunto. Esta promoção vale apenas para leitores. No e-mail, faça referência a esta oferta.

Lula já tem jatinho preparado para funerais de Chavez

* Clipping www.brasil247.com.br

A saúde de Hugo Chávez, que teve novas complicações depois da sua cirurgia contra um câncer, realizada em Havana no último dia 11 de dezembro, é hoje um assunto que interessa não só aos venezuelanos, como ao mundo inteiro – especialmente à América Latina. É esta, hoje, a principal preocupação do ex-presidente Lula, que tem um jatinho à disposição, emprestado por um empresário, para viajar a Cuba, caso Chávez venha a falecer. Lula não irá à posse do filho Marcos, que se elegeu vereador em São Bernardo do Campo, não está confirmado na posse de Fernando Haddad, em São Paulo, mas pode embarcar a Cuba a qualquer momento. Chávez é hoje um dos principais pilares de sustentação da política externa implementada no governo Lula, que rechaçou a proposta de acordo comercial oferecida pelos Estados Unidos, a Área de Livre de Comércio das Américas (Alca), e privilegiou a expansão do Mercosul, recentemente ampliado com o ingresso da própria Venezuela.

Com as maiores reservas de petróleo do mundo, que, em meados de 2012, alcançaram 296,5 bilhões de barris e superaram as da Arábia Saudita, a Venezuela se tornou peça central da geopolítica internacional – especialmente da América Latina. Chávez já financiou governos de países como Bolívia, Equador, Nicarágua, Honduras e até mesmo a Argentina, onde os Kirchner foram ajudados com a venda de energia subsidiada. Cuba também é um país que, hoje, depende essencialmente do petróleo subsidiado pela Venezuela – mais de 100 mil barris diários.

Nesta terça-feira, os jornais venezuelanos informam que Chávez, internado em estado grave, teve um dia estável, na virada do ano. O vice Nicolas Maduro embargou de emergência a Havana e tem a missão de manter a chamada "revolução bolivariana". Mas sem o carisma e a liderança de Chávez, ninguém é hoje capaz de prever se Maduro terá força para dar continuidade à política que vem sendo implantada por Chávez desde 1998.

- No Twitter, o povo venezuelano se dividiu em mensagens de apoio a Chávez, com a hashtag #FuerzaChavez, e também em desejos também por sua morte. O certo é que sua eventual passagem transformaria radicalmente o quadro político na América Latina.

Apagão do Tarso - 131 mil famílias estão sem energia no RS

Novo apagão atingiu o RS na madrugada da virada do ano e 75 mil clientes iniciaram 2013 sem energia elétrica nas áreas de concessão da Companhia Estadual de Energia Elétrica (Ceee) e da AES Sul. As companhias alegam que é culpa do temporal.  em função do temporal, mas basta cair chuva e ventar no RS para que novos apagões ocorram.  Às 10h50min, o número subiu para 99 mil. Na Capital e na região Metropolitana, o desabastecimento atinge 21,9 mil pontos. A empresa já identificou o problema em dois alimentadores, nos bairros Moinhos de Vento e Bela Vista, na Capital. As equipes seguem nas ruas para consertar os defeitos e restabelecer o sistema.

. No interior, o problema atinge clientes da Ceee nas regiões de Bagé (1,7 mil), Camaquã (3,2 mil), Rio Grande (226) e Pelotas (1,1 mil) e litoral (530). Usuários podem comunicar falta de energia pelo torpedo para o número 27307. Na mensagem é preciso escrever a palavra luz mais o número da instalação, que aparece na conta de luz. A empresa responde com o número do protocolo de atendimento. Em toda a região de abrangência da AES Sul, há 38 mil pontos desabastecidos. São 15 mil na região Central, outros 15 na Fronteira e 8 mil estão distribuídos nas regiões dos Vales e Metropolitana.A cidade mais atingida é Itaqui, onde todos os 11 mil clientes sofrem com o apagão. No início do temporal a falta de eletricidade chegou a atingir 50 mil clientes da companhia. Para informar falta de energia, os consumidores podem enviar um SMS para 28410, digitando o código de cliente.

