Partidos de Oposição lançam manifesto contra Dilma.

Ao longo da história, a Câmara dos Deputados tem sido palco de importantes avanços e contribuições para a sociedade brasileira em momentos decisivos da vida nacional. Sendo assim, diante das gravíssimas crises econômica, política e ética em que o governo do PT colocou o Brasil e da irreversível perda de condições, por parte da presidente da República, em conduzir o país, os Partidos de Oposição compartilham da mesma preocupação e da necessidade de unir suas forças para buscar alternativas capazes de superar tais crises.

Partilham, também, da convicção de que a notória incapacidade do PT em contornar a recessão econômica, a mais grave na história republicana, impossibilita o governo da presidente Dilma de buscar alternativas para colocar o país na trajetória do crescimento.

Há também a clareza de que a gravidade de fatos tornados públicos – como, por exemplo, a doação de R$ 7,5 milhões de origem ilícita para a campanha presidencial petista de 2014 e a entrega de R$ 10,5 milhões, também de origem criminosa, na sede do Partido dos Trabalhadores em São Paulo – subtraem do PT e do governo Dilma as condições éticas e políticas necessárias para a proposição de qualquer pacto, entendimento ou caminho para a solução dessas múltiplas crises, que penalizam fortemente os brasileiros.

Não obstante, apurações ocorrem simultaneamente em Cortes importantes, como o TSE e o TCU, que em acórdão já comprovou a prática das “pedaladas fiscais”, o que configura crime de responsabilidade.

Portanto, qualquer que seja o resultado das investigações em curso – impeachment, cassação do diploma – e também em caso de renúncia, a Oposição estará unida e tem consciência da sua responsabilidade para com o Brasil.

Diante desse quadro e em sintonia com o que externaram as manifestações em todo o país, os Partidos de Oposição na Câmara anunciam que procurarão, ao lado de representantes dos movimentos sociais, da sociedade organizada e de parlamentares que se identificam com essas preocupações, saídas para o caos que se avoluma, pois entendem ser esta, também, uma das obrigações do Parlamento brasileiro."

Carlos Sampaio, Líder do PSDB
Bruno Araújo, Líder da Minoria
Mendonça Filha, Líder do DEM
Rubens Bueno, Líder do PPS
Arthur Oliveira Maia, Líder do SD
André Moura, Líder do PSC

Defesa da medicina na Unijuí bombou hoje no Twitter

No final desta quinta-feira, a Unijuí começou forte mobilização virtual e a #MedicinaNaUnijui foi um dos assuntos mais comentados do twitter no RS.

Pelo menos 15 deputados federais já anunciaram apoio público à proposta de rversao da decisão do ministério da Saúde sobre a escolha da univesidade, preterida pela Estácio de Sá.

Todos os deputados estaduais assinasram carta apoiando as Unijuí.

300 sobreviventes petistas protestam a favor em Porto Alegre

O editor usou seu iPhone de última geração da Claro para capturar a foto aí ao lado, ainda há pouco (18h01min) na Esquina Democrática, Porto Alegre.

Trata-se de manifestação de protesto a favor do governo Dilma.

A "multidão" de 300 pessoas concentrou-se na esquina da Rua da Praia com avenida Borges de Medeiros, mas só chamou a atenção do público porque atrapalhou o transito de pessoas.

Só se viram bandeiras do PT, da CUT e do Cpers. Ninguém dos Partidos aliados foi visto na rua, nem mesmo o PMDB.

Do mesmo modo que nas outras capitais, também em Porto Alegre os atos públicos concentraram funcionários e dirigentes petistas e cutistas, além de pessoal arrebanhado em cargos federais e municipais, sem contar os inocentes úteis e lúmpens já conhecidos.

A concentração na Esquina Democrático está mais ao fundo, como se vê na foto.

Transeuntes reclamaram da presença dos petistas e seus aliados.

Sartori explica como é sua proposta de aumento do ICMS

O governador Ivo Sartori anunciou há pouco os termos da proposta do aumento do ICMS que protocolou hoje na Assembléia, com pedido de urgência.

Ele ironizou a resistência que encontrará entre os deputados, inclusive da base:

- Resistência eu tenho até lá em casa.

O governo pensa arrecadar R$ 2,1 bilhões por ano com os aumentos, R$ 211 milhões dos quais para o Fundo de Amparo à Pobreza, Ampara. Os cálculos da secretaria da Fazenda sao de que as novas alíquotas custarão adicionais R$ 0,53 por dia para os 12 milhões de gaúchos. 

Os pontos:

— Elevação da alíquota básica do ICMS de 17% para 18%.

— Aumento de tributos para combustíveis (gasolina e álcool hidratado, de 25% para 30%), comunicação (telefonia fixa e móvel, de 25% para 30%), bebidas (cerveja e chope, de 25% para 27%; refrigerante, de 18% para 20%), energia elétrica (residencial, acima de 50 kW, de 25% para 30%; comercial, de 25% para 30%).

— Criação de fundo de combate à pobreza (Ampara), com a cobrança de adicional de dois pontos percentuais, até 2025, sobre TV por assinatura (hoje, de 12%), fumo, bebidas alcoólicas e cosméticos (atualmente 25%).

— Fixa o dia 1º de janeiro como data de lançamento do IPVA, para dar agilidade à cobrança. O prazo para quitar o imposto é antecipado para 30 de abril. O "Bom motorista" ganha desconto de 5% no primeiro ano, de 10% em dois anos e de 15% em três anos, estimulando a boa conduta.

