TRF4, Porto Alegre, repele habeas corpus aos presos do Petrolão

A desembargadora Maria de Fátima.



O TRF4,que tem sede em Porto Alegre,  rejeitou, neste sábado, três pedidos de habeas corpus de dirigentes de empreiteiras presos ontem na sétima fase da Operação Lava Jato, da Polícia Federal (PF). As decisões foram proferidas pela desembargadora Maria de Fátima Freitas Labarrère, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), de Porto Alegre. Nas petições, as defesas de Eduardo Emerlino Leite, diretor da Camargo Correa, e de Agenor Franklin Magalhaes Medeiros e Jose Ricardo Nogueira Breghirolli, ligados a OAS, alegaram que os decretos de prisão são ilegais por não fundamentarem as participações dos acusados dos fatos. Os advogados de Eduardo Emerlino, que ainda não teve prisão confirmada pela PF, também alegaram questões de saúde para pedir que a prisão preventiva seja tranformada em domiliciliar. Segundo eles, o investigado é portador de hipertensão arterial de "difícil controle, chegando a registrar picos de 19 por 10 [mmHg (milímetros de mercúrio)]".

. Na decisões, a desembargadora indeferiu as liminares para libertá-los por entender que não há constrangimento ilegal nas prisões, determinadas pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal, de Curitiba. 

2 mil manifestantes protestam contra a corrupção, Dilma e o PT em Porto Alegre

A rua 24 interrompida entre a Hilário Ribeiro e a Praça Júlio de Castilhas, 15h, hoje. O iPhone do editor pegou apenas metade da caminhada. 


O editor contou 2 mil manifestantes no início da marcha de protesto contra a presidente Dilma Rousseff, o PT e os recentes escândalos de corrupção, na tarde deste sábado, em Porto Alegre. A manifestação, que reprimiu qualquer referência a uma intervenção militar, começou ao redor do Parcão e seguiu pela Avenida Independência até a Redenção.   

. Foram 2 horas e meia de caminhada sob sol escaldante. A Brigada acompanhou tudo de perto, mas não houve incidentes. Populares aplaudiram das sacadas dos edifícios e com buzinaços. 

Com bandeiras do Brasil, cartazes e faixas, os manifestantes criticaram a presidente e o PT por supostas tentativas de minar a democracia brasileira (por meio de iniciativas como a criação de conselhos populares) e lembraram os sucessivos casos de corrupção do país, a exemplo das denúncias envolvendo a Petrobras. Liam-se frases como "Viva a Polícia Federal", "Democracia sim, hegemonia do PT, não" e "Brasil livre, sem bolivarianismo ou militarismo". 

. As palavras de ordem mais gritadas pelos manifestantes dirigiam-se ao PT e a Dilma:

- O PT roubou, o PT roubou. Um, dois, três, Lula e Dilma na cadeia.

. No Parcão e na Redenção, falaram poucos organizadores, entre eles Percival Puggina, Marcel Von Haten e Tarsila Crusius.

. Não foi o forte da caminhada e dos protestos. 

Uma das preocupações do grupo era desvincular sua imagem de quem é favorável do retorno de um regime militar. Um dos manifestantes que trazia uma faixa com mensagem favorável a uma intervenção dos militares foi impedido de abri-la por outras três pessoas.


— Nós somos a favor da democracia, esta faixa transmite a mensagem errada e deslegitima o nosso movimento — afirmou o advogado Adalberto Bueno, 35 anos.

Planalto "apavorado" com a decisão do TSE de entregar o exame das contas de campanha de Dilma para Gilmar Mendes

O Palácio do Planalto não quer que o ministro Gilmar Mendes examine as contas de campanha de Dilma Roussef.

. No TSE, o caso foi parar nas mãos dele.

Advogados acionam plantão do TRF4, porto Alegre, para pedir habeas para nove empreiteiros presos no Paraná

Fernando Baiano, lobista e operador do PMDB, para quem levava o dinheiro da propina, está foragido. Ele prometeu detonar o Partido, caso tenha que falar. 



Os depoimentos dos empreiteiros bilionários presos ontem em suas casas e sedes das suas empresas, começaram a ser ouvidos esta manhã em Curitiba.

. Alguns executivos e lobistas fugiram.

