Justiça do quebra sigilo e bloqueia bens de Cachoeira

A 5ª Vara do Tribunal de Justiça do Distrito Federal bloqueou os bens do bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, do ex-diretor da construtora Delta Claudio Abreu e de outras seis pessoas denunciados por formção de quadrilha e tráfico de influência. Todos foram acusados de tentar fraudar licitação no DF. A Justiça também autorizou a quebra dos sigilos bancários e fiscal dos oito envolvidos e da Delta.

. A decisão judicial ocorre em processo judicial  decorrente da Operação Saint-Michel,  deflagrada em 25 de abril pelo Ministério Público e pela Polícia Civil do Distrito Federal. A operação foi um desdobramento da Operação Monte Carlo, na qual Cachoeira foi preso no fim de fevereiro e acusado de exploração de jogo ilegal.

. O advogado de Cachoeira considerou a decisão "descabida".

TV de Chávez vê complô até em "passatempo"

Um veterano autor de palavras cruzadas foi acusado numa emissora de TV estatal da Venezuela de sugerir, em mensagem cifrada numa versão do popular passatempo, um plano para assassinar o irmão do presidente Hugo Chávez. Procurado pela polícia, ele foi liberado após prestar depoimento e negar um complô.

Brasilprev é usada para agradar à base de Dilma

Ricardo Flores, que sai do Previ, o fundo de pensão dos funcionários do BB, vai ocupar o comando da Brasilprev. A vaga foi aberta com a saída de Sérgio Rosa. As mudanças na cúpula do BB, da fundação e da seguradora têm como pano de fundo um acerto de Dilma para contemplar partidos da base aliada.

Desvio de verbas públicas deve levar à condenação de empresas

A condenação por crimes contra a administração pública, como corrupção e desvio de verbas, poderá ser estendida a empresas. A proposta já foi aprovada pela Comissão de Juristas criada pelo Senado para discutir mudanças no Código Penal e será levada a debate na Casa. Hoje, só pessoas físicas são condenadas por corrupção, e empresas têm apenas penalidades como multas e proibição de firmar novos contratos.

. “A responsabilidade penal possui um peso, um estigma. É diferente da infração administrativa ou civil”, disse o presidente da comissão, o ministro Gilson Dipp, do Superior Tribunal de Justiça. Ele evitou comentar se a Delta, envolvida no escândalo do bicheiro Cachoeira, se enquadraria na situação caso a regra estivesse em vigor.

Jornalista de "O Globo" conta que Manuela D'Ávila passou a integrar a Bancada do Chifre

CLIQUE AQUI para ver e ouvir a entrevista de Manuela D'Ávila ao CQC, na qual ela confirma os termos da nota a seguir.

O jornalista Jorge Moreno, que assina diariamente uma coluna nos jornais O Globo e O Sul, é admirador declarado da deputada Manuela D'Ávila. Ele também usa a comunista como fonte permanente para suas notícias exclusivas e de muito bom humor. Neste sábado, ele resolveu cometer algumas imlpropriedades com Manuela D'Ávila, contando como ela foi "chifrada" pelo ex-namorado, o atual ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso. Antes do affaire que teve com o ministro, Manuela teve um rumoroso e conflituoso caso com o deputado Daniel Bordignon, do PT, que não terminou bem. Leia a nota de Moreno:

Bancada do Chifre
Vítima confessa da infidelidade conjugal do então namorado, o ministro José Eduardo Cardozo, mas revelada somente agora ao programa "CQC", a deputada Manuela D'Ávila passa a ser a mais importante integrante da chamada "bancada dos cornos", cujo líder é o quase futuro senador Wilder Pedro de Morais, que perdeu a linda mulher para o Cachoeira.

Já, já, pelo tamanho das adesões, a bancada vira partido e pega um ministério.

Veja e ouça este documentário sobre jornalismo sujo

O editor garimpou algumas cenas do documentário "Starsuckers", cuja estréia ocorreu em Londres em outubro de 2009. O material acabou precedendo tudo aquilo que você viu sobre o jornalismo sujo praticado pelo magnata das comunicações Rupert Murdoch.