— O Programa Especial de Quitação e Parcelamento (Refaz), além de possibilitar a regularização fiscal de empresas e incrementar a arrecadação, permitirá o parcelamento com desconto de 40% nos juros e desconto de até 50% na multa.

CLIQUE AQUI para saber mais. 

Opinião do editor - No Jogo do Poder, Eduardo Cunha foi escolhido a dedo por Rodrigo Janot

CLIQUE AQUI para examinar a primeira parte da denúncia contra Eduardo Cunha.
CLIQUE AQUI para examinar a segunda parte.


Eduardo Cunha foi escolhido a dedo pelo Procurador Geral da República, acusado de fazer o jogo do governo para debilitar o adversário de Dilma. É o que parece. A lista de políticos sob investigação da PGR, que para isto recebeu autorização do STF, é muito grande. 

O Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, escolheu a dedo o deputado Eduardo Cunha, presidente da Câmara, para liderar a lista de políticos que começou a denunciar formalmente, hoje, junto ao STF. 

Trata-se do mais competente e mais forte adversário político de Dilma Roussef e do PT no Congresso, capaz de abrir caminho para o impeachment da presidente.

Eduardo Cunha tem acusado Janot de cumplicidade com o governo no caso.

E é o que parece com esta denúncia de hoje.

Nem o presidente do Senado, Renan Calheiros, integrante da lista, e nenhum político do PT que também integra o rol de investigados  encaminhado ao STF em março,foi denunciado por Rodrigo Janot, sequer Gleise Hoffmann. CLIQUE AQUI para saber quem são eles.

As revelações das 80 páginas da denúncia que foram conhecidas até agora, 17h03min, são recorrentes ao que já se conhece desde março. O editor acompanhou atentamente o que foi disponibilizado até agora, tudo de acordo com o vazamento propiciado pela PGR, mas não percebeu uma só prova material das acusações de corrupção ativa e lavagem de dinheiro feitas contra o presidente da Câmara. As provas apontadas são testemunhais, a prostituta das provas, que só serão relevantes e verazes se vierem acompanhadas de material de fato, o que não foi aconteceu até este momento. 

Brasil enfrenta tempestade perfeita na economia

Nesta reportagem, a revista Veja revela que os indicadores da economia brasileira apontam para uma recessão prolongada. O tombo será ainda mais profundo caso o governo não recupere rapidamente a confiança dos investidores nem consiga evitar o rebaixamento da nota de crédito do paí

Leia o material dos repórteres  Giuliano Guandalini e Bianca Alvarenga

A conta é de Dilma, mas nós é que estamos pagando: os erros da política econômica do primeiro mandato de Dilma Rousseff expuseram o país à tormenta.

As análises econômicas mais realistas e desapaixonadas indicavam, fazia algum tempo, que a crise na economia brasileira era um acidente prestes a acontecer. Por seis anos seguidos, o governo pisou fundo demais no acelerador dos gastos públicos e aliviou o pé no freio do controle da inflação. Em pouco tempo, arruinou a confiança construída em duas décadas de ajustes e reformas - sem falar nas manobras na contabilidade federal. Ao assumir o Ministério da Fazenda, Joaquim Levy apresentou um plano para evitar o desastre, como o personagem do filme Juventude Transviada que escapa da morte ao saltar do carro momentos antes da queda no desfiladeiro.
Por alguns meses, parecia que Levy seria bem-sucedido. O ministro procurou extinguir os trambiques do antecessor e propôs uma série de medidas para reforçar o caixa do governo e impedir um rombo ainda maior nas finanças públicas. A iniciativa seria um primeiro passo para arrumar a casa e retomar os projetos de longo prazo para incentivar o crescimento econômico. O clima político hostil, entretanto, atrapalhou os planos do ministro. Quanto mais frágil a situação da presidente Dilma Rousseff e maior o envolvimento de políticos da base aliada nas revelações da Lava-Jato, menor a disposição do Congresso para aprovar ajustes impopulares. O tempo sobre a economia brasileira já estava fechado. Agora, o país está sob a ameaça de lidar com uma verdadeira tempestade perfeita.
O Brasil não é tão vulnerável como no passado, mas entrou avariado na trovoada. O povo brasileiro já percebeu, em seu dia a dia, o aumento no custo de vida, a dificuldade para quitar dívidas, o desemprego de pessoas conhecidas. O pior, entretanto, está por vir. Principalmente se as medidas de austeridade nas contas do governo não forem aprovadas. Na semana passada, a agência americana de classificação de risco Standard & Poor's reduziu para negativa a avaliação do país. Existe agora uma probabilidade elevada de rebaixamento da nota do Brasil, possivelmente no próximo ano. Se assim for, o país perderá, na avaliação da S&P, o status de grau de investimento. E o que isso significa? A economia deixará de ter acesso ao crédito farto e barato dos mercados internacionais. Os maiores fundos de pensão estrangeiros restringem a aplicação em países sem o grau de investimento. Em vez de ficar mais próximo de países como os Estados Unidos, a Alemanha ou o Chile, o Brasil seria rebaixado para o grupo de caloteiros contumazes, que inclui a Grécia, a Argentina e a Venezuela.
Não é apenas o governo que é afetado. As empresas brasileiras também serão vistas como investimentos especulativos. Ao pôr a nota do país em perspectiva negativa, a agência fez o mesmo para 41 empresas locais. Entre elas figuram companhias que, a despeito do cenário econômico adverso, estão entregando bons resultados e não têm dependência direta do Estado, como Ambev e NET. Isso acontece porque a nota de crédito do país é o teto de classificação das empresas. Raramente uma empresa pode ter nota melhor do que o país no qual ela opera, porque sempre existe o risco de ser afetada por alguma restrição na transferência de pagamentos.