. PF, MPF e o Juiz Sérgio Moro querem que os empreiteiros apresentem documentação sobre propinas pagas a políticos, ao PT e também ao PP e PMDB. 

. O escândalo atinge diretamente a base aliada do governo, o próprio governo, Lula e Dilma,.

. O governo está a ponto de sofrer julgamento político. 

. Esta manhã, disse há pouco a Globonews, ninguém do PT quis falar.

. Enquanto os acusados começavam a ser ouvidos, seus advogados se movimentavam para tentar soltá-los – pelo menos nove executivos ligados a empreiteiras que tiveram prisão decretada na Operação Lava Jato entraram neste sábado com pedidos de habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre (RS), segunda instância da Justiça Federal. Três deles ainda não foram presos, mas entraram com o pedido de revogação da prisão. Os pedidos devem ser analisados neste fim de semana, no plantão judiciário.


Os policiais ainda não conseguiram localizar três executivos da Camargo Correa: Eduardo Emerlino Leite, vice-presidente; João Ricardo Auler, presidente do Conselho de Administração da empresa; e Dalton dos Santos Avancini, diretor-presidente. Aldarico Negromonte Filho, acusado de ter ligações com o doleiro Alberto Youssef e Fernando Antonio Falcão Soares, conhecido como Fernando Baiano, são considerados foragidos.

Cardozo tenta preencher o vazio que domina o governo desde o início da nova fase do Petrolão

O ministro da Juastiça, José Eduardo Cardozo, reuniu a imprensa na manhã deste sábado pasra afirmar que o governo deseja que "tudo seja esclarecido", e que a orientação da presidente Dilma Rousseff é de "investigar tudo o que há de irregular".


. Cardozo também descartou uma crise no governo devido aos rumo da operação: "Temos a consciência tranquila. Não há crise, tudo será investigado". Ele avisou:

- Todos serão punidos, doa a quem doer.

. José Eduardo Cardoso tenta preencher o vazio que ficou desde ontem, já que o governo foi abalado por investigações que chegam cada vez mais perto dele. 

. É o governo quem está sendo investigado e não quem investiga.

. O ministro da Justiça disse que a oposição aproveita o episódio para um terceiro turno.

. O PSDB reagiu em nota e informou que a apuração não depende do governo, porque ela é levada a cabo pela Justiça Federal do Paraná, acionada pelo MPF e auxiliada pela PF, não dependendo do governo para nada. Se o governo quisesse fazer alguma coisa, teria feito e não fez, criando obstáculos tremendos até mesmo para o funcionamento das CPIs do Congresso.


Juiz avisa tropa de choque do PT: "tenho documentos de depósitos milionários feitos por corruptores para os corruptos do Petrolão".

O juiz Sérgio Moro tirou ontem a declaração a seguir, que desmonta a boataria espalhada pelo governo e pelo PT, segundo a qual as investigações do Petrolão são feitas apenas em cima de testemunhos.

. Leia:

- A prova mais relevante é a documental. Os depósitos milionários efetuados pelas empreiteiras nas contas controladas por Youssef constituem prova documental, preexistente às colaborações premiadas, e não estão sujeitas a qualquer manipulação.

. O juiz compreende bem o alcance político devastador da operação que conduz e é hábil o suficiente para buscar amparo da opinião pública e dos multiplicadores de opinião. 

Artigo, Merval Pereira - Fim de Linha

"O Mensalão caiu em cima do então ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, como o último da linha de comando, por falta de condições políticas de chegar mais acima na escala de poder, mas desta vez é complicado dizer que Lula e Dilma nada sabiam. O doleiro Alberto Youssef já disse em depoimento da delação premiada que os dois sabiam, e a situação está incontrolável. Desta vez, Lula e Dilma serão chamados a prestar contas pelos crimes que cometeram". 

O escândalo maiúsculo da Petrobras vai bater diretamente na política, porque essas empreiteiras incriminadas e esses executivos ora presos estavam ligados umbilicalmente a políticos, e foram colocados lá cada um com seu cada qual, isto é, diretores indicados diretamente por partidos políticos como PT, PP e PMDB. Por isso mesmo, vai mexer com a estrutura da política brasileira, é um marco que se espera final neste processo político do jeito que está sendo tocado. Chegamos ao fim da linha, não é possível mais. Prejudica a maior estatal brasileira, prejudica o país economicamente e também sua imagem de nação civilizada e moderna, e prejudica a política. É inviável continuarmos nesse processo destrutivo.

