Dilma defende-se de nova denúncia, desta vez sobre a compra de um refinaria de petróleo no Japão

Noutra nota oficial, o governo Dilma Roussef defende-se de nova denúncia de compra malfeita de refinaria estrangeira, desta vez no Japão (leia nota mais abaixo). Leia a íntegra da nota do Planalto, deste sábado à taerde:

Resposta enviada em 21 de março de 2014 a O Estado de S.Paulo sobre a aquisição da refinaria Okinawa
A Nansei Sekiyu Kabushiki Kaisha, sociedade detentora da Refinaria Okinawa, tinha como sócias a subsidiária da Exxon – Tonen General Sekiyu Kabushiki Kaisha (TGSK) (87,5%) – e a Sumitomo Corporation (12,5%).
Em 09 de novembro de 2007, o Conselho de Administração da Petrobrás autorizou a empresa a adquirir a participação acionária correspondente à parcela da TGSK na refinaria, com base em Resumo Executivo apresentado aos seus membros.
No referido Resumo Executivo, apresentado ao Conselho de Administração, e elaborado pela Diretoria Internacional da empresa, está referida a existência de cláusulas contratuais que materializam o Put Option, bem como as informações técnicas correspondentes.
A aquisição estava alinhada com a estratégia geral da companhia, prevista no Plano de Negócios 2004-2010 e no Plano Estratégico 2015, no que se referia ao incremento da capacidade de refino de petróleo no exterior.
A Refinaria Okinawa detinha uma vantagem adicional, por possuir um grande terminal de petróleo e derivados para armazenamento de 9,6 milhões de barris.
Secretaria de Comunicação Social

da Presidência da República

Outro ex-prefeito do PT é condenado no RS. Desta vez, o caso foi em Caçapava do Sul.

O ex-prefeito de Caçapava do Sul Zauri Tiaraju de Castro (PT) foi condenado, recentemente, em casos que foram motivo de polêmica em sua administração (2009-2012): o contrato de R$ 8,2 mil para a reforma da Escola Municipal Pedro Corrêa Marques, a compra de pneus, que não teriam sido entregues e, por fim, a contratação de uma cooperativa para o conserto de estradas da zona rural. A nota do www.clicrbs.com.br conta mais:

Decisões recentes do Tribunal de Justiça (TJ) do Estado, uma de janeiro e outra de fevereiro, apontam responsabilidade do ex-gestor. No caso da Escola Municipal Pedro Corrêa Marques, consta na sentença que “a prova é robusta e harmônica (...) que houve ilícita e dolosa utilização de renda pública em proveito alheio, vez que efetuado pagamento em favor de empresa privada que não realizou o serviço para o qual foi contratada”. Nesse caso, foi aplicada pena de dois anos de reclusão ao ex-prefeito, mas que foi substituída por prestação de serviços à comunidade e multa de 10 salários.

. Em relação à contratação e à execução de serviços, consta na sentença que “o delito está relacionado (...) à falta de preparo para o exercício do cargo”. Em substituição à pena de três anos de reclusão, fica prevista a prestação de serviços à comunidade e fixada multa de 15 salários. O ex-prefeito recorreu das decisões e falou, na sexta-feira, ao Diário:


– Acredito que quanto à compra de pneus e a reforma da escola não há nada que me condene. Já a cooperativa, por envolver contratação de pessoal, pode trazer alguma interpretação dúbia.

Na contramão de FHC, Serra e Alckmin, Aécio decide partir para CPI da Petrobrás

Na tentativa de evitar um isolamento no partido, o presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, trabalha desde sexta-feira  para convencer lideranças tucanas a apoiarem a criação de uma CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) da Petrobras no Congresso Nacional para investigar a compra da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), pela empresa estatal. É o que informa a Folha de S. Paulo de hoje. Leia e saiba mais sobre as negociações que faz Aécio:

Na sexta-feira, o ex-governador José Serra fez coro ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e disse não ser, por enquanto, favorável à iniciativa no Congresso Nacional. Na manhã de sexta, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou que, se houver uma boa investigação, não há necessidade de abertura de uma CPMI.
Em busca de apoio, Aécio telefonou na noite de sexta-feira para o ex-presidente e, na manhã de ontem, reuniu-se em particular com o governador de São Paulo, em Campos do Jordão (SP). Nas conversas, afirmou que a bancada do PSDB no Congresso Nacional é unânime no apoio à iniciativa e está disposta, assim como o PPS e o DEM, a abrir uma investigação.
Segundo a Folha apurou, FHC e Alckmin não recuaram da posição, mas concordaram que cabe ao Congresso Nacional tomar a decisão.
"A minha posição, como presidente nacional do partido, é de que devemos investigar. Se tivermos condição de constituir uma CPMI, nós vamos fazê-lo. E eu acho que a decisão de demissão do Nestor Cerveró [ex-diretor da área internacional da Petrobras] é uma decisão covarde do governo. É a história da corda que rompe no lado mais fraco. E as outras pessoas envolvidas nisso?", afirmou o tucano, ao participar do 58º Congresso Estadual de Municípios, em Campos do Jordão (SP).
No evento, o dirigente do PSDB minimizou as divergências na sigla sobre o tema e disse que a abertura de uma investigação no Congresso Nacional é um "sentimento majoritário" no partido. Ele ressaltou ainda que é "praticamente unânime" na bancada federal do PSDB a opinião de criação de uma CPMI.

"Cada um tem a sua posição. Eu acho que quem está no Congresso Nacional, nesse enfrentamento e buscando uma apuração, tem esse sentimento. Esse é o sentimento majoritário no partido", afirmou.

CLIQUE AQUI para saber mais. 

O povo, de novo, unido, na rua, jamais será vencido na Venezuela

A publicação Dolar Today, divulgou há pouco a foto ao lado, tomada exatamente as 13h15min. O texto do material disponibilizado no blog dos editores é o seguinte:]


GLORIA AL BRAVO PUEBLO! Así esta la Av. Libertador a nivel del edificio KPMG a la 1:25 pm. No hay piquete ni ejercito que pueda contra esto, el pueblo UNIDO jamas sera vencido.

Na OEA, nesta quinta-feira, a deputada Maria Corina, impedida de falar em plenário, numa orquestração da qual fez parte o embaixador brasileiro, conseguiu a muito custo convocar uma coletiva de imprensa, declarando o seguinte:

- Na Venezuela, precisamos dar ao governo a denominação que corresponde ao que ele é: uma ditadura. 
CLIQUE AQUI para ver e ouvir a palavra da deputada. 

CLIQUE AQUI, também, para examinar o apavorante video de 4 minutos com um resumo das atrocidades que comete na Venezuela o governo opressor de Nicolás Maduro.

O Globo descobriu que valor pago por Pasadena pode ter sido ainda maior do que o que foi divulgado

O valor pago pela Petrobras pelos primeiros 50% da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, pode ter sido maior do que vem sendo divulgado pela empresa. Documento encaminhado pela estatal à Securities Exchanges Comission (SEC), órgão regulador do mercado financeiro americano, divulgado na noite desta sexta-feira pelo "Jornal Nacional" aponta que a empresa pagou US$ 416 milhões em vez de US$ 360 milhões.


. O relatório teria sido enviado à SEC, ainda de acordo com o "Jornal Nacional", em 2007, um ano depois de a compra ter sido efetivada. A Petrobras alega que a companhia belga Astra pagou US$ 42 milhões por Pasadena e investiu na unidade mais US$ 84 milhões. A Petrobras então teria comprado metade da refinaria por US$ 190 milhões, e investido nela outros US$ 170 milhões.

Capoani quer Rigotto na vaga de Simon

No seu twitter de hoje, o deputado Gilberto Capoani abriu voto para Germano Rigotto como candidato ao Senado pelo PMDB.