Esta cena de Petrolina é o retrato deplorável do fim do sonho petista

A "mega-manifestação" ao lado não é dos cães que correm atrás do fuca, na expressão de hoje do escritor lulopetista Luiz Fernando Veríssimo.

São apenas meia dúzia de ativistas que lembram cães vadios. é tudo desta tarde em Petrolina, Pernambuco, nos protestos a favor de hoje.

Em todo o País, as manifestações reduziram-se a poucos lúmpens, funcionários e sindicalistas.

O governo Dilma, o PT e seus aliados não conseguiram entender até agora que chegaram ao fim da linha.

O povo definitivamente não quer mais saber deles.

Ruy Castro diz que Lula faturou R$ 6,8 milhões por ano com palestras

Artigo, Folha de S. Paulo, intitulado "Final à vista"

Às vezes, me perguntam se vivo de literatura. A resposta é sim -se, durante o mês, eu for chamado a dar palestras, ministrar um curso de biografia, coordenar um ciclo de debates ou ganhar um prêmio literário. Enfim, se conseguir me virar fora da página impressa. Já quando me perguntam se vivo de direitos autorais, a resposta é não, e vale para 90% dos escritores nacionais, exceto uma meia dúzia e alguns autores de livros para jovens e de autoajuda. Claro que todas essas atividades -palestras, cursos, debates, prêmios- exigem que o sujeito pratique ou tenha praticado alguma literatura.
O ex-presidente Lula não pratica literatura. Praticou a presidência de um país. E, desde que passou o cargo, o mundo tem se atropelado para saber como ele fez, qual o seu segredo e com que fórmulas mágicas pegou um país quebrado, segundo diz, e o tornou essa potência em que vivemos. Faz isso em palestras de 50 minutos em países da África, do Oriente Médio e da América do Norte, e não chega para os convites.
Sua empresa de palestras, sabe-se agora, arrecadou R$ 27 milhões nos últimos quatro anos. São R$ 6,75 milhões por ano. Quantas palestras serão necessárias para render esse cachê? E haverá assunto para tanta palestra? R$ 10 milhões desse dinheiro vieram dos empreiteiros que estão sendo investigadas pelos assaltos à Petrobras. De tanto ouvi-las, já não deviam saber as palestras de cor?
Sorte de Lula não ser escritor. E olhe que sua vida é uma fabulosa obra de ficção -uma saga com a qual nem as de Jorge Amado, Erico Verissimo e Guimarães Rosa se comparam. Contém intrigas, mentiras, traições, morte, dinheiro, lances de chanchada, reviravoltas -o protagonista aparenta ser uma coisa e se revela outra. E, como toda ficção, boa parte dela é verdade.

Nem toda ficção tem final feliz. Aliás, a melhor é a que não tem. 

Janot protocola denúncia no STF contra Eduardo Cunha

O procurador-geral geral da República Rodrigo Janot entregou as denúncias ao Supremo Tribunal Federal (STF) devido a denúncias de recebimento de propinas referente a contratos da Petrobras investigados pela Operação Lava Jato. Foi as 13h. Caso o STF aceite as denúncias, Collor e Cunha tornar-se-ão réus na Justiça. Ambos políticos negam as acusações do Ministério Público.


Essas são apenas as primeiras denúncias registradas pela Procuradoria contra políticos. 

A expectativa é que em breve mais agentes públicos cujos nomes foram envolvidos nas investigações tenham os nomes levados ao Supremo. A Procuradoria priorizou Collor e Cunha neste primeiro momento. Os dois têm criticado fortemente e publicamente a Procuradoria e Janot.

Eduardo Cunha avisou que não renunciará. 

Artigo, Márcio Andrade, Instituto Liberal - O triste legado assumido por Sartori

O socialismo dura até acabar o dinheiro dos outros. 
(Margaret Thatcher)

