Oposição leva milhares de eleitores para as ruas na Venezuela. Capriles cunha grito de guerra: "Sim, podemos !"

- As eleições na Venezuela estão na reta final. Os institutos de pesquisa apontam vitória folgada de Nicolas Maduro, o candidato chavista, que usa e abusa do dinheiro público e da força do governo para tocar sua campanha. O candidato da oposição, que fez 40% contra Chavez no ano passado, não parece ter desistido da luta. As imagens de hoje (veja ao lado) demonstram que ele é fortíssimo candidato. A matéria e a foto é do jornal El Universal, Caracas, desta noite:

ELECCIONES 2013
Capriles en Caracas: Venezuela se ha levantado a decir sí podemos
El candidato de la Unidad, Henrique Capriles, manifestó que la avenida Bolívar "nos quedó pequeña" y dijo que la multitud es la demostración de que "Venezuela se ha levantado a decir sí podemos"

El candidato opositor a la presidencia de la República, Henrique Capriles, ataviado con una camisa vinotinto y la gorra tricolor, saludó a miles de seguidores que se dieron cita en la avenida Bolívar. "La avenida Bolívar se quedó pequeña para la multitud", dijo Capriles al subir a la tarima donde fue recibido por su madre, artistas y representantes de diferentes partidos políticos que le apoyan.

Tarso Genro ataca a RBS e defende a censura à RBS e a toda a mídia do Brasil

- Na foto, Nelsinho, RBS, nos bons tempos em que era só sorrisos com Tarso. Entre ambos, algodão entre cristais, Aloísio Mercadante, o mais novo encantador de serpentes do Planalto Central.

A entrevista a seguir foi concedida ao jornalista Marco Aurélio Weissheimer e foi publicada neste final de semana no site Carta Maior. O governador gaúcho tem procurado jornalistas amigos para praticar seu passtempo predileto, que é falar e escrever sobre tudo e sobre todos. É tarefa na qual mais gasta seu tempo, porque a tarefa de governador o governo não o anima e só pratica os atos do dia a dia da aminsitração com enorme enfado. Ele agora está de birra com a RBS. Nos últimos 40 anos, nem um só governador que enfrentou a RBS, terminou bem o seu governo. Claro que por conta dessa birra, Tarso apoveita para defender a censura à imprensa. Leia (é uma catilinária conhecida, inconsequente, mas o dever de ofício manda conhecer o pensamento reducionista que domina o Piratini):

Tarso defende luta política pela regulamentação da mídia
Em entrevista à Carta Maior, o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, defende a necessidade de intensificar a luta política em defesa da regulamentação da mídia e do setor de comunicação como um todo. Definindo essa agenda como uma promessa não cumprida da Constituição de 1988, Tarso critica a ausência de diversidade de opinião no atual sistema midiático brasileiro e cita a postura editorial do jornal Zero Hora como exemplo de um processo de ideologização das notícias, recorrente no Brasil.
Marco Aurélio Weissheimer

CLIQUE AQUI para ler. 


Opinião do Leitor - Cabo de Guerra: coragem e destemor.

OPINIÃO DO LEITOR
Cabo de Guerra: coragem e destemor

Lendo o livro Cabo de Guerra, cuja leitura concluo a qualquer momento, fiquei impressionante com a coragem, o destemor,  o discernimento e a franqueza com que narras a trajetória da governadora Yeda Crusius no Piratini, além da revelação do extenso conhecimento acerca de tudo o que aconteceu no governo dela. Eu me lembro que acompanhava tudo pelos jornais, mais o CP, um pouco da RBS, e nestes veículos eu não lia aquilo que tu publicavas na tua newsletter, a qual recebo já faz um bocado de tempo. Mais impressionante foi a forma como boicotaram o governo Yeda, a quadrilha que se formou contra ela, talvez liderada pelo atual governador Tarso Genro, PT  e seus satélites, órgãos federais de oposição a ela, mais a RBS. Mais impressionante ainda é que a própria RBS, jornalistas cabresteados, políticos gaúchos se voltaram contra os interesses do RS. Lucidez e coragem é o que não lhe faltou a dar o nome aos bois. Todos eles. E o que vemos é que a quadrilha voltou ao Poder, até não sei quando, conduzidos que foram pelo eleitor, (ingênuo, ignorante, tolo, burro, mau intencionado??).  O que sei é que no meu entendimento perdemos dois governadores dos mais desenvolvimentistas e progressistas do Estado, destruídos por forças retrógradas, aferradas em propostas reducionistas que atrasaram o progresso da humanidade, no caso o comunismo, agora submetido a uma releitura amena e edulcorada por parte dos revisionistas que só o são por oportunismo, porque é mais fácil enganar os desinformados. Os que viam além do próprio umbigo, e que almejavam algo melhor para o RS: Britto e Yeda. E hoje temos um fanfarrão no governo.Espero que continues na tua luta de esclarecimento da verdade, pois só esta nos libertará. Gustavo Firenze Dias, Porto Alegre, RS. 