Estadão desmascara Dilma Rousseff: ela aprovou compra de refinaria japonesa com contrato semelhante ao de Pasadena

Um ano depois da aquisição da refinaria norte-americana, presidente aprovou contrato de compra de plataforma japonesa nos mesmos moldes do anterior. O turbilhão de desconfianças que paira sobre a Petrobras - acentuado pela prisão de Paulo Roberto Costa e pela demissão de Nestor Cerveró, ambos diretores envolvidos na compra da plataforma de Pasadena -, ganhou mais um componente neste sábado, mostrando que as mentiras contadas pelo Planalto têm pena curta:

Segundo informações do jornal O Estado de São Paulo, Dilma Rousseff aprovou um contrato semelhante ao da refinaria norte-americana. Isto é: com uma cláusula chamada de Put Option, que obriga um dos sócios a comprar o restante das ações em caso de discordância entre as partes envolvidas.

. Na ocasião, em 2007, a presidente ocupava os cargos de ministra da Casa Civil e de presidente do Conselho de Administração da Petrobras e concordou com a compra da refinaria japonesa Nansei Sekiyu (de Okinawa) - aquisição comandada, na época, pelo mesmo Nestor Cerveró. Dilma justificou a compra com base em um resumo elaborado pela diretoria internacional da Petrobras. Na última terça-feira, Dilma havia dito que, sesoubesse das cláusulas no contrato de Pasadena, não teria fechado o negócio. Sobre a compra da refinaria japonesa, a presidente justificou que "a aquisição estava alinhada com a estratégia geral da companhia (...) no que se referia ao incremento da capacidade de refino de petróleo no exterior" e ressaltou que "a refinaria detinha uma vantagem (...) por possuir um grande terminal de petróleo e derivados".


. Em entrevista ao jornal Valor Econômico, o ex-presidente da Petrobrás José Sérgio Gabrielli citou o contrato da refinaria de Okinawa como exemplo de que o Put Option era comum nos contratos da empresa. Ainda de acordo com o Estadão, a Petrobras anunciou em 2013 que a refinaria japonesa teria um comprador. Com a licença de funcionamento da unidade vencida, porém, o negócio não foi adiante. A estatal pretende se desfazer da refinaria para dar gás ao caixa e dar conta do plano que prevê investimentos de US$ 236,7 bilhões entre 2013 e 2017.

Merval elogia ação contra Dilma iniciada por Ana Amélia, Sinmon, Cristóvam, Rollemger e Randolfe

Nas redes sociais, neste sábado de manhã, é assim que Dilma já é apresentada por muitos leitores idignados pelo caso Pasadena. 


Na sua coluna de hoje de O Globo, Merval Pereira diz que Dilma não poderia ter aprovado uma compra sem possuir informações completas, mas além disto não poderia esperar oito anos para tomar alguma atitude e dar explicações sobre o erro. O editor já tinha informado que Dilma, da mesma forma que os demais 9 conselheiros da época, inclusive o gaúcho Jorge Gerdau, todos experimentados nesse tipo de negócio, estão sujeitos civil e criminalmente por malfeitorias praticadas pela administração da Petrobrás. Merval conta que oito anos depois da aquisição de uma refinaria em Pasadena, nos Estados Unidos, que deu um prejuízo bilionário em dólares à Petrobras, dois dos responsáveis pelos relatórios favoráveis à compra, que a presidente Dilma classificou de técnica e juridicamente falhos , estão em maus lençóis. Leia tudo:

O ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró foi demitido ontem pelo Conselho de Administração da Petrobras Distribuidora (BR) do cargo de diretor financeiro que ocupava na companhia, subsidiária da Petrobras, numa tentativa de circunscrever a crise a decisões pessoais.Já o ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, que elaborou o contrato de compra da refinaria e por isso é alvo de investigação, está preso, acusado de participar de uma larga operação de lavagem de dinheiro.Mas não apenas eles. A compra da refinaria de Pasadena está sendo questionada por cinco senadores junto à Procuradoria Geral da República: Randolfe Rodrigues, do PSOL; Pedro Simon, do PMDB; Ana Amélia, do PP; Cristovam Buarque, do PDT; e Rodrigo Rollemberg, do PSB, querem explicações da própria presidente Dilma, que presidia o Conselho da Petrobras quando a compra foi autorizada.Advogados consultados por mim lembram que o Conselho de Administração, segundo a lei 6.404 (Lei das S.A.), é órgão da gestão/administração da companhia e, portanto, os conselheiros são responsáveis, juntamente com a Diretoria Executiva, civil e criminalmente pelas decisões que porventura venham a prejudicar a companhia que dirigem.O que a presidente fez, ao revelar que aprovara a compra sem ter as informações completas, em vez de apenas jogar para diretorias específicas a culpa pelo mau negócio, pode ser entendido como uma confissão de improbidade administrativa, podendo ser acusada de gestão temerária ou gestão fraudulenta se comprovado o dolo.