“Criminoso matou, e depois foi chorar no enterro da própria vítima”. Este é um brocardo popular antigo, mas bastante moderno para definir alguns padrões comportamentais diante do quadro das contas públicas no Rio Grande do Sul.
Lembro quando a ex-Governadora Yeda Crusius (PSDB, 2007-2010) disse que ‘a pior coisa que pode acontecer ao Rio Grande é o déficit’, orgulhando-se por ter equilibrado as contas públicas, e ter entregue ao sucessor Tarso Genro (PT) uma situação contábil muito mais tranquila do que encontrou, conhecida nos jargões de economia como ‘déficit zero’.
Tarso, ao assumir seu mandato em 2011, desdenhou por completo a fala da ex-governadora, afirmando que déficit zero era uma ‘falácia neoliberal’, criando, assim, 500 novos cargos em comissão para demonstrar a solidez do seu discurso e conseguindo com o secretário Nacional do Tesouro na época, Arno Augustin (PT), a chamada ‘flexibilização das metas fiscais’, episódio que autorizou o então Governador a aumentar o endividamento do nosso Estado. Não precisamos ter qualquer talento profético para supor o que aconteceria a partir desSe fato; a dívida pública, no período de 2011 a 2014, cresceu 9,8 Bilhões, somada à impossibilidade de o governo estadual contrair novos empréstimos.
E não foi “apenas” isso. Tivemos outros gastos irrefletidos ao longo dos últimos quatro anos: concursos públicos sem qualquer previsão orçamentária; saques de 5,5 bilhões nos depósitos judiciais; aumentos salariais populistas para os segmentos mais obedientes do funcionalismo público; etc. Tudo isso apoiado por setores classistas (CUT, CPERS, SINDSEPE, e outros sindicatos) que, em posição genuflexória, batiam palmas para a irresponsabilidade e descontrole com dinheiro público.
As mesmas entidades que, agora, culpam o atual Governador José Ivo Sartori por ter anunciado um parcelamento salarial para o funcionalismo do estado.
Impossível não perceber nesta postura um misto entre covardia moral e desídia intelectual.
Primeiro, devido ao julgamento que tenta desviar a própria responsabilidade para outrem; todos que ajudaram a destruir economicamente o RS, neste momento, apontam o dedo melecado para Sartori, fugindo às suas responsabilidades sem o mínimo embaraço. A avaliação condenatória é tão frágil, que sequer considera o fato de o Governador ter SEIS MESES de mandato.
Ainda, nota-se uma espécie de preguiça em transcender o raciocínio – nutrida pelas mais grosseiras aparências (tipo parcelamento do salário) – restando por deixar o sujeito domiciliado nos pântanos das imagens rasas e da ideologia cegueta. Criam-se ‘homens-sapiens’ e ‘mulheres-sapiens’ incapazes de refletir sobre a ESSÊNCIA do problema: como estava a situação das contas em tal período? Houve aumento do gasto público? Quais as fontes de receita? Quando piorou? Por quê? Qual foi minha conduta neste episódio? Inércia? Assentimento? Militância dirigida?
Questões incômodas, pois é bem mais conveniente “errar e fugir”, deixando toda responsabilidade para o desavisado que vem logo atrás, a enfrentar nossa persona imatura. Bem mais oportuno criar rótulos para os outros, e se fingir de múmia paralítica.
Deste jeito, assassina-se o Estado. Depois, quando percebemos o reflexo do populismo sedutor e da imprudência nossa de cada dia, choramos no velório… É muito mais fácil.
*Márcio Andrade é professor estadual. 


Cai outro petista na diretoria da Trensurb. Novo diretor de Operações é Damiani.

Caiu o diretor de Operações do Trensurb, o petista Carlos Augusto Belloli de Almeida, entrando em seu lugar Roberto Damiani Mondadori, engenheiro de carreira da empresa, mas indicado pelo PSD de Kassab.


Agora na Diretoria, de petista, só tem o presidente Humberto Kasper.

RS é o quinto maior parceiro comercial da Alemanha. Estado sustenta superavit na balança com Berlim.

O Rio Grande do Sul ocupa a quinta posição entre os Estados brasileiros que mais vendem e mais importam da Alemanha, conforme estes dados que o editor pediu hoje para a ACI de Novo Hamburgo:

Somatório de 10 anos

Exportações em bilhões de dólares:
Minas, 15,9/ SP, 15,1/ Paraná, 9,2/ Pará, 7,4/ RS, 4,9.

Importações
SP, 61,6/ Paraná, 9,3/ Minas, 8,3/ Rio, 8,2/ RS, 5,2

Balança com Alemanha é altamente deficitária para o Brasil

A visita de hoje da chanceler Ângela Merkel representa o esforço alemão para melhorar ainda mais sua posiçao no comércio bilateral, já altamente favorável a Berlim.

O editor pediu dados para a ACI de Novo Hamburgo e pode informar que a balança comercial entre os dois Países tem sido altamente deficitária para o Brasil:

2014
Exportações, US$ 6,6 bilhões
Importações, US$ 12,8 bilhões
Déficit contra o Brasil, US$ 7,2 bilhões

O momento de maiores trocas foi 2011', com vendas de US$ 9 bilhões, compras de US% 15,2 bilhões e déficit de US$ 6,7 bilhões.

ACI de Novo Hamburgo entrega a Sartori duro protesto contra aumento de impostos no RS

A
nota a seguir, assinada pela ACI de Novo Hamburgo, intitulada "Pode um grama de ação pesar mais do que mil palavras de terror?", será entregue esta tarde ao secretário estadual da Fazenda, Giovani Feltes, ao governador e aos deputados estaduais.

Ela protesta contra a proposta de aumento do ICMS.

Leia:

Para nós da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha não resta dúvida: só a ação sobre a perdulária estrutura estatal e os resultados daí obtidos - pelo próprio Governo do Estado do Rio Grande do Sul - provocarão mudanças e trarão soluções para a penúria fiscal e orçamentária que hoje todos enfrentamos.
Após muitos anos assistindo a votações demagógicas e por vezes covardes de parte da Assembleia Legislativa, o contribuinte vem sofrendo com a manutenção e criação de novas empresas estatais por parte do Palácio Piratini a cada gestão, que levam tão somente a novas e permanentes despesas públicas sobre a folha de pagamentos do Estado do RS ou a aumentos do salário mínimo regional como o aprovado no ano passado, na ordem de 16%, que alimenta a ilusão de ganho do trabalhador juntamente a natural redução do índice de empregos e de negócios para todos.
Sob o impacto destas percepções, o empresário honesto e formalizado enfrenta um verdadeiro exército de concorrentes desleais somados a burocracia, às licenças ambientais e a constante insegurança jurídica em razão das políticas empreendidas pelo governo federal e estadual.
Ao empresário não cabe a escolha de atrasar um dia sequer o pagamento de sua taxa ambiental ou o pagamento do ICMS, enquanto lamenta a ausência de ampliação e manutenção da infraestrutura, divide com seus funcionários a impotência frente a insegurança e depende tão somente de políticas desleixadas em prol da assecuração de empregos para compadres, cabos eleitorais e encaixes partidários patrocinados pelos nossos tributos duramente honrados, mês a mês, dia a dia.
Cabe ao empresário mais do que a indignação. Cabe a este verdadeiro herói dos tempos modernos do Rio Grande do Sul exigir que o Governo trate nossos impostos com o dever proporcional de respeito com que nós abastecemos os cofres públicos.
Portanto, senhor Governador José Ivo Sartori e senhor Secretário da Fazenda do RS, Giovani Batista Feltes, contem com o nosso apoio para a extinção da CORAG, CEEE, CESA e outras empresas deficitárias e de contumaz ineficiência.
Contem conosco em seus esforços para a repactuação e equalização dos juros da dívida do Estado do RS com a União. Da mesma forma, estaremos ao seu lado na busca de uma reforma para o quadro insustentável da aposentadoria do funcionalismo público no RS.
Apoiaremos, como já foi dito ao senhor Secretário Feltes pessoalmente, todo o esforço técnico combativo na busca da cobrança e regularização da dívida de 8 bilhões de ICMS cobráveis por parte da Secretaria da Fazenda, afinal, temos a certeza de que mesmo os contribuintes assíduos aceitariam o REFIS Estadual de longo prazo em prol das soluções heroicas que o Estado necessita.
Sem a busca destas mudanças de forma clara, aberta e corajosa não haverá realização alguma em seu Governo senão a do ostracismo e do repetido modelo de insucesso.
Portanto, senhores, queremos aqui registrar nosso mais enérgico posicionamento contrário a qualquer tentativa de aumento de impostos no estado do RS. Por desacreditarmos no sucesso e no aumento da arrecadação em meio a uma crise econômica sem par nos últimos anos, pela ausência completa de espaço de mais este custo sobre o setor produtivo gaúcho, e porque a maioria dos gaúchos votaram num novo Governador, acreditando em suas promessas de enfrentamento de todas as questões acima destacadas.
Deram seu voto e colocaram suas vidas, de seus filhos e funcionários nas mãos de um homem que disse que o seu Partido é o Rio Grande. Não nos resta dúvida de que maior do que qualquer partido, o Rio Grande do Sul precisa de sua lealdade e de provas de seus esforços no rumo do controle fiscal e da manutenção de nossas empresas.
Porque nós acreditamos num Rio Grande do Sul possível!

.

Sartori elevará saques sobre depósitos judiciais. Yeda, no ajuste, evitou usar esse dinheiro "emprestado".

Ainda não é certo que entre os projetos conste também o que permitirá que o governo eleve de 85% para 95% o saque sobre os depósitos judiciais.

Este dinheiro, que é de partes privadas que litigam em juízo, tem sido apropriado de modo despudorado pelos governos.

O governo de Yeda Crusius foi o que menos apelou para ele e ainda assim apenas nos primeiros meses, quando tentava ajustar as contas. Estes foram os saques:

Rigotto, R$ 1,4 bilhão
Yeda, R$ 615 milhões
Tarso, R$ 5,6 bilhões
Sartori, R$ 877 milhões

O saldo total da conta é de R$ 101 bilhões e o governo deve R$ 8,6 bilhões, pelo qual paga juros diários de R$ 3 milhões, valor que será reduzido depois que for aprovada proposta sobre novo serviço da dívida, conforme proposta de ontem do Poder Judiciário.

Gerdau confirma 100 demissões e 100 layoffs em Sapucaia e Charqueadas

O grupo Gerdau confirmou ter demitido 100 trabalhadores da sua usina siderúrgica de Sapucaia do Sul e colocado outros 100 em layoff na antiga Aços Finos Piratini, Charqueadas.

Mas avisou que tudo não passou de ajustes, cujo programa encerrou.

Por enquanto.

Protestos a favor também foram fiasco na Internet

Ao lado, as redes sociais ironizam possível manchete que dará amanhã a Folha de S. Paulo, cujos números sobre protestos contra Dilma não são aceitos pela oposição. - 

De acordo com levantamento inédito da Bites Consultoria, no sábado, um dia antes dos protestos anti-Dilma, havia no Facebook 70 eventos reunindo 1,7 milhão de pessoas dispostas a ir às ruas. Hoje, véspera das manifestações da CUT, há 12 eventos com cerca de 64 600 confirmados.

A informação e o texto são de Lauro Jardim, coluna Radar, www.veja.com.br Leia mais:

Desde 21 de julho, quando a central sindical anunciou que iria às ruas, o assunto foi tema de 15 450 menções em blogs, sites de notícias, fóruns e no Twitter. O mês anterior aos protestos de 16 de agosto ficou muito acima, com 57 044 menções.


Até a iminente denúncia contra Eduardo Cunha feita pela PGR ao STF, conhecida hoje, despertou mais interesse que as manifestações de apoio à presidente, com 16 377 postagens só no Twitter.

"Multidão de 600 manifestantes faz protesto a favor de Dilma no Paraná

Em várias capitais os atos de protesto em favor do governo Dilma já começaram. Ao lado, a multidão faz passeata de duas quadras em Curitiba, que no domingo reuniu 60 mil da oposição. -

Os 600 manifestantes que se concentravam na praça Santos Andrade, em Curitiba, iniciaram uma passeata pelas ruas do central da capital paranaense, de acordo com o último informe da Polícia Militar. 

Os organizadores do ato, por sua vez, estimam que o público presente seja de 4.000 pessoas. A marcha deve passar por avenidas como Marechal Deodoro e Marechal Floriano, seguindo até a praça Osório. A PM e a Setran (Secretaria Municipal de Trânsito) acompanham o protesto.

No blog do jornalista Fernando Pondé (a foto ao lado é dele), há a informação de que o público gritava consignas de "apoio!", das janelas:

- Vão trabalhar, vagabundos !.