* O livro é entregue em 24 horas em Porto Alegre e em 48h em qualquer cidade do RS e do Brasil. R$ 75,00. Pedidos para polibio.braga@uol.com.br

Fração do PMDB do RS dirá em Brasília, terça-feira, que apoiará a reeleição do candidato do PT em 2014

Apesar do desconforto de lideranças importantes, gaúchas, que resistem ao PT, o presidente do PMDB do RS, deputado Edson Brum, dirá na terça-feira, em Brasília, no jantar preparado pelo vice-presidente Michel Temer a uma comitiva local, que já apoia o governo da presidente Dilma Roussef e fechará com o candidato do PT em 2014. Um dos coordenadores da reunião e defensor da decisão é o ex-deputado Eliseu Padilha, que também irá ao Jaburu.

. A posição não é do Partido, mas da atual cúpula do PMDB.

. O tamanho do desconforto dos que se opõem ao apoio à Dilma já poderá ser percebido nesta segunda-feira em Porto Alegre, porque inúmeros deputados federais e estaduais do PMDB irão ao encontro do governador Eduardo Campos, candidato virtual do PSB ao Planalto.

- Alguns líderes partidários consideram que o apoio a qualquer candidato é prematuro e poderá prejudicar o candidato do PMDB ao governo estadual, que terá dificuldades em montar seu palanque, caso o Partido queime desde já todas as pontes. 

PP do RS dirá ao PP nacional, terça, que não apoiará reeleição de Dilma

Na noite de terça-feira os presidentes do PP de sete Estados conversarão com o senador Ciro Nogueira, Piauí, que deverá  ser o próximo presidente nacional do PP, substituindo o senador Francisco Dornelles. O presidente do PP gaúcho, Celso Bernardi, contou ao editor a razão principal do encontro prévio:

- Diremos que queremos independência para escolhermos o candidato a presidente em 2014, porque não apoiaremos o candidato do PT.

. Nos sete Estados, PP e PT são como água e óleo.

. Nesta segunda-feira, a senadora Ana Amélia irá ao encontro do governador Eduardo Campos, candidato do PSB ao Planalto. Dirigentes do Partido avisaram ao editor que não se trata de apoio, mas de comemorar o aniversário de 50 anos do presidente do PSB do RS, Beto Albuquerque. 

. No RS, o Partido alimenta chances reais de chegar ao Piratini e quer que a senadora Ana Amélia faça oposição aos candidatos do PT lá e cá.

. Em Minas o PP também é muito forte. O atual vice-governadorAlberto Pinto Coelho Júnior disputará a sucessão do governador Anastasias, PSDB.

- A posição do PP gaúcho significa que a senadora Ana Amélia será a única dos candidatos mais importantes que fará oposição aos governos Tarso Genro e Dilma Roussef. O PT, claro, alinha-se nas duas esferas, enquanto que o PMDB fará oposição local, mas apoiará a reeleição de Dilma ou apoiará uma nova eleição de Lula. O PP do RS poderá apoiar a eleição de Aécio Neves, sobrinho de Francisco Dornelles, ou a candidatura do socialista Eduardo Campos, com quem Ana Amélia já manteve contatos. 

Saiba de que modo a Constituição permite pagar os precatórios com imóveis públicos - e sem licitação.