O esquema é fundamentalmente de financiamento político, montado no Palácio do Planalto a exemplo do mensalão, para financiar a base congressual governista, e vai bater no ex-presidente Lula e na presidente Dilma, que domina a área de Minas e Energia desde quando era ministra, no primeiro governo petista.


É claro que alguém coordenou esse trabalho, alguém sabia o que estava acontecendo. Muito difícil imaginar que no Palácio do Planalto ninguém soubesse. No processo do mensalão, já havia uma grande desconfiança de que era impossível um esquema daquele tipo sem um alto grau de comando.

CLIQUE AQUI para ler tudo o que está publicado no jornal O Globo de hoje. 

Artigo, Alberto Dines - Juizo final e a festa da República

Para um procurador do Ministério Público, a formidável operação policial desfechada ontem foi uma forma apropriada de comemorar os 125 da proclamação da República.

Para um alto funcionário da Polícia Federal, a envergadura da ação produzirá um estrago tão grande quanto o dia do Juízo Final. Avaliações corretas: os guardiães da Res Publica, a Coisa Pública, além da excelência profissional, demonstram uma sofisticação intelectual à altura. Longe, felizmente, das encenações do tipo Satiagraha.


À revelia dos candidatos que há três semanas se digladiavam com estatísticas, a nova fase da Operação Lava Jato tem todas as condições para converter-se em marco das grandes mudanças prometidas ao longo da campanha eleitoral. Deverá impor-se até mesmo à composição do novo ministério e comando do parlamento, pautar a própria agenda de reformas e esvaziar a prematura excitação em torno das disputas de 2016 e 2018.

CLIQUE AQUI para ler tudo, conforme Gazeta do Povo, Curitiba, sábado. 

Entenda por que a RBS demite e aposenta tantos jornalistas nos seus jornais, rádios e TVs

Embora publicada em setembro, esta reportagem do jornalista Luiz Claudio Cunha para a versão digital do jornal Já expõe com clareza os cortes e mudanças que ocorrem na RBS.

. O material vai publicado, porque tem conexão com notícias recentes sobre turbulências na Rádio Gaúcha, entre elas a demissão do jornalista Kenny Braga e da aposentadoria de Lauro Quadros.

. A reportagem conta que por trás dos cortes e mudanças está a tesoura do consultor Claudio Galeazzi.

CLIQUE AQUI para ler.

H&M desiste do Brasil

A rede sueca de lojas H&M desistiu do Brasil. Ela já estava com um pé no BarraShoppingSul, Porto Alegre, mas também com outro em várias capitais.

Eis os principais locais das manifestações de hoje no Brasil

São Paulo ─ Av. Paulista, diante do MASP ─ 14h
Rio de Janeiro ─ Av. Atlântica, em frente do Copacabana Palace ─ 14h
Belo Horizonte ─ Praça Sete de Setembro ─ 14h
Porto Alegre ─ Parque Moinhos de Vento ─ 14h
Florianópolis ─ Terminal de Integração do Centro TICEN ─ 14h
Curitiba ─ Praça Rui Barbosa ─ 14h
Brasília ─ Esplanada dos Ministérios ─ 14h
Salvador ─ Farol da Barra ─ 15h
Fortaleza ─ Av. Barão de Studart, em frente do Palácio da Abolição -15h
Campo Grande ─ Praça da Rádio Clube ─ 14h
Manaus - Largo de São Sebastião, em frente ao Teatro Amazonas – 15h

Delegados da PF recrudescem contra o governo Dilma e o PT

Não foi por acaso que a Polícia Federal desencadeou a sétima fase da Operação Lava Jato (Petrolão) na sexta-feira, um dia depois que o ministro da Justiça decidiu investigar manifestações políticas dos delegados federais do Paraná.

. A PF já tinha recebido ordem do juiz Sérgio Moro para agir, mas a escolha da data ficou por sua conta.

. As postagens de agentes federais contra o governo e contra o PT, que foram recorrentes durante a campanha, tornaram-se mais duras nesta sexta-feira.