- Na área de concessão da RGE, na região das Missões e Noroeste, há 32 mil clientes sem energia elétrica. Para avisar sobre o problema de falta de luz, envie SMS para 27350, com a palavra luz e o código do cliente.

* Clipping Rádio Gaúcha, com copidesque do editor. 

Valor do novo mínimo, que entra em vigor hoje, é 9% mais alto que o anterior, mas ainda longe do ideal, segundo cálculos do Dieese

O salário mínimo recebeu uma alta de 9% em relação ao valor de 2012 e passará para 678 reais a partir de hoje, dia 1º de janeiro de 2013. O valor foi anunciado no último dia 24 de dezembro pela Presidência da República e é um pouco maior do que o previsto anteriormente no relatório final do Orçamento, de 674,96 reais. O valor anterior, vigente durante 2012, era de 622 reais. Apesar do montante previsto para este ano apresentar alta, ainda está longe do ideal, segundo o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos( Dieese). De acordo com cálculos divulgados pelo departamento no início de dezembro, o valor deveria ser de 2.514,09 reais para cobrir as necessidades básicas. Esse salário mínimo teórico foi calculado com base nos preços da cesta básica durante o mês de novembro de 2012.

A Foto do Ano - O sorriso e o esgar


A foto de Dida Sampaio é mais que o registro do momento em que Dilma Rousseff, presidente da República há quase dois anos, cumprimentou o ministro Joaquim Barbosa, que acabara de assumir a presidência do Supremo Tribunal Federal. A imagem documenta a colisão frontal, consumada em estridente silêncio, entre um homem e uma mulher assaltados por sentimentos opostos e movidos por antagônicos estados de ânimo.
O chefe do Poder Judiciário está feliz, de bem com a vida. A chefe do Poder Executivo está contrafeita, nas fímbrias da amargura. Joaquim Barbosa é o anfitrião de uma festa. Dilma Rousseff é a convidada que nada tem a festejar. Está lá por não ter conseguido livrar-se do convite.
Ele se sente em casa e pensa no que fará daqui por diante. Ela pensa no que ele fez e anda fazendo. E se sente obrigada a enviar um recado fisionômico ao padrinho e aos condenados no julgamento do mensalão: se pudesse, estaria longe dali.
Só ele sorri.

Economia terá que crescer acima de 4% em 2013 para criar mais empregos

A economia brasileira terá de crescer a taxas bem superiores à média apontada por analistas (oscilando entre 3% e 4%), para que haja aumento de postos de trabalho e uma queda mais expressiva na taxa de desemprego. A avaliação foi feita à Agência Brasil pelo economista Clemente Ganz Lúcio, diretor técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).Ele justificou que há uma capacidade ociosa nas empresas e a estratégia delas, em um primeiro momento, pode ser a de estender a jornada do pessoal já ocupado com adoção de horas extras. Se o Produto Interno Bruto (PIB) ficar próximo dos 3%, a taxa de ocupação pode ficar estável, acredita Ganz Lúcio. Dados da Pesquisa Mensal de Emprego do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), referente a novembro último, indicou leve queda na taxa de desemprego, que passou de 5,3% para 4,9%. Houve um recuo também no índice apurado em conjunto pelo Dieese e pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), com a constatação de que 10,5% da População Economicamente Ativa (PEA) estavam desempregados em outubro, ante 10,9%, em setembro.