- O artigo a seguir é de Frederico Oliveira Valtuille e Fávio Brando. Está publicado na edição deste final de semana do jornal Valor. Vale a pena ler tudo. O editor selecionou o trecho a seguir, que é mais representativo do conteúdo. No final, vai link com o texto integral. No Brasil, a dívida dos precatórios soma R$ 95 bilhões, R$ 8 bilhão dos quais apenas do governo do Estado. 

Título original: Alternativas para o problema dos precatórios.

Este artigo presta-se, neste diapasão, para tratar da alternativa relativa à quitação dos precatórios dos Estados e municípios por meio de dação em pagamento de imóveis públicos, conforme o artigo 100, parágrafo 11, da Constituição, ipsis literis: "É facultada ao credor, conforme estabelecido em lei da entidade federativa devedora, a entrega de créditos em precatórios para compra de imóveis públicos do respectivo ente federado".

Como é de conhecimento geral, os Estados e municípios brasileiros possuem um acerco imobiliário constituído, entre outras modalidades, por uma série de imóveis dominicais, rurais e urbanos, os quais não se prestam à realização das finalidades públicas, e que, dessa forma, constituem-se em dinheiro público desperdiçado, quando poderiam ter uma destinação socialmente responsável.

A dação em pagamento, prevista no art. 356 e seguintes do Código Civil, é o instituto jurídico pelo qual o credor aceita receber coisa que não seja dinheiro para dar quitação a divida, ou seja, seria possível à administração pública se liberar de uma dívida materializada em precatório judicial sem ter de desembolsar dinheiro, por meio da transferência do domínio de um bem imóvel, com avaliação prévia do valor de mercado sem onerar, portanto, os cofres públicos. De se ressaltar que o Código Civil, em seu art. 101, autoriza a alienação de bens públicos dominicais e, sendo esta feita por meio de dação em pagamento, fica dispensada a realização de licitação, conforme disposto no art. 17, I, "a", da Lei nº 8.666, de 1993.

Dessa forma, tendo em vista que o uso de imóveis públicos para liquidação de precatórios depende da existência de lei da entidade federativa devedora, ou seja, exclusivamente de sua vontade política, a alternativa acima serve para alertar principalmente aos legisladores que existem caminhos dotados de efetividade econômica, social e jurídica e que representarão os pontos de partida para o novo marco regulatório que se avizinha para os precatórios do Brasil.

CLIQUE AQUI para ler tudo.


Reforma política irá a voto na terça-feira. Sem consenso, reforma sairá capenga.

- Ao lado, o relator, o deputado gaúcho Henrique Fontana, PT.

* Clipping jornal Valor, por Raquel Ulhôa 

Sem consenso, reforma política deve ir a voto na próxima semana
BRASÍLIA - A proposta de reforma política programada para começar a ser votada no plenário da Câmara dos Deputados na terça-feira acaba com a possibilidade de empresas privadas financiarem diretamente a campanha de determinado candidato ou partido. A ideia — um dos temas que dividem os partidos nesse assunto— é adoção do financiamento público exclusivo das campanhas, por meio de um fundo criado com essa finalidade.

Este é um dos cinco temas da proposta de reforma política elaborada pelo deputado Henrique Fontana (PT-RS), composta de um projeto de lei e duas Propostas de Emenda Constitucional (PEC). Relator da proposta, ele afirmou nesta quinta-feira que são tantas as divergências entre os partidos em torno dos temas que compõem a reforma política, que várias emendas devem ser apresentadas e o processo de deliberação do plenário deve demorar no mínimo duas semanas.

“Há bastante dissenso sobre tudo e a tentativa de mapear os votos no plenário é impossível. Por isso, temos de botar para votar”, disse.

CLIQUE AQUI para ler mais.


Neste domingo, eleitores votam de novo em 16 municípios, sendo quatro do RS

Neste domingo (7), 165.984 eleitores de 16 municípios brasileiros voltam às urnas para escolher seus prefeitos. Na lista estão Triunfo (RS), Fortaleza dos Valos (RS), Sobradinho (RS), Tucunduva (RS), Caiçara do Rio do Vento (RN), Fernão (SP), Coronel Macedo (SP), Eldorado (SP), Muquém do São Francisco (BA), Serra do Mel (RN), Diamantina (MG), Joaquim Távora (PR), Cachoeira Dourada (MG), São João do Paraíso (MG), Biquinhas (MG) e Pedra Branca do Amapari (AP).