A "multidão" acabou se dispersando. 

Luiz Fernando Veríssimo diz que manifestantes de rua são "vira-latas perseguindo carros"

O escritor Luis Fernando Verissimo comparou os manifestantes contra a presidente Dilma, inclusive os 93% dos brasileiros que não apóiam seu governo, a ‘vira-latas perseguindo carros’. O escritor dá ânsia de vômito. - 

Mais uma vez, o escritor lulopetista gaúcho destila saliva contaminada para agradar o batalhão de lambe-botas bajuladores dos poderosos que no plantão de agora promovem corrupção, incentivam a subversão e fazem má gestão. Este tipo de gente não se importa com o caráter nem com a idoneidade das pessoas que se alojam no PT, seus aliados e seus aparelhos, mesmo que estejam sendo investigadas, presas e condenadas por iniciativa da Polícia Federal, MPF e Justiça Federal, portanto por instituições republicanas e democráticas que nada têm a ver com os manifestantes de rua.

O único interesse do lambe-botas é obter a simpatia do grupo ao qual presta sórdidos serviços.

Outra faceta dos lambe-botas é bajular pessoas sem caráter, pessoas cínicas e mentirosas, pessoas de classes sociais que emergiram para roubar dinheiro público -  bajulação de chefetes petistas em geral.

Os poucos cães de que fala Luiz Fernando, correspondem a 180 milhões de brasileiros, segundo Datafolha (pesquisa sobre apoio ao governo Dilma). 

CLIQUE AQUI para ler todo o artigo. 

Pixulula já aparece nas trampas da gaseificadora da OAS no Uruguai

Mal o jornal El País, Montevidéu, divulgou a reportagem sobre a ingerência de Lula junto ao ex-presidente Mujica, tudo com o objetivo de entregar para a OAS as obras de implantação da gaseificadora do Uruguai, e já começaram a surgir memes com o uso do Pixulula, o boneco apresentado domingo ao público de Brasília.

É o que você vê ao lado.

Leia a reportagem e veja a foto da reportagem disponibilizada a seguir por esta página, para comparar as fotos.

O Pixulula, segundo seus criadores de Brasília, começará a circular em todas as Capitais, sempre enjaulado dentro de indevassável grade.

Leia a reportagem a seguir.

Outro escândalo internacional envolve Lula e OAS. Desta vez o caso de é de gaseificadora no Uruguai.

Ao lado, foto mostrando que a obra está paralisada. -

Na reportagem do jornal El País, Montevidéu, hoje, o deputado nacionalista Pablo Abdala denuncia aquilo que chama de “injerencia directa” de Lula a favor de OAS, usando seu prestígio junto ao ex-presidente Mujica. É outro escândalo internacional envolvendo o ex-presidente e o cartel das empreiteiras. 

O título da reportagem é "Involucran a Lula en la concesión de gasificadora".

Leia tudo (use o tradutor automático do Google para ler em português):

El diputado nacionalista Pablo Abdala manejará en la interpelación que le hará a la ministra de Industria, Carolina Cosse, a propósito de la detenida obra de la regasificadora, que hay versiones "insistentes" de que el expresidente de Brasil, Lula da Silva, tuvo "injerencia directa" para que la empresa de ese país, OAS, tuviera participación en los trabajos, y que realizó gestiones en ese sentido ante el anterior gobierno uruguayo

OAS actuaba como constructora, tras haber sido contratada para esa tarea por GNLS, el consorcio formado por GDF Suez y la japonesa Marubeni adjudicatorio de la obra. La empresa brasileña está ahora está en concurso de acreedores y la obra paralizada desde febrero.

Abdala también está preocupado por la posibilidad de que el Estado sea demandado por al menos US$ 15 millones por distintos contratistas nacionales acreedores de OAS, ya que ha constituido fianzas solidarias a través de Gas Sayago, empresa formada por Ancap y UTE para hacer el llamado a licitación de la regasificadora.

GNLS admitió que no puede terminar la obra y está negociando con Gas Sayago la rescisión del acuerdo. El consorcio constituyó a favor de Gas Sayago una garantía de US$ 100 millones que, según Abdala, puede resultar insuficiente para cubrir las obligaciones emergentes. El legislador también planteará su inquietud por la posibilidad de que el Estado deba pagar por la transferencia de activos de GNLS, pero fuentes que participan de las conversaciones aseguran que esa posibilidad no está planteada. Por su parte, GNLS pagó a los obreros que habían sido contratados por OAS.

Abdala dirá en la interpelación que se configuró "un abuso de funciones conceptual" cuando el anterior gobierno insistió en adjudicar a GNLS las obras, pese a que había informes técnicos en contrario. "OAS tenía pocos o nulos antecedentes en materia de obras off shore y se incurrieron en sobrecostos en el dragado. La propia Cámara de la Construcción denunció que no había empresas nacionales en el consorcio adjudicatario. Todo el proceso de selección del concesionario ha sido muy oscuro y sospechoso y puede haber consecuencias patrimoniales para el Estado", sostuvo Abdala. El legislador advirtió que las obras deban recomenzarse "de cero".

También inquieta a Abdala que el contrato de GNLS establece que las eventuales diferencias con el Estado pueden llegar a dirimirse en tribunales arbitrales extranjeros.


La interpelación fue votada por el Partido Nacional, el Partido Colorado, el Partido Independiente y la Unidad Popular.

As 17h, governo Sartori dirá como será a proposta de aumento do ICMS

Só as 17h o governo anunciará os termos daquilo que ele chama de quarta fase do Ajuste Fiscal Gaúcho, que inclui o aumento do ICMS.