 Indústria é o gargalo - Embora, na virada de setembro para outubro, a indústria tenha sido a que mais contratou mão de obra com a oferta de 75 mil vagas e um crescimento de 2,5%, sobre outubro de 2011, o setor encolheu o número de vagas em 0,8% com a eliminação de 24 mil postos de trabalho. E é essa área do setor produtivo que pode vir, segundo Clemente Ganz Lúcio, a impulsionar a economia, no próximo ano.
 "Há uma sinalização de retomada do emprego na indústria", ressaltou o economista. Ele observou que, embora este segmento econômico tenha sido mais afetado pela queda na demanda internacional, houve a compensação dos benefícios concedidos pelo governo federal como, por exemplo, a medida de desoneração da folha de pagamento, oferta de linhas de crédito por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) entre outros estímulos.Esse quadro permitiu "uma certa dinâmica da economia", com manutenção da taxa de desemprego mais baixa e com ganhos salariais acima da inflação. No entanto, segundo Clemente, muitas empresas colocaram os investimentos "na geladeira". Com base em projeções dos analistas, ele disse que a taxa de investimento neste ano ficou entre 18 e 19% e deveria alcançar algo em torno de 25% para que a economia crescesse entre 4 a 5%.

- O desempenho da economia no ano que vem vai depender da reação externa, do quanto a Europa será capaz de contornar a crise no bloco do euro; da capacidade da China em aumentar as importações e do reaquecimento nos Estados Unidos."O Brasil não vai se sustentar para um crescimento tão grande se for depender apenas do mercado interno", disse ele, pontuando que "emprego e renda são fundamentais para o crescimento". O economista salientou que, em alguns segmentos, "tivemos uma situação de pleno emprego", caso da construção civil. Porém, advertiu a necessidade de o país corrigir o problema da falta de profissionais especializados.Um dos obstáculos a serem vencido para melhorar a competitividade em nível mundial, segundo ele, é a redução da diferença de custo da mão de obra. De acordo com Ganz Lúcio, a hora trabalhada nas empresas b

Fortunati e Melo assumirão na prefeitura, 17h. Novos prefeitos do País assumirão durante horários diversos.


Em Porto Alegre, as 17h, o prefeito José Fortunati e o seu vice, o ex-vereador Sebastião Melo, assumirão seus cargos na prefeitura de Porto Alegre. Em todo o País, prefeitos eleitos farão o mesmo.

. O governador Taro Genro prometeu comparecer a duas posses, no caso as de Fortunati, PDt, Porto Alegre, e Alexandre Lindenmeyer, PT, Rio Grande, ambos de Partidos da base aliada.

- LEIA também esta análise do jornalista Afonso Ritter, Jornal do Comércio, sobre a grande tarefa listada para seu governo pelo prefeito Fortunati:

Enquadrar a burocracia
A novidade mais aguardada na reforma do prefeito José Fortunati é o Escritório Geral de Licenciamento e Regularização Fundiária, a ser implantado e administrado pela competente Ana Pelini. Ela é auditora licenciada da Secretaria da Fazenda, passou por vários cargos do governo estadual e conhece, portanto, os meandros da burocracia que agora deverá domar no município.


- Nem todos os 5.564 municípios brasileiros verão os prefeitos eleitos em 2012 tomarem posse neste 1º de janeiro. Em 59 cidades, os candidatos que tiveram mais de 50% dos votos concorreram com os registros de candidatura indeferidos e isso levará à realização de novas eleições. Nestes casos, os presidentes das câmaras de vereadores irão assumir as prefeituras até que o novo pleito aconteça.No RS, o caso mais importante é de Novo Hamburgo, onde o prefeito Tarcisio Zimmerman, PT, insistiu em se candidatar, apesar de punido pela Justiça Eleitoral, venceu, as eleições foram anuladas e ele não poderá disputar o pleito agendado para 7 de março. 

A Hora de Chavez - Quadro clínico de Chavez deteriora a cada momento

Nova rodada pelo Twitter de José Rafael Marquina, esta noite, revela que a hora fatal de Chavez está chegando rapidamente.

Jose Rafael Marquina
No existen posibilidades reales de mejoría e este punto de la enfermedad

Jose Rafael Marquina (@marquina04)
Situación muy difícil, en estos momentos Raúl Castro en el CIMEQ con familiares cercanos

 Jose Rafael Marquina
Continúa el deterioro clínico la saturación de oxígeno esta muy baja y no responde al oxígeno q le administran