Luiz Pagot, ex-Dnit, denuncia: "Governo tem medo de que eu fale na CPI e me ameaça todos os dias"

- Ex-homem forte do governo Dilma Roussef, do PT, no Dnit, Luiz Pagot acusa agora o governo Dilma Rousseff, do PT: "Estou sendo ameaçado e constrangido em todo lugar que vou. E é a mando do governo". Este homem que a CPI do Cachoeira não quer ouvir, é ameaçado onde desembarca, sua família sofre perseguição, os negócios da família são confrontados e até os amigos foram embora. A isto tudo a Nação assiste com perplexidade, sem reagir. É o paraíso dos corruptos, porque só eles parecem mandar e desmandar. Leia material de O Globo de hoje:

Luiz Antonio Pagot diz que governo barra sua ida à CPI
Júnia Gama, O Globo

Após ter um requerimento de convocação para que falasse à CPI do Cachoeira barrado pela tropa de choque governista, o ex-diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Luiz Antonio Pagot, afirma estar sofrendo perseguição de pessoas ligadas ao governo para que não fale à comissão. Pagot, que afirmou estar disposto a ir à CPI, disse ao GLOBO que tem enfrentado constrangimentos diários.

- Em todo lugar que eu desembarco tem gente me esperando para me constranger. Até na empresa onde trabalho estão me perseguindo. A situação está muito ruim. Deixei de frequentar meus amigos para não colocá-los em risco - afirma.

Pagot foi defenestrado da cúpula do Dnit em meados do ano passado após denúncias de que o órgão havia montado um esquema de pagamento de propina para os chefes do PR, partido ao qual era filiado, em troca de contratos para obras.

O escândalo atingiu também o primeiro escalão do Ministério dos Transportes, de onde o senador Alfredo Nascimento (PR-AM) acabou apeado. Interceptações telefônicas feitas com autorização da Justiça mostraram que o contraventor Carlinhos Cachoeira comemorou a saída de Pagot do Dnit.

Segundo o ex-diretor, a quadrilha do bicheiro trabalhou pela sua queda por supostamente não ceder a pressões para que favorecesse a empresa Delta em contratos com o órgão.
 
CLIQUE AQUI para ler.

Artigo, Mino Carta - Brasil - Lamentáveis peculiaridades

* Clipping Carta Capital

- Nem Mino Carta, imaginem, aguenta tanta ignomínia e safadeza da parte do PT e de Lula. Leiam o artigo dele, deste sábado:

Se Paulo Maluf fosse de outra terra, já estaria há tempo na cadeia, ou teria sido trucidado pela turba enfurecida, ou teria sido pendurado de cabeça para baixo em uma bomba de gasolina. Ou teria sofrido, na melhor das hipóteses para ele, o ostracismo político. Paulo Maluf é, porém, brasileiro. E de cadeia para ricos e de turba enfurecida, nem sombra.

O Brasil é bastante peculiar, como alguns sabem, outros fingem não saber e outros mais simplesmente ignoram porque vivem no Limbo. A sociedade nativa não prima pelo caráter e não cultiva a memória. Refiro-me aos brasileiros que poderiam e deveriam ter a consciência da cidadania. O Brasil é o país onde uma Lei da Anistia imposta manu militari pela ditadura continua em vigor, embora acreditemos usufruir de uma democracia plena.

É apenas um exemplo do nosso atraso político, cívico, cultural, moral. O Brasil é o país onde um oligarca como José Sarney, feudatário do estado mais infeliz da Federação, pode tornar-se presidente da República. E é o país onde, diante da indiferença geral, 50 mil conterrâneos são assassinados anualmente e 64% da população não conta com saneamento básico. E é o país onde a casa-grande e a senzala ainda estão de pé e, embora dono do sexto PIB do mundo, ombreia-se com as mais miseráveis nações africanas em matéria de péssima distribuição de renda.

O Brasil é também o país onde pululam os políticos corruptos, prontos a entender que o poder lhes entrega o bem público qual fosse privado, e onde os partidos nunca deixaram de ser clubes recreativos de grupelhos de senhores dispostos a funcionar como bandeirolas. Houve, por algum tempo, uma exceção, o Partido dos Trabalhadores, nascido à sombra do sindicalismo liderado por um certo Luiz Inácio da Silva, dito Lula. Partia de uma plataforma radical e seu ideólogo chamava-se, pasmem, Francisco Weffort.

PT troca candidato em São Leopoldo e lança Zulke. PMDB resolve apoiar PSDB e fecha com dr. Moacir.

Acossado pela Operação Costa Nostra que investiga sua administração há tres meses, o prefeito Ari Vanazzi, PT de São Leopoldo, RS,  recuou da posição intransigente de bancar a candidatura do seu mais próximo auxiliar, Paulo Borba, e lançará neste domingo a candidatura do deputado Ronaldo Zulke, que poderá ser investigado no âmbito do mesmo caso policial, caso o STF acolha pedido da Polícia Civil do RS.

. A retirada do nome de Paulo Borba foi uma exigência do PSB,cujo líder, Alessandro Rosso, deputado Federal, estava muito bem cotado nas pesquisas. Rosso chegou a ameaçar o PT com o apoio do PSB ao dr. Moacir, do PSB.

. A oposição agrupa-se com cada vez mais força em torno da candidatura do médico ginecologista Aníbal Moacir, do PSDB, lançado neste sábado. Na sexta-feira, o PMDB, que é muito forte no município, resolveu apoiar o tucano, oferecendo o nome do vereador Daniel Daudt para vice.

. Não se sabe o que fará o terceiro mais forte candidato, Fernando Henning, do PPS, mas se ele insistir com a candidatura, dividirá a oposição e poderá favorcer a eleição do candidato do PT.

PSDB escolherá entre Marchezan Júnior e Wambert neste domingo. Yeda não será candidata.

O PSDB é o último dos grandes Partidos de Porto Alegre que fará convenção. O evento foi agendado para a Câmara de Vereadores.

. Disputarão a preferência dos convencionais: Marchezan Júnior, deputado Federal, e Wambert Di Lorenzo, advogado de Porto Alegre.

. Nas últimas horas, o PSDB nacional fez pressão para que os dois candidatos desistissem em favor da candidatura única da ex-governadora Yeda Crusius, que rejeitou a proposta.

PCdoB faz convenção por Manuela. PT escolherá Adão Villaverde no domingo.

O PCdoB lançou na manhã deste sábado a candidatura da deputada comunista Manuela D'Ávila para a prefeitura de Porto Alegre. Seu companheiro de chapa será o vereador Nelcir Tessaro, do PSD, Partido do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, que não foi convidado para a convenção realizada no Teatro Dante Barone.

. Amanhã, será a vez da escolha do candidato do PT, Adão Villaverde, que terá como vice o coronel Bonete, do PR.

. O governador Tarso Genro agendou presença nas convenções do PCdoB e do PT.