CLIQUE AQUI para ler tudo.

Compre agora estes livros de Polibio Braga
Cabo de Guerra, 499 páginas, R$ 37,50.
Herança Maldita – Os 16 anos do PT em Porto Alegre, R$ 15,00
Versões em e-book. Você paga com cartão e faz download na mesma hora
CLIQUE em www.albuka.com.br para comprar

Aécio já é páreo duríssimo para Dilma no RS

Nem de longe a presidente Dilma Roussef possui vantagem disparada sobre Aécio e Eduardo Canmpos no RS.

. Ela teria que ir para um segundo turno difícil com Aécio.

. Lula e Dilma perderam suas últimas eleições no Estado.

Este barão belga fez o negócio do século ao vender Pasadena para a Petrobrás

Albert Frère, homem mais rico da Bélgica com fortuna avaliada em cerca de US$ 5 bilhões, é controlador da empresa belga Astra Oil, que comprou a refinaria de Pasadena em 2005 por US$ 42,5 milhões e no ano seguinte vendeu 50% dela para a Petrobras por US$ 360 milhões, faturando outros US$ 800 milhões da Petrobrás pelos outros 50%.

. O belga foi apresentado ao público brasileiro nesta sexta-feira a noite pelo Jornal Nacional.

. Ele fez o negócio do século. 

Compre agora estes livros de Polibio Braga
Cabo de Guerra, 499 páginas, R$ 37,50.
Herança Maldita – Os 16 anos do PT em Porto Alegre, R$ 15,00
Versões em e-book. Você paga com cartão e faz download na mesma hora
CLIQUE em www.albuka.com.br para comprar

Atentado ao carro de ex-candidato a prefeito torna tenso o clima político em Jaguarão, RS

Pivô do episódio ocorrido em Jaguarão,RS envolvendo o Prefeito , a Brigada Militar e o Jornal Pampeano,o ex-candidato a prefeito Renato Jaguarão sofreu um atentado na madrugada desta sexta-feira, quando teve sua camionete atacada e danificada.  A atitude pode ter sido uma represália aos últimos acontecimentos na cidade, porque Renato denunciou nas redes sociais acobertamento ao prefeito numa blitz da Operação Balada Segura e a sucessão de erros que culminou com a invasão do Jornal Pampeano por parte de um contingente da Brigada Militar.

. Os pneus do veículo foram cortados e a lataria danificada. Ele teme agora que sua integridade física e de seus familiares esteja em risco.

. Também o dono do jornal Pampeado, Anibal Ribas, denunciou ameaça e prisão imotivada. "Estou apavorado e com medo", disse Anibal Ribas ao editor.

. Eis o que disse Renato Jaguarão ao editor neste sábado:

- Primeiro foi meu carro! E depois o que será? Quem tem tanta raiva ao ponto de rasgar os pneus de um carro, e riscar, pode sim ir mais longe. Fiz a denuncia na Policia Civil e estou divulgando na imprensa para que todos saibam que minha integridade está em risco.

. Entidades como OAB, ARI, Sindicato dos Jornalistas, ANJ, MJDH, e os principais jornais da mídia tradicional, até agora não demonstraram interesse no caso do jornal Pampeano e de Renato Jaguarão, ameaçados e atacados numa pequena cidade do interior gaúcho, onde tudo gira em torno da prefeitura, atualmente em poder do PT. 