CLIQUE AQUI para examinar a íntegra da entrevista
do delegado Igor, PF do Paraná, sobre as operações de ontem. 
Sãop 8 minutos históricos. 

Esta tarde, Porto Alegre, manifestações contra e a favor da corrupção

CLIQUE AQUI para ler a histórica decisão do juiz
Sérgio Moro.

Esta tarde, Porto Alegre, manifestações contra e a favor do governo Dilma e do PT. As 14h, no Parcão, com passeata até a Redenção, estarão reunidos os mesmos homens e mulheres das Jornadas de Junho do ano passado e segundo turno de Aécio, enquanto que as 17h, no Largo Zumbi dos Palmares, reunir-se-ão os representantes chapas brancas que apoiam Dilma e o PT.

. Um é contra e outro é a favor da corrupção.


FHC e a cara de desânimo do PT

A constatação foi feita ontem em São Paulo pelo ex-presidente FHC e diz bem sobre o estado de espírito dos principais líderes do governo e do PT:

Veja as fotos dos vitoriosos. Eles estão com caras atormentadas. Eles não sabem o que fazer. Eu tenho vergonha como brasileiro de dizer o que está acontecendo com a Petrobras. A empresa caiu nas garras de partidos desonestos.

Feira do Livro é a melhor programação deste final de semana em Porto Alegre

O melhor programa deste sábado em Porto Alegre é a Feira do Livro.

Provas incontestes decretaram a prisão do ex-diretor Renato Duque. Ele, agora, terá que dizer quem são seus cúmplices no PT.

A prisão do ex-diretor da Petrobrás, Renato Duque, homem do PT que funcionava como o operador do PT nos atos de corrupção, foi consequência das denúncias dos executivos Júlio Camargo e Augusto Mendonça Neto, delatores do núcleo empresarial investigado na Operação Lava Jato. Eles relataram em depoimentos que pagaram mais de 30 milhões de reais ao ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque, preso nesta sexta, e a um subordinado dele, Pedro Barusco, que era gerente de serviços.  Camargo e Mendonça Neto chegaram a indicar os bancos no exterior em que os pagamentos eram feitos; o Ministério Público Federal já requisitou em pedidos de cooperação internacional que os países confirmem a circulação de dinheiro de Duque e do subordinado no país.

. O que o juiz Sérgio Moro, MPF e PF querem saber de Renato Duque é o seguinte:

- Qual a cadeia de corrupção que ele abasteceu durante os 9 anos em que foi diretor, depois de nomeado por Lula ?:

. Aliás, a etapa final do Petrolão é a identificação dos políticos que foram corrompidos. As informações deste sábado são de que a lista inclui 70 nomes.

. Quando e se isto for revelado, Lula e Dilma não escaparão das responsabilidades, embora ninguém considere que eles tenham recebido benefícios diretos. 

. Ninguém acha que desta vez haverá Lei do Silêncio, como ocorreu no Mensalão. 

Lula, Vaccari e Gabrielli podem parar na cadeia do Petrolão

O avanço da Operação Lava Jato da Polícia Federal tem tirado o sono de uma série de petistas e políticos que orbitam o governo federal há meses, mas três nomes despontam na fila dos aflitos: 

- O ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli 
- O tesoureiro do PT, João Vaccari Neto. 
- Lula

. A revista Veja de hoje (reprodução de capa ao lado) diz que não faltam depoimentos relatando a participação de Gabrielli e de Vaccari no maior esquema de lavagem de dinheiro e sangria nos cofres da estatal já descoberto pela PF. Lula está por trás de todos.

. Nesta sexta-feira, a cunhada de Vaccari, Marice Correa de Lima, teve de prestar depoimento pelo envolvimento com o doleiro Alberto Youssef, apontado como "uma espécie de banco" de políticos e partidos para pagamento de propina. Em sua delação, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa afirmou que o então diretor de Serviços da petroleira, Renato Duque, entregava a fatia do PT no rateio da propina diretamente para Vaccari. Renato Duque foi preso hoje. 

Morreu ex-ministro da Saúde, Adib Jatene

Morreu aos 85 anos o ex-ministro da Saúde, Adib Jatene.