. O filme demonstra de que forma o jornalismo espetaculoso e a política sem escrúpulos podem infectar de modo avassalador o estado democrático de direito

CLIQUE AQUI para ver e ouvir.

Eis as 20 razões que justificam o ódio de Fernando Collor por Veja

Se você clicar no link a seguir, que é do site www.veja.com.br, será fácil examinar a lista dos 20 motivos que fazem o senador Fernando Collor odiar a revista Veja. O material foi levantado pelo jornalista Reynaldo Azevedo.

. Fernando Collor foi o único presidente brasileiro cassado pelo Congresso. Ele foi envolvido em grossas denúncias de corrupção. Seu valete e tesoureiro, PC Farias, foi preso e assassinado.

CLIQUE AQUI para ler.

Montadoras tentam juro zero para desentocar modelos que não vendem

Montadoras tentam desovar parte dos estoques de veículos que está nas fábricas e nas revendas com ofertas, a partir desse fim de semana, de juro zero para vários modelos. O valor da entrada, porém, continua elevado - metade do preço do carro -, em razão da alta inadimplência registrada nos últimos meses. Bancos privados também reduziram taxas para financiamento de veículos.

Revendas e fabricantes encerraram abril com 366,5 mil veículos em estoque, o equivalente a 43 dias de vendas, maior nível desde o fim de 2008, no auge da crise financeira global. Esse quadro está levando várias montadoras a reduzirem a produção com férias coletivas ou redução de jornada de trabalho.

A francesa Renault oferece a partir de hoje a maioria dos modelos da marca com juro zero, em 36 parcelas, e entrada de 50% do valor do carro (Logan) e 60% para os demais (Sandero, Symbol, Mégane, Fluence e Duster). Para Clio, Kangoo e Master, o juro é de 0,99% ao mês na compra em 24 parcelas (com entrada de 50%) e de 1,19% em 60 meses e entrada de 40%. A promoção vale até o fim de maio.

A Volkswagen inicia campanha para todos os modelos da linha Gol, vendidos em 12 prestações sem juros e entrada de 50% do valor do produto. O banco da montadora também oferece modelos em 60 vezes sem entrada, mas nesse caso o juro é de 1,23% ao mês.

 *Clipping Estadão deste sábado.

Deputado Silvio Costa, CPI do Cachoeira: "Collor endoidou e quer pegar Veja e Gurgel"

Do deputado federal Sílvio Costa (PTB-PE), membro da CPI do Cachoeira, em entrevista ao programa Ponto Final, da TV Jornal do Commercio, de Pernambuco:
* “O futuro do Demóstenes é a cadeia. O problema é que esse martírio dele deve durar mais uns 90 dias, por conta do regimento da casa”.

* “A CPI não vai dar em pizza. Não tem como dar. Já aprovamos a convocação de 60 pessoas. Alguém vai abrir o jogo”.

* "O deputado federal Onix Lorenzoni (DEM-RS) solicitou e obteve aprovação para a quebra de sigilo telefônico dos diretores da Delta em 23 estados onde tinha contratos com os Estados".

* “O que me chamou a atenção é que o Collor endoidou. Ele quer pegar a Veja e o Gurgel [Procurador Geral da República] de todo jeito. Ele demonstra ter raiva de todos os poderes constituídos. Ele está muito nervoso. O povo de Alagoas deu a ele uma segunda chance e ele não fez nenhuma autocrítica”.

* Sobre o deputado federal petista Cândido Vaccarezza. “Ele disse que iria para cima do Gurgel (para ajudar a defender os mensaleiros do PT), mas isto é um tiro no pé”.

* “Também não concordo com a campanha que estão fazendo contra o Policarpo (diretor da Veja). Qual o mal dele falar com Cachoeira? Jornalista tem direito a manter suas fontes."


* Clipping www.noblat.com.br