Relembrando o caso.
No sábado de carnaval, o prefeito de Jaguarão, Cláudio Martins (PT), foi parado na Blitz Balada Segura, negou-se a fazer o bafômetro e  teve sua CNH apreendida. O acontecimento  poderia ser apenas mais um caso de pessoa pública envolvido neste tipo de episódio, não fosse o fato do Prefeito tentar abafar o caso e contar com o apoio de brigadianos da cidade. O incidente chegou ao conhecimento de  Renato Jaguarão, por pessoas que também foram abordadas e que afirmaram terem presenciado a abordagem ao prefeito.
O episódio ganhou as redes sociais,  com a negativa do petista, embasada  com uma certidão da BM afirmando que nada havia contra o Prefeito. O que os envolvidos (BM e Prefeito) não esperavam, era que Renato Jaguarão, tivesse em seu poder, áudio de conversa com oficiais da própria BM, contrariando a versão apresentada pelo ofício da BM e o Prefeito. O episódio polêmico de Jaguarão ganhou notoriedade nacional na mídia, depois que a Brigada Militar invadiu sem mandato o Jornal Pampeano, que publicou a gravação na integra, exigindo que o caso fosse esquecido a partir dali.

Corregedoria da BM e Assembléia entram em ação
A corregedoria da BM investiga suposta proteção por parte da BM beneficiando o prefeito de Jaguarão.  A Assembleia Legislativa do RS também  se posicionou a respeito do ocorrido, o deputado Pedro Pereira protocolou pedido de audiência pública na Comissão de Cidadania e Direitos Humanos e na Comissão de Segurança e Serviços Públicos e não estão descartadas as convocações do Vice Governador e do Comandante Geral da Brigada Militar do RS, bem como os demais envolvidos, a fim de esclarecer  os fatos.

O novo fato ocorrido nessa madrugada, tendo como alvo Renato Jaguarão, poderá dar mais uma reviravolta no caso, pois parece ser uma tentativa clara de intimidação e represália. A Policia Civil recebeu a denúncia  e deverá proceder as investigações.

Compre agora estes livros de Polibio Braga
Cabo de Guerra, 499 páginas, R$ 37,50.
Herança Maldita – Os 16 anos do PT em Porto Alegre, R$ 15,00
Versões em e-book. Você paga com cartão e faz download na mesma hora
CLIQUE em www.albuka.com.br para comprar



Artigo, Percival Puggina - O petismo na prática

Durante muitos anos, de boas lembranças para si, o PT dançou livre, leve e solto nas verdejantes planícies da oposição. Tornou-se comum, nos debates de então, que seus representantes emergissem sobranceiros de qualquer comparação porque o petismo era um ideal não experimentado, enquanto seus adversários haviam ralado as unhas nas escarpas e sujado os pés no exercício do poder. É sempre desigual o confronto em que o ideal de um lado é apresentado em oposição à prática do outro lado. Obviamente, o melhor discernimento é proporcionado quando se compara ideal com ideal e prática com prática. Durante longos anos, no entanto, o PT era apenas ideal em estado puro, com um apaixonado e combativo séquito de seguidores.

Foram estes seguidores que festejaram a chegada do PT ao Planalto como definitiva Proclamação da Moralidade na terra de Macunaíma. O país nunca mais seria o mesmo! Aquele ato merecia um Pedro Américo para representá-lo sobre tela, dando forma e cor à emoção popular, para admiração das gerações futuras. Dois anos mais tarde, o petismo idealista fora para o saco e as comparações desabaram para o terreno da prática. Era prática contra prática.

A partir daí acenderam-se outras luzes e novas realidades no tabuleiro do xadrez político. As estrelas que cobriam o território nacional com adesivos e bandeiras, sumiram envergonhadas.

CLIQUE no blog para ler tudo:
http://www.puggina.org/

Governo Dilma e seus aliados impedem fala de deputada oposicionista venezuelana na OEA

Ao lado, Corina, na coletiva, proibida de falar no plenário da OEA pelo Brasil e seus aliados.