Será no Piratini.

Protesto a favor de Dilma será esta tarde na Esquina Democrática, Porto Alegre. Oposição reage com Mortadelaço na Praça Júlio de Castilhos.

Banda Loka Liberal reagirá com Mortadelaço na Praça Júlio de Castilhos, Porto Alegre. - 


Em várias capitais, o PT e seus aparelhos do tipo CUT, UNE e MST, farão protestos a favor do governo Dilma Roussef.

Em Porto Alegre, os atos começarão as 13h30min com debate na igreja Pompéia, caminhada da igreja até a Esquina Democrática e ato público ali mesmo.

O protesto a favor pretende reagir à passeada do protesto contra de domingo, que reuniu 35 mil pessoas em Porto Alegre.

Na Praça Júlio de Castilhos, bairro Moinhos de Vento, Ramiro com 24 de Outubro, grupos liderados pela Banda Loka Liberal reagirão com seu 1o Mortadelaço, ação que ironiza os sanduíches de mortadela que o PT e seus aparelhos costumam oferecer à "militância" paga.

Desemprego aumenta para 7,5% no País

O desemprego subiu para 7,5% da população economicamente ativa. O IBGE, que acaba de divulgar o número, informou que é o maior índice desde 2009.

Segundo IBGE, vagas de trabalho nas fábricas diminuíram 1% em junho ante maio, sexto mês seguido de queda; empresas estão enxugando as suas estruturas para adequar a produção à fraca demanda.

Na indústria, é o pior resultado em 14 anos.

Michel Temer volta a ser o que era. Dilma fica sem articulador no Congresso.

Cumprida a última fase das propostas de ajuste fiscal enviadas pelo governo ao Congresso (fim da desoneração sobre a Folha de 56 áreas de empresas), o vice Michel Temer voltará ao que era, apenas vice de Dilma.

Não se sabe o que fará Eliseu Padilha.

Michel Temer preserva-se para assumir a presidência em caso de impeachment ou renúncia de Dilma Roussef.

Itaú Unibanco prevê ajuste fiscal por mais dois anos

Eis os grandes números com os quais trabalha o economista Ilan Goldfajn, do Itaú Unibanco:

- Queda de 2,3% do PIB em 2015 e de 1% em 2016.
- Dólar a  R$ 3,55 em 2015 e  R$ 3,90 em 2016.
- O país tem risco "relevante" de perder o grau de investimento.

- O ajuste fiscal promovido pelo governo federal se deteriorou e, agora, o processo deve se estender por pelo menos mais dois anos. O Brasil deve ter superávit primário zero neste ano, de 0,2% no ano que vem e de 0,6% em 2017.

Sartori diz que segurança está garantida, apesar da greve. Há controvérsia.

O governo Sartori tirou nota informando que a greve dos servidores estaduais não compromete a segurança pública.

Há controvérsia.

As quadrilhas ouriçaram-se com a greve na polícia civil e a operação padrão brigadiana. Apenas ontem, elas promoveram duas apções de alto impacto:

- Tentaram explodir uma agência do Banrisul em São Leopoldo, o que obrigou a polícia a usar robô para remover bananas de dinamite que não exlodiram.
- Promoveram arrastão na freeway, depenanando os passageiros de um ônibus.

É verdade, no entanto, que as quadrilhas falharam em São Leopoldo e foram presas na freeway.

União arrecada no RS o dobro do que arrecada o governo do Estado

O governo federal arrecadou R$ 4,9 bilhões em julho no RS.; O valor representa o dobro do que arrecada o governo estadual para si mesmo.

UFPel divulga lista de quilombolas e indígenas incluídos pelo sistema de quotas

Os oitos candidatos aprovados sem vestribular ingressam nos cursos de Medicina, Medicina Veterinária, Pedagogia, Enfermagem, Agronomia, Odontologia, Educação Física e Administração, todos da Universidade Federal de Pelotas. Conforme o coordenador de Ações Afirmativas e Políticas Estudantis (CAPE) da UFPel, professor Rogério Rosa, após cumprido o objetivo inicial, de garantir a participação de representantes desses povos na Universidade, o maior desafio será sua permanência. Os aprovados integrarão o Programa Bolsa Permanência, do Governo Federal, que destina um valor de aproximadamente R$ 800,00 para estudantes quilombolas e indígenas. Além disso, esses acadêmicos terão direito a auxílio alimentação, transporte, deslocamento, pré-escola (no caso de possuírem filhos), instrumental odontológico (para a estudante aprovada no curso de Odontologia) e moradia – em relação a esse quesito, a UFPel está alugando um imóvel com todas as condições necessárias para receber o grupo com qualidade.

A reportagem a seguir é do Diário Popular:

Nesta quarta-feira, foi divulgada a lista de candidatos aprovados no processo seletivo específico, fora do vestibular pasra os demais estudantes, para quilombolas e indígenas na Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Quatro candidatos quilombolas e quatro indígenas ingressam nos cursos de Medicina, Medicina Veterinária, Pedagogia, Enfermagem, Agronomia, Odontologia, Educação Física e Administração.

Todos os 42 candidatos inscritos participaram das duas etapas de seleção: prova de redação e apresentação de memorial descritivo. Ambos ocorreram na semana passada. O curso mais concorrido foi Medicina, com 12 candidatos por vaga, seguido por Agronomia, com nove. Não houve candidatos inscritos para os cursos de Nutrição e Zootecnia. As vagas poderão ser ocupadas por suplentes.