CLIQUE AQUI para saber mais. 

Aécio denuncia Dilma em entrevista: "Ela é frouxa com a inflação e quer controlar os lucros das empresas"


* Clipping, Folha. Título original: Dilma é leniente com a inflação, afirma Aécio,
by Valdo Cruz e Natuza Nery.

Em entrevista à Folha na qual se posiciona com clareza como candidato à Presidência da República, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) atacou a política macroeconômica de Dilma Rousseff e acusou a presidente de ser "leniente" com a inflação e de querer "até controlar o lucro de empresários".

O tucano criticou a falta de autonomia do Banco Central para evitar alta nos preços e disse que o PSDB tem "tolerância zero" com a inflação.  

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) durante a entrevista na sexta, em um hotel de São Paulo
"Quando o dragão começa a colocar a cabeça para fora, sabemos que é difícil colocá-lo na caixa de novo", diz.

A partir de conversas com o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, seu principal conselheiro na área econômica, o senador promete, num futuro governo tucano, fazer o país crescer pelo menos de 4% a 5% ao ano.

Em meio a criticas aos adversários, o senador Aécio Neves faz uma autocrítica, na entrevista à Folha, sobre o desempenho dos tucanos na últimas três eleições presidenciais, quando foram derrotados pelo PT.

"Não por deméritos dos nossos candidatos, mas não conseguimos fazer com que parcela importante do Brasil voltasse a sonhar com um desenvolvimento social mais amplo", diz ele.

O senador reconhece que seu partido perdeu a batalha para os petistas em torno da paternidade dos programas sociais e diz que o PSDB precisa se "renovar na expectativa das pessoas".

"Se tivéssemos feito isso, teríamos ganhado as eleições", avalia o senador, destacando porém que nas últimas campanhas "fomos para o segundo turno, com votações expressivas tanto do Serra como do Alckmin".

CLIQUE AQUI para ler tudo o que saiu na edição deste domingo.

PCdoB, portanto a deputada Manoela D'Ávila, apóia guerra nuclear da Coréia do Norte contra os EUA

- Ao lado, a verdade sobre os resultados finais dos regimes socialistas autoritários, do tipo da Coréia do Norte e do gênero defendido por Manoela e seus seguidores do Brasil. 

Eis a carta de apoio, postada no site Vermelho, do PCdoB:

Senhor Embaixador da República Popular e Democrática da Coreia;

A campanha de uma guerra nuclear desenvolvida pelos Estados Unidos contra a República Democrática Popular da Coreia passou dos limites e chegou à perigosa fase de combate real.
Apesar de repetidos avisos da RDP da Coréia, os Estados Unidos tem enviado para a Coréia do Sul os bombardeios nucleares estratégicos B-52 e, em seguida, outros meios sofisticados como aeronaves Stealth B-2, dentre outras armas.

Os exercícios com esses bombardeios contra a RDP da Coréia são ações que servem para desafiar e provocar uma reação nunca antes vista e torna a situação intolerável.

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

Assina a petição do Avaaz para tirar da Comissão de Constituição e Justiça estes dois bandidos do PT


O gaúcho André Buger lançou no Avaaz uma petição que já está recebendo assinaturas, na qual pede a imediata destituição de dois dos bandidos que foram condenados no julgamento do Mensalão, no caso os deputados José Genoíno e João Paulo Cunha. Numa provocação inédita do PT, os dois mensaleiros foram indicados e sãomembros da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados. A mídia e as redes sociais estão ignorando o abaixo assinado, mas reverberaram de modo selvagem a iniciativa do mesmo Avaaz, quando foi o caso de pedir o impedimento de Renan Calheiros.

Por que isto é importante
O objetivo desta petição é manter uma das mais importantes comissões da Câmara dos Deputados isenta de políticos que tenham sido condenados em qualquer instância, em especial estes dois (José Genoíno e João Paulo Cunha) por terem sido condenados pelo STF.

CLIQUE AQUI para assinar.