CLIQUE AQUI para examinar o video. São apenas 4 minutos. Uma pequena mostra do regime que virou uma ditadura, comandada por bandidos."
CLIQUE AQUI, também, para examinar reportagem de El Nuevo Herald, Miami, mostrando a repressão aos estudantes da Venezuela. 

Com ajuda do Brasil e de países aliados, o governo venezuelano conseguiu abafar nesta sexta-feira uma fala da oposição em um encontro da Organização dos Estados Americanos (OEA) realizado em Washington. Por duas vezes, os membros da organização apelaram para manobras para impedir a deputada venezuelana María Corina Machado, uma das lideranças da oposição ao presidente Nicolás Maduro, de discursar sobre a repressão promovida pelo governo chavista.

. Em um primeiro momento, o Conselho Permanente da organização decidiu pela proibição do acesso do público e da imprensa à reunião. A proposta recebeu 22 votos a favor, 11 contra e uma abstenção. Posteriormente, os membros da OEA resolveram simplesmente eliminar da agenda o tópico dedicado à crise venezuelana, decisão que contou com 22 votos a favor, três contra e nove abstenções. Nos dois casos, o Brasil se posicionou a favor da censura à deputada.

. Ela acabou falando para a imprensa, numa coletiva improvisada, na própria sede da OEA. 

Passivo trabalhista do Trensurb já soma R$ 200 milhões

O passivo trabalhista do Trensurb, o trem da Grande Porto Alegre, já soma R$ 200 milhões. A estatal federal, que está no olho do furacão das denúncias de malfeitorias praticadas entre ela e o cartel Alston-CAF, investigados agora pelo Cade, Polícia Federal, MPF e TCU, é uma fábrica de ações trabalhistas.

. O Trensurb é dominado há 12 anos por dirigentes do PT do RS. 

Compre agora estes livros de Polibio Braga
Cabo de Guerra, 499 páginas, R$ 37,50.
Herança Maldita – Os 16 anos do PT em Porto Alegre, R$ 15,00
Versões em e-book. Você paga com cartão e faz download na mesma hora
CLIQUE em www.albuka.com.br para comprar

Veja diz que a Petrobras já foi solução para Dilma. Hoje é fonte de problemas

Os repórteres da revista, Robson Bonin, Rodrigo Rangel e Daniel Pereira, denunciam em reportagem de capa, hoje, que  o uso ruinoso da estatal para segurar a inflação se soma, agora, a negócios nebulosos e denúncias de corrupção. Leia mais:

 O PT sempre usou a Petrobras como arma política. Nas duas últimas campanhas, seus candidatos diziam que o PSDB privatizaria a empresa se reconquistasse o poder. Acusados de mercadores do patrimônio nacional, os tucanos não tiveram repertório para responder aos ataques. A Petrobras foi usada como vitrine para alardear a competência administrativa de Dilma Rousseff — e, antes, a sorte de Lula pela descoberta em seu governo do “bilhete premiado” do pré-sal. Lula proclamou a autossuficiência do petróleo, sonho geopolítico histórico do Brasil. Em 2010, Lula defendeu a eleição da desconhecida ministra Dilma, apresentando-a como a responsável pelo novo modelo energético brasileiro, em que predominariam a oferta abundante de energia e a cobrança de tarifas cada vez menores dos consumidores. No palanque, ela foi a “Mãe do PAC”, gestora hábil, eficiente, a contraposição perfeita ao apagão de 2001, que foi vendido ao eleitorado como clara inépcia do governo Fernando Henrique. A estratégia funcionou em 2002, 2006 e 2010. Em 2014 pode funcionar, mas para os adversários. “A Petrobras virou a OGX da Dilma”, ironizou Aécio Neves, candidato a presidente pelo PSDB.