Ao mesmo tempo, destaca o coordenador, deverá ser ampliado o diálogo das pró-reitorias – em especial as de Graduação, Assuntos Estudantis, Extensão e Cultura e Pesquisa e Pós-Graduação – e coordenações de curso, para ajustar políticas concernentes a esses novos estudantes.

Deverá, também, ser criada uma regulamentação interna a fim de institucionalizar a vida acadêmica desses alunos e um comitê destinado a debater, gerir e orientar as políticas ligadas a esses grupos. Essa instância deverá, ainda, agregar a discussão em torno das ações afirmativas e políticas de cotas, por exemplo.


A CAPE e a Coordenação de Processos de Seleção e Ingresso (CPSI) passam, agora, à avaliação e revisão do edital de seleção. Como novidades para o próximo processo seletivo de quilombolas e indígenas estão a ampliação do número de vagas e a destinação de vagas específicas para cada grupo, de forma que não concorram entre si. No processo atual, as vagas foram preenchidas de forma intercalada.

Dilma já recebeu parte do 13o que reluta pagar aos aposentados

Enquanto decide se paga ou não a antecipação de 50% do 13o, este mês, para os aposentados, o que se sabe é que a presidente Dilma Roussef já embolsou a sua parte.

Junto com ela, todos os funcionários federais.

Novo pacote de Sartori chegará hoje na Assembléia

O governo Sartori protocolará, hoje, na Assembléia, o que ele chama de quarta fase da sua política de ajuste fiscal.

- Aumento do ICMS
- Criação de fundo de combate à pobreza
- Novo Refis

Com o aumento do ICMS, o governo quer conseguir mais R$ 2,8 bilhões na arrecadação, R$ 2 bilhões dos quais ficará com ele no ano que vem.

PTB poderá dar seus 5 votos contra o aumento do ICMS

O deputado Luís Lara, que voltou ontem a noite de Brasília, disse esta manhã ao editor que os cinco deputados do PTB votarão contra o aumento do ICMS.

O PTB forma o bloco da oposição junto com PT, PCdoB e PSOL.

Luís Lara está esta manhã na Comissão de Finanças da Assembléia, onde analise o Plano Plurianual. Ele está contrariado com o que viu até agora:

- Cito apenas um caso: no governo anterior, a Casa Civil dispunha de R$ 9 milhões para assistência social, o que não é função deste tipo de secretaria, mas agora o governo quer elevar tudo para R$ 159 milhões. Ora, se não tem dinheiro para pagar salários, como é que propõe isto ?

Há alguma dúvida em relação ao voto do deputado Marcelo Moraes, Santa Cruz do Sul, segundo soube o editor, mas no Partido isto não é levado a sério, porque até mesmo na votação da LDO o parlamentar ficou com a oposição.

PDT votará por ICMS maior, mas quer limitação temporal

O PDT poderá dar seus oito votos a favor do aumento do ICMS, mas impõe algumas condições para que faça isto, entre as quais a de que as novas alíquotas sejam limitadas no tempo.

Sartori apelará a Ana Amélia por aumento do ICMS, mas bancada do PP está dividida na Assembléia

O governador Ivo Sartori resolveu fazer um apelo pessoal à senadora Ana Amélia para que o ajude a convencer a bancada de sete deputados do PP a apoiá-lo no caso do aumento do ICMS.

O Partido só aceitou integrar a base aliada depois que emplacou sua proposta de rejeitasr este tipo de aumento.

O PP tem sete entre os 55 deputados.

As contas do editor, hoje, mostram que os únicos votos irreutíveis são os de Frederico Antunes e Sérgio Turra.

Este é o levantamento feito por esta página e não se consolidou por declarações públicas, mas avaliações intramuros:

Contra - Frederico Antunes e Sérgio Turra.
Possíveis votos a favor, dependendo do andar da carruagem - Silvana Covatti, Adolfo Britto, Fixinha, Ernane Polo (substituirá Marcel Van Hatten, que é suplente e votaria contra) e Pedro Westphalen (entrasrá no lugar de Gerson Borba, que também é suplente). Polo, Agricultura, e Westphalen, Transporte, são secretários estaduais.

TJ-RS abre mão de R$ 1 bilhão de juros dos depósitos judiciais usados pelo Governo

Além disto, o governo vai propor a elevação de 85% para 95% o total possível de saques de depósitos judiciais, o que lhe permitirá botar a mão em R$ 1 bilhão suplementar.- 

Conforme informou ontem o editor, o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul aprovou a proposta pela qual abrirá mão de 50% do excedente dos juros dos depósitos judiciais sacados pelo governo nos próximos quatro anos. A medida deverá auxiliar o Governo do Estado a enfrentar a crise financeira, com a possibilidade de obter mais recursos para pagar salários de servidores e manter a máquina pública.

Os desembargadores que integram o Órgão Especial iniciaram a sessão extraordinária por volta das 18h desta quarta-feira.

Serão R$ 190 milhões este ano; R$ 296 milhões em 2017; R$ 265 milhões em 2017 e R$ 293 milhões em 2018.

O projeto irá para a Assembléia. 

Quinta-feira será de sol, poucas nuvens e frio ligeiro em todo o RS

O sol apareceu com poucas nuvens, nesta manhã (8h22min) em Porto Alegre. O mesmo acontece no no Rio Grande do Su

Ar mais seco e frio cobre o Rio Grande do Sul e o amanhecer é frio. Com a presença do sol, a temperatura sobe e a tarde será amena em todo o Estado. 


As mínimas oscilarão entre os 5°C em São José dos Ausentes e os 7°C em Vacaria. As máximas, por sua vez, podem alcançar 22°C em Santa Rosa. Em Porto Alegre, os termômetros variam entre 11°C e 20°C.