Itaú Unibanco prevê ajuste fiscal por mais dois anos

Eis os grandes números com os quais trabalha o economista Ilan Goldfajn, do Itaú Unibanco:

- Queda de 2,3% do PIB em 2015 e de 1% em 2016.
- Dólar a  R$ 3,55 em 2015 e  R$ 3,90 em 2016.
- O país tem risco "relevante" de perder o grau de investimento.

- O ajuste fiscal promovido pelo governo federal se deteriorou e, agora, o processo deve se estender por pelo menos mais dois anos. O Brasil deve ter superávit primário zero neste ano, de 0,2% no ano que vem e de 0,6% em 2017.

Um comentário:

Anônimo disse...

NEGATIVO, bota mais oito anos nisso!