. A área de energia se tornou um poço de piche de problemas. O Brasil importa petróleo. Antes de os poços do pré-sal renderem um centavo sequer, deles parecem jorrar apenas alcatrão e terebintina política. O risco de racionamento de eletricidade, antes inexistente no discurso oficial, foi reclassificado para “baixo” — mas é alto. As tarifas, comprimidas por ímpeto populista e estatizante, em breve vão obedecer às implacáveis leis econômicas, buscar seu patamar realista, e os brasileiros vão pagar a conta — seja pelo aumento de impostos para recompor as finanças públicas, seja pelos dígitos a mais nas contas de luz e na bomba de gasolina. Dilma e sua equipe econômica acreditam ter um dique capaz de segurar essas pressões inflacionárias e empurrar a encrenca para 2015. Pode até ser. Mas um desses problemas já escapou. É justamente o que vinha sendo a solução: a Petrobras.

. A empresa de petróleo tem um e­­x-diretor preso pela Polícia Federal. O loteamento político já dá sinais de que minou sua eficiência. O uso da Petrobras para pagar o bilionário subsídio no preço da gasolina fez com que secassem recursos para áreas e atividades vitais — entre elas, a manutenção das plataformas marítimas, as quais, segundo os próprios responsáveis, que não conseguem se calar diante do descalabro, estão quase todas sucateadas.


. Visto de fora, o quadro apresentado pela Petrobras também é horroroso. Ela perdeu 30 bilhões de dólares em valor de mercado, a maior queda entre as empresas brasileiras. A Petrobras vale hoje a metade do que valia antes de Dilma subir a rampa do Planalto. A estatal passou de pedra a vidraça, e os rivais já farejaram a fraqueza. A presidente acusou o golpe e, na semana passada, deflagrou uma operação de contenção de danos.

Onyx irá à Holanda com comissão externa da Câmara que investigará propinas pagas pela SBM na Petrobrás

Onyx Lorenzoni é o único integrante do RS na comissão externa que investigará denúncias de propina a funcionários da Petrobrás,formada por nove deputados – cinco indicados por partidos da base aliada, três da oposição e um coordenador escolhido pela Mesa Diretora da Casa.

. Este escândalo soma-se ao da refinaria Pasadena (leia abaixo várias notas). Isto tudo surgiu na estatal depois que o PT tomou o governo e passou a nomear sua gente para cargos de manda, onde as roubalheiras começaram. 

. A instalação dos trabalhos da comissão foi aprovado há 15 ias, mas ainda nãos e moveu. O ato representou a primeira derrota imposta ao Palácio do Planalto pelo chamado "blocão", grupo informal criado por partidos da base aliada insatisfeitos com o governo federal.

. Os integrantes do grupo deverão ir à Holanda para acompanhar as investigações das denúncias de corrupção envolvendo a estatal do Petróleo e a empresa holandesa SBM Offshore, que aluga plataformas flutuantes a companhias petrolíferas.

Como foi a corrupção 
dos holandeses na Petrobrás

Reportagem publicada pelo jornal “Valor Econômico” revelou um suposto esquema de pagamento de suborno a autoridades de governo e de estatais de diversos países, entre os quais o Brasil.
A denúncia foi publicada na página em inglês da SBM na Wikipedia, em outubro de 2013, mas só veio à tona na última semana. No texto, uma pessoa que se identifica como ex-diretor da SBM afirma que a companhia teria pagado mais de US$ 250 milhões em propinas entre 2005 e 2011 a empresas e autoridades em diversos países – entre eles, o Brasil.
De acordo com a denúncia do suposto ex-funcionário da SBM, ao menos US$ 139 milhões teriam sido pagos por meio da Faercom e da Oildrive, empresas que trabalhavam como representantes comerciais da SBM no Brasil, e então repassadas a funcionários da Petrobras, para obter contratos junto à estatal.
Segundo o "Valor Econômico", a SBM é investigada na Holanda, na Inglaterra e nos Estados Unidos por pagamento de suborno a empresas de outros seis países, além do Brasil.
Conforme o jornal, a empresa holandesa informou em seu último balanço que tem portfólio de encomendas de US$ 23 bilhões com a estatal brasileira, incluindo as plataformas Cidade de Paraty, Cidade de Maricá e Cidade de Saquarema, em construção.

CLIQUE AQUI para ler, também, material da BBC Brasil sobre as origens dos atuais problemas da Petrobrás.